Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino - Série A2

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Campeonato Brasileiro Feminino - Série A2
Dados gerais
Organização Confederação Brasileira de Futebol
Edições 6
Local de disputa Brasil
Número de equipes 16
Sistema misto
Soccerball current event.svg Edição atual
editar

A Série A2 do Campeonato Brasileiro Feminino é uma competição de futebol feminino, equivalente à segunda divisão do campeonato nacional, organizada pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Desde a primeira edição, em 2017, a competição é realizada em formato misto, composta por fases de grupos e partidas eliminatórias. No entanto, o formato sofreu algumas mudanças ao longo dos anos em decorrência da variação do número de datas e participantes. Na edição mais recente, foi disputada por 16 clubes.

Em seis edições realizadas, a competição teve seis campeões diferentes, sendo que todas as regiões já tiveram pelo menos um representante vitorioso.

História[editar | editar código-fonte]

O campeonato foi instituído em 2017[1] e teve o Pinheirense como primeiro campeão.[2][3] Na ocasião, o clube do Pará ficou com o título ao ser beneficiado pela regra do gol qualificado.[3] Em 2018, o Minas Brasília saiu vitorioso da decisão por pênaltis contra o Vitória.[4]

No ano de 2019, entrou em vigor as exigências de CBF e Confederação Sul-Americana de Futebol.[5][6] Dessa forma, o número de participantes aumentou significativamente e um novo formato foi adotado.[7] O São Paulo consagrou-se campeão contra o Cruzeiro (5–1 no placar agregado).[8][9] Além dos finalistas, Grêmio e Palmeiras também garantiram o acesso para a primeira divisão.[10] Nos dois anos seguintes, a competição foi vencida por Napoli[11][12] e Red Bull Bragantino.[13]

Em 2022, a CBF criou a terceira divisão e o sistema de qualificação foi readequado. Naquele ano, 16 clubes participaram e o título ficou com o Ceará.[14]

Formato[editar | editar código-fonte]

Desde a primeira edição, em 2017, a competição foi disputada em formato misto: com fases de grupos e partidas eliminatórias. Para a primeira edição, dois grupos de oito clubes foram formados, com os dois melhores de cada se classificando para as semifinais.[15] O regulamento, inclusive, permaneceu semelhante em 2018, com exceção de uma fase eliminatória inicial.[16]

Em 2019, a CBF aumento o número de participantes para 36, sendo os 27 campeões estaduais, os dois rebaixados da Série A1 de 2018 e os sete melhores do ranking da CBF.[17] Os clubes foram divididos em seis grupos. Na primeira fase, após cinco rodadas, os dois primeiros de cada e os quatro melhores terceiros se classificaram. A partir da segunda fase do torneio, o sistema passou a adotar jogos eliminatórios, com os vencedores dos placares agregados avançando até a final.[18] Este regulamento permaneceu em vigor até 2022,[19][20]

quando a entidade criou a terceira divisão e readequou o sistema de qualificação. Na ocasião, quatro grupos de quatro clubes foram formados na primeira fase, com os dois melhores de cada se classificando para as quartas de final e os quatro últimos gerais rebaixados.[21]

Campeões[editar | editar código-fonte]

Ano Final Semifinalistas
Campeão Placar(es) Vice
2017
Detalhes
Pará
Pinheirense
2 — 1
0 — 1
São Paulo
Portuguesa
Ceará
Caucaia
Piauí
Tiradentes
2018
Detalhes
Distrito Federal (Brasil)
Minas Brasília
2 — 2
0 — 0
4 — 3 (pên.)
Bahia
Vitória
Amazonas
3B da Amazônia
Rio Grande do Sul
Internacional
2019
Detalhes
São Paulo
São Paulo
4 — 0
1 — 1
Minas Gerais
Cruzeiro
Rio Grande do Sul
Grêmio
São Paulo
Palmeiras
2020
Detalhes
Santa Catarina
Napoli
2 — 1
2 — 1
Rio de Janeiro
Botafogo
Bahia
Bahia
Distrito Federal (Brasil)
Real Brasília
2021
Detalhes
São Paulo
Red Bull Bragantino
0 — 0
0 — 0
4 — 2 (pên.)
Minas Gerais
Atlético Mineiro
Distrito Federal (Brasil)
CRESSPOM
Pará
ESMAC
2022
Detalhes
Ceará
Ceará
0 — 2
2 — 0
3 — 1 (pên.)
Paraná
Athletico Paranaense
Bahia
Bahia
Rondônia
Real Ariquemes

Títulos por clube[editar código-fonte]

Pos Clube Títulos Vices Semifinais
1.º Ceará Ceará 1
Distrito Federal (Brasil) Minas Brasília 1
Santa Catarina Napoli 1
Pará Pinheirense 1
São Paulo Red Bull Bragantino 1
São Paulo São Paulo 1
7.º Paraná Athletico Paranaense 1
Minas Gerais Atlético Mineiro 1
Rio de Janeiro Botafogo 1
Minas Gerais Cruzeiro 1
São Paulo Portuguesa 1
Bahia Vitória 1
13.º Bahia Bahia 2
14.º Amazonas 3B da Amazônia 1
Ceará Caucaia 1
Distrito Federal (Brasil) CRESSPOM 1
Pará ESMAC 1
Rio Grande do Sul Grêmio 1
Rio Grande do Sul Internacional 1
São Paulo Palmeiras 1
Rondônia Real Ariquemes 1
Distrito Federal (Brasil) Real Brasília 1
Piauí Tiradentes-PI 1

Títulos por federação[editar código-fonte]

Pos Federação Títulos Vices Semifinais
1.º  São Paulo 2 1 1
2.º  Distrito Federal 1 2
3.º  Ceará 1 1
 Pará 1 1
5.º  Santa Catarina 1
6.º  Minas Gerais 2
7.º  Bahia 1 2
8.º  Paraná 1
 Rio de Janeiro 1
10.º  Rio Grande do Sul 2
11.º  Amazonas 1
 Piauí 1
 Rondônia 1

Títulos por região[editar código-fonte]

Pos Federação Títulos Vices Semifinais
1.º Sudeste 2 4 1
2.º Nordeste 1 1 4
3.º Sul 1 1 2
4.º Centro-Oeste 1 2
5.º Norte 1 3

Referências

  1. Camila Alves (1 de novembro de 2016). «CBF anuncia Brasileiro de Futebol Feminino 2017 com duas divisões e custeado pela entidade». Superesportes. Consultado em 26 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 26 de outubro de 2022 
  2. «Pinheirense é o campeão Brasileiro Feminino A-2». Confederação Brasileira de Futebol. 26 de julho de 2017. Consultado em 11 de junho de 2021. Cópia arquivada em 25 de abril de 2019 
  3. a b «Pinheirense perde para Portuguesa por 1 a 0, mas leva o título da Série A2». GloboEsporte.com. 26 de julho de 2017. Consultado em 22 de janeiro de 2023. Cópia arquivada em 2 de setembro de 2017 
  4. «Minas Icesp é campeão brasileiro de futebol feminino pela série A-2». TV Brasil. 12 de julho de 2018. Consultado em 31 de maio de 2021. Cópia arquivada em 14 de julho de 2018 
  5. «Será que agora vai?». UOL. Consultado em 31 de maio de 2021. Cópia arquivada em 29 de abril de 2021 
  6. «Brasileirão feminino começa com novidades e favoritos buscam primeiro bi do torneio». Superesportes. 15 de março de 2019. Consultado em 20 de novembro de 2022. Cópia arquivada em 3 de abril de 2019 
  7. «CBF divulga os grupos e tabela do Brasileirão Feminino A2 2019». O Curioso do Futebol. 27 de fevereiro de 2019. Consultado em 20 de novembro de 2022. Cópia arquivada em 5 de agosto de 2020 
  8. «São Paulo empata com Cruzeiro e é campeão brasileiro feminino da Série A2». Gazeta Esportiva. 25 de agosto de 2019. Consultado em 31 de maio de 2021. Cópia arquivada em 31 de maio de 2021 
  9. «São Paulo empata com Cruzeiro e conquista Brasileiro A2 feminino». UOL. 25 de agosto de 2019. Consultado em 31 de maio de 2021. Cópia arquivada em 31 de maio de 2021 
  10. «São Paulo, Palmeiras, Grêmio e Cruzeiro garantem vaga na série A1 do Campeonato Brasileiro Feminino de 2020». Terra. 26 de julho de 2019. Consultado em 11 de junho de 2021. Cópia arquivada em 2 de junho de 2021 
  11. «Napoli derrota o Botafogo no Rio de Janeiro e é campeão do Brasileirão Feminino Série A2». GloboEsporte.com. 31 de janeiro de 2021. Consultado em 25 de maio de 2021. Cópia arquivada em 13 de fevereiro de 2021 
  12. Juliano Justo (31 de janeiro de 2021). «Brasileiro Feminino: Napoli-SC vence Botafogo de novo e conquista A-2». Agência Brasil. Consultado em 25 de maio de 2021. Cópia arquivada em 18 de abril de 2021 
  13. «Bragantino conquista Série A2 do Brasileiro Feminino». Agência Brasil. 7 de setembro de 2021. Consultado em 8 de setembro de 2021. Cópia arquivada em 7 de setembro de 2021 
  14. Pedro Mairton (17 de setembro de 2022). «Goleira Thaís Helena agradece apoio da torcida e desabafa: "Somos necessárias também"». O Povo. Consultado em 25 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 17 de setembro de 2022 
  15. «Regulamento Específico da Competição Campeonato Brasileiro Feminino A-2 de 2017» (PDF). Confederação Brasileira de Futebol. Consultado em 23 de janeiro de 2023. Cópia arquivada (PDF) em 28 de outubro de 2021 
  16. «Feminino A-2: tabela básica e regulamento 2018». Confederação Brasileira de Futebol. 7 de fevereiro de 2018. Consultado em 31 de maio de 2021. Cópia arquivada em 14 de julho de 2018 
  17. Igor Siqueira (14 de janeiro de 2019). «CBF aumenta calendário do futebol feminino e cria competição de base». O Globo. Consultado em 31 de maio de 2021. Cópia arquivada em 8 de agosto de 2020. (pede subscrição (ajuda)) 
  18. «Campeonato Brasileiro Feminino A-2 2019: documentos técnicos e tabela». Confederação Brasileira de Futebol. 28 de fevereiro de 2018. Consultado em 31 de maio de 2021. Cópia arquivada em 28 de novembro de 2020 
  19. «CBF publica calendário exclusivo do futebol feminino de 2020». Confederação Brasileira de Futebol. 20 de novembro de 2019. Consultado em 25 de maio de 2021. Cópia arquivada em 25 de maio de 2021 
  20. «CBF divulga tabela detalhada do Brasileiro Feminino A-2 2021». Website oficial da Confederação Brasileira de Futebol. 3 de maio de 2021. Consultado em 14 de junho de 2021. Cópia arquivada em 12 de junho de 2021 
  21. «Regulamento Específico da Competição Campeonato Brasileiro Feminino Binance A2 – 2022» (PDF). Confederação Brasileira de Futebol. Consultado em 26 de outubro de 2022. Cópia arquivada (PDF) em 19 de junho de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]