Villarreal Club de Fútbol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Villarreal
Villarreal CF logo.svg
Nome Villarreal Club de Fútbol
Alcunhas Submarino Amarelo
Principal rival Valencia
Fundação 10 de março de 1923 (97 anos)
Estádio La Cerámica
Capacidade 23.500[1]
Localização Villarreal, Espanha
Presidente Fernando Roig Alfonso
Treinador Unai Emery
Patrocinador Pamesa Cerâmica
Material (d)esportivo Joma
Competição La Liga
Copa do Rei
Liga Europa
Website villarrealcf.es
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

O Villarreal Club de Fútbol, também conhecido como submarino amarelo, é um clube de futebol espanhol, da cidade de Villarreal, na Província de Castellón. Foi fundado em 10 de março de 1923 e participa atualmente da Primeira Divisão Espanhola.

História[editar | editar código-fonte]

O Villarreal surgiu em 1923 com o intuito de promover o desporto na cidade espanhola. No início, o clube, que hoje é conhecido por suas cores amarelas, adotou um uniforme com camisas brancas e bermudas pretas. A mudança para o que vigora atualmente ocorreu apenas em 1946.

Na primeira divisão espanhola, o Villarreal é um equipe que esta entre os 6 primeros.[2] Mas, no início de sua história, ficou marcado por tentar, sem sucesso, o acesso à segunda divisão espanhola.

Pelo contrário, depois da paralisação de três anos no fim da década de 1930, devido à Guerra Civil Espanhola, o clube acabou caindo para a divisão inferior, abaixo da terceira nacional.

O acesso à segunda divisão só viria nos anos 1970, mas não duraria muito. O clube subiu em 1970-71, e logo no ano seguinte voltou à terceira.

Durante a década de 1980, o panorama não seria diferente. O time alternava campanhas na divisão regional, na terceira e, pouquíssimas, na segunda, sempre longe de uma vaga na elite do Campeonato Espanhol.

As coisas só começariam a ganhar contornos mais otimistas nos anos 1990. Logo no primeiro ano, 1990-91, o Villarreal subiu para a segunda divisão e conseguiu, enfim, uma sequência em busca do tão sonhado acesso à primeira divisão.

E ele veio na temporada 1997-98, com uma vitória no confronto direto contra o Compostela. Assim, o clube, depois de 65 anos nas divisões inferiores, estreava na elite do futebol espanhol.

Não foi, no entanto, um começo positivo. De cara, o Villarreal ficou na 18ª posição do certame e foi rebaixado. Voltaria, porém, em 2000-01, e começaria uma história surpreendente no torneio nacional.

Conseguiu um sétimo lugar logo no primeiro ano depois do retorno, e, dois anos depois, garantiu vaga na Copa da UEFA ao vencer a Copa Intertoto (torneio de pré-temporada que define últimos classificados para a competição europeia).

O melhor, porém, ainda estaria por vir. Na temporada 2004-05, o Villarreal terminou o Campeonato Espanhol terceira colocação, e conseguiu vaga na Liga dos Campeões da UEFA. Na mais importante competição interclubes do Velho Continente, a equipe chegaria até as semifinais na temporada 2005-06, perdendo para o time inglês Arsenal F.C..

Dois anos mais tarde, na temporada 2007-08, a equipe alcançou seu melhor resultado no Campeonato Espanhol da 1ª divisão, ao conquistar o vice-campeonato da competição. O time obteve 77 pontos, ficando apenas 8 pontos atrás do campeão, Real Madrid, e 10 pontos a frente do terceiro colocado, Barcelona.

No período 2010-11, o time disputou UEFA Europa League, chegando à rodada semi-final do torneio, quando foi eliminado pelo FC Porto, que viria a se tornar o vencedor da competição. Na Liga BBVA, o Villarreal conseguiu o 4° lugar, que lhe permitiu a disputa da UEFA Champions League na temporada seguinte.

Deportivo de La Coruña x Villarreal CF.

Em 8 de junho de 2013, a equipe garantiu o acesso a La Liga, após uma temporada disputando a Liga Adelante. Com uma campanha de altos e baixos, o time consolidou o vice-campeonato da competição em partida contra a UD Almería. Típica temporada de recuperação, o período 2012-13, foi para o clube, um momento de reestruturações. O elenco não dispôs de tantos nomes badalados. Em um verdadeiro misto de juventude e experiência, a equipe pode obter o retorno a primeira divisão. A diretoria comprometeu-se na resolução de problemas financeiros que assolavam o clube e, com o bom resultado dentro de campo, tornou-se um exemplo de administração.Em 2016 dia 27 Julho o Villarreal bate Sporting e conquista o Troféu Ibérico. Um torneio de verão de futebol que é disputado em Badajoz cidade e município Raiano da Espanha na província Homónima da qual é a capital. Disputado desde 1967 e entre 1987 e até os dias de hoje, tendo campeões na lista com times mundialmente conhecidos, Barcelona campeão na edição de 1977 e o Real Madrid na edição 1982. Diante do Sporting venceu nos pênaltis por 4-3, depois de um empate sem abertura de contagem durante o tempo regulamentar.

Rivalidades[editar | editar código-fonte]

Ao longo da história o Villarreal tem ostentado grande rivalidade com o CD Castellón, uma vez que ambos os times pertencem a Província de Castellón. Nos últimos anos, todavia, haja vista os bons resultados obtidos pela equipe, o Villarreal tem rivalizado com o Valencia CD, já que os dois clubes têm sido os mais bem sucedidos da Comunidade Valenciana, além de, por um bom tempo, serem também, as únicas equipes da região na Primeira Divisão Espanhola.

Jogadores notáveis[editar | editar código-fonte]

Durante sua historia jogadores de renome internacional estevao no club do Villarreal CF. Destaques como Belletti, Arruabarrena, Marcos Senna, Palermo e Sonny Anderson foram os primeiros grandes nomes da equipe no início da década passada. No entanto, os principais jogadores da fase mais bem sucedida da história do Villarreal ainda estavam por vir. A chegada de reforços como Riquelme, Sorín, Forlán, Franco e Pirès, aliada aos bons resultados, fez com que o clube adquirisse maior notoriedade internacional.

Na Copa do Mundo de 2006, confirmando o bom momento vivido pelo Villarreal, o volante Marcos Senna, de origem brasileira, foi convocado para defender a Seleção Espanhola de Futebol. Naquele mundial, além de Senna, pela Espanha, Riquelme e Sorín também foram selecionados para compor a Seleção Argentina de Futebol. O México, que foi eliminado pela Argentina, contava com o centroavante, Franco, também do Villarreal.

Já na Eurocopa de 2008 o Villarreal cedeu quatro jogadores às seleções participantes. O meia Nihat Kahveci defendeu a Seleção Turca de Futebol, enquanto o volante Marcos Senna, o meia Santi Cazorla e o lateral Joan Capdevila, atuaram pela Seleção Espanhola de Futebol. Para a Copa do Mundo de 2010, o clube cedeu o atacante Nilmar, o lateral Joan Capdevila e o zagueiro Diego Godín, que atuaram respectivamente, por Brasil, Espanha e Uruguai.

Além dos nomes já citados, o Villarreal contou também com os goleiros Pepe Reina, César Sánchez e Diego López, os zagueiros Gonzalo Rodríguez e Olof Mellberg, o lateral Javi Venta, bem como os volantes Tacchinardi e Edmílson, os meias Matías Fernández e Borja Valero, além dos atacantes Marco Rubén, Jon Dahl Tomasson e Giuseppe Rossi.

Mais partidas[editar | editar código-fonte]

Marcos Senna, o terceiro jogador que mais atuou pelo Villarreal

Os jogadores que estão em negrito ainda estão em atividade.

# País Nome Período Jogos Gols
1 Espanha Bruno Soriano 2006–2020 424 34
2 Espanha Mario Gaspar 2008– 393 11
3 BrasilEspanha Marcos Senna 2002–2013 363 31
4 Espanha Manu Trigueros 2011– 346 25
5 Espanha Cani 2006–2015 327 33
6 Espanha Santi Cazorla 2002–2006
2007–2011
2018–2020
325 57
7 Argentina Arruabarrena 2000–2007 284 14
8 Espanha Javi Venta 1999–2010
2012–2013
260 3
9 Espanha Pascual Donat 1992-2000 254 0
9 Espanha Jaume Costa 2011–2012
2020–
254 6

Maiores goleadores[editar | editar código-fonte]

Os jogadores que estão em negrito ainda estão em atividade.

# País Nome Gols Jogos Período Média
1 Itália Giuseppe Rossi 82 192 2007–2012 0,42
2 Espanha Gerard Moreno 63 158 2012–2013
2014–2015
2018–
0,40
3 Uruguai Diego Forlán 59 128 2004–2007 0,46
4 Espanha Santi Cazorla 57 325 2002–2006
2007–2011
2018–2020
0,17
5 Argentina Riquelme 51 187 2003–2008 0,31
6 República Democrática do Congo Cédric Bakambu 48 105 2015–2017 0,46
7 Espanha Víctor Fernández 45 156 2000–2004 0,28
8 Colômbia Carlos Bacca 37 123 2017– 0,30
9 Nigéria Ikechukwu Uche 35 98 2012–2015 0,36
9 Brasil Nilmar 35 116 2009–2012 0,30

Manifestações culturais da torcida do Villarreal[editar | editar código-fonte]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Continentais
Competição Títulos Temporadas
UEFA Intertoto Cup.svg
Copa Intertoto da UEFA 2 2003 e 2004
Nacionais
Competição Títulos Temporadas
Flag of Spain.svg Campeonato Espanhol - 3ª Divisão 1 1970

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Soccerball current event.svg Última atualização: 30 de janeiro de 2020.

Elenco atual do Villarreal Club de Fútbol[3]
N.º Pos. Nome N.º Pos. Nome N.º Pos. Nome
1 G Espanha Sergio Asenjo 11 A Nigéria Samuel Chukwueze 22 Z Marrocos Sofian Chakla
2 LD Espanha Mario Gaspar 12 A Espanha Dani Raba 23 M/A Espanha Moi Gómez
3 Z Espanha Raúl Albiol 13 G Argentina Gerónimo Rulli 24 LE Espanha Alfonso Pedraza
4 Z Espanha Pau Torres 14 M Espanha Manu Trigueros 25 V França Étienne Capoue
5 M Espanha Daniel Parejo 15 LE Equador Pervis Estupiñán
6 Z Argentina Ramiro Funes Mori 17 A Espanha Paco Alcácer
7 A Espanha Gerard Moreno 18 LE Espanha Alberto Moreno
8 Z Argentina Juan Foyth 19 V França Francis Coquelin
9 A Colômbia Carlos Bacca 20 LD Espanha Rubén Peña
10 V Espanha Vicente Iborra 21 Z Espanha Jaume Costa

Técnico: Espanha Unai Emery

Uniformes[editar | editar código-fonte]

1º Uniforme[editar | editar código-fonte]

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2020–2021
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2019–2020
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2018–2019
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2017–2018
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2016–2017
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2015–2016
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2014–2015
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2013–2014
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2012–2013
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2011–2012
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2010–2011
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2009–2010
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2008–2009
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2007–2008
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2006–2007
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2005–2006
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2004–2005

2º Uniforme[editar | editar código-fonte]

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2020–2021
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2019–2020
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2018–2019
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2017–2018
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2016–2017
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2015–2016
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2014–2015
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2013–2014
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2012–2013
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2011–2012
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2010–2011
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2009–2010
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2008–2009
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2007–2008
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2006–2007
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2005–2006
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2004–2005

3º Uniforme[editar | editar código-fonte]

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2020–2021
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2019–2020
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2018–2019
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2017–2018
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2016–2017
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2015–2016
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2014–2015

Estádio[editar | editar código-fonte]

Estadio de la Cerámica (até janeiro de 2017 chamado de El Madrigal), reformado pelo patrocinador, inaugurado em 17 de junho de 1923 com nome de Campo del Villarreal, o estádio foi reconstruído em 1999/2000 com capacidade para abrigar 23.500 pessoas. Tem dimensões de 105 por 68 metros, está na mesma localização desde seu início, na província de Castellón, a cinco quilômetros do Mar Mediterrâneo.

Referências

  1. «Villarreal». Consultado em 7 de Setembro de 2014 
  2. «Championnat d'Espagne de football 2017-2018». Wikipédia (em francês). 9 de janeiro de 2018 
  3. «Plantilla». Villarreal. Consultado em 17 de setembro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]