Gol contra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O gol contra (português brasileiro) ou autogolo (português europeu) é um lance do futebol no qual um jogador faz a bola entrar no gol de sua própria equipe, resultando em gol para a equipe adversária. O gol contra normalmente estigmatiza o seu marcador, em função do prejuízo à sua equipe.

Normalmente, um gol contra acontece quando um defensor próximo à pequena área (ou mesmo dentro dela) chuta uma bola perigosa para o primeiro lado que conseguir e acerta o próprio gol. Entretanto, nada impede que gols contra possam ser marcados pelo goleiro ou por jogadores em outras posições.

Marcar um gol contra também tornou-se uma metáfora para qualquer ação que prejudique o seu autor.

Gols contra célebres[editar | editar código-fonte]

Gols contra propositais[editar | editar código-fonte]

  • 1994 - Partida entre Barbados e Granada, válida pela Copa do Caribe, em 1994 - Devido ao regulamento, que favorecia o gol na prorrogação (o gol na prorrogação valia 2), a equipe de Barbados, precisando vencer por 2 gols de diferença, fez um gol contra ao final do jogo para empatar o jogo em 2x2 e levar a mesma para a prorrogação. O gol feito aos 7min da prorrogação valeu por 2, e a classificação da equipe a Segunda Fase.[4][5]
  • 1998 - Tailândia 3–2 Indonésia (Tiger Cup de 1998): um jogador indonésio fez o terceiro gol tailandês, para evitar um confronto contra o Vietnã, na semi-final da competição.[6]
  • 2002 — Em 31 de outubro, um recorde de gols contra ganhou as manchetes mundiais em Madagáscar. SOE Antananarivo e AS Adema protagonizaram um jogo fora do comum, pois o time de Antananarivo marcou 149 gols - todos a favor do Adema. O ato foi um protesto dos jogadores do SOE em relação às arbitragens que prejudicariam a equipe, que pagou pela atitude: foi suspensa de qualquer competição a partir daquela data.

Referências

  1. «Gols contra de Goeber ajudam Botafogo a golear Cabofriense». gazetaesportiva.net. 23 de janeiro de 2011 
  2. «Stoke 0-4 Chelsea» (em inglês). bbc.co.uk. 12 de janeiro de 2013 
  3. http://esportes.terra.com.br/futebol/copa-2014/benzema-marca-dois-tecnologia-da-linha-de-gol-e-usada-e-franca-vence-na-estreia,93a3a777671a6410VgnCLD200000b2bf46d0RCRD.html
  4. «Who are the greatest runners up?». The Guardian. May 24, 2011. Consultado em March 22, 2012  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  5. Gardiner, Simon (2005). Sports Law. London: Routledge Cavendish. pp. 73–74. ISBN 1-85941-894-5  Verifique data em: |acessodata= (ajuda);
  6. healthcare.reachinformation.com/