Oeste Futebol Clube

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Oeste
Oeste FC.png
Nome Oeste Futebol Clube
Alcunhas Oeste
Rubrão
Onça Rubro-Negra
Torcedor/Adepto Oestino
Rubro-negro
Mascote Onça
Fundação 25 de janeiro de 1921 (96 anos)
Capacidade 31.452 [1]
Localização BarueriSão Paulo SP, Brasil Brasil
Mando de jogo em Arena Barueri, Barueri São Paulo SP, Brasil Brasil[2]
Presidente Brasil Ernesto Garcia
Treinador Brasil Roberto Cavalo
Patrocinador Brasil Consigaz
Material (d)esportivo Brasil Deka
Competição São Paulo Campeonato Paulista
Brasil Campeonato Brasileiro
Brasil Copa do Brasil
Divisão São Paulo Série A2
Brasil Série B
São Paulo A2 2017
Brasil CB 2017
Brasil B 2017
11º colocado
Segunda fase
A disputar
São Paulo A1 2016
Brasil B 2016
18º colocado Baixa
16º colocado
Ranking nacional Aumento (5) 41º lugar, 3.282 pontos
Website www.oestefc.com.br
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

Oeste Futebol Clube (conhecido por Oeste Barueri ou simplesmente Oeste e cujo acrônimo é OFC) é um clube de futebol brasileiro, fundado em 25 de janeiro de 1921 na cidade de Itápolis, estado de São Paulo. Em 2017 por dificuldades financeiras a equipe definitivamente trocou sua sede para a cidade de Barueri, estado de São Paulo. Suas cores são o vermelho e o preto. Atualmente disputa a Série A2 do Campeonato Paulista e a Série B do Campeonato Brasileiro. Seus maiores títulos são o Brasileirão Série C de 2012 e o Campeonato Paulista do Interior de 2011.

História[editar | editar código-fonte]

Antes do Oeste, Itápolis possuiu as seguintes agremiações esportivas que se sucederam: O Esporte Clube Itapolitano em 1912, o Guarani em 1914, o Garibaldino em 1915 e o 7 de Setembro da "Sociedade Dançante Recreativa" do mesmo nome em 1919.

A denominação "Oeste Futebol Clube", foi sugerida por Victor Lapenta com uma curiosidade. Ele e seu irmão, vindos do Rio de Janeiro torciam para o Flamengo e Fluminense, respectivamente. Então para definir o nome e as cores do clube fizeram uma aposta com o futebol amador de Itápolis em um jogo contra a Nova Europa. Se o clube de itapolitano ganhar se chamaria Flamengo, se perder seria Fluminense. O jogo terminou por 3 x 0 para Itápolis, mas os dois fizeram um acordo e resolveram homenagear a região Centro-Oeste ao qual fica a cidade de Itápolis, mas Victor Lapenta não abriu mão de usar as cores e o Escudo do Flamengo do Rio.

Apesar da vitória na estreia, o clube demorou a começar a disputar regularmente as competições organizadas pela Federação Paulista de Futebol ficando somente no futebol amador. O Oeste teve uma participação isolada no Campeonato Paulista de 1954 e depois só retornou em 1965.[3]

De 1969 a 1992 houve a primeira grande seqüência de participações em competições profissionais. As maiores conquistas do período foram o vice-campeonato da Terceira Divisão de 1988, obtendo o acesso à Segunda Divisão e, em 1992, o título de campeão paulista da Segunda Divisão. O auge do clube só viria depois de mais dois recessos. A partir de 1997, o Oeste não parou mais de vencer. Foi campeão paulista da série B1B de 1997, campeão paulista da série B1A de 1998, vice-campeão paulista da Série A3 de 1999, campeão paulista da Série A3 de 2002 e campeão paulista da Série A2 de 2003, conseguindo assim o acesso à divisão de elite do futebol paulista.

Em sua primeira participação na Primeira divisão o clube até fez uma boa campanha, mas perdeu 12 pontos por irregularidades e foi rebaixado para a Série A2 de 2005. Nesta competição disputou até 2008 quando conseguiu seu retorno para a Série A1 e a partir daí só fez boas campanhas no Paulistão, sendo a conquista mais recente o Campeão do Interior em 2011.

A equipe também disputou sua primeira competição a nível nacional em 2010, no Brasileirão da Série D, mas foi em 2011 que fez uma excelente campanha e o clube terminou em 4º lugar dentre 40 clubes e conseguiu o acesso ao Campeonato Brasileiro da Série C em 2012.

O seu primeiro campo foi no terreno situado entre as Avenidas Dr. Eduardo do Amaral Lyra, 7 de Setembro, Capitão Venâncio de Oliveira Machado e Rua Odilon Negrão. Por se tratar de um campo pequeno, o Oeste mudou-se para o campo do Jatobazeiro que ficava além da serraria que era de propriedade de Carlos Adolfson e mais tarde, deixando o Jatobazeiro, transferiu-se para o campo improvisado no terreno onde hoje se encontra o Asilo e o Lar São José e em 1929, definitivamente adquiriu a sua praça de esportes, o atual "Estádio dos Amaros".

Apesar de ter sido fundado no ano de 1921, o Oeste Futebol Clube, só teve sua diretoria e estatutos legalizados no dia 18 de outubro de 1927, quando reuniram-se na residência de Domicio Marconi, um grupo de pessoas da comunidade, para compor a diretoria definitiva e legalizar o registro do time itapolitano.[4]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • O Oeste Futebol Clube é uma das equipes de futebol de São Paulo que possui o maior número de títulos das séries de acesso do Campeonato Paulista de Futebol. É uma das poucas equipes a vencer três divisões diferentes num curto espaço de tempo. A única que conseguiu superá-la foi a Sociedade Esportiva Matonense, que conquistou três títulos e três acessos consecutivos.
  • Foi campeão da Terceira Divisão (atual A3) do Campeonato Paulista de 1992; campeão da Quinta Divisão (atualmente extinta) de 1997; campeão da Quarta Divisão (atual Série B) de 1998; e campeão do Torneio do Interior de 2011 pela Divisão Principal (série A1).
  • Manda seus jogos no Estádio Municipal dos Amaros. Alguns jogos de grande público foram realizados pela equipe na Arena da Fonte e Estádio Prudentão. Jogou atemporada de2015 no Estádio José Liberati, em Osasco, pois seu estádio em Itápolis passou por uma longa reforma e foi só foi liberado novamente para a temporada de 2016..
  • Em 2004, primeiro ano em que disputava a elite do Campeonato Paulista, a equipe sofreu uma severa punição, com a perda de 12 pontos, devido a escalação de jogadores irregulares. Tal pena culminou no rebaixamento do time.
  • A equipe disputaria a final do Campeonato Paulista da Série A2 em 17 e 24 de maio de 2008, contudo, a Federação Paulista decidiu, em audiência realizada em 19 de maio de 2008 a realização de uma nova partida entre Oeste e Mogi Mirim por julgar atitude antidesportiva praticada por ambas as equipes. O resultado da nova partida não alterou a classificação do campeonato, promovendo os mesmos times para a Série A1.
  • Na temporada 2009 do Campeonato Paulista o time conseguiu destaque na mídia com jogador Nei Paraíba, que foi protagonista de várias reportagens humorísticas no Globo Esporte - SP, onde Tiago Leifert e os repórteres faziam matérias sobre a beleza do jogador, apelidando-o inclusive de "Deus do Amor". Foi homenageado dando nome ao Troféu Nei Paraíba de Beleza Masculina, que escolhia no programa o jogador mais bonito do Paulistão. O atacante fez 3 gols pelo Oeste na temporada.
  • No ano de 2010, o time fez uma boa campanha no Campeonato Paulista, terminando a temporada na 9ª colocação, à frente de equipes tradicionais como Palmeiras e Ponte Preta. Além disso, o time ficou com a artilharia do campeonato, com 16 gols de Ricardo Bueno. Tal fato garantiu ao time pela primeira vez na história uma vaga na Série D do Campeonato Brasileiro de futebol, além de disputar o título de Campeão do Interior.
  • Na temporada de 2011, o time conseguiu superar sua campanha anterior no Campeonato Paulista, terminando na 6ª colocação, se classificando tanto para a fase mata-mata quando foi eliminado pelo Corinthians em jogo único. Apesar do revés, a equipe disputou o Torneio do Interior e após perder o primeiro jogo por 2 x 1 em Campinas, se sagrou campeão em casa, em cima da Ponte Preta, após golear o rival por 3 x 0. Para fechar com chave de ouro a temporada 2011, o rubrão disputou a Série D do Brasileiro, fez uma ótima campanha e conseguiu o acesso para série C do Campeonato Brasileiro de 2012.
  • No Campeonato Brasileiro de Futebol Série C de 2012. o Oeste se classifica na fase de grupo em 4º lugar do grupo B e nas quartas de finais conquista um empate no primeiro jogo com o Fortaleza Esporte Clube por 1x1 e no segundo confronto derrotando por 3x1. Com a vitória a equipe consegue O acesso para disputar a série B do Campeonato Brasileiro de Futebol. No confronto das semifinais o Rubrão encontrou dificuldades, mas segurou o empata em 0 a 0 e a vantagem que obteve no jogo de ida ao vencer por 1 a 0 a Chapecoense fora de casa. O Rubrão disputou a decisão do Brasileiro da Série C contra o Icasa, sendo que no primeiro jogo o resultado ficou no 0 a 0, e no segundo, em Itápolis, o time venceu por 2 a 0, conquistando o título da Série C.
  • Em 6 de maio de 2015 o Oeste de Itápolis fechou acordo com a Diretoria do Osasco Audax comandada pelo ex-jogador Vampeta para mandar seus jogos no Estádio Municipal Prefeito José Liberatti onde o clube do Audax faz seus mandos de campo por 1 ano. A 1° partida do Oeste de Itápolis em Osasco aconteceu diante do Vitória, da Bahia, pela segunda rodada da Série B do Brasileiro. Em 2016, após uma longa reforma, voltou a mandar seus jogos no Estádio dos Amaros, em Itápolis.[2] E para o série B de 2016 fez uma nova parceria junto a equipe do Audax, que inclusive jogará novamente no Estádio José Liberati com a mescla dos jogadores da equipe local e do Oeste representando o time de Itápolis.
  • Em 2017 o Oeste decidiu definitivamente mudar suas atividades para a cidade de Barueri e realizará suas partida na Arena Barueri.
  • Existe um grande imbróglio envolvendo a venda do clube e mudança da sede do mesmo para a cidade de Barueri.  O estatuto do clube proíbe o mesmo de sair da cidade de Itápolis, como sabemos o clube pertence à cidade de Itápolis, assim proibindo seus administrados de mudar sua sede para outra localidade. Circulam diversos rumores na cidade de Itápolis sobre qual é a situação atual administrativa do clube e se o clube foi realmente vendido a quem pertencem o valor pago na negociação, se é da cidade de Itápolis ou de seus administradores.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Nacionais
Competição Títulos Temporadas
Trofeu Camp Brasileiro serie C.jpg Campeonato Brasileiro - Série C 1 2012
Estaduais
Competição Títulos Temporadas
Paulista Championship Trophy.png Campeonato Paulista do Interior - Série A1 1 2011
Paulista Championship Trophy.png Campeonato Paulista - Série A2 1 2003
Paulista Championship Trophy.png Campeonato Paulista - Série A3 2 1992 e 2002
Paulista Championship Trophy.png Campeonato Paulista - Série B1 2 1966 e 1998
Paulista Championship Trophy.png Campeonato Paulista - Série B2 1 1997
Outros Torneios
Competição Títulos Temporadas
WikiCup Trophy Gold.png Copa São Paulo* 1 1981

*Não é a Copa SP de Futebol Júnior.

Campanhas de destaque[editar | editar código-fonte]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Participações[editar | editar código-fonte]

Participações em 2017
Competição Temporadas Melhor campanha Estreia Última A Aumento R Baixa
São Paulo Campeonato Paulista 8 6º colocado (2011) 2004 2016 3
Série A2 9 Campeão (2003) 2000 2018 3 1
Brasil Série B 5 15º colocado (2013, 2014) 2013 2017
Série C 1 Campeão (2012) 2012 2012 1
Série D 2 4º colocado (2011) 2010 2011 1
Copa do Brasil 1 Segunda fase (2017) 2017 2017

Uniformes[editar | editar código-fonte]

Uniformes[editar | editar código-fonte]

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1º Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2º Uniforme

Uniformes dos goleiros[editar | editar código-fonte]

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1º Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2º Uniforme

Uniformes de treino[editar | editar código-fonte]

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1

Uniformes anteriores[editar | editar código-fonte]

  • 2016
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1º Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2º Uniforme

Referências

  1. «CNEF da CBF» (PDF). Site Oficial da CBF. Consultado em 9 de março de 2012 
  2. a b «Com vaquinha de torcedores, Oeste reforma estádio para voltar a Itápolis». GloboEsporte.com. Consultado em 29 de dezembro de 2015 
  3. «Perfil do Oeste na FPF» 
  4. «História do Oeste» 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]