Posições no futebol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
As quatro principais regiões do futebol.
Um campo de futebol mostrando todas as posições

As posições no futebol designam os jogadores a realizar uma determinada função no campo, buscando explorar as suas principais características, normalmente associada ao esquema táctico utilizado, podendo se dividir em 4 posições base: Guarda-Redes (título em Portugal) ou Goleiro (título no Brasil), Defesa, Médio (título em Portugal) ou Meio-Campo (título no Brasil) e Avançado (título em Portugal) ou Ataque (título no Brasil) [1].

Guarda-Redes (título em Portugal) ou Goleiro (título no Brasil)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Guarda-Redes

O guarda-redes é o único jogador em campo que pode tocar a bola com as mãos e agarrá-la, desde que esteja dentro dos limites da "grande área". O seu objectivo é evitar os golos adversários. Geralmente recebem a camisa 1 mas se for o goleiro reserva recebe o numero 12. Deles são exigidos reflexos apurados e grande flexibilidade [1].

Posições de defesa[editar | editar código-fonte]

A defesa é a linha imediatamente a seguir ao guarda-redes e tem 3 sub-posições [1].

Central (título em Portugal) ou Zagueiro (título no Brasil)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: central

O zagueiro que dependendo da formação podem ser vários, ocupa a região da grande área defensiva. Grande parte dos zagueiros costumam ser altos, o que lhes permite cabecear as bolas alçadas contra a área. Contudo, centrais de baixa estatura e com boa técnica são frequentemente vistos em actuação. Nesta posição, costuma-se ver jogadores com grande força e resistência em detrimento das técnicas de drible, típicas de jogadores mais ofensivos, já que a sua função é primariamente a de bloquear as proximidades da grande área mesmo em frente ao gol.

Laterais (direitos/esquerdos)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Lateral (futebol)

Os laterais são jogadores que actuam pelas laterais do campo e assim estabelecendo a ligação entre a defesa e o meio de campo. Eles são, geralmente os números 2 e 6 são os escolhidos para esta posição, são jogadores de grande velocidade e resistência pois têm a missão de apoiar o ataque por uma das faixas laterais em todo o campo para além de realizarem cruzamentos e até mesmo de tentarem a finalização. A estes, cabe também a função de defender os avanços adversários pelos lados.

Líbero[editar | editar código-fonte]

O líbero normalmente joga atrás da linha dos centrais. Sem a posse de bola, joga como zagueiro e sua principal função é defender. Quando o time recupera a posse, tem liberdade para correr todo o campo, tendo como função auxiliar o time na armação das jogadas e não apenas defender.

Exemplos de grandes líberos: Franz Beckenbauer, Franco Baresi, Matthias Sammer...

Posições do meio-campo[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Meio-campo

A seguir à linha defensiva, temos o setor intermediário onde jogam os médios divididos em 6 sub-posições [1].

Médio Defensivo ou Trinco (título em Portugal) ou Volante ou Cabeça de área (título no Brasil)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Médio Defensivo

A posição do volante, trinco ou médio defensivo tem a missão de fazer a ligação entre a defesa e o ataque, é inserido ora no grupo defensivo, ora no grupo do meio-campo, já que faz a "ponte" entre ambos, participando ativamente em ambos papéis. Funciona como o responsável pela marcação dos meias de ligação do adversário, anulando as jogadas ofensivas contra sua equipe, e como um distribuidor do jogo de contra-ataque. Deve ser um jogador com boa capacidade de marcação mas com algumas qualidades ofensivas, para partir para o contra-ataque. No futebol brasileiro, a posição é dividida entre o primeiro e o segundo volante. O 1º volante é aquele jogador que fica mais "plantado" na frente da área, protegendo os centrais. Normalmente os técnicos utilizam o 1º volante para marcar o camisa 10 do adversário. Ele é o principal responsável pela marcação no meio-campo. O 2º volante é o responsável de fazer a saída de bola da equipe. Ele joga mais avançado que o 1º volante. Em algumas equipes, o 2º volante chega ao ataque para finalizar, como elemento surpresa. Ele tem as funções de marcação e armação das jogadas. Normalmente é um jogador de boa qualidade técnica. Ainda, aquele que ocupa a frente dos centrais (1º volante) é chamado cabeça de área podendo ser considerado como um central em caso de suspensão ou lesão de um deles.

Médio Ala (título em Portugal) ou Alas (título no Brasil) (direitos/esquerdos)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Ala (futebol)

Os alas nada mais são do que os laterais transportado para o meio-campo, sendo portanto mais livre para atacar. Aparece geralmente em formações com três centrais. É muito similar ao lateral, e muitos laterais já jogaram como alas, e vice-versa.

Médio Atacante, Médio ou Médio-centro (título em Portugal) ou Meia-armador, Meia de ligação ou Apoiador (título no Brasil)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Médio Atacante

O meia-armador ou meia de ligação são considerados os jogadores mais importantes de uma equipe, já que são responsáveis pela criação de lances ofensivos das equipes. Geralmente, os jogadores desta posição recebem a camisa 10, mas, devido ao numeração fixa em alguns países, esta prática vem se dissipando. Diferencia-se dos médios defensivos por ter o costume de avançar sobre a defesa adversária. Tem como características gerais o passe, a habilidade com a bola, capacidade de driblar e, em alguns casos, um bom chute à distancia; esse é o médio atacante. Exemplos de grandes meia armadores: Rivellino, Gerson, Zico, Zenon, etc.

Médio Centro[editar | editar código-fonte]

São os jogadores da zona central do terreno de jogo, actuam tanto no ataque como na defesa, mas costumam ficar mais fixos no centro. Podem tanto ajudar bastante a defesa, como preparar o contra-ataque [1].

Meio-campista Lateral, direito ou esquerdo (no Brasil)[editar | editar código-fonte]

O meio-campista lateral é comum na adopção de esquemas que se utilizam de uma linha de jogadores no meio, criado na Europa no início do século XX. Ligam pelos lados os defesas laterais e com o trinco, permitindo a progressão lateral do jogo rumo ao ataque. Assim, os médios-laterais percorrem frequentemente cerca de dois terços do campo e constituem uma peça fundamental do jogo ofensivo. Os meias-laterais costumam ser rápidos, ter uma forte arrancada (aceleração) e, também, bom drible, além de ter que realizar cruzamentos e remates a gol. São uma espécie de ala desempenhado por jogadores mais habilidosos, normalmente, capazes de desempenhar funções de ataque pelo meio-campo e sem ter grande técnica de marcação. No futebol moderno, é necessário que estes jogadores recuem no terreno para ajudar a defender.

Meia-atacante, Meia Ofensivo ou Médio Ofensivo (no Brasil)[editar | editar código-fonte]

Numa posição intermediária entre o meio-campo e o ataque, encontram-se os meias-atacantes. Ao contrário dos armadores, cuja função principal é criação, o meia-atacante divide entre criação e ataque com mais efetividade, uma vez que atuam mais próximos aos atacantes. Também costumam receber a camisa 10. Acredita-se que esta posição foi desenvolvida na Itália, onde recebe o nome de trequartista. Na Argentina, é conhecido como enganche. São representados nos esquemas táticos pelo "1", antes dos atacantes, como em 4-3-1-2, sendo assim chamado vulgarmente no Brasil também como o um.

Posições de ataque[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Atacante (futebol)

Nos avançados encontram-se 3 sub-posições [1].

Avançado Lateral ou Extremo (título em Portugal) ou Ponta (título no Brasil)[editar | editar código-fonte]

Também conhecido por ponta, é o atacante que se movimenta mais, normalmente abrindo para as pontas do campo, para puxar a marcação ou para buscar o jogo no meio de campo, quando a marcação da defesa é mais forte. Também pode se manifestar na lateral e no centro do campo. Há o ponta direita e o ponta esquerda. Exemplos de grandes pontas: Sócrates (ponta-direita), Eder (ponta-esquerda), Garrincha(ponta-direita)

Segundo Avançado (título em Portugal) ou Segundo Atacante (título no Brasil)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Segundo avançado

Os segundo atacantes, ou segundo avançados, são os atacantes que tipicamente manipulam e culminam a jogada. São os avançados que se movem pelo gramado, buscando possibilidades de penetrar à defesa. Tem como características a velocidade, o domínio de bola, o drible, o passe, a finalização e também o cruzamento, apesar de que em muitos casos, são raros os jogadores que dominam todos esses aspectos. Este é o atacante que, em algumas situações, pode voltar para ajudar na marcação.

A função do segundo avançado é penetrar a defesa movendo a bola se possível chutando de fora da área.

Ponta de Lança ou Avançado-centro (título em Portugal) ou Centroavante (título no Brasil)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Ponta de Lança

O ponta de lança é o jogador que recebe a função de finalizar as jogadas, isto é, marcar os gols. Este jogador costuma não se movimentar muito, ficando muitas vezes isolado no ataque com os centrais e guarda-redes adversários. As suas características de jogo são o chute, o cabeceio e a colocação dentro de área. Geralmente, este jogador recebe a camisa 9. Numa distribuição abrangente do jogo, a área de mobilidade ronda a meia-lua e "grande área" do adversário.

Falso 9[editar | editar código-fonte]

O falso 9 é o centroavante que sai da área, confundindo a marcação, e abrindo espaços para jogadores que venham de trás[carece de fontes?].

Referências

  1. a b c d e f «As posições». Maia digital. Consultado em 15 de outubro de 2011  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)