Valencia Club de Fútbol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Valencia
Valencia Cf Logo original.png
Nome Valencia Club de Fútbol
Alcunhas Los Che,
Los murciélagos
Torcedor/Adepto Valacentistas
Mascote Morcego
Principal rival Levante
Villarreal
Fundação 18 de março de 1919 (101 anos)
Estádio Mestalla
Capacidade 48.600 pessoas
Localização Cidade de Valência, Espanha
Presidente Singapura Anil Murthy
Treinador Espanha Javi Gracia
Patrocinador Áustria Bwin
Material (d)esportivo Alemanha Puma
Competição La Liga
Copa do Rei
Website [1]
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

O Valencia Club de Fútbol (em português, Valência; em catalão València Club de Futbol) é um clube de futebol da Espanha, da cidade de Valência.

Fundado em 18 de março de 1919, joga na Primeira Divisão espanhola e seu estádio é o Mestalla, com capacidade para 48.600 espectadores.

Na classificação histórica da LFP, o Valencia ocupa a quarta colocação atrás de Real Madrid e Barcelona.[1] É o quinto clube espanhol com mais títulos de competições em nível nacional (15) e o quarto com mais títulos internacionais (7), atrás de Real Madrid, Barcelona e Atlético. Ademais, fazia parte do grupo dos clubes mais importantes da Europa, o extinto G-14.

Uma pesquisa realizada em Junho de 2014 pelo Centro de Investigaciones Sociologicas (CIS) apontou o Valencia como o quarta clube mais popular da Espanha (3,5%), atrás somente do Real Madrid, Barcelona e Atlético de Madrid, o que equivale a cerca de 1.700.000 torcedores.[2]

História[editar | editar código-fonte]

O clube foi fundado em 18 de março de 1919 por um grupo de futebolistas que que decidiram formar um novo clube que representasse a cidade de Valência depois da extinção do Club Valencia de Fútbol anos antes. Nascia, assim, o Valencia Foot-Ball Club. A primeira partida do Valencia foi disputada contra o Gimnástico, em Castellón, com o Valencia a perder pelo placar de 1 a 0.

Durante a década de 1920, o Valencia disputa o Campeonato Regional, o qual ganha pela primeira vez em 1923. Este título deu a oportunidade de, pela primeira vez, participar da Copa do Rei. Em 20 de maio de 1923, o Valencia inaugurou o Mestalla numa vitória de 1 a 0 sobre o Levante, com público de 17.000 espectadores. Em 1928 ocorre a primeira edição da Liga Espanhola e o Valencia joga a Segunda Divisão, após perder pro Racing Santander na pré-eliminatória, e acaba na quinta colocação.

Nos anos 1930, o Mestalla foi destruído durante a Guerra Civil Espanhola e teve de ser reconstruído. Em 1934, o Valencia chegou pela primeira vez à final da Copa do Rei, sendo derrotado pelo Real Madrid em Barcelona.

A década de 1940 é considerada por muitos a mais vitoriosa do Valencia. O clube teve de "castelhanizar" seu nome e passou a se chamar Valencia Club de Fútbol, em função da ditadura de Francisco Franco. O Valencia conquistou seu primeiro título da Copa do Rei em 1941, derrotando o RCD Espanyol na final. Na temporada 1941-42, o clube conquista pela primeira vez o Campeonato Espanhol, fato que se repetiria em 1943-44 e 1946-47. Os grandes ídolos dessa década são Epi, Mundo, Amadeo, Asensi e Gorostiza, que integravam a já mítica Dianteira Elétrica. Em 1949, conquista novamente a Copa do Rei.

Durante os anos 1950, conquista novamente a Copa do Rei em 1954 e é vice-campeão em 1952. Na Liga, o Valencia não obtém grande destaque, embora também não tenha sofrido maiores percalços.

Na década de 1960 chegam os primeiros êxitos europeus, com os dois títulos da Taça das Cidades com Feiras - competição precursora da Copa da UEFA - em 1961-62 e 1962-63, conquistados contra Barcelona e Dinamo Zagreb, respectivamente. O clube também conquista outra Copa do Rei, em 1967, batendo o Athletic Bilbao na final.

A década de 1970 se inicia com um novo título espanhol, em 1970-71. Em 1976, chega, vindo do Rosario Central, o centro-avante Mario Kempes, que marcaria época no clube. Em sua primeira temporada, obteve a artilharia da Liga Espanhola com 24 gols. Em 1978-79, o Valencia conquista mais uma Copa do Rei, vencendo o Real Madrid na final por 2 a 0, com dois gols do matador argentino.

Não obstante os anos 1980 tenham começado com mais um título europeu, desta vez o da Recopa Europeia (1979-80), esta é considerada uma década ruim para o valencianismo. O Valencia se viu obrigado a vender Kempes para o River Plate. As obras no Mestalla para a Copa do Mundo de 1982 levaram o clube a uma grave crise financeira.

Em 1982-83, o Valencia escapou do rebaixamento com uma vitória sobre o Real Madrid por 1 a 0, na última rodada. A dívida seguiu aumentando ano após ano, o que afetou o rendimento dentro de campo. Em 1985-86, o Valencia cai para a Segunda Divisão, retornando no ano seguinte com um time repleto de jogadores das divisões de base. O presidente responsável pelo acesso foi Arturo Tuzón, que recuperou também as finanças do clube.

Já no início dos anos 1990, o Valencia dá mostras de sua recuperação ao ser vice-campeão espanhol na temporada 1989-90. Em 1992, o clube se converte numa Sociedade Anônima. Ademais, a década ficou marcada por campanhas razoáveis, exceto a de 1995-96, quando o Valencia terminou vice-campeão. Em seguida faz uma mega contratação de um dos melhores jogadores do mundo em atividade na época, o brasileiro Romário pagando o maior salário do mundo pago para um jogador em 1996, porém o alto investimento não foi o suficiente para render grandes conquistas, Romário pouco dura no Valência ganhando apenas alguns torneios amistosos.

Em 1999, o time dirigido por Claudio Ranieri conquista a Copa do Rei, batendo o Atlético de Madrid na final por 3 a 0.

Na década de 2000, o Valencia obtém muitos êxitos. Na temporada 1999-00, chega pela primeira vez à final da Liga dos Campeões da UEFA, sendo derrotado pelo Real Madrid na final pelo placar de 3 a 0. No ano seguinte, chega outra vez à final da maior competição europeia e é novamente derrotado, desta vez pelo Bayern de Munique, na disputa de pênaltis.

Jogo disputado entre o Deportivo de La Coruña e o Valencia CF.

Em 2001-02, treinado pelo até então desconhecido Rafael Benítez, o Valencia conquista sua quinta Liga Espanhola. Rafa Benítez ainda conquistaria mais uma Liga e a Copa da UEFA, ambas em 2003-04, antes de sair para o Liverpool.[3] Benítez é substituído por Claudio Ranieri, que logo conquista a Supercopa da Europa,[4] mas não obtém o êxito esperado na Liga.

Ainda nos anos 2000, chega à presidência do clube Juan Soler, que inicia as obras para a construção de um novo estádio, o Nou Mestalla, o que endivida bastante o clube. Em 2007-08, o Valencia volta a conquistar a Copa do Rei. Em 2008, Soler é destituído da presidência do clube e assume Manuel Llorente, que realiza uma ampliação de capital, com vistas a resolver os graves problemas financeiros do Valencia.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Continentais
Competição Títulos Temporadas
UEFA Cup (adjusted).png
Liga Europa da UEFA 1 2003-04
Coppa delle Coppe.svg Recopa Europeia 1 1979-80
Supercup.png
Supercopa da UEFA 2 1980, 2004Cscr-featured.svg
UEFA - Inter-Cities Fairs Cup.svg
Taça das Cidades com Feiras 2 1961-62, 1962-63
Intertoto.svg Copa Intertoto da UEFA 1 1998
Nacionais
Competição Títulos Temporadas
Liga.png
Campeonato Espanhol 6 1941-42, 1943-44, 1946-47, 1970-71, 2001-02, 2003-04
RFEF - Copa del Rey.svg
Copa do Rei da Espanha 8 1940-41, 1948-49, 1953-54, 1966-67, 1978-79, 1998-99, 2007-08, 2018-19
RFEF - Supercopa de España.svg
Supercopa da Espanha 1 1999
Flag of Spain.svg
Copa Eva Duarte 1 1949
Flag of Spain.svg
Campeonato Espanhol - 2ª Divisão 2 1930-31, 1986-87
Valencia Cf Logo original.png
Total (Nacionais + Internacionais) 24

Cscr-featured.svg Campeão Invicto

Dados do clube[editar | editar código-fonte]

  • Temporadas na Primeira Divisão (1928-2014): 79[5]
  • Temporadas na Segunda Divisão: 4
  • Posição histórica na Liga Espanhola: 4°
  • Melhor posição na Liga Espanhola: 1°
  • Pior posição na Liga Espanhola: 16°
  • Jogos disputados: 2.550
  • Jogos vencidos: 1.141
  • Jogos empatados: 587
  • Jogos perdidos: 822
  • Gols pró: 4.226
  • Gols contra: 3.324
  • Pontos: 3.219
  • Saldo de gols: 902
  • Maior goleada em casa: Valencia CF 8 - Sevilla FC 0 (17 de outubro de 1943); Valencia CF 8 - Sporting de Gijón 0 (29 de novembro de 1953)
  • Maior goleada fora: UE Lleida 1 - Valencia CF 6 (4 de fevereiro de 1951); Málaga 1 - Valencia CF 6 (31 de janeiro de 2004)
  • Maior goleada sofrida em casa: Valencia CF 1 - Athletic de Bilbao 5 (15 de janeiro de 1933); Valencia CF 1 - Real Madrid 5 (31 de outubro de 2007) Valencia CF 0 - 7 Barcelona (3 de fevereiro de 2016)
  • Maior artilheiro (Trofeu Pichichi): Mundo (2): 41/42 - 27 gols, 43/44 - 27 gols; Ricardo: 57/58 - 19 gols; Waldo: 66/67 - 24 gols; Kempes (2): 76/77 - 24 gols, 77/78 - 28 gols
  • Maior artilheiro espanhol (Trofeu Zarra): David Villa (3): 05/06 - 25 gols, 06/07 - 18 gols, 08/09 - 28 gols
  • Goleiro menos vazado (Trofeu Zamora): Eizaguirre (2): 43/44 - 32 gols, 44/45 - 28 gols; Goyo: 57/58 - 28 gols; Abelardo: 70/71 - 19 gols; Manzanedo: 78/79 - 26 gols; Ochotorena: 88/89 - 25 gols; Cañizares (3): 00/01 - 34 gols, 01/02 - 23 gols, 03/04 - 25 gols
  • Mais partidas disputadas: Fernando (552)
  • Mais minutos disputados: Fernando (51811)
  • Mais gols marcados: Mundo (206)

Estádio[editar | editar código-fonte]

Mestalla 2014.
Ver artigo principal: Mestalla

O estádio do Valencia é o Mestalla. Foi inaugurado em 1923 e atualmente possui capacidade para receber cerca de 48.600 espectadores.O Valencia CF tinha jogado previamente no campo de Algirós. Inicialmente possuía capacidade para receber 17.000 espectadores. A partida inaugural foi um amistoso contra o Levante.

Maqueta Nuevo Mestalla.

O clube fechou um contrato para demolir seu antigo estádio e vender o terreno, e com isso, constrói um estádio novo e completamente moderno (o ranking da FIFA para o estádio é de cinco estrelas) no noroeste de Valência, o Nou Mestalla. Será o quinto maior estádio da Espanha, com capacidade de 75 mil espectadores.

Ciudad Desportiva de Paterna[editar | editar código-fonte]

Cidade Desportiva de Paterna, (em espanhol: Ciudad Deportiva de Paterna), é um dos complexos desportivos do Valencia CF, e é o maior da Espanha.

Instalações:

  • Campo 1: Futebol 11 (105 x 65 metros). Grama natural.
  • Campo 2: Futebol 11 (105 x 68 metros). Grama artificial.
  • Campo 3: Futebol 11 (105 x 65 metros). Grama natural.
  • Campo 4: Futebol 11 (105 x 68 metros). Grama natural.
  • Campo primeira equipe: Fútbol 11 (105 x 65 metros). Césped natural.
  • Campo segunda equipe: Fútbol 11 (105 x 65 metros). Césped natural.
  • Mini Estadio: Futebol 11 (105 x 68 metros). Grama natural, capacidade 3.000 pessoas.
  • Centro Poliesportivo:
  • Vários Campos de Futebol, 7 com grama artificial.

Rivalidades[editar | editar código-fonte]

Dérbi municipal

O principal derby histórico do Valencia CF é o contra o Levante UD, uma vez que ambas as equipes estão sediadas na cidade de Valência. Esta rivalidade histórica nasceu no início do Século XX, durante os Campeonatos Regionais de Valência, embora tenha sido reduzida posteriormente devido à criação da liga espanhola de futebol, competição onde o Valencia CF jogou a maior parte da sua história na Primeira Divisão, enquanto Levante UD o fez em categorias inferiores (daí a grande diferença de palmares entre os dois). No entanto, o derby tomou força no Século XXI, já que ambas as equipes se encontraram novamente na Primeira Divisão por várias vezes .

Derbis regionais

Outra equipe contra a qual há uma rivalidade geográfica e esportiva é o Villarreal CF. Ambas as equipes pertencem à mesma Comunidade Autônoma e atingiram um alto nível desportivo durante o início do século XXI, disputando os mesmos lugares nas competições, tanto no da Primeira Divisão e lutando por vaga para entrar em competições europeias, como a Liga dos Campeões e a Taça UEFA . Ainda assim, as equipes de Elche e Hércules CF são aquelas que o Valencia CF mais jogou em dérbis Valência na Primeira Divisão.

Outros derbies

Tal como outros clubes da Liga, o Valencia CF mantém rivalidades com outros clubes que ultrapassam o âmbito regional. Estas rivalidades desportivas caracterizam-se pela disputa e competição pelos títulos em jogo.

As rivalidades nacionais têm como representantes máximos o Real Madrid, SD Huesca e FC Barcelona, clubes com maior orçamento e maior número de títulos esportivos no futebol espanhol. Também Atlético de Madrid e Athletic Club são clubes com os quais Valencia historicamente se esforça para os mesmos postos nas tabelas de classificação. No entanto, desde o final do século XX, o Deportivo La Coruña e, mais tarde, o Sevilla FC mantiveram rivalidades com o Valencia CF na disputa para alcançar os mesmos objetivos.

Treinadores[editar | editar código-fonte]

 
Nome Anos
República Checa Antonin Fivebr 1923-1927
Inglaterra James Herriot 1927-1929
República Checa Antonin Fivebr 1929-1931
Inglaterra Rodolfo Galloway 1931-1933
Inglaterra Jack Greenwell 1933-1934
República Checa Antonin Fivebr 1934-1935
Espanha Andrés Balsa 1935-1936
Espanha Ramón Encinas Dios 1939-1942
Espanha Leopoldo Costa "Rino" 1942-1943
Espanha Eduardo Cubells 1943-1946
Espanha Luis Casas Pasarín 1946-1948
Espanha Jacinto Quincoces 1948-1954
Espanha Carlos Iturraspe 1954-1956
Espanha Luis Miró 1956-1958
Espanha Jacinto Quincoces 1958-1959
Brasil Otto Bumbel 1959-1960
Espanha Domingo Balmanya 1960-1962
Argentina Alejandro Scopelli 1962-1963
Espanha Bernardino Pérez "Pasieguito" 1963-1964
Espanha Edmundo Suárez 1964-1965
Espanha Sabino Barinaga 1965-1966
Espanha Edmundo Suárez 1966-1968
Espanha José Iglesias "Joseíto" 1968-1969
Espanha Enrique Buqué
Espanha Salvador Artigas
1969-1970
ArgentinaEspanha Alfredo Di Stéfano 1970-1974
Jugoslávia Milovan Ćirić 1974-1975
Jugoslávia Dragoljub Milošević 1975
Espanha Manolo Mestre 1975-1976
Paraguai Heriberto Herrera 1976-1977
Espanha Manolo Mestre 1977
França Marcel Domingo 1977-1979
Espanha Bernardino Pérez "Pasieguito" 1979
ArgentinaEspanha Alfredo Di Stéfano 1979-1980
Espanha Bernardino Pérez "Pasieguito" 1980-1982
Espanha Manolo Mestre 1982
Jugoslávia Miljan Miljanić 1982-1983
Espanha Koldo Aguirre 1983
Espanha Paquito García Gómez 1983-1984
Espanha Roberto Gil 1984-1985
Argentina Óscar Rubén Valdez 1985-1986
ArgentinaEspanha Alfredo Di Stéfano 1986-1988
Espanha Roberto Gil 1988
Uruguai Víctor Espárrago 1991-1993
Espanha Francisco Real 1993
Uruguai Héctor Núñez 1993-1994
Espanha José Manuel Rielo 1994
Países Baixos Guus Hiddink 1994
Brasil Carlos Alberto Parreira 1994-1995
 
Nome Anos
Espanha José Manuel Rielo 1995
Espanha Luis Aragonés 1995-1997
Argentina Jorge Valdano 1997
Espanha José Manuel Rielo 1997
Itália Claudio Ranieri 1997-1999
Argentina Héctor Cúper 1999-2001
Espanha Rafa Benítez 2001-2004
Itália Claudio Ranieri 2004-2005
Espanha Antonio López Habas 2005
Espanha Quique Sánchez Flores 2005-2007
Espanha Óscar Fernández 2007
Países Baixos Ronald Koeman 2007-2008
Espanha Voro González 2008
Espanha Unai Emery 2008-2012
Argentina Mauricio Pellegrino 2012
Espanha Ernesto Valverde 2012-2013
Sérvia Miroslav Đukić 2013
Argentina Juan Antonio Pizzi 2014
Portugal Nuno Espírito Santo 2014-2015
Inglaterra Gary Neville 2015-2016
Espanha Pako Ayestaran 2016
Itália Cesare Prandelli 2016
Espanha Voro González 2017
Espanha Marcelino García 2017-2019
Espanha Albert Celades 2019-2020
Espanha Voro González 2020
Espanha Javi Gracia 2020-
O atacante argentino Mário Kempes é considerado o maior jogador da historia do Valencia

Jogadores notáveis[editar | editar código-fonte]

Recordes de partidas disputadas[editar | editar código-fonte]

Os números de Dani Parejo podem estar desatualizados, pois o jogador ainda está em atividade.

Jogador Liga Copa Europa Outro(s) Total
1 Espanha Fernando Gómez 421 73 20 39 553
2 Espanha Ricardo Penella Arias 397 63 3 58 521
3 Espanha David Albelda 351 31 101 2 485
4 Espanha Miguel Ángel Angulo 315 30 83 6 434
5 Espanha Santiago Cañizares 305 10 96 7 418
6 Espanha Dani Parejo 282 45 55 1 383
7 Espanha José Claramunt 295 55 31 0 381
8 Itália Amedeo Carboni 246 21 103 5 375
9 Espanha Manuel Mestre 322 16 36 0 374
10 Espanha Enrique Saura 304 34 34 0 372

Maiores artilheiros[editar | editar código-fonte]

  • Em jogos oficiais.
Jogador Liga Copa Europa Outro(s) Gols
1 Espanha Edmundo Suárez 186 20 0 0 206
2 Brasil Waldo Machado 117 13 30 0 160
3 Argentina Mario Kempes 116 17 13 0 146
4 Espanha Fernando Gómez 108 23 3 9 143
5 Espanha David Villa 107 4 17 1 129
6 Espanha Manuel Badenes 90 12 0 0 102
7 Espanha Silvestre Igoa 81 12 0 0 93
8 Espanha Vicente Seguí 83 8 0 0 91
9 Bulgária Luboslav Penev 67 18 3 0 88
10 Espanha Epi Fernández 78 9 0 0 87

Artilheiros do Campeonato Espanhol - Troféu Pichichi[editar | editar código-fonte]

Goleiros menos vazados do Campeonato Espanhol - Troféu Zamora[editar | editar código-fonte]

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Atualizado em 18 de março de 2020.[6]

Legenda
  • Capitão: Capitão


Goleiros
N.º Jogador
1 Espanha Jaume Domènech
13 Países Baixos Jasper Cillessen
25 Espanha Cristian Rivero
Defensores
N.º Jogador Pos.
4 França Eliaquim Mangala Z
5 Brasil Gabriel Paulista Z
12 França Mouctar Diakhaby Z
15 Espanha Hugo Guillamón Z
2 Portugal Thierry Correia LD
23 Espanha Dani Montes LD
3 Espanha Toni Lato LE
14 Espanha José Gayà Capitão LE
Meio-campistas
N.º Jogador Pos.
6 República Centro-Africana Geoffrey Kondogbia V
19 Sérvia Uroš Račić V
20 Coreia do Sul Lee Kang-in V
7 Portugal Gonçalo Guedes M
8 Espanha Carlos Soler M
18 Dinamarca Daniel Wass M
Atacantes
N.º Jogador
9 França Kevin Gameiro
11 Espanha Rubén Sobrino
17 Rússia Denis Cheryshev
21 Espanha Manu Vallejo
22 Uruguai Maxi Gómez
23 Espanha Jason
Comissão técnica
Nome Pos.
Espanha Javi Gracia T

Soccerball current event.svg Última atualização: 26 de setembro de 2020.

Elenco atual do Valencia Club de Fútbol[7]
N.º Pos. Nome N.º Pos. Nome N.º Pos. Nome
1 G Espanha Jaume Domènech 11 A Espanha Rubén Sobrino 21 A Espanha Manu Vallejo
2 LD Portugal Thierry Correia 12 Z França Mouctar Diakhaby 22 A Uruguai Maxi Gómez
3 LE Espanha Toni Lato 13 G Países Baixos Jasper Cillessen 23 A Espanha Jason
4 Z França Eliaquim Mangala 14 LE Espanha José Gayà 25 G Espanha Cristian Rivero
5 Z Brasil Gabriel Paulista 15 Z Espanha Hugo Guillamón
6 V República Centro-Africana Geoffrey Kondogbia 17 A Rússia Denis Cheryshev
7 M Portugal Gonçalo Guedes 18 M Dinamarca Daniel Wass
8 M Espanha Carlos Soler 19 V Sérvia Uroš Račić
9 A França Kevin Gameiro 20 M Coreia do Sul Lee Kang-in

Técnico: Espanha Javi Gracia


Uniformes[editar | editar código-fonte]

1º Uniforme[editar | editar código-fonte]

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2020–2021
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2019–2020
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2018–2019
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2017–2018
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2016–2017
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2015–2016
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2014–2015
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2013–2014
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2012–2013
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2011–2012
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2010–2011
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2009–2010
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2008–2009
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2007–2008
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2006–2007
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2005–2006

2º Uniforme[editar | editar código-fonte]

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2020–2021
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2019–2020
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2018–2019
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2017–2018
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2016–2017
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2015–2016
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2014–2015
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2013–2014
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2012–2013
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2011–2012
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2010–2011
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2009–2010
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2008–2009
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2007–2008
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2006–2007
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2005–2006

3º Uniforme[editar | editar código-fonte]

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2020–2021
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2019–2020
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2018–2019
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2017–2018
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2016–2017
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2014–2015
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2013–2014
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2012–2013
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2011–2012
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2010–2011
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2006–2007

Outros Uniformes[editar | editar código-fonte]

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1º Copa
2009–2010

Material esportivo e patrocinadores[editar | editar código-fonte]

Temporada Fabricante Patrocinador
1980–1982 Adidas Nenhum
1982–1985 Ressy
1985–1990 Rasan Bancaja
1990–1992 Puma
1992–1993 Comunitat Valenciana
1993–1994 Luanvi
1994–1995 Cip
1995–1998 Ford
1998–2000 Terra Mítica
2000–2001 Nike
2001–2002 Metrored
2002–2003 Terra Mítica
2003–2008 Toyota
2008–2009 Valencia Experience
2009–2011 Kappa Unibet
2011–2014 Joma Jinko Solar
2014–2018 Adidas Nenhum
2019- Puma bwin

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]