Pirituba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Distrito paulistano de
Pirituba
Área 17,1 km²
População (19°) 163.696 hab. (2010)
Densidade 95,73 hab/ha
Renda média R$ 1.587.17
IDH 0,841 - elevado (54°)
Subprefeitura Pirituba
Região Administrativa Noroeste
Área Geográfica 1 (Noroeste)
Distritos de São Paulo Bandeira da cidade de São Paulo.svg

Pirituba é um distrito situado na zona noroeste da cidade de São Paulo, no Brasil.

A área que leva este nome ainda inclui os bairros de São Domingos.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

A origem do seu nome é o resultado da justaposição das palavra tupis pi'ri ("junco")[1] e tyba ("ajuntamento")[2] . Significa, portanto, "ajuntamento de juncos". Na região, havia uma lagoa denominada Pirituba, resultante de um dos braços do Rio Tietê, que passa próximo.

Características socioeconômicas[editar | editar código-fonte]

A região abriga todas as classes sociais, embora a classe média seja a predominante.

Algumas pessoas que não conhecem Pirituba imaginam, erroneamente, que se trata de uma região de classes média baixa e baixa. Todavia, é importante deixar claro que existem áreas carentes na região, sendo elas, sobretudo, os bairros mais periféricos que fazem limite com os distritos da Brasilândia e Jaraguá, como o Jardim Paquetá e o Canta Galo, porém elas não representam sua maior parte.

Os bairros mais próximos de vias como a Marginal Tietê e a Rodovia dos Bandeirantes, como a Chácara Inglesa e o Jardim Felicidade, apresentam ótima infraestrutura com moradias de médio e alto padrão, ruas mais largas e arborizadas, comércios de melhor qualidade e maior número de instituições de ensino particular. Além do mais, a região apresenta áreas nobres como o City América (São Domingos), City Pinheirinho e o residencial semi-fechado City Recanto Anastácio, que abrigam moradores das classes média alta e alta.

Índices de violência[editar | editar código-fonte]

Pirituba não está na lista dos distritos com os maiores índices de violência. De acordo com o mapa da violência em São Paulo do G1[3] , de 2014, Pirituba possui uma taxa de 6 homicídios por 100 mil habitantes. Segundo esta pesquisa, esta taxa chega a ser inferior às de distritos como Casa Verde, Belém, Tatuapé, Morumbi, Perdizes, Ipiranga e Alto da Mooca. No ranking apresentado, onde constam 93 distritos paulistanos, Pirituba aparece na 71º posição.

Nas listas da Exame, como a de 2015, que aponta os bairros onde há taxas de homicídios intoleráveis[4] , e a de 2014, que indica aqueles que apresentam os maiores índices de roubo[5] , onde lideram bairros como Brás, Capão Redondo, , Parelheiros, Campo Limpo e Vila Brasilândia, o distrito de Pirituba nem sequer aparece.

História[editar | editar código-fonte]

Pirituba nasceu a partir de uma fazenda adquirida pelo coronel Anastácio de Freitas, que veio a ser adquirida pelo brigadeiro Rafael Tobias de Aguiar e pela Marquesa de Santos. Em 1917, a fazenda foi adquirida pela Companhia Armour, e a área destinada à criação de gado de corte foi dada à Cia. City, que urbanizou esta região. Atualmente, é um dos polos industriais da cidade, com várias indústrias instaladas e residências diversas. Houve, ultimamente, um grande aumento de edifícios na região, além da retirada total das favelas e o deslocamento dessas populações para unidades construídas pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulos em outros bairros.

Possui um dos clubes holandeses mais tradicionais de São Paulo, a Casa de Nassau e, no decorrer dos tempos, sofreu forte influência de colônias de ingleses, de russos e de italianos que vieram trabalhar nas indústrias da região no início do século XX.

O distrito também é cortado pela Linha Sete da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, antiga Estrada de Ferro Santos-Jundiaí. A estação Pirituba foi inaugurada em 1885 pela São Paulo Railway (também conhecida como "Ingleza"). Na época, muitos ingleses residiam na Chácara Inglesa. Em 1964, a estação passou por reformas que incluíram as construções de uma passarela e de mais uma plataforma, entregues em 1965. Além dos ingleses, as terras situadas ao redor da estação, na época de sua construção, receberam um considerável número de famílias italianas e portuguesas interessadas pela região, constituindo, assim, as primeiras famílias de Pirituba.

Nos anos 40 foi construído o Cine São Luiz, um dos cinemas de bairro mais renomados da cidade de São Paulo na época. O local passou por algumas mudanças e, em 1991, se tornou a Paradise, casa noturna onde ocorriam diversas festas de Flash House, e que já não existe mais. Outra casa importante na região foi o Piritubão,[6] que ficou conhecido nos anos 80 devido aos seus bailes e shows. Algumas bandas conhecidas pelo grande público, como o Titãs e o Ultraje a Rigor, fizeram apresentações no Piritubão no início de suas carreiras.

Contudo, os anos 50 foram os mais importantes sob a ótica do desenvolvimento do bairro. Alguns dos fatos históricos de grande importância neste período foram a ampliação considerável do Lanifício Pirituba, a fundação de fábricas como a de papel Rio Verde, a de lajes Volterrana, a de preparo de algodão Norbo e a Pianofatura Paulista[7] .

Evolução demográfica do distrito de Pirituba [8]

Localização[editar | editar código-fonte]

Pirituba está localizado na região noroeste. Segundo a Prefeitura de São Paulo[9] , o bairro pertence à zona norte da cidade, embora seja comumente considerado da zona oeste.

Transporte público[editar | editar código-fonte]

O distrito abriga três estações de trem da Linha 7 - Rubi da CPTM: Piqueri, Pirituba e Vila Clarice, sendo que a estação Pirituba está localizada ao lado do Terminal Pirituba de ônibus.

O Terminal Pirituba de ônibus é um dos mais importantes de São Paulo e possui linhas ligando o distrito a diversos lugares da cidade, sejam os bairros vizinhos, ou os que estão em outras regiões, como Pinheiros, Itaim Bibi e Vila Mariana.

São Domingos[editar | editar código-fonte]

Os bairros de São Domingos são comumente mencionados como partes integrantes de Pirituba. No próprio site da Prefeitura de São Paulo, o bairro-jardim City América, o mais luxuoso da região, e seu maior ponto turístico, o Parque Cidade de Toronto, localizados em São Domingos, são apresentados como pertencentes à região de Pirituba[10] .

Isso ocorre, entre outros fatores, pois:

  • Os moradores do distrito, em geral, afirmam morar em Pirituba.
  • Seus comércios e condomínios geralmente têm suas localizações classificadas como Pirituba;
  • A Feira de Artes do Fórum de Cultura de Pirituba[11]  ocorre no Parque São Domingos, localizado no bairro homônimo;
  • A extensa Rua Joaquim de Oliveira Freitas, uma das principais da região, localizada na Vila Mangalot, em São Domingos, é comumente chamada pelo seu antigo nome: Rua Pirituba.

Alguns dos bairros do distrito, além dos já citados City América, Parque São Domingos e Vila Mangalot, são: Parque Maria Domitila, Jardim Santo Elias, Vila Fiat Lux e Jardim Nardini.

Principais Vias[editar | editar código-fonte]

As principais vias que ligam o distrito de Pirituba são:

O bairro é rico em praças, parques e tem um comércio com grande diversidade, prova disso são os portais eletrônicos de empresas da região.

  • Avenida Paula Ferreira: inicia-se no distrito da Freguesia do Ó e termina no distrito de Pirituba, quando liga-se à Avenida Raimundo Pereira de Magalhães. Tem cerca de 3,6 km a partir do distrito de Freguesia do Ó e é via de importante acesso para os bairros do Piqueri, Vila Bonilha e Vila Pereira Barreto. Localizam-se, nela, a Estação Pirituba, o Shopping Pirituba e o Largo da Matriz de Nossa Senhora do Ó.
  • Avenida Mutinga: inicia-se em Pirituba e termina no município de Osasco. Tem cerca de 5,5 km e passa pelos distritos de Pirituba, São Domingos e Vila Jaguara, terminando no subdistrito de Remédios.
  • Avenida Elísio Cordeiro de Siqueira: antiga Avenida Um, liga os distritos de Pirituba, São Domigos e Vila Jaguara.
  • Avenida Doutor Felipe Pinel: liga Pirituba aos distrito de Jaraguá.
  • Avenida Elísio Teixeira Leite: tem cerca de 7,2 km e abrange os distritos de Freguesia do Ó, Pirituba, Jaraguá e Brasilândia.

Outras vias importantes são: Avenida Alexios Jafet, Estrada São Paulo-Jundiaí, Avenida Chica Luisa, Estrada de Taipas, Avenida Miguel Castro, Avenida Cabo Adão Pereira, Avenida Benedito de Andrade, Avenida Fuad Lutfalla, Rua Manoel Barbosa e Rua Guerrino Giovanni Leardini.

Pontos Turísticos/históricos[editar | editar código-fonte]

  • Hospital Psiquiátrico Pinel - localizado em uma área verde, bonito por sua característica arquitetônicas;
  • Casarão do Anastácio - considerado patrimônio arquitetônico do bairro e tombado pelo patrimônio histórico;
  • Fritz Dobbert - fábrica de pianos desde 1956 no bairro;
  • Castelinho de Pirituba - construído em 1927, foi residência do superintendente da Estrada de Ferro São Paulo Railway. É patrimônio histórico e arquitetônico do bairro.
  • Casa de Nassau (Sociedade Holandesa de São Paulo) - inaugurada em 1957, a Casa de Nassau é um clube que pertence a Sociedade Holandesa de São Paulo. Declarado como área de utilidade pública.
  • Parque Estadual do Jaraguá - área arborizada pelo verde da Mata Atlântica, situada na zona oeste da cidade de São Paulo. Grande reserva ecológica, 7 hectares turísticos, local onde a cidade paulistana pode ser avistada do alto em 360º através de mirantes. Anfiteatros, pista de skate, trilhas, playground, espaço para piqueniques, quadras poliesportivas, lanchonetes, fraldários, banheiros para deficientes e estacionamento de automóveis
  • Jaraguá Clube Campestre - 500.000m² de clube com praticamente 2/3 de preservação natural com muita natureza e esplendor em torno de sua vegetação, fauna, cachoeiras, lagos e muito verde. Você encontra 3 campos de futebol, 12 quadras de tênis, 1 ginásio poli esportivo, 2 restaurantes, 1 piscina olímpica descoberta, 1 piscina olímpica coberta, sauna, muitos quiosques a disposição, lago para pesca esportiva, sala de ginástica, musculação, dança, berçário entre outras atrações e diversões.

Panorama[editar | editar código-fonte]

Panorama do distrito e ao fundo a zona oeste da cidade.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p.1 338
  2. http://www.fflch.usp.br/dlcv/tupi/vocabulario.htm
  3. Taxas de homicídios - G1 - Globo.
  4. 20 bairros de São Paulo com taxas de homicídios intoleráveis - EXAME.
  5. Os 20 bairros de São Paulo onde mais pessoas são roubadas - EXAME.
  6. Piritubão - Pirituba.net.
  7. História - Pirituba.net.
  8. Tabelas. Visitado em Junho de 2009.
  9. Pirituba, zona norte - Prefeitura de São Paulo.
  10. Parque Cidade de Toronto - City América/Pirituba - Prefeitura de São Paulo.
  11. Parque São Domingos/Feira de Artes do Fórum de Cultura de Pirituba - Prefeitura de São Paulo.
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de São Paulo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.