Alto de Pinheiros (distrito de São Paulo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para o bairro paulistano, veja Alto de Pinheiros (bairro de São Paulo). Para o bairro belo-horizontino, veja Alto dos Pinheiros.
Alto de Pinheiros
Alto de Pinheiros ¹²³.jpg
Área 7,7 km²
População (84°) 39.477 hab. (2010)
Densidade 51,27 hab/ha
Renda média R$ 4 809,46
IDH 0,955 - muito elevado ()
Subprefeitura Pinheiros
Região Administrativa Oeste
Área Geográfica Centro expandido
Distritos de São Paulo São Paulo City flag.svg

Alto de Pinheiros é um distrito situado na zona oeste do município de São Paulo e é administrado pela subprefeitura de Pinheiros, em região ainda compreendida pelo centro expandido da capital.

O distrito é atendido pela linha 9 da CPTM nas estações Villa Lobos-Jaguaré e Cidade Universitária.

História[editar | editar código-fonte]

As origens do distrito de Alto de Pinheiros remontam à incorporação de sua área pela Cia. City of São Paulo Improvement and Freehold Company Limited no ano de 1911. Sua urbanização iniciou-se em 1912, porém, as obras seriam interrompidas por acordos entre esta empresa e a São Paulo Tramway, Light and Power Company, concessionária de serviços de iluminação e transportes. A Light, por sua vez, promoveria a partir de 1927 as obras de retificação do rio Pinheiros, fundamentais à melhor habitabilidade da região que era marcada por inúmeras cheias, especialmente durante o verão.

O encerramento das obras de retificação acabou por gerar enorme valorização aos terrenos da City, o que fez com que o Alto de Pinheiros se configurasse como um distrito destinado a uma população de alto poder aquisitivo, o que se dá até os dias de hoje.[1]

Evolução demográfica do distrito do Alto de Pinheiros [2]


City of S. Paulo Improvements & Freehold Land Company Ltd. Alto dos Pinheiros (1928).

Características[editar | editar código-fonte]

Classes Sociais[3]
Classe A

23 %

Classe B

50 %

Classe C

24 %

Classe D

2 %

Classe E

0 %

O Alto de Pinheiros possui uma superfície de 7,7 km² e, no Censo de 2000, apresentou uma população de 42 580 habitantes. Possui grande concentração de alemães, portugueses, americanos, austríacos e suíços, ou de descendentes destas nacionalidades.

Também no Alto de Pinheiros se encontra o Parque Villa-Lobos.

A intensa arborização da região.

Bairros[editar | editar código-fonte]

O distrito de Alto de Pinheiros possui onze bairros.[4]

Vila Beatriz[editar | editar código-fonte]

O bairro de Vila Beatriz é urbanizado no ano de 1954, quando Alto de Pinheiros já estava praticamente com seu arruamento completo, a esquina da Vila Beatriz com a Leão Coroado-Vila Madalena era inexistente pois ainda não havia sido arruada. Há uma canalização no Córrego das Corujas que faz com que haja uma divisão entre os bairros Vila Beatriz e Vila Madalena. O bairro, antes nomeado de Sitio do Rio Verde, está localizado no lado oeste do córrego.[5]

Transportes[editar | editar código-fonte]

O distrito é atendido pela Linha 9 - Esmeralda da CPTM, contando com as estações Villa-Lobos-Jaguaré e Cidade Universitária.

Limites[editar | editar código-fonte]

  • Noroeste: Ponte do Jaguaré, Avenida Queiroz Filho, Praça Apecatu, Avenida Queiróz Filho.
  • Norte: Rua Oliveira Fortes, Rua Cerro Corá.
  • Nordeste: Rua Heitor Penteado, Rua Paulistânia.
  • Leste/Sudeste: Rua Cristóvão Burgos, Praça Doutor João Ernesto Faggin, Rua Heitor de Andrade, Rua Natingui, Avenida Professor Frederico Hermann Júnior.
  • Sudoeste/Oeste: Rio Pinheiros.

Distritos limítrofes[editar | editar código-fonte]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Parque Estadual Villa-Lobos[editar | editar código-fonte]

Antes de 1989 a região onde está localizado o parque Villa-Lobos destoava do bairro do Alto de Pinheiros. Para oeste estava localizado um depósito de lixo, na outra extremidade vizinha ao atual Shopping Villa-Lobos, era depósito do material dragado do Rio Pinheiros, e para completar, na porção central estava um depósito de materiais da construção civil.[6] Os primeiros estudos para a viabilização de um parque aconteceu para comemorar o centenário de Heitor Villa-Lobos em 1987. Os moradores reagiram de forma positiva a construção e uso daquela área, e em 1989 a ideia do parque começou a ganhar corpo. Foram removidas as família e muito entulho que dominavam o local. O parque foi entregue em 1994 e pronto para o lazer. Em 2004 sua administração passa para a Secretária do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. No final do mesmo ano foram iniciadas as intervenções emergenciais para solucionar problemas emergenciais para solucionar problemas de manutenção existentes no local. Começaram também projetos de expansão do parque, adequados a legislação atual e ao terreno, com base no projeto original.[7]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de São Paulo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.