Real Sociedad de Fútbol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
 Nota: Não confundir com Club Deportivo Real Sociedad (clube hondurenho).
Real Sociedad
Nome Real Sociedad de Fútbol (S.A.D.)
Alcunhas Los Txuri-urdin
La Real
Reala/Erreala
Principal rival Athletic Bilbao
Fundação 7 de setembro de 1909 (114 anos)[1]
Estádio Reale Arena
Capacidade 39.500
Localização San Sebastián, Província de Guipúscoa, País Basco, Espanha
Presidente Jokin Aperribay
Treinador(a) Imanol Alguacil
Patrocinador(a) Yasuda Group
Kutxabank
Material (d)esportivo Macron
Competição La Liga
Copa do Rei
Liga dos Campeões
Website realsociedad.eus
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo

A Real Sociedad de Fútbol, comumente referida como Real Sociedad, é um clube de futebol profissional espanhol localizado em San Sebastián, País Basco.[2] Compete na La Liga, a primeira divisão do sistema de ligas da Espanha. O seu mando de campo é exercido no Estádio Anoeta ("Reale Arena" por questões de patrocínio), com capacidade para 39.500 pessoas.[3]

Fundado em 1909 como Unión Ciclista de San Sebastián e com quase 30.000 sócios, atualmente joga na Primeira Divisão Espanhola. Antes do seu nome atual, os nomes do clube eram Unión Ciclista de San Sebastián, Real Sociedad de Foot-ball e Donostia Futebol Clube.

É um dos nove clubes que já se sagraram campeões espanhóis, um dos seis com pelo menos dois títulos, o seu número de conquistas, ostentando ainda três títulos da Copa Del Rey, o último deles na Temporada 2019-20, e uma Supercopa da Espanha, sendo esses seis os seus títulos mais importantes. Vice-campeão espanhol em três ocasiões: 1979–80, 1987–88 e 2002–03.

Clássico e orgulho bascos[editar | editar código-fonte]

O seu maior rival é o Athletic Bilbao, com quem faz o Dérbi basco, tendo a Real Sociedad vencido aquele que foi apontado como o maior duelo da história entre esses dois clubes, a final da Copa del Rey de 2019–20.[4][5]

Embora o rival seja famoso por uma política de restringir-se a nativos ou criados no País Basco, ou ainda a estrangeiros de origens bascas, quem inicialmente adotava tal medida era a Real, embora ela própria também fosse aberta a estrangeiros em seus primórdios - com os britânicos McGuinness e C.F. Simmons participando da primeira partida oficial do clube de San Sebastián.[6] Simmons posteriormente também jogaria no Athletic, em 1909.[7] Britânicos eram especialmente comuns no rival, partindo da Real a pressão para priorizar-se jogadores locais, política adotada a partir da década de 1910 pelo time de Bilbao.[8]

Ao longo do século XX, a maioria dos estrangeiros nos alviazuis tendiam a ser descendentes de bascos e/ou criados nas províncias bascas, muitos deles vindo a ser admitidos na própria seleção espanhola por serem considerados cidadãos espanhóis via ancestralidade; já na década de 1920, isso se deu com Eduardo Arbide, nascido na Argentina e que atuou uma vez pela Espanha;[9] e com Marcelino Gálatas, vindo das Filipinas e igualmente utilizado em um jogo pela Espanha, em 1927, e que viria a jogar no próprio Athletic também.[10] Roberto López Ufarte (nascido no Marrocos) e Vicente Biurrun (no Brasil) foram colegas donostiarras no início da década de 1980,[11] recebendo ambos chamados da seleção espanhola. Biurrun, inclusive, foi outro a também jogar pelo Athletic, assim como Loren - espanhol nativo da província não-basca de Burgos, mas admitido nos dois clubes por ter crescido desde a infância no País Basco e assimilar-se à região.[12]

O famoso dérbi basco em 1976 que serviu para legalizar novamente a bandeira do País Basco.

O clássico já foi palco de uma das primeiras manifestações livres de nacionalismo basco após o franquismo: em 1976, partiu da Real a ideia de as duas equipes entrarem juntas empunhando uma bandeira do País Basco. Semanas depois, a bandeira, ainda muito relacionada ao grupo terrorista ETA, pôde ser legalizada,[13] após quarenta anos de proibição.[14] O clássico também ficou histórico nas estatísticas por render a maior goleada dos alviazuis sobre o Athletic, vencido por 5-0.[13]

Pelo restante da maior parte do século XX, os poucos estrangeiros não-bascos da Real Sociedad foram pontuais e sem maiores relevâncias - casos do inglês Henry Lowe, treinador que foi improvisado como jogador em uma partida em 1937 devido a um surto de doença a desfalcar o elenco; do italiano Aridex Calligaris, de duas partidas em 1940; e do sueco Agne Simonsson na temporada 1961-62, este como contrapeso no negócio do goleiro José Araquistáin ao Real Madrid. Em 1989, o clube optou por abrir-se livremente a estrangeiros, a ponto do irlandês John Aldridge, contratado naquele ano, costumar ser visto precisamente como o primeiro deles. Logo, diversos outros passaram a comumente reforçar a Real, a exemplo do russo Valeriy Karpin, do bósnio Meho Kodro, do turco Nihat Kahveci, do sérvio Darko Kovačević e do francês Antoine Griezmann, embora o clube seguisse restrito a bascos para fins de jogadores espanhóis. Desde 2002, contudo, também essa restrição foi abandonada.[6][15]

A abertura não deixou de causar polêmica no sentido de perda de identidade.[6] O dérbi, contudo, costuma ser pacífico entre as torcidas, com as rixas tendendo a se concentrar sobretudo entre os dirigentes, com queixas na Real quanto à sensação de agressivo aliciamento da parte do Athletic a jogadores ou potenciais jogadores alviazuis bascos,[15] tornando-se especialmente famosa a polêmica da negociação por Joseba Etxeberria de um a outro. Ion Andoni Goikoetxea, Borja Viguera, Mikel Balenziaga, Gorka Elustondo, Iñigo Martínez, Yuri Berchiche e Kenan Kodro (filho de Meho e nascido em San Sebastián enquanto o pai defendia os txuri-urdin, tendo optado por defender a mesma seleção bósnia dele) também passaram pelos dois rivais.[16]

Estádio Anoeta.

Estádio[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Estádio Anoeta

O Estádio Municipal de Anoeta é um estádio de futebol, localizado e de propriedade do município de San Sebastián, na comunidade do País Basco, Espanha.

O Real Sociedad disputa os seus jogos com mando de campo nesse estádio, que é parte integrante do Complexo Esportivo de Anoeta.

Títulos[editar | editar código-fonte]

NACIONAIS
Competição Títulos Temporadas
Campeonato Espanhol 2 1980-81 e 1981-82
Copa do Rei 3 1909, 1986-87 e 2019-20
Supercopa da Espanha 1 1982
semmdolura Campeonato Espanhol - 2ª Divisão 3 1948-49, 1966-67 e 2009-10
REGIONAIS
Competição Títulos Temporadas
Campeonato Regional de Guipúzcoa 5 1918-19, 1922-23, 1924-25, 1926-27 e 1928-29
Campeonato Regional Mancomunado de Guipúzcoa 2 1931-32 e 1932-33
TOTAL
Conquistas Títulos Categorias
Títulos oficiais 16 9 Nacionais e 7 Regionais
Torneios amistosos
  • Espanha Troféu Reino de Navarra (4): 1981, 1994, 2001, 2010.
  • Espanha Troféu Villa de Gijón (2): 1969, 2000.
  • Espanha Torneio Internacional de San Sebastián (1): 1923.
  • Espanha Troféu Ciudad de San Sebastián (1): 1967.
  • Espanha Troféu Concepción Arenal (1): 1979.
  • Espanha Troféu Costa Brava (1): 1980.
  • Espanha Troféu Luis Bermejo (Badajoz) (1): 1997.
  • Espanha Troféu Teide (1): 2009.
  • Espanha Troféu Diputación Foral de Álava (1): 2018.

Recordes de partidas[editar | editar código-fonte]

# País Jogador Período Jogos
Espanha Alberto Górriz 1979-1993 599
Espanha Juan Antonio Larrañaga 1980-1994 589
Espanha Jesús María Zamora 1974-1989 588
Espanha Luis Miguel Arconada 1974–1989 551
Espanha Xabi Prieto 2003–2018 531
Espanha Miguel Fuentes 1939–1959 495
Espanha Roberto López Ufarte 1974–1989 474
Espanha Agustín Gajate 1977-1992 469
Espanha Inaxio Kortabarria 1971-1985 442
10º Espanha Mikel Aranburu 1997-2012 427

Maiores artilheiros[editar | editar código-fonte]

Darko Kovacevic, jogador da Real Sociedad entre 1996–1999 e 2001-2007.

Os números de Oyarzabal podem estar desatualizados, pois o jogador se encontra em atividade.

# País Jogador Período Gols
Espanha Jesús María Satrústegui 1973-1986 162
Espanha Roberto López Ufarte 1974-1989 129
Espanha Cholin 1927-1940 127
Espanha Sebastián Ontoria 1941–1955 114
Espanha Paco Bienzobas 1926–1934
1940–1942
109
Sérvia Darko Kovačević 1996–1999
2001–2007
107
Espanha Pedro Uralde 1979–1986 100
Espanha Mikel Oyarzabal 2015- 96
Espanha José Mari Bakero 1980-1988 91
10º Espanha José Maria Pérez Medrano 1937–1938
1941–1955
84

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Última atualização: 7 de janeiro de 2024.

Elenco atual da Real Sociedad de Fútbol[17]
N.º Pos. Nome N.º Pos. Nome N.º Pos. Nome
1 G Espanha Álex Remiro 12 M Rússia Arsen Zakharyan 23 M Espanha Brais Méndez
2 LD Espanha Álvaro Odriozola 13 G Espanha Unai Marrero 24 Z Espanha Robin Le Normand
3 LE Espanha Aihen Muñoz 14 A Japão Takefusa Kubo LE Espanha Javi Galán
4 V Espanha Martín Zubimendi 15 V Espanha Urko González
5 Z Espanha Igor Zubeldia 16 V Espanha Jon Ander Olasagasti
6 Z Espanha Aritz Elustondo Capitão² 17 LE Escócia Kieran Tierney
7 A Espanha Ander Barrenetxea 18 LD Mali Hamari Traoré
8 V Espanha Mikel Merino Capitão³ 19 A Nigéria Umar Sadiq
9 A Espanha Carlos Fernández 20 Z Espanha Jon Pacheco
10 A Espanha Mikel Oyarzabal Capitão 21 A Portugal André Silva
11 A Suriname Sheraldo Becker 22 A Espanha Beñat Turrientes

Técnico: Espanha Imanol Alguacil

Referências

  1. El nacimiento del Club
  2. «Real Sociedad - Espanha». Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  3. Stadium DB - Estádio Anoeta
  4. «A história do dérbi entre Athletic e Real Sociedad, uma rivalidade entre irmãos, motivada pelo orgulho e pela identidade basca». Trivela.com.br. 3 de abril de 2021. Consultado em 3 de abril de 2021 
  5. «O maior dérbi basco da história é azul: Depois de 34 anos, a Real Sociedad se sagra campeã da Copa do Rei». Trivela.com.br. 3 de abril de 2021. Consultado em 3 de abril de 2021 
  6. a b c «COM JOHN ALDRIDGE, REAL SOCIEDAD ABRIU PORTAS E MUDOU SUA HISTÓRIA». O Futebólogo. Fevereiro de 2020. Consultado em 3 de agosto de 2023 
  7. ITURRIAGA, Ángel (2017). SIMMONS. Diccionario de jugadores del Athletic Club. Logroño: Editorial Siníndice, p. 216
  8. HOFMAN, Gustavo (dezembro de 2008). Os forasteiros de San Mamés. Trivela n. 34. Trivela Comunicações, pp. 56-57
  9. ANIBAL, Alexandre (6 de setembro de 2010). «Espanhóis, pero no mucho». Futebol Portenho. Consultado em 18 de agosto de 2023 
  10. ITURRIAGA, Ángel (2017). GALATAS. Diccionario de jugadores del Athletic Club. Logroño: Editorial Siníndice, p. 108
  11. GUASCH, Tomás (27 de julho de 1981). «REAL SOCIEDAD: LOS MISMOS... PERO DIFERENTE». Mundo Deportivo. Consultado em 8 de agosto de 2023 
  12. ITURRIAGA, Ángel (2017). LOREN. Diccionario de jugadores del Athletic Club. Logroño: Editorial Siníndice, p. 161
  13. a b STEIN, Leandro (5 de dezembro de 2016). «O dia em que Athletic Bilbao e Real Sociedad desafiaram as autoridades em prol do orgulho basco». Trivela. Consultado em 6 de dezembro de 2016 
  14. FUJITA, Fábio (janeiro de 2009). A luta continua. Trivela n. 35. Trivela Comunicações, pp. 56-57
  15. a b CASTRO, Luiz Felipe (27 de setembro de 2021). «Real Sociedad x Athletic Bilbao: 7 curiosidades sobre o Dérbi Basco». Placar. Consultado em 3 de agosto de 2023 
  16. «UNDERSTANDING ATHLETIC CLUB'S SIGNING OF KENAN KODRO AND HOW HE FITS INTO THE TEAM». Inside Athletic. 31 de janeiro de 2019. Consultado em 2 de maio de 2019 
  17. «Plantilla» (em espanhol). Site oficial da Real Sociedad de Fútbol. Consultado em 1 de setembro de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de EspanhaSoccer icon Este artigo sobre clubes de futebol espanhóis é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.