Gol olímpico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O gol do argentino Cesáreo Onzari no amistoso com o Uruguai, no estádio Sportivo Barracas, em 1924.

Em futebol, gol olímpico (ou golo direto de canto, em Portugal) é o gol(o) marcado diretamente através de uma cobrança de escanteio.[1] Em junho de 1924, a International Board modificou o artigo 11 das regras do futebol, autorizando pela primeira vez que um gol fosse marcado em cobrança de escanteio. Logo que a modificação aconteceu, um jogador do Everton tentou ser mais esperto. Ao invés de cobrar o escanteio de forma direta, ele saiu com a bola da lateral do campo e foi até o gol, já que na regra não indicava que era proibido fazer isso. O incidente gerou uma mudança no artigo e, em agosto, foi imposta uma nova definição, afirmando que o jogador não poderia tocar na bola duas vezes consecutivas. Assim,o primeiro gol olímpico foi marcado por Billy Alston, na Escócia, a 21 de agosto do mesmo ano.

O termo "gol olímpico" surgiu num jogo amistoso entre as seleções da Argentina e do Uruguai, em 2 de outubro de 1924. O autor do gol foi o atacante argentino Cesáreo Onzari e a sua equipe ganhou por dois a um. Os argentinos chamaram o gol de olímpico para ironizar a seleção uruguaia, que havia ganho o torneio da Olimpíada de Paris.[2]

Apesar de esta informação constar de muitas publicações sobre a história do futebol, no Brasil e no exterior,[3] alguns torcedores do Vasco da Gama divulgam uma versão diferente, sobre um acontecimento ocorrido quatro anos depois:

Em março de 1928, em um amistoso contra o uruguaio Montevideo Wanderers, o Club de Regatas Vasco da Gama inaugurou os refletores e a arquibancada atrás de um dos gols de seu estádio, São Januário. Com um gol feito por Santana em cobrança de escanteio, o Vasco venceu por 1 a 0. Como os uruguaios eram os atuais campeões olímpicos, nasceu então a expressão 'gol olímpico'. [carece de fontes?]

Em 1973, Pelé e o time do Santos saíram realizando amistosos pelo mundo, jogando no Golfo Pérsico, África, Alemanha, Bélgica, França e Inglaterra; por fim, chegaram nos Estados Unidos para jugar contra o Baltimore Bays. Nesta partida, Pelé fez o único gol olímpico[4] de toda sua carreira.[5]

O ex-jogador sérvio Petković, que atuou em diversos times brasileiros, autointitula-se como o goleador mundial de gols olímpicos, com nove gols comprovados dessa forma.[6] Porém, há relatos de que este recorde pertence ao italiano Massimo Palanca, com 13 gols.[7] Este dados podem ser visualizados no site oficial do jogador.[7]

Lista de Gols Olímpicos em Copas do Mundo[editar | editar código-fonte]

# Jogador País Tempo (Minuto) Gol Placar
Final
Oponente Goleiro (que
tomou o gol)
Torneio Fase Estádio Data Ref.
&0000000000000001.0000001. Marcos Coll Flag of Colombia.svg Colômbia &0000000000000068.00000068' 4-2 4-4 Flag of the Soviet Union.svg União Soviética Lev Yashin 1962, Chile Primeira Fase Estádio Carlos Dittborn 01962-06-03 3 de junho de 1962 [8]

Categorias de Base[editar | editar código-fonte]

# Jogador País Tempo (Minuto) Gol Placar
Final
Oponente Torneio Fase Estádio Data Ref.
&0000000000000001.0000001. Jorge Espericueta Flag of Mexico.svg México &0000000000000076.00000076' 2-2 2-3 Bandeira da Alemanha Alemanha Copa do Mundo Sub-17 de 2011 Semifinal Estádio Corona 02011-07-07 7 de julho de 2011 [9]

Lista de Gols Olímpicos em Olimpíadas[editar | editar código-fonte]

# Jogador País Tempo (Minuto) Gol Placar
Final
Oponente Goleiro (que
tomou o gol)
Torneio Fase Estádio Data Ref.
1. Megan Rapinoe Estados Unidos Estados Unidos 54' 1-1 4-3 Canadá Canadá Jogos Olímpicos de 2012 - Futebol Feminino Semifinal Old Trafford 6 de agosto [10][11]

Recorde de gols olímpicos em um jogo profissional[editar | editar código-fonte]

Gols Data Local Jogador Time Resultado Adversário Competição Ref.
3 gols 7 abr. 2002 Glastonbury (Somerset) Inglaterra Daniel White Street F.C. (Glastonbury) Westfield Boys Futebol amador ? [12]
3 gols 24 fev. 2002 Bedworth, Warmickshire Inglaterra Steve Cromey Ashgreen United Dunlop FC Futebol amador ? [13]
2 gols 5 out. 1946 Estádio Palestra Itália Brasil Ary Mantovani Palmeiras 6–2 Portuguesa Santista Campeonato Paulista [14]
2 gols ago 1976 Argentina Juan Ernesto Álvarez Colômbia Deportivo Cali Deportivo Cúcuta Campeonato Colombiano [15]
2 gols 19 ago. 2007 Estádio Jayme Cintra, Jundiaí Brasil Luiz Henrique Oliveira Paulista 5–5 Ituano Copa Federação Paulista [16]
2 gols 21 jan. 2012 Reino Unido Paul Owens Coleraine 3–1 Glenavon Camp. Norte-Irlandês [17]
2 gols 16/03/2014 Estádio Manoel José Viana de Sá Brasil Rondinelli São João da Barra 4–3 Ceres Campeonato Carioca- Série B [15]

Os 9 Gols Olímpicos de Petkovic[editar | editar código-fonte]

[18]

Competição Clube Placar Adversário Data Estádio
1 Copa do Brasil 1999 Vitória Bahia 2 – 2 São Paulo Palmeiras 9 de abril de 1999 Fonte Nova
2 Carioca 2000 Flamengo Rio de Janeiro 3 – 3 Rio de Janeiro Vasco da Gama 28 de maio de 2000 Maracanã
3 Carioca 2001 Flamengo Rio de Janeiro 4 – 1 Rio de Janeiro Madureira 22 de março de 2001 Maracanã
4 Carioca 2001 Flamengo Rio de Janeiro 4 – 2 Rio de Janeiro Olaria 14 de abril de 2001 Giulite Coutinho
5 Sul-americana 2005 Fluminense Brasil 2 – 1 Chile Universidad Católica 18 de outubro de 2005 Maracanã
6 Brasileiro 2006 Fluminense Rio de Janeiro 4 – 4 Rio Grande do Sul Grêmio 16 de julho de 2006 Olímpico
7 Brasileiro 2006 Fluminense Rio de Janeiro 2 – 2 São Paulo São Caetano 22 de julho de 2006 Maracanã
8 Brasileiro 2009 Flamengo Rio de Janeiro 2 – 0 São Paulo Palmeiras 18 de outubro de 2009 Palestra Itália
9 Brasileiro 2009 Flamengo Rio de Janeiro 3 – 1 Minas Gerais Atlético Mineiro 8 de novembro de 2009 Mineirão

Gols Olímpicos de Trivela[editar | editar código-fonte]

Normalmente, os gols olímpicos surgem após cobranças em que o jogador bate com a parte interna do pé, também conhecida por peito do pé. Porém, alguns jogadores já o fizeram com a parte de trás do pé, no chute conhecido por "trivela", ou "3 dedos". São eles:

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • O argentino Aníbal Francisco Cibeyra anotou três gols olímpicos com a camisa do Emelec em três clássicos consecutivos contra o Barcelona de Guayaquil. A façanha, realizada em 1978, lhe valeu o merecido apelido de "Louco dos Gols Olímpicos".[19]
  • Em 1953, o norte­irlandês Charliel Tully acertou um gol olímpico pelo Celtic (em partida contra o Falkirk). Porém, o árbitro mandou repetir a cobrança por considerar que a bola estava fora do arco localizado junto à bandeirinha. Tully fez nova cobrança e novamente o gol olímpico. Desta vez, porém, o gol foi validado.[19]

Referências

  1. esportes.r7.com/ Glossário de Futebol
  2. GALEANO, Eduardo: "El Fútbol a sol y sombra", Ediciones del Chanchito, Montevideo, 1995, p. 55
  3. «Ver, por exemplo, "Almanaque esportivo"». Consultado em 26 de dezembro de 2009 
  4. http://verforo.com/deportes/pb-12652135/viejos-jugadores-pele.html
  5. http://blog.soccerlogos.com.br/index.php?paged=7&s=am%C3%A9
  6. UOL (9 de novembro de 2009). «Em alta, Petkovic afirma que é recordista mundial de gols olímpicos» (em inglês). Consultado em 12 de novembro de 2012 
  7. a b massimopalanca.it/ La Storia
  8. portal2014.org.br/ Colômbia recorda 50 anos do único gol olímpico da história das Copas
  9. pt.fifa.com/ A história e a arte do gol olímpico
  10. sportsillustrated.cnn.com/
  11. fifa.com/ Getting to grips with the ‘gol olímpico’ (em inglês)
  12. [books.google.com.br/books?id=nTTi5SSuwl0C&pg=PA23 «Os recordes e as abobrinhas do Guiness»] Verifique valor |url= (ajuda). revista Placar. Consultado em set. 2004  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  13. [books.google.com.br/books?id=nTTi5SSuwl0C&pg=PA23 «Os recordes e as abobrinhas do Guiness»] Verifique valor |url= (ajuda). revista Placar. Consultado em set. 2004  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  14. «Que fim levou?». Terceiro Tempo. Consultado em 26 de agosto de 2012 
  15. a b lancenet.com.br/ Meia marca dois gols olímpicos no mesmo jogo e "agradece" a ventinho
  16. «Dois gols olímpicos e Luiz vira celebridade». Site Globo.com. Consultado em 20 ago. 2007 
  17. «Feitos insólitos e artilheiros inspirados». FIFA. Consultado em 25 de janeiro de 2012 
  18. Site oficial de Petković. «Números - Gols». Consultado em 17 de fevereiro de 2010 
  19. a b c d e f g parana-online.com.br/ A história e a arte do gol olímpico
  20. globoesporte.globo.com/ Veterano da seleção do Peru faz um golaço olímpico que ninguém esperava

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre esporte/desporto é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.