Sociedade Esportiva e Recreativa Caxias do Sul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
S.E.R. Caxias
Nome Sociedade Esportiva e Recreativa Caxias do Sul
Alcunhas Grená do Povo
Grená da Serra
Grená de Caxias do Sul
Maior do Interior
Sangue Grená
Torcedor(a)/Adepto(a) Grená
Caxiense
Mascote Bepe (italiano)[1]
Falcão Grená[1]
Principal rival Juventude
Fundação 10 de abril de 1935 (89 anos)[2]
Estádio Centenário[3]
Capacidade 22.132 pessoas
Localização Caxias do Sul, Rio Grande do Sul, Brasil
Presidente Mario Antonio Werlang[4]
Treinador(a) Argel Fuchs
Patrocinador(a) Banrisul
Tecnofrio
Rede SIM
Charrua
Vinhedos Papéis
Randoncorp
Círculo Saúde
BETesporte
Maltec
Bib’s
RDimer
Material (d)esportivo Bravo35 (marca própria)
Competição Gauchão - Série A
Brasileirão - Série C
Copa do Brasil
Ranking nacional Baixa (4) 74º lugar, 1,099 pontos[5]
Website sercaxias.com.br
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo

A Sociedade Esportiva e Recreativa Caxias do Sul é um clube do futebol brasileiro, sediado na cidade de Caxias do Sul, no estado do Rio Grande do Sul, é conhecido por S.E.R. Caxias, Grená do Povo, ou simplesmente Caxias. Seu uniforme é composto de camisa grená e azul, com calção e meias grenás e brancas, e seu mascote é Bepe, o italiano, que representa o povo que colonizou a Serra Gaúcha, atuando em estádio próprio, o Estádio Francisco Stédile, mais conhecido como Centenário. O título mais relevante da história do Caxias foi a conquista do Campeonato Gaúcho de 2000, tendo sido ainda vice-campeão da principal competição estadual por quatro vezes, campeão gaúcho do interior em 12 ocasiões, conquistando ainda três copas organizadas pela Federação Gaúcha de Futebol.[6]

O "Grená do Povo" foi o primeiro clube do interior do Rio Grande do Sul a disputar o Campeonato Brasileiro, o que ocorreu em 1976, quando foi o 15º colocado entre 54 participantes, bem como o primeiro clube do interior gaúcho a disputar a Copa do Brasil, isso em 1991. A sua campanha nacional mais destacada foi o décimo lugar no Campeonato Brasileiro de 1978, competição disputada por 78 clubes.[7] Sua torcida está entre as maiores do interior do Rio Grande do Sul. Realiza o clássico Ca-Ju contra o seu arquirrival Juventude, sendo essa para muitos a segunda rivalidade mais importante do futebol gaúcho, perdendo somente para o Grenal, tratando-se também essas duas agremiações, os clubes de fora da área metropolitana de Porto Alegre com mais participações no Campeonato Gaúcho.

História[editar | editar código-fonte]

O início[editar | editar código-fonte]

O Caxias foi fundado em 10 de abril de 1935, numa fusão dos clubes Rio Branco e Ruy Barbosa, com o nome de Grêmio Esportivo Flamengo.[8]

As circunstâncias que envolveram o surgimento do Grêmio Esportivo Flamengo, (atual Sociedade Esportiva e Recreativa Caxias do Sul) estão diretamente ligadas ao seu mais tradicional rival. Germano Pisani, presidente do Rio Branco, procurou o presidente do Ruy Barbosa, Silvio Toigo e propôs uma fusão entre os clubes. A primeira diretoria do Grêmio Esportivo Flamengo:

  • Presidente: Sílvio Toigo
  • 1º Vice-Presidente: Bôrtolo Facchin
  • 2º Vice-Presidente: Germano Pisani
  • 1º Secretário: Alfredo Caberlon
  • 2º Secretário: Mário Menegaz
  • 1º Tesoureiro: Guerino Bedin
  • 2º Tesoureiro: Ítalo Bertuzzi

Em 1947, o Caxias foi campeão do Citadino de Caxias do Sul, em cima do Juventude em jogo emocionante na qual todos os jogadores e dirigentes se recordam muito bem. Humilharam o Caxias dizendo que a equipe iria ser derrotada com a mão nas costas, e ouvindo isso os jogadores ficaram enfurecidos e partiram a campo, determinados a vencer e foi isso o que aconteceu. O clube voltou a vencer o citadino no ano seguinte e em 1953.

No ano de 1951, foi inaugurada a Baixada Rubra (hoje o Centenário) e com o passar dos anos, novas obras foram sendo acrescidas. O cercamento do campo com tela - uma novidade, porque até então só existia o parapeito, de madeira, - a construção das primeiras arquibancadas.

Na década de 1960 o clube teve apenas um título de destaque, o Campeonato Metropolitano de Porto Alegre. O grande marco da década foi a excursão do clube à Argentina, feita em um DC-3, direto a Buenos Aires. No país vizinho o Flamengo enfrentou o Gimnasia y Esgrima La Plata, um dos grandes clubes do futebol argentino, dentre outras equipes de menor expressão, terminou a campanha de forma invicta com 12 jogos (9 vitórias e três empates), conquistando o título honorário Fita Azul Internacional, concedido pela CBD, atual CBF, a equipes que se destacavam em excursões ao exterior.[9][10]

Diante de uma crise financeira, o Flamengo uniu-se ao seu maior rival, o Juventude, originando, no dia 14 de dezembro de 1971, a Associação Caxias de Futebol. A entidade, que usava uniforme nas cores preto e branco, teve Cláudio Eberle como seu primeiro presidente. Quatro anos depois, o Juventude desfez a sociedade e voltou ao futebol. O Flamengo continuou como Caxias, mas com o nome de Sociedade Esportiva e Recreativa Caxias do Sul e com o uniforme grená, azul e branco.[11]

Em 1972, ocorreu em Caxias do Sul a primeira partida de futebol transmitida ao vivo pela televisão e, consequentemente, foi o primeiro evento transmitido em cores para todo o Brasil. O jogo foi entre a Associação Caxias de Futebol e o Grêmio. O resultado do jogo foi 0 a 0, com péssimo futebol apresentado por ambas as equipes..[12]

A estreia no cenário nacional[editar | editar código-fonte]

Estádio Centenário, construído para o Caxias disputar o Campeonato Brasileiro.

No Campeonato Brasileiro de 1976 o Caxias, estreou perdendo para o Santos por 2 a 1, o Caxias terminou em 15º lugar, somando 25 pontos. No ano seguinte, o time grená voltou a ter um bom rendimento, ficando em 23º lugar com 16 pontos entre 62 equipes. Em 1978, o Caxias teve seu melhor desempenho no campeonato nacional, numa competição que reunia 74 equipes, o Caxias ficou com a 10º colocação, com 35 pontos, e por pouco não chegou as quartas-de-finais daquela competição.

Já em 1979 a situação foi diferente o Caxias fez sua pior campanha, o campeonato também teve a presença de outros clubes do estado, como Novo Hamburgo, São Paulo-RS de Rio Grande, Brasil de Pelotas e Juventude. Entre 96 equipes o Caxias ficou em 65º lugar.

O Caxias disputou sua primeira Copa do Brasil em 1991, novamente o primeiro clube do interior do Rio Grande do Sul a realizar tal fato. Passou pelo XV de Piracicaba na primeira fase, mas acabou eliminado pelo Goiás na segunda fase.

No dia 24 de janeiro de 1998, o Caxias fez um amistoso contra a Seleção da Jamaica, uma das seleções classificadas para a Copa do Mundo da França em 1998. O resultado do jogo foi 1 a 0 para o Caxias.

Conquistas relevantes[editar | editar código-fonte]

Washington, um dos maiores ídolos do Caxias.

Foi em 2000 que o Caxias brilhou após conquistar seu primeiro estadual, vencendo as maiores equipes do estado. Após fazer 3 a 0 no Grêmio em casa e empatar fora, com uma brilhante defesa de penalidade batida por Ronaldinho Gaúcho e defendida por Gilmar, decretou a explosão de alegria grená em pleno Olímpico.[13]

Em 2001, o Caxias chegou bem perto de retornar para a 1a Divisão, terminando em 3º lugar (classificavam-se 2 clubes) na Série B. Foi desclassificado após jogo tumultuado contra o Figueirense, em Florianópolis (SC), quando a partida terminou antes do tempo regulamentar devido a uma invasão de campo da torcida local.[14]

No ano de aniversário dos 70 anos do clube (em 2005) não houve muito o que comemorar, porque foi rebaixado ao Campeonato Brasileiro Série C em 2006.[15]

Com a conquista da Copa Amoretty em 2007, o Caxias sagrou-se tricampeão de copas organizadas pela Federação Gaúcha de Futebol. O clube havia conquistado antes a Copa Daltro Menezes (1996) e a Copa Ênio Andrade (1998).

A conquista do Tricampeonato da Copa FGF foi dramática, pois o Caxias venceu a primeira partida da final contra o Brasil de Pelotas no Estádio Centenário por 1 a 0[16], perdeu a segunda no estádio do adversário pelo mesmo placar, vindo a conquistar o título após vencer a disputa de pênaltis, por 4 a 2 com os ingressos do Estádio Bento Freitas esgotados um dia antes da partida, mas com cerca de 500 torcedores do Caxias presentes para apoiar o time em Pelotas.[17]

Em 2008, o clube participa da Série C novamente, a meta inicial era garantir vaga na nova Série C de 2009, para depois pensar na vaga para a Série B. A equipe passou da Primeira Fase, mas não da Segunda e perdeu a chance de se classificar na última rodada, o time caxiense tinha que vencer e o Brasil de Pelotas perder. Mas acabou não acontecendo e deixou a vaga para o time pelotense.[18]

Mas a desclassificação não foi ruim para o clube, isso porque fez a 3ª melhor campanha da 2ª Fase, sendo que os quatro melhores se classificavam para a Série C 2009, isso garantiu o Caxias na nova Série C.

Em 2009 a Série C tinha novo regulamento, e o campeonato começava com uma fase de grupos. Nesta fase o Caxias fez boa campanha e se classificou em primeiro no grupo D. Na segunda fase o sistema era de mata-mata e iria decidir quem acessaria a Série B ,para ficar com a vaga o time teria que passar pelo Guaratinguetá,o que não aconteceu pois os resultados foram 2 a 0 para o time do interior de São Paulo e no jogo da volta em Caxias do Sul igualdade pelo placar de 1 a 1, o que decretou a permanência na Série C e o acesso para Série B adiado.[19]

Equipe do Caxias em 2013.

Em 2010 houve possibilidade de enfrentar seu maior rival Juventude pela fase de grupos, mas o Juventude foi rebaixado para a Quarta Divisão e, na Série C, só restaram o Caxias e o Brasil para representar o Rio Grande do Sul.

Em 2012, o Caxias conquistou a Taça Piratini, primeiro turno do Campeonato Gaúcho de Futebol de 2012, classificando-se para disputar a final estadual.[20] No primeiro jogo, em Caxias e conta a equipe do Internacional que vencera o segundo turno, terminou o empate de 1 a 1. No jogo seguinte, no Beira-Rio, o Caxias saiu na frente, porém não conseguiu segurar a equipe colorada que acabou virando o jogo e se sagrando campeã. Apesar disso, a campanha grená foi memorável.[21]

Já na Série C, a campanha grená foi bastante irregular, o que comprometeu a classificação para a fase final. Foram duas derrotas sofridas em pleno Centenário para equipes cariocas que compunham o grupo do Caxias (4 a 0 para o Macaé na 1ª rodada[22] e 1 a 0 para o Duque de Caxias). Na última rodada, a equipe estava no G-4, mas com a derrota sofrida para o Duque fora de casa e a vitória da Chapecoense por 5 a 0 sobre o rebaixado Tupi, selaram a participação do grená em uma próxima edição da terceira divisão.[23]

2015: rebaixamentos no Gauchão e na Série C[editar | editar código-fonte]

Em 2015, após uma campanha péssima no Gauchão, com apenas 3 vitórias em 15 jogos, a equipe termina em 14º lugar e foi rebaixada para a Divisão de Acesso do Campeonato Gaúcho, competição que disputaria em 2016.[24]

No mesmo ano, após uma campanha pífia no Campeonato Brasileiro Série C, acabou rebaixado para o Campeonato Brasileiro Série D de 2016, com duas rodadas de antecedência como lanterna do grupo B.[25]

2016 e 2017: volta por cima[editar | editar código-fonte]

Em 2016, o Caxias teve que colher os maus frutos plantados em 2015 e disputar a Divisão de Acesso do Campeonato Gaúcho, consagrando-se Campeão após uma campanha incrível e garantindo o seu retorno ao Campeonato Gaúcho 2017.[26]

Na Série D, o Caxias classificou-se na fase de grupos heroicamente, pois disputava simultaneamente com o Brasileirão, a Divisão de Acesso. Mas acabou eliminado no mata-mata para a equipe do Inter-SC, faltando apenas uma fase para conseguir o acesso para a Série C.[27]

Na Copa FGF, o Caxias consagrou-se campeão na fase regional, levantando a Copa Larry Pinto de Faria, e está classificado para a Super Copa Gaúcha que acontecerá no mês de novembro.[28] Acabou sendo eliminado pelo Internacional B na semifinal.[29]

No ano de 2017, sem vaga na Série D, o Caxias não disputou nada além do Campeonato Gaúcho, se sagrando Campeão do Interior.[30]

2018-2022: Os fracassos na Serie D[editar | editar código-fonte]

Nos anos de 2018, 2019, 2021 e 2022, o Caxias repetiu a sina de seus fracassos em mata-mata, caindo nas quartas de final em ambos campeonatos, perdendo a vaga para Treze, Manaus, ABC e América-RN, respectivamente, desperdiçando mais uma chance de conquistar o primeiro acesso nacional.[31][32][33][34]

2023: O primeiro acesso nacional[editar | editar código-fonte]

O ano de 2023 começou bem, com o vice no Gauchão.[35]

Após o fim do estadual, o técnico Thiago Carvalho acertou sua transferência para América de Natal.[36][37] Para o seu lugar chegou o ex jogador Tcheco,[38] e inicia mal a serie D, após 9 partidas o mesmo é demitido.[39][40] No lugar dele, chegou Gerson Gusmão,[41][42] e no comando dele, o time se superou, passando em 2º lugar no grupo A8, e no mata-mata derrubou Inter de Limeira (nos 16-avos),[43] Ceilandia (nas oitavas)[44] e Portuguesa-RJ (nas quartas).[45][46] Nas semifinais, o clube enfrentou o Ferroviário. Após o empate em Caxias do Sul,[47] o time grená foi superado pelo placar mínimo em Fortaleza.[48]

2024[editar | editar código-fonte]

O ano de 2024 começou bem para o Caxias, com a equipe ganhando de virada do Grêmio, na primeira rodada do Gauchão 2024,[49] porém após oito partidas, com duas vitórias, três empates e três derrotas, 11 gols feitos e 13 sofridos - a pior defesa da competição até o momento, Gerson Gusmão foi demitido.[50] Para o lugar de Gusmão, o Caxias contratou Argel Fuchs, para sua terceira passagem no clube.[51][52] Com Argel no comando, o time classificou em terceiro no Gauchão,[53] passou pelo São José-RS nas quartas de final[54] e acabou eliminado pelo Grêmio nas semifinais.[55] O clube sagrou-se Campeão do Interior.[56][57]

Na Copa do Brasil, o Caxias eliminou a Portuguesa Santista em Santos, na primeira fase.[58] Na fase seguinte enfrentou o Bahia, no Estádio Centenário, mas acabou eliminado nas disputas por pênaltis após empate em 2x2.[59]

Estádio[editar | editar código-fonte]

O clube manda seus jogos no Estádio Francisco Stédile, mais conhecido como Centenário. Serviu de passaporte para a entrada do Caxias para a Série A do Campeonato Brasileiro do ano de 1976.

Foi construído em apenas sete meses, então com uma capacidade que passava de trinta mil pessoas, com cadeiras, camarotes, arquibancadas e cabines de imprensa. Foi inaugurado em um jogo contra o Internacional, em que o Caxias venceu por 2 a 1. Os refletores foram inaugurados pouco depois numa partida com o Palmeiras, que terminou empatada.[60]

Em maio de 2018 foi realizado o milésimo jogo no estádio, contra o Inter de Lages, pela Série D de 2018.[61]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Excluindo a honraria e os títulos do interior gaúcho o Caxias ostenta dezessete títulos oficiais com o time principal, onze estaduais, o mais importante deles o Campeonato Gaúcho de 2000. As copas Daltro Menezes e Ênio Andrade foram edições cujos crescimentos redundariam depois na Copa FGF, a principal competição estadual após o Campeonato Gaúcho, disputada no segundo semestre, com a característica de terem sido regionalizadas.

O Campeonato Metropolitano de 1960 foi uma competição classificatória criada para os clubes do interior do estado que queriam participar do Campeonato Citadino de Porto Alegre (Divisão de Honra); já as taças Piratini e Coronel Evaldo Poeta foram edições do Primeiro Turno do Campeonato Gaúcho e a Copa 250 Anos da Cidade de Rio Grande o primeiro turno da Fase de Classificação do Campeonato Gaúcho de 1987, algo parecido, pois reunia os principais clubes do Rio Grande do Sul e o seu nome era esse pois a competição teve uma fase final com apenas seis clubes, na verdade um hexagonal final.

HONRARIAS
Competição Títulos Temporadas
Fita Azul Internacional 1[62] 1962
ESTADUAIS
Competição Títulos Temporadas
Campeonato Gaúcho 1[63] 2000
Copa FGF 1[64] 2007
Campeonato Gaúcho - Segunda Divisão 2 1953 e 2016
Campeonato do Interior Gaúcho 13 1969, 1973**, 1975**, 1977, 1978, 1985, 1989, 1990, 2000, 2010, 2017, 2019 e 2024
TURNOS DO ESTADUAL
Competição Títulos Temporadas
Taça Coronel Evaldo Poeta 1[65] 2020
Taça Piratini 1[66] 2012
Copa 250 Anos da Cidade de Rio Grande 1 1987
REGIONAIS ESTADUAIS
Competição Títulos Temporadas
Copa Larry Pinto de Faria 1[67] 2016
Copa Ênio Andrade 1 1998
Copa Daltro Menezes 1 1996
Campeonato Metropolitano de Porto Alegre 1 1960
MUNICIPAIS
Competição Títulos Temporadas
Campeonato Citadino de Caxias do Sul 6 1937, 1942, 1947, 1948, 1951 e 1953
INTERNACIONAIS
Competição Títulos Temporadas
Taça STC 1[68] 1998[69]
INTERESTADUAIS
Competição Títulos Temporadas
Mato Grosso Copa Pantanal 1[70] 2012
CAMPANHAS DE DESTAQUE
Competição Títulos Temporadas
Rio Grande do SulSão PauloSanta CatarinaParaná Recopa Sul-Brasileira Vice Campeão 2007
Rio Grande do Sul Campeonato Gaúcho Vice Campeão 1990, 2012, 2020 e 2023
Rio Grande do Sul Copa Governador do Estado Vice Campeão 1971, 1972**, 1973** e 1975**
Rio Grande do Sul Taça Farroupilha Vice Campeão 2009
Rio Grande do Sul Taça Piratini Vice Campeão 2011
* Por excursão invicta ao exterior.
** Como Associação Caxias de Futebol (fusão entre Flamengo e Juventude).

Categorias de base[editar | editar código-fonte]

O Caxias sempre teve categorias de base fortes, prova disso são os campeonatos gaúchos conquistados pelo clube, quatro vezes campeão gaúcho júnior (vice em 2010 e 2011) e uma vez campeão gaúcho juvenil, nesse ano tendo como vice-campeão o Juventude. Também se notabiliza por revelar grandes atletas, casos de Washington, Tite, Paulo Turra, Edenilson, Luciano Almeida, Pedro Henrique, entre aqueles mais conhecidos.

ESTADUAIS
Competição Títulos Temporadas
Campeonato Gaúcho - Sub-20 4 1993, 1995, 2003 e 2004
Campeonato Gaúcho - Sub-17 1 1991

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Participações[editar | editar código-fonte]

Participações em 2024
Competição Temporadas Melhor campanha Estreia Última P Aumento R Baixa
Rio Grande do Sul Campeonato Gaúcho 62 Campeão (2000) 1961 2024 2
Divisão de Acesso 3 Campeão (1953 e 2016) 1953 2016 2
Brasil Campeonato Brasileiro 4 15º colocado (1976 e 1978) 1976 1979
Série B 11 3º colocado (2001) 1980 2005 1
Série C 17 5º colocado (2009) 1990 2024 1
Série D 7 4º colocado (2023) 2016 2023 1
Copa do Brasil 14 Oitavas de final (2011) 1991 2024

Partidas históricas[editar | editar código-fonte]

Fatos históricos[editar | editar código-fonte]

  • O Caxias foi o primeiro clube do interior do Rio Grande do Sul a disputar o Campeonato Brasileiro, o que ocorreu em 1976, bem como o primeiro clube do interior gaúcho a disputar a Copa do Brasil, em 1991.[78]
  • A maior goleada aplicada em partida oficial pelo Caxias foi 14 a 0 no Mundo Novo, no Centenário pela Copa Governador do Estado de 1976.
  • A maior goleada sofrida em partida oficial pelo Caxias foi 8 a 1 do Inter no Beira-Rio pela final do segundo turno do Campeonato Gaúcho de 2009.[79]
  • Em 14 anos, mais precisamente de 1977 a 1991 a Caxias só perdeu uma única vez no Centenário. Foi em um clássico Ca-Ju.
  • O Centenário, então com capacidade para 32 mil pessoas, foi erguido em um prazo recorde de sete meses pois o então presidente da CBD (hoje CBF), sr. Heleno Nunes prometeu uma vaga no Campeonato Brasileiro de 1976 para o clube do interior do Rio Grande do Sul melhor colocado no Gauchão que tivesse estádio com capacidade para pelo menos 25 mil pessoas. Poucos acreditavam, mas o Centenário foi o passaporte para a Caxias disputar o nacional daquele ano.[80]
  • O Grêmio e Caxias decidiram o campeão do primeiro turno do Campeonato Gaúcho de 1987 na Federação Gaúcha de Futebol na "bolinha" pois acabaram empatados em todos os critérios, no sorteio deu Caxias.[81]
  • Na disputa de pênaltis da semifinal do primeiro turno do Gauchão de 2011, contra o São José, o goleiro André Sangalli do Caxias defendeu quatro pênaltis, levando o Caxias à final, na qual empatou com o Grêmio por 2 a 2, mas acabou derrotado nos pênaltis.[82]

Rivalidades[editar | editar código-fonte]

Ca-Ju[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Ca-Ju

O Caxias é rival histórico do Juventude. As partidas envolvendo os dois clubes são conhecidas como Ca-Ju.

Detentores de grandes conquistas do futebol do interior gaúcho, Caxias e Juventude, consequentemente, promovem um dos clássicos mais importantes do estado.[83]

Papos e Grenás mobilizam a cidade de Caxias do Sul em dia de clássico.

Em 2010, os dois grandes rivais estiveram juntos na Série C de 2010, mas em 2011 após a decaída do Juventude para a Série D, o clássico só foi realizado no Gauchão. Ambos voltaram a se enfrentar nos anos de 2014 e 2015 pela Série C, último ano do grená nesta série. A partir de 2016 os clássicos só ocorrem em âmbito estadual, visto que as equipes encontram-se em divisões diferentes, sendo que o Caxias disputa a Série D e o Juventude a Série A.

Estatísticas
Estatísticas do Clássico Ca-Ju
Número de jogos 286
Vítórias do Juventude 96
Vitórias do Caxias 93
Empates 99
Número de gols 767
Gols marcados pelo Juventude 394
Gols marcados pelo Caxias 373
Maior goleada Caxias 5 x 0 Juventude* em 27 de agosto de 2016, pela Super Copa Gaúcha.
Primeira partida Caxias 3 x 1 Juventude (Campeonato Gaúcho - 1935) - 4 de agosto de 1935.
Última partida Juventude 1 x 1 Caxias (Campeonato Gaúcho) - 19 de fevereiro de 2024

*O Juventude não utilizou a equipe profissional na competição

Clássico da Polenta[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Clássico da Polenta

O Caxias realiza outro clássico, contra o Esportivo, da cidade vizinha Bento Gonçalves. Este clássico é conhecido como Clássico da Polenta.

As cidades de Caxias e Bento não são vizinhas mas possuem algo muito em comum: a forte influência da colonização italiana. No ano de 1974, os dois clubes realizaram um torneio amistoso, na cidade de Caxias do Sul, que levou o nome da típica culinária italiana: o Torneio da Polenta, onde participaram o Esportivo, EC Encantado e a então Associação Caxias de Futebol (ACF), atual Caxias.[84]

No dia 3 de fevereiro de 1974, ACF e Esportivo se enfrentaram no Estádio da Baixada Rubra. O confronto terminou com placar de 2 a 2, com gols anotados por Neca e Décio, pelo lado do Esportivo, e Osmar e Zezinho, para o ACF.[84]

Mascotes[editar | editar código-fonte]

Falcão[editar | editar código-fonte]

Inspirado nas cores do clube, o Falcão é o mascote que batizou o antigo Centro de Treinamento (Ninho do Falcão) e uma das categorias de sócios (Falcão Grená). Em 2005, com o lançamento de selo comemorativo aos 70 anos, o Falcão Grená acabou por inspirar o cartunista Iotti que desenhou o selo com o Falcão Grená e os distintivos da S.E.R. Caxias do Sul e do G.E. Flamengo.[85]

Bepe[editar | editar código-fonte]

Cria do cartunista Iotti, surgiu nos anos 90, popularizando-se rapidamente. Inspirado pelas características do imigrante italiano que colonizou a região Nordeste do Rio Grande do Sul. Fanfarrão e irônico, preza as coisas boas da vida: mesa farta, vinho (bordô, é claro), estádio lotado (com muitas ragazzas, lógico) e grandes jogos.[85]

Ranking da CBF[editar | editar código-fonte]

  • Posição: 74º
  • Pontuação: 1,099 pontos

Ranking criado pela Confederação Brasileira de Futebol para pontuar todos os clubes do Brasil.[5]

Ranking atualizado em janeiro de 2024.

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

  • Última atualização: 12 de abril de 2024 (UTC).
Elenco atual do Caxias[86]
Pos. Nome Pos. Nome Pos. Nome
G Brasil Victor Golas Lesionado[a][87] LD Brasil Matheus Rocha A Brasil Vitor Feijão
G Brasil Zé Carlos LE Brasil Dudu Mandai A Brasil Gabriel Silva
G Brasil Thiago Coelho LE Brasil Mateus Mendes A Brasil Álvaro
G Brasil Guilherme Nunes Prata da casa Lesionado[b][88] V Brasil Elyeser A Brasil Robinho
G Brasil Samuel Deuner V Brasil Barba A Brasil Joel Vinícius
Z Brasil Dirceu V Brasil Emerson Martins A Brasil Vinicius Spaniol
Z Brasil Jean Pierre V Brasil Geílson A Paraguai Pablo Borja
Z Brasil Cézar Henrique V Brasil Pedro Cuiabá A Brasil Zé Andrade
Z Brasil Lucas Cunha M Brasil Tomás Bastos
Z Brasil Lucas Ryan M Brasil David Lustosa
LD Brasil Marcelo M Brasil Augusto Galván

Técnico: Brasil Argel Fuchs

  1. Lesão ligamentar no joelho e no menisco
  2. Fratura no pulso direito

Prata da casaJogador revelado pelo Caxias

Comissão técnica[editar | editar código-fonte]

  • Última atualização: 12 de abril de 2024 (UTC).[89]
Comissão técnica
Nome Função
Brasil Argel Fuchs Treinador
Brasil Galego Auxiliar
Brasil Roberto Maschio Auxiliar
Brasil Tiago Cetolin Preparador Físico
Brasil Gabriel Silva Auxiliar Preparação Física
Brasil Tiago Cetolin Coordenador de saúde e performance
Brasil Everson Pereira Preparador de Goleiros
Brasil Flávio Salla Analista de Desempenho
Brasil Giorgio Canuto Médico
Brasil Aloir de Oliveira Jr Médico
Brasil Marcus Vinicius Bianchi Médico
Brasil Katerina Demori Psicóloga
Brasil Diego Silva Fisioterapeuta
Brasil Marcelo Boff Fisioterapeuta
Brasil Márcio Porto Massagista
Brasil Chuck Mordomo
Brasil Newton Drummond Diretor de Futebol

Diretoria 2023/2024[editar | editar código-fonte]

  • Última atualização: 23 de setembro de 2022 (UTC).[89]
Direção Executiva
Nome Função
Brasil Mario Antonio Werlang Presidente
Brasil João Luiz Conte 1º Vice-presidente
Brasil Jaime Bellicanta 2º Vice-presidente
Brasil André Randon Vice-presidente Financeiro
Brasil Valmor Miola Vice-presidente Administrativo
Brasil Paulo Cesar dos Santos Vice-presidente de Futebol
Brasil Eduardo Silva Vice-presidente Institucional
Brasil Juliana Rampon Vice-presidente Jurídica
Brasil Márcio Biazus Vice-presidente Social e Digital
Brasil Aloir De Oliveira Vice-presidente Medicina Esportiva
Brasil Juarez Demori Vice-presidente de Patrimônio
Brasil Cristiano Argenta Soares Vice-presidente Comercial
Conselho de Administração
Nome
Brasil Guilherme Biasuz Fin
Brasil Irany Mosena
Brasil João Carlos Prataviera
Brasil Rui de Oliveira Bueno
Brasil Fabiano Hofmann
Brasil Ricardo Guisso
Brasil Roberto de Vargas
Brasil Rogerio da Silva Rodrigues
Brasil Nestor Antonio Perottoni
Conselho Fiscal
Nome Função
Brasil Ademir Antonio Onzi Presidente
Brasil Julio Cesar D'Agostini Vice-presidente
Brasil Alexandre Antunes Secretário


Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Último jogo da campanha invicta do Flamengo-RS (atual Caxias) durante excursão na Argentina, que rendeu ao clube o título simbólico da Fita Azul.[71]
  2. Primeira partida de futebol transmitida ao vivo e a cores para todo o Brasil.[72]
  3. Partida de inauguração do atual estádio do Caxias, Francisco Stédile. Ao final do jogo, os torcedores grenás invadiram o campo e foram comemorar com o time.[73]
  4. O Caxias empata com o Flamengo de Júnior, Zico e companhia, após sair vencendo por 1 a 0 e sofrer o empate no final do jogo.[74]
  5. Amistoso internacional que marcou a entrega da taça de campeão da Copa Daltro Menezes ao Caxias
  6. Jogo contra a Seleção Jamaicana, classificada para a Copa do Mundo de 1998, que valia a Taça STC 10 anos.
  7. De volta à Copa do Brasil após 8 anos, o Caxias vira sobre o Cruzeiro após estar perdendo por 2 a 0.
  8. Com gols de Jajá e Ivair, Caxias derrota o Grêmio por 2 a 1 e garanta vaga na final do Campeonato Gaúcho.
  9. Caxias vence o Grêmio por 3 a 0 no jogo de ida e abre vantagem na final do Campeonato Gaúcho.
  10. Caxias empata com o Grêmio por 0 a 0 no jogo de volta e conquista pela primeira vez o Campeonato Gaúcho.
  11. Caxias vence o Paysandu de virada, após estar perdendo por 3 a 0.
  12. Caxias perde para o Santo André e é rebaixado para a Série C do Campeonato Brasileiro com duas rodadas de antecipação.[75]
  13. Maior vitória da história do Caxias diante do Grêmio.
  14. Maior vitória do Caxias fora do estado do Rio Grande do Sul.
  15. Caxias perde para o Novo Hamburgo e é rebaixado para a Segunda Divisão do Campeonato Gaúcho, após 48 anos na elite.
  16. Caxias empata com o Londrina e é rebaixado para a Série D do Campeonato Brasileiro com duas rodadas de antecipação.[76]
  17. Caxias vence a Portuguesa-RJ e volta para a Série C do Campeonato Brasileiro após quase 8 anos.[77]

Referências

  1. a b «Nossos mascotes». Site oficial da S.E.R. Caxias do Sul. Consultado em 8 de março de 2024 
  2. «Os 80 anos da S.E.R. Caxias serão celebrados pelo Parlamento caxiense, nesta quinta-feira». Câmara de Vereadores de Caxias do Sul. 8 de abril de 2015. Consultado em 8 de março de 2024 
  3. «Centenário - A nossa casa». Site oficial da S.E.R. Caxias do Sul. Consultado em 8 de março de 2024 
  4. «Mário Werlang é aclamado o novo presidente do Caxias». RDCTV. 23 de setembro de 2022. Consultado em 8 de março de 2024 
  5. a b «RNC - Ranking Nacional dos Clubes 2024» (PDF). CBF. 27 de janeiro de 2024. Consultado em 8 de março de 2024 
  6. Site oficial da S.E.R. Caxias do Sul. «O clube - Títulos». Site oficial da S.E.R. Caxias do Sul. Consultado em 22 de setembro de 2020 
  7. Site oficial da S.E.R. Caxias do Sul. «O clube - Apresentação». Site oficial da S.E.R. Caxias do Sul. Consultado em 22 de setembro de 2020 
  8. «Caxias do Sul completa 83 anos nesta terça-feira». CBF. 10 de abril de 2018. Consultado em 16 de junho de 2023 
  9. http://www.clicrbs.com.br/pioneiro/rs/impressa/11,3755160,156,19575,impressa.html
  10. «A Fita Azul do Flamengo de Caxias em 1962». O Curioso do Futebol. 10 de abril de 2018. Consultado em 26 de abril de 2023 
  11. Rodolfo Grandi (9 de dezembro de 2021). «Associação Caxias do Sul de Futebol ganha livro em homenagem aos 50 anos de fundação». Gaúcha ZH. Consultado em 26 de abril de 2023 
  12. Luiz Carlos Schneider (19 de fevereiro de 2022). «Os 50 anos da primeira transmissão em cores na TV brasileira». O Nacional. Consultado em 26 de abril de 2023 
  13. Rafael Diverio. «Relembre o Caxias de 2000, o último campeão gaúcho do Interior». Gaúcha ZH. Consultado em 5 de janeiro de 2023 
  14. Redação NSC. «Torcida invade campo e encerra Figueirense x Caxias». NSC. Consultado em 5 de janeiro de 2023 
  15. Diário Gaúcho. «Caxias perde e está matematicamente rebaixado». Diário Gaúcho. Consultado em 5 de janeiro de 2023 
  16. Daniel Cassol (28 de novembro de 2007). «Pelotas merece a Copa». Impedimento. Consultado em 16 de junho de 2023 
  17. «Adios Claudio Milar - O herói Xavante». Durango 95. 16 de janeiro de 2009. Consultado em 16 de junho de 2023 
  18. Diário Gaúcho (6 de setembro de 2023). «Caxias empata com Toledo e sai fora da Série C 2008». Diário Gaúcho. Consultado em 16 de junho de 2023 
  19. Agência Futebol Interior. «Caxias 1 x 1 Guaratinguetá - Mais uma paulista na Série B!». Futebol do Interior. Consultado em 5 de janeiro de 2023 
  20. Bernardo Bercht. «Caxias é campeão da Taça Piratini nos pênaltis». Correio do Povo. Consultado em 5 de janeiro de 2023 
  21. Diego Guichard. «EM JOGO DURO NO BEIRA-RIO, D'ALE INCENDEIA, E INTER É CAMPEÃO GAÚCHO». GE. Consultado em 5 de janeiro de 2023 
  22. Redação. «Macaé goleia Caxias na abertura da Série C do Brasileiro». Veja. Consultado em 5 de janeiro de 2023 
  23. Adão Júnior. «Caxias perde para o Duque de Caxias e está fora da Série C do Brasileiro». Gaúcha ZH. Consultado em 5 de janeiro de 2023 
  24. Correio do Povo. «Caxias perde e é rebaixado para divisão de acesso». Correio do Povo. Consultado em 5 de janeiro de 2023 
  25. Pioneiro. «Caxias só empata com o Londrina e está rebaixado para a Série D». Gaúcha ZH. Consultado em 5 de janeiro de 2023 
  26. Vittória Gomes. «Caxias é campeão da Divisão de Acesso com uma rodada de antecedência e volta à elite gaúcha». Vavel. Consultado em 5 de janeiro de 2023 
  27. RADAR/LANCE!. «S.E.R. Caxias empata com o Inter de Lages e é eliminado na Série D». Lance. Consultado em 5 de janeiro de 2023 
  28. Pioneiro. «Caxias vence o Ypiranga por 3 a 2 em Erechim, é campeão da Copa Larry e se classifica à Supercopa Gaúcha». Gaúcha ZH. Consultado em 5 de janeiro de 2023 
  29. Cristiano Daros. «Caxias vence o Inter B no Centenário, mas está eliminado da competição». Gaúcha ZH. Consultado em 5 de janeiro de 2023 
  30. Beto Azambuja. «Campeão do interior, Caxias "fecha" futebol profissional após quatro meses». GE. Consultado em 5 de janeiro de 2023 
  31. Cristiano Daros. «Caxias sofre virada e vê o Treze ficar com o acesso à Série C». Gaúcha ZH. Consultado em 5 de janeiro de 2023 
  32. Renan Silveira. «Em tarde irreconhecível, Caxias sofre 3 a 0 para o Manaus e dá adeus ao sonho do acesso». Gaúcha ZH. Consultado em 5 de janeiro de 2023 
  33. Maurício Reolon. «Caxias perde para o ABC em Natal e vê o sonho do acesso escapar pela terceira vez». Gaúcha ZH. Consultado em 5 de janeiro de 2023 
  34. Marcelo Rocha. «Caxias sofre virada inacreditável no final e deixa escapar o acesso à Série C». Gaúcha ZH. Consultado em 5 de janeiro de 2023 
  35. Tiago Nunes (8 de abril de 2023). «Caxias perde para o Grêmio e fica com vice do Gauchão». Gaucha ZH. Consultado em 13 de setembro de 2023 
  36. Roberto Peruzzo (13 de abril de 2023). «Melhor técnico do Gauchão, Thiago Carvalho aceita proposta do América-RN e deixa o Caxias». Globo Esporte. Consultado em 13 de setembro de 2023 
  37. «América-RN oficializa contratação do técnico Thiago Carvalho, ex-Caxias». Globo Esporte. 13 de abril de 2023. Consultado em 13 de setembro de 2023 
  38. Eduardo Costa (13 de abril de 2023). «Tcheco é o novo técnico do Caxias». Gaucha ZH. Consultado em 13 de setembro de 2023 
  39. «Após derrota em casa, Caxias anuncia a demissão do técnico Tcheco». Gaucha ZH. 19 de junho de 2023. Consultado em 13 de setembro de 2023 
  40. Tiago Nunes (19 de junho de 2023). «Os bastidores da noite da revolta grená e da queda de Tcheco no Caxias». Gaucha ZH. Consultado em 13 de setembro de 2023 
  41. «Gerson Gusmão é o novo técnico do Caxias». Site Oficial Caxias. 20 de junho de 2023. Consultado em 13 de setembro de 2023 
  42. «Caxias acerta com o técnico Gerson Gusmão». Rádio Caxias. 20 de junho de 2023. Consultado em 13 de setembro de 2023 
  43. «Caxias segura Inter de Limeira e avança às oitavas da Série D». Globo Esporte. 6 de agosto de 2023. Consultado em 13 de setembro de 2023 
  44. Maurício Reolon (19 de agosto de 2023). «Nos pênaltis, Caxias elimina o Ceilândia e avança às quartas de final da Série D». Gaucha ZH. Consultado em 13 de setembro de 2023 
  45. «Caxias vence a Portuguesa-RJ e garante acesso para a Série C». TNT Sports. 2 de setembro de 2023. Consultado em 13 de setembro de 2023 
  46. «Caxias marca no fim, vence a Portuguesa-RJ e garante acesso para Série C do Brasileiro». Terra. 2 de setembro de 2023. Consultado em 13 de setembro de 2023 
  47. Rafael Rinaldi (7 de setembro de 2023). «No jogo de ida das semifinais, Caxias empata com o Ferroviário-CE». Gaucha ZH. Consultado em 13 de setembro de 2023 
  48. Rafael Rinaldi (10 de setembro de 2023). «Caxias tem gol mal anulado, perde nos acréscimos e deixa a Série D». Gaucha ZH. Consultado em 13 de setembro de 2023 
  49. Marco Souza (20 de janeiro de 2024). «Grêmio perde de virada para o Caxias na abertura do Gauchão 2024». GZH. Consultado em 27 de março de 2024 
  50. «Caxias comunica a saída do técnico Gerson Gusmão». GZH. 15 de fevereiro de 2024. Consultado em 27 de março de 2024 
  51. Maurício Reolon (16 de fevereiro de 2024). «Caxias confirma Argel Fuchs como novo técnico». GZH. Consultado em 27 de março de 2024 
  52. «Argel Fucks é o novo treinador da S.E.R. Caxias». Site Oficial do Caxias. 16 de fevereiro de 2024. Consultado em 27 de março de 2024 
  53. «Definidos os confrontos das quartas de final do Gauchão 2024». FML Esportes. 3 de março de 2024. Consultado em 27 de março de 2024 
  54. «Caxias vence o São José e está na semifinal do Campeonato Gaúcho». GE. 8 de março de 2024. Consultado em 27 de março de 2024 
  55. «Rumo ao Hepta! Grêmio abre 3 a 0, toma susto, mas vence o Caxias». Terra. 26 de março de 2024. Consultado em 27 de março de 2024 
  56. Maurício Reolon (26 de março de 2024). «Uma despedida honrosa do Caxias na Arena». GZH. Consultado em 27 de março de 2024 
  57. Tiago Nunes (26 de março de 2024). «Caxias luta, mas perde para o Grêmio e se despede do Gauchão 2024». GZH. Consultado em 27 de março de 2024 
  58. «Portuguesa Santista é eliminada da Copa do Brasil, mas embolsa R$ 787 mil por disputar a 1ª fase». GE. 28 de fevereiro de 2024. Consultado em 27 de março de 2024 
  59. Ana Cristina Schwambach (12 de março de 2024). «Nos pênaltis, Bahia elimina Caxias e avança à terceira fase da Copa do Brasil». CNN. Consultado em 27 de março de 2024 
  60. Site oficial da S.E.R. Caxias do Sul. «Centenário». Site oficial da S.E.R. Caxias do Sul. Consultado em 22 de setembro de 2020 
  61. Cristiano Daros. «Caxias reuniu jogadores de 1976 em festividades do milésimo jogo». Gaúcha ZH. Consultado em 6 de julho de 2023 
  62. «Ex-jogadores lembram conquista da Fita Azul pelo Flamengo, hoje Caxias, há 50 anos». Gaúcha ZH. 11 de maio de 2012. Consultado em 26 de abril de 2023 
  63. Rafael Diverio (3 de fevereiro de 2017). «Relembre o Caxias de 2000, o último campeão gaúcho do Interior». Gaúcha ZH. Consultado em 26 de abril de 2023 
  64. «Caxias lembra de profissionais que passaram pelo Centenário». Rádio Caxias. 29 de novembro de 2016. Consultado em 26 de abril de 2023 
  65. «A CONQUISTA DA TAÇA EWALDO POETA PELO CAXIAS». One Football. 20 de fevereiro de 2020. Consultado em 26 de abril de 2023 
  66. Bernardo Bercht (1 de março de 2012). «Caxias é campeão da Taça Piratini nos pênaltis». Correio do Povo. Consultado em 26 de abril de 2023 
  67. Miguel Brambilla (6 de novembro de 2016). «S.E.R. Caxias é campeão da Copa Larry Pinto de Faria». Sabe Caxias. Consultado em 26 de abril de 2023 
  68. Alexandro Lima Gomes (24 de janeiro de 2016). «Na História: Caxias 1 x 0 Jamaica - amistoso/1998». Copa Futebol RS. Consultado em 26 de abril de 2023 
  69. «Cópia arquivada». Consultado em 2 de outubro de 2013. Arquivado do original em 14 de outubro de 2013 
  70. Adão Júnior (9 de junho de 2012). «Caxias é campeão da Copa Pantanal com vitória sobre o Luverdense». Gaúcha ZH. Consultado em 26 de abril de 2023 
  71. «Ex-jogadores lembram conquista da Fita Azul pelo Flamengo, hoje Caxias, há 50 anos». Pioneiro. 11 de maio de 2012. Consultado em 5 de abril de 2015 
  72. «40 anos de transmissão em cores». Correio Riograndense. Consultado em 5 de abril de 2015 
  73. «Caxias comemora 35 anos da inauguração de seu estádio». FutebolInterior.com.br. 12 de setembro de 2011. Consultado em 5 de abril de 2015 
  74. «Futpédia: Flamengo 1 x 1 Caxias». Futpédia. Consultado em 5 de abril de 2015 
  75. «Santo André rebaixa Caxias; Criciúma respira». UOL Esporte. 26 de agosto de 2005. Consultado em 14 de setembro de 2015 
  76. «No último lance, Londrina empata com o Caxias e rebaixa o time gaúcho na Série C». GloboEsporte.com. 13 de setembro de 2015. Consultado em 14 de setembro de 2015 
  77. jogada10. «Série D: Caxias é o primeiro que garante acesso à Série C». Terra. Consultado em 2 de setembro de 2023 
  78. «NOSSA HISTÓRIA». Site Oficial SER Caxias. Consultado em 26 de abril de 2023 
  79. «Inter é bicampeão gaúcho com um histórico 8 a 1 sobre o Caxias». UOL Esporte. 19 de abril de 2009. Consultado em 26 de abril de 2023 
  80. «CENTENÁRIO: A NOSSA CASA». Site Oficial SER Caxias. Consultado em 26 de abril de 2023 
  81. João Praetzel (20 de fevereiro de 2020). «O dia em que o vencedor de Grêmio x Caxias foi decidido em um sorteio». Gaúcha ZH. Consultado em 26 de abril de 2023 
  82. «Goleiro pega 4 em disputa de pênaltis e Caxias vai à final». Terra. 27 de fevereiro de 2011. Consultado em 26 de abril de 2023 
  83. Lucas Paes (17 de março de 2017). «CaJu - Mais um grande clássico gaúcho». O Curioso do Futebol. Consultado em 26 de abril de 2023 
  84. a b Marcelo Dargelio (8 de fevereiro de 2020). «Clássico da Polenta volta a ser disputado naelite do futebol gaúcho». NB Notícias. Consultado em 26 de abril de 2023 
  85. a b «Mascote Caxias». Consultado em 20 de Julho de 2011 
  86. «Elenco». Consultado em 30 de dezembro de 2023 
  87. Eduardo Costa (13 de fevereiro de 2024). «Caxias perde goleiro para restante da temporada e tem dúvidas para o Ca-Ju». GZH. Consultado em 19 de fevereiro de 2024 
  88. Jesse Lopes (27 de dezembro de 2023). «Após lesão de goleiro, Caxias deve buscar mais um nome para a posição». Rádio Caxias. Consultado em 29 de fevereiro de 2024 
  89. a b «Comissão técnica». Consultado em 30 de dezembro de 2023 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]