Fortaleza Esporte Clube

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Fortaleza
Escudo do clube
Nome Fortaleza Esporte Clube
Alcunhas
Torcedor(a)/Adepto(a) tricolor
leonino
Mascote Leão
Principal rival Ceará
Fundação 18 de outubro de 1918 (105 anos)
Estádio Centro de Excelência Alcides Santos
Localização Fortaleza, Ceará, Brasil
Mando de jogo em Arena Castelão
Presidente Vargas
Capacidade (mando) Arena Castelão: 63 904 lugares[1]
Presidente Vargas: 20 166 lugares[2]
Presidente Alex Santiago
Treinador(a) Juan Pablo Vojvoda
Patrocinador(a) Novibet[3]
Material (d)esportivo Volt Sport[4]
Competição Campeonato Cearense
Copa do Nordeste
Campeonato Brasileiro - Série A
Copa do Brasil
Copa Sul-Americana
Ranking nacional 2 9.º lugar, com 12 350 pontos[5]
Website fortaleza1918.com.br
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo

O Fortaleza Esporte Clube é um clube poliesportivo da cidade brasileira de Fortaleza. Fundado em 18 de outubro de 1918 por Alcides Santos, é um dos maiores clubes do estado do Ceará e um dos principais da região Nordeste. Tem como principal modalidade o futebol masculino, em que seu maior título é da Série B do Campeonato Brasileiro de 2018. É o maior campeão do estado, com 46 títulos do Campeonato Cearense, sendo pentacampeão de 2019 a 2023. É bicampeão da Copa do Nordeste, em 2019 e 2022, e ganhou a Copa Cidade de Natal de 1946 e o Torneio Norte–Nordeste de 1970. O clube fez campanhas relevantes a nível nacional, tendo sido duas vezes vice-campeão brasileiro, em 1960 e 1968, e duas vezes vice-campeão da Série B, em 2002 e 2004, sendo o time cearense com as melhores campanhas no Campeonato Brasileiro. Foi o primeiro clube do estado a participar da Copa Libertadores da América, em 2022, e o único do Nordeste a disputar a final da Copa Sul-Americana, em 2023.

Dono da maior torcida do estado do Ceará, 2ª maior do Nordeste e 13ª maior do Brasil,[6] o clube leva os maiores públicos para os estádios cearenses desde os anos 70,[7] comprovando o crescimento de sua torcida após as grandes campanhas de vice-campeão brasileiro em 1960 e 1968, da conquista do Norte–Nordeste em 1970 e de consideráveis títulos estaduais. Na Série A do Campeonato Brasileiro de 2005, teve a segunda maior média de público dentre todos os 22 clubes. Em 2014, foi o clube detentor do maior público do país numa só partida.[8] O grande público acabou sendo notícia em sites do mundo inteiro, como o Japão, dando grande ênfase a sua torcida e a festa que é realizada durante os jogos.[9] O Fortaleza também tem a maior renda da história da Arena Castelão.[10] Teve ainda o maior público do Castelão após reforma e também o maior público e renda do Presidente Vargas após a última reforma. Em 2019 o Fortaleza obteve a maior média de público da Série A do Campeonato Brasileiro na era dos pontos corridos dentre os clubes nordestinos e a segunda maior média de público dentre todos os 20 clubes nessa edição com média de 33 mil pagantes por partida.[11][12] A torcida do "Leão" também é famosa pelos belos mosaicos que monta em partidas importantes, considerado os melhores mosaicos de torcidas do Brasil e um dos melhores do Mundo.[13] O clube tricolor também tem números expressivos de torcedores nos estados do Acre, Amazonas, no Distrito Federal,[14][15] no Pará, no Piauí,[16] no Rio Grande do Norte e em Roraima, onde o clube possui embaixadas desde 2005[17] e a maior torcida organizada de Boa Vista,[18] torcida que o tornou o clube cearense com mais apostas de Time do Coração na loteria Timemania, da Caixa Econômica Federal, em todos os anos no período de 2009 até 2018, sendo atualmente o segundo do Nordeste, atrás apenas do Bahia, e o décimo quarto do Brasil.[19]

O Fortaleza tem também tradição em outros esportes olímpicos, ostentando os títulos de campeão brasileiro adulto de handebol feminino em 2001, e em 2004, no masculino; campeão nordestino de basquetebol em 2001 e em 2003; campeão do Norte/Nordeste de Futsal em 2003 e da Liga Nordeste de Futsal de 2009; e bicampeão da Liga Nordeste de Handebol masculino (em 2010 e 2011) e feminino (em 2001 e 2015).[20][21]

História

Século XX

Ver artigo principal: História do futebol de Ceará
Alcides Santos, um dos fundadores do Fortaleza

Segundo registros oficiais, o Fortaleza Sporting Club foi fundado em 18 de outubro de 1918 por iniciativa de um grupo de pessoas socialmente abastadas, entre elas o empresário Alcides Santos. Apesar de a instituição considerar-se uma continuação do Stella Foot-Ball Club, cujo nome era uma homenagem a um colégio suíço onde estudaram alguns dos homens criadores do time, historiadores alegam que o Fortaleza existia antes de 1918, tendo modificado sua denominação para Stella e retornado à original. A precariedade de dados sobre este período e a falta de conquistas expressivas anteriores levaram os dirigentes a oficializarem os aniversários do clube em 18 de outubro. O nome da agremiação, inspirado na própria capital do estado do Ceará, é associado ao período de rebuscamento do nacionalismo e do regionalismo consequentes do declínio da belle époque, quando os bairros centrais de Fortaleza receberam influências francesas, causado pelo envolvimento de países europeus na Primeira Guerra Mundial.[22]

Elenco do Fortaleza campeão estadual de 1927

Em 1920, interessados no ingresso do futebol cearense na Confederação Brasileira de Desportos (CDB), os dirigentes do Fortaleza, Ceará, Guarany e Bangu fundaram a Associação Desportiva Cearense (ADC), que passou a promover o Campeonato Cearense de Futebol. A primeira década da competição teve domínio do Fortaleza, que venceu a primeira edição numa vitória por 2–0 sobre o Guarany e conquistou mais seis até 1928, com um tricampeonato a partir de 1926.[23][24] O marco da rivalidade entre Fortaleza e Ceará data de 1922, quando o alvinegro, campeão estadual, foi goleado pelos tricolores por 6–3.[25]

Em 1929, quando liderava o segundo turno e partia para o inédito tetracampeonato, abandona a disputa no dia 6 de agosto, licenciando seu departamento de futebol, motivado por divergências com a mentora do futebol cearense sobre julgamento de protestos. Na época, alguns jogadores transferiram-se para o Orion que, com a base do Tricolor, torna-se campeão no ano seguinte.

Campo do Prado, palco do Tabu dos 7 anos na década de 1930

Em 1932, o clube retorna ao campeonato cearense, ficando em 3º lugar com um time de garotos e com sede no subúrbio. Em 1933, inicia a cobrança de ingressos para os jogos do campeonato e volta a ser campeão perdendo apenas uma partida. No ano de 1934, três clubes abandonaram o torneio após serem derrotados pelo Tricolor: Liceu (4 a 2), Gentilândia (6 a 2) e Ceará (5 a 0); na final, o time tricolor derrota o poderoso América e seu "ataque de 100 gols", sendo campeão invicto.

Em 1937, conquista mais um título invicto. No torneio seguinte, no jogo contra o Iracema marca um recorde que perdura: o atleta Alemão marca oito gols, dos quais seis de cabeça. Jornais da época afirmaram que o juiz ainda anulou três deles, sendo esse jogo, a partida com maior número de gol do Campo do Prado.

Durante os anos de 1932 a 1939, o Fortaleza, passou sem perder para o maior rival, fato publicado várias vezes nos jornais da cidade: O Estado (Ceará), O Unitário, Correio do Ceará e Jornal O Povo. O Jornal O Povo cita uma manchete da época,: "Não há Favorito para o Jogo de Amanhã - Foi em 1932 a ultima Vitoria do Ceará contra o Fortaleza."[26] Na manhã do dia 22 de maio de 1939 a manchete do jornal: "Ceará - 3 x 0 - Depois de sete Anos, foi abatido o <<Fortaleza>>."[27]

Ver artigo principal: Primeiro Regional do Nordeste

Com o apogeu do Estado Novo na década de 1940, o Nacionalismo está cada vez mais presente entre os brasileiros, o Estado Novo promovia grandes manifestações patrióticas, cívicas e nacionalistas eram incentivados, o então Presidente da República, Getúlio Vargas assina o Decreto-Lei nº. 3.199 de 14 de abril de 1941 no qual padroniza o nome da Confederações, Federações e Clubes, fato que fez a então Associação dos Desportos do Ceará (ADC) mudar de nome para Federação Cearense de Desportos (FCD) e o Fortaleza Sporting Club respeitando o Art. 45 do decreto-Lei que cita: Será constituída, pelo Ministro da Educação e Saúde, uma comissão de especialistas que estude e organize um plano de nacionalização e uniformização das expressões usadas nos desportos.[28] Nacionaliza o Sporting Club para Esporte Clube.

Em 1946, a Federação Norte-Riograndense de Futebol promove a Copa Cidade de Natal, convidando os campeões estaduais da Região daquele ano, que pela distância de suas sedes para Natal alguns clubes desistiram, tendo todos jogos realizados no Estádio Juvenal Lamartine. No dia 14 de julho a estreia frente ao América-PE, vitória por 5 a 3, após a vitória a manchete do Correio do Ceará dizia: "Verdadeiros ídolos da torcida de Natal os cracks do Fortaleza". Depois de alguns adiamentos em 21 de maio de 1947 é realizada a final do torneio com vitória do Tricolor por 3 a 1, frente ao América de Natal, com gols de Jombrega (duas vezes) e Piolho, descontando Nonato para a equipe potiguar. A formação do "esquadrão atômico", expressão utilizada pela imprensa local para chamar o campeão foi: Juju; Stênio e Natal; Jorge, Arrupiado e Torres (Zé Sérgio); Carlinhos, Pipiu, França, Jombrega e Piolho.

Ver artigo principal: Estádio Alcides Santos

Em 1951, a Prefeitura Municipal de Fortaleza decide reformar o Estádio Presidente Vargas, renasce a ideia na diretoria tricolor, da necessidade de ter de volta um Estádio particular, já que teve como estádio próprio durante os anos: o Campo do Alagadiço na década de 1920 e o Estádio do Campo da Praça das Pelotas (atual Praça Clóvis Beviláqua)[29] durante a década de 1930.

O clube ganha os campeonatos de 1953 e 1954. No ano de 1957 o clube adquire da Senhora Hedwing, os terrenos no Bairro do Pici, que durante a Segunda Guerra Mundial era Base militar dos americanos em Fortaleza, chamado de Post Command (Posto de Comando), por isso a denominação Pici, transfere a sede do Clube da Gentilândia para o novo Bairro. Passando a denominar de Leão do Pici, referência ao bairro onde está localizado o Parque dos Campeonatos.

Começa a construção do Estádio Alcides Santos, conquista os campeonatos de 1959 e 1960, inaugura em junho de 1962 o seu estádio, vencendo o Usina Ceará, sendo o primeiro gol do Estádio, de Cleto para o Usina Ceará.

O Fortaleza disputa à primeira, de suas vinte e três participações da Série A do Campeonato Brasileiro em 1960 (na época a competição se chamava Taça Brasil), sendo vice-campeão brasileiro em 1960 e em 1968. A Taça do Brasil foi uma competição disputada entre os campeões estaduais, que dividia os clubes participantes em outros sub-campeonatos como: Taça Brasil Zona Norte, Zona Nordeste, Zona Central, Zona Sudeste, etc.

Em 1960 a Taça Brasil foi dividida em três fases, todas em sistema eliminatório ("mata-mata"). Na primeira fase, os clubes foram divididos em quatro grupos, Grupo Nordeste, Grupo Norte (grupo em que o Fortaleza foi inscrito), Grupo Leste e Grupo Sul. Na segunda fase, os vencedores dos grupos Nordeste e Norte disputaram o título de campeão da Zona Norte e os dos grupos Leste e Sul o da Zona Sul. A fase final foi disputada entre os campeões das Zonas Sul e Norte e os representantes dos estados de São Paulo e Pernambuco, inscritos diretamente nesta fase. Em sua campanha no Grupo Norte, o Fortaleza eliminou o ABC nas semifinais e o Moto Club na final, se sagrando campeão do Grupo Norte, o que o levou a disputa do título da Zona Norte de 1960 contra o Bahia, campeão do Grupo Nordeste e atual campeão brasileiro, o Fortaleza venceu o tricolor baiano e ganhou o direito de disputar a fase final da competição. A Fase Final foi disputada em semifinais e final, o Fortaleza eliminou o Santa Cruz nas semifinais, mas perdeu as finais do Campeonato Brasileiro para o Palmeiras. O time base era: Pedrinho; Mesquita e Sanatiel; Toinho, Sapenha e Ninoso; Benedito, Walter Vieira, Moésio Gomes, Charuto e Bececê (artilheiro da competição).

No ano de 1968 a Taça Brasil foi dividida em duas fases. Os atuais campeão e vice de 1967 e os representantes dos estados da Guanabara e São Paulo já estavam garantidos na fase final. Os demais representantes estaduais deveriam passar pela primeira fase, dividida em três zonas: Zona Norte (onde o Fortaleza iniciou a competição) Centro e Sul, cada qual com um regulamento próprio, classificando o campeão de cada zona para a fase final. Na decisão da Zona Norte o Fortaleza enfrentou novamente o Bahia e venceu, conquistando o Grupo/Zona Norte da Taça Brasil pela segunda vez. Na fase final o Fortaleza deveria enfrentar o Palmeiras. Porém, Palmeiras e Santos resolveram abandonar a Taça Brasil. A indefinição sobre a participação das equipes brasileiros na Copa Libertadores da América de 1969 foi decisiva, já que a CBD havia anunciado que as vagas da Libertadores seriam distribuídas por meio do Torneio Roberto Gomes Pedrosa e os clubes comunicaram sua decisão, conforme notícia do Jornal dos Sports de 15 de fevereiro de 1969: "Santos e Palmeiras retiraram-se da Taça Brasil e, em consequência, o Fortaleza fica automaticamente classificado para as finais, pois seria o adversário do Palmeiras e depois quem vencesse jogaria com o Santos.". Para evitar que o Fortaleza fosse diretamente para as finais sem disputar nenhuma partida da fase a final, a CBD alterou a tabela, mudando o Náutico de chave. Não se sabe se Palmeiras e Santos foram considerados derrotados por W.O. nos confrontos contra o Fortaleza ou se sua participação foi desconsiderada do certame. A fase final prosseguiu com o Fortaleza eliminando o Náutico nas semifinais. Nas finais o Fortaleza empatou o primeiro jogo em 2x2 no Estádio Presidente Vargas contra o Botafogo de Jairzinho, Paulo César Caju e Roberto Miranda, tricampeões mundiais com a seleção brasileira em 1970, mas perde o jogo decisivo no Maracanã por 4x0.

Nesta mesma década o Fortaleza ainda foi campeão do Grupo Norte da Taça Brasil de 1961, vencendo o Remo por duas vezes pelos placares de 2x0 e 3x1 e de 1966, quando derrotou o Paysandu pelo placar de 3x1 e empatou em 1x1.

Em 1968, originalmente as vagas para a disputa da Copa Libertadores da América de 1969 seriam entregues aos respectivos campeão e vice-campeão da Taça Brasil de 1968, um dos principais campeonatos de futebol nacional (juntamente com o recém-criado na época, Torneio Roberto Gomes Pedrosa). Entretanto, conforme chegou ao mês de dezembro de 1968 e a CBD constatou que a competição não terminaria antes do início da Libertadores, com isso, a entidade resolveu repassar as vagas na taça continental ao campeão e vice da Taça de Prata do mesmo ano[30] (Santos e Internacional, respectivamente), ainda assim o Brasil não foi representado na Libertadores de 1969, devido a discordância da CBD com as datas do torneio que viriam a prejudicar a Seleção Brasileira nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 1970.

Ver artigo principal: Norte–Nordeste de 1970
Troféu de campeão do Torneio Norte–Nordeste de 1970.

O primeiro título do Fortaleza na década de 1970 é a conquista do Torneio Norte–Nordeste. A equipe na primeira fase classifica-se em primeiro lugar do Grupo 1, com 10 pontos ganhos, com 4 vitória, 2 empate e 1 derrota. Na Segunda fase, conquista sete pontos, referente a 3 vitórias, 1 empate e uma derrota, destaque para vitória de 1x0 no único Clássico-Rei que aconteceu na competição de 1970 realizado no dia 29 de novembro de 1970, mesmo perdendo a última partida do quadrangular final para o Sport em Recife por 2 x 1, vence o Torneio Norte–Nordeste de 1970 pelo critério de desempate, pois ambos terminaram com o mesmo número de pontos.

Além da conquista do Torneio Norte–Nordeste de 1970, o Fortaleza conquista o campeonato estadual extra de 1972, o time base da conquista do estadual era: Lulinha (Cícero), Louro, Biluca, Dimas Filgueiras e Pedro Basílio; Chinezinho (Serginho) e Zé Carlos; Amilton Rocha, Miguel, Leônidas e Nado. No ano seguinte é marcado pela maior invencibilidade do Fortaleza na Série A, foram 12 jogos de invictos no Campeonato Brasileiro de 1973;[31] e também a maior invencibilidade tricolor em estadual com 26 jogos invictos no ano de 1978, sendo a segunda maior invicta em 1973 que durou 20 partidas. Já a terceira e quarta marca também aconteceu durante os anos 70, 17 jogos nos anos de 1972 e 1976.[32]

Após chegar a duas finais do principal campeonato nacional, conquista do regional e vários títulos estaduais é denominado de o novo grande do futebol nacional, título dado a imprensa do eixo Rio-São Paulo em 1973 e confirmado pela revista placar na inclusão de seu hino entre os 16 maiores do futebol nacional mais posteriormente[33] no mesmo ano conquista o estadual de 1973 para pensamento da imprensa cearense se torna então último campeão do PV, já que estava para ser inaugurado o maior estádio da cidade, em novembro de 1974 o Estádio Governador Plácido Castelo, o Castelão e quem teria a honra de se tornar o primeiro campeão do novo Estádio, o Fortaleza que perde o primeiro turno do estadual, tendo a obrigação de vencer o segundo turno, para forçar a final do Campeonato. No dia 19 de março de 1975, decide o turno contra o Ceará, vencendo teria mais jogos para se definir o Campeão de 1974. Vitória tricolor por 4x0 com gols de Geraldino Saravá três vezes e Amilton Melo, quatro dias após é realizada a primeira partida da final, mais uma vitória tricolor, agora por 1x0 com mais um gol de Geraldino.[34] No dia 26 de março estava marcado a segunda partida da “melhor de três”, nova vitória tricolor com gols de Haroldo e Amilton Melo duas vezes.[35] A equipe conquista o bicampeonato realizando 30 jogos, sendo 23 vitórias, 4 empates e apenas 3 derrotas, marcando 87 gols e sofrendo 22.

A década de 1980 começa para o Fortaleza em branco, no estadual de 1980 não conquista os turnos disputados e não chega a final do Cearense, em 1981 decide apenas o segundo turno. Em 1982 é decidido que o tricolor montaria um time para atropelar os adversários, para isso contrata o goleiro Salvino, do Ferroviário, o zagueiro Chagas (do Vasco da Gama), Zé Eduardo (que atuava na equipe rival), o ponta-direita Geraldinho (do Fluminense), Adílton (do Flamengo), Miltão, Nélson, Assis Paraíba, trás de volta o zagueiro Pedro Basílio, além de outros atletas. O Leão do Pici conquista os dois primeiros turnos do campeonato e o Ferroviário conquista o terceiro. Na final (em melhor de três partidas), empate no primeiro jogo em 1 a 1 e segundo jogo em 2 a 2, na terceira partida vitória tricolor por 4 a 0, gols de Adílton (3) e Roner. Ainda em 1982 o tricolor disputou o Torneio dos Campeões, nessa competição jogou os finalistas de competições nacionais e do Torneio Rio-São Paulo disputados até então, ou seja, os maiores clubes do Brasil na época, o tricolor foi o único clube cearense a participar e um dos poucos da região Nordeste. Foi o segundo melhor nordestino na competição, com duas vitórias, três empates e apenas uma derrota.

No ano seguinte o presidente Ney Rebouças remonta a máquina tricolor, trazendo para o clube Tadeu (do Fluminense), Luís Alberto Duarte dos Santos (do Flamengo), Júlio César Uri Geller (do Flamengo), Wescley (do Botafogo), Edson (do Botafogo) e Marquinhos (do Vasco da Gama) ganha o primeiro turno invicto, mais um vez passa por cima dos adversários e no último jogo do campeonato vence o Ferroviário por 2 a 0 com dois gols de Luís Alberto Duarte dos Santos.

Em 1984 termina o estadual na segunda colocação, em 1985 o traz para treinar o seu elenco o ex-jogador do Santos, Pepe e conquista o estadual de número 27. Em 1986 perde o Bicampeonato, no ano seguinte é o clube de melhor campanha no estadual e com o empate em 0 a 0 no último jogo conquista mais um título cearense. Em 1988 perde a final para o Ferroviário, com gol de Marcelo Veiga.

Sandro, artilheiro e ídolo tricolor na década de 1990

O Maior público registrado em Clássico-Rei aconteceu pelo Campeonato Cearense de 1991 no dia 6 de outubro de 1991, o público da partida foi 60.363 pagantes com vitória tricolor pelo placar de 1x0. O Fortaleza após vencer o terceiro turno do estadual e o quarto turno, o tricolor conquista no 15 de dezembro de 1991 o Estadual de número 29.

O Fortaleza conseguiu o acesso a Série A de 1993, após conquistar a sétima colocação da Série B de 1992 na qual, classificava 12 equipes para Primeira Divisão de 1993. O clube conquista 28 pontos em 26 jogos, com 11 vitórias, 6 empates e 9 derrotas, marcando 30 gols e sofrendo 24.

O Fortaleza tem o maior artilheiro da história do Campeonato Cearense, foi Sandro marcando 39 gols pelo estadual de 1997.

Século XXI

Ver artigo principal: Série B de 2002 - Série B de 2004
Troféus do vice-campeonato da Série B de 2002 e 2004

O Fortaleza conseguiu o acesso a Série A de 2003, após 31 jogos, conquistando 59 pontos, sendo 18 vitórias, 5 empates e 8 derrotas, marcando 61 gols e sofrendo 31 gols.

Os jogos finais da Série B de 2002 foram:[36]

Fortaleza 2 x 0 Criciúma - 30 de novembro - Estádio Castelão

Criciúma 4 x 1 Fortaleza - 7 de Dezembro - Estádio Heriberto Hülse

Na Série B de 2004, o Fortaleza conquistou 55 pontos em 35 jogos sendo 15 vitórias, 10 empates e 10 derrotas, 55 gols prós e 30 contra. O tricolor do Pici garantiu o acesso para disputa da Série A do Campeonato Brasileiro, na época o técnico do Fortaleza era o Zetti tetracampeão mundial com a Seleção Brasileira. Na primeira fase o time tricolor ficou em 5º lugar. A campanha foi de 11 vitórias, seis empates e seis derrotas. Classificado entre os oito primeiros, o Leão caiu no grupo A da segunda fase. O avanço em um grupo formado por Brasiliense, Ituano e Santa Cruz veio com a diferença de saldo de gols, depois de três times empatarem com oito pontos ganhos. O tricolor do Pici conseguiu se levantar na disputa após uma vitória diante do Ituano, fora de casa e avançou para o último quadrangular com Brasiliense, Avaí e Bahia. Na reta final, o Brasiliense conquistou a subida de forma antecipada. Na última rodada, o Fortaleza precisava vencer por dois gols de diferença o Avaí, além de ter que torcer por uma vitória do Brasiliense em cima do Bahia, em Salvador. Final do jogo no Castelão marcava Fortaleza 2x0 Avaí, e com a vitória do Brasiliense o tricolor terminou o quadrangular na segunda colocação e celebrou o acesso à Primeira Divisão do futebol nacional.

No que se refere ao Campeonato Cearense, a Década de 2000 começa com o maior tabu em jogos oficiais estabelecido na história dos Clássicos-Reis, que durou de 17 de julho de 1999 a 8 de julho de 2001, com 12 vitórias e quatro empates, em 16 partidas.[37]:

OS JOGOS DO TABU
Data Placar Competição
17 de julho de 1999 Fortaleza 7 x 2 Ceará Estadual de 1999
27 de fevereiro de 2000 Fortaleza 4 x 0 Ceará Estadual de 2000
2 de abril de 2000 Fortaleza 1 x 0 Ceará Estadual de 2000
30 de abril de 2000 Fortaleza 3 x 0 Ceará Estadual de 2000
7 de maio de 2000 Fortaleza 2 x 1 Ceará Estadual de 2000
11 de junho de 2000 Fortaleza 2 x 1 Ceará Estadual de 2000
27 de junho de 2000 Fortaleza 1 x 1 Ceará Estadual de 2000
16 de julho de 2000 Fortaleza 1 x 1 Ceará Estadual de 2000
27 de setembro de 2000 Fortaleza 3 x 1 Ceará Série B de 2000
21 de fevereiro de 2001 Fortaleza 2 x 1 Ceará Nordestão de 2001
28 de março de 2001 Fortaleza 1 x 1 Ceará Estadual de 2001
13 de maio de 2001 Fortaleza 2 x 2 Ceará Estadual de 2001
20 de maio de 2001 Fortaleza 4 x 3 Ceará Estadual de 2001
10 de junho de 2001 Fortaleza 1 x 0 Ceará Estadual de 2001
5 de julho de 2001 Fortaleza 0 x 0 Ceará Estadual de 2001
8 de julho de 2001 Fortaleza 3 x 1 Ceará Estadual de 2001

Entre os anos de 2000 a 2010, o Fortaleza esteve presente em todas as finais do campeonato estadual, conquistando os estaduais nas respectivas decisões:

Torcida lotando o Estádio Castelão em 2013

O Tetracampeonato de 2007/2008/2009/2010, começa em 2007 com o título vencido em cima do Icasa. No ano seguinte veio o bicampeonato. O Fortaleza venceu os dois jogos da final frente ao Icasa: 2 a 0 no Romeirão e uma goleada por 4 a 2 no Castelão. O Tricampeonato em 2009 foi conquistado com 14 Vitórias, 7 Empates e 5 Derrotas, com 54 Gols Pró e 31 contra. As finais foram disputadas nos dias 26 de Abril (vitória do Tricolor de Aço por 2x1, gols de Guto e Wanderley) e 3 de maio. Neste segundo jogo, o Tricolor jogava por um empate e perdia por 1x0 até os oito minutos do segundo tempo, quando Marcelo Nicácio marcou de peixinho o gol do Tricampeonato, para delírio da nação tricolor.

No Estadual de 2010 conquista o primeiro turno e seu rival conquista o segundo. Na final, o primeiro jogo foi ganho pelo Leão, o segundo foi ganho pelo Ceará. Nos pênaltis, 3x1 para o Fortaleza, e assim se consagra, pela primeira vez na história, Tetra campeão Cearense.[40] Por outro lado, o Leão não conseguiu passar da fase classificatória e permaneceu na terceira divisão

Nas gestões Paulo Arthur e Osmar Baquit (2011 a 2014), o clube não conseguiu alcançar o inédito pentacampeonato no estadual e nos anos seguintes: vice-campeão, quarto colocado e vice-campeão respectivamente. Na Copa do Brasil eliminado em 2011 na segunda fase, oitava de final e terceira fase respectivamente e em 2014 não disputa por não ter conseguido ser campeão estadual ou da Copa Fares Lopes do ano anterior. Na competição regional: a Copa do Nordeste, fica na terceira colocação em 2013. Na Série C fica na 13° colocação em 2011 escapando do rebaixamento à Série D na última rodada, 5° colocado em 2012, 9° colocado em 2013 e 5° colocado em 2014.

O ano de 2015 para o Fortaleza começa no dia 1 de dezembro de 2014, com a primeira eleição direta no clube,[41] no qual houve até debate entre os presidenciáveis ao vivo na TV Diário[42] concorrem o ex-diretor do clube: Estevão Romcy e os ex-presidentes Silvio Carlos (década de 1980) e Jorge Mota (década de 2000), uma semana antes o ex-diretor do clube, Adailton Campelo retira sua candidatura,[43] sendo Jorge eleito com 528 votos contra 272 do candidato Silvio Carlos e 57 de Estêvão Romcy[44] sendo o maior dos registros históricos conhecidos do Leão.[45] Na competição regional fica na quinta colocação do Nordestão, já na Copa do Brasil elimina o River-PI na primeira fase classificando para enfrentar o Coritiba na fase seguinte sendo eliminado nos pênaltis no jogo de volta, ficando na 33° colocação geral. Na série C, termina a primeira fase na primeira colocação e sendo eliminado na fase seguinte, terminando na quinta colocação geral do nacional.

No ano de 2016, o Fortaleza conquista a Taça dos Campeões Cearenses, vencendo o Guarany de Sobral vencedor da Copa Fares Lopes de 2015, pelos placares de 3x0 jogando em casa no Estádio Alcides Santos em Fortaleza, e por 2x0 no jogo decisivo realizado no Estádio do Junco em Sobral, Com o título, o Fortaleza foi o primeiro campeão da temporada do futebol brasileiro no ano de 2016. No dia 8 de maio, após vencer a primeira partida da final por 4x1, vence o jogo da volta contra o Uniclinic, atual Atlético Cearense por 1x0 e assim conquistando mais um bicampeonato e seu 41º título de campeão cearense. Pela Copa do Brasil o Leão do Pici faz uma boa campanha, passa da primeira fase eliminando o Imperatriz do Maranhão com um empate fora por 1x1 e uma vitória por 2x0 jogando em seus domínios, já na segunda fase o leão enfrentou o Flamengo e venceu a primeira partida em casa por 2x1, e no jogo de volta em Volta Redonda com mando de campo flamenguista também consegue uma vitória pelo mesmo placar de 2x1 com direito a dois gols do volante Pio, na terceira fase enfrentou o América MG perdendo por 1x0 dos mineiros em Belo Horizonte, mas conseguiu reverter o placar goleando o time mineiro por 4x1 no Castelão. Já nas oitavas de final encarou o Internacional perdendo o primeiro jogo por 3x0 em Porto Alegre e vencendo em casa por 1x0 mas mesmo com a vitória o leão foi eliminado já que o clube gaúcho obteve uma boa vantagem atuando em seus domínios. Na Série C termina a primeira fase na primeira colocação do grupo A, mas é eliminado na fase seguinte terminando na sexta colocação geral da competição.

No ano de 2017 o Fortaleza se tornou bicampeão da Taça dos Campeões Cearenses após vencer o Guarani de Juazeiro por 1x0 com gol do uruguaio Gastón Filgueira, que se tornou o primeiro estrangeiro a ser artilheiro de uma competição cearense. Em setembro do mesmo ano o tricolor enfim consegue seu acesso de volta para Série B do Campeonato Brasileiro, o clube acabou a primeira fase da Série C como terceiro colocado e decidiu a vaga na Série B do ano seguinte fora de casa pela primeira vez, no primeiro jogo o tricolor venceu a equipe do Tupi por 2x0 atuando no estádio Castelão, e na volta perdeu por 1x0 no estádio Helenão em Juiz de Fora, assim o Fortaleza saiu da Série C depois de oito temporadas, após o apito final houve muita comemoração da torcida tricolor tanto na cidade mineira onde houve uma verdadeira invasão da torcida do Fortaleza, como também na capital cearense. No dia seguinte, após a chegada da delegação do clube, houve muita festa pelas ruas de Fortaleza. O Fortaleza encerrou a edição de 2017 da Série C com o vice-campeonato.

A taça de Campeão Brasileiro da Série B de 2018 (Ano do seu centenário)

Em 2018, sob o comando do treinador e ex-goleiro do São Paulo Futebol Clube, Rogério Ceni com uma campanha memorável, no ano de seu centenário conquista: o Campeonato Brasileiro da Série B de 2018, obteve o melhor início de competição na era dos pontos corridos do Campeonato Brasileiro da Série B, com sete vitórias e dois empates, um aproveitamento inicial de 88,89%. O Fortaleza liderou por 36 das 38 rodadas, tendo assumido a liderança já na segunda rodada, perdendo na quarta rodada e reassumindo, até o final da competição, ainda na quinta rodada. Faltando quatro rodadas para o fim da Série B, já tinha conquistado o acesso para Série A de 2019.

No ano de 2019, a equipe comandada por Ceni voltou a conquistar o Campeonato Cearense depois de dois anos sem conseguir o título, no primeiro jogo da final o Fortaleza venceu o seu maior rival Ceará por 2x0 e no segundo jogo da decisão no dia 21 de abril de 2019 bateu novamente seu rival dessa vez pelo placar de 1x0, e assim obteve o seu 42º título do Campeonato Cearense de Futebol. Pouco mais de um mês, depois de ganhar o campeonato estadual o Fortaleza chegou pela primeira vez em uma final de Copa do Nordeste e enfrentou o Botafogo-PB, o primeiro jogo da final inédita foi realizado na Arena Castelão e o Leão do Pici largou na frente com o placar de 1x0, o segundo jogo da finalíssima aconteceu no dia 29 de maio de 2019 no estádio Almeidão e o Fortaleza tinha a vantagem de jogar pelo empate para levantar a taça, mas com 3 minutos de jogo o Leão abriu o marcador e ganhou novamente pelo placar de 1x0, conquistando assim o segundo maior título de sua história e pela primeira vez o título regional da Copa do Nordeste de forma quase que impecável, não sofreu gols na fase mata mata da competição, terminou com 7 vitórias, 4 empates e apenas 1 derrota, teve o melhor ataque, a melhor defesa e o artilheiro da competição. No Campeonato Brasileiro de 2019 após a vitória pelo placar de 2x1 sobre o Santos o Leão garantiu a permanência na Série A de 2020 com três rodadas de antecedência para o fim da competição, na rodada seguinte diante da equipe do Goiás no Estádio Serra Dourada o tricolor ganhou de 2x1 e faltando duas rodadas para o término da Série A, o Leão conquistou a vaga inédita para a Copa Sul-Americana de 2020 (a primeira competição internacional dos seus 101 anos de história). Na última rodada do Campeonato Brasileiro de 2019 o Fortaleza enfrentou a equipe do Bahia e levou a melhor vencendo por 2x1 na Arena Castelão com o resultado positivo o tricolor terminou a Série A em 9° lugar, com 53 pontos, 15 vitórias, 8 empates e 15 derrotas, e terminou o Brasileirão como o melhor time nordestino da edição de 2019.

Em 2020 o Fortaleza participou pela primeira vez em sua história de uma competição internacional, a Copa Sul-Americana de 2020, sendo o segundo time cearense a participar de uma competição internacional. O Independiente, conhecido como Rey de Copas, foi o adversário sorteado. No primeiro jogo, realizado na Argentina, no estádio Estádio Libertadores de América, o Leão acabou perdendo pelo placar de 1x0, mas com uma boa exibição em campo se tornou o primeiro time cearense a jogar uma partida oficial fora do Brasil e no jogo de volta realizado na Arena Castelão o Fortaleza venceu o Independiente pelo placar de 2x1. No entanto, mesmo com a vitória sobre os argentinos acabou sendo eliminado da competição pelo critério do "gol qualificado". Na Copa do Nordeste 2020 o tricolor era o atual campeão e defendia o bicampeonato da competição, chegou até a semifinal do torneio para disputar o primeiro clássico rei da história no mata mata da Copa do Nordeste, mas acabou sendo eliminado pelo seu maior rival pelo placar de 1x0. No Campeonato Cearense 2020 o Leão também era o atual campeão e tentava ficar com o título pelo segundo ano seguido, começou o campeonato entrando direto na segunda fase, onde terminou em primeiro com 18 pontos, 6 vitórias e 1 derrota, na semifinal o Fortaleza enfrentou a equipe do Guarany de Sobral na Arena Castelão que em jogo único o Leão venceu por 1x0, se classificou até a final para enfrentar o seu maior rival, o Ceará, A equipe do Fortaleza por ter tido a melhor campanha na segunda fase do estadual tinha a vantagem de jogar por dois resultados iguais. No primeiro jogo da decisão, realizado no dia 30 de Setembro, o Fortaleza venceu seu maior rival pelo placar de 2x1 e largou na frente na disputa pelo título, no segundo jogo da decisão realizado quase 1 mês depois, no dia 21 de Outubro, o Fortaleza podia empatar e ate perder por 1 gol de diferença que ainda seria Campeão estadual, mas venceu novamente o seu maior rival Ceará, desta vez pelo placar de 1x0, se tornando Bicampeão do Campeonato Cearense 2020, o seu 43° título estadual. No Brasileirão, terminou no 16° lugar.

Em 2021 o Fortaleza começou a temporada disputando a Copa do Nordeste onde terminou a fase de grupos em 1º lugar do Grupo B se classificando pro mata mata da competição com 17 pontos, 5 vitórias, 2 empates e 1 derrota, nas quartas de final enfrentou a equipe do CSA na Arena Castelão e o Leão do Pici venceu pelo placar de 2x1, avançando para próxima fase, na semifinal novamente jogando em casa enfrentou a equipe do Bahia, no tempo normal a partida terminou com o placar de 0x0 o que ocasionou a disputa de pênaltis e o Fortaleza acabou sendo eliminado nas penalidades máximas, deixando a competição em 3º lugar, o que resultou na demissão do treinador Enderson Moreira. No Campeonato Cearense o Leão era o atual bicampeão e entrou na competição apenas na segunda fase, onde terminou em 1º lugar com 17 pontos, 5 vitórias e 2 empates, na 5º rodada da segunda fase houve a estreia do seu novo treinador, o Argentino Juan Pablo Vojvoda, sobre o comando do seu novo técnico o Fortaleza goleou a equipe do Crato pelo placar de 6x1, Vojvoda foi segundo estrangeiro a comandar o Tricolor do Pici, o primeiro tinha sido Dante Bianchi em 1964, também Argentino. Na semifinal do Campeonato Cearense o Fortaleza enfrentou o Atlético Cearense e goleou pelo placar de 6x0, avançando para final da competição onde enfrentou o seu maior rival, o Ceará, o Fortaleza por ter feito a melhor campanha do torneio tinha a vantagem de jogar pelo empate que mesmo assim ficaria com o título, e foi isso que aconteceu, a final terminou com o placar de 0x0 e o Fortaleza conquistou seu 44º título estadual sendo Tricampeão do Campeonato Cearense de 2021 de for invicta, coisa que o clube não conseguia a 75 anos e não acontecia na competição a 53 anos, com o título o Argentino Vojvoda se tornou o primeiro treinador estrangeiro a ser campeão pelo Fortaleza. Na Copa do Brasil o Leão fez a sua melhor campanha no torneio chegando até as semifinais, na primeira fase enfrentou a equipe do Caxias no Estádio Centénario e venceu pelo placar de 1x0, avançando para a segunda fase do torneio enfrentou o Ypiranga de Erechim na Arena Castelão e ganhou novamente pelo placar 1x0, na terceira fase eliminou o seu arquirrival, o Ceará, pelo placar agregado de 4x1 (primeiro jogo: 1x1; segundo jogo: 3x0), classificado para as Oitavas de final jogou contra o time do CRB onde venceu o 1º jogo na Arena Castelão por 2x1 e o 2º jogo no Estádio Rei Pelé por 1x0, 3x1 no agregado, nas Quartas de final da competição o Fortaleza enfrentou a equipe do São Paulo, o 1º jogo foi realizado no Morumbi onde o Leão buscou um empate heroico de 2x2 depois de estar perdendo por 2x0, no jogo de volta na Arena Castelão o Fortaleza venceu o tricolor paulista por 3x1 (5x3 no agregado) e se classificou para semifinal da Copa do Brasil pela primeira vez em sua história, onde enfrentou a equipe do Atlético Mineiro, perdeu os dois jogos e se despediu da Copa do Brasil com uma campanha histórica. No Campeonato Brasileiro o Fortaleza também fez uma campanha histórica, terminando a competição em 4º lugar com 58 pontos, 17 vitórias, 7 empates, 14 derrotas e classificado para a Libertadores pela primeira vez em sua história, se tornou o primeiro time Nordestino a terminar a competição no G4, o primeiro time Nordestino a se classificar para a Libertadores da América via Brasileirão de pontos corridos e o primeiro time cearense a se classificar para Libertadores.

Em 2022, a equipe comandada se tornou a primeira do Estado do Ceará a disputar alguma fase final de uma competição internacional, após se classificar às oitavas-de-final da Libertadores de 2022, onde foi eliminado pelos argentinos Estudiantes. Além disso, o Fortaleza de Juan Pablo Vojvoda conseguiu mais uma classificação para a Copa Libertadores de 2023, após uma vitória diante do Santos, sendo esta a primeira da história do Fortaleza fora de casa. Outro feito do clube no ano foi, após encerrar o primeiro turno do Campeonato Brasileiro na lanterna, conquistar a permanência na Série A, sendo também o primeiro clube a realizar o feito.[46]

Em 2023, o Fortaleza foi pentacampeão do Campeonato Cearense após derrotar o rival na final de 2023, sendo o primeiro da equipe e o segundo do Estado reconhecido pela federação cearense.[47] Junto do pentacampeonato, o Fortaleza também voltou a ser o maior campeão do estadual, com 46 títulos contra 45 do Ceará.[48] Também iniciou sua segunda participação na Copa Libertadores de 2023, sendo desclassificado ainda nas fases prévias. Dessa forma, o Fortaleza foi transferido à Copa Sul-Americana de 2023. A segunda participação na competição continental foi histórica: após finalizar a fase de grupos na primeira colocação estando no mesmo grupo que o San Lorenzo, Palestino e Estudiantes de Mérida e eliminar clubes tradicionais no continente como o Libertad e os brasileiros América Mineiro e Corinthians, a equipe se tornou a primeira cearense a disputar uma final continental, sendo também o segundo nordestino a alcançar o feito, após o CSA, vice-campeão da Copa CONMEBOL de 1999, mas se tornando o primeiro a participar de uma final da Copa Sul-Americana.[49] A final foi no dia 28 de outubro de 2023, no Estádio Domingo Burgueño em Maldonado, Uruguai. Após uma tensa partida, o Fortaleza foi derrotado nos pênaltis por 4-3 pela LDU Quito, depois de um empate em 1–1 durante o tempo regulamentar.[50]

Os números de Vojvoda nos dois anos em que disputou a Série A do Campeonato Brasileiro se destacam muito, tendo disputado 76 jogos com 32 vitórias, 17 empates e 27 derrotas, com 90 gols marcados e 84 vazados. Vojvoda venceu 22 dos 23 oponentes contra quem jogou no Brasileirão, apenas o Botafogo não foi derrotado.[51]

Estrutura

Centro de Excelência Alcides Santos

Arquibancada do Estádio Alcides Santos em 2013

O terreno correspondente ao Estádio Alcides Santos, no bairro Pici (hoje, geograficamente, Jóquei Clube), foi comprado em 1957 por iniciativa do então presidente do Fortaleza Carlos Rolim, que procurou por Alcides Santos, fundador e primeiro presidente, para dar seu nome ao campo. A partida inaugural, um amistoso contra o Usina Ceará, com vitória de 2–1 para a equipe tricolor, ocorreu em 21 de junho de 1962. Em 2008, após reformas em sua estrutura,[52] o local, que até então era utilizado para treinos,[53] começou a receber jogos oficiais. A arquibancada do estádio chegou a comportar público de 7 500 pessoas.[54][55]

Em 2019, o estádio passou por obras que o transformaram no Centro de Excelência Alcides Santos, com estrutura semelhante a de clubes de maior porte do futebol brasileiro e suporte exclusivo para treinamentos da equipe de futebol masculino profissional, tendo áreas para exercícios e recuperação de atletas.[54][56][57]

Centro de Treinamento Ribamar Bezerra

Vista do Centro de Treinamento Ribamar Bezerra

O Centro de Treinamento Ribamar Bezerra é o espaço de treinos das categorias de base do Fortaleza. Localizado no bairro Alto Alegre II, na cidade de Maracanaú, começou a ser construído em agosto de 2007, em um terreno doado pela prefeitura, por iniciativa do então presidente do Instituto Fortaleza Esporte e Cultura (IFEC) Ribamar Bezerra. A estrutura conta com seis campos de futebol e espaços para outras modalidades.[58][59]

Símbolos

Escudo

O Fortaleza desde sua fundação teve seis escudos diferentes, com algumas figurações em um deles, o primeiro em 1918, ano de sua fundação, percorrendo durante as primeiras décadas de vida do clube, era no estilo peninsular com a ponta redonda, na parte do retângulo em cima o nome Fortaleza em azul real, posteriormente passa a ter um escudo no formato suíço: de formato semelhante ao do escudo clássico em branco com as bordas em azul com as iniciais FSC em azul e vermelho, posteriormente na década de 1940 no mesmo, só que dividido, com a parte superior recortada, com a parte superior na cor vermelha e na inferior na cor azul real intercalada por uma faixa branca, dentro do escudo as iniciais do clube até então em FSC, Fortaleza Sporting Club e depois FEC, quando o clube mudou o nome para Fortaleza Esporte Clube, escudo utilizado até meados da década de 1960, sendo bastante semelhante ao do Fluminense Football Club. Os jornais da época distorciam alguns emblemas pois não dispunham de tecnologia para reproduzir a fonte original na época.

A partir de meados da década de 1960, o Fortaleza adotou o atual escudo, formado por um triângulo isósceles branco, invertido, com base maior elevada por um retângulo com altura igual à metade da lateral do referido triângulo. Dentro dessa parte alongada encontra-se outro retângulo, de cor branca, com o nome Fortaleza em azul real. No interior do triângulo uma faixa branca de largura igual a um quarto da lateral menor com dois triângulos escalenos, um azul real à esquerda e outro vermelho à direita. Das seis estrelas sobre o escudo do Fortaleza, as quatro inferiores representam o Tetracampeonato Cearense conquistado em 2007/2008/2009/2010. Já as duas estrelas superiores representavam as conquistas regionais/inter-regionais do clube, que eram a Copa Cidade de Natal de 1946 e o Torneio Norte–Nordeste de 1970.

Em 2018, com a conquista da Série B do Campeonato Brasileiro, os sócios do Fortaleza aprovaram numa assembleia geral a alteração do artigo de seu estatuto que trata do escudo, tornando-o a adotar apenas estrelas que representem títulos nacionais.[60]

Escudos do Fortaleza Esporte Clube
Primeiro escudo Segundo escudo Terceiro escudo Quarto escudo Quinto escudo Escudo atual

Uniformes

De acordo com o artigo 113 do estatuto do clube, o uniforme principal das formações leoninas é composto pela tradicional e mística camisa tricolor listrada horizontalmente com as cores branco, vermelho e azul, com calções azuis e meiões brancos. No segundo uniforme, para quando o Fortaleza joga como visitante, devem predominar as três cores do clube. O uniforme exatamente contrário ao primeiro uniforme leonino é, assim, composto por camisa predominantemente branca, calções brancos e meiões azuis, porém outros uniformes alternativos são também usados, dependendo do adversário que o clube enfrenta como visitante em suas partidas.

Jogadores

Camisa 1 (Tradição 2021): Camisa com listras horizontais azuis, brancas e vermelhas, calção azul e meias brancas;

Camisa 2 (Glória 1970): Camisa branca, calção branco e meias azuis;

Camisa 3 (Les Bleus): Camisa azul, calção azul, meias vermelhas.

Camisa Nordestão (Sertão e Luar)

Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1º Uniforme
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2º Uniforme
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
3º Uniforme
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Nordeste

Goleiros

Goleiro 1: Camisa verde, calção e meias verdes;

Goleiro 2: Camisa vermelha, calção e meias vermelhas;

Goleiro 3: Camisa azul, calção e meias azuis.

Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time

Após a liberação de patrocinadores nas camisas dos clubes pelo Conselho Nacional de Desportos, o Fortaleza é o primeiro clube a estampar patrocínio em suas camisas no ano de 1982 com as marcas Penalty e da Construtora Engri Engenharia, sendo em Dezembro de 1982 o São Paulo estampa em suas camisas o nome da empresa Cofap como patrocinadora do time na final do Campeonato Paulista de 1982.

No ano de 2016 o Fortaleza cria sua própria marca de materiais esportivos, denominada "Leão 1918". Com essa marca lança seu novo terceiro uniforme em homenagem a Revolução Francesa o "révolution", sendo 3 camisas, cada uma com um lema da revolução: liberté (liberdade), égalité (igualdade) e fraternité (fraternidade).

Hino

Raimundo Fagner, ilustre torcedor e atleta.

O primeiro hino do Fortaleza foi composto em 1959 por José Jatahy e em 1967 é composto o hino oficial pelo poeta Jackson de Carvalho e sendo gravado em outubro do mesmo ano. Teve como arranjador o maestro Manuel Ferreira e como intérprete o cantor Manoel Paiva.

Em 2004 é lançado o CD dos Hinos Placar com artistas brasileiros interpretando os hinos dos 16 principais clubes de futebol do País pela Revista Placar, confirmando o título dado desde de 1973 pela imprensa do eixo Rio-São Paulo como um dos grandes clubes do futebol nacional[33] o hino do Fortaleza foi cantando pelo cantor Raimundo Fagner, que atuou duas vezes pela equipe principal do tricolor, as partidas foram contra América-CE e Maranguape.

Em entrevista a Revista Veja o cantor e compositor Chico Buarque, considera o segundo hino de clubes de futebol mais belo dentre todos hinos; o mais belo, na opinião dele é o hino do Fluminense.

Mascote

Juba, mascote presente nos jogos do Fortaleza como mandante

A mascote do Fortaleza é o leão, que começou a ser atribuído ao clube em seus primeiros anos, quando sua sede encontrava-se no Majestic Palace, no centro da capital cearense. Próxima ao local estava a Praça General Tibúrcio, chamada também de Praça dos Leões, tornando o tricolor conhecido popularmente como o time da Praça dos Leões e, depois, time dos leões, pelos sete títulos do Campeonato Cearense conquistados na década de 1920. Nos anos 1940, o Fortaleza chegou a ser chamado de "o Fortão", termo dado por um jornal local, que criou mascotes para outros times do estado. Em 1967, inspirado na conquista do estadual daquele ano, um grupo formado pelos tricolores Jackson de Carvalho, José Raimundo Costa, Silvio Carlos, Vicente Alencar e Júlio Salles criou para ser o mascote do clube o leão, que foi oficializado. Numa entrevista em 2008, Silvio firmou que a escolha foi resultado também de uma pesquisa de Raimundo Costa, que constatou que o animal era o que mais tinha sucesso nos circos. O leão ganhou o nome Juba em 2007.[61][62]

Em outubro de 2020, para comemorar seu aniversário, o Fortaleza lançou a Stella, leoa que acompanha a mascote principal em jogos como mandante. O nome, escolhido por torcedores em votação por aplicativo móvel, é uma referência ao Stella, antecessor do Fortaleza.[63]

Torcida

Torcida do Fortaleza em Roraima
Torcida do Fortaleza em Roraima

No começo da década de 1920 é feita a primeira enquete de popularidade de torcedores do estado, realizada na entrada do Teatro José de Alencar, o Fortaleza obtém a terceira média na pesquisa, com 13%, a frente do Bangu com 9%, o campeão da enquete foi o Guarany com 49% e o vice sendo o Ceará com 28%.[64] Em 1924 surge o extinto Maguari-CE, denominado o clube dos príncipes. Com a extinção do Guarany, a equipe cintanegrina passa a ser o clube de maior torcida no estado. O Fortaleza, juntamente com o Maguary, foi desde então considerado um clube da classe alta.

Nas décadas de 1930 e 1940, surgem os times operários no futebol cearense, começando a popularização do Futebol Cearense sendo a torcida do Fortaleza, a quarta torcida na cidade no começo da década de 1940, com o licenciamento do Maguary e as conquistas dos Estaduais de 1946, 1947 e 1949 e da Copa Cidade de Natal de 1946 a torcida tem um crescimento e torna a terceira do estado, chegando a incomodar as duas maiores torcidas até então.

Com as conquistas dos estaduais de 1953, 1954, 1959, 1960, e o vice-campeonato do Brasileiro de 1960, o Fortaleza passa a ter uma das duas maiores torcidas do estado. Para aproximar mais a relação clube-torcida, surge em 1967 o primeiro programa de rádio oficial de um clube cearense e específico para uma torcida, na antiga Rádio Uirapuru de Fortaleza, com a apresentação de Vicente Alencar.

Em 1973 e 1974, o Fortaleza é o clube que mais leva torcedores para os estádios cearenses,[65] comprovando o crescimento de sua torcida após as conquista dos estaduais de 1964/1965, 1967 e 1969, e dos vice-campeonatos do Brasileiro de 1960 e 1968. Em meados da década de 1970, surge a Frente de Apoio ao Fortaleza (FAF), primeira organizada do clube, seguida da Garra Tricolor, Fiel Tricolor, Coração de Leão, Guerrilheiros Tricolores, entre outras. A Torcida Organizada Fiel Tricolor, extinta nos estádios na década de 1990, continua com seu programa de rádio, que teve início em 18 de janeiro de 1988, uma segunda-feira na Rádio Clube de Fortaleza, denominado de "A voz da Fiel Tricolor" e apresentado pelo "Sheik" Emanuel Magalhães, das torcidas organizadas atuais do clube destaque para: Torcida Uniformizada do Fortaleza que teve a primeira mulher presidente (Fátima Batista em 1994) [66] na Região Nordeste de uma torcida organizada[67] e que comanda a festa como bandeirões e mosaico no jogos do Fortaleza, a Jovem Garra Tricolor e o Movimento Torcedoras do Leão Coletivo com o lema: Combativas, Aguerridas, Vibrantes e Fortes. Composto somente por mulheres, o grupo vem se solidificando cada vez mais na arquibancada nos jogos e realizando festas e seminário sobre a presença feminina e apoiando o time tanto masculino e feminino do clube.[68]

Segunda maior média de público da Série A em 2005
# Clube Média
1 Corinthians 27.319 (19 jogos)
2 Fortaleza 23.731 (19 jogos)
3 Atlético Mineiro 21.725 (20 jogos)
4 Coritiba 18.688 (21 jogos)
5 Vasco da Gama 18.688 (21 jogos)
6 Internacional 16.237 (20 jogos)
7 Cruzeiro 15.753 (19 jogos)
8 Fluminense 15.355 (20 jogos)
9 Botafogo 14.456 (19 jogos)
10 Paysandu 14.213 (19 jogos)
11 Palmeiras 14.085 (20 jogos)
# Clube Média
12 Flamengo 13.657 (21 jogos)
13 Brasiliense 13.479 (20 jogos)
14 Goiás 12.980 (21 jogos)
15 Paraná 11.864 (20 jogos)
16 Atlético Paranaense 11.620 (19 jogos)
17 São Paulo 9.805 (21 jogos)
18 Santos 9.611 (16 jogos)
19 Figueirense 9.279 (21 jogos)
20 Ponte Preta 5.807 (21 jogos)
21 Juventude 5.648 (18 jogos)
22 São Caetano 3.094 (21 jogos)

A torcida cresce em grande escala a ponto de que muitos pais veem seus filhos torcendo pelo Fortaleza[69] e avôs vendo seus netos torcendo pelo clube das três cores,[70] até filho de ex-presidente do clube com qual o Fortaleza disputa o clássico-rei na cidade, é tricolor e dirigiu a equipe leonina.[71] O crescimento chega também a Região Norte do país, mais precisamente na capital Boa Vista em Roraima, onde possui a maior torcida organizada de Boa Vista.[72] Além de Roraima, o clube tricolor também tem números expressivos de seus torcedores no Acre, Amazonas, no Distrito Federal,[14] no Pará, no Piauí,[16] e no Rio Grande do Norte onde o clube possui embaixadas desde 2005.

O tricolor detêm uma dos maiores públicos já registrados no país em jogos especialmente de categorias de base, sendo mais de três mil torcedores compareceram ao estádio Presidente Vargas,[73] também em junho, o clube teve o recorde na apresentação de jogadores, com mais 3.500 torcedores no Estádio Alcides para conhecer os novos contratados do clube,[74] público, somente menor ao treino da Seleção brasileira em Goiânia.[75] Em 2012 é o clube cearense que mais leva torcedores no Campeonato Brasileiro e o décimo clube incluindo todas as Séries (A,B,C e D).[76] Em 2014 é o clube detentor do maior público do ano em todo Brasil com 62.525 pagantes e com público total de 63.254,[77] sendo notícia nos sites do mundo inteiro.[9] Em 2015, no Campeonato Brasileiro envolvendo as quatro divisões do país, o fortaleza é a décima equipe do país a levar mais torcedores aos jogos[78] com 18.072 torcedores por jogo. Em 2016, no Campeonato do Nordeste é a equipe que tem a melhor média da competição, sendo de 12.936 por jogo«Fortaleza teve a melhor média público da Copa do Nordeste». Consultado em 21 de maio de 2016 </ref> com 18 072 torcedores por jogo.

A torcida tricolor detêm o recorde do maior público da nova arena castelão, sendo 63.903[79] pagantes contra o Juventude pela Serie C de 2016 e a maior renda disparada da história do futebol cearense, R$ 2.528.585,00[80] contra o Brasil de Pelotas pela Serie C de 2015, sempre fazendo lindas festas e por isso sendo reconhecida como uma das mais fanáticas do Nordeste Brasileiro.

Administração

Conforme o artigo 3.º do Estatuto Social do Fortaleza vigente até setembro de 2023, a deliberação, a consulta e a administração do clube eram competências dos seguintes órgãos: a Assembleia Geral, órgão máximo, composta pelos sócios-proprietários e sócios-torcedores que podem votar desde que maiores de 16 anos e responsável pela eleição para um mandato de três anos com direito a reeleição de presidente, dois vice-presidentes e dois secretários da Mesa Diretora, que por sua vez comanda o Conselho Deliberativo, constituído pelos associados proprietários admitidos como conselheiros e por todos os ex-presidentes da Diretoria Executiva que estejam com as contas aprovadas; o Conselho Fiscal, que orienta e fiscaliza a administração financeira do Fortaleza, constituído por cinco membros efetivos e cinco suplentes, associados proprietários há três anos ininterruptos, eleitos pela Assembleia Geral; e o Conselho de Ética e Disciplina, que emite parecer nas questões demandadas pelo restante dos órgãos.[81]

Em setembro de 2023, o Conselho Deliberativo do Fortaleza autorizou a mudança do estatuto visando a cisão do departamento de futebol para a constituição de uma Sociedade Anônima do Futebol (SAF), sem previsão de venda da participação acionária (diferente do modelo adotado por alguns clubes brasileiros que optaram pela adesão ao formato da SAF até então), assegurando que a SAF seja controlada pela associação. A modificação do estatuto foi aprovada com 72 votos favoráveis e quatro contrários, enquanto a criação da SAF foi aprovada com 76 votos favoráveis e um contrário.[82] Conforme previsão estatutária, houve convocação de uma assembleia geral para que os sócios proprietários e sócios torcedores adimplentes deliberassem sobre o processo de mudança para a SAF. A modificação estatutária, que exigia apoio da maioria dos votantes presentes, foi aprovada com 1 202 votos favoráveis, 53 contrários e um em branco, e a criação da SAF, que exigia apoio de dois terços dos votantes presentes, foi aprovada com 1 195 votos a favor, 57 contra, um voto em branco e três que optaram pela nulidade.[83]

Após o estabelecimento da SAF, foram empossados em dezembro de 2023 um Conselho de Administração, composto por cinco membros, e um Conselho Fiscal, com três membros titulares e igual número de suplentes. Marcelo Paz, presidente da Diretoria Executiva do Fortaleza desde 2017 e reeleito em 2021,[84] assumiu o cargo de CEO, responsável pela gestão do futebol do clube, com consequente renúncia à presidência da associação, passando o cargo para o até então 2.º vice-presidente Alex Santiago.[83][85][86] O 1.º vice Geraldo Luciano chegou a presidir o Conselho de Administração da SAF mas logo renunciou.[87] Marcos Henrique, presidente do Conselho Fiscal do clube, assumiu a mesma função na sociedade anônima.[88]

Títulos e Honrarias

A taça de Campeão Brasileiro da Série B de 2018, ano do seu centenário
A taça de Campeão da Copa do Nordeste de 2019.
Troféu do tetracampeonato cearense, conquistado em 2010
Taça do bicampeonato cearense, conquistada em 1921
HONRARIAS
Competição Títulos Temporadas
6.º melhor clube do mundo no ranking da IFFHS 1
2023[89]
NACIONAIS
Competição Títulos Temporadas
Campeonato Brasileiro - Série B 1
2018
INTER-REGIONAIS
Competição Títulos Temporadas
Torneio Norte-Nordeste 1
1970
REGIONAIS
Competição Títulos Temporadas
Copa do Nordeste 2
2019 e 2022
Copa Cidade de Natal 1
1946
INTERESTADUAIS
Competição Títulos Temporadas
Ceará Paraíba Rio Grande do Norte Torneio Octávio Pinto Guimarães 1 1986
ESTADUAIS
Competição Títulos Temporadas
Campeonato Cearense 46
1920, 1921, 1923, 1924, 1926, 1927, 1928, 1933, 1934, 1937, 1938, 1946, 1947, 1949, 1953, 1954, 1959, 1960, 1964, 1965, 1967, 1969, 1973, 1974, 1982, 1983, 1985, 1987, 1991, 1992*, 2000, 2001, 2003, 2004, 2005, 2007, 2008, 2009, 2010, 2015, 2016, 2019, 2020, 2021, 2022 e 2023
Taça dos Campeões Cearenses 2
2016 e 2017
Torneio Início 12
1925, 1927, 1928, 1933, 1935, 1948, 1960, 1961, 1962, 1964, 1965, 1977
Total
Conquistas Títulos Categorias
Títulos oficiais 66 1 nacional, 1 inter-regional, 3 regionais, 1 interestadual e 60 estaduais.
Notas

Campeão invicto

Torneio com chancela da CBD/CBF.

* O título do Campeonato Cearense de 1992 foi dividido com Ceará, Icasa EC e Tiradentes-CE

Por não serem um torneio à parte, os chamados "grupos", fases regionais da Taça Brasil, não foram listados.[90]

Títulos não-oficiais

Internacionais

Nacionais

Inter-regionais

Regionais

Outras conquistas

  • Liga Metropolitana de Fortaleza: 1919.
  • Taça 15 de Novembro: 1931.
  • Torneio Quadrangular Silvio Pacheco: 1957.
  • Copa Cearense Master: 2016.
  • Copa Cearense de Futebol Cinquentão Masters 50: 2017.

Estatísticas

Participações

Participações em 2024
Competição Temporadas Melhor campanha Estreia Última P Aumento R Baixa
Ceará Campeonato Cearense 103 Campeão (46 vezes) 1920 2024
Copa do Nordeste 16 Campeão (2019 e 2022) 1994 2024
Brasil Campeonato Brasileiro 26 Vice-campeão (1960 e 1968) 1960 2024 4
Série B 18 Campeão (2018) 1972 2018 4 2
Série C 14 Vice-campeão (2017) 1990 2017 1
Copa do Brasil 27 Semifinal (2021) 1989 2024
Copa Libertadores da América 2 Oitavas de final (2022) 2022 2023
Copa Sul-Americana 3 Vice-campeão (2023) 2020 2024

Campanhas de destaque

Fortaleza Esporte Clube
Torneio Campeão Vice-campeão Terceiro Quarto
Copa Sul-Americana 0 (não possui) 1 (2023) 0 (não possui) 0 (não possui)
Brasil Campeonato Brasileiro 0 (não possui) 2 (1960 e 1968) 0 (não possui) 1 (2021)
Brasil Copa do Brasil 0 (não possui) 0 (não possui) 1 (2021) 0 (não possui)
Brasil Campeonato Brasileiro - Série B 1 (2018) 2 (2002 e 2004) 0 (não possui) 0 (não possui)
Brasil Campeonato Brasileiro - Série C 0 (não possui) 1 (2017) 0 (não possui) 0 (não possui)
Torneio Norte-Nordeste 1 (1970) 0 (não possui) 0 (não possui) 0 (não possui)
Copa do Nordeste 2 (2019 e 2022) 0 (não possui) 4 (2013, 2020, 2021 e 2023) 1 (2001)
Ceará Campeonato Cearense 46 vezes 26 vezes 17 vezes 6 vezes
Ceará Copa Fares Lopes 0 (não possui) 1 (2017) 0 (não possui) 0 (não possui)
Ceará Taça dos Campeões Cearenses 2 (2016 e 2017) 0 (não possui)

Garrincha tricolor e Bola de Prata a revelação

O amistoso em comemoração ao título estadual de 1967 no Estádio Presidente Vargas, contra o Fluminense no dia 28 de janeiro de 1968, Garrincha,[92] o lendário "anjo das pernas tortas", vestiu a camisa tricolor 7[93] por apenas 45 minutos, que ficaram para sempre guardado na memória dos 3.399 torcedores leoninos. O Fortaleza venceu a partida por 1x0, gol de Humaitá.[94]

No ano de 1974, o lateral Louro foi eleito o melhor lateral direito da competição, recebendo o Troféu Bola de Prata da Revista Placar.

Jogos internacionais

Ano Mandante Placar Visitante Competição
1962 Leo Victor Suriname 2–2 Brasil Fortaleza Paramaribo Cup
Robinhood Suriname 1–3 Brasil Fortaleza
Transvaal Suriname 1–1 Brasil Fortaleza
Suriname Suriname 1–0 Brasil Fortaleza Amistoso
Fortaleza Brasil 2–1 Suriname Transvaal
Fortaleza Brasil 3–2 Suriname Transvaal
1963 Transvaal Suriname 2–3 Brasil Fortaleza
Leo Victor Suriname 3–3 Brasil Fortaleza
Robinhood Suriname 2–3 Brasil Fortaleza
1971 Fortaleza Brasil 2–0 República Checa Sparta Praga
Fortaleza Brasil 2–2 Rússia Dínamo de Moscou
2001 Fortaleza Brasil 1–0 Paraguai Libertad
2007 Fortaleza Brasil 7–2 Suíça FC Blue Stars Zürich
2009 Fortaleza Brasil 2–2 Angola ASA
2010 Fortaleza Brasil 3–1 Argentina Boca Juniors
2014 Fortaleza Brasil 3–4 Itália Hellas Verona
2020 Independiente Argentina 1–0 Brasil Fortaleza Copa Sul-Americana
Fortaleza Brasil 2–1 Argentina Independiente
2022 Fortaleza Brasil 1–2 Chile Colo-Colo Copa Libertadores da América
River Plate Argentina 2–0 Brasil Fortaleza
Fortaleza Brasil 2–1 Peru Alianza Lima
Fortaleza Brasil 1–1 Argentina River Plate
Alianza Lima Peru 0–2 Brasil Fortaleza
Colo-Colo Chile 3–4 Brasil Fortaleza
Fortaleza Brasil 1–1 Argentina Estudiantes
Estudiantes Argentina 3–0 Brasil Fortaleza
2023 Deportivo Maldonado Uruguai 0–0 Brasil Fortaleza Copa Libertadores da América
Fortaleza Brasil 4–0 Uruguai Deportivo Maldonado
Fortaleza Brasil 0–1 Paraguai Cerro Porteño
Cerro Porteño Paraguai 2–1 Brasil Fortaleza
Fortaleza Brasil 4–0 Chile Palestino Copa Sul-Americana
San Lorenzo Argentina 0–2 Brasil Fortaleza
Fortaleza Brasil 6–1 Venezuela Estudiantes de Mérida
Fortaleza Brasil 3–2 Argentina San Lorenzo
Estudiantes de Mérida Venezuela 1–0 Brasil Fortaleza
Palestino Chile 1–2 Brasil Fortaleza
Libertad Paraguai 0–1 Brasil Fortaleza
Fortaleza Brasil 1–1 Paraguai Libertad
Fortaleza Brasil 1–1
(3–4 pen)
Equador LDU Quito

Clássicos estaduais

No Futebol, os principais rivais do clube são Ceará e Ferroviário, na capital cearense.

Em quase um século de história, o Clássico-Rei do Futebol Cearense é o confronto entre Fortaleza e Ceará. No que se refere as estatísticas, alguns sites não seguem uma sequência exata dos números de jogos, pois os números nunca se coincidem pela carência de fontes. Sabe-se que o primeiro confronto oficial entre as equipes aconteceu no ano de 1920, pois no site da Federação Cearense de Futebol, consta que não há registros de dados dos anos anteriores.[95]

A maior goleada no Clássico-Rei foi no Campeonato Cearense de 1927, em que o Fortaleza aplicou um 8 a 0 sobre o adversário. Marcaram os gols: Hildebrando (3), Pirão (2), Xixico, Humberto e Juracy.

Já o Clássico das Cores (segundo em importância no futebol cearense), teve sua primeira partida no cearense de 1938, com vitória leonina por 2 a 0. O Ferroviário por duas vezes impediu o Fortaleza de chegar à conquista de um bicampeonato. Isso aconteceu nos anos de 1968 e 1988.

O maior tabu no clássico pertence ao Fortaleza, que em 27 jogos teve 21 vitórias e 6 empates contra o Ferroviário, entre 1 de julho de 1999 e 28 de janeiro de 2007,[96] sendo que de 1999 a 2002 a maior sequência de vitórias seguidas do Leão, onze, de 1999 a 2002. A maior goleada do Fortaleza sobre o Ferroviário foi um 5 a 0, pelo Cearense de 1947; sendo a partida com o maior número de gols, aconteceu pelo Campeonato Brasileiro da Série C de 1998, vitória do Fortaleza 7 a 4. A maior sequência de empates aconteceu entre 1989 e 1990, sendo sete jogos.

Categorias de base

O Fortaleza tem a melhor categoria de base entre os clubes cearenses, colecionando diversos títulos estaduais, entre outros títulos. Também é o clube cearense que mais participou da Copa São Paulo de Futebol Júnior, uma das competições de categoria de base mais importantes do futebol brasileiro, cuja competição é organizada pela Federação Paulista de Futebol. Esse torneio reúne vários clubes brasileiros e eventualmente clubes de outros países, da categoria sub-20.

Sendo o clube com a melhor categoria de base do estado, é comum o leão revelar diversos jogadores conhecidos no futebol nacional.

Futebol feminino

Futebol de areia

Em 2017 o Leão conquistou o título de um torneio internacional de beach soccer nos Estados Unidos. O nome oficial do torneio era USA Cup, era a 11ª edição da competição e foi disputada em Oceanside, na Califórnia, nos Estados Unidos. O Fortaleza fez uma ótima campanha até chegar na decisão do torneio, na final encarou o Botafogo também do Brasil e venceu por 6 a 4, resultado que selou a conquista do título internacional para o Rei Leão do Brasil.[97]

Futsal

No ano de 1969 é o começo do Futsal em competições,[98] com idas e vindas no Futsal dependendo da diretoria que estava administrando o clube, o tricolor tem destaque com vários títulos estaduais e regionais destaque para:

Troféu da Liga Futsal
Títulos do Futsal
Competição Títulos Temporadas
Brasil Campeão da Liga Nordeste de Futsal 1 2009
Ceará Campeão da Copa FEEMA de Futsal da Cidade de São Luís 1 2002
Ceará Campeão da Copa Norte0150Nordeste em São Luís-MA 1 2003
Ceará Campeão Cearense Adulto de Futsal 1 2008
Ceará Campeão Cearense Juvenil de Futsal 2 1970 e 2004
Ceará Campeão da Copa Metropolitana 5 1995, 2002, 2004, 2006 e 2011
Ceará Campeão da Copa Metropolitana Juvenil 1 2004
Ceará Campeão da Taça Betinho Studart 1 2024

Basquetebol

Em setembro de 2020, o Basquete Cearense acertou uma parceria com o Fortaleza Esporte Clube para o NBB. A equipe passou a se chamar Fortaleza Basquete Cearense e o Carcará herdou as cores do Leão (vermelho, azul e branco). O time manda seus jogos no Centro de Formação Olímpica, equipamento que faz parte do mais moderno, tecnológico e inteligente complexo de excelência esportiva do Brasil, com capacidade para até 20.000 espectadores.

Handebol

Hóquei sobre patins

O time de Hóquei sobre patins do Fortaleza foi iniciado em 2003 pelo técnico Beto Vieira, tendo títulos em suas várias categorias. Os treinos acontecem as segundas, quartas e sextas-feiras, na quadra de patinação da Avenida Beira-Mar (em frente ao hotel Gran Marquise), nos seguintes horários: 18h às 19h 30min (Feminino), 19h 30min às 21 horas (Masculino Sub-13 e Sub-15) e a partir das 21 horas (Masculino Sub-20 e Adulto).

  • Campeão Cearense Masculino Adulto: 2004, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2011 e 2012
  • Campeão Cearense Masculino Sub-20:2004, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2011 e 2012
  • Campeão Cearense Masculino Sub-13: 2009
  • Campeão Cearense Juvenil: 2004, 2005, 2006, 2007, 2008 e 2009
  • Campeão Cearense Infantil: 2004, 2005, 2006, 2007 e 2008
  • Campeão Cearense Mirim: 2005, 2006, 2007 e 2008
  • Campeão da Copa Fábio Montez/Armindo Melão: 2009
  • Campeão Cearense Feminino: 2008 e 2010
  • Destaques: Terceiro Lugar no Torneio Internacional Luso-Brasileiro em Recife: 2006

Surf

Primeira mulher a tirar nota 10 no mundial feminino do WQS.[99] em 1996, Tita Tavares também é atleta do Fortaleza.

Ultimate Fighting Championship

Rony Jason lutador de MMA que compete na Categoria dos Pesos Penas. Profissional desde 2006 e vencedor do The Ultimate Fighter: Brasil em sua categoria, torcedor tricolor, Jason também é ídolo da Nação tricolor e tem patrocínio do clube.[100][101]

Voleibol

Praticado na sede do clube, desde os meados da década de 1930,[102] o Voleibol tricolor retorna as competições oficiais no começo dos anos 2000 com equipes no masculino e no feminino nas categorias: Adulto, infantil e mirim. Os principais títulos do retorno tricolor são:

  • Campeão Cearense Masculino Adulto: 2000
  • Campeão Cearense Masculino Infantil: 2004
  • Campeão Cearense Masculino Mirim: 2004
  • Campeão Cearense Feminino Mirim: 2004

Outros títulos

No ano de 1963, disputa pela primeira o concurso de Miss Ceará e sua representante a bela Vera Maria Barros Maia conquista a faixa de a mais bela cearense do ano.[103] Miss Ceará: 1963

  • Campeão Cearense de Clubes Sociais do Carnaval: 1972
  • Campeão da Prova 1 de Maio de Ciclismo: 1973

Elenco atual

Última atualização: 23 de fevereiro de 2024.[104]

Elenco atual do Fortaleza Esporte Clube
N.º Pos. Nome N.º Pos. Nome N.º Pos. Nome
1 G Brasil João Ricardo 16 V Brasil Matheus Rossetto 31 M Brasil Amorim
2 LD/Z Brasil Tinga Capitão 17 V Brasil Zé Welison 32 A Brasil Pedro Rocha
3 Z Portugal Tobias Figueiredo 18 M Brasil Luquinhas 33 LE Argentina Gonzalo Escobar
4 Z Brasil Titi Capitão² 19 Z/LD Argentina Emanuel Brítez 35 V Brasil Hércules
6 LE Brasil Bruno Pacheco 20 LD Brasil Dudu 37 M Brasil Kauan
7 M Argentina Tomás Pochettino 21 A Brasil Moisés 39 A Argentina Imanol Machuca
9 A Argentina Juan Martín Lucero 22 M/LD Brasil Yago Pikachu 77 M Venezuela Kervin Andrade
10 M Brasil Calebe 23 G Brasil Santos 88 V Brasil Lucas Sasha
11 A Brasil Marinho 25 Z Argentina Tomás Cardona 91 A Brasil Thiago Galhardo
13 Z Chile Benjamín Kuscevic 28 V Brasil Pedro Augusto
15 G Brasil Bruno Guimarães 30 G Brasil Maurício Kozlinski

Técnico: Argentina Juan Pablo Vojvoda


Reconhecimentos

Em ranking da Federação Internacional de História e Estatísticas do Futebol (IFFHS) que foi publicado em 2013 e que elege anualmente as melhores equipes da América do Sul, se destacou sendo o clube cearense melhor colocado no século XXI até então (período entre 2001 e 2012), ficando na 172ª posição geral, com 226 pontos.[105]

Em 15 de abril de 2013, foi sancionada pelo prefeito Roberto Cláudio Rodrigues Bezerra, a Lei Municipal 10.020, que cria o dia municipal da Nação Tricolor em Fortaleza, a ser comemorado no dia 18 de outubro de cada ano.[106] Em 2014, foi matéria no jornal francês L'Équipe, por ter lançado um uniforme em homenagem à França, país que tem bastante ligação com o clube.[107] No mesmo ano, o clube teve também uma versão de seu hino cantado em francês, na voz da cantora Giselle Café.

Foi eleito o 6° melhor clube do Mundo e 2° melhor da América do Sul pela IFFHS entre o período de novembro de 2022 e outubro de 2023, ficando na frente de tradicionais clubes do Mundo como Barcelona e Bayern de Munique.[108]

Na mídia

Álbuns

  • Álbum do Fortaleza Sporting Club - Publicação Oficial, Década de 1940
  • Álbum do Fortaleza - Publicação Oficial, 2002
  • Livro Ilustrado 100 anos do Fortaleza Esporte Clube - Publicação Oficial, 2018 .[109]

Livros

  • Almanaque do Fortaleza - David Barboza e José Renato Sátiro Santiago Júnior - 2022
  • Coração de Leão - José Rocha - Editora Komedi, Campinas,2003
  • Fortaleza 85 Anos - Conheça toda a história do Tricolor de Aço - Publicação Oficial 2003
  • Fortaleza: História, tradição e glória - FARIAS, Aírton de Farias e Vagner de Farias, Edições Livro Técnico 2005
  • Fortaleza: História, tradição e glória - Aírton de Farias e Vagner de Farias, Armazém da Cultura 2014
  • Leão 100 Anos - Bruno Balacó - Publicação Oficial 2019

Revistas

  • Revista do Fortaleza - Publicação Oficial Quadriênio 2000/2001/2002/2003
  • Revista Gigante Tricolor - Publicação oficial no começo da década de 1970
  • Revista Super Leão - Publicação Oficial nos meados da década de 1970
  • Revista Tricolor de Aço - Publicação Oficial Triênio 2005/2006/2007
  • Revista Leão 1918 - Publicação Oficial 2019

Documentários

  • Meu Tricolor de Aço (2018)[110]
  • Meu Tricolor de Aço 2 - Um Sonho que Liberta (2022)[111]

Referências

  1. «Castelão volta a ter capacidade máxima após reposição de cadeiras». Diário do Nordeste. 3 de novembro de 2021 
  2. Mota, Alexandre (8 de junho de 2022). «PV tem capacidade maior que seis estádios da Série A e pode ser caldeirão para Ceará e Fortaleza». Diário do Nordeste 
  3. Ribeiro, Afonso (10 de março de 2023). «Fortaleza terá valor recorde de R$ 40 milhões com patrocínio master da Novibet». O Povo 
  4. «Volt Sport é a nova fornecedora de material esportivo do Fortaleza». Lance!. 25 de janeiro de 2023 
  5. «RNC - RANKING NACIONAL DOS CLUBES 2024» (PDF). CBF 
  6. «Maiores torcidas do Brasil». GloboEsporte.com. 19 de julho de 2022. Consultado em 19 de julho de 2022 
  7. «Fortaleza Esporte Clube completa 97 anos - Confederação Brasileira de Futebol». Confereção Brasileira de Futebol 
  8. «A paixão pelo Fortaleza». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  9. a b «brazil-serie-c-fortaleza-mosaico-vs-macae - qoly.jp». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  10. «Maiores rendas do futebol nordestino». Consultado em 27 de dezembro de 2019 
  11. «Fortaleza bate recorde e registra melhor média de público do Nordeste na Série A de pontos corridos». Consultado em 27 de dezembro de 2019 
  12. «Fortaleza termina o ano com a segunda melhor média de público do Brasileirão». Consultado em 27 de dezembro de 2019 
  13. «Torcedor do Fortaleza organiza os melhores mosaicos do futebol brasileiro». Consultado em 1 de julho de 2019 
  14. a b «Embaixada Tricolor em Brasília». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  15. «A pesquisa da vez: Distrito Federal - parte 2 (Novas Regiões Administrativas». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  16. a b «Embaixada Tricolor no Piauí». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  17. «Em 2005, o clube lançou o Embaixada Tricolor». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  18. «Rei da selva». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  19. «Times nordestinos na Time Mania». Consultado em 27 de dezembro de 2019 
  20. «Fortaleza/IFCE (CE) é campeão da Liga Nordeste Feminina». Consultado em 21 de dezembro de 2015 
  21. «Fortaleza/IFCE (CE) campeão da Liga Nordeste Feminina». Consultado em 21 de dezembro de 2015 
  22. Farias & Farias 2014, p. 44–48.
  23. Sena, João Marcelo (2 de janeiro de 2014). «Ao longo de 100 anos, três órgãos comandaram Campeonato Cearense». Ge 
  24. Farias & Farias 2014, p. 62.
  25. Farias & Farias 2014, p. 66.
  26. «Não há Favorito para o Jogo de Amanhã - Foi em 1932 a ultima Vitoria do Ceará contra o Fortaleza."». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  27. «Ceará - 3 x 0 - Depois de sete Anos, foi abatido o <<Fortaleza>>». Consultado em 1 de janeiro de 2015 [ligação inativa]
  28. «DECRETO-LEI N. 3.199 – DE 14 DE ABRIL DE 1941». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  29. «Torneio amanhã no Campo do Fortaleza». Consultado em 1 de janeiro de 2015 [ligação inativa]
  30. «Torneio Roberto Gomes Pedrosa (Robertão) 1968 - Campeonato Brasileiro de Futebol 1968». Quadro de Medalhas. Consultado em 6 de novembro de 2020 
  31. «No rastro de Caiçara». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  32. «Ainda é possível fazer mais». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  33. a b «Discos do Brasil». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  34. «1974: Com gramado pesado, Leão consegue vitória com placar mínimo». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  35. «Uma das maiores conquistas do Tricolor de Aço». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  36. «Série B de 2002». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  37. «Clássico-Rei IV: a história em 535 jogos». Consultado em 1 de janeiro de 2015. Arquivado do original em 1 de agosto de 2013 
  38. «D N». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  39. «Fortaleza conquista tetracampeonato». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  40. «Lédio Carmona - Deu Fortaleza!». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  41. «Acirrada e histórica: Fortaleza terá 1ª eleição direta nesta segunda-feira». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  42. «Corrida pelo voto». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  43. «Leão com quatro destinos». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  44. «Democracia e Jorge Mota triunfam». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  45. «Jorge Mota eleito presidente para o Biênio 2015/2016». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  46. «Contra o rebaixamento, Fortaleza precisa de feito inédito na Série A». ge.com. 25 de julho de 2022. Consultado em 28 de outubro de 2023 
  47. «Da estreia ao penta: como foi a campanha do Fortaleza no estadual». ge.com. 8 de abril de 2023. Consultado em 28 de outubro de 2023 
  48. «Fortaleza levanta 46ª taça pelo Cearense; confira lista de campeões». ge.com. 8 de abril de 2023. Consultado em 28 de outubro de 2023 
  49. «Pikachu e Tinga brilham, e Fortaleza é o 1º nordestino em uma final de Sul-Americana». ge.com. 3 de outubro de 2023. Consultado em 28 de outubro de 2023 
  50. «Não deu pro Laion». ge.com. 28 de outubro de 2023. Consultado em 28 de outubro de 2023 
  51. «Em dois anos, Vojvoda venceu 22 dos 23 clubes que enfrentou na Série A». O Povo. Consultado em 16 de novembro de 2022 
  52. «Fortaleza quer jogos no Alcides Santos». Diário do Nordeste. 13 de fevereiro de 2008 
  53. Bezerra, Ivan (21 de novembro de 2012). «Xodó da torcida leonina, Alcides Santos será Centro de Excelência». Diário do Nordeste 
  54. a b Bezerra, Ivan (13 de fevereiro de 2019). «Sede do Fortaleza está em obras». Diário do Nordeste 
  55. «Pici é cinquentão». Diário do Nordeste. 22 de junho de 2012. Consultado em 13 de agosto de 2019 
  56. «Sede do Pici está se tornando o Centro de Excelência do Fortaleza; veja como estão as obras». Diário do Nordeste. 21 de dezembro de 2019 
  57. Mota, Lucas (26 de maio de 2021). «Fortaleza inaugura novo espaço para recuperação de jogadores no Centro de Excelência». O Povo 
  58. «Centro de Treinamento Ribamar Bezerra recebe quarto campo». O Estado. 4 de agosto de 2011 
  59. «Fortaleza reinaugura um dos seis campos no CT Ribamar Bezerra». Fortaleza Esporte Clube. 14 de maio de 2021 
  60. «Fortaleza aprova mudança de escudo, que terá apenas estrelas de títulos nacionais». O Povo. 23 de dezembro de 2018 
  61. Laprovitera, Luca (30 de maio de 2018). «Leão, um apelido que virou mascote tricolor». Bora Leão 
  62. Farias & Farias 2014, p. 91.
  63. Rodrigues, Luciano (18 de outubro de 2020). «Stella: nova mascote do Fortaleza ganha nome de clube extinto de 1915; conheça história». Ge 
  64. «O crescimento da Torcida Tricolor». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  65. «FAF e MORENA fazem a guerra nos bastidores». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  66. «FCF homenageia torcedoras de Ceará e Fortaleza em alusão ao Dia da Mulher». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  67. «primeira mulher a presidir uma torcida organizada.». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  68. «I Seminário de Futebol Feminino reuniu nomes do esporte cearense, em auditório da UFC». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  69. «Paixão entre irmãos». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  70. «Filho de Vovô... Leão é». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  71. «Pai e filho presidiram Ceará e Fortaleza». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  72. «Rei da selva - A maior torcida organizada de Boa Vista-RR é do Fortaleza. Isso mesmo, o Leão do Pici». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  73. «Em Fortaleza, jogo sub-17 teve público de mais de três mil torcedores». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  74. «Torcida tão leal». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  75. «Seleção realiza treino aberto ao público em Goiânia». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  76. http://globoesporte.globo.com/futebol/noticia/2012/12/corinthians-tem-melhor-media-de-publico-de-todas-divisoes-em-2012.html
  77. «A paixão pelo Fortaleza». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  78. «Veja o ranking de média de público dos 100 clubes das Séries A, B, C e D em 2015». Consultado em 21 de dezembro de 2015 
  79. globoesporte.com. «Torcida do Fortaleza lota o Castelão e bate recorde de público de 2016» 
  80. «Maior renda da história do futebol cearense». Consultado em 17 de Outubro de 2015 
  81. «PERGUNTAS FREQUENTES». Leão Transparente 
  82. «Fortaleza SAF: Conselho Deliberativo autoriza convocação de sócios para decidir». Ge. 16 de setembro de 2023 
  83. a b Carvalho, Beatriz; Jorge, Thaís (23 de setembro de 2023). «SAF do Fortaleza é aprovada com 1195 votos». Ge 
  84. «Marcelo Paz é reeleito presidente do Fortaleza até 2024». Ge. 12 de dezembro de 2021 
  85. «SAF Fortaleza: Marcelo Paz aguarda empossamento do Conselho de Administração para virar CEO». O Povo. 25 de setembro de 2023. Consultado em 25 de setembro de 2023 
  86. Rebouças, Brenno (8 de dezembro de 2023). «Marcelo Paz e Geraldo Luciano renunciam presidência do Fortaleza para integrar SAF». Diário do Nordeste 
  87. Moura, Mateus (28 de dezembro de 2023). «Geraldo Luciano renuncia à presidência do Conselho de Administração da SAF do Fortaleza». O Povo 
  88. «Alex Santiago assume como novo presidente do Fortaleza; conheça nova composição». Opinião CE. 15 de dezembro de 2023 
  89. «IFFHS MEN'S CLUB WORLD RANKING 2023 at OCTOBER 31». IFFHS. 10 de novembro de 2023. Consultado em 11 de novembro de 2023 
  90. «Os campeões do Nordeste e a antiga discussão sobre a chancela dos títulos». Blog de Esportes. Consultado em 13 de janeiro de 2018 
  91. Fortaleza é o vencedor do Torneio Início
  92. «Só sete toques na bola, e ovacionado mesmo assim: Garrincha no Fortaleza». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  93. «Garrincha confirma no Rio: "VESTIREI A Nº 7 DO FORTALEZA"». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  94. «O dia em que Garrincha atuou no Fortaleza». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  95. «Federação Cearense de Futebol». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  96. «Programa Revista Tricolor». Consultado em 1 de janeiro de 2015 [ligação inativa]
  97. «Fortaleza conquista título de torneio internacional de beach soccer nos Estados Unidos». Consultado em 12 de janeiro de 2018 
  98. «Debuta o Futsal Tricolor». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  99. «Mulher nota 10'». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  100. «Rony Jason ganha patrocínio do Fortaleza e vira garoto-propaganda». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  101. «Rony Jason põe escudo do Fortaleza na máscara e defende 'futebol e MMA'». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  102. «Números e fatos do tricolor de Aço». Consultado em 29 de outubro de 2021 
  103. «Uma história de misses». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  104. «Elenco e comissão técnica». Fortaleza Esporte Clube. Consultado em 23 de fevereiro de 2024 
  105. «IFFHS: Brasil domina topo da América do Sul no século, mas Boca lidera». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  106. «Timemania - Colocação dos times em 2013». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  107. «Fortaleza, c'est l'autre équipe de France». Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  108. «IFFHS MEN'S CLUB WORLD RANKING 2023 at OCTOBER 31». IFFHS. 10 de novembro de 2023. Consultado em 11 de novembro de 2023 
  109. «Livro Ilustrado 100 anos do Fortaleza Esporte Clube». Consultado em 10 de novembro de 2018 
  110. «Meu Tricolor de Aço». Estação Luz Filmes 
  111. «Meu Tricolor de Aço 2». Estação Luz Filmes 

Bibliografia

  • Farias, Airton de; Farias, Vagner de (2014). Pontes, Albanisa Lúcia Dummar, ed. Fortaleza: História, Tradição e Glória. Fortaleza: Armazém da Cultura. 200 páginas. ISBN 9788563171863 

Ligações externas

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Wikiquote Categoria no Wikiquote
Commons Imagens e media no Commons
Commons Categoria no Commons
Wikinotícias Categoria no Wikinotícias