Tatuapé

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura o bairro de mesmo nome, veja Tatuapé (bairro de São Paulo).
Tatuapé
Tatuapé ².JPG
Área 8,2 km²
População (66°) 75.481 hab. (2010)
Densidade 92,05 hab/ha
Renda média R$ 3.661,96
IDH 0,936 - muito elevado
(14°)
Subprefeitura Mooca
Região Administrativa Sudeste
Área Geográfica 3 (Nordeste) e 4 (leste)

arredores =

Distritos de São Paulo Bandeira da cidade de São Paulo.svg

Tatuapé é um distrito situado na zona sudeste do município de São Paulo, no Brasil. Possui a forma aproximada de um hexágono côncavo.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

O nome do distrito é de origem tupi e significa "caminho dos tatus", através da junção de tatu (tatu) e apé (caminho).[1]

História[editar | editar código-fonte]

Foi uma região brasileira pioneira na prática da viticultura, tendo sua primeira vinícola instalada por Brás Cubas em 1551.[2] Esta atividade foi a principal fonte de economia do bairro e atingiu seu apogeu em fins do século XIX, com a instalação das vinícolas de famílias de imigrantes italianos, como as famílias Marengo e Camardo,[3] cujos membros, hoje, emprestam seus nomes a algumas ruas do bairro.

Verticalização do distrito

Formação[editar | editar código-fonte]

A área do distrito, originalmente, abrangia também os atuais distritos do Carrão, Aricanduva e Vila Formosa, que foram se emancipando gradualmente por decretos da prefeitura. Os atuais limites do distrito foram estabelecidos em 1990 pela prefeita Luíza Erundina. Isto fez que o distrito de Carrão perdesse a Estação Carrão do Metrô de São Paulo, já que com essa nova divisão, a estação ficou a poucos metros da divisa com o distrito de Carrão, em território do Tatuapé. De acordo com os mapas oficiais da Prefeitura de São Paulo.[4] Também fez com que o Jardim Anália Franco, considerado tradicionalmente parte do Tatuapé, fosse transferido para o distrito vizinho da Vila Formosa.[5]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

O desenvolvimento do distrito aconteceu de maneira desigual. Dividido ao meio pela ferrovia, que hoje serve ao metrô e à Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, durante a segunda metade do século XIX, o lado norte se tornou uma região altamente industrializada, sediando fábricas de empresas como o Grupo Vicunha, a Bosch do Brasil, a Itautec/Philco e a Souza Cruz, enquanto a parte sul era predominantemente rural, ocupada principalmente por fazendas e chácaras.

Típica vila operária da primeira metade do século XX que sobreviveu a descaracterizações e demolições de construções antigas, um grave problema de preservação do patrimônio histórico que ainda ocorre com bastante força no Século XXI.

Na segunda metade do século XX, as antigas chácaras da parte sul do distrito começaram a ser loteadas para a construção de condomínios residenciais de médio e alto padrão, o que atraiu para o distrito famílias com maior poder aquisitivo, motivando o surgimento de estabelecimentos comerciais e de lazer destinados a atender o novo público da região, cada vez mais sofisticado. Enquanto isso, o norte do distrito se notorizou como uma região de comércio popular e estritamente residencial, de casario baixo, que sofreu com o esvaziamento industrial, deixando galpões abandonados que só começaram a ser desapropriados para o uso residencial em meados do final da Década de 1990 e finais da Década de 2010, especialmente nas proximidades do Parque do Piqueri.

Sport Club Corinthians Paulista[editar | editar código-fonte]

O distrito também abriga o Sport Club Corinthians Paulista, um dos clubes de futebol mais bem sucedidos e populares do Brasil. O clube chegou ao Tatuapé em 1926, onde montou a sua sede social, localizada dentro do Parque São Jorge.

Atualidade[editar | editar código-fonte]

Atualmente, o distrito concentra uma grande população de idosos. Segundo o Atlas do Trabalho e Desenvolvimento da Cidade de São Paulo, em 2007, o bairro de Vila Azevedo, na região central do distrito, obteve a expectativa de vida mais elevada do município de São Paulo (oitenta anos).[6]

Hoje, o Tatuapé é um dos distritos mais valorizados da cidade de São Paulo.[7][8][9] O distrito atualmente encontra-se em processo de verticalização[10] com diversos condomínios de alto padrão concluídos, em lançamentos ou em construção. O distrito, entretanto, tem um baixo índice de áreas verdes por habitante, estimado em 3,86 metros quadrados,[11] muito abaixo, portanto, dos doze metros quadrados recomendados pela Organização Mundial de Saúde.

Evolução demográfica do distrito do distrito do Tatuapé [12]


Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

O distrito do Tatuapé pode ser considerado um bairro com vida própria, pois possui uma grande variedade de lojas de alto nível, bares, academias, supermercados, faculdades e centros comerciais. Trata-se de um bairro com intensa vida noturna e cultural com teatros de alto padrão como o Teatro Fernando Torres e o Eva Wilma, além de outros como o Silvio Romero. Um dos grande diferenciais do bairro é a ampla gama de restaurantes localizados entre a estação Tatuapé e Carrão até a Rua Emília Marengo. É fácil encontrar padarias de alto padrão por todo o bairro com serviços diferenciados.

Trata-se de um distrito que emprega uma grande parcela de trabalhadores da Zona Leste, especialmente nos condomínios, clínicas e comércio da região. Há diversas clínicas e centros hospitalares abrangendo praticamente todas as especialidades médicas e com grandes hospitais: como o Hospital São Luiz Anália Franco, o Hospital Vitória que possui também uma unidade avançada na Avenida Radial Leste, o Hospital Montemagno e o Hospital Municipal do Tatuapé.

No distrito, estão localizadas duas estações de metrô: Estação Tatuapé e Estação Carrão. Ao lado da estação de metrô Tatuapé, encontra-se a estação da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, que é dividida por 2 linhas: 11 Coral - Expresso Leste e 12 - Safira. Diversas linhas de ônibus da São Paulo Transporte são encontradas na Radial Leste e em algumas ruas e avenidas do distrito. Muitas delas também estão nos terminais urbanos norte e sul, que estão anexados junto à Estação Tatuapé e com os shoppings Metrô Tatuapé e Boulevard Tatuapé.

Dentro do distrito, está localizado, também, o Parque do Piqueri e o Parque dos Trabalhadores, anteriormente conhecido como Ceret. Ambos possuem amplas áreas verdes para caminhada, lazer além de contar com certa biodiversidade.[13]

Localização[editar | editar código-fonte]

Distritos limítrofes:

Principais Logradouros:

Ver também[editar | editar código-fonte]

Imagens[editar | editar código-fonte]

[1]

Referências

  1. NAVARRO, E. A. Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos. 3ª edição. São Paulo. Global. 2005. 463 p.
  2. SOUZA, João Seabra Inglêz de. "Uvas para o Brasil", Ed. Melhoramentos, 1901
  3. ABARCA, Pedro. "Tatuapé Ontem e Hoje", ed. Rumo, São Paulo, 1997
  4. Site Guia Mais
  5. Pedro Abarca. «O Tatuapé e as leis de zoneamento». Arquivado do original em 28 de fevereiro de 2009 
  6. http://g1.globo.com/Noticias/SaoPaulo/0,,MUL105190-5605,00.html
  7. «Cópia arquivada». Consultado em 15 de fevereiro de 2010. Arquivado do original em 25 de fevereiro de 2010 
  8. http://www.agora.uol.com.br/grana/ult10105u593599.shtml
  9. http://classificados.folha.uol.com.br/imoveis/1261995-tatuape-e-o-novo-lider-em-lancamentos-da-cidade-de-sao-paulo.shtml
  10. http://veja.abril.com.br/vejasp/especial_guia_imobiliario/p_016.shtml Arquivado em 17 de junho de 2010, no Wayback Machine.,
  11. http://www.fatopaulista.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=803&Itemid=34[ligação inativa]
  12. «Tabelas» 
  13. http://www6.prefeitura.sp.gov.br/noticias/ars/mooca/2009/09/0012[ligação inativa]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de São Paulo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.