Parque do Piqueri

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Parque do Piqueri
Administração do Parque, em estilo eclético, em foto de 2012.
Localização Rua Tuiuti, 515 (Tatuapé), São Paulo, SP
Tipo Público
Área 97.3 mil m²
Inauguração 16 de abril de 1978 (39 anos)
Administração SVMA

O Parque do Piqueri é um parque público localizado no bairro do Tatuapé, no município de São Paulo, no estado de São Paulo, no Brasil. Possui uma área de 97 272 metros quadrados e uma variada flora que abriga de pequenos arbustos até árvores de grande porte.

História[editar | editar código-fonte]

A antiga Chácara do Piqueri, que deu origem ao Parque, foi implantada em 1927 pelo conde Francisco Matarazzo. Situada junto à foz do ribeirão do Tatuapé, constituía-se de uma casa sede, pomar, granja, área para criação de diversos animais como búfalos, lhamas e veados, além de uma fábrica de queijos e uma área destinada às Indústrias Matarazzo. Francisco Matarazzo contratou o italiano Saule Carpinelli especialmente para administrar a Chácara do Piqueri, trazendo-o da Itália.[1] Foram plantadas mais de 50 espécies de árvores nativas e exóticas, procurando-se observar aquelas que melhor se aclimatavam em São Paulo. Em 1954, uma parte da chácara foi vendida e o parque foi inaugurado no dia 16 de abril de 1978 pelo então prefeito Olavo Setúbal. Na entrada principal do parque, há um gradil do portão datado de 1901, que foi transferido do Parque da Luz para o Piqueri antes de sua inauguração. O Rio Tietê beirava o limite da chácara: dentro do parque, é possível se visualizar restos do ancoradouro dos barcos onde os visitantes eram recepcionados.[1]

Topônimo[editar | editar código-fonte]

O nome Piqueri faz alusão à tribo indígena que habitava a área localizada na confluência do Ribeirão Tatuapé e do Rio Grande, atual Rio Tietê. "Piqueri" procede do tupi antigo pikyry, que significa "rio dos peixes miúdos", através da composição de pikyra (peixe miúdo) e 'y (rio).[2]

Cisnes no lago do parque (2012).

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Aves no lago do parque (2012).

Fauna[editar | editar código-fonte]

Como na maioria dos parques da cidade, há diversos tipos de aves. Destacam-se as espécies aquáticas silvestres, como o socó-dorminhoco, a garça-branca-grande e o martim-pescador, que beneficiam-se da grande quantidade de peixes do lago do parque. São encontradas, também, aves migratórias atraídas pela oferta de alimento e abrigo. Diversas espécies de passarinhos, como cardeais, sabiá-branco, bem-te-vis, tico-ticos, além da coruja-orelhuda, pica-pau, alma-de-gato e urubu. No lago, existem peixes e répteis, como, por exemplo, a cobra-de-duas-cabeças.

Flora presente no parque (2012).

Flora[editar | editar código-fonte]

No parque, predominam os canteiros com espécies arbustivas e herbáceas ornamentais, bosques implantados, alamedas e gramados. São áreas reflorestadas com eucaliptos, uma belíssima alameda de sibipirunas e um bosque com árvores nativas como palmeiras, paineiras e alecrins-de-campina, e exóticas como bambus e espatódeas.

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Parque do Piqueri

Referências

  1. a b «Áreas Verdes da Cidade». Consultado em 30 de janeiro de 2016 
  2. NAVARRO, E. A. Dicionário de Tupi Antigo: a Língua Indígena Clássica do Brasil. São Paulo. Global. 2013. p. 593.
  3. Prefeitura de São Paulo. «Ponto de leitura do Piqueri». Secretaria Municipal de Cultura. Consultado em 11 de Julho de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]