Lionel Messi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Lionel Messi
Lionel Messi
Messi pela Seleção Argentina na Copa do Mundo FIFA de 2018
Informações pessoais
Nome completo Lionel Andrés Messi Cuccittini[1]
Data de nasc. 24 de junho de 1987 (34 anos)
Local de nasc. Rosário, Argentina
Nacionalidade argentino
Altura 1,69 m[2]
canhoto
Apelido Leo, D10S, La Pulga Atómica
Messias, ET,[3][4] Mágico[5][6]
Informações profissionais
Clube atual Paris Saint-Germain
Número 30
Posição atacante
Site oficial messi.com
Clubes de juventude
1995–2000
2000–2003
Newell's Old Boys
Barcelona
Clubes profissionais
Anos Clubes
2003–2004
2004–2005
2004–2021
2021–
Barcelona C
Barcelona B
Barcelona
Paris Saint-Germain
Seleção nacional
2004–2005
2007–2008
2005–
Argentina Sub-20
Argentina Sub-23
Argentina
Medalhas
Argentina
Ouro Pequim 2008 Equipe

Lionel Andrés Messi Cuccittini (Rosário, 24 de junho de 1987) é um futebolista argentino que atua como atacante. Atualmente joga pelo Paris Saint-Germain e pela Seleção Argentina, onde é capitão.

Messi é frequentemente considerado o melhor jogador do mundo[7][8] e na opinião da grande maioria dos especialistas do esporte, sua qualidade técnica, jogadas, velocidade, habilidade na perna esquerda, trabalho de equipe e extraordinária vocação para o gol, o tornam um dos melhores futebolistas de todos os tempos,[9] com alguns ainda o colocando como o melhor jogador de sempre.[10] Ele possui um recorde de seis Bolas de Ouro/Melhor Jogador do Mundo pela FIFA, quatro dos quais ele ganhou consecutivamente, um recorde de seis Chuteiras de Ouro, e em 2020 foi escalado no Dream Team da Bola de Ouro. Passou toda a sua carreira profissional no Barcelona, onde é o maior goleador do clube e recordista de troféus, conquistando 35 troféus, incluindo dez títulos da La Liga (Campeonato Espanhol), quatro títulos da Liga dos Campeões da UEFA e sete Copas do Rei, entre outros. Um goleador prolífico e um craque criativo, Messi detém o recorde de mais gols pelo Campeonato Espanhol (474), mais gols marcados em uma única edição do Campeonato Espanhol e de uma liga europeia (50), mais hat-tricks na Liga dos Campeões (8), mais hat-tricks pelo Campeonato Espanhol (36), maior assistente do Campeonato Espanhol (205), mais assistências em uma única edição do Campeonato Espanhol e de uma liga europeia (21),[11] maior assistente da Copa América (17) e futebolista com mais gols em um único ano (91). Ele já marcou mais de 750 gols na carreira pelo clube e pela Seleção[nota 1] e é o jogador com mais gols oficiais por um único clube.

Nascido e criado em Rosário, na Argentina, Messi foi diagnosticado com uma deficiência do hormônio do crescimento quando criança, então com 13 anos, se mudou para a Espanha para ingressar no Barcelona, que concordou em pagar por seu tratamento médico. Pelo Barcelona, Messi fez sua estreia aos 17 anos em outubro de 2004. Estabeleceu-se como jogador integral do clube nos próximos três anos. Pela sua primeira grande temporada em 2008–09, ele ajudou o Barcelona a alcançar a primeira tríplice coroa do futebol espanhol; naquele ano, com 22 anos, Messi ganhou seu primeiro Ballon d'Or. Três temporadas de sucesso se seguiram, com Messi vencendo três Ballons d'Or consecutivos, incluindo um quarto sem precedentes.

Durante a temporada 2011–12, ele estabeleceu o recorde de mais gols marcados em uma única temporada pelo Campeonato Espanhol e mais gols marcados em uma única temporada europeia, enquanto se estabeleceu como o maior goleador de todos os tempos do Barcelona. Nas duas temporadas seguintes, Messi terminou em segundo lugar no Ballon d'Or, atrás de Cristiano Ronaldo, seu principal rival na carreira. Messi recuperou sua melhor forma durante a temporada 2014–15, tornando-se o maior goleador de todos os tempos do Campeonato Espanhol e levando o Barcelona a uma segunda tríplice coroa, após o qual ele recebeu o quinto Ballon d'Or em 2015. Messi se tornou capitão do Barcelona em 2018 e em 2019 recebeu seu sexto Ballon d'Or, estabelecendo-se novamente como o maior vencedor do prêmio.

Pela Seleção Argentina, Messi é o maior goleador de todos os tempos.[12] No nível Sub-20, ele venceu a Copa do Mundo FIFA Sub-20 de 2005, terminando o torneio com a Bola de Ouro e Chuteira de Ouro, e venceu também uma medalha de ouro olímpica nos Jogos Olímpicos de Verão de 2008. Seu estilo de jogo e seus dribles com o pé esquerdo gera comparações com seu compatriota Diego Maradona, que descreveu Messi como seu sucessor.[13] Após sua estreia na seleção principal em agosto de 2005, Messi tornou-se o mais jovem argentino a jogar e marcar um gol em uma Copa do Mundo FIFA (durante a edição de 2006) e chegou à final da Copa América de 2007, onde foi nomeado o melhor jovem jogador do torneio. Após ser nomeado capitão da seleção em agosto de 2011, ele levou a Argentina a três finais consecutivas: a Copa do Mundo FIFA de 2014, pela qual ganhou o prêmio de melhor jogador, e as Copas América de 2015 e 2016. Após se frustrar na final da Copa América de 2016 ele anunciou sua aposentadoria internacional,[14] mas reverteu sua decisão e qualificou seu país para a Copa do Mundo FIFA de 2018 e conseguiu o terceiro lugar na Copa América de 2019. Em 2021 conquistou seu primeiro título com a seleção principal ao vencer a Copa América de 2021, sendo eleito melhor jogador e artilheiro da competição.

Um dos atletas mais famosos do mundo, Messi é patrocinado pela empresa de roupas esportivas Adidas desde 2006 e desde então, se estabeleceu como o principal endossador.[15][16] De acordo com a France Football, Messi foi o jogador mais bem pago do mundo em cinco dos seis anos entre 2009 e 2014, e foi classificado como o atleta mais bem pago do mundo pela Forbes em 2019.[17] Ele estava entre as 100 pessoas mais influentes da Time no mundo em 2011 e 2012.[18] Em fevereiro de 2020, foi premiado com o prêmio Laureus de atleta masculino do ano, tornando-se o primeiro futebolista e também o primeiro atleta de esportes coletivos a ganhar o prêmio. Mais tarde naquele ano, Messi se tornou o segundo jogador de futebol (e segundo atleta de esporte coletivos) a ultrapassar US$ 1 bilhão em ganhos na carreira.[19]

Infância e juventude

Filho de Jorge Messi e Celia Cuccittini,[20] desde criança demonstrava grande apego à bola, a ponto de negar-se a ir às compras com a família quando não lhe deixavam levar alguma bola.[20] Daria seus primeiros passos nas categorias menores do Abanderado Grandoli, um pequeno clube onde os outros membros da família já haviam jogado[20] - o endereço era a quinze quadras da casa dos Messi.[20] Entrou para a equipe após ser chamado pelo velho treinador para completar o time para uma partida. Tinha apenas quatro anos.[20]

Posteriormente, seu pai, Jorge, seria seu treinador na categoria baby do Grandoli.[20] Lionel conseguia se sobressair com garotos de até sete anos.[20] No entanto, o garoto não duraria muito tempo na equipe: os pais o tiraram do clube após não lhes deixarem acompanhar um jogo do filho por falta de dinheiro para pagar os ingressos.[20] Quando completou sete anos, ingressou então nas divisões menores do clube do coração, o Newell's Old Boys.[20] Ainda assim, não se contentava em jogar na Lepra, jogando regularmente futebol na rua da casa ao lado dos irmãos mais velhos Matías e Rodrigo Messi e dos primos maternos Emanuel e Maxi Biancucchi[20] Lionel àquela altura conseguia jogar contra adversários de dezoito anos.[20]

Porém, com onze anos detectou-se um problema hormonal que retardava o desenvolvimento ósseo de Messi e, consequentemente, seu crescimento.[20][21] Por um ano e meio, o tratamento de 900 dólares mensais,[20] que consistia em injeções alternadas em cada perna toda noite, foi custeado pela fundação onde seu pai trabalhava, até que a fonte secou.[20] Como o Newell's não quis custear a continuação do tratamento, o pai ofereceu o filho ao River Plate.[20][21] O interesse do clube da capital fez com que o Newell's voltasse atrás, mas de forma insuficiente, oferecendo duzentos pesos ao mês.[20]

Carreira

Barcelona

A descoberta

O pai, então, resolveu apostar a sorte no exterior, também para poupar a família dos efeitos da crise econômica que ocorria na Argentina.[22] Uma prima da mãe de Jorge Messi vivia em Lérida, na Catalunha, e acolheu os Messi. Lionel passou a ser observado por um olheiro do Barcelona,[22]que o recomendou para testes no clube. Com treze anos e 1,40 de altura, conseguiu se sair bem contra garotos dois anos mais velhos. Recebeu o apoio de Josep María Minguella, o mesmo homem que trouxera Diego Maradona ao Barça, mas o presidente Joan Gaspart e o diretor desportivo Carles Rexach hesitavam em adquirir o jovem, uma vez que teria de custear as despesas não só do tratamento, mas também da mudança familiar.[22]

O Barcelona só se convenceu após Rexach observar Messi, que estava no Infantil B, jogar pelo Infantil A contra uma equipe de jogadores bem mais velhos. Além de pagar pelo tratamento e pela mudança da família de Messi, o Barcelona também contrataria Jorge para ser informante.[22]

Ainda assim, o começo foi difícil. Um tratamento mais intensivo (e caro) precisou ser feito.[22]O Newell's negou-se a enviar a documentação necessária para o Barcelona, precisando-se de intervenção da FIFA em favor da permanência do garoto de 14 anos no clube catalão, uma vez que um jovem de sua idade necessitava estar ao lado do pai, oficialmente informante do Barcelona.[22]Com a família radicada na Espanha, cresceu 30 centímetros em trinta meses.[22]

No novo país, seria "rebatizado" de Leonel Messi, daí surgindo o apelido Leo.[22]Na temporada juvenil de 2002–03, marcou 37 vezes em 30 partidas e passou a ser conhecido pelos jogadores da equipe principal, criando boa relação com os brasileiros Fábio Rochemback, Thiago Motta e, principalmente, Ronaldinho, que lhe apresentaria como "seu irmão mais novo",[22]e com seus compatriotas Juan Román Riquelme e Javier Saviola.[22]Ainda sem ter estreado entre os profissionais, já era disputado pelas seleções juniores de Argentina e Espanha.[22]Arsène Wenger, treinador do Arsenal, conhecido por garimpar jovens e desconhecidos jogadores, chegou a convidá-lo para jogar na equipe inglesa, que na mesma época tirara Cesc Fàbregas das mesmas categorias do Barcelona,[22]que imediatamente prorrogou o contrato de Messi até 2012.[22]

Início como profissional

Messi, com 18 anos, jogando contra o Málaga em 2005

Messi foi integrado ao time principal na temporada 2003–04, com apenas dezesseis anos, debutando em um amistoso contra o Porto, na inauguração do Estádio do Dragão, em 16 de novembro de 2003. O primeiro jogo oficial, porém, viria quase um ano depois, na temporada seguinte. Foi no clássico contra o Espanyol, em 16 de outubro de 2004.[22]Tornou-se na época o mais jovem jogador do time em partidas oficiais, tanto pelo futebol espanhol quanto pela Liga dos Campeões da UEFA[22]- marcas que posteriormente seriam batidas por Bojan Krkić, em 2007. O primeiro gol viria contra o Albacete, já na temporada seguinte, em 1 de maio de 2005.[22]

Até então, Messi era desconhecido do público argentino,[22]mesmo já descoberto pela mídia de seu país natal: um jornalista da revista El Gráfico, que preparava uma reportagem sobre talentos precoces da América do Sul levados pelos europeus, impressionou-se com depoimentos sobre Messi, o que o levou a entrar em contato com Rexach.[23] Após descrença por parte da revista, cansada de "novos Maradonas" que não vingavam, o repórter conseguiu que o pai de Messi enviasse vídeos do filho, que finalmente convenceram a redação, logo publicando uma nota sobre o jovem,[23] ainda em 2003, onde Rexach previa que em dois anos o garoto já seria uma superestrela mundial.[22]

Depois de artilheiro, melhor jogador e campeão da Copa do Mundo FIFA Sub-20 de 2005, ganhou mais espaço no Barcelona, que renovaria mais uma vez seu contrato, até 2014. Na temporada 2005–06, conseguiu lugar cativo entre os titulares da campanha que resultaria no bicampeonato espanhol e na segunda Liga dos Campeões do clube. Todavia, não pôde atuar na decisão continental em virtude de uma lesão nas quartas-de-final, contra o Chelsea, após levar uma pancada de Asier del Horno.[22][24]

Em junho de 2005, renovou seu contrato com o Barcelona até o ano de 2014. Antes uma estrela coadjuvante de seu ídolo, Ronaldinho Gaúcho, foi aos poucos tomando o lugar deste, conforme decaía, após um longo período em que o brasileiro foi considerado o melhor jogador do mundo pela FIFA.[25][26]

2008–10: O despertar do auge e os prêmios

Na temporada 2008–09, Messi recebeu a camisa 10 após a saída de Ronaldinho[27] e assumiu definitivamente o posto de principal astro dos blaugranas, ao conduzir o time a uma inédita tríplice coroa (Copa do Rei, La Liga e Liga dos Campeões).[28] O novo treinador, Josep Guardiola, passou a utiliza-lo como falso 9.[29]

Com vários gols e lances geniais, alcançou inclusive a artilharia da Liga dos Campeões com nove gols marcados, um deles na grande final, vencida por 2–0 contra o Manchester United, em partida considerada por muitos como um "tira-teima", já que pôs frente à frente os dois principais jogadores do mundo no momento: Messi e Cristiano Ronaldo.[30][31]

Em 18 de setembro de 2009 renovou seu contrato com o Barcelona, agora com duração até 2016, uma cláusula de rescisão de 250 milhões de euros, e cerca 9 milhões e 500 mil euros anuais de salário. Meses depois, em 1 de dezembro, venceu o prêmio Ballon d'Or, entregue pela revista francesa France Football ao melhor jogador da última temporada.[32] Em 19 de dezembro, o Barcelona disputou a final da Copa do Mundo de Clubes da FIFA contra o Estudiantes, da Argentina, os catalães venceram na prorrogação com um dos gols marcados por Messi aos cinco minutos do segundo tempo, o jogo terminou com o placar de 2–1, dando pela primeira vez o título mundial de clubes à equipe.[33] Após a partida, Messi foi eleito não só o Homem do Jogo, mas também recebeu a Bola de Ouro, entregue ao melhor jogador do torneio.[34] Dois dias depois, em 21 de dezembro, Messi foi eleito pela primeira vez o Melhor jogador do mundo pela FIFA, à frente do português Cristiano Ronaldo, do brasileiro Kaká e dos espanhóis Xavi e Iniesta.[35] Finalizou o ano de 2009 com um total de seis títulos pelo Barcelona (Copa do Rei, La Liga, Liga dos Campeões da UEFA, Supercopa da Espanha, Supercopa da UEFA e Copa do Mundo de Clubes da FIFA) e os prêmios Ballon d'Or e de Melhor jogador do mundo pela FIFA. Era até então o melhor ano de sua carreira, mas anos ainda melhores estariam por vir.[36][37]

Já em 2010, no dia 16 de janeiro, marcou seu 100.º gol pelo Barcelona, aos 85 minutos de jogo, na vitória por 4–0 sobre o Sevilla.[38] Ainda nesta mesma partida, logo em seguida, marcou o de número 101, fechando a goleada.[39] Messi, em seguida, começou uma sequência impressionante de onze gols em cinco jogos. O primeiro veio contra o Málaga numa vitória por 2–1, em seguida, ele marcou mais dois contra o Almería num empate por 2–2. Continuou na semana seguinte, um hat-trick contra o Valencia numa vitória por 3–0, em seguida, mais dois contra o Stuttgart, na vitória por 4–0 que garantiu a classificação do Barcelona para as quartas de final da Liga dos Campeões, e, finalmente, mais um hat-trick contra o Real Zaragoza, em uma vitória por 4–2. Neste período, Messi chegou a espetacular marca de oito gols no período de uma semana. Fez seu 200° jogo oficial pelo Barcelona em 24 de março daquele ano, contra o Osasuna.[40]

Leo durante a Copa do Mundo de Clubes da FIFA de 2009, onde o Barça sagrou-se campeão

Em 6 de abril de 2010, pela primeira vez em sua carreira, Messi marcou quatro gols em uma única partida, na vitória por 4–1 sobre o Arsenal num Camp Nou lotado, que garantiu ao Barça a vaga na semifinal da Liga dos Campeões.[41][42] Aquela foi uma das melhores partidas da carreira do argentino, e, após esta partida, as atenções do mundo do futebol voltavam-se ainda mais para ele. Em 10 de abril, marcou seu 40.º gol da temporada 2009–10, o primeiro da vitória por 2–0 contra Real Madrid no Camp Nou, o chamado El Clásico.[43] Em 1 de maio, Messi jogou sua 50ª partida na temporada e marcou mais dois gols na vitória por 4–1 sobre o Villarreal.[44] Apenas três dias depois, em 4 de maio, Messi marcou mais dois em outra vitória, desta vez por 4–1 sobre o Tenerife. Em 8 de maio, ele marcou o seu 32° gol pela Liga, durante uma vitória fora contra o Sevilla, e fechou a temporada com mais dois gols contra o Real Valladolid, igualando o recorde de Ronaldo de mais gols marcados numa única temporada da La Liga, com 34 gols na temporada 1996–97.[45][46] Ao final da temporada, foi eleito o melhor jogador da La Liga pela segunda temporada seguida.[47]

2010–11: A melhor temporada da carreira, título espanhol e europeu

Messi em partida contra o Manchester City pela final do Troféu Joan Gamper

Em 21 de agosto, já pela temporada 2010–11, Messi marcou mais um hat-trick logo em sua primeira partida da temporada, uma vitória por 4–0 sobre o Sevilla, pela Supercopa da Espanha, competição em que o campeão espanhol enfrenta o campeão da Copa do Rei. Pela Liga, ele também iniciou a temporada com um gol, marcando logo aos três minutos contra o Racing de Santander, em 29 de agosto. Continuou em excelente forma para o jogo da Liga dos Campeões contra o Panathinaikos, onde marcou mais dois gols. Em 19 de setembro sofreu uma lesão no tornozelo no jogo contra o Atlético de Madrid, após uma violenta entrada do zagueiro Tomáš Ujfaluši.[48][49] De início, temia-se que Messi havia sofrido uma lesão que poderia ter retirado-o de campo por um período de seis meses, mas a ressonância magnética realizada no dia seguinte mostrou que ela não seria tão grave.[50]

Após a sua recuperação, retornou em outubro marcando no empate por 1–1 contra o Mallorca. Continuou sua fantástica sequência de gols marcando contra Copenhague, Real Zaragoza e novamente o Sevilla. Depois de um outubro espetacular, ele começou o mês de novembro marcando novamente contra o Copenhague, num empate em 1–1, e novamente num 3–1 contra o Getafe, onde também deu assistências para os outros dois gols. Neste período, desandou a marcar, e chegou a incrível marca de sete jogos consecutivos marcando gols, quebrando seu próprio recorde anterior, de seis. Chegou também a marca de 50 gols no de 2010. Contra o Almería, fez seu segundo hat-trick da temporada, em uma impressionante vitória por 8–0 fora de casa, sendo o segundo seu 100º gol pela La Liga. Chegou ao seu nono jogo consecutivo com gols (dez, se incluirmos o marcado pela Argentina num amistoso contra o Brasil) numa vitória em casa por 3–0 contra o Panathinaikos, pelo returno da fase de grupos da Liga dos Campeões. A sequência de jogos com gols terminou em 29 de novembro, no El Clásico contra o Real Madrid, onde o Barcelona venceu por 5–0. Messi não marcou nenhum, mas deu assistências para dois dos cinco gols. No jogo seguinte, marcou dois gols e deu mais uma assistência contra o Osasuna. No chamado El Derbi Barceloní, contra o Espanyol, partida em que o Barcelona venceu por 5–1, deu mais duas assistências.[51][52]

Em 10 de janeiro de 2011, iniciou o ano sendo eleito o melhor jogador do mundo pela segunda vez consecutiva, com o prêmio agora denominado Bola de Ouro da FIFA,[53][54] devido à junção do prêmio da FIFA com o da France Football. Venceu seus companheiros Xavi e Andrés Iniesta, ambos da Seleção Espanhola. Havia uma grande discussão em torno deste prêmio, já que Xavi e Iniesta haviam vencido a Copa do Mundo FIFA no ano anterior, e cogitava-se que o fato do torneio também ser organizado pela entidade máxima do futebol poderia pesar na decisão final da entrega do prêmio.[55][56]

Messi ao lado de Pepe, em 2011, durante um dos quatro jogos entre Real Madrid e Barcelona que aconteceram num curto período de pouco mais de duas semanas. Tal fato só havia ocorrido há quase um século

Seu primeiro gol no ano veio contra o Deportivo La Coruña, numa vitória por 4–0 fora de casa, novamente dando também duas assistências. No jogo seguinte, no dia 9 de dezembro, mais um hat-trick, o terceiro da temporada, contra o Real Betis.[57] Seguiu marcando gols contra Racing de Santander, Almería e Hércules. Em 5 de fevereiro, o Barcelona bateu o recorde de vitórias consecutivas na liga com 16 vitórias ao derrotar o Atlético de Madrid por 3–0 no Camp Nou. Messi fez uma partida espetacular e marcou mais um hat-trick. Depois de dois jogos sem gols, voltou a marcar contra o Athletic Bilbao em uma vitória por 2–1.[58] Na semana seguinte, marcou seu primeiro gol de cabeça na temporada numa vitória por 3–0 contra o Mallorca.[59] O Barcelona agora igualava o recorde de vitória seguidas fora de casa pela Liga, que pertencia ao Real Sociedad na campanha de 1979–80 com uma invencibilidade de 19 jogos fora de casa. Este recorde foi quebrado três dias depois, quando Messi marcou o único gol da vitória sobre o Valencia no Estádio de Mestalla.[60] Marcou mais um no Clásico contra o Real Madrid, realizado no Estádio Santiago Bernabéu.[61] Este foi o primeiro jogo da sequência de quatro entre Barcelona e Real Madrid num período de 18 dias. No segundo jogo, pela final da Copa do Rei, o Barça foi derrotado por 1–0 e acabou perdendo o título do torneio para os merengues.[62] Os outros dois jogos ocorreram pelas semifinais da Liga dos Campeões.

Pela fase decisiva da Liga dos Campeões, distribuiu uma assistência para David Villa na derrota por 2–1 para o Arsenal no Emirates Stadium pelo jogo de ida das oitavas de final.[63] No jogo de volta, marcou dois gols na vitória catalã por 3–1, eliminando o clube londrino do torneio, como já havia feito na temporada anterior, e classificando o Barça para as quartas-de-final.[64] No jogo de ida, distribuiu uma assistência e iniciou a jogada do primeiro gol da equipe na goleada por 5–1 sobre o Shakhtar Donetsk.[65] No jogo de volta, marcou o gol que garantiu a vitória do Barcelona por 1–0 e se tornou o maior artilheiro da história do clube em uma única temporada.[66] No jogo de ida da semifinais, Messi marcou dois gols contra o Real Madrid em pleno Santiago Bernabéu, um escorando a bola entre as pernas do goleiro Iker Casillas após cruzamento de Ibrahim Afellay e outro após uma espetacular arrancada desde o meio-de-campo, passando por quatro marcadores e finalizando com a perna direita, decretando a vitória por 2–0 dentro do estádio do maior rival do clube.[67] No jogo de volta, agora no Camp Nou, o simples empate por 1-1 garantiu a vaga dos catalães na final da Liga do Campeões,[68] onde enfrentaram os ingleses do Manchester United, repetindo a final de 2009 do mesmo torneio.[69] Messi realizou uma das grandes atuações na carreira na final,[70] marcando o segundo gol, dos 3–1 da vitória catalã, após passe de Andrés Iniesta, num belo chute forte, raso, e sem chances para Edwin van der Sar agarrar, além disso, iniciou a jogada que culminou no terceiro gol. Com a vitória, Messi conquistou sua terceira Liga dos Campeões, após 2005–06 e 2008–09.[71] Ao final da partida, foi eleito o Homem do Jogo, prêmio concedido pela UEFA ao melhor jogador da partida.[72]

Messi e seus companheiros de equipe celebrando o título da Liga dos Campeões, em Barcelona

Em 11 de maio, após o empate por 1–1 contra o Levante, o Barcelona sagrou-se campeão da La Liga de 2010–11 com duas rodadas de antecedência, abrindo seis pontos de vantagem sobre o Real Madrid a duas rodadas do final.[73] Este é o terceiro título nacional consecutivo do Barça, e o quinto desde que Messi começou a atuar na equipe. Messi finalizou a melhor temporada de sua carreira até então, com um total de 53 gols em 55 jogos: 31 pela Liga, 12 pela Liga dos Campeões, sete pela Copa do Rei e mais o hat-trick pela Supercopa da Espanha no primeiro jogo da temporada.[74][75]

2011–12: Números impressionantes e os primeiros recordes

Aos 24 anos de idade, Messi iniciou a nova temporada em alta. Disputou a Supercopa da Espanha de 2011 contra o arquirrival do Barcelona, o Real Madrid de Cristiano Ronaldo.[76] Nessa competição, marcou um dos dois gols no jogo de ida e dois no jogo de volta, se tornando o artilheiro da competição com três gols marcados e o título nacional.[77] Semanas mais tardes, por conquistar a Liga dos Campeões, teve o direito de disputar a Supercopa da UEFA contra o Porto. Nesse jogo, marcou o primeiro gol da partida e deu passe para o segundo gol, marcado por Cesc Fàbregas, levando o Barcelona ao seu segundo título nos primeiros meses da temporada.[78] No início do Campeonato Espanhol, marcou dois gols na vitória partida contra o Villarreal[79] e dois hat tricks (contra o Osasuna e o Atlético de Madrid nas vitórias por 8–0[80] e 5–0, respectivamente).[81]

Messi em jogo contra o Osasuna

Em 28 de setembro de 2011, Messi, que vinha apagado na Liga dos Campeões, marcou dois gols contra o BATE Borisov, entrando entre os artilheiros da competição e defendendo o título de artilheiro do torneio continental. Ao marcar o segundo gol, empatou com o ex-atacante catalão, László Kubala, se tornando o segundo maior goleador da história do Barcelona em competições oficiais com 194 gols marcados.[82] Logo depois, em um jogo contra o Racing de Santander, marcou dois gols e passou o ex-jogador húngaro. Antes mesmo de seu gol de número 200 pelo Barcelona, aconteceu no Campeonato Espanhol, diante do Mallorca, partida ao qual fez mais um 'hat trick', e o colocando com 132 gols marcados em partidas pelo campeonato nacional, um a mais que Kubala. O gol de número 200 aconteceu em uma partida da Liga dos Campeões, contra o Viktoria Plzeñ. Em 11 de dezembro, Messi bateu de frente mais uma vez com Cristiano Ronaldo, desta vez em um dérbi válido pelo Campeonato Espanhol, jogo que foi realizado no Estádio Santiago Bernabéu, em Madrid. Na partida, o Barcelona saiu perdendo com gol de Karim Benzema logo aos 25 segundos de jogo. Porém, aos 30 minutos, iniciou uma arrancada que resultou no gol de Alexis Sánchez, o de empate do Barcelona. Na segunda etapa do confronto, viu Xavi virar a partida e minutos mais tarde, participar do gol de Fàbregas, que selou a vitória de sua equipe por 3–1.[83]

No mês de novembro foi anunciado que Messi estaria entre os três finalistas, ao lado de Cristiano Ronaldo e Xavi na busca pela Bola de Ouro da FIFA de 2011, prêmio equivalente ao de melhor jogador de futebol do mundo no ano.[84][85] Além disto, o argentino concorreria também ao Prêmio Puskás, entregue ao autor do gol mais bonito do ano, que o argentino marcou em um jogo pela Liga dos Campeões nas oitavas de final contra o Arsenal, na vitória por 3–1.[86]

Com o título da Liga dos Campeões da UEFA conquistado na última temporada, Messi e o Barcelona ganharam o mérito de disputar o Mundial de Clubes da FIFA, representando a Europa. Entrando como favorito ao título, fez a sua estreia somente em 15 de dezembro no Estádio de Yokohama, no Japão enfrentando o Al-Sadd, do Catar. Nesse jogo, Messi não fez gol, mas participou dos feitos e ainda organizou o time, saindo de campo com uma atuação elogiada.[87] Na final, realizada em 18 de dezembro contra o Santos, time que tinha as promessas do futebol, Neymar e Paulo Henrique Ganso, o argentino desencantou, e logo nos primeiros 20 minutos de jogo, fez o primeiro gol da partida. Após um belo passe de seu companheiro Xavi, Messi ficou de frente pro gol e tocou a bola por cima do goleiro Rafael Cabral, abrindo o placar. No terceiro gol, foi lançado, porém foi desarmado pelo zagueiro santista, na sequência, após tentativas de Thiago Alcântara e Daniel Alves, o volante Cesc Fàbregas marcou. O último gol da partida foi marcado pelo argentino, que há menos de 10 minutos do final, recebeu um passe de Daniel Alves e driblou o goleiro, fechando a vitória dos catalães por 4–0 e garantindo o título mundial, o segundo de Messi, o segundo da história do Barcelona.[88] Ao término do jogo, foi premiado como o homem do jogo, ganhando um carro e a Bola de Ouro como melhor jogador do torneio, desbancando o companheiro de equipe, Xavi, e Neymar, que ficou com a Bola de Bronze.[89][90]

No dia 20 de dezembro, dois dias após a conquista do Barcelona no Mundial de Clubes, o ex-treinador multicampeão com o Boca Juniors e Vélez Sarsfield, Carlos Bianchi, exaltou as atuações de Messi, o colocando como o melhor jogador de futebol de todos os tempos, superando inclusive, os ex-jogadores Pelé e Diego Maradona.[91]

Em 9 de janeiro de 2012 Messi conquistou o prêmio Bola de Ouro da FIFA de 2011, ficando à frente do seu companheiro de equipe Xavi Hernández e de Cristiano Ronaldo.[92] Ao ganhar de novo este prêmio da FIFA, Lionel Messi tornou-se o terceiro futebolista a vencer por três vezes a premiação da entidade máxima do futebol, após Ronaldo e Zinédine Zidane, mas o primeiro na história a conquistá-lo em três anos consecutivos: 2009, 2010 e 2011. A premiação só não foi perfeita para Messi pois o Prémio FIFA Ferenc Puskás acabou ficando com o brasileiro Neymar, que venceu por um belíssimo gol marcado no Campeonato Brasileiro de 2011, contra o Flamengo.[93] Além do gol de Messi, a obra-prima marcada por Neymar venceu também um outro fantástico gol marcado por Wayne Rooney, após um voleio extremamente preciso no Dérbi de Manchester. No dia 14 de janeiro, fez seu primeiro grande triunfo em campo no ano de 2012, em um jogo realizado no Camp Nou, em Barcelona, válido pela Liga, Messi marcou dois gols na sofrida vitória por 4–2 diante do Real Betis. Naquela ocasião, fez seu time somar mais três pontos, e garantir seu time em segundo lugar na competição com 41 pontos, exatamente cinco atrás do Real Madrid.[94] Dias mais tarde, no Santiago Bernabéu, em Madrid, Messi encarou mais um derby contra o Real Madrid, desta vez válido pela Copa do Rei, a última vez que as equipes tinham se enfrentado nesse torneio, os merengues levaram a melhor na final com gol de Cristiano Ronaldo na prorrogação. Desta vez, Messi comandou o time a mais um grande triunfo na temporada. Após sair perdendo no placar com gol de Cristiano, participou de jogadas importantes e viu seus companheiros Carles Puyol e Éric Abidal marcarem seus gols, que garantiram a virada em 2–1 e vantagem no jogo de volta.[95] Nesse mesmo confronto, Messi participou de uma grande polêmica. Após uma tentativa de ataque, o argentino foi derrubado na área. Na sequência, o zagueiro brasileiro naturalizado português, Pepe acertou um pisão na mão de Messi, o que causou uma grande revolta da torcida catalã ao fim do jogo. O fato indignou muitos jogadores profissionais, algumas delas estrelas, como Wayne Rooney, atacante do Manchester United, que comentou em seu Twitter o ato.[96] O técnico do Real Madrid, José Mourinho declarou que não foi proposital. Pepe, em coletiva ao fim do jogo se dispôs a pedir desculpas a Messi.[97]

Messi na vitória de 2–1 contra o Real Madrid

O técnico do clube catalão, Josep Guardiola também comentou o fato ocorrido não demonstrando preocupação, e muito menos polemizar ainda mais o fato, admitindo que Se foi involuntário, foi, não acrescentando mais nada.[98] No dia 22 de janeiro, Messi fez seu primeiro grande triunfo na temporada, um hat trick (três gols em uma mesma partida). O feito ocorreu diante do Málaga, clube de importantes jogadores do futebol mundial como Júlio Baptista e Ruud van Nistelrooy. O jogador marcou dois belos gols, e mais um deles de cabeça, o que não é sua especialidade. O jogo acabou 4–1 para o time catalão com o chileno Alexis Sánchez completando ainda na primeira etapa. Com o resultado, a equipe ainda permanecia na segunda posição do campeonato espanhol, mirando o tetra campeonato seguido de Messi. Ao fim da partida, Messi comentou que todos os jogos são difíceis, ainda mais quando longes de casa, e que seu foco estaria no jogo da semana seguinte, contra o Real Madrid, pela volta da Copa do Rei.[99] Em 25 de janeiro, no jogo de volta da Copa do Rei, participou das jogadas que definiram o empate em 2–2 com o Real Madrid no Camp Nou, mas que acabou garantindo o Barcelona na próxima fase da competição nacional, derrotando mais uma vez, o rival de profissão, Cristiano Ronaldo. Os gols da partida foram marcados pelo brasileiro Daniel Alves e o espanhol Pedro. Messi se destacou ao fazer uma bela jogada, passando pelos zagueiros merengues antes de jogar a bola para o companheiro Pedro fazer o gol. Naquela altura, seu time abria o placar.[100]

Em 6 de fevereiro de 2012 Messi foi capa da edição internacional da revista estadunidense Time, com o título de King Leo (Rei Leo, em inglês, que faz uma referência ao filme O Rei Leão) que diz que o jogador é o "possível melhor" da história, embora faça uma ressalva sobre a relação de Messi com o povo argentino:[101]

Dois dias mais tarde, Messi entrou em campo para jogar as semifinais da Copa do Rei contra o Valencia, valendo uma vaga na final da competição nacional.[102] Nesse jogo, Messi arma a jogada para o primeiro gol, marcado por Fàbregas. Sua equipe venceu por 2–0 e se classificou. Posteriormente, o ex-jogador da Argentina, que defendia o Benfica de Portugal, Pablo Aimar se diz honrado por ser uma das inspirações de Messi antes de ser profissional. Messi afirmou que sempre o adorava ver jogando e descreveu Aimar como um jogador brilhante.[103] Em 11 de fevereiro Messi disputou uma partida juntamente com o time misto do Barcelona que se preparava para a grande final da Copa do Rei. Nesse jogo, Messi e seu time pouco futebol produziram e acabaram perdendo para o Osasuna, na época, o oitavo colocado da tabela de classificação do Campeonato Espanhol.[104] Ao longo do campeonato, sua equipe não tinha um bom rendimento, pois perdia pontos e chegou a ver o seu arquirrival abrir 13 pontos de diferença na competição, acabando praticamente com as chances de título do Barcelona. Na liga dos campeões, Messi abriu as oitavas de final com o pé direito ao marcar um gol e fazer uma bela jogada para o gol de Alexis Sánchez na vitória por 3–1 sobre o Bayer Leverkusen na BayArena, em Leverkusen.[105] Nesse jogo, saiu de campo elogiado pela atuação e confirmando o favoritismo de sua equipe. O fato curioso é que após o término da partida, os jogadores do Bayer, Michal Kadlec e Manuel Friedrich trocaram as camisas com o argentino, causando revolta do ex-jogador alemão e hoje dirigente, Rudi Völler. Segundo Voeller, seu time estava muito empolgado em garantir as souvenir ao fim do jogo, e que as camisas de Messi seriam leiloadas por uma boa causa.[106] Em 17 de fevereiro, juntamente de seu companheiro de profissão, Kaká, acabou doando camisas de jogo autografadas para leilões beneficentes.[107] Dois dias mais tarde, em 19 de fevereiro Messi faria mais um espetáculo na temporada, desta vez contra o Valencia, adversário da semifinal da Copa do Rei. Nesse jogo, o Barcelona venceu por 5–1, com quatro gols do argentino.[108] O primeiro deles foi em uma jogada de Pedro que terminou com conclusão de Messi, e no final da primeira etapa, administrou a virada. Marcou mais dois gols no segundo tempo e viu Xavi marcar o último da grande vitória. Ao fim do jogo, Messi foi aplaudido pelos catalães. Esse jogo foi muito mais do que especial, pois se tornou o mais jovem jogador do Barcelona a fazer 200 jogos oficiais pelas competições nacionais, superando Xavi, Iniesta e Valdés, seus atuais companheiros de equipe.[109] Em 26 de fevereiro sua equipe encarou mais um grande jogo pelo Campeonato Espanhol, desta vez contra o Atlético de Madrid, e fora de casa. Depois de ver seu time abrir o placar com Daniel Alves em uma jogada iniciada de seus pés, marcou um belo gol de falta aos 35 minutos do segundo tempo, que acabou liquidando a vitória dos cules sobre o time de Madrid por 2–1.[110][111] A aquela altura da competição, sua equipe continuava a 10 pontos do primeiro colocado, o Real Madrid, que tinha 64 pontos. No dia 28 de fevereiro, em uma entrevista coletiva do Barcelona, Messi reafirmou a quem estava presente que jamais jogaria no Real Madrid e sempre falando de seu desejo de continuar no Barcelona até o fim de sua carreira.[112]

Após cumprir suspensão no jogo do final de semana pela La Liga, contra o Sporting de Gijón, Messi retornou no dia 7 de março, em jogo válido pelas oitavas-de-final Liga dos Campeões da UEFA, mais um espetáculo do Barcelona protagonizado por seu camisa 10. Após vencerem por 3–1 no jogo de ida realizado na Alemanha, o Barça fez 7–1 no Camp Nou, com cinco gols de Lionel Messi.[113] No placar agregado, o Barcelona garantiu sua classificação por 10–2 (3–1 na ida, 7–1 na volta), e Messi quebrou mais alguns recordes. Tornou-se o primeiro jogador a marcar por mais de uma vez quatro gols numa única partida de Liga dos Campeões (a primeira havia sido em 6 de abril 2010, em partida contra o Arsenal), e posteriormente o primeiro a marcar cinco vezes numa mesma partida deste torneio. De quebra, ainda aproxima-se a passos largos para tornar-se o maior artilheiro em toda a história do Barcelona. Ao fim do jogo, o treinador Pep Guardiola comentou que o trono do futebol mundial pertence a Lionel Messi e só mudará quando ele deixa-lo. O argentino ajudou o Barcelona a realizar um momento histórico, baseado no bom futebol apresentado nos últimos tempos, se classificou para as quartas de finais pelo quinto ano seguido, sendo semifinalista em duas e campeão nos anos de 2009 e 2011.[114] Outro que comentou de Messi apontando vários elogios foi o zagueiro campeão mundial com a Alemanha, Franz Beckenbauer. Em uma entrevista cedida no dia 7 de Abril, o ex-zagueiro considera Messi um ser fantástico, reunindo qualidades de grandes jogadores antepassados como o compatriota Diego Maradona e Bobby Charlton, artilheiro da Inglaterra no último século.[115]

A três meses do fim da temporada europeia, que geralmente finaliza no mês de junho, Messi superou sua marca na temporada 2009–10 no dia 7 de março. Ao marcar o quinto gol diante do Bayer Leverkusen em jogo válido pela Liga dos Campeões, o argentino chegou ao seu gol de número 48 na temporada, já que na temporada anterior marcara 47 gols. Sua temporada com maior número de gols foi em 2010–11, com 53 tentos. Seu ex-companheiro de Barcelona e campeão da Liga dos Campeões de 2006, o português Deco, declarou que o Barcelona de hoje em dia sem Messi não seria o mesmo. Também considerou que Messi pode vir a ser o melhor jogador de todos os tempos.[116] Os cinco gols marcados diante do Leverkusen impressionaram grandes futebolistas do mundo inteiro, entre eles, o atacante do Manchester United, Wayne Rooney, comentando que o jogador é uma piada, o melhor jogador dos tempos. Outros que o exaltaram foram os jogadores campeões com o Brasil na Copa do Mundo, Ronaldo e Rivaldo. O vice-presidente do Milan, um dos maiores clubes da Itália, Adriano Galliani, comentou que testemunhou grandes craques do passado como Pelé, Diego Maradona e até Alfredo Di Stéfano, mas que porém nenhum deles poderia ser comparado a Messi.[117] No dia 10 de março, em uma enquete feita pelo jornal Marca, um dos mais famosos jornais europeus do mundo, Messi ficou como o melhor jogador de todos os tempos, recebendo uma quantia impressionante de 50.1% dos votos, aproximadamente 87 mil votos, desbancando Zidane, Maradona, Pelé, Cruyff e até mesmo Di Stéfano.[118] Um dia mais tarde, em 11 de Março, Messi marcou dois gols na vitória sobre o Racing Santander fora de casa em jogo válido pelo Campeonato Espanhol. O primeiro deles em uma jogada iniciada por Xavi, que encontrou Fàbregas livre na ponta direita frente a frente com o goleiro, na finalização, o argentino colocou o pé abrindo o placar. O segundo foi em um polêmico pênalti envolvendo Fàbregas, na sequencia cobrou a penalidade com perfeição, no canto esquerdo do goleiro Mario Fernández e definindo a vitória. Os dois gols marcados por Messi o colocaram na história do futebol argentino, se tornando o primeiro jogador a marcar mais de 30 gols em três temporadas consecutivas. Também chegou a impressionante marca de 50 gols na temporada, há três de igualar seu recorde da temporada passada, considerada a melhor de sua carreira. Messi até aquele momento estava há seis gols de se tornar o maior artilheiro da história do Barcelona, prestes a superar César Rodríguez, grande ídolo do clube catalão na década de 50, falecido no ano de 1995.[119] Com o resultado, o Barcelona chegava aos 60 pontos, continuando a ficar 10 pontos atrás do Real Madrid, que também venceria no fim de semana.[120]

Camisa de Messi

Em 12 de março, Lionel Messi realizou uma entrevista coletiva, e mostrou-se normal com a situação de estar prestes a se tornar o maior goleador da história do Barcelona.[121] Nessa coletiva, o argentino também argumentou sobre Pep Guardiola, o elogiando e apontando-o como o homem mais importante do clube na atualidade. O seu companheiro de equipe, Cesc Fàbregas comentou brevemente seus momentos de convívios com Messi, classificando-o como uma pessoa humilde, trabalhador e que gosta de jogar futebol.[122] Um dia mais tarde, o jornal espanhol AS noticiou que aos 13 anos, no ano de 2000, Lionel Messi teria recebido uma sondagem do Real Madrid, quase fechando o acerto.[123] O ex-jogador do Barcelona, Valencia e da Seleção Brasileira, Romário, foi outro que deu a sua opinião sobre Lionel Messi. Em uma entrevista, Romário disse que para ser o melhor teria que passar Diego Maradona, e depois o superá-lo, e em seguida superar Pelé e ganhar uma Copa do Mundo com sua Seleção.[124] No dia 17 de março, marcou um belo gol diante do Sevilla, que garantiu os três pontos do Barcelona na competição, ficando sete atrás do Real Madrid. A vitória foi por 2–0, para Messi, mais uma grande marca batida. Se tornou um dos únicos jogadores da história do clube catalão a chegar na incrível marca de 150 gols em campeonatos nacionais. Naquela altura, já estava há 5 gols de superar César Rodriguez e se tornar o maior artilheiro da história do Barcelona.[125] Posteriormente foi feita uma correção no histórico de estatísticas dos jogadores do Barcelona: César Rodríguez, segundo maior artilheiro da história do clube, teve 232 gols marcados com a camisa do Barça, fazendo com que Messi ficasse a apenas dois gols de superá-lo.[126]

Em 4 de abril de 2012, Lionel Messi protagonizou uma vitória de 3–1 sobre a equipe do Milan, da Itália pela Liga dos Campeões da UEFA. Em um polêmico jogo envolvendo os árbitros e os jogadores do time italiano, o atacante argentino marcou dois gols, todos eles de pênalti. A vitória encaminhou o Barcelona para uma incrível sequência de cinco semifinais seguidas na competição europeia.[127] O resultado sobre o Milan resultou num jogo contra o Chelsea valendo vaga para a final.[128] Nessa mesma semana, liderou o clube catalão a mais uma vitória no Campeonato Espanhol, sobre o Zaragoza por 4–1, com mais dois gols.[129] No dia 10 de abril, Messi marca mais um gol na vitória de 4–0 contra o Getafe no Camp Nou. Semanas se passaram e Messi jogou ao lado de Pedro e Sánchez, o primeiro jogo da semifinal da Liga dos Campeões, contra o Chelsea, e acabou sendo derrotado por 1–0, gol do marfinense Didier Drogba.[130]

2012–13: Messidependencia e novos recordes individuais

Messi em uma partida pelo Barcelona na temporada 2012–13

Durante o primeiro jogo do Barcelona da temporada contra o Real Sociedad, Messi continuou a marcar gols na vitória por 5–1 no Camp Nou. Messi acrescentou mais um gol de pênalti na vitória por 3–2 contra o rival Real Madrid no jogo de ida da Supercopa de Espanha em Barcelona em 23 de agosto.[131] Ele fez mais um gol contra o Osasuna na vitória por 2–1 fora de casa.[132] O atacante marcou mais um gol de falta, na segunda partida da Supertaça de Espanha, mas o Barcelona com 10 jogadores, perdeu para o Real Madrid e ficou como vice-campeão.[133] Ele marcou o seu 15.º gol no clássico contra o Real Madrid, que fez dele o artilheiro do Barcelona em jogos entre ambas equipes e o segundo maior da história do confronto, colocando-o ao lado de Raúl, atrás apenas de Alfredo Di Stefano, com 18 gols.[134][135] Marcou dois gols na vitória sobre o Spartak Moscou por 3 a 2 dentro de casa em 20 de setembro.[136]

Em 11 de novembro bateu o recorde de Gerd Müller e Pelé após marcar o seu 76.º gol[137] na temporada 2012–13, contra o Mallorca.[138][139] Ele fez o seu 78.º gol contra o Real Zaragoza.[140] Messi marcou duas vezes contra o Spartak Moscou na vitória por 3–0 fora de casa.[141] Marcou duas vezes contra o Athletic Bilbao e atingiu a marca de 84 gols na temporada.[142] Fez novamente dois gols em 9 de dezembro, e bateu a marca de Müller de 85 gols em 1972, contando com clube e Seleção.[143][144] Atingindo a marca de 86 gols na temporada.[145][146] Em 12 de dezembro, marcou duas vezes contra o Córdoba.[147][148] Em 16 de dezembro, fez dois gols na vitória sobre o Atlético de Madrid por 4–1.[149][150] Fez um gol contra o Real Valladolid e aumentou sua marca histórica para 91 gols.[151] Disputou a FIFA Ballon d'Or com Andrés Iniesta e Cristiano Ronaldo e novamente ficou como favorito.[152] Ganhou o quarto prêmio como melhor do mundo, sendo assim, entrou na história como o primeiro jogador a ganhar quatro vezes o prêmio até então.[153]

Após ganhar seu quarto prêmio seguido como melhor do mundo, Messi deu uma entrevista ao canal esportivo ESPN.[154]

Semanas depois, o então presidente do Barcelona, Sandro Rosseli, anunciou a renovação do contrato de Messi com o clube até o fim da temporada 2017–18.[155] Leo marcou um gol em 10 de fevereiro, contra o Getafe em mais uma vitória por goleada dentro de casa por 6 a 1.[156][157] Fez dois gols contra o Granada em 16 de fevereiro, e virou o jogo para sua equipe por 2–1 fora de casa, alcançando seu gol de número 300 pelo Barcelona.[158] Marcou mais um contra o Sevilla em vitória por 2–1 dentro de casa.[159][160] Fez um gol contra o Real Madrid na segunda partida contra o rival, desta vez pelo Campeonato Espanhol perdendo o jogo por 2–1 após empatar aos 18 minutos do primeiro tempo.[161] Com o tento marcado, Messi igualou Di Stéfano, maior artilheiro da história do clássico até então, com 18 gols.[162] Marcou ainda na vitória do Barcelona por 2–0 no Deportivo La Coruña em 9 de março.[163] Marcou mais dois gols na partida contra o Rayo Vallecano, no Camp Nou sua equipe venceu o jogo por 3–1 com o último gol sendo marcado por David Villa.[164] Atingiu o recorde de marcar 19 vezes consecutivas no Campeonato Espanhol na partida contra o Celta de Vigo, no dia 30 de março.[165] Já no dia 27 de abril, entrou no segundo tempo contra o Athletic Bilbao e marcou o gol que assegurou o empate em 2–2.[166]

Pela fase decisiva da Liga dos Campeões, conquistou a classificação para as quartas de final sobre o Milan no dia 12 de março em uma virada histórica, após marcar dois gols e ver sua equipe fazer mais dois, o Barcelona venceu o jogo em uma goleada por 4–0, ficando 4-2 no agregado para os catalães.[167] Leo marcou o primeiro gol no jogo de ida entre Paris Saint-Germain e Barcelona no empate por 2–2 pelas quartas da competição continental, o jogo contou com gol de Blaise Matuidi aos 46 minutos do segundo tempo.[168] No jogo de volta dentro do Camp Nou, entrou apenas no segundo tempo devido a uma lesão. Mesmo assim, foi decisivo para os blaugranas ao iniciar a jogada que empataria o jogo 1–1.[169] O resultado se manteve até o fim da partida, o que foi suficiente para classificar o Barcelona para as semifinais seguindo a regra do gol fora de casa.[169] Ainda sem estar 100% fisicamente, teve uma atuação discreta no jogo de ida contra o Bayern de Munique, os bávaros finalizaram mais vezes, neutralizaram a criatividade de Messi e dominaram a partida em uma goleada por 4 a 0,[170] sendo esta a pior derrota da carreira do argentino em competições internacionais.[171] Ainda sofrendo problemas físicos, o argentino não entrou em campo no jogo de volta, o Bayern venceu por 3–0 na Catalunha e avançou para a final.[172] Após esses jogos, a expressão "Messidependencia" ganhou mais credibilidade, a mesma serve para designar a dependência que o clube criou das boas atuações do atacante em jogos decisivos.[173]

Chegou a marca de 215 gols pelo Barcelona em campeonatos espanhóis após marcar duas vezes contra o Bétis em 5 de maio de 2013, ficando a uma vitória do título.[174] Neste mesmo jogo, Messi alcançou mais uma incrível marca em sua carreira: aos 25 anos de idade e apenas nove temporadas em ação, "La Pulga" havia igualado o número de gols do maior ídolo da história do futebol argentino, Diego Maradona, em seus 22 anos de carreira (entre 1976 e 1998).[175][176] O único quesito em que Maradona ainda levava larga vantagem era em relação ao número de gols pela Seleção Argentina. O "Pibe" marcou 14 vezes em Copas do Mundo, contra apenas um tento de Messi até então, marcado na Copa do Mundo FIFA de 2006. No total, foram 34 gols marcados por Maradona em partidas pela "Albiceleste", enquanto Messi já somava 32. Após o título espanhol, Messi saiu com lesão muscular na partida contra o Atlético de Madrid em 12 de maio.[177] Depois do diagnóstico, Messi ficaria fora da temporada, e seria desfalque certo para os três jogos restantes da temporada.[178] O alto número de gols ainda lhe renderiam sua terceira Chuteira de Ouro da UEFA alguns meses depois pelos feitos nessa temporada.[179]

2013–14: Novas lesões e temporada sem títulos

Após a saída de Tito Vilanova, o Barcelona anunciou Tata Martino como novo técnico da equipe.[180] Após um início de temporada irregular, Messi sofreu sua quarta lesão no ano corrente de 2013 e desfalcou sua equipe por dois meses.[181] Apesar das constantes lesões, Messi havia entregue na temporada anterior o segundo ano com maior número de gols na carreira, o que lhe rendeu a segunda colocação na Bola de Ouro da FIFA, atrás do português Cristiano Ronaldo e a frente do francês Franck Ribéry.[182]

Durante a segunda metade da temporada, houveram questionamentos sobre o desempenho de Messi. Estatisticamente, sua contribuição em gols, chutes e passes havia deteriorado significativamente nessa temporada, o que levou a BBC Sport a questionar se Cristiano Ronaldo não havia se tornado melhor que o argentino.[183][184] Mesmo com questionamentos, quebrou três marcas históricos em apenas uma semana, no dia 16 de março, diante do Osasuna, Messi se tornou o maior artilheiro da história do Barcelona com 371 gols, assim ultrapassando o ex-atacante Paulino Alcántara.[185] O jogo terminou 7–0 para o Barcelona, com direito a hat-trick do atacante.[185] Outras marcas batidas nesse período ocorreram em um clássico contra o Real Madrid, La Pulga marcou um hat-trick em pleno Santiago Bernabéu e se tornou o maior artilheiro da história do El Clásico, além de ter se tornado o segundo o maior goleador da história do Campeonato Espanhol.[186]

Jogando pela fase de grupos da Liga dos Campeões, marcou um hat-trick na goleada por 4–0 sobre o Ajax,[187] e foi fundamental para a classificação do Barça para as oitavas de final após marcar dois gols contra o Milan na vitória por 3 a 1 na Catalunha.[188] Pela fase decisiva, marcou um gol perante o Manchester City nas oitavas de final e ajudou na vitória por 2–0 no Etihad Stadium,[189] no jogo de volta, marcou novamente na vitória do Barcelona por 2–1, sendo assim, a equipe avançou para as quartas de finais.[190] No jogo de ida contra o Atlético de Madrid, Messi teve uma atuação discreta e a partida acabou em 1–1,[191] no jogo de volta, o Atlético conseguiu a classificação para as semifinais em uma vitória por 1–0, o argentino teve outra atuação apagada e a equipe fugiu de suas próprias características ao perder a posse de bola e não conseguir realizar infiltrações pelo meio devido à pressão na saída de bola e à boa atuação da defesa colchonera.[192]

Pela primeira vez em cinco anos, o Barcelona terminou a temporada sem conquistar grandes títulos. Os blaugranas perderam a final da Copa do Rei para o Real Madrid em um jogo com ampla desorganização tática e defensiva dos culés e uma boa atuação de Gareth Bale,[193] além disso, ficaram na segunda colocação do Campeonato Espanhol e viram o Atlético de Madrid sagrar-se campeão dentro do Camp Nou após um empate por 1 a 1 que contou com assistência de Messi.[194] Meses após o fim dessa temporada, o próprio futebolista falou sobre seu rendimento e reconheceu que "fez uma temporada irregular", além disso, afirmou que "2014 foi um ano ruim que quis esquecer rápido".[195]

2014–15: Tríplice Coroa

Após Tata Martino deixar o cargo, ficando apenas uma temporada no clube, Luis Enrique assumiu a equipe no dia 19 de maio.[196] Messi ficou um longo período sem lesões no início da temporada, o que lhe permitiu ter um bom desempenho, quebrando diversos recordes relevantes.[197] No dia 27 de setembro, Messi marcou duas vezes e distribuiu três assistências perante o Granada, sendo assim, ele passou da marca de 400 gols na carreira na goleada em partida válida pela La Liga.[198] Outras marcas históricas foram superadas por Leo ainda em 2014, ele ultrapassou Telmo Zarra e se tornou o maior artilheiro do Campeonato Espanhol, com 353 gols, em partida contra o Sevilla, em que o Barcelona venceu por 5–1 e Messi realizou um hat-trick.[199] Três dias depois, superou Raúl como maior goleador da Liga dos Campeões da UEFA, com 74 gols, em partida contra o APOEL, em que o Barcelona venceu por 4–0 com Messi registrando outro hat-trick.[200] Contra o Espanyol, em 7 de dezembro, balançou as redes três vezes novamente, tornando-se o maior marcador do dérbi barcelonês, com 12 gols.[201]

Pela fase de grupos da Liga dos Campeões, o argentino marcou na derrota pelo placar de 3 a 2 para o Paris Saint Germain fora de casa na primeira rodada.[202] Na terceira rodada, distribuiu uma assistência e marcou um gol na vitória catalã sobre o Ajax por 3–1 no Camp Nou.[203] Na quarta rodada, se igualou a Raúl como maior artilheiro da Liga dos Campeões ao marcar dois tentos contra os mesmos holandeses, ele ultrapassaria o recordista pouco tempo depois como mencionado anteriormente.[204] Messi foi essencial para o Barcelona se consolidar na liderança do grupo ao marcar dentro de casa contra os parisienses, os culés venceram os então vice-líderes por 31, com La Pulga marcando o primeiro gol e participando da jogada do último.[205]

Messi se destacou no clássico contra o Real Madrid no Camp Nou pelo Campeonato Espanhol, apesar de não ter feito gol, deu assistência para o zagueiro Mathieu abrir o placar, após ver Suárez marcar, o futebolista comemorou a vitória com o placar de 2–1 sobre os rivais.[206] Foi novamente decisivo ao marcar o gol da vitória sobre o Atlético de Madrid por 1–0, jogando fora de casa, ele foi o principal responsável por garantir o título do Campeonato Espanhol para a equipe com uma rodada de antecedência.[207]

Pela fase decisiva da Liga dos Campeões, deu o passe inicial para os dois gols de Suárez na vitória blaugrana por 2–1 sobre o Manchester City na Inglaterra e ainda teve uma penalidade defendida nos acréscimos do segundo tempo.[208] No jogo de volta, teve uma ótima performance e deu uma assistência para Rakitić, o Barcelona venceu por 1–0 e avançou para as quartas de final.[209] No jogo de ida, Messi finalizou algumas vezes e distribuiu uma assistência para Neymar, após ver Suárez marcar mais dois, os culés venceram o Paris Saint-Germain por 3–1 em pleno Parc des Princes.[210] No jogo de volta, finalizou quatro vezes mas passou em branco na vitória por 2–0 dos catalães sobre os parisienses dentro de casa.[211] Realizou uma das atuações mais memoráveis de sua carreira no jogo de ida da semifinal contra o Bayern de Munique de Pep Guardiola, o jogo estava em 0–0 até os 30 minutos do segundo tempo, Messi marcou dois gols em um espaço de quatro minutos, no primeiro, finalizou repentinamente de fora da área e no segundo, aplicou um drible desconcertante em Boateng e encobriu Neuer com um toque sutil, ele ainda daria uma assistência para Neymar definir o placar nos acréscimos, sacramentando a vitória do Barcelona por 3–0 no Camp Nou.[212] No jogo de volta, os bávaros derrotaram os catalães por 3–2, com Messi iniciando a jogada dos dois gols de Neymar, os catalães avançaram para a final em um placar agregado de 5–3.[213] Na final contra a Juventus, Leo participou ativamente da partida, ele iniciou a jogada que culminaria no segundo e terceiro gol da equipe, o Barcelona acabou por vencer por 3–1, sagrando-se pentacampeão europeu, sendo este o quarto título continental do argentino.[214]

Pelas quartas de final da Copa do Rei, marcou o único gol da vitória por 1–0 sobre o Atlético de Madrid dentro de casa,[215] no jogo de volta, iniciou a jogada do primeiro gol da equipe na vitória por 3–2, sendo assim, os catalães avançaram para as semifinais.[216] No jogo de ida, marcou o primeiro gol e iniciou a jogada do terceiro dos culés na vitória por 3–1 sobre o Villarreal, no jogo de volta, o argentino distribuiu uma assistência em outra vitória por 3–1 do Barcelona.[217] Na final da Copa do Rei contra o Athletic Bilbao, Messi realizou uma das grandes atuações de sua carreira, ele foi autor de dois gols, sendo muito relevante para a conquista do título após uma vitória por 3–1.[70][218] Contudo, a principal razão do porquê essa atuação é lembrada se deve a forma como marcou o primeiro gol, o argentino recebeu a bola próximo da linha do meio-campo, driblou três defensores em velocidade de uma só vez, invadiu a área, passou por outro defensor e finalizou no canto esquerdo, o tento concorreu ao Prêmio Puskás e foi apelidado de gol "maradoniano" pela imprensa espanhola, em referência ao ex-futebolista Diego Maradona.[218][219]

Do ponto de vista individual, Messi foi vice artilheiro da liga espanhola, com 43 gols e foi o maior assistente do campeonato, com 18 passes para gol.[220][221]

2015–16: Quinta Bola de Ouro e mais títulos

Começou a temporada 2015–16 marcando dois gols de falta na épica vitória do Barcelona sobre o Sevilla por 5–4 na decisão da Supercopa da UEFA.[222] Marcou também no segundo jogo da decisão da Supercopa da Espanha contra o Athletic Bilbao, que sagrou-se campeão da competição por haver vencido a primeira partida por 4–0.[223] No dia 28 de agosto de 2015, recebeu o prêmio de Melhor Jogador da Europa da temporada passada, ficando a frente de Cristiano Ronaldo e Luis Suárez.[224] Messi se lesionou num jogo contra o Las Palmas pelo Campeonato Espanhol, ficando dois meses sem jogar. O argentino não se lesionava desde 2013.[225]

Messi voltou a jogar no dia 21 de novembro, recuperado da lesão, no clássico contra o Real Madrid realizado no Santiago Bernabéu, vencido pelo Barcelona por 4–0. Nessa partida, Messi jogou apenas o segundo tempo.[226] Já no dia 20 de dezembro, marcou um gol na decisão da Copa do Mundo de Clubes da FIFA, no Japão, na vitória de sua equipe por 3–0 sobre o River Plate.[227] No dia 9 de janeiro de 2016, pelo Campeonato Espanhol, Messi marcou um hat-trick na vitória do Barcelona por 4–0 sobre o Granada, fazendo o Barça voltar a liderança da Liga.[228] Três dias antes o craque já havia marcado dois gols na goleada sobre o Espanyol por 4–1, pela Copa do Rei, no jogo de ida das oitavas de final.[229]

No dia 11 de janeiro, Lionel Messi venceu a eleição de Melhor Jogador do Mundo por ter sido campeão de praticamente tudo no ano de 2015, e ainda vice-campeão da Copa América com a Argentina.[230] Essa foi a quinta vez em sua carreira que Messi venceu a Bola de Ouro da FIFA; a última vez havia sido em 2012. Além disso, o argentino também fez parte do time ideal da FIFA de 2015, ao lado de seus companheiros Daniel Alves, Andrés Iniesta e Neymar.[231] Messi ainda disputou o prêmio de gol mais bonito do ano no Prêmio Puskás, com seu golaço marcado na final da Copa do Rei da temporada passada contra o Athletic Bilbao, mas foi superado pelo brasileiro Wendell Lira.[232]

No dia 3 de fevereiro, marcou três vezes na goleada de 7–0 sobre o Valencia pelo primeiro jogo da semifinal da Copa do Rei. Messi, Luis Suárez e Neymar deram um show e foram os grandes destaques da partida. O argentino marcou o terceiro gol do jogo, depois de passe de letra do brasileiro e "deixadinha" do uruguaio, após uma jogada iniciada por Andrés Iniesta ainda no primeiro tempo. Na segunda etapa ampliou a vantagem, fazendo boa jogada individual dentro da área, e finalizando no canto direito do goleiro. Minutos depois marcou o quinto da goleada, depois de vacilo do zagueiro adversário, Messi tomou a bola e chutou forte e rasteiro. Nessa mesma partida ainda sofreu um pênalti no fim da primeira etapa, desperdiçado por Neymar.[233]

Ultrapassou a marca de 300 gols pela La Liga marcando duas vezes na vitória sobre o Sporting de Gijón por 3–1, isolando o Barça na liderança do campeonato, com seis pontos a mais que o vice-líder Atlético de Madrid.[234][235] No dia 23 de fevereiro, Messi quebrou o incômodo tabu de nunca haver marcado um gol sequer no goleiro checo Petr Čech. O feito aconteceu no confronto contra o Arsenal no jogo de ida das oitavas de finais da Liga dos Campeões da UEFA, onde Messi marcou duas vezes na vitória do Barcelona por 2–0 em pleno Emirates Stadium. Quando Čech defendia o Chelsea, Messi o enfrentou em duas oportunidades: na semifinal da Liga dos Campeões de 2009 e na de 2012. Esta última foi a mais traumática já que o Barcelona acabou eliminado em pleno Camp Nou, e Messi ainda desperdiçou um pênalti. Em partida contra o Sevilla pelo Campeonato Espanhol Messi marcou um golaço de falta, empatando a partida em 1–1. Esse foi o sexto gol de falta de Lionel Messi nessa temporada, o que a torna a melhor temporada de Messi em relação as cobranças de falta. Uma curiosidade é que todas elas entraram no canto esquerdo do goleiro.[236] No fim o Barcelona venceu por 2–1 e se isolou na liderança com oito pontos a frente do vice-líder Atlético de Madrid e doze do rival Real Madrid. Com a derrota por 2–0 para o Atlético de Madrid o Barcelona foi eliminado da Liga dos Campeões da UEFA. Messi encerou sua participação na competição com seis gols marcados em sete partidas disputadas. Messi ainda viria a conquistar os dois títulos nacionais: Campeonato Espanhol e a Copa do Rei, marcando um gol na vitória por 2–0 contra o Sevilla na final.

2016–17: Quarta Chuteira de Ouro

Com um novo visual, com os cabelos completamente loiros, Lionel Messi destacou-se numa partida contra a Sampdoria no Camp Nou pelo Taça Juan Gamper. Logo no início do jogo o argentino deu uma passe genial de bicicleta para o uruguaio Luis Suárez abrir o placar. Depois Messi faria dois gols, o primeiro após driblar o goleiro, e o segundo acertando uma bela cobrança de falta, ajudando o Barça a vencer a partida por 3–2.[237] Fez mais dois na estreia pela La Liga, ajudando o Barça a golear o Betis por 6–2 no Camp Nou.[238] Na quarta rodada do campeonato, marcou dois gols e distribuiu uma assistência, ajudando na vitória sobre o Leganés por 5–1 pelo Campeonato Espanhol.[239] No dia 10 de dezembro, fez mais dois na vitória por 3 a 0 contra o Osasuna na La Liga.[240] Já no dia 18 de dezembro, destacou-se contra o Espanyol na goleada por 4–1 contra o rival também catalão. Leo fez um gol e ainda realizou duas ótimas jogadas individuais que acabaram em gols de Luis Suárez e Jordi Alba.[241] Em seguida Messi voltou a ser decisivo, agora contra o Atlético de Madrid: o argentino marcou um gol nos minutos finais da partida, garantindo assim a vitória do clube catalão por 2–1 sobre os Colchoneros.[242]

No dia 4 de março, destacou-se na goleada de 5–0 sobre o Celta de Vigo em partida válida pelo Campeonato Espanhol, tendo feito dois gols em jogadas individuais e ainda participado de outros dois gols, dando assistência para o gol de Umtiti e iniciando a jogada do gol marcado por Ivan Rakitić, as participações do atacante foram muito relevantes já que o Barcelona recuperou a liderança do campeonato após a vitória.[243] Em 23 de abril, ainda pelo Campeonato Espanhol, realizou uma das melhores e mais marcantes atuações na carreira, após Casemiro abrir o placar para o Real Madrid, Messi, com algodão na boca após sangrar devido a uma cotovelada de Marcelo, driblou Daniel Carvajal e marcou para os catalães, com Ivan Rakitić e James Rodríguez igualando os marcadores para ambos os lados e após sofrer diversas faltas ao longo do jogo, o argentino recebeu passe de Jordi Alba e marcou nos acréscimos do segundo tempo, proporcionando a virada, ele chegou a 500 gols com a camisa do Barcelona.[244] Após marcar o gol decisivo, o futebolista realizou uma comemoração emblemática ao tirar sua camisa e mostrá-la com o número 10 virado em frente à torcida madridista em pleno Santiago Bernabéu.[70]

Na estreia dos catalães pela Liga dos Campeões, Messi marcou um hat-trick na goleada sobre o Celtic por 7–0 dentro de casa. Com os três tentos, ele superou Alfredo Di Stéfano como o argentino mais goleador da história e superou o número de hat-tricks de Ferenc Puskás e Cristiano Ronaldo na competição, tornando-se o jogador que mais vezes marcou hat-tricks na Champions.[245] Marcou outro hat-trick no dia 19 de outubro, dessa vez na goleada por 4 a 0 contra o Manchester City, tornando-se o maior artilheiro do torneio em jogos dentro de casa, com 50 gols à época.[246] Marcou na derrota por 3–1 para os citizens e tornou-se o jogador com mais gols na fase de grupos da Liga dos Campeões, superando o recorde de Raúl González.[247] La Pulga ainda fez dois gols na fase de grupos, sendo essencial para a classificação para as oitavas com o Barça líder do grupo, na vitória por 2–0 no jogo de ida contra os escoceses.[248] Pelas oitavas de final, Messi foi bem marcado e teve uma atuação apagada no jogo de ida contra o Paris Saint-Germain, os parisienses aparentavam ter encaminhado a classificação ao golearem por 4–0 no Parc des Princes, igualando a maior derrota em taças internacionais da carreira de Leo.[249][250] No jogo de volta, ocorreu uma das maiores viradas da história da Liga dos Campeões, Messi marcou um dos gols e ajudou na vitória por 6–1 no Camp Nou, a mesma contou com grande atuação de Neymar, sendo assim, o Barcelona avançou para as quartas com o placar agregado em 6 a 5 para os blaugranas.[251] O jogo também ficou marcado por uma das fotos mais emblemáticas da carreira do apelidado Et, a foto tirada por Santiago Garcés mostra o futebolista comemorando com a torcida após o último gol da equipe.[252] Nas quartas de finais, o jogo de ida contou com grande atuação do goleiro Gianluigi Buffon e terminou em vitória da Juventus por 3–0.[253] O jogo de volta foi marcado por uma ótima atuação defensiva dos italianos e terminou em 0 a 0 na Catalunha, o Barcelona foi eliminado nas quartas pela segunda vez consecutiva.[254]

Encerrou a temporada, ao todo, com 54 gols marcados em 52 partidas disputadas, temporada que não foi muito promissora para o clube catalão que pôde comemorar apenas a conquista do tricampeonato da Copa do Rei após bater o Alavés na decisão.[255] Do ponto de vista individual, Leo foi o artilheiro da Liga Espanhola com 37 gols, superando o companheiro Luis Suárez e o português Cristiano Ronaldo,[256] por esses gols, venceu sua quarta Chuteira de Ouro da UEFA após o fim da temporada, igualando-se ao recordista Cristiano Ronaldo, recorde esse que o próprio Messi ultrapassaria ao ganhar a sua sexta em 2019.[257][258] O argentino também foi selecionado para FIFPro World XI, a equipe do ano eleita pelo comitê da Federação Internacional de Jogadores Profissionais de Futebol, para a Equipe do Ano da UEFA, eleita pela União das Associações Europeias de Futebol e foi eleito o segundo melhor jogador do mundo, superando o brasileiro Neymar por quase o dobro de pontos dele e ficando atrás de Cristiano Ronaldo na disputa pela Ballon D'Or, o resultado também se repetiu no FIFA The Best.[259][260]

2017–18: Doblete nacional e quinta Chuteira de Ouro

Em 5 de julho de 2017, renovou seu contrato com o Barcelona até 2021.[261] Em sua primeira partida oficial na temporada, marcou o único gol do Barcelona, na derrota por 3 a 1 para o Real Madrid, no Camp Nou, pela partida de ida da Supercopa da Espanha.[262] Pela segunda rodada da La Liga de 2017–18, perdeu um pênalti, mas marcou os dois gols da vitória sobre o Alavés por 2–0.[263] Na rodada seguinte, no clássico contra o Espanyol, marcou seu primeiro hat trick na temporada, na vitória por 5–0.[264] Em 19 de setembro, marcou quatro gols na goleada sobre o Eibar por 6–1.[265] Em 4 de novembro, em partida contra o Sevilla, completou 600 jogos com a camisa do Barcelona, passando em branco na vitória por 2–0.[266]

Na primeira rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões, contra a Juventus, no Camp Nou, fez dois gols e distribuiu uma assistência na vitória por 3–0, sendo também a primeira vez que marcou gols em Gianluigi Buffon, o jogo proporcionou a vingança do clube já que os italianos os haviam eliminado na temporada anterior.[267] Pela terceira rodada, marcou o seu 100.º gol em competições da UEFA e distribuiu uma assistência na vitória por 3–1 sobre o Olympiacos.[268] Já pela fase decisiva, no jogo de ida das oitavas de final, Messi marcou o gol do empate fora de casa contra o Chelsea, ajudando o Barça a sair de Londres com a vantagem de se classificar para as quartas de final com uma vitória simples no Camp Nou, o tento marcou o primeiro gol que o argentino realizou contra os Blues, equipe que o havia eliminado em 2012.[269] No jogo da volta, disputado em 14 de março, o camisa 10 culé teve uma ótima atuação, marcando dois gols e dando assistência para o gol de Ousmane Dembélé depois de ter feito uma linda jogada individual, a partida acabou com placar de 3–0 para os blaugranas, além de ser essencial para a classificação, Leo marcou o seu centésimo gol na Liga dos Campeões naquela partida.[270] No jogo de ida das quartas, o Barcelona goleou a Roma por 4–1, em jogo que contou com dois gols contra da defesa italiana, sendo uma das jogadas desses gols iniciada por Messi.[271] O Barcelona, surpreendentemente, foi eliminado pela Roma no jogo de volta em uma das maiores viradas da história da competição, os donos da casa venceram por 3–0 no Estádio Olímpico, a partida contou com muita pressão da equipe e sua torcida, além de uma ótima atuação defensiva dos zagueiros e do goleiro Alisson.[272][273]

Pela La Liga de 2017–18, o Barcelona foi campeão[274] pela 25ª vez do torneio, sendo o campeão com mais rodadas de antecedência da competição da história.[275] Messi foi mais uma vez, o destaque da temporada, La Pulga foi artilheiro isolado do campeonato com 34 gols. Barcelona quase foi campeão invicto da competição, perdeu apenas uma vez, e na penúltima rodada.[276]

Messi e Barcelona também foram campeões da Copa do Rei de 2017–18 e venceram a final contra o Sevilla por 5–0.[277] Meses após o fim da temporada, o atacante do Barcelona foi apontado como o melhor jogador da La Liga de 2017–18 em premiação organizada pelo jornal Marca, ele recebeu o troféu em cerimônia de gala realizada na capital da Catalunha. Além disso, o futebolista também foi homenageado por ter sido o artilheiro da competição, com 34 gols.[278]

2018–19: Capitão do Barcelona e sexta Chuteira de Ouro

Messi cobrando falta contra o Real Valladolid em 2018

Com a saída do então capitão Andrés Iniesta em maio de 2018, Messi foi nomeado o novo capitão da equipe na temporada seguinte.[279] Em 12 de agosto de 2018, ele conquistou seu primeiro título como capitão do Barcelona, ​​a Supercopa de Espanha de 2018,[280] após uma vitória por 2–1 sobre o Sevilla; com seu 33º título para o clube, ele também se tornou o jogador com mais títulos da história do time.[281] Em 19 de agosto de 2018, Messi balançou as redes duas vezes na vitória por 3–0 sobre o Alavés em seu primeiro jogo pela La Liga da temporada.[282] Messi voltou a marcar na terceira rodada da La Liga, na goleada contra o Huesca por 8–2, onde o atacante fez dois gols.[283] Ele também marcou contra o Girona, pelo Campeonato Espanhol, no empate de 2–2.[284] Já no dia 7 de outubro, em jogo realizado no Estádio de Mestalla, La Pulga ainda marcou contra o Valencia e o Barça empatou em 1–1.[285]

No jogo contra o então líder Sevilla, Messi fez um gol e deu uma assistência nos primeiros 15 minutos, o Barcelona venceu por 4–2 e assumiu liderança do Campeonato Espanhol.[286] Porém, na mesma partida, o atacante sofreu uma fratura do rádio do braço direito.[287] No comunicado médico após o jogo, foi constatado que o capitão do Barça ficaria em recuperação por um tempo aproximado de três semanas; o craque perdeu alguns jogos da La Liga, entre eles o primeiro El Clássico da temporada. Os catalães venceram o Real Madrid por 5–1, sem Messi, num jogo importante para se consolidarem cada vez mais no campeonato.[288] Nessa partida, seu companheiro de ataque Luis Suárez marcou três gols e Leo assistiu o jogo acompanhado de seu filho mais velho, Thiago Messi, de cinco anos.[289] Messi voltou a jogar no dia 11 de novembro de 2018, em partida contra o Betis, no Camp Nou, o Barcelona perdeu por 4–3 com dois gols de Messi em sua volta, foi o primeiro jogo que o Barcelona perdeu em casa naquele campeonato.[290] Marcou seu 566.º gol pelo Barcelona na partida e superou o recorde de Gerd Müller, tornando-se o segundo jogador que mais marcou com a camisa de um clube, ficando atrás apenas do Pelé, que tem 643 gols.[291]

Após a surpreendente derrota para o Betis, o Barcelona voltou a jogar contra o Atlético de Madrid, no Wanda Metropolitano, Diego Costa abriu o placar e colocou os donos da casa em vantagem, contudo, Messi, deu uma assistência para Ousmane Dembélé que fez o gol aos 90 minutos, a equipe vinha perdendo a liderança, mas, ao final empatou e continuou como líder após o jogo.[292] O argentino distribuiu uma assistência para Carles Aleña marcar o segundo gol da vitória por 2–0 sobre o Villarreal, sendo importante para o clube assumir a liderança novamente.[293] Ele participou do clássico local conhecido como El Derbi Barceloní, onde os dois grandes times de Barcelona se enfrentam: Barcelona e Espanyol, o jogo aconteceu no estádio RCDE Stadium, o Barça venceu por 4–0, com dois gols e uma assistência de Messi. Após o jogo, o Barcelona continuou líder, aumentando a vantagem para 3 pontos do segundo colocado Sevilla.[294] O Barcelona enfrentou o Levante precisando vencer para continuarem como líderes do campeonato, jogando fora de casa, os catalães venceram por 5–0 com um hat-trick e duas assistências do camisa 10, sendo assim, continuaram como líderes.[295] Em seu último jogo no ano de 2018, Messi marcou contra o Celta de Vigo na vitória culé por 2–0.[296] Messi no ano de 2018 marcou 51 gols e deu 26 assistências.[297][298]

Messi em seu primeiro jogo no ano de 2019 contra o Getafe no dia 6 de janeiro de 2019, no estádio Coliseum Alfonso Pérez, fez um gol e o Barcelona venceu por 2–1. Após o jogo, o Barça abriu uma vantagem de 5 pontos para o segundo colocado.[299] Messi voltou a jogar no dia 13 de janeiro de 2019, contra o Eibar, no Camp Nou, pela La Liga. Ele fez um gol na vitória por 3–0 do Barça, os outros dois gols foram de Luis Suárez.[300] Esse jogo foi muito importante para a carreira de Leo porque foi o jogo em que ele fez o 400.º gol pelo Campeonato Espanhol, sendo o maior artilheiro isolado, na época com 89 gols a mais que o 2.º colocado, Cristiano Ronaldo, que tem 311 gols.[301] Messi jogou pela primeira vez na Copa do Rei no dia 17 de janeiro de 2019, no jogo de volta das oitavas de final contra o Levante. O Barcelona perdeu o jogo de ida por 2–1,[302] jogo onde Messi não participou. Com o futebolista em campo, o Barça ganhou o jogo de volta por 3–0 no Camp Nou, jogo onde ele fez um gol e deu duas assistências para Dembélé, que fez dois gols na partida.[303] No dia 20 de janeiro de 2019, Messi jogou contra o Leganés, no Camp Nou, onde seu time ganhou por 3–1, ele foi escalado como reserva e entrou no segundo tempo quando o jogo estava 1–1. Luis Suárez fez o 2–1 em jogada inciada pelo argentino e o 3–1 veio quando Messi marcou no fim da partida após uma tabela com Jordi Alba, sendo decisivo para o time se manter na liderança.[304] Ele jogou contra o Girona, no Estádio Montlivi, marcando um gol na vitória por 2–0 para o Barça.[305] Messi voltou a jogar pela Copa do Rei no dia 30 de janeiro de 2019, em um jogo dramático dentro de casa pela partida de volta das quartas de final, contra o Sevilla, o Barça tinha perdido o jogo de ida por 2–0, jogo onde Messi foi poupado, dessa vez, Leo foi escalado. Ele sofreu um pênalti no início e cedeu a cobrança a Philippe Coutinho, que estava em má fase, mas converteu, deu assistência para Sergi Roberto e aos 67 minutos e marcou o último gol da partida, com uma boa atuação coletiva, a equipe goleou por 6–1 com Messi participando de metade dos gols, sendo assim, eles avançaram para as semifinais.[306] O argentino marcou dois gols no empate por 2–2 contra o Valencia, a equipe se manteve na liderança mas com a ameaça da aproximação do Atlético.[307] Messi jogou seu primeiro El Clássico da temporada pela Copa deo Rei, no jogo de ida das semifinais do torneio, o jogo terminou empatado em 1–1.[308] Messi marcou de pênalti e foi essencial para a vitória de sua equipe por 1–0 sobre o Real Valladolid, no Camp Nou.[309]

Lionel Messi pela temporada 2018–19

Pela fase de grupos da Liga dos Campeões, Messi marcou seu primeiro hat-trick na temporada na estreia catalã contra o PSV Eindhoven, o Barcelona venceu por 4–0.[310] Jogando fora de casa na segunda rodada, o argentino marcou dois gols contra o Tottenham na vitória blaugrana por 4–2.[311] Após ficar de fora de algumas partidas por lesão, retornou na quinta rodada na vitória por 2–1 sobre o PSV, marcando um gol e distribuindo uma assistência para Piqué.[312] Pela fase decisiva, participou da partida de ida das oitavas de final contra o Lyon, no estádio Parc Olympique Lyonnais, na França. A partida terminou em 0–0.[313] Pelo jogo de volta, Messi foi decisivo e ajudou o Barça com dois gols e duas assistências, os catalães golearam os franceses por 5–1.[314] No jogo de ida das quartas de final, o Barcelona venceu o Manchester United por 1–0 no Old Trafford, o camisa 10 iniciou a jogada que culminou no gol contra de Luke Shaw.[315] No jogo de volta, o argentino marcou duas vezes na vitória por 3–0 dentro de casa, os blaugranas avançaram para as semifinais com placar agregado de 4–0.[316] Messi balançou as redes duas vezes sobre o Liverpool[317] pelo jogo de ida, ajudando o clube a vencer por 3–0, sendo um deles um gol de falta improvável no ângulo do goleiro Alisson; este gol foi o de número 600 com a camisa do Barcelona, o tento foi eleito o gol da temporada da UEFA.[318][319] Apesar da grande vitória por 3–0 no jogo de ida, o Barcelona perdeu o jogo de volta por 4–0 e foi eliminado no Anfield em uma das grandes viradas da história do torneio.[320][272]

Jogando no Estádio Ramón Sánchez Pizjuán, o time catalão venceu o Sevilla no dia 23 de fevereiro em uma virada por 4–2, Messi marcou seu 50.° hat-trick na carreira e deu uma assistência para Luis Suárez fazer o quarto gol. Participando de todos os gols da equipe, ele foi essencial para a consolidação do Barcelona na liderança, os culés conseguiram uma vantagem de 10 pontos a mais que o segundo colocado: Atlético de Madrid.[321] No jogo de volta das semifinais da Copa do Rei, o Barcelona enfrentou o Real Madrid no estádio Santiago Bernabéu, precisando de uma vitória após empatar por 1–1 dentro de casa.[308] Messi não participou diretamente dos gols da equipe mas os culés venceram por 3–0 e avançaram para a final da competição.[322] Quatro dias depois, o El Clássico novamente ocorreu no Santiago Bernabéu, o Barcelona venceu novamente, dessa vez pela La Liga, agora por 1–0, com gol de Ivan Rakitić.[323] Messi, no dia 9 de março, marcou um tento e ajudou o Barcelona a vencer o Rayo Vallecano por 3–1 pelo Campeonato Espanhol.[324] Pela La Liga, contra o Real Betis, Messi marcou um hat-trick e deu uma assistência para Suárez, o time ganhou por 4–1. Messi foi eleito o Man of the Match.[325][326] No clássico catalão pela La Liga o Barcelona enfrentou o Espanyol e ganhou por 2–0. Messi marcou os dois únicos gols da partida e foi o melhor em campo.[327] Contra o Villarreal, Leo marcou um gol de falta no empate por 4–4, ele entrou no segundo tempo quando o Barça vinha perdendo de 4–2.[328] Em um jogo decisivo pela La Liga contra o Atlético de Madrid, jogando dentro de casa, o camisa 10 marcou um gol na vitória por 2–0, ajudando a equipe a abrir vantagem de 11 pontos para o Atlético (segundo colocado).[329] No dia 27 de abril, o futebolista conquistou com o Barcelona sua 10° La Liga (26° do clube), sendo a sua primeira como o capitão da equipe, contra o Levante em pleno Camp Nou. O jogo foi 1–0 e o gol do título foi de Messi, que entrou no segundo tempo.[330][331] Em seu último jogo pela La Liga na temporada, já campeão, Messi marcou dois gols contra o Eibar no empate por 2–2.[332]

Após a decepcionante semifinal da Liga dos Campeões contra o Liverpool, na qual o time foi eliminado em uma virada,[320] gerando decepção dos torcedores e indignação da mídia.[333] O clube teve a oportunidade de fechar a temporada com o título da Copa do Rei, contudo, foram derrotados pelo Valencia por 2–1[334] e gerou ainda mais indignação por parte dos torcedores e da mídia,[335] um jornal catalão ainda criticou o Barça dizendo: "Messi está sozinho".[336] O problema foi tão grande que gerou várias especulações da suposta saída do até então técnico Ernesto Valverde.[337][338] Apesar do final de temporada decepcionante, Messi fez uma das melhores temporadas de sua carreira, ele foi campeão e artilheiro da La Liga com 36 gols[339] e líder de assistências com 15 assistências.[340] Leo também foi artilheiro da Liga dos Campeões com 12 gols.[341] O argentino também superou mais alguns recordes de sua carreira e no total, ao final da temporada, ele fez 51 gols e 22 assistências em 50 jogos,[342] o que garantiu sua sexta Chuteira de Ouro.[343]

2019–20: Sexta Bola de Ouro

Em agosto de 2019, Messi sofreu uma lesão na panturrilha direita e ficou afastado da pré-temporada e do inicio de temporada do Barcelona, voltando aos treinos apenas em setembro.[344][345][346] Em 2 de setembro, o futebolista foi selecionado como um dos três finalistas do Prêmio FIFA Puskás de 2019 e do Prêmio Melhor Jogador Masculino da FIFA de 2019, com Messi vencendo o último pela sexta vez em 23 de setembro.[347]

Sua primeira partida como titular pela temporada foi pela La Liga, na vitória contra o Villarreal por 2–1.[348] Messi deu uma assistência para o gol de Griezmann, mas saiu da partida no inicio do segundo tempo por dor na coxa esquerda.[349] Em 6 de outubro, o argentino fez seu primeiro gol pela temporada, de falta, contra o Sevilla, partida em que o Barcelona ganhou por 4–0[350] No dia 19 de outubro, marcou seu segundo gol na temporada, contra o Eibar, onde o Barcelona venceu por 3–0.[351] Foi a primeira vez que o trio Messi, Suárez e Griezmann jogaram 90 minutos juntos, com todos eles marcando seus respectivos gols.[352] Em 29 de outubro, Leo fez 2 gols e deu 2 assistências contra o Real Valladolid, em uma partida que o Barcelona ganhou por 5–1.[353] Ele fez seu primeiro hat-trick na temporada no dia 9 de novembro, contra o Celta de Vigo, pelo Campeonato Espanhol, numa partida em que o Barcelona ganhou por 4–1.[354] Em jogo importante contra o Atlético de Madrid, pela La Liga, o atacante marcou o gol da vitória do Barcelona por 1–0 nos minutos finais.[355] Em 2 de dezembro, Lionel Messi ganhou sua 6º Bola de Ouro e se tornou o maior vencedor do prêmio.[356] No dia 7 de dezembro, após receber seu prêmio, Leo marcou seu segundo hat-trick na temporada, contra o Mallorca, partida em que Barcelona ganhou 5–2.[357] Pelo último El Clássico da década, Messi não marcou e o Barcelona empatou em 0–0 contra o Real Madrid,[358] empate sem gols que não acontecia á 17 anos.[359] Pela última partida do ano de 2019, marcou contra o Aláves, jogo em que o Barça ganhou por 4–1.[360] Messi terminou o ano com 50 gols, sendo esta a sexta vez consecutiva que terminou um ano com 50 gols ou mais.[361]

Messi marcou seu primeiro gol no ano de 2020, em 09 de janeiro, na partida contra o Atlético de Madrid, pelas semifinais da Supercopa da Espanha de 2019–20, onde o Barcelona foi eliminado, perdendo por 3–2,[362] gerando muito indignação da torcida com o time e com o então treinador Ernesto Valverde,[363][364] que foi demitido em 13 de janeiro e substituído por Quique Setién.[365] Pela sua primeira partida no comando do novo treinador, contra o Granada, em 19 de janeiro, Leo marcou o único gol da vitória de um 1–0.[366] Ele voltou a marcar em 30 de janeiro, marcando dois gols da vitória de 5–0 sobre o Leganés pela sua primeira partida na Copa do Rei,[367] sendo esta vitória sua 500.º pelo Barcelona.[368] Em 2 de fevereiro, Messi deu duas assistências para os dois gols do jovem Ansu Fati, na partida contra o Levante, pela La Liga, em que o Barcelona ganhou por 2–1.[369] Após o Barça ser eliminado pelo Athletic Bilbao, nas quartas-de-finais da Copa do Rei,[370] Messi e Barcelona voltaram a jogar no dia 9 de fevereiro pela La Liga, contra o Real Betis, no Estádio Benito Villamarín. Foi muito ativo no jogo, participando de todos os gols de seu time ao distribuir três assistências na vitória do Barça por 3–2.[371] Em 17 de fevereiro, Messi fez história ao ser o primeiro jogador de futebol a receber o Prêmio Laureus de atleta do ano (2020).[372] Mesmo não estando presente na cerimonia em Berlim, Leo agradeceu pelo prêmio nas redes sociais.[373] O argentino voltou a marcar apenas em 22 de fevereiro, quando marcou quatro gols na vitória do Barcelona por 5–0 sobre o Eibar, encerrando o jejum de quatro jogos sem marcar que não acontecia há seis anos[374] e ao final da partida foi eleito o King of the Match.[375][376] Pelo primeiro El Clássico da década, Messi teve uma atuação discreta e o Barcelona perdeu para o Real Madrid por 2–0, no Santiago Bernabéu.[377] Leo voltou a marcar apenas no dia 8 de março, na vitória contra a Real Sociedad por 1–0, gol de pênalti aos 81 minutos.[378]

Após três meses sem jogos devido à pandemia de COVID-19, o Barcelona voltou aos jogos em 13 de junho contra o Mallorca. Em sua volta, La Pulga marcou um gol e deu duas assistências no Estadi de Son Moix, sendo esse o seu 20° gol na La Liga, estabelecendo o recorde de o único jogador da história da La Liga a marcar 20 gols, ou mais, em 12 temporadas consecutivas.[379] O Barça venceu a partida por 4–0.[380] Após três meses sem jogos no Camp Nou, Barça venceu o Leganés por 2–0, com Leo marcando o segundo gol, de pênalti.[381] Messi foi fundamental para a vitória catalã ao distribuir uma assistência para Ivan Rakitić na vitória por 1–0 contra o Athletic Bilbao, no dia 23 de junho.[382] Em 27 de junho, contra o Celta de Vigo, não marcou novamente, mas distribuiu duas assistências para gols de Luis Suárez, no empate em 2–2, mostrando a constante dependência do atacante por parte do clube catalão.[383] O argentino marcou seu gol de número 700.º na carreira, no empate de 2–2 contra o Atlético de Madrid no dia 30 de junho.[384] Distribuiu uma assistência para Arturo Vidal na vitória por 1–0 dos culés sobre o Real Valladolid; com o passe, o atacante se tornou o primeiro desde Thierry Henry a superar a marca de vinte gols e vinte assistências em uma temporada nas cinco principais ligas do mundo.[385] Na última rodada do campeonato, marcou dois gols e distribuiu uma assistência na goleada por 5–0 sobre o Alavés.[386] Sendo assim, superou Xavi como o maior assistente de uma única temporada no Campeonato Espanhol e também alcançou a artilharia da edição, vencendo o Troféu Pichichi pela sétima vez na carreira. Ao fazê-lo, quebrou o recorde de Telmo Zarra e se tornou o jogador com mais artilharias na competição e igualou-se a Gerd Müller como o jogador com mais artilharias dentro das cinco principais ligas do continente.[387][388]

Pela fase de grupos da Liga dos Campeões da UEFA, Messi fez sua primeira partida na temporada em 17 de setembro, saindo do banco no segundo tempo no empate por 0–0 contra o Borussia Dortmund no Signal Iduna Park, sendo este o primeiro jogo do clube pela competição continental na temporada.[389] Em seu primeiro jogo completo na temporada, o argentino distribuiu uma assistência para Suárez na vitória catalã por 2–1 contra a Internazionale.[390] La Pulga Atómica fez seu primeiro gol pela Liga dos Campeões na temporada contra o Slavia Praha, onde seu time ganhou por 2–1.[391] Em sua 700.º partida pelo Barcelona,[392] Messi marcou um gol e distribuiu duas assistências na partida em que o Barça ganhou por 3–1 do Borussia Dortmund, participando de todos os gols da equipe, o time se classificou para as oitavas-de-finais da competição.[393] Pela fase decisiva, participou da jogada que culminou no gol dos culés no empate por 1–1 contra o Napoli no Estádio San Paolo.[394] No jogo de volta, sofreu uma penalidade convertida por Suárez, teve um gol anulado pelo árbitro de vídeo e, mesmo cercado por três marcadores, marcou em uma oportunidade, o Barcelona venceu por 3–1 e avançou para as quartas de final.[395] A UEFA determinou que as quartas de final, semifinais e final seriam disputadas em Portugal em jogos únicos devido à pandemia de COVID-19. Assim, os jogadores do clube catalão viajaram para disputar a fase seguinte.[396] Pelo jogo único das quartas de final, o argentino sofreu a maior derrota de sua carreira,[397] criou algumas chances mas teve uma atuação apagada perante o jogo coletivo do Bayern de Munique, tocando poucas vezes na bola principalmente devido ao domínio dos alemães no meio-campo, tendo estes goleado por 8–2 e avançaram para as semifinais com uma grande atuação de Thomas Müller, duras críticas a escalação do técnico Quique Setién e aos defensores catalães.[398] Pouco depois, o Barcelona demitiu Quique Setién e o diretor esportivo Éric Abidal.[399]

Agosto de 2020: Desejo de sair do Barcelona

“Eu não estava feliz e queria ir embora. Isso não me foi permitido de forma alguma então ficarei no clube para não entrar na justiça. A gestão do clube liderada por Bartomeu é um desastre. Meu amor pelo Barça nunca mudará. "

– Messi fala sobre sua decisão de ficar no Barcelona em uma entrevista para Goal em 4 de setembro de 2020.[400]

Após a crescente insatisfação de Messi com a direção do Barcelona dentro e fora de campo,[401] o clube anunciou que o argentino havia enviado ao clube "um documento expressando seu desejo de sair" em 25 de agosto de 2020.[402] O anúncio do clube atraiu resposta significativa da mídia, do presidente catalão Quim Torra, incluindo de atuais e ex-companheiros de equipe, que apoiaram a decisão de Messi.[403] Em 26 de agosto, o diretor esportivo do Barcelona, Ramon Planes, declarou que o desejo do clube era de "construir uma equipe em torno do jogador mais importante do mundo",[404] e afirmou que Messi só poderia sair se algum clube pagasse sua cláusula rescisória de € 700 milhões; contudo uma cláusula de seu contrato, que o permitiria sair do clube de graça, só poderia ser exercida se ele tivesse comunicado a sua decisão ao Barcelona até 31 de maio de 2020, embora os representantes do jogador tenham argumentado que o prazo final deveria ser definido para 31 de agosto, devido à finalização tardia da temporada 2019–20[405] causada pelas complicações da COVID-19. Em 30 de agosto, La Liga emitiu um comunicado afirmando que o contrato e a clausula rescisória de Messi ainda estavam ativas.[406]

Em 4 de setembro, Jorge Messi, empresário e pai de Lionel, divulgou um comunicado em resposta à La Liga alegando que a cláusula de rescisão "não é válida quando a rescisão do contrato é por decisão unilateral do jogador no final da temporada de 2019–20", conforme estabelecido no contrato de Messi com o Barcelona;[407] momentos depois, La Liga emitiu uma resposta reiterando sua declaração de 30 de agosto.[408] Mais tarde naquela noite, Messi anunciou em uma entrevista para o Goal que ele continuaria no Barcelona até o final de seu contrato. Na entrevista, Messi afirmou ter informado o Barcelona várias vezes sobre seu desejo de sair e que o presidente do clube, Josep Bartomeu, lhe deu a palavra de que ele poderia decidir no final de cada temporada se queria ou não sair, palavra que ele não cumpriu.[409] Isso deixou Messi com duas opções: ficar ou ir na justiça contra o clube, com o jogador dizendo "Eu nunca iria ao tribunal contra o clube da minha vida".[410]

2020–21: Mais gols marcados por um clube e mais partidas pelo Barcelona

Em 27 de setembro de 2020, pelo primeiro jogo da temporada, Messi marcou um gol de pênalti na vitória por 4–0, em casa, contra o Villarreal, pela estreia da La Liga.[411] Dois dias antes da partida, havia novamente criticado o clube, desta vez pela forma como Luis Suárez saiu, afirmando: "a esta altura nada mais me surpreende".[412] Em 20 de outubro, Messi marcou um pênalti e deu uma assistência para o quinto gol na vitória por 5–1, em casa, contra o Ferencváros, pela estreia da Liga dos Campeões,[413] tornando-se o primeiro jogador na história a marcar em 16 temporadas consecutivas pela Liga dos Campeões.[414] Em 25 de novembro, Leo foi um dos 11 indicados para o prêmio de Melhor Jogador do Mundo no The Best FIFA Football Awards 2020,[415] mais tarde sendo selecionado como um dos três finalistas.[416] Em 29 de novembro, Messi marcou o quarto gol de seu clube, na vitória por 4–0, em casa, sobre o Osasuna. Após marcar, prestou homenagem ao compatriota Diego Maradona, que havia falecido quatro dias antes, ao revelar um camisa de um de seus clubes Newell's Old Boys, e erguer as duas mãos para o céu. A camisa tinha o número 10 e era uma réplica da mesma que Maradona usou durante sua passagem pelo clube em 1993.[417] Em 17 de dezembro, Messi ficou na terceira posição no prêmio de Melhor Jogador do Mundo da FIFA, atrás de Cristiano Ronaldo e Robert Lewandowski, com o último ganhando o prêmio, e foi incluído na Seleção da FIFA, chamada de World XI, pelo 14º ano consecutivo.[418]

Em 23 de dezembro, Messi marcou seu 644º gol pelo Barcelona contra o Real Valladolid, fora de casa, pela La Liga e superou o recorde de Pelé pelo Santos de o jogador que mais marcou gols por um único clube, contando apenas gols oficiais.[419] O próprio Pelé o parabenizou nas redes sociais, dizendo: "...Assim como você, eu sei o que é amar usar a mesma camisa todos os dias. Assim como você, sei que não existe nada melhor que o lugar que a gente se sente em casa. Parabéns pelo seu recorde histórico, Lionel. Mas acima de tudo, parabéns pela sua linda carreira no Barcelona..."[420] Para comemorar sua conquista, a Budweiser enviou garrafas de cerveja personalizadas para todos os goleiros contra quem Messi marcou gols.[421] Em 17 de janeiro de 2021, ele foi expulso pela primeira vez na carreira com a camisa do Barcelona por conduta violenta (bateu na cabeça de Asier Villalibre, não percebido inicialmente pelo árbitro, mas revisada via VAR) nos minutos finais da prorrogração da final da Supercopa da Espanha de 2020–21, na qual o Barça perdeu por 3–2 para o Athletic de Bilbao.[422] Em 21 de fevereiro, ele bateu o recorde de Xavi de mais partidas jogadas pela La Liga, com sua 506º partida contra o Cádiz, na qual ele marcou um pênalti no empate, em casa, por 1–1.[423] Em 10 de março, Messi marcou um gol a 32 metros do gol e mais tarde teve um pênalti defendido no empate por 1–1 contra o Paris Saint-Germain no Parc des Princes, pela rodada de volta das oitavas-de-final da Liga dos Campeões, com o Barcelona sendo eliminado nesta fase pela primeira vez em 14 anos por um placar agregado de 5–2, após ter perdido por 4–1 em casa, em 16 de fevereiro.[424]

Em 15 de março, contra o Huesca, em casa, pela La Liga, Leo igualou o recorde de Xavi de mais partidas jogadas pelo Barcelona, marcando dois gols no jogo que foi vencido pelos culés por 4–1.[425] O recorde foi quebrado na rodada seguinte, em 21 de março, na vitória por 6–1, fora de casa, diante do Real Sociedad, onde o jogador completou 768 atuações pelo clube, marcando dois gols.[426]

Saída do Barcelona

No dia 5 de agosto de 2021, o Barcelona anunciou em comunicado oficial que o jogador não seguiria no clube. Ao todo, Messi atuou por 17 temporadas e fez 672 gols em 778 jogos.[427]

Paris Saint-Germain

Após mais de uma semana de especulações, Messi foi anunciado oficialmente pelo PSG no dia 10 de agosto. O argentino assinou contrato até o final de 2023, com opção de renovação por mais uma temporada.[428]

Seleção Argentina

2005: O começo e destaque no sub-20

Em 2005, após a primeira matéria sobre Messi na revista El Gráfico e o destaque no time principal do Barcelona, foi imediatamente convocado para ser o astro da Seleção Argentina Sub-20 no mundial, e assim, para acabar de vez com as intenções da Espanha de naturalizá-lo.[23]Na Copa do Mundo FIFA Sub-20 de 2005 disputada na Holanda, comandou bem sua equipe na primeira fase, marcando gol contra o Egito e fazendo boas partidas diante de seleções de peso como Estados Unidos e Alemanha, grandes candidatas a título.[23]

Messi na Copa América contra a Bolívia

Na fase final, espantou o mundo com suas atuações decisivas, belos dribles e movimentação em campo, além dos belos gols marcados. Em 22 de junho, nas oitavas de final, num jogo diante da Colômbia, foi decisivo ao marcar o gol de empate, que logo depois, resultou em virada em 2–1 e classificação. Três dias mais tarde, contra a Espanha, Seleção que o almejava, marcou um dos três gols na vitória por 3–1. Os outros dois foram marcados por Oberman e Zabaleta. Nas semifinais, participou de um jogo considerado dos mais emocionantes do campeonato. Em seu primeiro clássico contra o Brasil, marcou um gol logo aos 7 min, terminando em 2–1 e garantindo a classificação para a grande final contra a Nigéria, onde marcou dois gols e sacramentou o título argentino. Ao fim do campeonato, não foi só eleito o melhor jogador da final, como também, o ganhador da Bola de Ouro, equivalente ao de melhor jogador do torneio, e também a chuteira de ouro, dada ao artilheiro.[429] Naquela altura, já jogava suas primeiras partidas oficiais na Seleção Principal da Argentina.[430]

2006: Copa do Mundo na Alemanha

Depois de ser uma importante peça na conquista da Liga dos Campeões da UEFA de 2005–06 com o Barcelona ao lado de Ronaldinho, o torcedor argentino passou a cobrar o técnico José Pekerman para a disputa da Copa do Mundo FIFA de 2006, realizada na Alemanha. Contra a Costa do Marfim, passou o jogo no banco e assistiu a vitória por 2 a 1. Sua primeira partida em uma Copa do Mundo aconteceu no jogo seguinte da fase de grupos, contra a Sérvia e Montenegro, jogo onde fez história. Com 18 anos e 357 dias de idade, tornou-se o quinto jogador mais jovem a marcar um gol numa Copa do Mundo FIFA, ao marcar o último da goleada por 6-0 que sacramentou a classificação para a próxima fase.[431][432] O bom desempenho chegou a coloca-lo entre os titulares para o grande jogo contra a Holanda. Ele esteve em campo até a metade do segundo tempo de partida, quando foi substituído por Julio Cruz, jogo que terminou em 0–0, mas pelo critério de saldo, classificou a Argentina em primeiro lugar.[433]

Nas oitavas de final, contra o México, ficou boa parte no banco de reservas, quando substituiu Javier Saviola aos 38 minutos do segundo tempo. Participou da prorrogação, onde chegou a marcar um gol na partida, que acabou sendo anulado pelo árbitro.[434] Mesmo assim, sua equipe acabou vencendo por 2 a 1, jogo que marcou a classificação as quartas de finais e seus 19 anos completados. Se servir de consolo, ao menos Messi conseguiu ir para a Copa, pois sua convocação foi dúvida até às vésperas do prazo final para a convocação, em maio.[435] Nas vésperas do jogo contra a Alemanha, acabou perdendo espaço e ficando no banco de reservas. Nesse duelo, sua Seleção acabou sendo eliminada nos pênaltis e ficando fora do grupo dos quatro mais bem colocados.[436]

2007: Copa América na Venezuela

No ano seguinte, esteve em seu melhor momento com a Seleção ao marcar seis gols e três assistências em 13 jogos disputados. Vestindo a camisa 18, fez belas participações nas vitórias de 4–1 sobre os Estados Unidos, 4–2 contra o Colômbia, e mais 1–0 diante do Paraguai,[437] o que os colocaram como grandes favoritos ao título.[438] Messi, no entanto, acabou passando em branco na primeira fase, prometendo um rendimento melhor na fase seguinte. No dia 8 de julho marcou seu primeiro gol em um jogo de Copa América, contra o Peru, garantindo a vaga para as semifinais do torneio. Três dias depois, em 11 de julho, fez sua melhor participação no torneio, marcando um gol contra o México na vitória por 3–0. Porém, na final, diante do Brasil, acabou sendo derrotado por 3–0 e terminando o torneio como vice campeão e dois gols marcados em seis jogos disputados.[439] No restante do ano, realizou um desempenho melhorado, marcando mais 11 gols e fechando o ano há um pé das Olimpíadas de Pequim.[440][441]

2008: Olimpíadas de Pequim

Lance da partida semifinal dos Jogos Olímpicos de 2008 entre Brasil e Argentina: Messi dribla o defensor brasileiro Rafinha

A partir da derrota na final da Copa América, a Seleção Argentina passou por um processo de reformulação no elenco, dispensando aqueles mais experientes e trazendo novas caras, algumas até novidades no elenco. Messi, porém, foi um dos únicos a se manter, sendo apontado como o grande líder do time para os anos que estavam por vir. No ano de 2008, foi convocado pelo treinador Sergio Batista para a disputa dos Jogos Olímpicos de Pequim. Na fase de grupos, contra a Costa do Marfim, marcou um dos gols da vitória por 2–1.[442] Na sequencia, participou também dos jogos contra a Austrália e a Sérvia, ambos vencidos.[443] Colocando a Argentina com nove pontos em nove disputados e com uma das melhores campanhas da primeira fase.[444]

No dia 18 de agosto de 2008 marcou um gol contra a Holanda aos 14 minutos de jogo, no tempo seguinte, sua equipe acabou cedendo o empate com gol de Bakkal. Na prorrogação, classificou-se com gol de Di María. No grande duelo das semifinais contra a Seleção Brasileira, reeditando a final da Copa América que acontecera há exatos um ano atrás, Messi foi decisivo e brilhou ao lado de Riquelme e Agüero, que marcaram os gols na vitória por 3–0, sacramentando a classificação para a final das Olimpíadas. Era a terceira final de Messi em quatro competições disputadas.[445] Na final contra a Nigéria, lembrando a final do campeonato sub-20 e com quase os mesmos elencos, Messi participou do gol que deu o título aos argentinos.[446] Ao fim do torneio, foi eleito um dos melhores atletas dos jogos olímpicos, quadro que também teve a presença de César Cielo, Kobe Bryant, Michael Phelps, Usain Bolt, Yelena Isinbayeva e outros.[447]

2010: Copa do Mundo na África do Sul

Outro momento memorável contra os rivais deu-se no mesmo ano, nas eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo FIFA de 2010, sendo aplaudido pela torcida brasileira no 0–0 entre as duas seleções, em jogo realizado no Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte. Entretanto, na mesma temporada em que se consagraria no Barcelona com a "tríplice coroa", passou a ter atuações aquém do esperado na Seleção, sendo bastante criticado pela mídia argentina por não repetir os mesmos desempenhos que faz com a camisa do Barcelona.[448][449]

Messi foi convocado para a Copa do Mundo FIFA de 2010, na África do Sul. No entanto, o argentino fez uma Copa abaixo do que se esperava dele.[450] Após uma fantástica temporada no Barcelona, Messi não marcou nenhum gol no Mundial da África do Sul, apesar de ter tido várias chances, a principal delas acertou a trave.[451] A Argentina terminou eliminada nas quartas-de-final, após uma convincente vitória por 4–0 da Alemanha. Apesar do desempenho abaixo do esperado, Messi concorreu ao prêmio Bola de Ouro do torneio, entregue pela FIFA ao melhor jogador do mesmo. Entretanto, acabou perdendo para o uruguaio Diego Forlán, um dos artilheiros da Copa.[452]

Quatro meses após o fim da Copa do Mundo, em novembro, num amistoso contra o arquirrival Brasil, Messi mais uma vez destacou-se contra os brasileiros. O empate sem gols permanecia até os acréscimos da partida, quando Messi arrancou desde o meio-campo e quase que sem marcação, muito provavelmente pela exaustão dos zagueiros adversários próximo ao fim do jogo, pôde finalizar sem grandes dificuldades da entrada da área, decretando a vitória argentina pelo placar mínimo.[453]

2011: Copa América na Argentina

Encerrando o ano com vitória diante do rival, Messi teve a dura responsabilidade de ser o grande astro da Argentina na nova edição da Copa América, que seria realizada no país da capital Buenos Aires. Recém campeão da Liga dos Campeões com o Barcelona, Messi ganhou a camisa 10 do treinador Sergio Batista e fez trio de ataque com Ezequiel Lavezzi e Kun Agüero. A parceria rendeu belos gols e a classificação com um desempenho muito abaixo do esperado para a próxima fase, onde sua equipe acabou ficando em segundo lugar, ficando atrás da Colômbia. Na fase de grupos, sua equipe empatou com a Bolívia de Marcelo Moreno em 1–1, após sair perdendo de 1–0.[454] Logo em seguida, empate em 0–0 com a Colômbia de Radamel Falcao García.[455] Os primeiros três pontos de sua equipe na competição foi uma vitória sobre a Costa Rica por 3–0.[456]

Messi com o rendimento baixo, acabou recebendo críticas da imprensa argentina. Nas quartas de final, contra o Uruguai, acabou sendo eliminado nos pênaltis. Ao fim do torneio, Messi terminou sem fazer um gol sequer.[457] A campanha abaixo do esperado resultou na demissão do treinador Sergio Batista e a contratação de Alejandro Sabella, que o anunciou como novo capitão da Seleção, aumentando sua responsabilidade.[458]

2012

Messi com Sergio Agüero num amistoso contra a Suíça

Com o pouco futebol apresentado na Seleção Argentina nos últimos anos em comparação ao que produz no Barcelona, o treinador Alejandro Sabella, que foi contratado no meio do ano de 2011 e após a precoce eliminação dos hermanos na Copa América, informou aos noticiários que em seu time, Messi seria nomeado o capitão, o que o traria mais responsabilidade e experiência.[459][460]

Em sua primeira partida no ano de 2012, rendeu o esperado de Messi, o atacante argentino pela primeira vez em sua carreira faz um hat-trick com a camisa de sua Seleção. O feito aconteceu contra a Suíça, no dia 1 de março, no Stade de Suisse, Wankdorf, localizado na cidade de Berna, capital da país.[461] Ao fim desse jogo, Messi saiu bastante aplaudido pelos próprios torcedores suíços e levou a bola do jogo para casa. Com esses três gols, Messi chegou aos 22 pela Seleção, se tornando o quinto maior artilheiro da história da equipe, superando o antigo atacante Leopoldo Luque. Num amistoso realizado em 15 de agosto, chegou ao seu 27º gol pela Seleção, na vitória por 3–1 sobre a Alemanha, jogo realizado em Frankfurt. Marcou um gol de pênalti contra a Venezuela na vitória por 3–0 em 22 de março de 2013.[462][463] Também se destacou num amistoso contra a Seleção Brasileira, no qual foi autor de um hat-trick e acabou sendo o melhor jogador na vitória por 4–3.

2014: Copa do Mundo no Brasil

Messi foi convocado para disputar a Copa do Mundo FIFA de 2014,[464] na qual a Argentina foi sorteada no Grupo F juntamente com Bósnia e Herzegovina, Irã e Nigéria. Na estreia marcou um gol aos 19 minutos do segundo tempo, garantindo a vitória sobre a Bósnia por 2–1 no Maracanã.[465] Na segunda rodada marcou o único gol da vitória sobre o Irã nos minutos finais da partida.[466] Na terceira rodada da fase de grupos, marcou dois gols, sendo um deles de falta, na vitória sobre a Nigéria por 3–2 que classificou os argentinos para as oitavas de final como primeiro colocado de seu grupo.[467]

Disputou a final da Copa do Mundo FIFA 2014 contra a Alemanha, sendo derrotada por esta por 0-1 na prorrogação. Ainda assim, foi eleito o melhor jogador da competição pela FIFA, o que causou forte controvérsia.[468]

2015: Copa América no Chile

No ano seguinte foi vice-campeão da Copa América de 2015 com a Argentina. Messi foi peça importante para a campanha argentina, tendo marcado um gol na estreia contra o Paraguai. Na final, os hermanos foram batidos pelo Chile nos pênaltis, onde somente Messi converteu para os argentinos. Dessa forma, o título ficou com os anfitriões do torneio.[469]

2016: Copa América Centenário

No dia 29 de março de 2016, Messi alcançou duas marcas históricas. O argentino chega ao seu 50° gol com a camisa da Seleção Argentina, após marcar de pênalti contra a Bolívia em partida válida pela sexta rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo FIFA de 2018. Esse gol também foi o seu 499° na carreira. Além disso, essa foi a primeira vez na carreira que Messi venceu a Bolívia (já haviam sido três empates e uma derrota de 1–6). Essa vitória colocou a Argentina na terceira colocação da tabela das Eliminatórias.[470]

Messi estreou pela Copa América Centenário na partida contra o Panamá pela segunda rodada da fase de grupos. O camisa 10 argentino entrou no segundo tempo e precisou de apenas vinte minutos em campo para marcar um hat-trick. Por fim ainda ajudou a Argentina a fechar o placar elástico de 5 a 0, e foi eleito o melhor jogador em campo.[471] Na partida pela semifinal, em 21 de junho, marcou o segundo gol da vitória de 4–0 contra os Estados Unidos, numa cobrança de falta espetacular, e ultrapassou a marca de Gabriel Batistuta como maior artilheiro da história da Seleção Argentina, com 55 gols marcados.[472]

Na final da competição, assim como na edição anterior, a Argentina foi derrotada pelo Chile. Após um empate em 0-0, a equipe foi derrotada por 2–4 nos pênaltis e Messi acabou desperdiçando sua cobrança.[473]

Esse foi o quarto vice-campeonato de Messi com a Seleção. Ao final da partida, ele afirmou ter encerrado seu ciclo com a camisa da Argentina. Ele justificou com as seguintes palavras:[474]

Entretanto, em 12 de agosto, anunciou seu retorno a Seleção, sendo convocado pelo novo treinador da Seleção Argentina Edgardo Bauza para os jogos contra Uruguai e Venezuela pelas Eliminatórias.[475]

2017: Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018

Em seu retorno, marcou o único gol da vitória sobre o Uruguai por 1 a 0, colocando a Argentina na liderança das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa de 2018.[476]

Seus gols mandaram a Argentina para a Copa do Mundo FIFA de 2018 na Rússia.[477] A participação da Argentina na Copa do Mundo de 2018 estava em risco[478] para a última partida de qualificação, sendo a sexta colocada no grupo, fora dos cinco possíveis classificados da CONMEBOL na Copa do Mundo, o que significa que não pode se classificar para a Copa pela primeira vez desde 1970. Em 10 de outubro de 2017, Messi levou seu país para a classificação da Copa do Mundo ao marcar um hat-trick,[479] enquanto a Argentina vinha de desvantagem para derrotar o Equador por 3 a 1 fora; A Argentina não derrotou o Equador em Quito desde 2001. Os três gols de Messi fizeram com que ele se tornasse o maior artilheiro de todos os tempos nas eliminatórias da Copa do Mundo CONMEBOL, com 21 gols, ao lado do uruguaio Luis Suárez,[480] superando o recorde anterior que foi defendido pelo compatriota Hernán Crespo.

2018: Copa do Mundo na Rússia

Na sequência da sua fraca campanha de qualificação, recuperada por Messi, as expectativas não foram altas para a Copa do Mundo FIFA de 2018, eu um amistoso pré-copa, sem o lesionado Messi, perdendo por 6–1 para a Espanha em março de 2018.[481] Messi admitiu após o amistoso: “No momento não estamos entre os candidatos a vencer a Copa do Mundo.”[482] Na partida de abertura da equipe contra a Islândia, em 16 de junho, Messi perdeu uma possível penalidade em um empate em 1–1.[483] No segundo jogo da Copa do Mundo de 2018, em 21 de junho, a equipe perdeu por 3–0 para a Croácia.[484] Após a partida, o técnico da Seleção Argentina, Jorge Sampaoli, falou sobre a falta de qualidade na equipe em torno de Messi, “a realidade da Seleção Argentina encobre seu brilhantismo [de Messi]”. Messi tinha apenas 49 toques da bola e apenas dois dentro da área de penalidade da Croácia, com o treinador a ser perguntado: "Por que você não pode obter seus jogadores para passar a bola para Lionel Messi?" Sampaoli respondeu tocando no falta de suprimento para Messi, "nós simplesmente não poderíamos passar para ele para ajudá-lo a gerar as situações que ele está acostumado. Nós trabalhamos para dar-lhe a bola, mas o adversário também trabalhou duro para impedi-lo de pegar a bola...".[485] O meia da Croácia, Luka Modrić (eleito melhor jogador desta copa), também afirmou após o jogo: “Messi é um jogador incrível, mas não pode fazer tudo sozinho”.[486]

No último jogo da Argentina na fase de grupos contra a Nigéria, no Estádio Krestovsky, em São Petersburgo, no dia 26 de junho, Messi marcou o primeiro gol da vitória por 2–1 que viu a Argentina avançar para a segunda fase, atrás da Croácia.[487] Messi recebendo o longo passe para cima de Éver Banega sobre a defesa, Messi controlou a bola em jogo com dois toques antes de acertar o gol na rede com o pé direito. Messi se tornou apenas o terceiro argentino depois de Diego Maradona e Gabriel Batistuta que marcou em três Copas do Mundo diferentes. Na partida das oitavas-de-final contra a França, em 30 de junho, Argentina sofreu uma derrota por 4–3 e foi eliminada da Copa do Mundo.[488] Com suas duas assistências no segundo tempo do jogo, Messi se tornou o primeiro jogador a prestar assistência nas últimas quatro Copas do Mundo, e também se tornou o primeiro jogador a dar duas assistências em um jogo pela Argentina desde que Diego Maradona conseguiu o mesmo feito. contra a Coreia do Sul em 1986. Após o torneio, Messi afirmou que não participaria dos amistosos da Argentina contra a Guatemala e a Colômbia em setembro de 2018, e comentou que seria improvável que ele representasse sua nação pelo restante do ano.[489] A ausência de Messi da equipe nacional e seu contínuo fracasso em conquistar um título com a Argentina levaram à especulação na mídia de que Messi poderia se aposentar do futebol internacional mais uma vez.

2019: Volta à Seleção e Copa América

Amistosos de preparação

Após a frustração na Copa do Mundo FIFA de 2018, Messi se afastou de sua Seleção ao fim da Copa, sem previsão de volta.[490][491] Apenas em março de 2019 a Seleção Argentina anunciou a volta de Lionel Messi, que voltou nos jogos de preparação para a Copa América de 2019. Messi foi convocado para os jogos de preparação contra a Seleção Venezuelana e contra a Seleção Marroquina.[492][493]

A volta definitiva foi no dia 22 de março de 2019, no estádio Wanda Metropolitano, na Espanha, em um amistoso contra a Venezuela. Os argentinos perderam a partida por 3 a 1 e Messi nada pode fazer.[494] Esse resultado surpreendeu muitos, porque a Argentina é tecnicamente melhor e historicamente maior que a Venezuela. Messi foi muito criticado em sua volta pela sua contínua má fase com a Seleção Argentina, que já estava há muito tempo em crise. Para mais, após o jogo a Argentina até virou piada e sofreu vários memes na internet[495][496][497] Depois do jogo, ouve especulação de que Messi estaria supostamente fora do próximo jogo de preparação contra o Marrocos, mas tudo se confirmou quando Leo sentiu uma lesão e foi cortado da partida.[498]

No seu último jogo de preparação antes do início da Copa América de 2019, Messi marcou dois gols na goleada de 5–1 contra a Seleção da Nicarágua.[499]

Copa América

Na Copa América de 2019, Messi e Argentina foram sorteados no grupo B com Colômbia, Paraguai e Catar.[500] Argentina estreou contra a Seleção da Colômbia no dia 15 de junho de 2019 e perderam o jogo por 2–0, na Arena Fonte Nova.[501] A derrota gerou indignação de muitos torcedores, o que gerou vários memes na internet devida a má fase da Seleção Argentina.[502] A indignação foi tão grande que até Diego Maradona, ex-jogador e ex-treinador da Albiceleste, criticou a Seleção Argentina devido ao resultado, dizendo: "Você percebe que hoje até Tonga pode nos vencer... Há um prestígio que construímos com chutes, socos. O que é a camisa? A camisa se sente, filho da pu...", disse o ex-craque.[503][504]

No segundo jogo pela Copa América, em 19 de junho, Messi marcou um gol de pênalti no jogo que foi 1–1 contra o Paraguai.[505] Após o jogo, Messi admitiu estar frustrado com o resultado, dizendo que seria uma loucura não se classificar para a próxima fase e que sabe que é muito difícil.[506] Argentina apostou tudo no último jogo do grupo contra o Catar e acabou ganhando por 2–0, com gols de Lautaro Martínez e Agüero e se classificou para a próxima fase, apesar das críticas e dos jogos ruins.[507]

No mata-mata, a Argentina enfrentou primeiramente a Venezuela, onde se classificou por 2–0.[508] No entanto, posteriormente enfrentaram o Brasil e foram derrotados por 2–0, sendo eliminados nas semifinais.[509] Após a derrota, no dia 2 de julho, Messi criticou a arbitragem durante a partida.[510] Na partida de disputa pelo terceiro lugar contra o Chile, em 6 de julho, Argentina consegue uma vitória por 2–1.[511] Durante a partida, Messi foi expulso junto com Gary Medel aos 37 minutos do jogo, após se envolver em uma briga com o chileno.[512] Após a partida, Messi se recusou a receber sua medalha de bronze.[513] Messi depois pediu desculpas por suas atitudes, mas foi multado em 1,500 dólares e a CONMEBOL o proibiu de jogar um jogo pela Seleção, o que o afastou das eliminatórias da Copa do Mundo FIFA pela Argentina.[514] Em 2 de agosto, Messi foi banido por três meses da Seleção e foi multado em 50 mil dólares pela CONMEBOL por seus comentários contra as decisões do árbitro; esse banimento significa que ele perdeu amistosos da Argentina contra o Chile, o México e a Alemanha em setembro e outubro.[515]

Pós-Copa América

Messi voltou após a Copa América apenas em novembro e foi convocado para jogar dois clássicos com a Argentina.[516] No Superclássico das Américas contra o Brasil, a Argentina venceu com gol de Messi por 1–0.[517] No Clássico del Río de la Plata contra o Uruguai, Argentina empata em 2–2, com Messi fazendo o gol de empate no final.[518]

Recordes e o tão sonhado título com a Argentina

A Copa América de 2021 em meio a varias polemicas, se inicio para a Argentina no dia 14 de junho de 2021, em seu primeiro jogo na competição Messi marcou em uma cobrança de falta em um empate de 1–1 contra o Chile na partida de abertura no Estádio Nilton Santos. Este gol foi seu 57º em cobrança de falta, o que o fez ultrapassar Cristiano Ronaldo que possui 56 gols de falta o tornando o jogador com mais gols de falta em atividade.[519] Ele também ultrapassou o recorde de Gabriel Batistuta de 38 gols em jogos oficiais pela Argentina. Na segunda partida do grupo em 18 de junho, Messi configurou o gol da vitória por 1-0 contra o Uruguai, assistindo para o cabeceio de Guido Rodríguez em favor da Argentina.[520] Em 21 de junho, Messi jogou sua 147ª partida ao igualar o recorde de Javier Mascherano de mais aparições pela Argentina na vitória por 1–0 sobre o Paraguai em seu terceiro jogo do torneio.[521] Uma semana depois, ele quebrou o recorde de mais aparições com a camisa da Argentina quando participou da vitória por 4–1 contra a Bolívia na última partida do grupo, auxiliando o gol de abertura de Papu Gómez e depois marcando mais dois.[522] Em 3 de julho, Messi assistiu duas vezes e marcou em cobrança de falta na vitória por 3–0 sobre o Equador nas quartas de final da competição. Em 6 de julho, em um empate 1–1 nas semifinais contra a Colômbia, Messi fez sua 150ª aparição pelo seu país e registrou sua quinta assistência no torneio, um corte para Lautaro Martínez, igualando seu recorde de nove contribuições de gols em um único torneio de seleções na Copa América de 2016; mais tarde, ele marcou seu pênalti na vitória final por 3-2 na disputa de pênaltis da Argentina para progredir para sua quinta final internacional. Em 10 de julho, a Argentina derrotou o anfitrião Brasil por 1-0 na final com gol de Ángel Di María, dando a Messi seu primeiro título internacional importante e o primeiro da Argentina desde 1993, bem como o recorde de títulos da Copa para seu país com a 15ª Copa América no geral.[523] Messi esteve diretamente envolvido em 9 dos 12 gols marcados pela Argentina, marcando quatro e auxiliando cinco; ele foi nomeado o jogador do torneio por suas atuações. Ele também terminou como o artilheiro do torneio com quatro gols empatados com o colombiano Luis Díaz, embora a Chuteira de Ouro tenha sido concedida a Messi por ter tido mais assistências.

Perfil do jogador

Messi se prepara para chutar durante a final da Copa do Mundo da FIFA de 2014

Devido à sua baixa estatura Messi tem um centro de gravidade mais baixo que os mais altos, o que lhe dá maior agilidade, permitindo-lhe mudar de direção mais rapidamente, o que levou a mídia espanhola a chamá-lo de "La Pulga Atómica". Apesar de não ser fisicamente imponente, possui uma força significativa na parte superior do corpo, que, combinada com seu baixo centro de gravidade e equilíbrio resultante, o ajuda a suportar os desafios físicos dos oponentes; Suas pernas curtas e fortes permitem que ele se sobressaia em curtos períodos de aceleração, enquanto seus pés rápidos permitem que ele mantenha o controle da bola ao driblar a velocidade. Seu ex-treinador do Barcelona, ​​Pep Guardiola, declarou certa vez: "Messi é o único jogador que corre mais rápido com a bola do que sem ela." Apesar de ter melhorado a sua capacidade com o pé mais fraco desde os seus 20 anos, Messi é predominantemente um jogador de pé esquerdo.

Um típico goleador, Messi é conhecido por sua finalização, posicionamento, reações rápidas e habilidade de fazer corridas de ataque para vencer a linha defensiva. O seu ritmo e capacidade técnica permitem-lhe realizar derrapagens individuais em direção ao gol, em especial durante os contra-ataques, normalmente a partir da linha média ou do lado direito do campo. Considerado o melhor driblador do mundo, e um dos maiores de todos os tempos. Com relação a essa habilidade, seu ex-empresário argentino Diego Maradona disse sobre ele: "A bola fica colada ao pé dele; já vi grandes jogadores na minha carreira, mas nunca vi ninguém com o controle da bola de Messi. " Além de suas qualidades individuais, ele também é um jogador de equipe bem-elaborado e trabalhador, conhecido por suas combinações criativas, em particular com os ex-meio-campistas do Barcelona Xavi e Andrés Iniesta, o ex-lateral direito do Barcelona Daniel Alves e o lateral-esquerdo do Barcelona Jordi Alba.

Messi celebra frequentemente seus gols apontando um dedo de cada mão para o céu em dedicação à sua falecida avó. Foi ela quem encorajou um jovem Messi a jogar e também o levou aos jogos

Messi também é conhecido por ser um grande construtor de jogadas. Foi considerado de melhor criador de jogadas pela IFFHS por três anos seguidos (2015, 2016 e 2017). Para o ex-jogador Tostão, nem Pelé tinha um repertório de passes para gol tão precisos como o de Messi.[524]

Taticamente, Messi joga como atacante livre; um jogador versátil, ele é capaz de atacar em qualquer área do campo ou através do centro do campo. Sua posição favorecida na infância foi o armador por trás de dois atacantes, conhecido como enganche no futebol argentino, mas começou sua carreira na Espanha como ponta-esquerda ou meia. Após sua estreia no time principal, ele foi para a ponta-direita pelo técnico Frank Rijkaard; a partir desta posição, ele poderia mais facilmente cortar a defesa no meio do campo e chutar de pé esquerdo, ao invés de cruzar bolas para os companheiros de equipe. Sob Guardiola e outros treinadores, ele mais frequentemente jogava como um falso 9; Posicionado como um centroavante, ele percorria o centro, muitas vezes se movendo no meio-campo e atraindo defensores com ele, a fim de criar e explorar espaços para passes, corridas de drible ou jogadas com Xavi e Iniesta. Sob a liderança de Luis Enrique, Messi inicialmente voltou a jogar na posição de ponta-direita que caracterizou grande parte de seu início de carreira na formação 4-3-3 . Sob o comando de Ernesto Valverde, Messi desempenhou vários papéis. Enquanto ele ocasionalmente continuava a ser empregado em um papel mais profundo, do qual ele podia correr de trás para a área, ou mesmo na ponta-direita ou como um falso nove, ele também era usado em um papel mais ofensivo e central no 4 –2–3–1, ou como segundo atacante em uma formação 4-4–2, onde ele foi mais uma vez ele devia cair profundamente, unir-se a meio campistas, orquestrar suas equipes, atacar e criar chances para seu parceiro de ataque Luis Suárez. Com a Seleção Argentina, Messi também jogou como atacante livre; sob vários treinadores, ele jogou na ponta-direita, como um falso nove, como um artilheiro, ao segundo-atacante, ou em um papel criativo mais livre como um clássico número 10.

Comparações com Maradona

Messi durante a jogada do gol contra o Getafe, muito semelhante ao de Diego Maradona

Têm sido cada vez mais frequentes as comparações ao que é considerado a maior lenda do futebol argentino, não só pela forma explosiva de jogar, mas também pelos gols parecidos com os de Maradona que tem marcado ao serviço do Barcelona. Um deles, contra o Getafe, lembrou o gol mais famoso do Pibe, contra a Inglaterra, na Copa do Mundo FIFA de 1986, driblando vários adversários em aceleração, inclusive o goleiro, e finalizando com um toque sutil para o fundo das redes.[525] Messi também faria o seu gol de mão contra o Espanyol, da mesma forma que Maradona fizera também contra os ingleses. Assim como Maradona, Messi também tem baixa estatura e chuta com a perna esquerda (os dois escrevem com a direita), além de ambos terem passado pelo Newell's Old Boys e pelo Barcelona ao longo de suas carreiras.

No dia 22 de fevereiro de 2012, Diego Maradona revelou estar cansado de suas comparações com Lionel Messi. Segundo Maradona, ele suplicaria para deixar o jogador do Barcelona em paz até que ele encerre sua carreira como jogador de futebol.[526]

Rivalidade com Cristiano Ronaldo

Desde o ano de 2007, quando foi indicado pela primeira vez entre os finalistas para melhor jogador do mundo, começou a grande rivalidade dentro dos campos com o português Cristiano Ronaldo, que na época, era o principal jogador do Manchester United. Nesse ano, ambos perderam o prêmio para o brasileiro Kaká, do Milan. Na ocasião, Messi recebeu o prêmio de segundo melhor jogador do mundo após o erro de Pelé, que o tinha entregado a Cristiano Ronaldo, o terceiro colocado.[527] No ano de 2008 o prêmio ficou com o português que garantiu o título da Liga dos Campeões, Messi ficou em segundo. No ano de 2009, a rivalidade da dupla aumentou quando Barcelona e Manchester United foram finalistas da Liga dos Campeões da UEFA. O jogo terminou em 2–0 para os catalães, com gol de Messi, o segundo da partida. Nesse ano, o argentino levou a melhor, ficando em primeiro lugar na votação, e levando o prêmio de melhor do mundo.[528] Meses depois de ganhar o título europeu, Cristiano Ronaldo anunciou sua transferência ao Real Madrid. De lá para cá, ambos tem brigado pelas artilharias dos principais campeonatos do continente. Em uma entrevista, Cristiano chegou a afirmar que Messi e ele são impossíveis de comparar.[529]

Messi ao lado de Cristiano Ronaldo num duelo entre Portugal e Argentina

Em 2010 foi novamente o melhor jogador do mundo, desbancando Cristiano Ronaldo e passando a frente do atacante do Real Madrid no número de prêmios. No ano seguinte, ambos se enfrentaram na final da Copa do Rei de 2010–11, competição a qual os merengues venceram com gol de Cristiano Ronaldo. Dias mais tarde, Messi brilhou no clássico válido pela Liga dos Campeões ao marcar dois gols no Estádio Santiago Bernabéu e a classificação para a final. Em 2011, disputando com Xavi, Ronaldo e Messi foram finalistas da Bola de Ouro de 2011, vencida pelo argentino. Na ocasião, Ronaldo não pode comparecer na cerimônia, o francês Zinédine Zidane, grande estrela do Real Madrid e Juventus, foi o representar. Mesmo com a rivalidade dentro do campo, Messi e Cristiano Ronaldo revelam-se ser fãs um do outro, sendo grandes amigos. Na temporada 2011, ambos terminaram com 53 gols, sendo os líderes mundiais.[530]

Vida pessoal

Personalidade

Apesar do assédio que carrega por ser o melhor jogador de futebol da atualidade, Messi aparenta ser uma pessoa extremamente quieta, reservada, certas vezes tímida e bastante humilde. Ao contrário da maioria dos jogadores do seu círculo de amizades e do seu patamar de fama, sempre se mostrou distante das noitadas e das badaladas boates espanholas.

Interessado pela íntima e pouco divulgada vida pessoal de Messi, o jornalista e escritor Leonardo Faccio, conterrâneo do jogador e que também reside em Barcelona, escreveu "Messi, El chico que siempre llegaba tarde" ("Messi, o menino que sempre chegava atrasado", em espanhol), livro publicado pela editora Debate. Por incumbência de sua editora, Faccio tentou se aproximar de Messi durante muito tempo, conhecendo a personalidade do jogador. Na obra, o escritor apresenta Messi como um garoto jovem e aparentemente simples, diferente da grande maioria dos garotos de sua idade e seu poder aquisitivo, mas que ao mesmo tempo é uma pessoa complexa.[531] No total, Leonardo conseguiu apenas uma entrevista de 15 minutos com Lionel no ano de 2008, o suficiente para saber que "suas palavras limitam mais do que explicam" e, portanto, optou por se aproximar dele através de "mais de cem" pessoas do seu círculo social, dentre eles jogadores, treinadores e amigos próximos ao jogador.[531]

O livro também mostra o jogador como uma pessoa extremamente tímida, que foge da mídia e que odeia se ver jogando.[531]

Faccio lembrou também que, pelo que conheceu de Messi, uma derrota com a Seleção Argentina carrega uma carga emotiva bastante diferente do que quando ocorre um fracasso pelo clube catalão.[531]

Em 2021 Messi lança no "Messiverso" coleção de arte NFT. Messi, de 34 anos, é apresentado como rei, super-herói, e titã grego em obras intituladas “Homem do Futuro”, “Vale o quanto Pesa”, e “A Peça do Rei”, celebrando as conquistas de sua carreira.[532]

Mídia

Por ser o jogador mais assediado dos últimos anos[carece de fontes?], o tamanho sucesso dentro de campo fez com que Messi fosse garoto propaganda dos jogos de vídeo game Pro Evolution Soccer, nas edições de 2009 e de 2011 (coincidentemente nos anos em que teve mais sucesso e títulos, como a Liga dos Campeões). Também marcou presença na capa do jogo no ano de 2010, porém ao lado de Fernando Torres, então atacante do Liverpool.

Também marcou presença na capa da franquia de jogos de futebol eletrônico FIFA, permanecendo na capa por quatro edições do jogo, do FIFA 13 ao FIFA 16.

Relacionamentos

No início de 2011, Messi colocou um fim num relacionamento de longa data que mantinha com a também argentina Antonella Roccuzzo,[533] que ele conheceu ainda durante a sua infância em Rosário. Pouco tempo depois, em agosto do mesmo ano, os dois demonstraram publicamente ter reatado o romance ao serem fotografados juntos na ilha de Ibiza, leste da Espanha, durante as férias do jogador.[534] Em novembro de 2012 Lionel e Antonella tiveram o seu primeiro filho, Thiago Messi Roccuzzo, nascido em Barcelona.[535]

No dia 30 de junho de 2017, Messi e Antonella casaram-se. Quatro meses depois, no dia 15 de outubro, sua esposa Antonella anunciou que estava grávida do terceiro filho com o craque argentino.[536] O garoto, Ciro, nasceu no dia 10 de março de 2018.[537]

Patrocinadores

  • Turkish Airlines: É uma companhia aérea turca fundada em 1933, com sede na cidade de Istambul.[538]
  • Adidas: É uma empresa alemã de equipamentos esportivos, considerada uma das maiores do mundo.
  • EA Sports: É uma divisão da EA (Electronic Arts) que desenvolve e publica games esportivos.
  • Pepsi: É uma marca de um refrigerante com sabor de cola que possui mais de 100 anos de história. A marca está presente em 75 países nos cinco continentes.
  • Herbalife: É uma multinacional estadunidense presente hoje em 76 países, que atua na indústria de nutrição humana, distribuindo seus produtos através de marketing de rede, onde cada elemento é um distribuidor independente.
  • Dolce & Gabbana: É uma internacionalmente famosa marca italiana criada pelo estilista siciliano Domenico Dolce. A grife é muito popular entre estrelas como Madonna, Gisele Bündchen, Monica Bellucci, Ayumi Hamasaki, Isabella Rossellini e Kylie Minogue.
  • Audemars Piguet: É uma marca de relógios criada na Suíça.
  • Chery: É uma indústria automobilística estatal da China.
  • Air Europa: É uma companhia aérea espanhola fundada em 1986, com sede na cidade de Palma de Mallorca. É a divisão aérea do grupo Globália. Desde 1991, a Air Europa tem como meta estabelecer-se como uma das companhias aéreas mais modernas da Europa.
  • WeChat: É um aplicativo de texto e serviços de comunicação de mensagens de voz desenvolvido pela Tencent na China.

Estatísticas

Atualizadas até 04 de outubro de 2021[539][540][541]

Clubes

Clube Temporada Campeonato Nacional
Partidas Gols
Barcelona C 2003–04 10 5
Barcelona B 2003–04 5 0
2004–05 17 6
Total 32 11
Equipe Temporada Campeonato Nacional Copa Nacional Liga dos Campeões da UEFA Supercopa nacional Supercopa da UEFA Mundial de Clubes Total
Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist.
Barcelona 2004–05 7 1 0 1 0 0 1 0 0 9 1 0
2005–06 17 6 2 2 1 1 6 1 2 25 8 5
2006–07 26 14 2 2 2 2 5 1 0 2 0 0 1 0 0 36 17 4
2007–08 28 10 16 3 0 0 9 6 2 40 16 18
2008–09 31 23 12 8 6 1 12 9 5 51 38 18
2009–10 35 34 12 3 1 0 11 8 0 1 2 0 1 0 1 2 2 0 53 47 13
2010–11 33 31 18 7 7 3 13 12 3 2 3 0 55 53 24
2011–12 37 50 17 7 3 4 11 14 7 2 3 2 1 1 1 2 2 2 60 73 32
2012–13 32 46 12 5 4 1 11 8 2 2 2 0 50 60 15
2013–14 31 28 11 6 5 3 7 8 0 2 0 0 46 41 14
2014–15 38 43 18 6 5 4 13 10 6 57 58 28
2015–16 33 26 16 5 5 6 7 6 1 2 1 0 1 2 1 1 1 0 49 41 24
2016–17 34 37 9 7 5 3 9 11 2 2 1 2 52 54 16
2017–18 36 34 12 6 4 4 10 6 2 2 1 0 54 45 18
2018–19 34 36 14 5 3 3 10 12 3 1 0 1 50 51 21
2019–20 33 25 21 2 2 1 8 3 4 1 1 0 44 31 25
2020–21 35 30 11 5 3 1 6 5 2 1 0 0 47 38 14
Total 520 474 207 80 56 35 149 120 41 20 14 5 4 3 3 5 5 1 778 672 292
Paris Saint-Germain 2021–22 3 0 0 0 0 0 2 1 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
Total 3 0 0 0 0 0 2 1 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 5 1 0
Total na carreira 523 474 207 80 56 35 151 121 41 20 14 5 4 3 3 5 5 1 783 673 292
Maiores artilheiros do Barcelona

Estatísticas atualizadas até 21 de maio de 2021

Em negrito, jogadores que ainda atuam pelo Barcelona:

Rank. País Jogador Período Gols
Argentina Lionel Messi 2004–2021 672
Espanha Cézar Rodríguez 1942–1955 232
Uruguai Luis Suárez 2014–2020 198
Hungria László Kubala 1950–1961 194
Espanha Josep Samitier 1918–1933 184
Espanha Josep Escolà 1934–1937 e 1940–1948 167
Filipinas Espanha Paulino Alcántara 1912–1927 143
Camarões Samuel Eto'o 2004–2009 131
Brasil Rivaldo 1997–2002 130
10º Espanha Mariano Martin 1940–1948 128

Seleção

Maiores artilheiros da Seleção Argentina

Estatísticas atualizadas até 14 de Outubro de 2021

Em negrito, jogadores que ainda atuam pela Seleção Argentina

Rank. Jogador Período Gols Partidas Média
1. Lionel Messi 2005–presente 80 156 0,51
2. Gabriel Batistuta 1991–2002 56 78 0,72
3. Sergio Agüero 2006–presente 41 101 0,40
4. Hernán Crespo 1995–2007 35 64 0,55
5. Diego Maradona 1977–1994 34 91 0,37
6. Gonzalo Higuaín 2009–2019 31 75 0,41
7. Luis Artime 1961–1967 24 45 0,53
8. Leopoldo Luque 1975–1981 22 45 0,49
9. Daniel Passarella 1976–1986 22 70 0,31
10. Herminio Masantonio 1935–1942 21 19 1,11
Gols pela seleção

Títulos

Barcelona[542][543]

Seleção Argentina

Argentina

Argentina Sub-20

Argentina Sub-23

Artilharias

Líder de assistências

Prêmios individuais

¹ e ²: Os prêmios de Melhor Jogador do Mundo pela FIFA e Bola de Ouro da FIFA são equivalentes, porém, após o primeiro ter sido fundido com o extinto prêmio Ballon d'Or, entregue pela France Football, passou então a ter nova nomenclatura de Bola de Ouro.

Coletivo

  • Equipe(a) do ano da FIFA: 2007, 2008, 2009, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2015, 2016, 2017, 2018, 2019 e 2020
  • Equipe(a) do ano da UEFA: 2008, 2009, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2015, 2016, 2017, 2018, 2019 e 2020
  • FIFPro World XI: 2007, 2008, 2009, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2015, 2016, 2017, 2018, 2019 e 2020
  • Equipe(a) do ano pela European Sports Magazines: 2005–06, 2007–08, 2008–09, 2009–10, 2010–11, 2011–12, 2012–13, 2014–15, 2015–16, 2016–17, 2017–18 e 2018–19
  • Equipe(a) do ano pela Football Observatory: 2015[572]
  • Equipe(a) do ano pela L'Équipe: 2009, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2015, 2016, 2017 e 2018[573]
  • Seleção da década das grandes ligas da Europa pelo Goal.com[574]
  • Seleção da década pela France Football[575]
  • Seleção da década pelo UOL Esporte
  • Um dos 11 eleitos pela AFA para a Seleção Argentina de Todos os Tempos[576]
  • Melhor trio de ataque do século XXI[577]
  • Seleção da década pela SporTV
  • XI do Barça da década para leitores do SPORT
  • Seleção do Barcelona da década pelo SPORT
  • Melhor equipe do século XXI pela UEFA[578]
  • Equipe ideal da Copa do Mundo FIFA de 2014
  • Equipe ideal da Copa América de 2007, 2015 e 2021[579]
  • Equipe ideal da Copa América Centenário[580]
  • Seleção do século XXI pela UEFA[581]
  • Equipe ideal de jogadores sul-americanos na história do Barcelona
  • Bola de Ouro Dream Team: melhor ponta-direita da história
  • Seleção da década (2011–2020) pela IFFHS[582]
  • 11Leyendas Jornal AS: 2021[583]
  • IFFHS ALL TIME WORLD MEN'S DREAM TEAM[584]

Torneios

Recordes e marcas Mundiais

  • Mais prêmios de melhor jogador do mundo FIFA: 6
  • Único jogador na história a marcar mais de 40 gols em 10 temporadas consecutivas (2009–10 - 2018–19)
  • Mais prêmios da FIFA Ballon d'Or: 6 (recorde de jogador que mais vezes conquistou o prêmio)
  • Mais presenças no FIFPro World XII: 13 vezes (2007-2019) (compartilhado com Cristiano Ronaldo)
  • Único jogador a marcar em seis diferentes competições de clubes em uma temporada duas vezes: 2011–12 e 2015–16
  • Único jogador a marcar em 6 diferentes competições de clubes em um ano civil duas vezes: 2011 e 2015
  • Único jogador a pontuar e assistir em 6 diferentes competições de clubes em um ano civil: 2011
  • Maior número de gols marcados nas finais da Copa do Mundo de Clubes da FIFA: 4 gols (partilhado com Cristiano Ronaldo)
  • Maior número de aparições nos 3 primeiros candidatos para o Ballon d'Or: 12 vezes (2007–17 e 2019) (partilhado com Cristiano Ronaldo)
  • Maior intervalo de tempo entre o primeiro e o último prêmio Ballon d'Or: 10 anos (2009 e 2019)
  • Guinness World Records recorde de gols em um só ano: 91 gols em 2012
  • Mais gols em um ano civil (incluindo amistosos de clubes): 96 gols (2012)
  • Único jogador que marcou em três Copa do Mundo de Clubes da FIFA: 2009, 2011, 2015 (compartilhado com Cristiano Ronaldo)
  • Jogador mais jovem a ganhar 2 Ballon d'Or: 23 anos, 6 meses e 18 dias
  • Jogador mais jovem a ganhar 3 Ballon d'Or: 24 anos, 6 meses e 17 dias.
  • Jogador mais jovem a ganhar 4 Ballon d'Or: 25 anos, 6 meses e 15 dias
  • Jogador mais jovem a ganhar 5 Ballon d'Or
  • Jogador mais jovem a ganhar 6 Ballon d'Or 32 anos, 6 meses e 6 dias
  • Maior número de bolas de ouro da Copa do Mundo de Clubes da FIFA: 2 (2009 e 2011)
  • Único que marcou mais de 60 gols em todas as competições em duas temporadas consecutivas (2011–12 e 2012–13)
  • Primeiro jogador a fazer gol e dar assistência em seis competições diferentes no mesmo ano
  • Mais gols marcados de forma consecutiva: 21 partidas / 33 gols
  • Primeiro jogador de futebol a marcar consecutivamente contra todos os times de uma liga profissional
  • Maior artilheiro da história por um único clube em jogos oficiais: 667

Recordes e marcas pela Europa

  • Maior vencedor da Bota de Ouro da UEFA: 6
  • Único jogador a vencer a Bota de Ouro da UEFA 3 vezes consecutivas
  • Jogador mais rápido para atingir 100 gols na Liga dos Campeões da UEFA (123 jogos)
  • Maior artilheiro das 5 principais ligas da Europa: 469 gols
  • Maior artilheiro das 5 principais ligas da Europa por um único clube: 469 gols
  • Maior artilheiro por um único clube em todas as ligas da Europa: 667 gols
  • O jogador mais rápido a atingir os 300 gols nas 5 melhores ligas da Europa (334 jogos)
  • Jogador mais jovem a atingir 100 jogos na Liga dos Campeões da UEFA
  • Jogador mais jovem a marcar mais de 400 gols num único clube europeu (27 anos e 300 dias)
  • Maior número de gols marcados em uma temporada: 50 gols
  • Mais gols marcados em uma temporada (clube): 73 gols
  • Mais gols marcados em um ano (clube): 79 gols
  • Mais hat-tricks na Liga dos Campeões da UEFA: 8
  • Mais hat-tricks na fase de grupos em uma única temporada da Liga dos Campeões da UEFA: 2 (compartilhado com Luiz Adriano e Cristiano Ronaldo)
  • Maior artilheiro em único jogo de Liga dos Campeões da UEFA – 5 gols contra o Bayer Leverkusen
  • Único jogador a marcar em 23 cidades diferentes na Liga dos Campeões da UEFA
  • Maior artilheiro da Supercopa da UEFA: 3 gols (partilhado com outros 8 jogadores)
  • Jogador mais jovem a terminar como artilheiro da Liga dos Campeões da UEFA: 21 anos (2009)
  • Primeiro jogador a ser artilheiro da Liga dos Campeões da UEFA por 4 vezes consecutivas
  • Jogador mais jovem a ultrapassar a marca de 50 gols em Liga dos Campeões da UEFA
  • Primeiro jogador a conseguir 100 pontos na disputa do Bota de Ouro da UEFA
  • Maior artilheiro da fase de grupos da Liga dos Campeões da UEFA: 70 gols
  • Maior artilheiro das oitavas de final da Liga dos Campeões da UEFA: 23 gols
  • Maior artilheiro por um único time na Liga dos Campeões da UEFA: 120 gols
  • Mais gols de falta na Supercopa da UEFA: 2 gols
  • Primeiro jogador a marcar 5 gols num único jogo da Liga dos Campeões da UEFA
  • Primeiro jogador a marcar 400 vezes em qualquer uma das cinco grandes ligas europeias
  • Primeiro a marcar em 15 temporadas seguidas na Liga dos Campeões da UEFA
  • Jogador que mais gols marcou em oponentes distintos na Liga dos Campeões da UEFA: 34

Recordes e marcas na Espanha

  • Primeiro jogador da La Liga a marcar mais de 25 gols em 12 temporadas consecutivas em todas as competições
  • Único jogador na história da La Liga a marcar mais de 15 gols em 13 temporadas (consecutivamente) (2008–09 - 2020–21)
  • Único jogador na história da La Liga a marcar mais de 10 gols em 15 temporadas (consecutivamente) (2006–07 - 2020–21)
  • Primeiro jogador na história da La Liga que marcou pelo menos dois gols em 100 jogos
  • Maior artilheiro da história do El Clásico na La Liga 18 gols
  • Maior artilheiro da história do El Clásico em todas as competições: 26 gols
  • Jogador com o maior número de assistências na história do El Clásico: 14
  • Jogador do Barcelona que mais vezes participou do El Clásico: 44 jogos
  • Mais hat-tricks nos jogos El Clásico: 2 hat-tricks
  • Hat-trick mais rápido da história da La Liga (17 minutos contra Mallorca)
  • Único jogador na história da La Liga a marcar mais de 20 gols em 8 temporadas consecutivas (partilhado com Cristiano Ronaldo)
  • Único jogador na história da La Liga a marcar mais de 20 gols em 9 temporadas consecutivas (2008–09 - 2016–17)
  • Único jogador na história da La Liga a marcar mais de 20 gols em 10 temporadas consecutivas (2008–09 - 2017–18)
  • Único jogador na história da La Liga a marcar mais de 20 gols em 11 temporadas consecutivas (2008–09 - 2018–19)
  • Único jogador na história da La Liga a marcar mais de 20 gols em 12 temporadas consecutivas (2008–09 - 2019–20)
  • Único jogador na história da La Liga a marcar mais de 20 gols em 13 temporadas consecutivas (2008–09 - 2020–21)
  • Primeiro jogador a marcar mais de 25 gols em cinco temporadas consecutivas da La Liga (partilhadas com Cristiano Ronaldo)
  • Primeiro jogador a marcar mais de 25 gols em seis temporadas consecutivas da La Liga (partilhadas com Cristiano Ronaldo)
  • Primeiro jogador a marcar mais de 25 gols em sete temporadas consecutivas da La Liga (partilhadas com Cristiano Ronaldo)
  • Primeiro jogador a marcar mais de 25 gols em oito temporadas consecutivas da La Liga (2009–10 - 2016–17) (partilhado com Cristiano Ronaldo)
  • Primeiro jogador a marcar mais de 25 gols em nove épocas consecutivas da La Liga (2009–10 - 2017–18) (partilhado com Cristiano Ronaldo)
  • Primeiro jogador a marcar mais de 25 gols em dez épocas consecutivas da La Liga (2009–10 - 2018–19)
  • Primeiro jogador a marcar mais de 25 gols em onze épocas consecutivas da La Liga (2009–10 - 2019–20)
  • Primeiro jogador a marcar mais de 25 gols em doze épocas consecutivas da La Liga (2009–10 - 2020–21)
  • Único jogador a marcar mais de 40 gols em duas temporadas consecutivas da La Liga (partilhadas com Cristiano Ronaldo)
  • Jogador com mais títulos conquistados por um clube espanhol: 35 títulos
  • Único jogador a marcar em 6 edições da Supercopa da Espanha: 2009, 2010, 2011, 2012, 2015, 2016
  • Único jogador a marcar em 4 edições consecutivas da Supercopa da Espanha: 2009–2012
  • Artilheiro na segunda metade da temporada: 28 gols (em 2011–12)
  • Maior numero de adversários diferentes a marcar em uma única temporada: 19 (2012–13) (compartilhado com Cristiano Ronaldo e Ronaldo)
  • Melhor proporção de gols em uma temporada da La Liga (pelo menos 20 jogos disputados): 1,44 (46 gols em 32 jogos em 2012–13)
  • Artilheiro ao longo de uma temporada em jogos em casa: 46 gols (em 2011–12),
  • Artilheiro de gols ao longo de uma temporada em jogos em casa: 35 gols (em 2011–12)
  • Artilheiro ao longo de uma temporada nos jogos fora de casa: 24 gols (em 2012–13)
  • Mais gols marcados em La Liga em uma temporada: 50 gols em 2011–12
  • Mais gols marcados na La Liga em um ano: 59 gols em 2012
  • Maior numero de hat-tricks da La Liga em uma temporada: 8 (compartilhado com Cristiano Ronaldo)
  • Jogador mais jovem a marcar 200 gols na La Liga: 25 anos
  • Jogador mais jovem a atingir 250 gols na La Liga
  • Primeiro jogador a marcar mais de 40 gols em 3 temporadas da La Liga (partilhadas com Cristiano Ronaldo)
  • Maior artilheiro da Supercopa da Espanha: 17 gols
  • Jogador com mais títulos na história da Supercopa da Espanha: 8 títulos
  • Maior artilheiro do Troféu Joan Gamper: 8 gols
  • Maior artilheiro da La Liga: 469 gols
  • Jogador com mais vitórias na história da La Liga: 363
  • Jogador com mais assistências na história da La Liga: 207 assistências
  • Jogador com mais gols de falta na história da La Liga: 38 gols
  • Jogador da La Liga que mais marcou gols no século XXI saindo do banco: 23 gols
  • Mais gols marcados fora de casa na história da La Liga
  • Maior vencedor do troféu Pichichi: 7
  • Jogador com mais hat-tricks na história da La Liga: 36 hat-tricks
  • Maior assistente de uma única temporada da La Liga: 21 assistências
  • Jogador com mais gols marcados na final da Copa do Rei: 9 gols

Recordes e marcas pelo Barcelona

  • Maior artilheiro do Barcelona em todos os tempos (incluindo amistosos): 710 gols
  • Jogador com mais jogos na história do Barcelona: 772
  • Maior artilheiro do Barcelona em competições oficiais: 667 gols
  • Maior artilheiro do Barcelona na La Liga: 469 gols
  • Maior artilheiro do Barcelona nas competições europeias: 123 gols
  • Maior artilheiro do Barcelona em competições internacionais: 128 gols
  • Mais títulos na história do Barcelona: 35 títulos
  • Mais hat-tricks em competições oficiais pelo Barcelona: 48 hat-tricks
  • Mais hat-tricks na La Liga pelo Barcelona: 36 hat-tricks
  • Mais hat-tricks pelo Barcelona em uma única temporada da La Liga: 8 hat-tricks
  • Mais gols marcados em uma única temporada da Liga dos Campeões da UEFA: 14 gols (2011/12)
  • Maior artilheiro do Derbi Barceloní (derby catalão): 12 gols
  • Primeiro jogador do Barcelona a ser o artilheiro da La Liga 3 vezes
  • Primeiro jogador do Barcelona a ser o artilheiro da La Liga 4 vezes
  • Primeiro jogador do Barcelona a ser o artilheiro da La Liga 5 vezes
  • Primeiro jogador do Barcelona a ser o artilheiro da La Liga 6 vezes
  • Mais troféus da Liga dos Campeões da UEFA: 4 (compartilhado com Xavi Hernández e Andrés Iniesta)
  • Único jogador que marcou e assistiu em 6 competições oficiais diferentes em uma temporada (Copa do Rei, La Liga, Liga dos Campeões da UEFA, Supercopa da Espanha, Supercopa da UEFA e Copa do Mundo de Clubes da FIFA, concluída em 12 de janeiro de 2012)
  • Um dos 2 jogadores que marcaram em 6 competições oficiais diferentes em uma temporada (Copa do Rei, La Liga, Liga dos Campeões da UEFA, Supercopa da Espanha, Supercopa da UEFA e Copa do Mundo de Clubes da FIFA, concluída em 4 de janeiro de 2012)
  • O primeiro jogador do Barcelona a superar 30 gols em La Liga em 2 temporadas consecutivas
  • O primeiro jogador do Barcelona a superar 30 gols na La Liga em 3 temporadas consecutivas
  • O primeiro jogador do Barcelona a superar 30 gols na La Liga em 4 temporadas consecutivas
  • O primeiro jogador do Barcelona a superar 50 gols em uma temporada
  • O primeiro jogador do Barcelona a superar 50 gols em 2 temporadas (fez consecutivamente)
  • O primeiro jogador do Barcelona a superar 50 gols em 3 temporadas (fez consecutivamente)
  • O primeiro jogador do Barcelona a superar 50 gols em 4 temporadas
  • O primeiro jogador do Barcelona a superar 50 gols em 5 temporadas
  • O primeiro jogador do Barcelona a superar 50 gols em 6 temporadas
  • O primeiro jogador do Barcelona a superar 50 gols em 7 temporadas
  • O primeiro jogador do Barcelona a superar 50 gols em 8 temporadas
  • O primeiro jogador do Barcelona a superar 50 gols em 9 temporadas
  • O primeiro jogador do Barcelona a ganhar 2 European Golden Shoes
  • O primeiro jogador do Barcelona a ganhar 3 European Golden Shoes
  • O primeiro jogador do Barcelona a ganhar 4 European Golden Shoes
  • O primeiro jogador do Barcelona a ganhar 5 European Golden Shoes
  • O primeiro jogador do Barcelona a ganhar 6 European Golden Shoes
  • Único jogador da história a marcar gols em 12 finais de torneios disputadas
  • Jogador do Barcelona com mais vitórias na La Liga: 363
  • Mais gols de falta da história do Barcelona: 48

Recordes e marcas pela Argentina

  • Mais gols marcados nas eliminatórias da Copa do Mundo da CONMEBOL: 26 gols
  • Sul-americano com mais gols pela seleção nacional: 79 gols[586]
  • Primeiro argentino a marcar contra os outros 9 países da CONMEBOL
  • Mais gols marcados em amistosos: 34 gols
  • Mais gols marcados em Competições: 42 Gols
  • Maior número de gols marcados em uma das Eliminatórias da Copa do Mundo: 10 gols
  • Mais gols marcados em um ano (equipe nacional): 12 gols (2012) (compartilhado com Gabriel Batistuta)
  • Jogador mais jovem da Argentina que marcou na Copa do Mundo FIFA: 18 anos e 357 dias em 2006 contra a Sérvia e Montenegro
  • Jogador mais jovem a atingir 100 jogos internacionais na história da CONMEBOL (27 anos, 361 dias)
  • Maior artilheiro da seleção argentina: 79 gols
  • Jogador com mais assistências da seleção argentina: 50 assistências
  • Jogador com mais vitórias na seleção argentina: 90 vitórias
  • Jogador com mais assistências em Copa América: 13
  • Jogador Argentino com mais títulos na carreira: 37
  • Jogador Argentino com mais Gols na carreira: 751 gols
  • Jogador em atividade com mais gols no clássico Brasil x Argentina: 5 gols.
  • Jogador com mais competições disputadas com a seleção: 10[587]

Fonte dos recordes e marcas[588]

Honrarias

Ver também

Notas

  1. Sem contar os gols pelo Barcelona B e C e as Seleções Argentinas Sub-20 e Sub-23.

Referências

  1. «"Messi | Ficha del jugador 20/21 | Delantero Canal Oficial FC Barcelona"» (em espanhol). FC Barcelona. Consultado em 4 de julho de 2021 
  2. «Lionel Messi». PSG.FR (em francês). Consultado em 16 de agosto de 2021 
  3. «Ex-Barcelona relata primeiros treinos de Messi no clube: 'Era um ET'». Terra 
  4. 90 minutos a olhar para Messi: O ET não apareceu, mas houve quem beijasse os pés do 'mágico'
  5. «Messi, o Mágico: o melhor marcador da UEFA Champions League». MSN 
  6. «Exclusivo - Neymar se rende ao "mágico Messi": "é generoso, me deixa brilhar e me torna melhor" - Goal.com». www.goal.com 
  7. «Fifa The Best: pela sexta vez, Messi é eleito melhor jogador do mundo». Globoesporte. Consultado em 15 de junho de 2020 
  8. «Messi elogiado por treinador que ameaçou: «É o melhor do mundo»». TVI24. Consultado em 15 de junho de 2020 
  9. Sapio, Marcello. «Sportbuzz · Quais são as maiores lendas da história do futebol?». Sportbuzz. Consultado em 15 de junho de 2020 
  10. Jogadores que citaram Messi como o melhor jogador de todos os tempos incluem:
  11. «Lionel Messi breaks two all-time records; Sergio Ramos' unique first this century» [Lionel Messi quebra dois recordes de todos os tempos; Único primeiro de Sergio Ramos neste século] (em inglês). ESPN. 19 de julho de 2020. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  12. «Messi supera Batistuta e se isola como maior artilheiro da Seleção Argentina». ESPN.com.br. 22 de junho de 2016. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  13. «Maradona diz que Messi é seu sucessor». O Globo. 24 de fevereiro de 2006. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  14. «Após quarto vice pela Argentina, Messi dispara: "Acabou a seleção para mim"». GloboEsporte.com. 27 de junho de 2016. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  15. «'Messi é o maior jogador que já viveu', diz Adidas». Radar da Propaganda. Consultado em 31 de dezembro de 2019 
  16. Esporte, Máquina do (13 de fevereiro de 2017). «Adidas renova contrato com Lionel Messi». Máquina do Esporte. Consultado em 31 de dezembro de 2019 
  17. «Estes são os 10 atletas mais bem pagos do mundo em 2019». Época Negócios. Consultado em 31 de dezembro de 2019 
  18. «Messi, Djokovic e Lin; veja esportistas mais influentes do mundo». Terra. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  19. Settimi, Christina (14 de setembro de 2020). «The World's Highest-Paid Soccer Players 2020: Messi Wins, Mbappe Rises» [Os jogadores de futebol mais bem pagos do mundo em 2020: Messi vence, Mbappe sobe] (em inglês). Forbes. Consultado em 14 de janeiro de 2021 
  20. a b c d e f g h i j k l m n o p "El 10 del Diez", Diego Borisnky, El Gráfico, junho de 2010, págs. 32-44
  21. a b "Os Craques da Copa 2006 - Lionel Messi", Gian Oddi, Placar número 1294, maio de 2006, Editora Abril, págs. 38-39
  22. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s "El 10 del Diez", Diego Borisnky, El Gráfico, junho de 2010, págs. 32-44
  23. a b c d e "Os Craques da Copa 2006 - Lionel Messi", Gian Oddi, Placar número 1294, maio de 2006, Editora Abril, págs. 38-39
  24. «Barcelona's Lionel Messi sidelined with thigh injury» (em inglês). CBC. 5 de março de 2008. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  25. «您所请求的网址 - 无法获取». Consultado em 25 de fevereiro de 2006 
  26. «El crack que desea victorias de regalo». Consultado em 27 de fevereiro de 2007 
  27. Gregory Sica (4 de agosto de 2008). «Messi Inherits Ronaldinho's No. 10 Shirt» (em inglês). Goal.com. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  28. «Lionel Messi on a mission». Consultado em 20 de abril de 2008 
  29. «Rijkaard admite acerto de Guardiola em colocar Messi como um 'falso 9'». GloboEsporte.com. 23 de outubro de 2013. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  30. «Lionel Messi: Magic in his feet». Consultado em 27 de março de 2010 
  31. «Los intereses de Messi». Consultado em 31 de maio de 2009 
  32. «La Pulga atómica conquista el mundo». Consultado em 24 de Fevereiro de 2006. Arquivado do original em 5 de novembro de 2012 
  33. «Messi faz de peito, Barça vira e é campeão mundial na prorrogação». Gazeta do Povo. 19 de dezembro de 2009. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  34. «Lionel Messi é eleito o craque do Mundial de Clubes da Fifa». Gazeta do Povo. 19 de dezembro de 2009. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  35. «Lionel Messi leva o prêmio de melhor do mundo da Fifa de 2009». Consultado em 27 de dezembro de 2011 
  36. «Lasraíces italianas». Consultado em 7 de Outubro de 2005 
  37. «Young boy in Old World». Consultado em 30 de Maio de 2009. Arquivado do original em 12 de outubro de 2013 
  38. «Messi has all the qualities to take world by storm». Consultado em 26 de Fevereiro de 2009 
  39. «Messi marca seu centésimo gol em goleada do Barça sobre o Sevilla». Consultado em 27 de dezembro de 2011 
  40. Duncan White (4 de abril de 2009). «Franck Ribery the man to challenge Lionel Messi and Barcelona» (em inglês). The Telegraph. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  41. Paul Logothetis (6 de abril de 2010). «Messi scores four as Barcelona beats Arsenal 4–1». USA Today. Consultado em 8 de novembro de 2010 
  42. «Arsène Wenger hails Barcelona's Lionel Messi after four-goal display». The Guardian. Londres. 7 de abril de 2010. Consultado em 13 de janeiro de 2012 
  43. Sinnott, John (10 de abril de 2010). «BBC Sport – Football – Barcelona secure crucial win over rivals Real Madrid». BBC News. Consultado em 12 de abril de 2010 
  44. «Messi double puts Barcelona back on track». The Guardian. Reino Unido. 21 de abril de 2008. Consultado em 2 de maio de 2010 
  45. Spain (4 de maio de 2010). «Barcelona Striker Lionel Messi Could Equal Ronaldo's 34 Goal Haul In Primera Liga». Goal.com. Consultado em 2 de junho de 2010 
  46. «Lionel Messi Chases Ronaldo's Goal Record». Bleacher Report. 14 de abril de 2010. Consultado em 2 de junho de 2010 
  47. «Messi se corona como el mejor jugador de la Liga» (em espanhol). MARCA. 3 de junho de 2010. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  48. «From "Infantil B" to World number one». Consultado em 18 de Setembro de 2009. Arquivado do original em 7 de outubro de 2009 
  49. «El colegiado rompe el partido con una decisión muy injusta» (em espanhol). Mundo Deportivo. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  50. «La Hemeroteca de Mundo Deportivo». Consultado em 25 de Setembro de 2011 
  51. «El Mundo esportivo». Consultado em 24 de Setembro de 2009 
  52. «Latest News from Yahoo! Sports - World Soccer News». Consultado em 23 de Agosto de 2006 
  53. «Krkic enters the record books». Consultado em 21 de Outubro de 2010 
  54. «Messi: "Rijkaard gave us more freedom"». Consultado em 10 de Dezembro de 2010 
  55. «Profile: Lionel Messi». Consultado em 22 de Maio de 2009 
  56. «Meteoric rise in three years». Consultado em 3 de Maio de 2008 
  57. «Messi faz dois gols, quebra recorde de Müller e mantém Barça com folga». GloboEsporte.com. 9 de dezembro de 2012. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  58. «Good news for Barcelona as Messi gets his Spanish passport». Consultado em 28 de Maio de 2005 
  59. «Ronaldinho scores the goals, Messi takes the plaudits». Consultado em 28 de Outubro de 2005 
  60. «Frustrated Messi suffers another injury setback». Consultado em 26 de Abril de 2006 
  61. «NATIONAL FOOTBALL TEAMS - Stats - Lionel Messi». Consultado em 17 de Julho de 2009 
  62. «Doctors happy with Messi op». Consultado em 14 de Novembro de 2006. Arquivado do original em 16 de outubro de 2013 
  63. Londres, Por GLOBOESPORTE COM. «Arsenal consegue virada eletrizante e fica em vantagem sobre o Barcelona». globoesporte.com. Consultado em 29 de julho de 2020 
  64. Barcelona, Por GLOBOESPORTE COM; Espanha. «Mais um jogão e show de Messi: Barça elimina o Arsenal nas oitavas». globoesporte.com. Consultado em 29 de julho de 2020 
  65. Barcelona, Por GLOBOESPORTE COM; Espanha. «Dani Alves brilha, Barça goleia, e Liga deve ter clássico espanhol na semi». globoesporte.com. Consultado em 29 de julho de 2020 
  66. «Com recorde de Messi, Barça vence outra e 'esfria' despedida do Shakhtar». Olhar Direto. Consultado em 29 de julho de 2020 
  67. «Mágica de Messi resolve, e Barcelona abre vantagem sobre nervoso Real». GloboEsporte.com. 27 de abril de 2011. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  68. «Adiós, Real! Barça segura vantagem, empata com o rival e está na decisão». Consultado em 27 de dezembro de 2011 
  69. «Wayback Machines». Consultado em 13 de Novembro de 2006 
  70. a b c «Qual é a maior atuação da carreira de Messi?». GloboEsporte.com. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  71. «Liderado por Messi, futebol arte do Barça bate Manchester e leva o tetra». GloboEsporte.com. 28 de maio de 2011. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  72. «Barcelona demasiado forte para United». UEFA. Consultado em 27 de dezembro de 2011. Arquivado do original em 30 de junho de 2011 
  73. «Sem ser brilhante, Barcelona empata com o Levante e conquista o tri». GloboEsporte.com. 11 de maio de 2011. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  74. «The Independent». Consultado em 11 de Março de 2007 
  75. «Inter beat AC, Messi headlines derby». Consultado em 8 de Março de 2007 
  76. «Messi brilha e Barcelona é Campeão da Supercopa da Espanha». Mundo do Futebol. 17 de agosto de 2011. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  77. «Com 1 gol de Messi Barcelona vence o Real e é campeão Nacional». VEJA. 17 de agosto de 2011. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  78. «Barcelona vence Porto, e conquista a Supercopa da UEFA. O pôster do campeão». Mundo do Futebol. 26 de agosto de 2011. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  79. «Com dois gols de Lionel Messi Barcelona goleia o Villarreal na estreia». Consultado em 27 de dezembro de 2011 
  80. «Com passeio de Messi e Fàbregas, Barcelona massacra o Osasuna». GloboEsporte.com. 17 de setembro de 2011. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  81. «The greatest goal ever?» (em inglês). The Telegraph. 20 de abril de 2007. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  82. «Messi marca dois, iguala mito, e Barcelona goleia o Bate Borisov». Espanha Futebol. Consultado em 27 de dezembro de 2011. Arquivado do original em 31 de dezembro de 2011 
  83. «Trailing After 1 Minute, Barcelona Is in First After 90». Times.com. Consultado em 27 de dezembro de 2011 
  84. «Messi dazzles as Barça reach Copa Final». Consultado em 18 de Abril de 2007 
  85. «Can 'Messidona' beat Maradona?». Consultado em 14 de Julho de 2007 
  86. «Hand of Messi saves Barcelona». Consultado em 10 de Junho de 2007 
  87. «Barça atropela Al Sadd e vai fazer final com o Santos». Extra. 15 de dezembro de 2011. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  88. «Desmistificando Barcelona 4x0 Santos». UOL.com. Consultado em 16 de março de 2012. Arquivado do original em 28 de março de 2012 
  89. «Lionel Messi - FT». Consultado em 27 de Maio de 2011 
  90. «Xavi late show saves Barca». Consultado em 27 de Fevereiro de 2008 
  91. «FIFPro World XI». Consultado em 27 de Maio de 2009 
  92. «FIFA Ballon d'Or 2011». FIFA.com. Consultado em 20 de janeiro de 2012. Arquivado do original em 20 de janeiro de 2012 
  93. «Prêmio Puskás». FIFA.com. Consultado em 20 de janeiro de 2012. Arquivado do original em 20 de janeiro de 2012 
  94. João Ruela (15 de janeiro de 2012). «Barcelona só derrubou um Bétis reduzido a dez (4-2)». Diário de Notícias. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  95. «FC Barcelona volta a dominar Real Madrid ao vencer por 2-1 em jogo da Taça do Rei». Síc Notícias. Consultado em 16 de março de 2012. Arquivado do original em 3 de fevereiro de 2012 
  96. «Guti critica Rooney e defende Pepe: "existem muitos santos, mas no céu"». Terra. 19 de janeiro de 2012. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  97. «El fútbol a sus pies». Consultado em 7 de Julho de 2009 
  98. «Guardiola: «Se o Pepe disse que foi involuntário, foi involuntário»». maisfutebol.iol.pt. Consultado em 16 de março de 2012 
  99. «Show de Messi: craque faz três e lidera mais uma vitória do Barça». GloboEsporte.com. 22 de janeiro de 2012. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  100. «Barcelona empata em casa, 2–2, e atira Real Madrid para fora da Taça do Rei». Joranl de Notícias. Consultado em 16 de março de 2012 
  101. «Capa da 'Time', Messi é chamado de 'possível melhor' da história». Folha de S.Paulo. Consultado em 16 de março de 2012 
  102. «Barcelona vence Valência e segue para a final da Taça do Rei (2-0)». abola.pt. Consultado em 16 de março de 2012. Arquivado do original em 13 de fevereiro de 2012 
  103. «Aimar 'honrado' por ter inspirado Messi». goal.com. Consultado em 16 de março de 2012 
  104. «Osasuna bate Barcelona: Real pode ficar a dez pontos». maisfutebol.iol.pt. Consultado em 16 de março de 2012 
  105. «Barcelona faz 3 x 1 no Leverkusen com gols de Sánchez e Messi». Extra. 14 de fevereiro de 2012. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  106. «Troca de camisas com Messi irrita dirigentes do Bayer Leverkusen». Globo Esporte. Consultado em 16 de março de 2012 
  107. «Messi e Kaká doam camisas autografadas para leilão beneficente». Globo Esporte. Consultado em 16 de março de 2012 
  108. «Campeonato Espanhol 2011 - 2012, Barcelona vence por cinco a um». Globo Esporte. Consultado em 16 de março de 2012 
  109. «Messi será o mais jovem do Barça a completar 200 jogos». atribuna.com.br. Consultado em 16 de março de 2012. Arquivado do original em 29 de julho de 2013 
  110. «Messi faz golaço de falta, e Barça encerra série do Atlético de Madrid». esportes.terra.com.br. Consultado em 16 de março de 2012 
  111. «Messi faz golaço, Dani Alves deixa o seu e Barça vence Atlético de Madri». Globo Esporte. Consultado em 16 de março de 2012 
  112. «Messi: «Devo tudo ao Barcelona»». record.xl.pt. Consultado em 16 de março de 2012 
  113. «Só faltou chover! Messi faz cinco, Barça atropela e avança às quartas». globoesporte.globo.com. 7 de março de 2012 
  114. «Guardiola diz que trono do futebol mundial pertence a Messi». esportes.terra.com.br. Consultado em 16 de março de 2012 
  115. «Beckenbauer: «Messi tem coisas de Maradona e Charlton»». www.record.xl.pt. Consultado em 16 de março de 2012 
  116. «Deco: O Barça sem Messi não seria a mesma coisa». maisfutebol.iol.pt. Consultado em 16 de março de 2012 
  117. «'Messi é o melhor jogador de todos os tempos', diz vice do Milan». GloboEsporte.com. 9 de março de 2012. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  118. «O rei da Espanha». Blog Meio de Campo. 10 de março de 2012. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  119. «Messi resolve outra vez, Barça vence e volta a ficar a dez pontos do Real». Globo Esporte. Consultado em 16 de março de 2012 
  120. «Totti le daría el Balón de Oro a Messi antes que a Kaká». Consultado em 29 de Novembro de 2007 
  121. «Messi não pensa em recorde de gols, diz ser 'normal' e enaltece Guardiola». GloboEsporte.com. 12 de março de 2012. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  122. «Fàbregas diz que Messi é humilde e merece saborear o bom momento». GloboEsporte.com. 12 de março de 2012. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  123. «Jornal revela que Messi quase trocou o Barça pelo Real Madrid aos 13 anos». GloboEsporte.com. 13 de março de 2012. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  124. Caio Barbosa (11 de março de 2012). «Romário rebaixa status de Messi:"não é melhor de nada, só do Barcelona"». UOL. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  125. «Messi faz golaço, fica perto de recorde, e Barça derrota Sevilla sem sustos». GloboEsporte.com. 17 de março de 2012. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  126. «Recontagem põe Messi a um gol de igualar maior artilheiro do Barça». Terra. 19 de março de 2012. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  127. «The World's best Playmaker». Consultado em 31 de Agosto de 2012 
  128. «Messi scores hat trick in Barca's 3-1 win over Atletico». Consultado em 7 de Janeiro de 2009 
  129. «Com dois de Messi, Barça goleia e coloca pressão sobre o líder Real». GloboEsporte.com. 7 de abril de 2012. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  130. Cahê Mota (18 de abril de 2012). «Pedra no sapato de Messi: Barça martela, mas perde para o Chelsea». GloboEsporte.com. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  131. «Barcelona 3-2 Real Madrid – as it happened». Consultado em 24 de Agosto de 2012 
  132. «Real Madrid falters at Getafe while Barcelona builds five-point lead». 31 de agosto de 2012 
  133. «Cristiano Ronaldo seals Super Cup win for Real Madrid despite wonder free-kick from Lionel Messi». 30 de agosto de 2012 
  134. «Messi becomes Barcelona's all-time Clasico top scorer with free kick against Real Madrid». 29 de agosto de 2012 
  135. «Real Madrid beat Barcelona to win Spanish Super Cup» (em inglês). BBC. 29 de agosto de 2012. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  136. «Messi brace bails out shaky Barca vs Spartak». 17 de setembro de 2012 
  137. «ARFTS - Goals in a Year». Consultado em 16 de outubro de 2017. Arquivado do original em 16 de outubro de 2017 
  138. «76 not out: Messi closing in on Muller after breaking Pele's record for most goals in a calendar year». Consultado em 14 de Novembro de 2012 
  139. «Lionel Messi eclipses Pelé with 76th goal of year in Barcelona victory». Consultado em 15 de Novembro de 2012 
  140. «Messi does it again». Consultado em 18 de Novembro de 2012 
  141. «Messi closing in on Muller record». Consultado em 20 de Novembro de 2012 
  142. «Messi equals César's record». Consultado em 12 de Dezembro de 2012 
  143. «Month by month, goal by goal... The diary of Messi's extraordinary record-breaking year». Consultado em 10 de Dezembro de 2012 
  144. «Lionel Messi of Barcelona sets new goal-scoring record». Consultado em 5 de Janeiro de 2013 
  145. «Messi breaks record with 86th goal of year». Consultado em 9 de Dezembro de 2012 
  146. «Lionel Messi sends signed shirt to Gerd Müller» (em inglês). inside World Soccer. 10 de janeiro de 2013. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  147. «88 and counting... Messi can't stop scoring as Barca striker doubles up to further exceed Muller's record». Consultado em 13 de Dezembro de 2012 
  148. «Messi reaches 90 goals as Barca win». Consultado em 17 de Janeiro de 2013. Arquivado do original em 30 de dezembro de 2012 
  149. «Barça has renewed the contracts of Carles Puyol, Xavi Hernández and Leo Messi». Consultado em 18 de Janeiro de 2013 
  150. «Barcelona 4 x 1 Atlético de Madrid: Messi faz dois em dia inspirado de Adriano». Goal.com. 16 de dezembro de 2012. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  151. «Ballon d'Or contenders Messi, Ronaldo and Iniesta in profile». Consultado em 16 de Fevereiro de 2013 
  152. «Messi crowned world's best for record fourth time». Consultado em 20 de Fevereiro de 2013 
  153. «Lionel Messi wins Ballon d'Or ahead of Ronaldo & Iniesta». Consultado em 22 de Fevereiro de 2013 
  154. http://espn.estadao.com.br/video/280854_entrevista-com-messi-que-falou-sobre-ultima-temporada-preferia-menos-gols-e-mais-titulos[ligação inativa]
  155. «Lionel Messi renova com o Barcelona». Consultado em 1 de fevereiro de 2013. Arquivado do original em 31 de janeiro de 2013  1 de fevereiro de 2013
  156. «Barcelona faz 6 a 1 no Getafe». oGol. 10 de fevereiro de 2013. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  157. «Messi prestes a marcar seu 300º gol pelo Barcelona». Consultado em 11 de Fevereiro de 2013 
  158. «Barça vence de virada com dois de Messi em noite histórica para o craque». GloboEsporte.com. 16 de fevereiro de 2013. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  159. «Após derrota no meio da semana, Barça vence o Sevilla por 2-1». Consultado em 22 de Fevereiro de 2013 
  160. «Que venha o Real: Barça leva susto, mas vence de novo com gol de Messi». GloboEsporte.com. 23 de fevereiro de 2013. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  161. «Real Madrid 2-1 Barcelona». Consultado em 2 de Março de 2013 
  162. «Virou rotina? Real volta a vencer o Barcelona. Messi iguala Di Stéfano». GloboEsporte.com. 2 de março de 2013. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  163. «De olho no Milan, Barça vence com bela cavadinha do 'reserva' Messi». Consultado em 9 de Março de 2013 
  164. «Barça e Messi não falham: 3 a 1 sobre o Rayo Vallecano». Consultado em 18 de Março de 2013 
  165. «Lionel Messi atinge marca incrível, mas Barcelona cede empate ao Celta». Consultado em 30 de Março de 2013 
  166. «Athletic Bilbao arranca empate no fim e ofusca atuação de Messi». oGol. 27 de abril de 2013. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  167. «Milan 'abre apetite' de Messi e Barcelona consegue classificação heroica». oGol. 12 de março de 2013. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  168. «Com gol de Matuidi no fim, PSG consegue empate e segue vivo na Liga». oGol. 2 de abril de 2013. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  169. a b «Com 'meio Messi', Barcelona avança às semifinais da Liga dos Campeões». O Globo. 10 de abril de 2013. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  170. «Bayern massacra Barcelona, faz 4 a 0 e fica muito perto da final da Champions». ESPN.com.br. 23 de abril de 2013. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  171. «Lionel Messi - As maiores derrotas». www.transfermarkt.pt. Consultado em 21 de julho de 2020 
  172. «'Super Bayern' humilha o Barcelona de novo e confirma finalíssima alemã». GloboEsporte.com. 1 de maio de 2013. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  173. Lowe, Sid (11 de abril de 2013). «Messidependencia brought into focus as Barcelona show vulnerability | Sid Lowe». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  174. «Barça vence Betis de virada e se aproxima mais do título». oGol. 5 de maio de 2013. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  175. Allan Caldas (6 de maio de 2013). «Messi iguala o número de gols de Maradona». O Globo. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  176. «Após show, Messi iguala número de gols de Maradona na carreira». GloboEsporte.com. 6 de maio de 2013. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  177. «Barça vira sobre o Atlético após título, mas volta a perder Messi por lesão». GloboEsporte.com. 12 de maio de 2013. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  178. «Lesão afasta Messi do resto da temporada». oGol. 13 de maio de 2013. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  179. «Messi recebe sua terceira Chuteira de Ouro por gols na última temporada». GloboEsporte.com. 20 de novembro de 2013. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  180. «Barcelona confirma o argentino Gerardo Martino como novo técnico». GloboEsporte.com. 23 de julho de 2013. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  181. «Após série de lesões, Messi vai desfalcar o Barcelona por dois meses». R7. 11 de novembro de 2013. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  182. Roberto Crescenti (13 de janeiro de 2014). «Cristiano Ronaldo desbanca Messi e é eleito melhor do mundo». DW Brasil. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  183. Nou, Sid Lowe at Camp (12 de março de 2014). «One flick of Lionel Messi's left foot ends talk of crisis at Barcelona | Sid Lowe». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  184. «Real Madrid v Barcelona: Has Ronaldo overtaken Messi?». BBC Sport (em inglês). 22 de março de 2014 
  185. a b «Messi faz três e vira maior artilheiro do Barcelona em 7 a 0 sobre o Osasuña». GloboEsporte.com. 16 de março de 2014. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  186. «Polêmicas, viradas e show de Messi: Barça vence Real e embola Espanhol». GloboEsporte.com. 23 de março de 2014. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  187. «Barcelona goleia o Ajax com show de Messi: 4 a 0». O Globo. 18 de setembro de 2013 
  188. «Barcelona vence o Milan e se classifica na Liga dos Campeões». O Globo. 6 de novembro de 2013. Consultado em 28 de junho de 2020 
  189. «Barcelona vence o Manchester City por 2 a 0 na Liga dos Campeões». O Globo. 18 de fevereiro de 2014. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  190. «Barcelona vence o City e confirma classificação às quartas de final». O Globo. 12 de março de 2014. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  191. «Neymar marca, Diego faz golaço, e Barça e Atlético de Madrid empatam». GloboEsporte.com. 1 de abril de 2014. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  192. «Sem sentir falta de Diego Costa, Atlético domina Barça e vai à semifinal». GloboEsporte.com. 9 de abril de 2014. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  193. «Sem CR7, Bale brilha, Real vence o Barça e é campeão da Copa do Rei». GloboEsporte.com. 16 de abril de 2014. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  194. «Atlético de Madri é campeão espanhol 18 anos depois». VEJA (em inglês). Consultado em 27 de junho de 2020 
  195. «Messi: '2014 foi um ano ruim que quis esquecer rápido' | Goal.com». www.goal.com. Consultado em 28 de junho de 2020 
  196. «Barcelona contrata Luis Enrique para lugar de Martino | Esportes». A Crítica (em inglês). Consultado em 17 de julho de 2020 
  197. «Messi 'feels strain of time at top'». ESPN.com (em inglês). 19 de dezembro de 2014. Consultado em 17 de julho de 2020 
  198. GloboEsporte.comBarcelona, Por; Espanha. «Neymar faz três, Barcelona derrota o frágil Granada e volta à liderança». globoesporte.com. Consultado em 17 de julho de 2020 
  199. «FC Barcelona - Sevilla | La Liga Jornada 10 - FC Barcelona». www.fcbarcelona.es. Consultado em 17 de julho de 2020 
  200. UEFA.com (25 de novembro de 2014). «Messi é o melhor marcador da Champions League». UEFA.com. Consultado em 17 de julho de 2020 
  201. Besa, Ramon (7 de dezembro de 2014). «El derbi es un monólogo de Messi». Madrid. El País (em espanhol). ISSN 1134-6582 
  202. «PSG 3 x 2 Barcelona: time francês faz apresentação superior e bate rival na Europa | Goal.com». www.goal.com. Consultado em 17 de julho de 2020 
  203. «Barcelona 3 x 1 Ajax: sem dificuldades, Barça conquista mais uma vitória na Liga dos Campeões antes do clássico espanhol | Goal.com». www.goal.com. Consultado em 17 de julho de 2020 
  204. «Barcelona vence o Ajax em dia de recorde de Messi». O Globo. 5 de novembro de 2014. Consultado em 17 de julho de 2020 
  205. «Barcelona 3 x 1 PSG: Time de Luís Enrique consegue virada e se classifica como líder do grupo. | Goal.com». www.goal.com. Consultado em 17 de julho de 2020 
  206. «Barcelona x Real Madrid - Campeonato Espanhol 2014-2015». globoesporte.com. Consultado em 17 de julho de 2020 
  207. «Messi decide contra Atlético, e Barça é campeão em Madri». Terra. Consultado em 17 de julho de 2020 
  208. «Manchester City 1 x 2 Barcelona: Suárez marca dois e comanda a vitória sobre o City na Inglaterra | Goal.com». www.goal.com. Consultado em 29 de junho de 2020 
  209. GloboEsporte.comBarcelona, Por; Espanha. «Para Guardiola ver: Messi tem atuação de gala, e Barça elimina City». globoesporte.com. Consultado em 29 de junho de 2020 
  210. GloboEsporte.comParis, Por. «Trio volta a assombrar o PSG, e Barça encaminha classificação para as semis». globoesporte.com. Consultado em 29 de junho de 2020 
  211. «Barcelona 2 x 0 PSG: Com dois de Neymar, Barça volta a vencer o PSG e vai às semifinais da Champions League | Goal.com». www.goal.com. Consultado em 29 de junho de 2020 
  212. «Barcelona x Bayern de Munique - Liga dos Campeões 2014-2015». globoesporte.com. Consultado em 29 de junho de 2020 
  213. «Bayern de Munique x Barcelona - Liga dos Campeões 2014-2015». globoesporte.com. Consultado em 29 de junho de 2020 
  214. «Juventus x Barcelona - Liga dos Campeões 2014-2015». globoesporte.com. Consultado em 29 de junho de 2020 
  215. «Barcelona vence Atlético de Madri em jogo de ida da Copa do Rei». Terra. Consultado em 17 de julho de 2020 
  216. «Neymar decide, e Barça elimina Atlético da Copa do Rei em jogo 'maluco'». www.uol.com.br. Consultado em 17 de julho de 2020 
  217. «Neymar faz dois e Barcelona avança à final da Copa do Rei». O Globo. 4 de março de 2015. Consultado em 17 de julho de 2020 
  218. a b «Athletic Bilbao x Barcelona - Copa do Rei 2014-2015». globoesporte.com. Consultado em 17 de julho de 2020 
  219. Escudeiro, Leo. «Veja os dez golaços que concorrem ao Prêmio Puskás 2015». Trivela. Consultado em 17 de julho de 2020 
  220. «Liga BBVA 2014/2015 :: ogol.com.br». www.ogol.com.br (em bretão). Consultado em 17 de julho de 2020 
  221. «Veja os jogadores com mais assistências na temporada europeia». ND. 2 de junho de 2015. Consultado em 17 de julho de 2020 
  222. «Predestinado marca, Barcelona vence jogo épico e ganha a Supercopa da Uefa». ESPN.com.br. 11 de agosto de 2015. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  223. «Teve até gol do meio-campo! Barça leva 4 em final espanhola». UOL. 14 de agosto de 2015. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  224. «Messi supera C. Ronaldo e Suárez e torna-se também soberano na Europa». GloboEsporte.com. 27 de agosto de 2015. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  225. «Da última vez que Messi sofreu lesão grave, Barça foi quase perfeito e não perdeu». ESPN.com.br. 27 de setembro de 2015. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  226. «Sem precisar de Messi, Barça massacra Real com novo show de Neymar e Suárez». UOL. 21 de novembro de 2015. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  227. «Com Neymar e Messi, Barcelona bate River Plate e fatura terceiro Mundial». UOL. 20 de dezembro de 2015. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  228. Vinícius Pinto (9 de janeiro de 2016). «Barcelona 4 x 0 Granada: Barça goleia e reassume a ponta». Goal.com. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  229. Lizie Rodrigues (6 de janeiro de 2016). «Barcelona 4 x 1 Espanyol: Com golaços de Messi e Neymar, Barça vence e fica perto de vaga na Copa do Rei». Goal.com. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  230. «Lionel Messi conquista a Bola de Ouro pela quinta vez». Época. 11 de janeiro de 2016. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  231. «Seleção dos melhores jogadores ano da Fifa tem presenças de Neymar e mais três brasileiros». Superesportes. 11 de janeiro de 2016. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  232. «Brasileiro Wendell Lira supera Lionel Messi e recebe prêmio de gol mais bonito de 2015». Superesportes. 11 de janeiro de 2016. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  233. Gustavo Moniz (3 de fevereiro de 2016). «Barcelona goleia o Valencia por 7 a 0 na semifinal da Copa do Rei». El País. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  234. Carlos J Barros (17 de fevereiro de 2016). «FC Barcelona vence Gijón e Messi chega aos 300 golos na Liga espanhola». RTP Notícias. Consultado em 26 de outubro de 2019 
  235. «Espanhol: Melhores momentos de Sporting Gijón 1 x 3 Barcelona». ESPN. 17 de fevereiro de 2016. Consultado em 26 de outubro de 2019 
  236. «Pula para esquerda, goleiro! Sem mudar lado, Messi marca 6 de falta na temporada». GloboEsporte.com. 29 de fevereiro de 2016. Consultado em 26 de outubro de 2019 
  237. Wemerson Ribeiro (10 de agosto de 2016). «Barcelona vence a Sampdoria com direito a golaço de Messi; veja os gols». Torcedores.com. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  238. «Sem Neymar, Barcelona goleia Betis na estreia do Espanhol». VEJA. 20 de agosto de 2016. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  239. Bruno Nunes Loreto (17 de setembro de 2016). «Léganes 1×5 Barcelona: assista aos gols da partida». Torcedores.com. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  240. «Osasuna 0-3 Barcelona :: Liga Espanhola 2016/17 :: Ficha do Jogo :: ogol.com.br». www.ogol.com.br (em bretão). Consultado em 17 de julho de 2020 
  241. «Barcelona conta com shows de Suárez e Messi, vence clássico e cola no Real». UOL. 18 de dezembro de 2016. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  242. «Messi decide contra sua vítima favorita, Barça vence Atlético em Madri e mantém vivo sonho do título». ESPN.com.br. 26 de fevereiro de 2017. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  243. «Barcelona 5 x 0 Celta: Com ótima atuação de Messi, Barça goleia e recupera liderança de La Liga». Goal.com. 4 de março de 2017. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  244. «Em noite histórica, Messi faz gol no último minuto e Barça vence o Real». UOL. 23 de abril de 2017. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  245. «Aniquilador de recordes, Messi supera marca de Di Stéfano». Goal.com. 15 de setembro de 2016. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  246. «Messi aterroriza Guardiola com hat trick, Neymar faz golaço, e Barça humilha City». ESPN.com.br. 19 de outubro de 2016. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  247. ET, 2016 at 2:33p (1 de novembro de 2016). «Watch Lionel Messi score to pass Raul for most goals in the UCL group stage». FOX Sports (em inglês). Consultado em 17 de julho de 2020 
  248. «Messi volta com dois gols, Barça vence Celtic e avança em 1º na Champions». UOL. 23 de novembro de 2016. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  249. «Paris Saint-Germain x Barcelona - Liga dos Campeões 2016-2017». globoesporte.com. Consultado em 17 de julho de 2020 
  250. «Lionel Messi - As maiores derrotas». www.transfermarkt.pt. Consultado em 17 de julho de 2020 
  251. «As dez maiores viradas da história da Champions League | Goal.com». www.goal.com. Consultado em 17 de julho de 2020 
  252. GloboEsporte.comBarcelona, Por; Espanha. «Fotógrafo se destaca com clique de Messi: "Nunca vi celebrar gol assim"». globoesporte.com. Consultado em 17 de julho de 2020 
  253. «Juventus 3 x 0 Barcelona, em 2017: Buffon x Messi». Esporte Interativo. Consultado em 17 de julho de 2020 
  254. «Barcelona x Juventus - Liga dos Campeões 2016-2017». globoesporte.com. Consultado em 17 de julho de 2020 
  255. Padin, Guilherme (27 de maio de 2017). «Barcelona vence o Alavés por 3 x 1 e conquista a 29ª Copa do Rei na despedida de Luis Enrique». EL PAÍS. Consultado em 17 de julho de 2020 
  256. «Liga Espanhola 2016/17 :: ogol.com.br». www.ogol.com.br (em bretão). Consultado em 17 de julho de 2020 
  257. «Messi ganha sua quarta Chuteira de Ouro e iguala recorde de Cristiano Ronaldo». Gazeta Esportiva. 24 de novembro de 2017. Consultado em 17 de julho de 2020 
  258. «Messi conquista Chuteira de Ouro da temporada. Veja a lista completa». Lance!. Consultado em 17 de julho de 2020 
  259. «Só dois "intrusos": Real Madrid e Barça dominam seleção do ano da Fifa». GloboEsporte.com. 9 de janeiro de 2017. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  260. «Cristiano Ronaldo, Bola de Ouro 2017». Site oficial do Real Madrid. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  261. «Leo Messi renews Barça contract until 2021». fcbarcelona.com. 5 de julho de 2017. Consultado em 5 de julho de 2017 
  262. «Com gol e expulsão de Cristiano Ronaldo, Real bate Barça no Camp Nou e garante excelente vantagem». GloboEsporte.com. 13 de agosto de 2017. Consultado em 26 de outubro de 2019 
  263. «Com estreia de Paulinho, Messi perde pênalti, mas faz dois gols e dá vitória ao Barça contra o Alavés». espn.uol.com.br. 26 de agosto de 2017. Consultado em 26 de agosto de 2017 
  264. «Com direito a 3 de Messi e assistência de Dembelé, o Barcelona atropela o Espanyol no clássico catalão». Goal.com. 9 de setembro de 2017. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  265. «Messi faz quatro, Paulinho volta a marcar, e Barcelona atropela o Eibar». Globoesporte.com. 19 de setembro de 2017. Consultado em 19 de setembro de 2017 
  266. «Messi completa 600 jogos pelo Barça, mas passa em branco no triunfo contra o Sevilla». ESPN. 4 de novembro de 2017. Consultado em 4 de novembro de 2017 
  267. «Messi supera Buffon pela primeira vez e garante estreia com vitória sobre a Juve». Globoesporte.com. 12 de setembro de 2017. Consultado em 12 de setembro de 2017 
  268. «Piqué é expulso, mas Barcelona vence Olympiacos e se aproxima das oitavas da Liga dos Campeões». GaúchaZH. 18 de outubro de 2017. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  269. «Messi finda jejum contra o Chelsea, ofusca Willian e garante empate do Barça». Gazeta Esportiva. 20 de fevereiro de 2018. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  270. «Com show de Messi, Barcelona vence Chelsea e se classifica às quartas». Gazeta Esportiva. 14 de março de 2018. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  271. «Barcelona goleia a Roma no Camp Nou e fica perto da semifinal da Liga dos Campeões». GloboEsporte.com. 4 de abril de 2018. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  272. a b «As dez maiores viradas da história da Champions League». Goal.com. 15 de abril de 2020. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  273. «Roma consegue virada histórica, elimina Barcelona e vai à semi da Champions». UOL. 10 de abril de 2018. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  274. «O Barcelona é campeão de La Liga! Confira tudo sobre o título e campanha». Goal.com. 29 de abril de 2018. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  275. «Barcelona, melhor campeão da La Liga do século 21». Goal.com. 29 de abril de 2018. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  276. Rik Sharma (14 de maio de 2018). «Barcelona lamenta derrota para o Levante que impediu título invicto». Terra. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  277. «Barcelona goleia Sevilla e conquista a Copa do Rei». Folha de S.Paulo. 21 de abril de 2018. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  278. «Messi recebe o troféu de melhor jogador do Espanhol na última temporada». GloboEsporte.com. 12 de novembro de 2018. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  279. «Após saída de Iniesta, Messi se torna o novo capitão do Barcelona». VEJA. 10 de agosto de 2018. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  280. «O primeiro título de Messi como capitão». Diario de Pernambuco. 13 de agosto de 2018. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  281. Danielle Barbosa (12 de agosto de 2018). «Messi se isola como o jogador com mais títulos na história do Barcelona». Torcedores.com. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  282. «Messi e Coutinho marcam e Barcelona vence Alavés na estreia do Espanhol». Estadão. 18 de agosto de 2018. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  283. «Barcelona massacra Huesca de virada com show de Messi e mantém 100%». ESPN.com.br. 2 de setembro de 2018. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  284. «Com um a menos e VAR, Barcelona apenas empata com o Girona». Gazeta Esportiva. 23 de setembro de 2018. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  285. «Barça empata com o Valencia e perde liderança do Espanhol». Gazeta Esportiva. 7 de outubro de 2018. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  286. «Messi brilha, se lesiona, Barcelona faz 4 no Sevilla e assume a liderança do Espanhol». ESPN.com.br. 30 de outubro de 2018. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  287. «Messi se lesiona contra o Sevilla, fica fora por três semanas e desfalca Barça na Champions e contra o Real». Goal.com. 20 de outubro de 2018. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  288. «Barcelona humilha Real Madrid com três gols de Luis Suárez». UOL. 28 de outubro de 2018. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  289. «Com filho no colo, Messi assiste El Clásico nas tribunas do Camp Nou». Terra. 28 de outubro de 2018. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  290. «Messi marca dois em retorno, mas não evita derrota do Barça para o Betis». UOL. 11 de novembro de 2018. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  291. «Lionel Messi chega a 566 gols no Barcelona, ultrapassa lenda alemã e persegue marca de Pelé no Santos». ESPN.com.br. 13 de novembro de 2018. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  292. «Dembelé entra e salva o Barcelona de derrota para o Atlético de Madrid». Terra. 24 de novembro de 2018. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  293. «Barcelona vence Villarreal e assume liderança do Espanhol». Terra. 2 de dezembro de 2018. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  294. «Messi faz dois gols de falta e comanda goleada do Barcelona em dérbi». UOL. 8 de dezembro de 2018. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  295. «Com três gols e show de Messi, Barcelona atropela Levante no Espanhol». UOL. 16 de dezembro de 2018. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  296. «Messi brilha, Barcelona bate Celta e termina ano na liderança do Espanhol». UOL. 22 de dezembro de 2018. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  297. Messi TheBoss, Lionel Messi ● All 51 Goals in 2018 ● With Commentaries, consultado em 28 de dezembro de 2018 
  298. Messi TheBoss, Lionel Messi ● All 26 Assists in 2018 ● With Commentaries, consultado em 28 de dezembro de 2018 
  299. «Barcelona vence fora de casa e abre vantagem na liderança do Espanhol». UOL Esporte. Consultado em 7 de janeiro de 2019 
  300. «Messi faz seu 400º gol no Espanhol, e Barça supera o Eibar». Gazeta Esportiva. 13 de janeiro de 2019. Consultado em 13 de janeiro de 2019 
  301. «Messi chega a 400 gols em LaLiga, Coutinho dá assistência e líder Barcelona vence Eibar». ESPN.com. 13 de janeiro de 2019. Consultado em 17 de janeiro de 2019 
  302. «Cheio de reservas, Barcelona perde para o Levante na Copa do Rei». ISTOÉ Independente. 10 de janeiro de 2019. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  303. «Com gol e 2 assistências, Messi salva Barça na Copa e atinge marca pessoal». UOL. 17 de janeiro de 2019. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  304. «Barcelona sofre, mas vence Leganés e mantém ponta do Espanhol». Gazeta Esportiva. 20 de janeiro de 2019. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  305. «Messi marca e Barça vence mais uma e segue na ponta do Espanhol». Terra. 27 de janeiro de 2019. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  306. «Coutinho marca dois, ofusca Arana, e Barça elimina Sevilla na Copa do Rei». UOL. 30 de janeiro de 2019. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  307. «Messi marca duas vezes, mas Barcelona tropeça e empata com Valencia». UOL. 2 de fevereiro de 2019. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  308. a b «Real começa bem, mas Malcom empata para Barcelona em grande jogo no Camp Nou». GloboEsporte.com. 6 de fevereiro de 2019. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  309. «Barcelona joga 'para o gasto', bate o Valladolid e amplia vantagem na liderança do Espanhol». ESPN.com.br. 16 de fevereiro de 2019. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  310. «Barcelona bate PSV em estreia na Liga dos Campeões com 3 golaços de Messi - Futebol - UOL Esporte». UOL Esporte 
  311. «Messi leva o Barcelona a mais uma vitória na Liga dos Campeões: 4 a 2 no Tottenham». GloboEsporte.com. 3 de outubro de 2018. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  312. «Messi marca, Barcelona vence o PSV e garante a primeira colocação no Grupo B da Liga». GloboEsporte.com. 28 de novembro de 2018. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  313. «Sem inspiração, Lyon e Barcelona abrem confronto da Champions com 0 a 0». UOL. 19 de fevereiro de 2019. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  314. «Depois de um, o outro: Messi dá show, Barcelona goleia o Lyon e vai às quartas». GloboEsporte.com. 13 de março de 2019. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  315. «Barcelona marca com auxílio do árbitro de vídeo e sai na frente por vaga na semifinal». GloboEsporte.com. 10 de abril de 2019. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  316. «Messi dá show, Coutinho faz golaço, Barça atropela o United e avança na Liga». GloboEsporte.com. 16 de abril de 2019. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  317. «Barcelona faz três no Liverpool com show de Messi e fica perto da final da Champions». O Globo. 1 de maio de 2019. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  318. «Messi marca duas vezes, chega ao gol 600 e deixa Barcelona perto da final». Folha de S.Paulo. 1 de maio de 2019. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  319. «Por gol de falta contra Alisson, Messi vence premiação da Uefa». UOL. 9 de agosto de 2019. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  320. a b Diogo Magri (7 de maio de 2019). «Liverpool remonta de forma épica contra o Barcelona e volta à final da Champions League». El País. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  321. «Com uma das maiores atuações da carreira, Messi comanda virada do Barcelona sobre Sevilla». GloboEsporte.com. 23 de fevereiro de 2019. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  322. «Suárez faz dois, Barcelona supera pressão, vence Real no Bernabéu e vai à sexta final seguida». GloboEsporte.com. 27 de fevereiro de 2019. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  323. Leonardo Damico (2 de março de 2019). «Quatro dias depois, Barcelona vence o Real Madrid novamente no Bernabéu». LANCE!. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  324. «Barcelona vence Rayo de virada e já mira Champions». ISTOÉ Independente. 9 de março de 2019. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  325. «Betis x Barcelona, crônica de jogo, Primera Division, dia 17/03/2019 | Goal.com». www.goal.com. Consultado em 19 de março de 2019 
  326. USA, beIN SPORTS (17 de março de 2019). «Vote for your @Ford Man of the Match between @RealBetis_en & @FCBarcelona #FordMOTM #RealBetisBarca». @beINSPORTSUSA (em inglês). Consultado em 19 de março de 2019 
  327. «Messi segue rotina, e quase campeão Barcelona vence o Espanyol no clássico». GloboEsporte.com. 30 de março de 2019. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  328. «Barcelona abre 2 a 0, leva virada, mas Messi e Suárez buscam 4 a 4 épico contra o Villarreal». ESPN.com.br. 2 de abril de 2019. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  329. «Com gols de Suárez e Messi, Barcelona derrota Atlético de Madrid». Mundo FC. 6 de abril de 2019. Consultado em 6 de abril de 2019 
  330. «Messi marca e Barcelona é campeão espanhol pela 26ª vez». Jornal Correio. 27 de abril de 2019. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  331. «Quem brilhou e quem está devendo: balanço do campeão Barcelona». ESPN.com.br. 29 de abril de 2019. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  332. «Messi faz 2, mas Barcelona empata com o Eibar em despedida do Espanhol». ISTOÉ Independente. 19 de maio de 2019. Consultado em 28 de maio de 2019 
  333. «Jornais veem "maior ridículo da história" do Barça e virada de outro mundo». UOL. 8 de maio de 2019. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  334. «Valencia desbanca Barcelona com gol de brasileiro, vence a Copa do Rei e acaba com jejum de 11 anos». ESPN.com. 25 de maio de 2019. Consultado em 28 de maio de 2019 
  335. «Veja a reação dos jornais espanhóis com o vice do Barça na Copa do Rei». LANCE!. Consultado em 28 de maio de 2019 
  336. «"Messi está sozinho": jornal catalão critica fim de temporada melancólico para o Barcelona». GloboEsporte.com. 25 de maio de 2019. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  337. «Rádio catalã crava saída de Valverde do Barcelona, que já mira substituto». Gazeta Esportiva. 28 de maio de 2019. Consultado em 28 de maio de 2019 
  338. «Ernesto Valverde pode ser demitido a qualquer momento do cargo de treinador do Barcelona». Minha Torcida. Consultado em 28 de maio de 2019 
  339. «LaLiga - Melhores marcadores 18/19». www.transfermarkt.pt. Consultado em 28 de maio de 2019 
  340. «LaLiga - Participação em golos 18/19». www.transfermarkt.pt. Consultado em 28 de maio de 2019 
  341. «Liga dos Campeões - Melhores marcadores 18/19». www.transfermarkt.pt. Consultado em 28 de maio de 2019 
  342. «Lionel Messi - Desempenho 18/19». www.transfermarkt.pt. Consultado em 28 de maio de 2019 
  343. «Messi conquista Chuteira de Ouro da temporada. Veja a lista completa». LANCE!. Consultado em 28 de maio de 2019 
  344. Roger Gonzalez (5 de agosto de 2019). «Lionel Messi injury: Barcelona star to miss USA tour with calf injury just ahead of La Liga season» (em inglês). CBS Sports. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  345. «Messi se recupera dentro do prazo, mas não deve ser titular contra o Betis». Torcedores.com. 23 de agosto de 2019. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  346. «Messi won't return until after the international break» (em inglês). MARCA. 28 de agosto de 2019. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  347. «Fifa The Best: pela sexta vez, Messi é eleito melhor jogador do mundo». GloboEsporte.com. 23 de setembro de 2019. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  348. «Barcelona vence Villarreal com golaço do brasileiro Arthur». UOL. 24 de setembro de 2019. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  349. «Messi se vuelve a lesionar, esta vez en el abductor de la pierna izquierda». Marca.com (em espanhol). 24 de setembro de 2019. Consultado em 24 de setembro de 2019 
  350. «Com golaço de Suárez, Barça vence Sevilla e sobe para 2º no Espanhol». www.uol.com.br. Consultado em 6 de outubro de 2019 
  351. «Griezmann brilha, Barcelona bate Eibar com facilidade e lidera Espanhol». UOL. 19 de outubro de 2019. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  352. «Messi, Suárez e Griezmann marcam, e Barcelona vence Eibar pelo Espanhol». ESPN.com.br. 19 de outubro de 2019. Consultado em 20 de outubro de 2019 
  353. «Com assistências mágicas e golaço de falta de Messi, Barcelona goleia time de Ronaldo 'Fenômeno' e assume liderança». ESPN.com. 29 de outubro de 2019. Consultado em 29 de outubro de 2019 
  354. «Com hat-trick de Messi, Barcelona bate o Celta e segue na ponta». Terra. 9 de novembro de 2019. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  355. «Messi salva Barça contra o Atléti e Blaugranas retomam liderança». Onefootball Brasil. 1 de dezembro de 2019. Consultado em 1 de dezembro de 2019 
  356. «Messi conquista Bola de Ouro pela sexta vez e se isola como maior vencedor; Alisson fica em 7º». GloboEsporte.com. 2 de dezembro de 2019. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  357. «Com três de Messi e pintura de calcanhar de Suárez, Barcelona goleia o Mallorca». GloboEsporte.com. 7 de dezembro de 2019. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  358. «Real Madrid joga melhor, mas último clássico da década contra o Barcelona termina sem gol». GloboEsporte.com. 18 de dezembro de 2019. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  359. «51 Clásicos y 17 años después, Barcelona y Real Madrid firman un 0-0». DiarioMadridista.com (em espanhol). 19 de dezembro de 2019. Consultado em 21 de dezembro de 2019 
  360. «Barcelona faz lição de casa, vence Alavés e joga pressão para o Real Madrid». UOL. 21 de dezembro de 2019. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  361. «Messi tem sua última chance para chegar a 50 gols pelo sexto ano consecutivo e nona vez na história». ESPN.com.br. 20 de dezembro de 2019. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  362. «Barcelona é eliminado na semifinal da Supercopa da Espanha e a internet não perdoa». TNT Sports. 9 de janeiro de 2020. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  363. Izabella Macedo (9 de janeiro de 2020). «Dirigentes do Barcelona negam saída de Valverde após derrota para o Atlético de Madrid». Sportbuzz. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  364. Matheus Expedito (9 de janeiro de 2020). «Após derrota no clássico, Valverde admite chance de demissão no Barcelona: "É inevitável"». Torcedores.com. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  365. «Oficial: Barcelona demite Ernesto Valverde e anuncia Quique Setién como novo treinador». GloboEsporte.com. 13 de janeiro de 2020. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  366. «Messi steers Barça to victory in Setien's first game». AS.com (em inglês). 19 de janeiro de 2020. Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  367. «Barcelona - Leganés: Goles, resumen y resultado». La Vanguardia (em espanhol). 30 de janeiro de 2020. Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  368. «Messi alcança a marca de 500 vitórias pelo Barcelona». GloboEsporte.com. 30 de janeiro de 2020. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  369. «Barcelona vence Levante com dois gols do adolescente Ansu Fati». ISTOÉ Independente. 2 de fevereiro de 2020. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  370. «Barcelona perde para o Athletic Bilbao e está eliminado da Copa do Rei». Gazeta Esportiva. 6 de fevereiro de 2020. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  371. «Em dia de Messi garçom, Barcelona vence Betis fora de casa após estar duas vezes atrás no placar». GloboEsporte.com. 9 de fevereiro de 2020. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  372. Demétrio Vecchioli (17 de fevereiro de 2020). «Messi e Hamilton dividem prêmio de atleta do ano no Laureus; Biles é bi». UOL. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  373. «Leo Messi no Instagram: "Fue un verdadero honor recibir el premio Laureus al Mejor Deportista del Año. Estos premios individuales son imposibles de conseguir sin la…"». Instagram. Consultado em 22 de fevereiro de 2020 
  374. «Alerta em Barcelona: Há seis anos que Messi não estava tantos jogos sem marcar». SAPO. 16 de fevereiro de 2020. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  375. «Barcelona goleia o Eibar com quatro gols de Messi e um de Arthur». Paraná Portal. 22 de fevereiro de 2020. Consultado em 22 de fevereiro de 2020 
  376. «Messi encerra jejum, faz quatro gols e comanda passeio do Barcelona, novo líder do Campeonato Espanhol». GloboEsporte.com. 22 de fevereiro de 2020. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  377. «Vinicius Junior brilha na vitória do Real Madrid no clássico contra o Barcelona no Santiago Bernabéu». GloboEsporte.com. 1 de março de 2020. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  378. «Com pênalti polêmico convertido por Messi, Barcelona vence a Real Sociedad e assume a liderança do Espanhol». GloboEsporte.com. 7 de março de 2020. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  379. «Messi não cansa e quebra mais um recorde no campeonato espanhol | Goal.com». www.goal.com. Consultado em 14 de junho de 2020 
  380. «Messi volta aos gramados com novo visual e duas assistências em vitória do Barcelona | Goal.com». www.goal.com. Consultado em 13 de junho de 2020 
  381. «Barcelona 2 x 0 Leganés: Barça faz a lição de casa e se mantém na liderança da La Liga | Goal.com». www.goal.com. Consultado em 16 de junho de 2020 
  382. «Barcelona vence Athletic Bilbao, volta à liderança e agora seca o Real Madrid». GloboEsporte.com. 23 de junho de 2020. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  383. «Barcelona depende cada vez mais de Messi e fica cada vez mais longe do título». Globoesporte. Consultado em 27 de junho de 2020 
  384. «Messi chega ao gol 700, mas Barcelona fica apenas no empate com o Atlético». www.uol.com.br. Consultado em 1 de julho de 2020 
  385. «Messi iguala recorde de Xavi, Barcelona vence 3ª seguida e tira chance de Real ser campeão na segunda». ESPN.com. 11 de julho de 2020. Consultado em 20 de julho de 2020 
  386. «Barcelona goleia Alavés por 5 a 0 em despedida do espanhol». Terra. Consultado em 20 de julho de 2020 
  387. «Messi quebra recorde de assistências de Xavi». BeSoccer. 19 de julho de 2020. Consultado em 20 de julho de 2020 
  388. «Messi alcança sétima artilharia no Espanhol e iguala recorde entre as principais ligas europeias». Globoesporte. Consultado em 20 de julho de 2020 
  389. «Champions: Messi volta, mas não evita empate do Barcelona com Borussia Dortmund». O Globo. 17 de setembro de 2019. Consultado em 18 de setembro de 2019 
  390. «Suárez marca dois golaços e Barcelona derrota Inter de virada na Champions». Gazeta Esportiva. 2 de outubro de 2019. Consultado em 2 de outubro de 2019 
  391. «Barcelona vence fora de casa com direito a gol de Messi». Esporte Interativo. Consultado em 24 de outubro de 2019 
  392. «700 vezes Messi: Barcelona recebe o Dortmund em jogo com marca especial para camisa 10». Globoesporte. Consultado em 27 de novembro de 2019 
  393. Magri, Diogo (27 de novembro de 2019). «Barcelona bate o Borussia Dortmund e se classifica para as oitavas da Champions League». EL PAÍS. Consultado em 27 de novembro de 2019 
  394. UEFA.com. «Highlights: Napoli 1-1 Barcelona - UEFA Champions League». UEFA.com (em inglês). Consultado em 8 de agosto de 2020 
  395. «Barcelona constrói placar no primeiro tempo, bate o Napoli, e está nas quartas da Liga dos Campeões». Lance!. Consultado em 8 de agosto de 2020 
  396. UEFA.com (17 de junho de 2020). «Champions League recomeça a 7 de Agosto». UEFA.com. Consultado em 19 de agosto de 2020 
  397. Rodolfo Rodrigues (14 de agosto de 2020). «Messi sofre sua maior derrota na carreira: 8 x 2 para o Bayern». UOL. Consultado em 31 de agosto de 2020 
  398. «Bayern humilha Barça com 8 e abre ferida: "Vergonha", diz Pique». www.uol.com.br. Consultado em 19 de agosto de 2020 
  399. «Em 'reestruturação' após eliminação e vexame, Barcelona demite diretor Eric Abidal». Agora RN. 18 de agosto de 2020. Consultado em 19 de agosto de 2020 
  400. Uría, Rubén (4 de setembro de 2020). «'My love for Barcelona will never change' - Messi underlines commitment to Catalans after reversing exit desire» ['Meu amor pelo Barcelona nunca mudará' - Messi destaca o compromisso com os catalães após reverter o desejo de saída] (em inglês). Goal. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  401. Jiménez, Juan (26 de agosto de 2020). «The reasons why Messi wants to leave Barcelona» [As razões pelas quais Messi quer deixar Barcelona] (em inglês). As. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  402. Azzoni, Tales; Wilson, Joseph (25 de agosto de 2020). «Messi tells Barca he wants to leave, signaling end of era» [Messi diz ao Barça que quer ir embora, sinalizando o fim de um era] (em inglês). AP News. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  403. «Lionel Messi: Social media reaction to Barcelona legend's transfer request» [Lionel Messi: Reação das mídias sociais ao pedido de saída da lenda do Barcelona] (em inglês). BBC. 25 de agosto de 2020. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  404. «Lionel Messi: Barcelona want to 'build team around most important player in the world'» [Lionel Messi: Barcelona quer 'construir uma equipe em torno do jogador mais importante do mundo'] (em inglês). BBC. 26 de agosto de 2020. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  405. Lowe, Sid. «Lionel Messi tells Barcelona he wants to leave but faces legal battle over clause» [Lionel Messi diz ao Barcelona que quer sair, mas enfrenta batalha judicial por cláusula] (em inglês). The Guardian. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  406. «Nota informativa» (em espanhol). La Liga. 30 de agosto de 2020. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  407. «Messi desmiente a LaLiga y sigue con el pulso al Barça: no hay cláusula de 700 millones» [Messi desmente La Liga e continua combater o Barça: nenhuma cláusula de 700 milhões] (em espanhol). El Mundo. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  408. «Nota informativa» (em espanhol). La liga. 4 de setembro de 2020. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  409. Uría, Rubén (4 de setembro de 2020). «Messi breaks silence on Barcelona exit saga: 'The president did not keep his word'» [Messi quebra o silêncio sobre a saga de saída do Barcelona: 'O presidente não cumpriu sua palavra'] (em inglês). Goal. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  410. Uría, Rubén (4 de setembro de 2020). «Messi's Barcelona heartbreak revealed: From his son's tears, to refusing to go to trial - full truth behind 'brutal' transfer saga» [O desgosto de Messi no Barcelona revelado: Das lágrimas de seu filho à recusa de ir ao trubunal - toda a verdade por trás da saga de transferência 'brutal'] (em inglês). Goal. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  411. «Barça goleia Villarreal com gols de Messi e Ansu Fati na estreia no Espanhol». UOL. 27 de setembro de 2020. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  412. Nakrani, Sachin (25 de setembro de 2020). «Lionel Messi takes fresh aim at Barcelona for 'throwing out' Luis Suárez» [Lionel Messi mira de novo no Barcelona por "jogar fora" Luis Suárez] (em inglês). The Guardian. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  413. «Com brilho de Messi, Barcelona goleia Ferencváros na estreia na Champions». Metrópoles. 20 de outubro de 2020. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  414. Nemer, Roy (20 de outubro de 2020). «Lionel Messi scores, breaks three Champions League records in Barcelona win» [Lionel Messi marca e quebra três recordes da Liga dos Campeões na vitória do Barcelona]. mundoalbiceleste.com (em inglês). Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  415. «Neymar é indicado ao prêmio de melhor do mundo da Fifa; veja lista». UOL. 25 de novembro de 2020. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  416. «Lewandowski, Cristiano Ronaldo e Messi são os finalistas do prêmio de melhor do mundo da Fifa». Globo Esporte. 11 de dezembro de 2020. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  417. «Barcelona 4–0 Osasuna: Lionel Messi pays tribute to Diego Maradona» [Barcelona 4–0 Osasuna: Lionel Messi homenageia Diego Maradona] (em inglês). BBC. 29 de novembro de 2020. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  418. «Leo Messi third in FIFA The Best award» [Leo Messi em terceiro lugar no prêmio FIFA The Best] (em inglês). FC Barcelona. 17 de dezembro de 2020. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  419. «Messi supera Pelé e se torna maior artilheiro em gols oficiais por um só clube». ESPN. 22 de dezembro de 2020. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  420. «Quando seu coração transborda de amor, é difícil mudar o seu caminho... @pele». Consultado em 11 de janeiro de 2021 – via Instagram 
  421. Swan, Rob (27 de dezembro de 2020). «Lionel Messi: Which goalkeepers got the 644 bottles of Budweiser beer?» [Lionel Messi: Quais goleiros ganharam as 644 garrafas de cerveja Budweiser?]. GiveMeSport (em inglês). Consultado em 27 de dezembro de 2020 
  422. Begley, Emlyn (18 de janeiro de 2021). «Lionel Messi sent off as Barcelona lose Spanish Super Cup to Athletic Bilbao» [Lionel Messi expulso na derrota do Barcelona na Supercopa da Espanha para o Athletic Bilbao] (em inglês). BBC Sport. Consultado em 15 de março de 2021 
  423. Marsden, Sam (21 de fevereiro de 2021). «Barcelona's Messi breaks Xavi's club La Liga appearance record vs. Cadiz» [Messi do Barcelona quebra recorde de jogos de Xavi pela La Liga com a camisa do clube, contra o Cádiz] (em inglês). ESPN. Consultado em 15 de março de 2021 
  424. Dean, Sam (10 de março de 2021). «PSG survive Lionel Messi-inspired first-half fightback to knock Barcelona out of Champions League» [PSG sobrevive à Lionel Messi inspirado em virada do primeiro tempo ao eliminar o Barcelona da Liga dos Campeões] (em inglês). The Telegraph. Consultado em 15 de março de 2021 
  425. «Messi iguala marca de Xavi e Barcelona vence Huesca pelo Espanhol». Terra. 15 de março de 2021. Consultado em 15 de março de 2021 
  426. Redação (21 de março de 2021). «Messi bate recorde de Xavi, tem atuação de gala e Barcelona faz seis no Real Sociedad». Sportbuzz. Consultado em 22 de março de 2021 
  427. «Barcelona anuncia saída de Messi». GloboEsporte.com. 5 de agosto de 2021 
  428. «Novo diamante: PSG anuncia a contratação de Lionel Messi». GloboEsporte.com. 10 de agosto de 2021 
  429. «Lionel Messi Biography». Consultado em 8 de Agosto de 2008 
  430. «FORMULARIO». Consultado em 1 de Julho de 2004 
  431. «FIFA World Youth Championship Netherlands 2005». Consultado em 8 de Julho de 2009 
  432. «Messi handles 'new Maradona' tag». Consultado em 22 de Agosto de 2005 
  433. «Argentine striker Messi recalled for World Cup qualifier». Consultado em 20 de Agosto de 2005 
  434. «Messi tries again as Argentina face Paraguay». Consultado em 2 de Setembro de 2005 
  435. «Lionel Andrés Messi». esporte.uol.com.br. Consultado em 16 de março de 2012 
  436. «Messi is a jewel says Argentina coach». Consultado em 10 de Outubro de 2005 
  437. «Messi weiter auf der Bank». Consultado em 13 de Junho de 2006 
  438. «Argentina 6-0 Serbia & Montenegro». Consultado em 16 de Junho de 2006 
  439. «Brasil campeão da Copa América». momentodofutebol.com. Consultado em 16 de março de 2012. Arquivado do original em 6 de junho de 2014 
  440. «Messi comes of age». Consultado em 5 de Junho de 2005 
  441. «Argentina allay fears over Messi». Consultado em 30 de Maio de 2006 
  442. «Argentina 2-1 México (aet)». Consultado em 24 de Junho de 2006 
  443. «Rodríguez finds an answer but many questions still remain». Consultado em 26 de Junho de 2006 
  444. «Holland 0-0 Argentina». Consultado em 21 de Junho de 2006 
  445. «Tévez nets in Argentina victory». Consultado em 29 de Junho de 2007 
  446. «Olympic Football final 2008». soccerlens.com. Consultado em 16 de março de 2012 
  447. «Germany 1-1 Argentina». Consultado em 30 de Junho de 2006 
  448. «Argentina - Paraguay». Consultado em 5 de Julho de 2007 
  449. «Argentina and Mexico reach semis». Consultado em 11 de Outubro de 2008 
  450. «Brazil victorious in Copa America». Consultado em 16 de Julho de 2007 
  451. «Messi's magic goal». Consultado em 12 de Julho de 2007 
  452. «Lionel Messi out of Olympics after Barcelona win court appeal against Fifa». Consultado em 28 de Agosto de 2008 
  453. «Messi marca no fim, Argentina vence Brasil e quebra jejum». ESPN.com.br. 17 de novembro de 2010. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  454. «Argentina beats Nigeria 1-0 for Olympic gold». Consultado em 23 de Agosto de 2008 
  455. «Messi sets up Brazil semi». Consultado em 16 de Agosto de 2008 
  456. «Barcelona give Messi Olympics thumbs-up». Consultado em 27 de Maio de 2009. Arquivado do original em 11 de julho de 2011 
  457. «World Cup 2010 Comment: Revealed - Maradona's Argentina XI». Consultado em 3 de Junho de 2005 
  458. «Argentina 4–0 Venezuela: Messi the star turn». Consultado em 28 de Março de 2009 
  459. «Argentina 1 Nigéria 0: match report». Consultado em 12 de Junho de 2010 
  460. «Tactical Line-up» (PDF). Consultado em 13 de Junho de 2010 
  461. «Greece 0 Argentina 2: match report». Consultado em 22 de Junho de 2010 
  462. «Higuaín marca dois, Argentina é muito superior e dispara na ponta». oGol. 22 de março de 2013. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  463. «Argentina e Colômbia vencem fácil e despontam nas eliminatórias para Copa». oGol. 22 de março de 2013. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  464. «Los 23 elegidos para el Mundial» (em espanhol). Clarín. 2 de junho de 2014. Arquivado do original em 4 de junho de 2014 
  465. Esportes Terra. «Com "Maracanã azul" e Messi decisivo, Argentina vence Bósnia». Consultado em 12 de junho de 2016. Arquivado do original em 1 de julho de 2016 
  466. Edgard Matsuki (21 de junho de 2014). «Argentina 1x0 Irã: Messi salva hermanos da retranca iraniana». EBC. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  467. Trivela. «Argentina 3x2 Nigéria: Entre o poder decisivo de Messi e emoções da defesa». Consultado em 12 de junho de 2016 
  468. «Para Matthaus, nem Messi aprovou prêmio de melhor jogador da Copa». SporTV. 14 de julho de 2014. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  469. «Argentinos choram no vestiário e são defendidos por Tatá Martino». Terra. 5 de julho de 2015. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  470. «Messi atinge marca, Argentina bate Bolívia e entra no grupo de classificação». Terra. 29 de março de 2016. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  471. «Messi faz 3, Argentina atropela Panamá e está nas quartas da Copa América». ESPN.com.br. 11 de junho de 2016. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  472. «Simplemente Me55i» (em espanhol). Diário Olé. 21 de junho de 2016 
  473. «Messi perde pênalti e Argentina é vice de novo para o Chile na Copa América». O Globo. 26 de junho de 2016. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  474. «Após quarto vice pela Argentina, Messi dispara: "Acabou a seleção para mim"». GloboEsporte.com. 27 de junho de 2016. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  475. «La lista para las Eliminatorias». Futebol. Site oficial da AFA. 12 de agosto de 2016 
  476. Yahoo (1 de setembro de 2016). «Messi marca, Argentina vence e assume liderança das Eliminatórias». Consultado em 3 de setembro de 2016 
  477. «O genial Messi leva a Argentina para a Copa da Rússia. Sorte de quem ama esse tal futebol – Blog do Cosme Rímoli – R7». esportes.r7.com. Consultado em 19 de setembro de 2018 
  478. «Argentina corre o risco de ficar de fora da Copa do Mundo - ISTOÉ Independente». ISTOÉ Independente. 6 de outubro de 2017 
  479. «O gênio e a Copa: Messi faz hat-trick e coloca Argentina no Mundial de 2018». ESPN 
  480. «Messi se iguala a Suárez como maior artilheiro da história das Eliminatórias da América do Sul». esporteinterativo.com.br. 11 de outubro de 2017 
  481. «Argentina sofre goleada histórica para a Espanha e iguala marca negativa». Folha de S.Paulo. 27 de março de 2018 
  482. «Messi admite: há seleções melhores que a Argentina nesta Copa do Mundo» 
  483. «Messi joga mal, perde pênalti e Argentina empata com a Islândia». Folha de S.Paulo. 16 de junho de 2018 
  484. «Argentina perde da Croácia e se complica na Copa; Croatas avançam». R7.com. 21 de junho de 2018 
  485. «Sampaoli: "Messi está prejudicado por não encontrar um time que se acomode melhor a ele"». GloboEsporte.com. 21 de junho de 2018. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  486. «Modric defende Messi após vencer Argentina: 'Não pode fazer tudo sozinho'». ESPN.com 
  487. «Argentina vence Nigéria em ritmo de tango: 2 x 1, um drama interminável». Jornal Nacional. 26 de junho de 2018 
  488. «Argentina perde da França e Messi dá adeus à sua 4ª Copa». Valor Econômico 
  489. «Sem Messi, Argentina não terá camisa 10 nos amistosos contra Guatemala e Colômbia». Extra. 8 de setembro de 2018. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  490. «Sem Messi, Argentina não terá camisa 10 nos amistosos contra Guatemala e Colômbia». Extra Online. Consultado em 20 de março de 2019 
  491. «Messi se afasta da seleção argentina temporariamente». ESPN.com. 14 de agosto de 2018. Consultado em 20 de março de 2019 
  492. «Messi se apresenta em Madri e volta à seleção argentina pela primeira vez desde a Copa». GloboEsporte.com. 18 de março de 2019. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  493. Tales Torraga (21 de novembro de 2018). «Messi decide que volta à seleção argentina em março». UOL. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  494. «Argentina perde para a Venezuela no retorno de Messi». VEJA.com. Consultado em 25 de março de 2019 
  495. «Argentina segue cansando Messi, decepção: Imprensa repercute derrota para a Venezuela». ESPN.com. 23 de março de 2019. Consultado em 25 de março de 2019 
  496. «Argentina vira piada após derrota para Venezuela; veja os memes». Terra. Consultado em 25 de março de 2019 
  497. «Derrota para Venezuela revolta Maradona: "Argentina? Não vejo filmes de terror"». Globoesporte. Consultado em 25 de março de 2019 
  498. «Messi sente lesão e é cortado da seleção da Argentina». ESPN.com. 22 de março de 2019. Consultado em 25 de março de 2019 
  499. «Messi marca duas vezes e Argentina goleia Nicarágua antes da Copa América». esporte.uol.com.br. Consultado em 15 de junho de 2019 
  500. «argentina colombia - Pesquisa Google». www.google.com. Consultado em 15 de junho de 2019 
  501. Thomas Polistchuk (15 de junho de 2019). «Colômbia derrota Argentina, encerra jejum de 12 anos e estreia com pé direito na Copa América». ESPN.com.br. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  502. «Memes invadem a rede depois da derrota da Argentina pra Colômbia | Futebol | Tribuna do Paraná». Tribuna PR - Paraná Online. 16 de junho de 2019. Consultado em 17 de junho de 2019 
  503. «Em áudio, Maradona detona a Argentina após derrota na Copa América: "Tonga pode nos ganhar"». GloboEsporte.com. 17 de junho de 2019. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  504. «Maradona detona seleção argentina após derrota para Colômbia». R7.com. 17 de junho de 2019. Consultado em 17 de junho de 2019 
  505. «Messi faz de pênalti, mas Argentina só empata com o Paraguai e é lanterna». esporte.uol.com.br. Consultado em 21 de junho de 2019 
  506. «Messi admite frustração com Copa América da Argentina e diz: "Hoje não se ganha mais com a camisa"». Globoesporte. Consultado em 21 de junho de 2019 
  507. «Copa América: Argentina vence Catar e se garante nas quartas». VEJA.com. Consultado em 23 de junho de 2019 
  508. «Argentina vence Venezuela e pega Brasil na semifinal da Copa América». UOL. 28 de junho de 2019. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  509. «Alô, Maracanã! Em noite de Gabriel Jesus, Brasil vence Argentina e volta à final da Copa América». GloboEsporte.com. 2 de julho de 2019. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  510. «Messi blasts 'bulls***' refereeing» (em inglês). beIN SPORTS. 3 de julho de 2019. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  511. «Messi é expulso, mas Argentina domina Chile e termina Copa América em terceiro». GloboEsporte.com. 6 de julho de 2019. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  512. «Messi's red card overshadows Argentina's encouraging win and Chile's end of an era». ESPN.com (em inglês). 6 de julho de 2019. Consultado em 24 de agosto de 2019 
  513. «Angry Messi cites 'corruption' after Copa red card». ESPN.com (em inglês). 6 de julho de 2019. Consultado em 24 de agosto de 2019 
  514. «Messi gets WC qualifier ban for Copa red card». ESPN.com (em inglês). 23 de julho de 2019. Consultado em 24 de agosto de 2019 
  515. «Suspensión y multa para Lionel Messi | CONMEBOL». www.conmebol.com. Consultado em 24 de agosto de 2019 
  516. «Messi volta à seleção argentina para amistosos com Brasil e Uruguai». ISTOÉ Independente. 31 de outubro de 2019. Consultado em 23 de novembro de 2019 
  517. «Gabriel Jesus perde pênalti, Messi marca, e Argentina vence o Brasil no Superclássico das Américas». www.foxsports.com.br. Consultado em 15 de novembro de 2019 
  518. «Argentina e Uruguai empatam com gols de Cavani, Suárez e Messi». Metrópoles. 18 de novembro de 2019. Consultado em 23 de novembro de 2019 
  519. Igor Siqueira (14 de junho de 2021). «Messi faz gol de falta, mas Argentina empata com Chile na Copa América». UOL 
  520. Marinho Saldanha (18 de junho de 2021). «Sem brilho, Argentina bate o Uruguai e vence a primeira na Copa América». UOL 
  521. «Messi iguala Mascherano e se torna líder em número de jogos pela Argentina». ESPN.com.br. 22 de junho de 2021 
  522. Bruno Bonsanti (28 de junho de 2021). «Messi deu show no primeiro tempo, e Argentina chega ao mata-mata com goleada e em primeiro lugar». Trivela 
  523. Gregory Prudenciano (10 de julho de 2021). «Argentina vence Copa América, e Messi conquista 1º título pela seleção principal». CNN Brasil 
  524. Tostão (9 de janeiro de 2019). «Pequenos times da Europa fazem coisas que os grandes do Brasil não conseguem». Folha de S.Paulo. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  525. Matheus Rodrigues (19 de abril de 2020). «Há 13 anos Messi marcava um gol antológico contra o Getafe». Torcedores.com. Consultado em 25 de março de 2021 
  526. «Diego Maradona cansado das comparações com Lionel Messi». bulhufas.com. Consultado em 16 de março de 2012 
  527. «Kaká o melhor Jogador de 2007». copanaafrica2010.com. Consultado em 16 de março de 2012. Arquivado do original em 5 de julho de 2010 
  528. Mano Castanho. «Lionel Messi, o melhor do mundo em 2009». manocastanho.blogspot.com. Consultado em 16 de março de 2012 
  529. «Cristiano Ronaldo: 'Messi e eu somos como uma Ferrari e um Porsche, impossível de comparar'». ESPN.com.br. 7 de novembro de 2011. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  530. «Messi: 53 golos, como Ronaldo». maisfutebol.iol.pt. Consultado em 11 de março de 2012 
  531. a b c d e f g «Livro conta vida pessoal, intimidade e segredos de Messi». esportes.terra.com.br. 1 de dezembro de 2011. Consultado em 26 de fevereiro de 2012 
  532. Lopes, Lucas Lopes (22 de agosto de 2021). «Messi lança no "Messiverso" coleção de arte NFT». Investidores Brasil - Juntos Podemos Mais. Consultado em 22 de agosto de 2021 
  533. Luiz Gabriel Ribeiro (27 de maio de 2011). «Confusões e mulheres movimentam ano do "bom moço" Messi e do "rebelde" Rooney». UOL. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  534. «Conheça a bela namorada de Messi». br.esportes.yahoo.com. 11 de agosto de 2011. Consultado em 26 de fevereiro de 2012 
  535. «Há um novo Messi no Mundo, chama-se Thiago». publico.pt. 2 de novembro de 2012. Consultado em 2 de novembro de 2012 
  536. «Antonella, esposa de Messi, anuncia que está grávida do terceiro filho». ESPN.com.br. 15 de outubro de 2017. Consultado em 25 de março de 2021 
  537. «Nasce terceiro filho de Lionel Messi». GaúchaZH. 10 de março de 2018. Consultado em 25 de março de 2021 
  538. «Argentine Soccer Star Leo Messi Named Global Brand Ambassador For Turkish Airlines» 
  539. «Lionel Messi» (em inglês). FootballDatabase. Consultado em 16 de julho de 2011 
  540. «Player - Lionel Messi» (em inglês). National Football Teams. Consultado em 23 de setembro de 2011 
  541. «Perfil de L. Messi». Soccerway. Consultado em 3 de abril de 2016 
  542. «Web oficial Leo Messi – Web oficial de Lionel Messi, jugador del Futbol Club Barcelona y uno de los mejores jugadores del mundo.». messi.com. Consultado em 31 de julho de 2020 
  543. «Lionel Messi - Palmarés». www.transfermarkt.pt. Consultado em 31 de julho de 2020 
  544. «World Soccer :: Prêmios». oGol. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  545. «"World Soccer" elege Messi o melhor do ano e Neymar o 3º, atrás de CR7». GloboEsporte.com. 31 de dezembro de 2015. Consultado em 6 de agosto de 2021 
  546. «Melhor que Messi? Boxeador é eleito o atleta argentino do ano». Yahoo!. 20 de dezembro de 2012. Consultado em 7 de agosto de 2021 
  547. «Messi ganha Bola de Ouro de TV europeia e Neymar é o terceiro». Goal.com. 23 de julho de 2015. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  548. «Lionel Messi vence a Goal 50». Goal.com. 27 de novembro de 2015. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  549. Sport (21 de dezembro de 2018). «Messi, mejor jugador del año para 'Four Four Two'». sport (em espanhol). Consultado em 22 de dezembro de 2018 
  550. «Messi é eleito o melhor e Neymar fica em 3º em lista dos melhores de jornal inglês». GloboEsporte.com. 22 de dezembro de 2017. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  551. «Messi e Neymar lideram ranking dos melhores do mundo». Terra. 25 de dezembro de 2015. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  552. «Os 20 melhores jogadores do Mundo em 2016, segundo as estatísticas». Futebol Europeu [ligação inativa] 
  553. «Modric? Cristiano Ronaldo? Messi é quem leva prêmio de melhor do ano de jornal madrileno». Globoesporte. Consultado em 2 de janeiro de 2019 
  554. «Estudo coloca Messi como melhor jogador da história do Espanhol; Cristiano não fica nem no top 10». ESPN 
  555. GloboEsporte.comDubai, Por; Árabes, Emirados. «Messi recebe troféu de jogador do ano em premiação nos Emirados». globoesporte.com 
  556. «Messi é eleito o atleta do ano pelo jornal francês 'L'Équipe' | VEJA.com». VEJA.com 
  557. GloboEsporte.comParis, Por. «Jornal francês põe Messi, Neymar e Suárez como melhores do mundo». globoesporte.com 
  558. [1]
  559. Rafael (30 de dezembro de 2016). «Lionel Messi conquista mais um prêmio em 2016». Futebol Latino 
  560. Sport (6 de dezembro de 2018).