Estádio Luso Brasileiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Estádio Luso-Brasileiro)
Ir para: navegação, pesquisa
Luso-Brasileiro
Arena da Ilha
Sisbrace: Star full.svg Star full.svg Star full.svg Star empty.svg Star empty.svg


Arena Botafogo 2016.jpeg
Imagem do Estádio em 2016.

Nomes
Nome Estádio Luso-Brasileiro
Apelido Arena da Ilha [1]
Antigos nomes Arena Petrobrás (2005)
Arena Botafogo (2016)
Características
Local Rio de Janeiro, RJ
Gramado Grama natural (108 x 78 m)
Capacidade 22.000 pessoas[2]
Construção
Inauguração
Data 2 de outubro de 1965
Partida inaugural Portuguesa 0 - 2 Vasco
Primeiro gol Zezinho (Vasco)
Recordes
Público recorde 18 725 pessoas
Data recorde 23 de julho de 2005
Partida com mais público Botafogo 1 - 1 Brasiliense
Outras informações
Proprietário Portuguesa-RJ
Administrador Portuguesa-RJ
Mandante Rio de Janeiro Portuguesa-RJ
Rio de Janeiro Flamengo

O Estádio Luso-Brasileiro, também conhecido como Estádio dos Ventos Uivantes e, mais recentemente, como Arena da Ilha,[3] é um estádio de futebol brasileiro pertencente a Portuguesa-RJ, localizado na Ilha do Governador, Rio de Janeiro.

História[editar | editar código-fonte]

Entrada

O estádio foi inaugurado em 2 de outubro de 1965, na partida Portuguesa-RJ 0 x 2 Vasco da Gama, com um público de 8.565 pagantes. Os dois gols do Vasco foram marcados pelo atacante Zezinho, que curiosamente jogava antes na Portuguesa, sendo o primeiro um gol olímpico, talvez ajudado pelo vento que faz o estádio da Lusa ser conhecido como o "Estádio dos Ventos Uivantes".

Antes de se tornar estádio de futebol, o local abrigava o Jockey Club da Guanabara. A arquibancada principal coberta, com sua imponente marquise de linhas arquitetônicas modernas para a época ainda é preservada hoje em dia, vinda dos tempos em que o local sediava provas de turfe. A inauguração desse hipódromo deu-se em 6 de agosto de 1961, cuja corrida inicial foi vencedor o cavalo "Gandaia".

Um gol de goleiro feito por Ubirajara Alcântara pelo Flamengo, ocorreu no estádio, em um jogo contra o Madureira, vencido pelo Flamengo, no dia 19 de setembro de 1970. O mais interessante é que o gol foi de bola chutada desde a área do Flamengo, feito inédito a época.

Arena Petrobrás[editar | editar código-fonte]

O Luso-Brasileiro viveu seu momento mais marcante no ano de 2005, quando uma parceria com o Botafogo, o Flamengo e a Petrobrás colocaram estruturas metálicas tubulares em todo o trecho disponível do estádio, elevando sua capacidade para 30 mil torcedores, na disputa do Campeonato Brasileiro daquele ano, uma vez que o Estádio do Maracanã encontrava-se interditado para reformas visando aos Jogos Pan-Americanos de 2007 e o Estádio Caio Martins desativado pela diretoria botafoguense. O estádio foi denominado Arena Petrobrás neste período.[4]

Futebol Americano[editar | editar código-fonte]

O estádio foi utilizado como mando de campo dos três clubes do Rio de Janeiro que participavam do Torneio Touchdown, antiga competição nacional de futebol americano masculino, que são Vasco da Gama Patriotas, Flamengo Futebol Americano e Botafogo Reptiles. Também foi utilizado como mando de campo do Torneio End Zone, brasileiro de futebol americano feminino, pelo Cariocas Futebol Americano e pelo Vasco da Gama Patriotas Feminino.[5]

Arena Botafogo[editar | editar código-fonte]

O Botafogo investiu cerca de R$ 5 milhões na reforma do Luso-Brasileiro para uso nos mandos de campo em 2016.[6] A Arena Botafogo, a nova casa alvinegra, após vistoria, recebe o último laudo de segurança que faltava, do Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (Gepe) - antes, já havia adquirido os laudos do Corpo de Bombeiros, do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio de Janeiro (Crea-RJ) e da Vigilância Sanitária -, e já pode receber jogos com até 15 mil pessoas, capacidade mínima exigida na Série A do Campeonato Brasileiro.

Arena da Ilha[editar | editar código-fonte]

Em meio a indefinições sobre a utilização do Maracanã,[7] em 21 de novembro de 2016, o Clube de Regatas do Flamengo anunciou o acerto do contrato para utilização exclusiva do Estádio por um período de três anos, a partir de 2017.[8] As obras de reforma da Arena da Ilha iniciaram em janeiro, com um investimento de cerca de 10 milhões de reais.[9] A previsão para conclusão das obras e entrega do novo estádio está para março, tendo em vista a estreia do clube na Copa Libertadores da América de 2017. A capacidade total prevista é para algo em torno de 22 mil lugares.[10]

Referências

  1. «CBF confirma Bota x Fla na Arena da Ilha. RJ terá clássico após 2 meses». UOL Esportes. 06 de julho de 2016. Consultado em 06 de julho de 2016  Verifique data em: |access-date=, |date= (ajuda)
  2. «Flamengo finaliza projeto e orçamento da Arena da Ilha e prevê 'naming rights' e visitação». Extra.globo.com. 21 de dezembro de 2016. Consultado em 17 de fevereiro de 2017 
  3. «Fla fecha acordo por 3 anos e Arena da Ilha passa a ser casa rubro-negra». UOL Esportes. 21 de novembro de 2016. Consultado em 21 de novembro de 2016 
  4. «Flamengo elabora projeto para jogar no estádio da Portuguesa-RJ em 2016». globoesporte.globo.com. 12 de novembro de 2015. Consultado em 25 de junho de 2016 }
  5. «O título do Cariocas FA sobre o Vasco Patriotas no Torneio End Zone». globoesporte.com. 2 de dezembro de 2015. Consultado em 24 de novembro de 2016 
  6. «E a Arena? Sem data de estreia, custo por jogo já é o dobro do Nilton Santos». globoesporte.globo.com. 24 de junho de 2016. Consultado em 25 de junho de 2016 
  7. "Fla detona empresas e diz que não jogará no Maracanã se 'entidades hostis' continuarem". ESPN.
  8. "Flamengo fecha acordo para ter Estádio Luso-Brasileiro como casa em 2017 - Esportes - Estadão". Estadão.
  9. "Saiba como estão as obras na Arena do Fla a menos de um mês da estreia - Futebol - UOL Esporte". UOL Esporte.
  10. "Orçamento para obras na Arena da Ilha é projetado pelo Flamengo". Terra Online.
Ícone de esboço Este artigo sobre estádios de futebol do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.