Esporte Clube São Bernardo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Esporte[1]
Esporte clube sao bernardo.jpg
Nome Esporte Clube São Bernardo
Alcunhas Bernô, Esporte, Vovô do ABC, O Verdadeiro
Torcedor/Adepto Bernardino
Mascote Cão da Raça São Bernardo
Fundação 3 de fevereiro de 1928 (89 anos)
Estádio Italo Setti (anterior)
Baetão (atual)
Capacidade 6.315
Presidente Brasil Felipe Cheidde Junior
Treinador Brasil Ricardo Costa
Patrocinador Brasil Madel, Caravana Grill, Suple Mercado
Material (d)esportivo Itália Kappa
Competição São Paulo Campeonato Paulista - Segunda Divisão
Website http://www.ecsaobernardo.com
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

Esporte Clube São Bernardo é o clube de futebol de futebol mais antigo de São Bernardo do Campo, na região da Grande São Paulo, estado de São Paulo. Fundado em 3 de fevereiro de 1928, suas cores são preto e branco. Sua primeira participação no Campeonato Paulista de Futebol ocorreu no ano de 1950, na Segunda Divisão (atual Série A2). Atualmente, disputa a Série B (Quarta Divisão) da Federação Paulista de Futebol. É o clube do ABC Paulista que reúne o maior número de participações em campeonatos profissionais da Federação Paulista de Futebol, além de ter introduzido na cidade de São Bernardo do Campo, a prática de esportes como o Futsal, onde se sagrou bicampeão metropolitano da segunda divisão (apenas clubes da Capital paulista podiam disputar a primeira divisão), o Vôlei e o Basquete, onde foi multicampeão e revelador de grandes craques, além de ter possuído, nos anos 70, a maior categoria de base do basquete brasileiro.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1917, surge em São Bernardo do Campo a primeira agremiação futebolística da antiga "Vila de São Bernardo", sede do imenso Município de São Bernardo de outrora, que abrangia as atuais Santo André, São Caetano do Sul, Diadema, Ribeirão Pires, Mauá e Rio Grande da Serra, e que tinha na atual São Bernardo do Campo o seu centro. Esta agremiação era a Associação Athlética São Bernardo, que deu uma nova dinâmica e um novo entusiasmo ao futebol da cidade. Poucos anos depois, era fundado o Internacional Football Club, que tornou-se então grande rival da "Associação Athlética".

Como estas agremiações tinham bases frágeis, uma acabou determinando o fim da outra. Após sofrer uma derrota humilhante, o Internacional Futebol Clube, controlado pelo empresário Bortolo Basso deixa de existir. Ressentindo-se da ausência de seu maior rival, a Associação Atlética São Bernardo também acaba encerrando as suas atividades precocemente, em 1922.

A partir de 1922, o futebol de São Bernardo resume-se à várzea, sem a presença de equipes organizadas. Nos feriados do Dia do Trabalho (1º de Maio), organiza-se em meio aos festejos, uma série de partidas de futebol, protagonizadas por dois times: "os de cima" contra "os de baixo". "Os de cima" moravam na parte superior da Rua Marechal Deodoro, a principal da cidade, "para cima" da Igreja Matriz, e "os de baixo", estavam na porção localizada "abaixo" da Igreja Matriz, no trecho inicial da citada rua. Era uma divisão sem nenhum caráter discriminatório, e que existia com a finalidade de se formar dois times completos.

Em 1928, aproveitando o entusiasmo da mocidade com o futebol varzeano, Dante Setti estuda a ideia de se criar uma agremiação que reunisse e representasse toda a cidade durante uma reunião realizada no Bar Expresso, de propriedade de Pietro Henry. A ideia é recebida com euforia, e os cidadãos Vicente Ragghiantti, Nerino Colli e Itagiba de Almeida dão início aos trabalhos percorrendo a cidade, colhendo assinaturas, e definindo uma data para uma reunião, que definiria a fundação do novo clube. Desta forma, no dia 2 de Fevereiro, acontece a primeira assembleia no Cine São Bernardo, na mesma Rua Marechal Deodoro. Nela, definem-se as cores do novo clube (preto e branco), os uniformes, os estatutos, e Humberto Coppini é eleito presidente provisório.

O impasse fica por conta do nome que a agremiação receberia: Internacional, Americano, Democrático, vários nomes são sugeridos, no entanto, o nome "Democrático" é repudiado pelo próprio Coppini, presidente do Partido Democrático, e que temia uma identificação do clube com este, o que levaria a ideia a uma vida efêmera. Nesta primeira assembleia, o nome "Americano" é eleito pela maioria. No dia seguinte, 3 de Fevereiro, nova assembleia é realizada, e uma nova proposta para o nome, sugerida por Vicente Ragghiantti, Antonio Mieli e Orlando Setti acaba sendo aceita, nascia o Esporte Clube São Bernardo. Nesta assembleia, é eleito João Corazza para a presidência da agremiação.

Em 1931, o clube já alcança grande sucesso, sendo eleito pelo Diário Nacional o "Mais Simpático do Interior", com 58.344 indicações de torcedores de todo o Estado de São Paulo. Após a eleição, a fama do clube cresce ainda mais, tendo este percorrido nos primeiros anos quase todo o Estado, disputando partidas amistosas, já que os convites eram constantes.

Ainda nos anos 30, se intensifica a rivalidade com a vizinha Santo André. Como o São Bernardo vinha derrotando impiedosamente todas as equipes andreenses, fato inédito para o futebol Sambernardense, o jornal Folha do Povo propõe a criação de um selecionado da cidade vizinha, que enfrentaria o São Bernardo em dois jogos, de ida e volta, e que valeria a posse do Troféu Vitória. Os Andreenses, que apelidaram os habitantes de São Bernardo de "batateiros", pelo fato de São Bernardo ser um bairro rural na época, recebem a alcunha de "ceboleiros" por parte dos Sambernardenses, que diziam que Santo André se julgava cosmopolita, mas que "pisava no barro" da mesma maneira.

Após duas vitórias do São Bernardo, uma guerra de batatas e cebolas, além de uma briga generalizada marcam a conquista do troféu. A rivalidade existe até hoje, e os apelidos permanecem vivos como uma mera brincadeira entre os habitantes das duas cidades.

Em 1935, um jogador descontente do São Bernardo, de nome Alfredo Sabatini, funda o Palestra Itália de São Bernardo, no dia 1º de Setembro. O objetivo da nova agremiação seria rivalizar com o já consolidado São Bernardo. Bons clássicos existiram nos anos 1940. No Campeonato Municipal de São Bernardo, no entanto, a equipe que faz com o São Bernardo o "Derby" da cidade nunca conseguiu alcançar a fama, os títulos e o patrimônio do "Esporte", que sempre permaneceu sendo a principal equipe da cidade, e a que concentrava o maior número de torcedores.

Em 1941, o clube recebe em doação do Sr.Ítalo Setti a área que receberia a construção do Estádio Ítalo Setti, maior e mais moderno do ABC na ocasião. Em 1950, o clube inicia a sua vida no profissionalismo, disputando o Campeonato Paulista da Segunda Divisão de Profissionais (atual Série A2).

A Primeira fase profissional durou até 1954, foi retomada em 1957 e durou até 1961. Em 963 o clube perde o seu campo de futebol, desapropriado para a construção da Avenida Brigadeiro Faria Lima, e desativa o seu departamento de futebol, priorizando o basquete, o futsal, o vôlei (O São Bernardo introduziu e foi pioneiro nestes esportes em São Bernardo do Campo) e o seu parque social. Seu ginásio, o maior e mais moderno da cidade é inaugurado com festas em 1968.

No início dos anos 1980, o São Bernardo absorve o Aliança Clube de Rudge Ramos, equipe fundada em 1969, e que estava disputando com sucesso a Divisão Intermediária do Campeonato Paulista (Série A-2). Com isto, a equipe ganha em sua camisa uma faixa azul, e duas alianças entrelaçadas encimando o seu distintivo, e retoma o futebol, esporte que fez a equipe nascer. Destacam-se as boas atuações da equipe nos anos 1980, principalmente em 1985 (7º Colocado) e em 1986 (3º Colocado).

A partir da metade dos anos 1990 passou a sofrer seguidas crises financeiras, motivadas pela dificuldade em obter patrocínio ou suporte da prefeitura da cidade. Enfrentando crescentes problemas, o clube licenciou-se do do Campeonato Paulista de Futebol em 2002 e só retomou as disputas em 2010.

Nos anos de 2010 e 2011, o Esporte disputou o Campeonato Paulista Sub-20 da Segunda Divisão. Em 2010, foi 3º Colocado após ser eliminado nas semifinais pela Inter de Limeira e em 2011 foi campeão pela primeira vez em cima do Jabaquara, partida que teve o placar de 3-0 para o Bernô.

Estádios[editar | editar código-fonte]

Teve como seu primeiro palco o Estádio Ítalo Setti, localizado no quarteirão formado atualmente pelas Avenidas Faria Lima, Francisco Prestes Maia e pela Rua Marechal Deodoro. O Estádio foi erguido pelo próprio clube em terreno doado por seu maior benemérito, Ítalo Setti. Em 1963, o clube teve seu estádio desapropriado com a abertura da Avenida Brigadeiro Faria Lima, e acabou desativando o seu departamento de futebol. São Bernardo do Campo não possuía na época outros estádios.

Posteriormente, após a fusão com o Aliança Clube e a retomada do futebol, o clube passou a se utilizar das dependências do Estádio Humberto de Alencar Castello Branco, o popular Baetão, que se tornou a casa e uma das maiores armas da equipe nas competições em que disputava, graças a proximidade das arquibancadas com o gramado. Mais tarde, o clube também passou a utilizar o Estádio Primeiro de Maio, palco das grandes manifestações dos metalúrgicos durante as greves do ABC, em fins dos anos 1970 e no início dos anos 80.

Titulos[editar | editar código-fonte]

Futebol[editar | editar código-fonte]

  • Vice-Campeão Paris Cup - France - Sub 17 (2015)
  • Campeão Paulista Sub-20 Segunda Divisão: 1
(2011)
  • Campeão Amador da Primeira Divisão de Santo André: 2
(1942 , 1944)
  • Campeão do "Triângulo": 1
(1944)
  • Vice-Campeonato Amador do Estado: 1
(1957)
  • Campeão de Série da Federação Paulista de Futebol: 3
(1947, 1948, 1949)
  • Campeão Amador de São Bernardo do Campo: 3
(1947, 1961 e 1964)

Futebol de Salão[editar | editar código-fonte]

  • Campeão do Campeonato Metropolitano 2a. Divisão – Aspirante: 1
(1958)
  • Campeão I Taça ABC: 1
(1959)
  • Vice-Campeão Estadual - 2ª Divisão - Feminino: 1
(1991)

Basquete[editar | editar código-fonte]

  • Campeão do ABC: 2
(1958, 1959)
  • Campeão "Troféu Pedro Del`Antonia" (promovidos pela Liga Santoandreense de Basquete): 2
(1959, 1960)
  • Vice-campeão de São Bernardo - Veteranos: 1
(1978)

Símbolos[editar | editar código-fonte]

Mascote[editar | editar código-fonte]

Mascote do Esporte Clube São Bernardo

Tem como mascote um cão da raça São Bernardo, uma forma de homenagear a cidade de São Bernardo do Campo. O Mascote foi criado pelo cartunista são-bernardense Juarez Correa, e foi citado pela Revista Placar, na edição "500 Maiores Clubes do Brasil" como um dos mais originais. Plagiado pelo rival Palestra quando este alterou seu nome e suas cores, o simpático cãozinho é único entre os clubes do Brasil, além de ser pioneiro.

Distintivo e Uniformes[editar | editar código-fonte]

O Distintivo e os uniformes do Esporte Clube São Bernardo permanecem inalterados desde a sua fundação, em 1928. Durante os anos 80, o clube ganhou as alianças do Aliança Clube sobre o seu distintivo, além de uma listra azul em sua camisa, alterações abandonadas nos anos 90.

Rivalidade[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Clássico Batateiro

O Maior rival do Esporte Clube São Bernardo é o Palestra de São Bernardo, clube fundado em 1935 por um jogador dissidente do próprio São Bernardo, o Sr.Alfredo Sabatini. O embate entre as duas equipes ocorre há mais de setenta anos, e é conhecido pelas alcunhas de "Dérbi de São Bernardo", "clássico dos metalúrgicos" ou "clássico batateiro".

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Cada clube pode inscrever 28 jogadores na Segundona e relacionar 3 jogadores acima de 23 anos para partidas. O EC São Bernardo conta com 21 jogadores. O clube conta com o zagueiro Diego Araújo (28 anos) e os atacantes Júlio César (24 anos) e Washington (27 anos), como mais velhos que 23 anos. O clube está atualmente disputando a fase final do campeonato paulista série B, pleiteando o acesso a série A3 do Campeonato Paulista.

Ao passar de fase, o EC São Bernardo substituiu 4 jogadores da lista original.

  • O zagueiro Anderson Vieira deu lugar ao atacante Cláudio.
  • O lateral-esquerdo Vinícius Teixeira deu lugar ao atacante Baggio.
  • O meia Marco Antônio deu lugar ao atacante Chuck.
  • O atacante Kifous deu lugar ao goleiro Léo.


Goleiros
Jogador
{{{g1num}}} Brasil Brenno
{{{g2num}}} Brasil Kaique
{{{g3num}}} Brasil Léo
Defensores
Jogador Pos.
{{{z1num}}} Brasil Dema Z
{{{z2num}}} Brasil Diego Araújo Z
{{{z3num}}} Brasil Marcos Z
{{{z4num}}} Brasil Rafael Z
{{{ld1num}}} Brasil Denis LD
{{{le1num}}} Brasil Felipe Mendes LE
{{{le2num}}} Brasil Vinícius LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
{{{v1num}}} Brasil Alan V
{{{v2num}}} Brasil Jean V
{{{v3num}}} Brasil Lucas V
{{{v4num}}} Brasil Mateus Oliveira V
{{{m1num}}} {{{m1}}} M
Atacantes
Jogador
{{{a1num}}} Brasil Baggio
{{{a2num}}} Brasil Bill
{{{a3num}}} Brasil Chuck
{{{a4num}}} Brasil Cláudio
{{{a5num}}} Brasil Júlio César
{{{a6num}}} Brasil Thiago
{{{a7num}}} Brasil Washington
Comissão técnica
Nome Pos.
Brasil Eder Silveira T

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]