Villarreal Club de Fútbol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2015). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Villarreal
Villarreal CF logo.svg
Nome Villarreal Club de Fútbol
Alcunhas Submarino Amarelo
Fundação 10 de março de 1923 (93 anos)
Estádio El Madrigal
Capacidade 25.000[1]
Localização Villarreal, Espanha
Presidente Espanha Fernando Roig Alfonso
Treinador Espanha Marcelino García
Patrocinador Espanha Pamesa Ceramica
Material esportivo Espanha Joma
Competição Espanha La Liga
Espanha Copa do Rei
União Europeia Liga Europa
LL 2015–16
CR 2015-16
LE 2015–16
4º Colocado
eliminado
eliminado
Website villarrealcf.es
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

O Villarreal Club de Fútbol, também conhecido como submarino amarelo, é um clube de futebol espanhol, da cidade de Villarreal, na Província de Castellón. Foi fundado em 10 de março de 1923 e participa atualmente da Primeira Divisão Espanhola.

História[editar | editar código-fonte]

O Villarreal surgiu em 1923 com o intuito de promover o desporto na cidade espanhola. No início, o clube, que hoje é conhecido por suas cores amarelas, adotou um uniforme com camisas brancas e bermudas pretas. A mudança para o que vigora atualmente ocorreu apenas em 1946.

Ao contrário do que aparentam suas boas campanhas recentes na primeira divisão espanhola, o Villarreal é considerado um clube pequeno da Espanha. No início de sua história, ficou marcado por tentar, sem sucesso, o acesso à segunda divisão espanhola.

Pelo contrário, depois da paralisação de três anos no fim da década de 1930, devido à Guerra Civil Espanhola, o clube acabou caindo para a divisão inferior, abaixo da terceira nacional.

O acesso à segunda divisão só viria nos anos 1970, mas não duraria muito. O clube subiu em 1970-71, e logo no ano seguinte voltou à terceira.

Durante a década de 1980, o panorama não seria diferente. O time alternava campanhas na divisão regional, na terceira e, pouquíssimas, na segunda, sempre longe de uma vaga na elite do Campeonato Espanhol.

As coisas só começariam a ganhar contornos mais otimistas nos anos 1990. Logo no primeiro ano, 1990-91, o Villarreal subiu para a segunda divisão e conseguiu, enfim, uma sequência em busca do tão sonhado acesso à primeira divisão.

E ele veio na temporada 1997-98, com uma vitória no confronto direto contra o Compostela. Assim, o clube, depois de 65 anos nas divisões inferiores, estreava na elite do futebol espanhol.

Não foi, no entanto, um começo positivo. De cara, o Villarreal ficou na 18ª posição do certame e foi rebaixado. Voltaria, porém, em 2000-01, e começaria uma história surpreendente no torneio nacional.

Conseguiu um sétimo lugar logo no primeiro ano depois do retorno, e, dois anos depois, garantiu vaga na Copa da UEFA ao vencer a Copa Intertoto (torneio de pré-temporada que define últimos classificados para a competição europeia).

O melhor, porém, ainda estaria por vir. Na temporada 2004-05, o Villarreal terminou o Campeonato Espanhol na inédita terceira colocação, e conseguiu vaga na Liga dos Campeões da UEFA. Na mais importante competição interclubes do Velho Continente, a equipe chegaria até as semifinais na temporada 2005-06, perdendo para o time inglês Arsenal F.C..

Dois anos mais tarde, na temporada 2007-08, a equipe alcançou seu melhor resultado no Campeonato Espanhol da 1ª divisão, ao conquistar o vice-campeonato da competição. O time obteve 77 pontos, ficando apenas 8 pontos atrás do campeão, Real Madrid, e 10 pontos a frente do terceiro colocado, Barcelona.

No período 2010-11, o time disputou UEFA Europa League, chegando à rodada semi-final do torneio, quando foi eliminado pelo FC Porto, que viria a se tornar o vencedor da competição. Na Liga BBVA, o Villarreal conseguiu o 4° lugar, que lhe permitiu a disputa da UEFA Champions League na temporada seguinte.

Na temporada 2011-12, o Villarreal esteve na Liga dos Campeões da UEFA, sendo eliminado ainda na fase de grupos, sem conquistar uma vitória sequer. No mesmo ano, na Liga BBVA, a equipe protagonizou uma campanha desastrosa, sendo rebaixada para Segunda Divisão Espanhola, após estar por mais doze temporadas na elite do Futebol Espanhol.

Deportivo de La Coruña x Villarreal CF.

Em 8 de junho de 2013, a equipe garantiu o acesso a La Liga, após uma temporada disputando a Liga Adelante. Com uma campanha de altos e baixos, o time consolidou o vice-campeonato da competição em partida contra a UD Almería. Típica temporada de recuperação, o período 2012-13, foi para o clube, um momento de reestruturações. O elenco não dispôs de tantos nomes badalados. Em um verdadeiro misto de juventude e experiência, a equipe pode obter o retorno a primeira divisão. A diretoria comprometeu-se na resolução de problemas financeiros que assolavam o clube e, com o bom resultado dentro de campo, tornou-se um exemplo de administração.

Rivalidades[editar | editar código-fonte]

Ao longo da história o Villarreal tem ostentado grande rivalidade com o CD Castellón, uma vez que ambos os times pertencem a Província de Castellón. Nos últimos anos, todavia, haja vista os bons resultados obtidos pela equipe, o Villarreal tem rivalizado com o Valência CD, já que os dois clubes têm sido os mais bem sucedidos da Comunidade Valenciana, além de, por um bom tempo, serem também, as únicas equipes da região na Primeira Divisão Espanhola.

Jogadores Notáveis[editar | editar código-fonte]

Marcos Senna, o segundo jogador que mais atuou pelo Villarreal

Por ser um clube de menor expressão durante grande parte de sua história, o Villarreal teve apenas recentemente jogadores de renome internacional. Destaques como Belletti, Arruabarrena, Marcos Senna, Palermo e Sonny Anderson foram os primeiros grandes nomes da equipe no início da década passada. No entanto, os principais jogadores da fase mais bem sucedida da história do Villarreal ainda estavam por vir. A chegada de reforços como Riquelme, Sorín, Forlán, Franco e Pirès, aliada aos bons resultados, fez com que o clube adquirisse maior respeito frente a seus oponentes.

Na Copa do Mundo de 2006, confirmando o bom momento vivido pelo Villarreal, o volante Marcos Senna, de origem brasileira, foi convocado para defender a Seleção Espanhola de Futebol. Naquele mundial, além de Senna, pela Espanha, Riquelme e Sorín também foram selecionados para compor a Seleção Argentina de Futebol. O México, que foi eliminado pela Argentina, contava com o centroavante, Franco, também do Villarreal.

Já na Eurocopa de 2008 o Villarreal cedeu quatro jogadores às seleções participantes. O meia Nihat Kahveci defendeu a Seleção Turca de Futebol, enquanto o volante Marcos Senna, o meia Santi Cazorla e o lateral Joan Capdevila, atuaram pela Seleção Espanhola de Futebol. Para a Copa do Mundo de 2010, o clube cedeu o atacante Nilmar, o lateral Joan Capdevila e o zagueiro Diego Godín, que atuaram respectivamente, por Brasil, Espanha e Uruguai.

Além dos nomes já citados, o Villarreal contou também com os goleiros Pepe Reina, César Sánchez e Diego López, os zagueiros Gonzalo Rodríguez e Olof Mellberg, o lateral Javi Venta, bem como os volantes Tacchinardi e Edmílson, os meias Matías Fernández e Borja Valero, além dos atacantes Marco Rubén, Jon Dahl Tomasson e Giuseppe Rossi.

Mais partidas[editar | editar código-fonte]

# País Nome Período Jogos Gols
1 Espanha Bruno Soriano 2006– 372 26
2 BrasilEspanha Marcos Senna 2002–2013 363 31
3 Espanha Cani 2006–2015 327 33
4 Argentina Arruabarrena 2000–2007 284 14
5 Espanha Javi Venta 1999–2010 e 2012-2013 260 3
6 Argentina Gonzalo Rodríguez 2004–2012 250 8
7 Espanha Quique Álvarez 2000-2007 250 5
8 Espanha Santi Cazorla 2002–2011 248 34
9 Espanha Pascual Donat 1992-2000 242 0
10 Espanha Diego López 2007–2012 230 0
11 Espanha Mario Gaspar 2008- 228 8

Maiores Goleadores[editar | editar código-fonte]

# País Nome Gols Jogos Período Média
1 Itália Giuseppe Rossi 82 192 2007–2012 0,42
2 Uruguai Diego Forlán 59 128 2004–2007 0,46
3 Argentina Riquelme 51 187 2003–2008 0,31
4 Espanha Victor Fernández 45 156 2000–2004 0,28
5 Brasil Nilmar 35 116 2009–2012 0,30
5 Espanha Santi Cazorla 34 248 2002–2011 0,13

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Coppa Intertoto.svg Copa Intertoto da UEFA: 2

(2003 e 2004)

Elenco[editar | editar código-fonte]

Atualizado dia 09 de junho de 2016.

  • Capitão Atual capitão
Goleiros
Jogador
1 Espanha Sergio Asenjo
25 Argentina Mariano Barbosa
31 Espanha Aitor Fernández
Defensores
Jogador Pos.
5 Argentina Mateo Musacchio Z
6 Espanha Víctor Ruiz Z
12 Sérvia Aleksandar Pantic Z
23 Itália Daniele Bonera Z
2 Espanha Mario Gaspar LD
22 Sérvia Antonio Rukavina LD
3 Espanha Jaume Costa LE
27 Espanha Adrián Marín LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
4 Espanha Bruno Soriano Capitão V
14 Espanha Manu Trigueros V
29 Espanha Rodrigo Hernández V
' França Alfred N'Diaye V
8 México Jonathan dos Santos M
10 Espanha Sergio Marcos M
26 Espanha Matias Nahuel M
28 Espanha Alfonso Pedraza M
Atacantes
Jogador
7 República Democrática do Congo Cédric Bakambu
9 Espanha Roberto Soldado
11 Rússia Denis Cheryshev
19 Espanha Samuel Castillejo
' Brasil Alexandre Pato
Comissão técnica
Nome Pos.
Espanha Marcelino García T
Espanha Rubén Uria AS
Espanha Ismael Fernández PF
Espanha Pablo Manzanet PF
Espanha Jesús Unanua TG

Uniformes[editar | editar código-fonte]

Uniformes atuais[editar | editar código-fonte]

  • 1º - Camisa amarela, calção e meias amarelas;
  • 2º - Camisa azul, calção e meias azuis.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo Uniforme

Uniformes anteriores[editar | editar código-fonte]

  • 2011-12
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
  • 2010-11
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo

Estádio[editar | editar código-fonte]

El Madrigal, inaugurado em 17 de junho de 1923 com nome de Campo de Villarreal, o estádio foi reconstruído em 1999/2000 com capacidade para abrigar 25.000 pessoas. Tem dimensões de 105 por 68 metros, está na mesma localização desde seu início, na província de Castellón, a cinco quilômetros do Mar Mediterrâneo.

Referências

  1. «Villarreal». Consultado em 07 de Setembro de 2014. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]