Caneta (futebol)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Uma "caneta" (ou, no Brasil: túnel, canetinha, janelinha, rolinho, ovinho, tabaca, em Angola: caguero, em Portugal: cueca, rata, ova) é uma habilidade usada principalmente no Futebol, mas também no hóquei em campo, hóquei no gelo e basquete. O objetivo é chutar, rolar, driblar, arremessar ou empurrar a bola (ou disco) entre as pernas (pés) do adversário.

A famosa caneta de Diego Maradona contra o rival Juan Cabrera,[1] o dia em que estreou na Primera División argentina, jogando pelo Argentinos Juniors, em 20 de outubro de 1976

Expoentes no futebol[editar | editar código-fonte]

Mural de Ronaldo nutmegging um jogador adversário, com a legenda "Joga bonito" (jogo bonito) na parte inferior. O trabalho em Berlim foi encomendado pela Nike antes da Copa do Mundo de 2006 na Alemanha

Chutar a bola pelas pernas de um oponente para passar a bola por elas e voltar ao jogador original é uma habilidade de drible que é comumente usada entre jogadores de futebol. Devido à sua eficácia e visualmente impressionante, é muito popular entre os jogadores e pode ser visto com frequência sendo tentado várias vezes ao longo de um jogo, seja por um único jogador ou por muitos jogadores diferentes. Alguns dos praticantes mais notáveis incluem Ronaldo, Ronaldinho, Robihno, Neymar, Luis Suarez, Lionel Messi, Eden Hazard e Tobin Heath.[2] Suarez, em particular, é conhecido por ter uma propensão para executá-lo constantemente, o que levou ao banner e dizendo 'Suarez e o rei da caneta'. durante o tempo que passou no Liverpool tem que ser pelas pernas, pois o jogador está de frente para você e não para as costas.[3][4][5]

Origem do termo[editar | editar código-fonte]

No jargão futebolístico brasileiro, dar uma caneta (ou passar uma caneta) é o ato de passar a bola entre as pernas de um adversário.

Ausente de dicionários portugueses, essa acepção do substantivo feminino “caneta” pode ser encontrada no Houaiss (“finta em que um jogador faz a bola passar entre as pernas de um adversário”) e no Aurélio (“ato de passar a bola entre as pernas do adversário”)

Em outros esportes[editar | editar código-fonte]

Na Associação Nacional de Basquete, Manu Ginóbili e Jamaal Tinsley empregam o passe entre as pernas. Alguns comentaristas também usam o termo " cinco buracos " sempre que isso acontece. O termo "cinco buracos" é usado no hóquei no gelo quando o disco passa entre as pernas do goleiro e entra no gol.[6]

Em outros idiomas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]


Referências

[1] [2] [3] [4] [5] [6] [7]

Leitura adicional[editar | editar código-fonte]

  1. «Lionel Messi was king of the nutmeg as Barcelona outclassed Manchester City... and he joins Cristiano Ronaldo, Ronaldinho and Luis Suarez in our top 10». Daily Mail. 19 de março de 2015 
  2. Collins, Neil (5 de julho de 2014). Make Us Dream: A Fan's View of the 2013/14 Season. [S.l.]: Lulu. p. 108 
  3. Page 57 "He nutmegged him ! ' 'He did,' said Peter Bailey, wonderingly, 'he did. A proper nutmeg.' What Jack had done, in fact, was to slip the ball between the legs.."
  4. Alex Leith Over the Moon, Brian - The Language of Football
  5. Seddon, Peter. "Football Talk - The Language And Folklore Of The World's Greatest Game"
  6. Ingle, Sean (7 de setembro de 2005). «Where does the term nutmeg come from - the final word». The Knowledge. London: The Guardian. Consultado em 1 de agosto de 2006 
  7. «Why Do They Call It the Five Hole?». 15 de outubro de 2010. Consultado em 24 de maio de 2015