Tramway da Cantareira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde janeiro de 2012).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.

O Tramway da Cantareira ou Estrada de Ferro Cantareira era uma linha urbana de trens na cidade de São Paulo. Começou como um ramal da E. F. Sorocabana, aberto em 1893 partindo da Rua João Teodoro, para transporte de materiais que seriam utilizados na construção da Adutora Cantareira. Este trecho ia um pouco além do que é hoje o bairro do Tremembé em São Paulo. Utilizava uma locomotiva movida a lenha.

Pouco tempo depois de aberto começaram também a transportar passageiros para os bairros da periferia de São Paulo. No ano de 1907 construíram uma estação no Parque Dom Pedro II. Em 1908 iniciaram a construção do ramal Guapira que chegava até o Asilo dos Inválidos (ainda ativo Hospital Geriátrico e de Convalescentes D. Pedro II) no Guapira, atual bairro do Jaçanã, imortalizado na canção de Adoniran Barbosa (Trem das Onze). Os ramais da linha se dividiam na estação do Areal que ficava em frente da antiga Casa de Detenção onde está hoje a Estação Carandiru do metrô.

Somente em 1913 foi aberta a primeira estação intermediária, Tucuruvi, e aos poucos outras estações passaram a ser abertas ao longo das linhas. Em 1915 chegou até Guarulhos.

No ramal para Guarulhos existiam as seguintes estações: Areal, Carandiru, Pauliceia, Parada Inglesa, Tucuruvi, Vila Mazzei, Jaçanã, Vila Galvão, Gopoúva, Guarulhos e em 1947 este ramal foi estendido até o Aeroporto militar de Cumbica.

O ramal para o Horto Florestal tinha as seguintes estações: Areal, Santana, Santa Teresinha, Mandaqui, Invernada, Tremembé e Cantareira. Havia um ramal em volta que tinha quatro paradas: Horto Florestal, Pedra Branca, Parque Modelo e Parada Pinto, que ia do Tremembé à Invernada.

Em 1918 mudaram a estação terminal para a Estação Tamanduateí (não confundir com a atual Estação Tamanduateí). Ela ficava próxima do Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo.

Ainda em 1947 a bitola da linha foi ampliada de 60 cm para 1 m.

Em 1964, começou o desmonte da linha, foi suprimido o trecho entre a Estação Tamanduatei e a primeira estação Areal, um ano depois o trecho Areal - Guarulhos foi suprimido. Os trilhos foram retirados logo depois e as estações foram demolidas. Nos dias de hoje, grandes avenidas e o Metrô passam pelo antigo traçado.

Hoje, a Linha-1 Azul do metrô passa no antigo trecho Areal até Tucuruvi, e o Corredor de Ônibus EMTU Tucuruvi-Taboão passa no trecho que ia da Vila Mazzei até Guarulhos.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]