Jaçanã (distrito de São Paulo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura Pássaro Jaçanã, veja Jaçanã (desambiguação).
Distrito paulistano de
Jaçanã
Área 7,8 km²
População (55°) 94.609 hab. (2010)
Densidade 119,02 hab/ha
Renda média R$ 1.776,56
IDH 0,816 - elevado (65°)
Subprefeitura Jaçanã-Tremembé
Região Administrativa Nordeste
Área Geográfica 2 (Norte)
Distritos de São Paulo Bandeira da cidade de São Paulo.svg


Jaçanã é um distrito situado na zona norte da cidade de São Paulo, pertencente à Subprefeitura de Jaçanã/Tremembé.

Ficou célebre na canção Trem das onze de Adoniran Barbosa. Seus versos dizem: Não posso ficar nem mais um minuto com você / Sinto muito, amor, mas não pode ser. / Moro em Jaçanã... se eu perder esse trem, que sai agora às onze horas / Só amanhã de manhã (...).

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Até 1870, o bairro era conhecido como Uroguapira, pois imaginava-se que houvesse ouro no local. Como não passou de um boato, seu nome foi abreviado para Sítio Guapira, nome dado pelos indígenas para a região da Cantareira. Em 1º de junho de 1930, o bairro recebeu o nome atual, devido à grande quantidade de aves da espécie jaçanã[1] existentes na região. O nome antigo permaneceu em locais como a Avenida Guapira e o Clube Guapira.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1874, os primeiros leitos do Hospital Geriátrico D. Pedro II foram instalados para atender a mendigos e idosos. Na época, o hospital era conhecido como Asilo dos Inválidos[1]. Em 1906, começava a ser construído o prédio que permanece até hoje, com projeto e arquitetura de Francisco de Paula Ramos de Azevedo. A inauguração ocorreu em 2 de julho de 1911, com a presença de diversas autoridades, como o então presidente do estado Manoel José de Albuquerque Lins. Em 1904, foi inaugurado o Hospital dos Morféticos[2], com a finalidade de cuidar de doentes que sofriam de lepra. Após 25 anos, passou a se chamar Hospital São Luiz Gonzaga. A partir de 1932, o nome foi mudado e passou a cuidar de doentes de tuberculose. Nesse local também foram feitas as primeiras cirurgias cardíacas e realizado o Primeiro Congresso Brasileiro de Tuberculose.

Em 1934, grandes glebas de terra foram loteadas pelos irmãos Mazzei, tornando a área um típico bairro paulistano de classe média.

Em 1949, no final da Rua Francisco Rodrigues, próximo a duas chácaras e a um grande terreno de onde se tirava argila para a indústria de tijolos Aremina, foi inaugurado o primeiro estúdio de cinema de São Paulo: a Companhia Cinematográfica Maristela. Ali foram rodados filmes com Mazzaropi, Procópio Ferreira, Adoniran Barbosa e Regina Duarte. Adoniran Barbosa ia para os estúdios no trem da Cantareira, até a estação do Jaçanã, a poucas quadras do estúdio. Esta foi a inspiração para música Trem das Onze.

Em 1965, o bairro Jaçanã tornou-se ainda mais conhecido e foi imortalizado em toda a cidade de São Paulo pela música Trem das Onze, de Adoniran Barbosa, em que o compositor fazia referência ao trem que ligava o centro da cidade ao antigo bairro Guarulhos. Principal meio de transporte do bairro, permaneceu em atividade entre 1893 e 1965.

Em 30 de dezembro de 1983, foi fundado o Museu Memória do Jaçanã, por Sílvio Bittencourt, com a presença de dona Matilde de Lourdes Rubinato, esposa de Adoniran Barbosa. Sílvio, com a colaboração de antigos moradores, reuniu histórias, fotos, jornais, livros e outros objetos para dar início ao registro da história do distrito. Por muitos anos, o museu encontrou-se em situação de abandono devido à falta de recursos e de investimentos. Atualmente reformado, recebe visitas regulares de estudantes e moradores da região.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Segundo o Censo 2010, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o bairro tem uma população de 94.609 habitantes[3] (sendo 51,7% mulheres) e uma área total de 7,8 Km².

Evolução demográfica do distrito do distrito do Jaçanã [4]

Distritos e municípios limítrofes[editar | editar código-fonte]

Hospitais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b http://www.museujacana.com.br/bairro.php
  2. [http://www.gazetazn.com.br/index1.asp?bm=m&ed=89&s=104&ma=482&c=0&m=0 «A Gazeta da Zona Norte | 2528 mat�rias»]. www.gazetazn.com.br. Consultado em 12 de dezembro de 2016  replacement character character in |titulo= at position 34 (ajuda)
  3. «Portal da Prefeitura da Cidade de São Paulo». www.prefeitura.sp.gov.br. Consultado em 12 de dezembro de 2016 
  4. «Tabelas». Consultado em Junho de 2009  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]