Estádio Morumbis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Morumbis
Estádio Cícero Pompeu de Toledo
Sisbrace: [1]


Nomes
Nome Estádio Cícero Pompeu de Toledo
Apelido Morumbi
Características
Local São Paulo, São Paulo, Brasil
Coordenadas 23º36'0.45"S, 46º43'12.25"W
Gramado Grama natural (105 × 68 m[2])
Capacidade Oficial: 77 011
CBF: 72 039
Construção
Data 1952 a 1970
Inauguração
Data 2 de outubro de 1960 (63 anos)
Partida inaugural São Paulo 1–0 Sporting
Primeiro gol Peixinho (São Paulo)
Recordes
Público recorde 156 000 pessoas
Data recorde 16 de novembro de 1980
Partida com mais público São Paulo 1–0 Santos
Outras informações
Remodelado 1994 a 1996, 2000, 2006, 2009, 2013, 2016, 2017, 2018 e 2019[3]
Competições Copa América de 2019
Copa Libertadores
Brasil Campeonato Brasileiro
Brasil Copa do Brasil
São Paulo Campeonato Paulista
Copa Sudamericana
Proprietário São Paulo Futebol Clube
Administrador São Paulo Futebol Clube
Arquiteto João Batista Vilanova Artigas
Morumbi
Estádio Cícero Pompeu de Toledo
Tipo
Estilo dominante Arquitetura brutalista - Escola Paulista
Arquiteto arqto. Vilanova Artigas
Construção 1952–1970
Inauguração
  • 2 de outubro de 1960
Capacidade
  • 71 200
  • 120 000
  • 67 052
Website
Património nacional
Classificação Patrimônio tombado pelo Conpresp[4]
Data 2018
Geografia
País Brasil
Cidade São Paulo
Coordenadas 23° 36' S 46° 43' 13" O

O Estádio do MorumBIS[5], por questões de patrocínio, é um estádio construído para receber partidas de futebol, sendo a sede oficial do time brasileiro de futebol São Paulo Futebol Clube, já tendo recebido a Seleção Brasileira em várias ocasiões. O estádio foi projetado para acomodar 150 mil espectadores, tendo sido sua capacidade reduzida, devido a diversas reformas e à instalação de camarotes, para 77.011 e, por questões de brigas em estádios, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) diminuiu novamente a capacidade para 72.039. Atualmente, o Morumbis é o terceiro maior estádio do Brasil, sendo também o maior estádio do estado de São Paulo e o maior estádio particular do País. Localiza-se na Praça Roberto Gomes Pedrosa, n.º 1, em São Paulo.[6] Projetado pelo arquiteto João Batista Vilanova Artigas, é considerado um patrimônio arquitetônico representativo da Escola Paulista, tendo sido tombado em 2018 pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp).[4]

História[editar | editar código-fonte]

Vista aérea do Estádio do Morumbi, na véspera de sua inauguração completa em 1970. Arquivo Nacional.

Nos primeiros anos de sua existência, o São Paulo utilizou como sede e campo a Chácara da Floresta, (localizada à esquerda da Ponte das Bandeiras, junto ao rio Tietê, na zona central da capital paulista). Daí ser empregado o nome de São Paulo da Floresta quando se fala do primeiro período de existência da agremiação, de janeiro de 1930 até maio de 1935.

Quando o clube foi refundado em dezembro de 1935, não tinha um campo próprio, situação que perdurou até 1938, quando a união com o Estudante Paulista rendeu ao São Paulo a posse do campo da Mooca pertencente à Antárctica. Em 1940, passou a usar o Pacaembu. Em 1944, o São Paulo adquiriu o Canindé, por doze milhões de cruzeiros que passou a ser o seu campo. Mas o Canindé só era utilizado como sede social e local para treinamentos; a área era pequena para a construção de um grande estádio e então surgiram ideias e projetos para a viabilização de uma praça esportiva em algum outro local da cidade.

O sonho de construir um grande estádio começou a se tornar realidade. A ideia inicial era a área onde atualmente encontra-se o Parque do Ibirapuera, na época uma região alagada, mas o então vereador Jânio Quadros impediu que o clube recebesse a área da prefeitura. O local escolhido foi uma área na região do Morumbi, praticamente desabitado, que estava em processo de loteamento imobiliário.

Em 4 de agosto de 1952 o terreno foi doado para a construção do Morumbi pela Imobiliária e Construtora Aricanduva que era de propriedade de Adhemar Pereira de Barros, ex-governador de São Paulo na época. Neste mesmo ano, 1952, o presidente do clube, Cícero Pompeu de Toledo, procurou Laudo Natel, diretor do Bradesco, propondo-lhe que assumisse o clube administrativamente.

Em 1952, o governador do estado de São Paulo era Lucas Nogueira Garcez (31/1/1951 a 31/1/1955). Laudo Natel era diretor do Bradesco, não ex-diretor em 1952, e não tinha nenhum cargo político ou exercia algum, tampouco poderia ser vice-governador. Laudo Natel somente entrou para a política em 1962, dez anos depois, quando então elegeu-se vice-governador em chapa única pelo PR (Partido Republicano) com 1,2 milhão de votos. Tomou posse do cargo em 31 de janeiro 1963, e não era vice de Adhemar, e nunca foi, pois as eleições para governador e vice eram independentes à época. A Imobiliária e Construtora Aricanduva S/A era presidida por João Jorge Saad, genro de Adhemar de Barros e dono da Rádio e Televisão Bandeirantes.[7]

Em 15 de agosto de 1952, Monsenhor Bastos abençoou os terrenos e foi lançada a campanha pró-construção do Morumbi. Foi eleita uma comissão constituída pelo presidente Cícero Pompeu de Toledo e pelos seguintes nomes: Piragibe Nogueira (vice-presidente); Luís Cássio dos Santos (secretário); Amador Aguiar (tesoureiro); Altino de Castro Lima, Carlos Alberto Gomes Cardim, Luís Campos Aranha, Manuel Raimundo Pais de Almeida, Osvaldo Artur Bratke, Roberto Gomes Pedrosa, Roberto Barros Lima, Marcos Gasparian, Paulo Machado de Carvalho e Pedro França Filho Pinto. Iniciava-se então, uma nova fase na vida do São Paulo Futebol Clube.

Parte do dinheiro da venda do Canindé (vendido à Portuguesa de Desportos em 1956) foi revertido em material de construção. Toda a receita do clube também foi investida na construção do estádio, ficando o time num segundo plano. As obras para a construção do novo estádio começaram em 1953.

Em 1956, o clube recebeu concessão de auxílio de dez milhões de cruzeiros, em apólices da dívida pública mediante juros de 8% ao ano, para o prosseguimento das obras do seu estádio.[8][9] A Prefeitura concedeu auxílio idêntico a todos os grandes clubes da Capital.[8]

O clube fez em 1955, uma campanha uma campanha de venda das cadeiras cativas que restavam pelo interior do estado, com grande aceitação dos torcedores.[10][11]

No final de 1964, o São Paulo fez um acordo para adquirir a última parte do terreno do Morumbi junto à Imobiliária Aricanduva. O pagamento foi efetuado em março de 1965. A partir disso, foram vendidas setecentas mil unidades do carnê "Paulistão". Foram seis séries distintas de mais cem mil unidades cada, vendidos a cinco cruzeiros cada um. Sobre esse montante, foram devolvidos somente sessenta mil. É nesse ponto que reside a grande "distorção" por parte dos torcedores rivais, pois os carnês eram vendidos para qualquer pessoa ou torcedor, e só pagou o valor e ajudou o São Paulo a construir o estádio e o clube quem quis.[12]

O projeto do estádio do Morumbi teve a criação do arquiteto Vilanova Artigas, um dos principais representantes da "escola paulista" da arquitetura moderna.

Alguns números do Morumbi: para o desenvolvimento do projeto foram necessárias 370 pranchas de papel vegetal; cinco meses foram consumidos nas terraplenagens e escavações, com o movimento de 340 mil metros cúbicos de terra; um córrego foi canalizado; o volume de concreto utilizado é equivalente a construção de 83 edifícios de dez andares; os 280 mil sacos de cimento usados, se colocados lado a lado, cobririam a distância de São Paulo ao Rio de Janeiro; cinquenta mil toneladas de ferro, que daria para circundar a Terra duas vezes e meia.

Num determinado momento, uma troca foi proposta pela prefeitura que ficaria com o Morumbi e o São Paulo, com o Pacaembu. Mas Laudo Natel, apoiado por toda a diretoria, prosseguiu a batalha, após a morte de Cícero Pompeu de Toledo.

Estreia[editar | editar código-fonte]

Estádio do Morumbi, 1960.Arquivo Público do Estado de S. Paulo.

A partida que inaugurou o estádio aconteceu em 2 de outubro de 1960. O São Paulo venceu o Sporting Clube de Portugal, por 1x0. O árbitro da partida inaugural foi Olten Ayres de Abreu. O primeiro gol do Morumbi foi marcado por Peixinho (Arnaldo Poffo Garcia), aos 12 minutos de jogo, diante de 56 448 pessoas que lotavam o estádio ainda inacabado, pois o objetivo era abrigar 120 mil pessoas, com renda de 7 868 400 cruzeiros, recorde em amistosos na época. Uma informação; o gol marcado por Peixinho foi de cabeça, se jogando quase rente ao chão. Daí nasceu a expressão "gol de peixinho". É citado esse lance, erroneamente, pois faz-se uma analogia com o peixe nadando e o jogador cabeceando, mas o correto "gol de peixinho" é pelo primeiro jogador a marcar no Morumbi e por essa jogada característica.

O São Paulo jogou com: Poy; Ademar, Gildésio e Riberto; Fernando Sátyro e Víctor; Peixinho, Jonas (Paulo), Gino Orlando, Gonçalo (Cláudio) e Canhoteiro; técnico Flávio Costa. O Sporting Lisboa formou com: Aníbal; Lino e Hidário; Mendes, Morato e Július; Hugo, Faustino, Figueiredo (Fernando), Diego (Geo) e Seminário; técnico Alfredo González.

O primeiro jogo do São Paulo por uma competição oficial no Morumbi foi no Campeonato Paulista de 1960, contra o Corinthians, não o rival da capital, era o Esporte Clube Corinthians de Presidente Prudente, Clube curiosamente criado por torcedores do Timão maior rival do Tricolor. O São Paulo acabou vencendo a partida por 3 a 0, os gols foram marcados por Dino Sani, Gino Orlando e Gonçalo.

A inauguração total do Morumbi ocorreu em 25 de janeiro de 1970. A partida de comemoração foi entre São Paulo e Porto, de Portugal, e terminou empatada em 1 a 1. Vieira Nunes abriu o placar para a equipe portuguesa, aos 32 minutos de jogo e Miruca empatou para o São Paulo aos 35 minutos do primeiro tempo. O árbitro da partida foi José Favilli Neto e o público foi de 107 069 espectadores presentes (59 924 pagantes).

Copa América 2019

O jogo teve a presença do presidente da República, o general Emílio Garrastazu Médici, e do governador paulista, Abreu Sodré.

O São Paulo jogou com: Picasso; Édson, Jurandir, Roberto Dias e Tenente; Lourival e Gérson; Miruca (José Roberto), Toninho, Téia (Babá) e Paraná (Claudinho); técnico Zezé Moreira. O Porto formou com: Vaz; Acácio, Valdemar, Vieira Nunes e Sucena; Pavão e Rolando; Gomes, Chico (Seninho), Pinto (Ronaldo) e Nóbrega.

Após esta inauguração o Morumbi passou a ser chamado de "o maior estádio particular do mundo", apesar da redução de sua capacidade de 120 para 85 mil espectadores nos anos 1990, por medida de segurança. Entre 1994 e 1996, o estádio passou por uma série de reformas para melhorias na estrutura (que apresentava falhas), foram colocados amortecedor de impacto e para a colocação de assentos nas arquibancadas e nas chamadas "gerais" e teve a capacidade reduzida em 10 mil pessoas. O nome oficial é Estádio Cícero Pompeu de Toledo, em homenagem ao ex-jogador, dirigente e presidente do clube.

O Morumbi foi palco de grandes vitórias do São Paulo Futebol Clube, o qual conquistou em casa o primeiro campeonato da Copa Libertadores da América em 1992 e seu tricampeonato em 2005. Em 1993, apesar de o último jogo ter sido no Chile, o Tricolor praticamente decidiu o título em casa ao vencer por 5 a 1 o Universidad Católica.

Já em Campeonatos Brasileiros, o São Paulo não tinha muita sorte em seus domínios, pois nas quatro primeiras finais em que decidiu o título no Morumbi (1973, 1981, 1989 e 1990), saiu de campo sem a taça, precisando esperar até 2006 para conseguir conquistar um título nacional em seu estádio, feito repetido em 2007. O São Paulo já conquistou vinte taças em seu estádio.

Projeto Copa 2014 e plano de modernização[editar | editar código-fonte]

O projeto de reforma e modernização do estádio vem desde meados da década de 1990. Batizado sob o nome de Projeto "Morumbi Século XXI", tal projeto acabou não tendo êxito e as reformas resumiram-se à parte estrutural do estádio, o que resolveu o problema de fortes trepidações e rachaduras.

O Sonho de reformar, cobrir e modernizar o estádio voltou à tona quando o Morumbi foi indicado pela prefeitura e pelo governo do estado para ser o estádio que representaria a cidade e o estado no Mundial de 2014.[13]

O projeto para reforma do Morumbi feito pela GMP incluiria rebaixar o gramado, demolir os anéis intermediário e térreo e construir um novo anel mais retangular com cadeiras próximas ao campo, além de ampliar o anel superior, atingindo assim a capacidade de 67 450 pessoas sentadas, com 2,4 mil lugares provisórios, cobertura das arquibancadas, construção de um edifício para abrigar centro de mídia e novos vestiários.[14]

Porém, em 16 de junho de 2010, o Morumbi foi excluído do projeto pois o São Paulo e o Comitê da Cidade de São Paulo não entregaram as garantias financeiras referentes ao projeto do estádio ao Comitê Organizador Local da Copa.[15][16]

Mesmo sem copa, o São Paulo seguiu tocando as obras de reforma do seu estádio referentes a um de projeto de 430 milhões de reais não aprovado pela FIFA. A reforma inclui criação de camarotes, renovação de banheiros, instalação de novos assentos e construção de novos vestiários são alguns itens planejados para serem concluídos até o final de 2013, pois o clube acredita que caso haja uma emergência, o estádio esteja preparado para copa. O principal ponto da reforma era a construção de uma cobertura para o estádio.[17] Em 1 de novembro de 2011, o São Paulo anunciou que já tem um acordo para construir a cobertura do estádio do Morumbi. A obra, teria início em janeiro de 2012, com duração prevista de 18 meses a partir do início da obra e custaria entre R$ 100 milhões e R$ 120 milhões. Segundo José Francisco Manssur, assessor direto do presidente Juvenal Juvêncio, 12 empresas procuraram o São Paulo e apresentaram propostas para construir a cobertura. A empresa vencedora irá estampar o nome de sua marca na arena multiúso que será construída atrás de um dos gols do estádio e terá capacidade para 25 mil torcedores.[18].Por fim, a Prefeitura de São Paulo emitiu o alvará para as obras em 6 de julho de 2012.

Shows e eventos[editar | editar código-fonte]

Eventos[editar | editar código-fonte]

Show do U2 em 2006, durante a sua turnê Vertigo Tour

O Morumbi também é utilizado para shows de grandes nomes internacionais. Além disso, o Morumbi foi palco do Hollywood Rock de 1988, 1990, 1993 e 1994 e do Canta Brasil de 1982.

O estádio já foi o palco de bandas e artistas como Black Sabbath, Queen,[19] Kiss,[20] Nirvana,[21] Michael Jackson,[22] Madonna,[23] Rush,[24] Linkin Park,[25] Franz Ferdinand,[26] U2,[27] Roger Waters,[28] Aerosmith,[29] Metallica,[30] Beyoncé,[31] Coldplay,[32] Bon Jovi,[33] Black Eyed Peas,[34] Paul McCartney,[35] Shakira,[36] Iron Maiden,[37] Muse, Justin Bieber,[38] Eric Clapton,[39] Pearl Jam,[40][41] Lady Gaga,[42] One Direction,[43] Foo Fighters,[44] RBD[45] entre outros.

Artista Turnê / concerto Data(s) Público
Queen The Game Tour 20 de março de 1981 251,000
21 de março de 1981
Kiss Creatures of the Night Tour 25 de junho de 1983 65,000
Menudo Menudo Tour 16 de março de 1986
New Edition Heartbreak Tour 6 de outubro de 1988
8 de outubro de 1988
Bob Dylan Never Ending Tour 18 de janeiro de 1990
Red Hot Chili Peppers Blood Sugar Sex Magik Tour 15 de janeiro de 1993
Nirvana Hollywood Rock Festival 16 de janeiro de 1993 110,000
Michael Jackson Dangerous World Tour 15 de outubro de 1993 250,000
17 de outubro de 1993
Madonna The Girlie Show World Tour 3 de novembro de 1993 86,000
Aerosmith Get a Grip Tour 14 de janeiro de 1994
Whitney Houston The Bodyguard World Tour 16 de janeiro de 1994
18 de janeiro de 1994
U2 Popmart Tour 30 de janeiro de 1998 154,056
31 de janeiro de 1998
The Three Tenors / Os Três Tenores World Tour 22 de julho de 2000
Backstreet Boys Black & Blue Tour 5 de maio de 2001
Rush Vapor Trails Tour 22 de novembro de 2002 62,000
Linkin Park Meteora World Tour 11 de setembro de 2004
U2 Vertigo Tour 20 de fevereiro de 2006 149,700
21 de fevereiro de 2006
RBD Tour Generación RBD 7 de outubro de 2006 49,655
Roger Waters The Dark Side of the Moon Live 24 de março de 2007
Aerosmith Aerosmith World Tour 12 de abril de 2007
High School Musical High School Musical: The Concert 20 de maio de 2007 37,406
Madonna Sticky & Sweet Tour 18 de dezembro de 2008 196,656
20 de dezembro de 2008
21 de dezembro de 2008
Jonas Brothers Jonas Brothers World Tour 2009 24 de maio de 2009
AC/DC Black Ice Tour 27 de novembro de 2009 65,311
Metallica World Magnetic Tour 30 de janeiro de 2010 84,435
31 de janeiro de 2010
Beyoncé I Am... World Tour 6 de fevereiro de 2010 52,757
Coldplay Viva la Vida Tour 2 de março de 2010 53,060
Bon Jovi The Circle Tour 6 de outubro de 2010 55,833
Rush Time Machine Tour 8 de outubro de 2010 32,000
The Black Eyed Peas The E.N.D World Tour 4 de novembro de 2010 56,329[46]
Paul McCartney Up and Coming Tour 21 de novembro de 2010
22 de novembro de 2010
Shakira The Sun Comes Out World Tour 19 de março de 2011 53,000
Iron Maiden The Final Frontier World Tour 26 de março de 2011 44,010
U2 U2 360° Tour 9 de abril de 2011 269,491
10 de abril de 2011
13 de abril de 2011
Justin Bieber My World Tour 8 de outubro de 2011 71,683
9 de outubro de 2011
Eric Clapton South American Tour 12 de outubro de 2011
Pearl Jam Pearl Jam Twenty Tour 3 de novembro de 2011
4 de novembro de 2011
Roger Waters The Wall Live 1 de abril de 2012 99,869
3 de abril de 2012
Lady Gaga Born This Way Ball Tour 11 de novembro de 2012 43,137
Madonna MDNA Tour 4 de dezembro de 2012 85,255
5 de dezembro de 2012
Beyoncé The Mrs. Carter Show World Tour 15 de setembro de 2013 37,346
Bon Jovi Because We Can: The Tour 21 de setembro de 2013 63,198
Metallica Metallica By Request 22 de março de 2014 61,742
One Direction Where We Are Tour 10 de maio de 2014
11 de maio de 2014
Foo Fighters Sonic Highways World Tour 23 de janeiro de 2015 66,958
Pearl Jam Latin America Tour 14 de novembro de 2015
The Rolling Stones América Latina Olé Tour 24 de fevereiro de 2016 135,656
27 de fevereiro de 2016
Black Sabbath The End Tour 4 de dezembro de 2016 64,744
U2 The Joshua Tree Tour 2017 19 de outubro de 2017 278,718
21 de outubro de 2017
22 de outubro de 2017
25 de outubro de 2017
Bruno Mars 24K Magic World Tour 22 de novembro de 2017 83,437
23 de novembro de 2017
Iron Maiden Legacy of the Beast Tour 6 de outubro de 2019 56,247
Metallica Metallica 2021–2022 Tour 10 de maio de 2022 70,542
Coldplay Music of the Spheres World Tour 10 de março de 2023 439,651
11 de março de 2023
13 de março de 2023
14 de março de 2023
17 de março de 2023
18 de março de 2023
Red Hot Chili Peppers Unlimited Love Tour 10 de novembro de 2023
RBD Soy Rebelde Tour 12 de novembro de 2023 135,000
13 de novembro de 2023

Complexo social[editar | editar código-fonte]

Jatos d’água antes de uma partida.

A inauguração parcial do Estádio do Morumbi foi importante para o lançamento do Complexo Social do Clube.

A iniciação da venda dos "Títulos Sociais" contou com vendas estimadas em 7,5 mil unidades ao preço de cem mil cruzeiros, tendo os proprietários de cadeiras cativas 25% de desconto e os associados, 20%. Com a arrecadação foram iniciadas as obras, com custo aproximado de cem milhões de cruzeiros, da sede da praça de esportes (provisória), três piscinas, cinco conjuntos de quadras de tênis, uma quadra de voleibol e futebol de salão, uma de basquetebol, dois paredões duplos para aprendizagem de tênis, playground, campo de futebol, canchas de bocha, além da iluminação do estádio.

Hoje, o complexo social do clube possui uma área total de 85 mil metros quadrados e é considerado uma das mais estruturadas sedes sociais do Brasil. Possui um dos maiores espelhos d'água do país e um tobogã aquático de quarenta metros. Possui também uma grande estrutura contando com: duas piscinas aquecidas, lanchonetes, restaurante, salão de festas, cabeleireiro, cinco ginásios poliesportivos, sete quadras externas, três campos de futebol para uso dos associados (um gramado e dois sintéticos), duas quadras de paddle, oito quadras de tênis, uma quadra de vôlei de areia, berçário, salas de ginástica e musculação, playground, vestiários masculino e feminino, sauna e área com churrasqueiras.

A Diretoria Social Cultural organiza periodicamente eventos, cursos e palestras. Há ainda a biblioteca com um acervo diverso e com 5,5 mil títulos estimados. No espaço cultural são disponibilizados na hemeroteca os principais jornais e revistas. A gibiteca da sede social oferece muita variedade e qualidade no seu acervo.

Estátua de Telê Santana[editar | editar código-fonte]

Em 17 de junho de 2022, em um evento comemorativo dos 30 anos da conquista da primeira Libertadores do clube, o presidente Júlio Casares anunciou que uma estátua em homenagem a Telê Santana, técnico mais vencedor pelo Tricolor, seria colocada no Morumbi.

Em 25 de janeiro de 2023, aniversário do São Paulo, a estátua do Mestre Telê foi inaugurada no portão 2 do Morumbi, em frente a fachada do estádio, num evento com membros da diretoria do clube, como Muricy Ramalho, e com Renê Santana, filho do falecido ex-treinador.[47][48]

Corredor do Morumbi Concept Hall.

Concept Hall[editar | editar código-fonte]

O clube conta atualmente com uma área chamada Morumbi Concept Hall que foi concebida para aumentar a circulação de pessoas, fortalecer a marca do time e aumentar a receita em dias em que não há jogos no estádio, aumentando, assim, as opções de entretenimento, negócios e lazer para os paulistanos e turistas. a entrada pode ser feita pelo portão dois do estádio.

O Morumbi Concept Hall atualmente recebe a Megaloja da Under Armour, o Santo Paulo Bar, a Livraria Nobel, o Espaço Nestlé, a Sala Raí, o Stadium Eventos, o Fantastic World Buffet, a loja São Paulo Mania, a academia Companhia Athletica, a agência de turismo Passaporte FC, o Copa Restaurante, o restaurante Koji, o camarote Espaço Unyco e seu último estabelecimento construído foi a primeira loja da Semp Toshiba no Brasil.

Entrada do memorial do clube.

Memorial[editar | editar código-fonte]

O Memorial Luiz Cássio dos Santos Werneck foi inaugurado em 1994, após dez meses de planejamento por José Eduardo Mesquita Pimenta e tem esse nome em homenagem ao advogado, conselheiro, diretor e presidente de conselho do clube (a última vez eleito Presidente do Conselho Deliberativo em 2002). Luiz Cássio dos Santos Werneck foi fiel escudeiro de Cícero Pompeu de Toledo durante toda a construção do Estádio do Morumbi. Ele foi um dos responsáveis por obter recursos, por exemplo, com a Companhia Antarctica Paulista, cujo capital alavancou as obras do estádio.

O memorial foi construído com o intuito de organizar as vitórias do clube. Com entrada gratuita, o horário de funcionamento é das 9 às 16h30 em dias úteis e das 12 às 16h30 em fins de semana ou feriados, não abrindo em dias de jogo no estádio.

Ele foi montado de modo que além de mostrar as conquistas nos gramados, também pudesse exibir conquistas fora deles. Além disso se preocupa em mostrar pontos importantes da história não só para o clube, mas para todo o esporte. Encontram-se no memorial, por exemplo, os troféus já conquistados na história do clube, objetos pessoais de Éder Jofre, Leônidas da Silva e Adhemar Ferreira da Silva, retratos de jogadores e ídolos, a história do Estádio do Morumbi e as conquistas de todas as modalidades já praticadas no clube.

Megaloja da Under Armour[editar | editar código-fonte]

Interior da antiga Rbk Concept Store, atual Penalty.

Inaugurada em 28 de agosto de 2007 como a Rbk Concept Store foi o primeiro passo no conceito do Morumbi Concept Hall. Devido a troca de patrocinador por parte do São Paulo, a loja passou pela administração da Penalty e da Under Armour.[49]

Santo Paulo Bar[editar | editar código-fonte]

Entrada do Santo Paulo Bar.

O Santo Paulo Bar, inaugurado em 11 de agosto de 2008, foi o primeiro bar temático dentro de um estádio brasileiro. Tinha capacidade para 350 pessoas em uma área de 900 metros quadrados que, ao privilegiar a visão do campo, funciona como camarote em dias de jogos ou eventos e abre normalmente no restante dos dias. Seu funcionamento era de quarta-feira a domingo, das 12 horas até o último cliente.

O investimento inicial do clube foi em torno de dois milhões de reais, utilizados para integrar o conceito à tecnologia. Conta com dezoito telas de plasma (inclusive nos banheiros) 100% Full HD e consoles de videogame. Possui ainda um estúdio que permite a gravação de programas e entrevistas ao vivo.

Detalhe da parede interna da Livraria Nobel no estádio.

Suas mesas tinham forma de futebol de botão e eram servidas por garçons trajando uniformes inspirados em jogadores, técnicos e bandeirinhas. Já o balcão reproduzia a área do gol em formato real.

O cardápio contava com aperitivos, sanduíches, massas e sobremesas, com destaque para uma releitura do tradicional sanduíche de pernil dos estádios.[carece de fontes?]

Livraria Nobel[editar | editar código-fonte]

A unidade da Livraria Nobel no estádio foi inaugurada em 21 de janeiro de 2009 e tinha como base o tema "esporte", porém venderia todos os tipos de livros e também CDs e DVDs. No mesmo espaço da livraria encontrava-se o Café Donuts, que proporcionava um espaço agradável de leitura e lazer.

A loja possuía cerca de 225 metros quadrados de área e tinha capacidade para 200 pessoas, sendo 135 sentadas. Além disso, contava com uma visão do estádio em um deque com aproximadamente 57 metros quadrados, a menos de oitenta metros do gol. Para sua coleção de livros, possuía mais de 2,2 mil opções, entre livros nacionais e importados. Contava também com uma linha de suvenires do clube para adultos e crianças.

A loja funcionava das 9 às 21 horas durante toda a semana e tinha acesso livre, exceto em dias de jogos, quando a entrada era limitada aos espectadores dos camarotes.

Espaço Únyco[editar | editar código-fonte]

Inaugurado em 12 de fevereiro de 2009, para o jogo contra a Ponte Preta pelo Campeonato Paulista de 2009, o Espaço Únyco é um camarote com lounge e cadeiras para aproximadamente 800 pessoas. Com previsão de receita na base de 15 milhões de reais por ano localiza-se no anel inferior do estádio atrás de uma das bandeiras de escanteio.

Entre as comodidades oferecidas, a principal é um buffet produzido pela Applebee's. Ar-condicionado, segurança, telas de plasma, limpeza e recepção.

O foco principal dessa nova área será o de sediar shows, eventos de grande porte e ações comerciais. Além disso servirá desde reuniões de negócios até festas infantis. A recepção de torcedores em dias de jogos fica em segundo plano.[50]

Passaporte FC[editar | editar código-fonte]

A Passaporte FC é a agência de turismo oficial do clube. Foi inaugurada em 8 de março de 2010 e é a responsável por oferecer a linha turística do time. Os produtos da agência são o Morumbi Tour, passeio guiado pelo estádio Cícero Pompeu de Toledo, o VIP 10, pacote onde os torcedores viajam com a delegação do clube e ficam hospedados no mesmo hotel do time, o São Paulo FC Futebol Camp, retiro para garotos de 6 a 13 anos, onde eles aprendem e desenvolvem fundamentos de futebol orientados por profissionais especializados, e os pacotes de viagens para acompanhar os jogos do time durante toda as competições.

O atendimento ao cliente funciona de segunda à sexta, das 9 às 18 horas, e aos sábados, das 10 às 14 horas.[51]

E o último lançamento da agência foi o Tour no CT, uma visita guiada ao quartel-general da equipe profissional do Tricolor, na Barra Funda, exclusiva para oito pessoas. O tour acontecerá semanalmente, às sextas ou sábados (dependendo da agenda de jogos da equipe).[52]

Restaurantes[editar | editar código-fonte]

Atualmente no Morumbi Concept Hall existem dois restaurantes, o Copa Gastronomia & Futebol e o Koji, especializado em culinária japonesa. Diferente, ousado e inovador, o Copa foi criado para ser uma celebração ao maior evento esportivo do planeta. Assim como a competição integra os povos dos cinco continentes, o Copa reúne o melhor da culinária internacional para atender ao paladar de todos os torcedores. No Koji, os destaques do menu são sushi, sashimi e o ipin mono, que são pequenas porções servidas em bares japoneses. O restaurante oferece também a opção degustação, para que o cliente possa experimentar diversos sabores. A diversidade de saquês é outro ponto forte do Koji.[53][54]

Academia[editar | editar código-fonte]

Uma parceria entre o São Paulo FC e Companhia Athletica, fez com que a empresa construísse uma academia localizada no Estádio do Morumbi. A iniciativa faz parte de um projeto do São Paulo de atrair marcas premium para o interior do estádio e é um presente para os alunos da rede de academias, que completou 25 anos em 2010. A unidade tem um espaço exclusivo de 1,5 mil metros quadrados, número limitado de alunos (mil), e se transforma em camarote VIP nos dias de jogos e de shows. Com um investimento inicial de 3,8 milhões de reais, o contrato entre o São Paulo e a rede de academias tem validade até dezembro de 2012.[55]

Buffet infantil[editar | editar código-fonte]

Batizado de Espaço Fantastic World, o buffet fica localizado no anel térreo do estádio e possui um salão de 1,5 mil metros quadrados, com capacidade para 450 convidados, além de servir de camarote para cerca de seiscentas pessoas. A vista para o gramado chama a atenção logo de cara, mas o autorama profissional e o campinho de mini golfe são sucesso garantido.[56]

Camarotes[editar | editar código-fonte]

Vista do Camarote Stadium para o campo

O Camarote VIP foi inaugurado em 28 de maio de 2011, na partida contra o Figueirense pelo Campeonato Brasileiro. Os são-paulinos que aderirem ao Plano VIP poderão assistir às partidas que o São Paulo FC mandar no Morumbi no novo camarote, localizado no setor térreo vermelho. Além do conforto do local, os tricolores terão serviços exclusivos de buffet.[57] No Morumbi também há outros camarotes como o Espaço Nestlé, um espaço de 400 m² que oferece conforto aos torcedores, além de oito TVs de LED de 40 polegadas e um telão de 20 000 lumines para que os convidados não percam um lance sequer da partida. O camarote conta ainda com uma sala VIP, um lounge e dois computadores; o Camarote Stadium que situa-se no andar térreo (antigo setor laranja). Possuindo o maior espaço para eventos do estádio (salão fracionável de 1,5 mil m²), com infraestrutura multimídia e serviços integrados, cadeiras numeradas com 600 lugares na área externa, capacidade para até mil convidados em coquetéis, ou 400 em jantares, além de área infantil com monitoria treinada; e os camarotes em homenagens aos ídolos Rogério Ceni e Raí. Além desses, há camarotes em setores superiores do estádio que são bancados pelas empresas como Volkswagen, Itaú, Banco BMG, Habib's, Nestlé, Visa, TIM, Sky e Grupo Andrade Gutierrez.

Setor Visa[editar | editar código-fonte]

O setor Visa foi inaugurado em 2009 e foi uma revolução no sistema de vendas de ingresso online, pois o torcedor não precisava encarar filas enormes para garantir o ingresso, com seu cartão de crédito servindo como um. O espaço Visa possuía cerca de vinte mil lugares, distribuídos entre os setores de arquibancada vermelho, Morumbi Premium e o andar térreo (Concept Hall).

Dados[editar | editar código-fonte]

Ao todo são 102 904 metros quadrados de área construída, sendo que a área reservada aos espectadores é de 62 450 metros quadrados.

O campo do Morumbi mede 108,25 metros de comprimento por 72,70 metros de largura. O estádio possui 15 cabines para rádio e TV; 81 pontos de vendas para bebidas e lanches; 105 guichês para venda de ingressos; 51 banheiros; centro médico com 5 ambulâncias de plantão.

É um dos poucos estádios do Brasil que possui um setor exclusivo para deficientes físicos. A área tem 470 metros quadrados, espaço para 92 cadeiras de rodas e 108 lugares destinados a portadores de outros tipos de deficiência. Os acompanhantes dos deficientes físicos também têm um local específico dentro do estádio, ao lado do setor especial.

Desde abril de 1999, o Morumbi possui um novo sistema de iluminação. Os antigos painéis com luminárias concentradas foram substituídos por uma iluminação horizontalizada nos dois lados do estádio. As quatro caixas de concreto foram trocadas por duas estruturas metálicas especiais, com 80 metros de extensão cada uma, acompanhando a curvatura do Morumbi.

O estádio foi remodelado por duas vezes, de 1994 a 1996, com uma reforma estrutural total, e posteriormente em 2000.

Em dezembro de 2023, a Mondelez, proprietária do wafer de chocolate BIS, anunciou a compra dos naming rights do estádio, renomeando-o para MorumBIS por um período de três anos.[58]

Maiores públicos e rendas[editar | editar código-fonte]

O recorde de público deu-se em 25 de agosto de 1985, quando 162 941 pessoas se reuniram no Morumbi para um Congresso Internacional das Testemunhas de Jeová. O primeiro grande show no estádio foi com a banda britânica Queen, que atraiu cerca de oitenta mil pessoas em 20 de março de 1981 e 110 mil pessoas no dia seguinte.[59] Em 1983, a banda americana Kiss levou 125 mil pessoas ao Morumbi e, dois anos depois, os porto-riquenhos do Menudo levaram 150 mil pessoas ao segundo de seus dois shows no local.[59]

Visão da torcida são-paulina, durante um jogo.

O maior público numa partida de futebol foi em 16 de novembro de 1980, quando o São Paulo ganhou do Santos por 1 a 0, na primeira partida válida pelas finais do Campeonato Paulista.[60] Nesta ocasião, o público não registrado oficialmente foi de 156 000 pessoas, enquanto o registrado foi um público de 122 535 espectadores.[61] O Jornal da Tarde, estimava o público total muito maior do que o registrado oficialmente: "Nunca se saberá ao certo o público de ontem […]. O número de 122 mil pessoas, anunciado oficialmente pelos arrecadadores, é menor do que a realidade. Muita gente entrou sem pagar ingresso, no meio do tumulto nas rampas de acesso às numeradas e arquibancadas. Outros torcedores nem chegaram a entregar seus ingressos na catraca."[62] O jornalista Alberto Helena Júnior, do mesmo jornal, lembrava que a carga de 156 mil ingressos[63] havia sido totalmente vendida: "Cento e vinte e duas mil [pessoas], como, se todos os ingressos foram vendidos e os portões [foram] cerrados meia hora antes do início da partida?"[64]

Já o maior público registrado do Morumbi em um jogo de futebol foi registrado em 1977, com um público de 138 032 pagantes, somado ao público de 8.050 não-pagantes, gerando no total de 146 082 pessoas — assistiram a um jogo válido pela final do Campeonato Paulista desse ano, que terminou com vitória por 2 a 1 da Ponte Preta sobre o Corinthians.

A partida de maior público pagante da história da Libertadores da América pertence ao Morumbi: 105 185 pessoas giraram as catracas do estádio para assistir à segunda partida da final de 1992 entre São Paulo e Newell's Old Boys da Argentina, que resultou na conquista da equipe brasileira nos pênaltis.[65]

O recorde de renda do estádio foi alcançado em 24 de setembro de 2023, no segundo jogo da final da Copa do Brasil, entre São Paulo e Flamengo, quando foi arrecadado um montante de R$ 24.520.800,00 de reais.

Pelo menos 41 partidas realizadas no Morumbi ultrapassaram a marca de cem mil espectadores presentes e também no mínimo 63 partidas ali realizadas ultrapassaram a marca de oitenta mil, isto considerando apenas partidas realizadas pelo Campeonato Paulista.

Estatísticas do São Paulo no Morumbi[editar | editar código-fonte]

Atualizado até 27 de janeiro de 2024[66]

  • Jogos: 1 862
    • Vitórias: 1 089
    • Empates: 470
    • Derrotas: 303
    • Gols marcados: 3 402
    • Gols sofridos: 1 606

Os maiores artilheiros do São Paulo no Morumbi[editar | editar código-fonte]

Atualizado até 22 de julho de 2019

# Jogador Posição Jogos Gols
Brasil Serginho Chulapa Atacante 187 135
Brasil Luís Fabiano Atacante 148 114
Brasil França Atacante 146 91
Brasil Müller Atacante 187 91
Brasil Rogério Ceni Goleiro 587 73
Brasil Raí Meio-campo 191 72
Brasil Careca Atacante 94 69
Brasil Renato Meio-campo 147 55
Brasil Toninho Guerreiro Atacante 82 52
10º Brasil Dodô Atacante 83 49

Em negrito são os jogadores que ainda atuam pelo São Paulo Futebol Clube[67]

Jogos da Seleção Brasileira no Morumbi[editar | editar código-fonte]

Data Jogo Competição
13.04.1963 Brasil Brasil 2 x 3 Argentina Argentina Copa Roca
04.06.1966 Brasil Brasil 4 x 1 Peru Peru Amistoso
22.03.1970 Brasil Brasil 5 x 0 Chile Chile Amistoso
26.04.1970 Brasil Brasil 0 x 0 Bulgária Bulgária Amistoso
11.07.1971 Brasil Brasil 1 x 1 Áustria Áustria Amistoso
02.07.1972 Brasil Brasil 3 x 0  Iugoslávia Minicopa
17.04.1974 Brasil Brasil 2 x 0 Roménia Romênia Amistoso
01.05.1974 Brasil Brasil 0 x 0 Áustria Áustria Amistoso
23.01.1977 Brasil Brasil 1 x 0 Bulgária Bulgária Amistoso
25.01.1977 Brasil Brasil 2 x 0 São Paulo Seleção do Estado de São Paulo Amistoso
16.06.1977 Brasil Brasil 1 x 1 São Paulo Seleção do Estado de São Paulo Amistoso
19.06.1977 Brasil Brasil 3 x 1  Polónia Amistoso
21.06.1979 Brasil Brasil 5 x 0 Países Baixos Ajax Amistoso
16.08.1979 Brasil Brasil 2 x 0 Bolívia Bolívia Copa América
29.06.1980 Brasil Brasil 1 x 0  Polónia Amistoso
03.03.1982 Brasil Brasil 2 x 1 Chéquia Tchéquia Amistoso
17.06.1984 Brasil Brasil 0 x 0 Argentina Argentina Amistoso
30.06.1985 Brasil Brasil 1 x 1 Bolívia Bolívia Eliminatórias da Copa do Mundo
20.08.1989 Brasil Brasil 6 x 0 Venezuela Venezuela Eliminatórias da Copa do Mundo
22.08.1993 Brasil Brasil 2 x 0 Equador Equador Eliminatórias da Copa do Mundo
26.04.2000 Brasil Brasil 3 x 2 Equador Equador Eliminatórias da Copa do Mundo
26.07.2000 Brasil Brasil 3 x 1 Argentina Argentina Eliminatórias da Copa do Mundo
15.11.2000 Brasil Brasil 1 x 0 Colômbia Colômbia Eliminatórias da Copa do Mundo
25.04.2001 Brasil Brasil 1 x 1 Peru Peru Eliminatórias da Copa do Mundo
05.09.2004 Brasil Brasil 3 x 1 Bolívia Bolívia Eliminatórias da Copa do Mundo
21.11.2007 Brasil Brasil 2 x 1 Uruguai Uruguai Eliminatórias da Copa do Mundo
07.09.2012 Brasil Brasil 1 x 0 Bandeira da África do Sul África do Sul Amistoso (público 51.538 presentes)
06.06.2014 Brasil Brasil 1 x 0 Sérvia Sérvia Amistoso (público 72.039 pagantes)
10.11.2018 Brasil Brasil 3 x 35 Nova Zelândia Nova Zelândia Amistoso de Rugby (público 34.541 presentes)
14.06.2019 Brasil Brasil 3 x 0 Bolívia Bolívia Copa América (público 46.342 pagantes[68])
13.11.2020 Brasil Brasil 1 x 0 Venezuela Venezuela Eliminatórias da Copa do Mundo

Eventos importantes[editar | editar código-fonte]

Copa América de 2019[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Copa América de 2019
Data 1ª equipe Placar 2ª equipe Fase Público
14 de junho Brasil Brasil 3 x 0 Bolívia Bolívia Grupo A 47 260
17 de junho Japão Japão 0 x 4 Chile Chile Grupo C 23 253
19 de junho Colômbia Colômbia 1 x 0 Catar Catar Grupo B 24 762

Decisões entre clubes[editar | editar código-fonte]

O estádio também já foi palco de inúmeras decisões oficiais entre clubes. No local, foram vistas decisões da Copa Libertadores da América, do Campeonato Brasileiro, da Copa do Brasil e do Campeonato Paulista, entre outras competições de destaque.

Ano Competição Campeão Placar Adversário
1969 São Paulo Campeonato Paulista Santos 0 x 0 São Paulo
1969 Brasil Torneio Roberto Gomes Pedrosa Palmeiras 3 x 1 Botafogo
1971 São Paulo Campeonato Paulista São Paulo 1 x 0 Palmeiras
1972 Brasil Campeonato Brasileiro Palmeiras 0 x 0 Botafogo
1973 São Paulo Campeonato Paulista Santos e Portuguesa 0 x 0 (2 x 0 pên)
1973 Brasil Campeonato Brasileiro Palmeiras 0 x 0 São Paulo
1974 São Paulo Campeonato Paulista Palmeiras 1 x 0 Corinthians
1975 São Paulo Campeonato Paulista São Paulo 0 x 1 (3 x 0 pên) Portuguesa
1977 São Paulo Campeonato Paulista Corinthians 1 x 0 Ponte Preta
1978 São Paulo Campeonato Paulista Santos 0 x 2 São Paulo
1979 São Paulo Campeonato Paulista Corinthians 2 x 0 Ponte Preta
1980 São Paulo Campeonato Paulista São Paulo 1 x 0 Santos
1981 Brasil Campeonato Brasileiro Grêmio 1 x 0 São Paulo
1981 São Paulo Campeonato Paulista São Paulo 2 x 0 Ponte Preta
1982 São Paulo Campeonato Paulista Corinthians 3 x 1 São Paulo
1983 São Paulo Campeonato Paulista Corinthians 1 x 1 São Paulo
1984 São Paulo Campeonato Paulista Santos 1 x 0 Corinthians
1985 São Paulo Campeonato Paulista São Paulo 2 x 1 Portuguesa
1986 São Paulo Campeonato Paulista Inter de Limeira 2 x 1 Palmeiras
1987 São Paulo Campeonato Paulista São Paulo 0 x 0 Corinthians
1989 São Paulo Campeonato Paulista São Paulo 0 x 0 São José
1989 Brasil Campeonato Brasileiro Vasco 1 x 0 São Paulo
1990 Brasil Campeonato Brasileiro Corinthians 1 x 0 São Paulo
1991 Brasil Supercopa do Brasil Corinthians 1 x 0 Flamengo
1991 São Paulo Campeonato Paulista São Paulo 0 x 0 Corinthians
1992 Copa Libertadores São Paulo 1 x 0 (3 x 2 pên) Newell's Old Boys
1992 São Paulo Campeonato Paulista São Paulo 2 x 1 Palmeiras
1993 São Paulo Campeonato Paulista Palmeiras 4 x 0 Corinthians
1993 Supercopa Libertadores São Paulo 2 x 2 (5 x 3 pên) Flamengo
1993 Brasil Campeonato Brasileiro Palmeiras 2 x 0 Vitória
1994 Copa Libertadores Vélez Sársfield 0 x 1 (5 x 3 pên) São Paulo
1997 São Paulo Campeonato Paulista Corinthians 1 x 1 São Paulo
1998 São Paulo Campeonato Paulista São Paulo 3 x 1 Corinthians
1998 Brasil Copa do Brasil Palmeiras 2 x 0 Cruzeiro
1998 Brasil Campeonato Brasileiro Corinthians 2 x 0 Cruzeiro
1999 Brasil Torneio Rio-São Paulo Vasco 2 x 1 Santos
1999 São Paulo Campeonato Paulista Corinthians 2 x 2 Palmeiras
1999 Brasil Campeonato Brasileiro Corinthians 0 x 0 Atlético Mineiro
2000 Brasil Torneio Rio-São Paulo Palmeiras 4 x 0 Vasco
2000 São Paulo Campeonato Paulista São Paulo 2 x 2 Santos
2000 Copa Libertadores Boca Juniors 0 x 0 (4 x 2 pên) Palmeiras
2001 Brasil Torneio Rio-São Paulo São Paulo 2 x 1 Botafogo
2001 São Paulo Campeonato Paulista Corinthians 0 x 0 Botafogo (SP)
2001 Brasil Copa do Brasil Grêmio 3 x 1 Corinthians
2002 Brasil Torneio Rio-São Paulo Corinthians 1 x 1 São Paulo
2002 São Paulo Supercampeonato Paulista São Paulo 4 x 1 Ituano
2002 Brasil Campeonato Brasileiro Santos 3 x 2 Corinthians
2003 São Paulo Campeonato Paulista Corinthians 3 x 2 São Paulo
2003 Copa Libertadores Boca Juniors 3 x 1 Santos
2005 Copa Libertadores São Paulo 4 x 0 Atlético Paranaense
2006 Recopa Sul-Americana Boca Juniors 2 x 2 São Paulo
2006 Brasil Campeonato Brasileiro São Paulo 1 x 1 Atlético Paranaense
2007 São Paulo Campeonato Paulista Santos 2 x 0 São Caetano
2007 Brasil Campeonato Brasileiro São Paulo 3 x 0 América (RN)
2012 São Paulo Campeonato Paulista Santos 4 x 2 Guarani
2012 Copa Sul-Americana São Paulo 2 x 0 Tigre
2020 Brasil Campeonato Brasileiro Flamengo 1 x 2 São Paulo
2021 São Paulo Campeonato Paulista São Paulo 2 x 0 Palmeiras
2023 Brasil Copa do Brasil São Paulo 1 x 1 Flamengo

Estação São Paulo-Morumbi[editar | editar código-fonte]

Vista da Estação São Paulo-Morumbi inaugurada em 27 de outubro de 2018.

O então governador do Estado, José Serra, assinou decreto concedendo o nome de São Paulo-Morumbi a uma futura estação da Linha 4–Amarela do Metrô, assim como fizera com o Corinthians, o primeiro clube a ter seu nome em uma estação do metrô (Corinthians-Itaquera), o Palmeiras (Palmeiras-Barra Funda), o Santos (Santos-Imigrantes) e a Portuguesa (Portuguesa-Tietê).

Em 27 de outubro de 2018, a Estação São Paulo-Morumbi foi inaugurada, com seis anos de atraso, facilitando a chegada do torcedor são-paulino ao estádio, já que ela se localiza a apenas 1,6 quilômetro de distância de lá. Além da estação, está prevista a entrega de um terminal de ônibus anexo a estação, que receberá linhas da SPTrans e da EMTU-SP.

Reforma do Morumbi[editar | editar código-fonte]

Mesmo sem o Morumbi ter sido usado na Copa do Mundo de 2014, o São Paulo investiu em diversas reformas ao longo da história do estádio, mas foi entre 2012 e 2013 que o Morumbi começou a ganhar um novo visual, quando o ex-presidente Juvenal Juvêncio investiu na troca de todos os assentos, deixando-os com a cor vermelha, uma das cores que representam o clube. Já em 2016 a reforma passou pelo gramado, que foi adaptado aos padrões exigidos pela FIFA, usando o mesmo tipo de gramado das arenas atuais. O sistema de drenagem também recebeu uma pequena melhoria para o escoamento da água em dias de chuva. Em 2017, a equipe de Marketing do clube instalou em diversas áreas do estadio frases de incentivo e recordações, como a conquista dos três títulos mundiais e os seis títulos brasileiros.

Em 2018, a diretoria anunciou diversas reformas para o Morumbi, a ser executadas a partir do início de 2019, que seriam bancadas pela Ambev e pela Samsung, sem gastos ao clube. Entre os itens destacados estão:

  • Reforma e modernização dos vestiários dos atletas, com entrega já para o final de 2018;
  • Implantação de telões multimídia e de refletores de LED, passando a ser o primeiro estádio da América do Sul com tal tipo de iluminação;
  • Unificação do corredor de entrada, que leva os jogadores dos vestiários ao gramado;
  • Instalação de mais de 200 mini-antenas ao redor do estádio, melhorando a qualidade do sinal de telefone de todas as operadoras;

° Conclusão da obra de asfaltamento da área interna do portão principal.

O São Paulo planeja ainda a implantação de uma usina de energia limpa dentro do Morumbi, com a construção de uma estrutura com painéis solares fotovoltaicos na área das arquibancadas, mas estes ainda não têm previsão de conclusão.

Reforma em conjunto com a WTorre[editar | editar código-fonte]

Em 22 de Dezembro de 2023, o São Paulo assinou um contrato com a WTorre que prevê reforma do estádio do Morumbi com data de conclusão em 2030, ano do centenário do Clube. Nos planos, é previsto um aumento na capacidade do estádio para 85 mil pessoas em partidas desportivas e 100 mil em eventos. O projeto ainda inclui um anfiteatro para 20 mil pessoas e um estacionamento para 2 mil veículos.[69]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Classificação de estádios de futebol (Sisbrace)». Ministério dos Esportes. 25 de fevereiro de 2017 
  2. «Campo do Morumbi tem a maior reforma em 20 anos». www.saopaulofc.net. Consultado em 22 de dezembro de 2015 
  3. Rafael Valente (6 de agosto de 2018). «São Paulo já tem datas para começar as obras de modernização no Morumbi; veja cronograma». ESPN Brasil. Consultado em 19 de dezembro de 2023 
  4. a b Secretaria Municipal da Cultura (23 de março de 2019). «Resoluçlão nº 45/Conpresp/2018» (PDF). Diário Oficial da Cidade, página 13 e 14. Consultado em 22 de agosto de 2021 
  5. «Morumbis: São Paulo acerta venda de naming rights do estádio por valor maior que rivais». www.lance.com.br. Consultado em 26 de dezembro de 2023 
  6. [1]
  7. [2]
  8. a b Michael Serra (22 de março de 2016). «Morumbi: O Orgulho de São Paulo». São Paulo F.C. Consultado em 26 de março de 2016 
  9. Luis Nassif. «A construção obscura do Estádio do Morumbi». Consultado em 25 de março de 2016 
  10. [3]
  11. [4]
  12. [5]
  13. «São Paulo entrega documentação para ser uma das sedes da Copa de 2014». Prefeitura de São Paulo. 19 de janeiro de 2009. Consultado em 2 de junho de 2009. Arquivado do original em 20 de janeiro de 2009 
  14. «Vídeo oficial do projeto». Site oficial do São Paulo. Consultado em 2 de junho de 2009 
  15. «COMUNICADO COL/FIFA». CBF.com.br. 16 de junho de 2010. Consultado em 16 de junho de 2010. Arquivado do original em 19 de junho de 2010 
  16. «Morumbi está fora da Copa 2014». GloboEsporte.Globo.com. 16 de junho de 2010. Consultado em 16 de junho de 2010 
  17. Mesmo sem Copa, São Paulo reforma o Morumbi com critérios da Fifa, Ig,01/04/2011.
  18. São Paulo anuncia acordo para a construção da cobertura do Morumbi, globoesporte.globo.com, 01-11-11. Página visitada em 03 de novembro de 2011.
  19. Queen Concerts
  20. «Kiss - Perguntas e Respostas». Whiplash.net. Consultado em 27 de maio de 2009 
  21. Terron, Paulo. «20 shows que pararam São Paulo». Revista Época. Consultado em 27 de maio de 2009 
  22. Tour dates
  23. The Girlie Show Tour, Madonna.com
  24. Rush reafirma condição de megabanda e agrada fãs em show em SP, Folha Online, 23/11/2002
  25. Linkin Park - Chimera Music Arquivado em 12 de outubro de 2004, no Wayback Machine., Musplay, 11/09/2004
  26. [6], Terra (Música), 20/02/2006
  27. «Tour dates». Consultado em 29 de agosto de 2008. Arquivado do original em 2 de maio de 2008 
  28. Ottaiano, Daniel (25 de março de 2007). «Roger Waters "incendeia" palco durante show em SP». Terra. Consultado em 27 de maio de 2009 
  29. Concert Recap, Aeroforce.com
  30. Metallica se apresenta no estádio do Morumbi em São Paulo, g1.com.br, 30/01/2010
  31. Com Morumbi lotado, Beyoncé sobe ao palco em São Paulo pela primeira vez, Folha Online, 19/06/2010
  32. Coldplay 'entrega' sucessos no Morumbi, Estadao.com.br, 03/03/2010
  33. Bon Jovi toca no estádio do Morumbi após 15 anos de espera das fãs
  34. Black Eyed Peas toca no estádio do Morumbi (SP)
  35. São Paulo confirma dois shows de Paul McCartney no Morumbi em novembro
  36. Shakira faz três shows no Brasil em março, Portal Virgula, 11/12/2010
  37. transforma Morumbi em templo de devoção ao heavy metal
  38. [7], Lancenet!, 28/04/11
  39. [8], Site oficial, 28/04/11
  40. [9]
  41. [10]
  42. «LADY GAGA EM SÃO PAULO». Guia de Semana. 11 de novembro de 2012. Consultado em 28 de junho de 2013 
  43. G1 (18 de dezembro de 2013). «Shows do One Direction em SP mudam para o estádio do Morumbi». Consultado em 18 de dezembro de 2014 
  44. Guia Folha (26 de setembro de 2014). «Foo Fighters fará shows no Morumbi e Maracanã». Consultado em 26 de setembro de 2014 
  45. «RBD faz show no Morumbi para mais de 40 mil pessoas - Cultura - Estadão.». Estadão. Consultado em 29 de janeiro de 2017 
  46. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome pollstar2010
  47. «Estátua de Telê Santana é inaugurada no Morumbi - SPFC». www.saopaulofc.net. Consultado em 26 de janeiro de 2023 
  48. «São Paulo faz 93 anos e inaugura estátua de Telê Santana no Morumbi». ge. Consultado em 26 de janeiro de 2023 
  49. «Roupa nova, casa nova... Nova Megaloja no Morumbi vem aí!». boteco do morumbi. Consultado em 23 de Novembro de 2015 
  50. COSTA, Guilherme (22 de janeiro de 2009). «São Paulo lança setor VIP no Morumbi». Máquina do Esporte. Consultado em 16 de abril de 2016 
  51. thbarone (8 de março de 2010). «São Paulo oficializa Passaporte FC». Universidade do Futebol. Consultado em 16 de abril de 2016 
  52. «Conheça o 'Tour no CT', novidade da Passaporte FC». São Paulo FC. 12 de julho de 2011. Consultado em 16 de abril de 2016 
  53. «São Paulo inaugura novo restaurante no Morumbi». São Paulo FC. 31 de agosto de 2009. Consultado em 16 de abril de 2016 
  54. «Restaurante japonês Koji já funciona no Morumbi Concept Hall». São Paulo FC. 13 de janeiro de 2012. Consultado em 16 de abril de 2016 
  55. «São Paulo e Companhia Athletica apresentam parceria». São Paulo FC. 24 de setembro de 2009. Consultado em 16 de abril de 2016 
  56. «São Paulo e Fantastic World inauguram buffet». São Paulo FC. 3 de setembro de 2010. Consultado em 16 de abril de 2016 
  57. «Sócio Torcedor VIP assiste ao Tricolor de camarote». São Paulo FC. 29 de maio de 2011. Consultado em 16 de abril de 2016 
  58. «Empresa oficializa acordo com o São Paulo e anuncia compra dos naming rights do Morumbi, que mudará de nome». ESPN.com. 26 de dezembro de 2023. Consultado em 26 de dezembro de 2023 
  59. a b «Grandes eventos musicais». São Paulo FC. Consultado em 16 de abril de 2016 
  60. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome finalpublico
  61. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome finalpublicomorumbi
  62. Castilho de Andrade (17 de novembro de 1980). Edição de Esportes, p. 5. «Podia ter sido uma tragédia». S.A. O Estado de São Paulo. Jornal da Tarde (4 582). ISSN 1516‐294X Verifique |issn= (ajuda) 
  63. «TV ainda pode acertar transmissão». São Paulo: S.A. O Estado de S. Paulo. O Estado de S. Paulo (32 418). 46 páginas. 16 de novembro de 1980. ISSN 1516-2931. Consultado em 16 de abril de 2016 
  64. Alberto Helena Júnior (17 de novembro de 1980). Edição de Esportes, p. 2. «Ganhou o melhor, num jogo de meio tempo». S.A. O Estado de São Paulo. Jornal da Tarde (4 582). ISSN 1516‐294X Verifique |issn= (ajuda) 
  65. Bola na Área - Taça Libertadores da América de 1992
  66. Bíblia do São-Paulino. Panda Books. 1. 2012. 192 páginas 
  67. [11]
  68. [12]
  69. «São Paulo assina contrato com a WTorre para reforma do Morumbi». ge. 29 de dezembro de 2023. Consultado em 29 de dezembro de 2023 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Estádio Morumbis

Precedido por
Estádio do Maracanã
Rio de Janeiro
Copa do Brasil de Futebol
Final

1998
Sucedido por
Estádio do Maracanã
Rio de Janeiro

Precedido por
Estádio do Mineirão
Belo Horizonte
Copa do Brasil de Futebol
Final

2001
Sucedido por
Boca do Jacaré
Taguatinga