Jardim Anália Franco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jardim Anália Franco
Novo skyline do Jardim Anália Franco - by Lucas.JPG
Bairro de São Paulo Bandeira da cidade de São Paulo.svg
Dia Oficial: 10 de Fevereiro - Lei n.15.902/13
Fundação: 1968 (49 anos)
Estilo arquitetônico
predominante:
High-tech
Distrito: Vila Formosa
Subprefeitura: Aricanduva
Região Administrativa: Sudeste

Jardim Anália Franco é um bairro nobre paulistano pertencente ao distrito de Vila Formosa, localizado na Zona Leste da cidade de São Paulo (Brasil) que surgiu no final da década de 60.[1][2]

O Jardim foi assim nomeado em homenagem a educadora Anália Franco[3] que conservava no país, escolas e instituições de apoio a mulheres e crianças desabitadas.

Após a morte da Anália Franco, o terreno que havia comprado para habitar essas crianças e mulheres, passou por diversas transformações, e após os anos 80 passou por uma valorização e foram construídos prédios de alto-padrão. Chegaram o conhecido shopping Anália Franco (avenida Regente Feijó, 1739[4]) e a Universidade Cruzeiro Sul onde era a escola.[5]


História[editar | editar código-fonte]

No início do século vinte, mais precisamente em 1901, a, na época educadora, Anália Franco adquiriu uma chácara na região Sudeste e nesse terreno fundou a Associação Feminina Beneficente Instrutiva, essa associação tinha a função de empregar ex-prostitutas com o propósito de trabalhar nas lavouras e também investia na educação de órfãos. Esse lar funcionou até 1993, nesse terreno havia uma casa de taipa-de-pilão, a qual existe até hoje e na qual morou por mais de dez anos Diogo Antônio Feijó (1784-1843)[6]. O bairro surgiu em 1968, resultado do loteamento do terreno da Associação Feminina Beneficente Instrutiva - Lar Anália Franco, fundada pela filantropa fluminense Anália Franco Bastos. Antes disso, no início, o jardim tinha o nome de Sítio do Capão Grande, as terras do Jardim já pertenceram ao Regente Feijó.[7]

Foi construído como um loteamento de alto padrão nas proximidades do então Lar Anália Franco, que funcionou como um asilo para crianças orfãs de 1911 á 1993; e desde então vem se transformando.

O local do loteamento era um aterro sanitário, muito conhecido da população local da época (chamavam-no simplesmente de matão). A área de loteamento incluia o Ceret - Centro Recreativo do Trabalhador, que mais tarde se tornaria um clube privativo; a área compreendia parte dos atuais distritos de Vila Formosa e Tatuapé.[8]

Curiosamente, o antigo aterro sanitário retardou o processo de urbanização de um bairro de alto padrão aos moldes do Jardim América, que seria planejado por uma instituição privada. Este bairro é o atual vizinho Vila Formosa.

Seis anos mais tarde surge o Ceret, com intuido de ser um clube privado, destinado a trabalhadores sindicalizados e moradores do local que estariam dispostos a pagar para usufruir do empreendimento;[9] Futuramente o mesmo seria convertido para parque público e batizado como Parque Anália Franco, no início com jurisdição do Governo do Estado e logo depois cedido para a prefeitura paulistana; o então empreendimento clube privado valorizou o Anália trazendo condomínios horizontais para a região, essas casas eram de 10 x 20 metros quadrados ou até 10 x 30 metros quadrados.[10] Nos anos 1980 inicia-se a verticalização da região, o primeiro condomínio foi o Mansão Anália Franco, um edifício de alto-padrão.[11]

CERET[editar | editar código-fonte]

Com 286.000 metros quadrados de área o CERET( Centro Esportivo, Recreativo e Educativo do Trabalhador)[12] antes do início das construções do parque em meados dos anos 1970, era uma reserva da Mata Atlântica, conhecida por Mata Paula Souza, formada por árvores das mais diversas espécies. Em 1970 através do decreto, o Governador Abreu Sodré desapropriou a área, dando início à construção de centro destinado ao trabalhador, que ocupa menos da metade da mata original. As obras tiveram início em 1973, e em 1974, a estátua de Davi (réplica da obra de Michelangelo, doada pelo governo Italiano) foi retirada do estádio do Pacaembu, para ocupar a entrada do Ceret.[13]

Inaugurado em 1975, o local conta com três campos de futebol oficiais, um campo de futebol society, quatro quadras de basquete, quatro quadras de vôlei, quatro quadras poliesportivas, seis quadras de saibro, pista de atletismo, pista de atletismo com seis raias, dois locais para arremessos de peso e disco, um ginásio poliesportivo, duas canchas de bocha, galpão e sala de ginástica. Vale destacar a piscina de 100 metros de cumprimento por 50 metros de largura que comporta em média 5,5 milhões de litros de água e está entre as maiores da América Latina.

Vale ressaltar que para usar qualquer dependência do parque CERET não é necessário o pagamento de mensalidade e apresentação de algum tipo de carteirinha.

Em Setembro de 2012, foi instalado no parque um programa que visa estimular a implantação de horas comunitárias e escolares, com a intenção de conscientizar a comunidade sobre os cuidados com o meio ambiente através do ensino das técnicas de cultivo de hortaliças e de outras plantas.

Shopping Anália Franco[editar | editar código-fonte]

Inaugurado em novembro de 1999, no bairro Anália Franco, o Shopping traz praticidade e estilo para os moradores, contribuindo para a valorização da região, que cresce em seu entorno. A concepção arquitetônica e o cuidado com a ambientação são um dos atrativos, além dos diversos eventos realizados, serviços prestados e uma mistura de lojas e uma praça de alimentação, tornando o local aconchegante e sofisticado.

A promoção de eventos diferenciados e especados, com apelo infantil, cultural e/ou de moda, é mais um diferencial do local, que entre outras ações, desenvolve desfiles de modas com produção de grande qualidade a cada nova estação.

Em 2009, o complexo de lojas inaugurou mais um andar com mais de 76 novas lojas para comemorar o aniversário de uma década do local.

Nesses anos de história, o Shopping Anália Franco conquistou a região e foi conquistado pelos moradores de seu bairro, com o compromisso constante de sempre surpreender seus clientes.

Edificação da Casa do Regente Feijó, o antigo Lar Anália Franco.[14]

Características[editar | editar código-fonte]

Residências horizontais do bairro.
Shopping Anália Franco e o Hospital Vitória
Novas edificações do bairro. condomínios de alto padrão surgem devido ao boom imobiliário da zona sudeste da capital paulista.[15]

O antigo Lar Anália Franco é hoje uma edificação tombada patrimônio histórico.[16] Possui um grande centro comercial, o Shopping Anália Franco, inaugurado em 1999. próximo ao shopping center, foi construído um campus da Universidade Cruzeiro do Sul, é atualmente a única universidade localizada no bairro.

A maioria do comércio local que atende a região está localizado no bairro vizinho de Vila Gomes Cardim. porém há estabelecimentos comerciais no bairro, principalmente nas ruas Eleonora Cintra e Emília Marengo, ambas apresentam estabelecimentos comerciais, tais como restaurantes, concessionários, agências bancárias e várias lojas diversas como moda e decoração.[17]

Na rua Eleonora Cintra está localizado o único hotel do bairro, o Blue Tree Tower Anália Franco.[18] na mesma rua está o Parque Anália Franco (nome oficial: Parque Esportivo dos Trabalhadores - Anália Franco)[19] É um dos maiores parques da cidade (286 mil m²) e também, um dos maiores complexos esportivos da capital paulista.

A região também se destaca pela sua constante especulação imobiliária, valorização e seus lançamentos imobiliários de alto-padrão, sendo principalmente caracterizado pela verticalização contínua e demais empreendimentos horizontais; atendendo a demanda de classe média-alta e classe alta.[20] Por questões "Imobiliárias", diversos empreendimentos, utilizam-se do nome Anália Franco em bairros vizinhos do Jardim Anália Franco[21]. Atualmente detém o metro quadrado mais caro de toda Zona Leste de São Paulo; estimado em 8.751 reais na Rua Americana[22], que garante a oitava posição em valor de metro quadrado por ruas da cidade de São Paulo.[23] É classificado como "Zona de Valor A" pelo CRECI, tal como outros bairros nobres da cidade como Higienópolis, Jardim América e Moema.[24]

Em 2010 e 2011 o bairro nobre serviu como cenário para novela Ti Ti Ti. O folhetim da Rede Globo retratou o comércio de luxo da região e o perfil dos novos-ricos ("noveau riche").[25][26][27][28]

Futuramente, de acordo com o plano de expansão do metrô; é previsto uma estação no bairro, a Estação Anália Franco pertencente á Linha 2 - Verde do metrô.[29] Segundo novos estudos por parte do Governo de São Paulo, a mesma estação deve servir de término para a Linha 6 - Laranja, que passará por bairros como a Mooca; até chegar ao Jardim Anália Franco, transformando a Estação Anália Franco em um novo hub para a Zona Leste de São Paulo.[30]

Localização[editar | editar código-fonte]

O bairro está localizado muito próximo ao distrito de Tatuapé e Água Rasa. Faz divisa entre os respectivos distritos, limitando a área do seu distrito, Vila Formosa. É também uma região muito conhecida informalmente como Altos do Tatuapé.[31]

Tradicionalmente o bairro era pertencente ao distrito do Tatuapé, mas através da lei 11.220 de 20 de maio de 1992, onde se estabeleceu a nova divisão de distritos de São Paulo, a então prefeita Luiza Erundina desmembrou parte do Tatuapé; com isso o Jardim Anália Franco e o bairro vizinho Chácara Paraíso foram transferidos para a Vila Formosa e Água Rasa, respectivamente.[32][33][34]

Entretanto, boa parte da população local ainda se engana com relação à sua localização e de seus bairros vizinhos; devido à continuidade da verticalização da região que engloba além do Jardim Anália Franco, partes dos distritos de Água Rasa, Tatuapé e do próprio distrito de Vila Formosa; fazendo com que se perca os limites precisos entre os distritos e consequentemente de seus respectivos bairros.

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Jardim Anália Franco

Referências

  1. Aspectos Físicos do distrito de Vila Formosa
  2. «A história do Jardim Anália Franco - São Paulo - Estadão». Estadão 
  3. «O Martelo - Anália Franco, educadora, escritora e espírita.». www.omartelo.com. Consultado em 1 de maio de 2017 
  4. «Como Chegar | Shopping Anália Franco». www.shoppinganaliafranco.com.br. Consultado em 1 de maio de 2017 
  5. «Curiosidades do Jardim Anália Franco». "Estadão S. Paulo". 15 de dezembro de 2014. Consultado em 29 de abril de 2017 
  6. «A história do Jardim Anália Franco - São Paulo - Estadão». Estadão 
  7. «Curiosidades do Jardim Anália Franco - São Paulo - Estadão». Estadão 
  8. O "Lixão" da Vila Formosa
  9. História do Ceret
  10. Bairro de alto padrão
  11. Padrão nobre surgiu desde o começo
  12. «CERET - Centro Esportivo, Recreativo e Educativo do Trabalhador em São Paulo». www.areasverdesdascidades.com.br. Consultado em 1 de maio de 2017 
  13. «CERET - Centro Esportivo, Recreativo e Educativo do Trabalhador em São Paulo». www.areasverdesdascidades.com.br. Consultado em 30 de abril de 2017 
  14. http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/subprefeituras/aricanduva/historico/index.php?p=36
  15. http://www.diariosp.com.br/index.php?id=/especiais/imoveis/materia.php&cd_matia=12879
  16. http://portal.prefeitura.sp.gov.br/subprefeituras/spaf/dados/historico/0002
  17. Estadão - A rua da decoração de luxo
  18. Hotel Blue Tree Tower
  19. Mudança de nome: Parque Anália Franco
  20. A região mais rica da Zona Leste
  21. Valorização do Jardim Anália Franco
  22. [1]
  23. http://www.zlimovel.com.br/noticias/default.asp?Block=3&page=26&month=9&year=2010&dia=0&archivio=OK,
  24. «Pesquisa CRECI» (PDF). 11 de julho de 2009. Consultado em 2 de agosto de 2009 
  25. André Spina - Jacques Leclair - Alexandre Borges
  26. Ti-ti-ti: conheça um pouco mais sobre a novela fashionista que estreia hoje (19.07) às 19h, na Rede Globo
  27. TATUAPÉ: A CAPITAL DA ZONA LESTE
  28. LES NOUVEAUX RICHES
  29. http://www.expansao.sp.gov.br/metro_linha_branca.php
  30. Linha 6 Laranja deve ir até o Anália Franco
  31. O Altos do Tatuapé
  32. Transferência do Jardim Anália Franco
  33. Dados sobre a Transferência do Jardim Anália Franco
  34. «Curiosidades do Jardim Anália Franco - São Paulo - Estadão». Estadão 
Skyline do bairro.