Estação Prefeito Saladino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Prefeito Saladino
Estação Prefeito Saladino
Terminal Rodoferroviário Prefeito Saladino, 2011. Em primeiro plano o terminal rodoviário. Ao fundo a estação ferroviária.
Uso atual Estação de trens metropolitanos
Proprietário Governo do Estado de São Paulo
Administração EFSJ (1952-1969)

RFFSA (1975–1984)
CBTU (1984–1994)
CPTM (1994–atualmente)

Linhas Turquesa

Estrada de Ferro Santos-Jundiaí
(RFFSA, 1952–1994)

Código SP-2115
Sigla PSA
Posição Superfície
Níveis 2
Plataformas Laterais (2)
Vias Três
Altitude 741 m acima do nível do mar
Zona tarifária Única (R$ 4,40)
Serviços Acesso à deficiente físico Banheiro Venda de Bilhetes Achados e Perdidos Centro de Informações
Conexões Terminal rodoviário Terminal Urbano Prefeito Saladino
Site Linhas da CPTM
Informações históricas
Inauguração 29 de novembro de 1952 (71 anos)
Fechamento Data desconhecida
Reconstrução 29 de março de 1966 (57 anos)
Projeto arquitetônico Rede Ferroviária Federal
Localização
Localização Estação Prefeito Saladino
Endereço Praça Doutor Armando Arruda Pereira, s/n - Campestre
CEP SP, 09210-550
Município Santo André
País  Brasil
Próxima estação
Sentido Jundiaí
Sentido Rio Grande da Serra
Prefeito Saladino

A Estação Prefeito Saladino é uma estação ferroviária, pertencente à Linha 10–Turquesa da CPTM, localizada no município de Santo André.

História[editar | editar código-fonte]

A Parada Prefeito Saladino foi implantada em 29 de novembro de 1952. Com o crescimento da região um novo prédio foi construído entre 1964 e 1966, sendo inaugurado em 29 de março de 1966. Nesta data a parada também é elevada a estação.[1][2]

A construção da nova estação incentivou o SESI a implantar uma unidade nos seus arredores em 1972. Décadas mais tarde, a prefeitura de Santo André (em parceria com a iniciativa privada) implantou o novo terminal rodoviário da cidade ao lado da estação, sendo inaugurado em 2000, com uma passarela sobre os trilhos prevendo uma integração com o prédio novo da estação, projetado desde 2005 (vide seção Projetos).[3][4]

A estação Prefeito Saladino foi transferida da gestão federal (CBTU) para a estadual (CPTM) em 1 de junho de 1994.[5]

Projetos[editar | editar código-fonte]

Em 11 de maio de 2005 o consórcio de empresas Maubertec/Herjack foi contratado pela CPTM por R$ 845.974,00 (com aditivos o valor final do contrato foi de R$ 888.036,85) para elaborar projetos de reconstrução das estações Mooca, Ipiranga, Utinga e Prefeito Saladino. Em 29 de março de 2008, os projetos foram entregues. A CPTM os inscreveu no PAC, sendo contemplada na fase de pré-seleção. Com a crise econômica de 2014, diversos financiamentos do PAC foram cancelados, incluindo o de reconstrução das estações Moóca, Ipiranga, Utinga e Prefeito Saladino.[6][7][8]

Toponímia[editar | editar código-fonte]

A estação foi batizada em homenagem a Saladino Cardoso Franco (1873-1951), prefeito do antigo município de São Bernardo entre 1914 e 1930.[9]

Na cultura popular[editar | editar código-fonte]

A estação de Prefeito Saladino foi cenário de algumas cenas do filme Antônia (2006).[10]

Características[editar | editar código-fonte]

Sigla Estação Inauguração Integração Plataformas Posição Notas
PSA Prefeito Saladino 29 de novembro de 1952 Bilhete Único da SPTrans e
Terminal de Ônibus Urbano
Laterais Superfície Inicialmente uma parada
Reconstruída como estação pela RFFSA

Diagrama da estação[editar | editar código-fonte]

Diagrama da Estação Prefeito Saladino
Sentido Jundiaí
1

a

b

c
2
Sentido Rio Grande da Serra

Legenda

                     Linha ferrêa

  Plataforma


Linhas

Plataforma 1 e 2: Linha 10–Turquesa da CPTM
Via a: Sentido Jundiaí (Trem Parador) (Embarque e desembarque)
Via b: Sentido Luz-Tamanduateí-Santo André (Trem Semi-Expresso)
Via c: Sentido Rio Grande da Serra (Trem Parador) (Embarque e desembarque)

Referências

  1. Ralph Mennucci Giesbrecht (2001). «Ipiranga». Consultado em 6 de março de 2019 
  2. «EF Santos a Jundiaí inaugura nova estação». Folha de S. Paulo, Ano XLVI, edição 13443, página 9. 6 de abril de 1966. Consultado em 6 de março de 2019 
  3. SESI Santo André. «Sobre a Unidade». SESI-SP. Consultado em 6 de março de 2019 
  4. «O Tersa». Terminal Rodoviário Santo André. Consultado em 6 de março de 2019 
  5. CBTU (1994). «Introdução» (PDF). Relatório de Administração, página 37. Consultado em 6 de março de 2019 
  6. CPTM (21 de maio de 2005). «EXTRATO DE CONTRATO-CN 829240201105» (PDF). Diário Oficial do estado de São Paulo. Consultado em 6 de março de 2019 
  7. «Estações Mooca, Ipiranga, Utinga e Prefeito Saladino da Linha D Lote 6 – CPTM». Maubertec. 2008. Consultado em 6 de março de 2019 
  8. Fabio Leite (6 de março de 2017). «CPTM adia para 2020 entrega de acessibilidade em todas as estações:Companhia alega falta de repasses de verba do PAC e renova acordo com o Ministério Público prorrogando prazo em até seis anos». Estadão. Consultado em 6 de março de 2019 
  9. «Prefeitos de Santo André». Prefeitura de Santo André. 20 de março de 2013. Consultado em 6 de março de 2019 
  10. «CPTM: Estação da companhia é um dos cenários do filme "Antônia"». Portal do Governo. 1 de fevereiro de 2007. Consultado em 6 de março de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma estação, apeadeiro ou paragem ferroviária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.