Prefeitura Regional da Capela do Socorro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Prefeitura Regional da Capela do Socorro
Administração
Subprefeito Não disponível
Características geográficas
Área 134,2 km²
População 684 757 habitantes
IBGE/censo 2010
IDH 0,787 - médio (23°)
Subprefeituras limítrofes M'Boi Mirim, Santo Amaro, Cidade Ademar e Parelheiros.
Mapa do município de São Paulo
Localização

A Prefeitura Regional da Capela do Socorro é uma das 31 subprefeituras da cidade de São Paulo. É composta por três distritos: Socorro, Grajaú e Cidade Dutra, que, somados, ocupam uma área de 134,2 quilômetros quadrados, habitada por mais de 680 mil pessoas, sendo a mais populosa subprefeitura da cidade. A atual subprefeita da Capela do Socorro é Cleide Pandolfi.

História[editar | editar código-fonte]

A região que compreende a Capela do Socorro era anteriormente habitado pelos índios Tupis, que acabaram tendo que regressar para a região de parelheiros. A primeira ocupação humana (não indígena) é datada de 1827, quando por meio do Porto de Santos desembarcaram 120 imigrantes alemães. Esses imigrantes se estabeleceram em parte na região da Capela do Socorro. Infelizmente pouco restou dessa ocupação, sendo o remanescente poucas famílias (os Shunk, Reeberg, Rochel, Hessel, Guilger da Silva, etc...).

No início do século XX houve o começo do projeto de controle de vazão do do Rio Tietê, a região foi beneficiada com retificação do Rio Pinheiros (diminuindo a região alagadiça) e a construção da Represa Guarapiranga (aumentando a oferta de energia). Por advento da seca de 1924 houve a ampliação do projeto com a construção da Represa Billings.

Com construção das represas houve a instalação de diversos equipamentos públicos e privados de lazer (como parques, clubes, ariás de recreação, etc...), juntamente com a construção da estrada Washington Luiz ( atual Avenida Washington Luiz) e posteriormente a Avenida Interlagos fizeram com que a ocupação do solo e a especulação imobiliária alavancasse durante a segunda metade do século XX. Dois projetos imobiliários que se destacaram foi a Vila Friburgo e a "Interlagos - Balneário Satélite de São Paulo", esse ultimo construído pela Auto Estradas S.A.

A partir da década de 40 a subprefeitura vizinha de Santo Amaro teve um grande aumento no numero de indústrias , que fez com que muitos trabalhadores dessas indústrias buscassem moradia na Capela do Socorro. Um exemplo desse tipo de ocupação foi a Cidade Dutra, que foi planejada e construída pela Auto Estradas S.A. para atender a demanda, e virou um vetor de desenvolvimento. O desenvolvimento industrial e urbano foi alavancado nas décadas de 50, 60 e 70 com a construção da Marginal Pinheiros e a ampliação e construção de logradouros públicos.

Em 1975, a Lei de Proteção dos Mananciais e a legislação de zoneamento industrial colocou um "freio" no desenvolvimento desenfreado, visando assim um controle na qualidade ambiental e de crescimento. Neste mesmo período começa a se constatar os primeiros assentamentos irregulares, principalmente próximo a córregos. Estima-se que atualmente exista 200 bairros irregulares e 220 favelas. [1]

Transporte Público[editar | editar código-fonte]

A Capela do Socorro conta com três estações da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) em pleno funcionamento e outras duas em fase de construção, sendo elas:

A subprefeitura conta com dois terminais urbanos de ônibus, administrados pela SPTrans, sendo eles:

  • Terminal Grajaú, adjacente a estação de mesmo nome.
  • Terminal Varginha, esse terminal irá mudar futuramente para um local mais próximo ao Jd.varginha, atualmente esse terminal se encontra dentro dos limites do bairro de Perelheiros.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de São Paulo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. «Subprefeitura da Capela do Socorro "História"». Consultado em 14 de Fevereiro de 2016