Ricardo Oliveira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ricardo Oliveira
Ricardo Oliveira
Ricardo Oliveira em 2007 pelo Milan
Informações pessoais
Nome completo Ricardo de Oliveira
Data de nasc. 6 de maio de 1980 (36 anos)
Local de nasc. São Paulo (SP), Brasil
Nacionalidade  brasileira
Altura 1,83 m
Ambidestro
Apelido RO9 [1]
Informações profissionais
Clube atual Brasil Santos
Número 9
Posição Atacante
Site oficial ricardoliveira.com
Clubes de juventude
1997-1999
1999–2000
Brasil Corinthians
Brasil Portuguesa
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
2000–2002
2003
2003–2004
2004–2006
2006
2006–2007
2007–2009
2009
2009–2014
2010
2014–2015
2015–
Brasil Portuguesa
Brasil Santos
Espanha Valencia
Espanha Betis
Brasil São Paulo (emp.)
Itália Milan
Espanha Zaragoza
Espanha Betis
=Emirados Árabes Unidos Al-Jazira
Brasil São Paulo (emp.)
=Emirados Árabes Unidos Al Wasl
Brasil Santos
0048 000(23)
0031 000(20)
0030 0000(9)
0060 000(33)
0012 0000(7)
0037 0000(5)
0061 000(31)
0016 0000(6)
0125 000(92)
0017 0000(8)
0012 0000(4)
0091 000(56)
Seleção nacional3
2004– Brasil Brasil 0016 0000(5)


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 5 de outubro de 2016.
3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 29 de março de 2016.

Ricardo Oliveira (São Paulo, 6 de maio de 1980) é um futebolista brasileiro que atua como atacante. Defende atualmente o Santos.

Clubes[editar | editar código-fonte]

Ricardo Oliveira iniciou sua carreira nas categorias de base do Corinthians em 1997 onde permaneceu até 1999, quando seguiu para a Portuguesa[2] e depois para o Santos.[3]

Santos[editar | editar código-fonte]

Foi pelo Santos, que Ricardo Oliveira ganhou notoriedade nacional e internacional. Substituindo o centroavante Alberto, campeão brasileiro com o time em 2002, Ricardo Oliveira se firmou como o centroavante do time e ajudou o time a chegar à final da Copa Libertadores e se tornou vice-campeão brasileiro em 2003.

Espanha[editar | editar código-fonte]

Após ter se tornado o artilheiro da Copa Libertadores da América de 2003 com nove gols foi contratado pelo Valencia em 2003. Porém, seu melhor momento no clube viria no ano seguinte, em 2004, quando atuou no Real Betis e marcou um total de 26 gols em 46 jogos pela La Liga.

São Paulo[editar | editar código-fonte]

Em 2006, retornou ao Brasil para atuar por empréstimo pelo São Paulo, onde novamente teve um bom desempenho e acabou sendo contratado pelo Milan.

Milan[editar | editar código-fonte]

Entre 2006 e 2008,[4] jogou pelo Milan, da Itália, onde fez parte do grupo campeão da UEFA Champions League 2006-07. Na época que atuou no Milan, sua irmã chegou a ser sequestrada no Brasil[5] e ainda em período que atuava pelo Milan, o Real Madrid que havia acabado de negociar o atacante Ronaldo procurou outro jogador para a substitui-lo e acertou sua contratação, porém foi barrado pela FIFA [6] que alegou que ele não poderia atuar por três clubes em uma mesma temporada.[7] [8]

Retorno ao Betis e Emirados Árabes[editar | editar código-fonte]

Em 31 de janeiro de 2009, o Betis confirmou a volta de Ricardo ao clube.[9] Ficou apenas seis meses no clube, sendo contratado, em 17 de julho, pelo Al-Jazira, dos Emirados Árabes, que pagou quatorze milhões de euros ao Betis.[10]

Retorno ao São Paulo[editar | editar código-fonte]

Em 23 de julho de 2010, acertou mais uma vez seu retorno ao futebol brasileiro, novamente por empréstimo ao São Paulo, visando os jogos semifinais da Copa Libertadores da América.[11] O jogador ficou emprestado ao clube até o final de 2010.

Retorno ao Al-Jazira[editar | editar código-fonte]

No início de 2011 retornou ao Al-Jazira. Na Liga dos Campeões da AFC de 2012 foi o artilheiro com 12 gols.

Al-Wasl[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2014, com as chegadas de Jucilei e do equatoriano Felipe Caicedo, o Al-Jazira liberou Ricardo Oliveira[12], para retornar ao futebol brasileiro.[13] Porém continuou no país árabe em 2014 no clube Al-Wasl.[14]

Retorno ao Santos[editar | editar código-fonte]

Em 12 de janeiro de 2015, Ricardo Oliveira foi contratado por Santos até o fim do Campeonato Paulista de 2015.[15] Logo em seus primeiros meses no clube mostrou bom trabalho e foi artilheiro do Campeonato Paulista de 2015.[16] Com suas boas atuações renovou o contrato com o Santos até o final de 2017.[17]

Ao longo da temporada Ricardo Oliveira continuava atuando muito bem o que lhe rendeu convocação para a Seleção Brasileira depois de oito anos.[18]

Por fim alcança também a artilharia do Campeonato Brasileiro de 2015, com 20 gols.[19] Também é eleito para a seleção do Brasileirão.

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Pela Seleção Brasileira, foi convocado algumas vezes durante o período em que Carlos Alberto Parreira era o treinador, e participou da Copa América de 2004 e da Copa das Confederações de 2005, torneios em que a seleção sagrou-se campeã.

Voltaria a ser lembrado em 29 de setembro de 2015, oito anos depois de sua última partida, devido ao corte de Roberto Firmino,[18] reestreando em 8 de outubro na derrota para a Chile por 0–2.[20] Voltou a marcar pela Seleção Brasileira na vitória por 3 a 1 diante da Venezuela em partida válida pelas Eliminatórias para a Copa de 2018. Foi convocado para a Copa América Centenário em 2016, porém, cortado por lesão.[21]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Nasceu em família humilde em São Paulo, sendo que aos 8 anos perdeu seu pai, e aos 15 passou necessidades que lhe fizeram pedir alimentos na rua para sobreviver. Muitos de seus amigos seguiram caminhos mais fáceis de se obter dinheiro, como cometer crimes, vender drogas, que levaram muitos à morte e a prisão, mas segundo Ricardo ele superou muitas dificuldades passadas em sua vida por manter vivo o sonho de jogar futebol.[22]

Além de jogador de futebol, Ricardo é pastor evangélico da igreja Assembléia de Deus, e é casado há 12 anos.[23][24][25][26][27][28]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Atualizado em 5 de outubro de 2016.[29]

Clubes[editar | editar código-fonte]

Equipe Temporada Campeonato
nacional
Copa
nacional
Competições
continentais
Outros
torneios[a]
Total
Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols
Portuguesa 2000 5 1 5 1
2001 24 14 6 5 10 5 40 24
2002 17 8 5 4 15 12 37 24
Total 46 23 11 9 25 17 82 49
Santos 2003 15 5 11 9 5 6 31 20
Total 15 5 11 9 5 6 31 19
Valencia 2003–04 21 8 3 0 6 1 30 9
Total 21 8 3 0 6 1 30 9
Betis 2004–05 37 22 8 4 45 26
2005–06 9 4 5 3 1 0 15 7
Total 46 26 8 4 5 3 1 0 60 33
São Paulo 2006 8 5 4 2 12 7
Total 8 5 4 2 12 7
Milan 2006–07 26 3 5 2 6 0 37 5
Total 26 3 5 2 6 0 37 5
Zaragoza 2007–08 37 18 4 3 2 1 43 22
2008–09 18 9 18 9
Total 55 27 4 3 2 1 61 31
Betis 2008–09 16 6 16 6
Total 16 6 16 6
Al-Jazira 2009–10 13 8 18 8
2010–11 11 10 3 1 14 11
2011–12 20 14 9 7 7 12 1 0 37 33
2012–13 22 17 10 11 5 1 1 0 43 22
2013–14 12 5 5 6 18 9
Total 78 54 24 24 15 14 2 0 119 92
São Paulo 2010 15 7 2 1 17 8
Total 15 7 2 1 17 8
Al Wasl 2013–14 11 4 1 0 12 4
Total 11 4 1 0 12 4
Santos 2015 32 20 12 6 18 11 62 37
2016 18 10 3 4 15 7 36 21
Total 50 30 15 10 33 18 98 58
Total na carreira 386 197 71 52 51 31 67 42 575 322

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Atualizado em 14 de julho de 2016.

Ano Partidas Gols
2004 3 1
2005 6 2
2006 1 0
2007 1 0
2015 3 1
2016 2 1
Total 16 5

Títulos[editar | editar código-fonte]

Valencia
Betis
São Paulo
Milan
Al-Jazira
Santos
Seleção Brasileira

Artilharias[editar | editar código-fonte]

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «RO9 nega time recuado contra o São Paulo: "isso é impossível" - Esportes - A Tribuna». http://www.atribuna.com.br/. Consultado em 2015-12-11.  Ligação externa em |obra= (Ajuda)
  2. Às vésperas de clássico, Ricardo Oliveira revela passado no Timão
  3. «FUTEBOL». 2003-07-24. Consultado em 2016-07-15. 
  4. «Salário alto e medo de lesões. Por que Corinthians recusou Ricardo Oliveira - Futebol - UOL Esporte». esporte.uol.com.br. Consultado em 2015-10-11. 
  5. «Volta de Ricardo Oliveira ao São Paulo». Espnbrasil.terra.com.br. Consultado em 3 de agosto de 2010. 
  6. «Real Madrid desiste de Ricardo Oliveira - Terra - Espanhol». esportes.terra.com.br. Consultado em 2015-08-30. 
  7. «Folha Online - Esporte - Real Madrid desiste da contratação de Ricardo Oliveira - 31/01/2007». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 2015-08-30. 
  8. «Real Madrid desiste do brasileiro Ricardo Oliveira - Esportes - Estadão». Consultado em 2015-08-30. 
  9. «Bétis anuncia retorno de Ricardo Oliveira». Globoesporte.globo.com. Consultado em 31 de janeiro de 2009. 
  10. «Atacante Ricardo Oliveira acerta com o Al Jazira - ClicRBS». Clicrbs.com.br. Consultado em 17 de julho de 2009. 
  11. «Ricardo Oliveira acerta por um ano com o São Paulo». Globoesporte.globo.com. Consultado em 23 de julho de 2010. 
  12. Al Jazira apresenta Jucilei e 'plano B' de Hernane e libera Ricardo Oliveira
  13. Sem contrato, Ricardo Oliveira tem "possibilidade real" de voltar ao Brasil
  14. «Ricardo Oliveira acerta com Al Wasl e segue em solo árabe». Terra. Consultado em 2015-12-06. 
  15. «Santos acerta contratação de Ricardo Oliveira». Esporte Interativo - Futebol Brasileiro, Liga dos Campeões e Lutas (em inglês). Consultado em 2015-12-06. 
  16. 'Ricardo Oliveira pede seleção brasileira e ganha lobby de Dorival Júnior'
  17. «Ricardo Oliveira encerra novela, assina contrato e fica no Santos até 2017». globoesporte.com. Consultado em 2015-12-06. 
  18. a b «Firmino é cortado, e Ricardo Oliveira é convocado para seleção brasileira». Globo Esporte. 24 de setembro de 2015. 
  19. «Santos é o primeiro clube a conquistar "tríplice artilharia" no futebol brasileiro». globoesporte.com. Consultado em 2015-12-06. 
  20. «Ricardo Oliveira diz que Brasil foi melhor». Estadão. 8 de outubro de 2015. 
  21. «Ricardo Oliveira está fora da Copa América Centenário e Dunga convoca Jonas - ISTOÉ Independente». 2016-05-21. Consultado em 2016-07-15. 
  22. Oliveira: "Con 15 años tuve que salir a la calle a pedir" (Oliveira: "Com 15 anos eu tive que ir sair a rua para pedir) - Marca.com
  23. «Ídolo no Al-Jazira, jogador brasileiro Ricardo Oliveira atua como pastor da Igreja Assembleia de Deus nos Emirados Árabes». Notícias Gospel. https://plus.google.com/100028069053712247701. Consultado em 2015-11-09.  Ligação externa em |publicado= (Ajuda)
  24. «R. Oliveira reconhece 'conflito moral' por postura em campo». Terra. Consultado em 2015-11-09. 
  25. «Pastor e "paizão", Ricardo Oliveira batiza jovens Thiago Maia e Geuvânio». globoesporte.com. Consultado em 2015-11-12. 
  26. «Pastor, artilheiro do Brasileirão tenta levar colegas do Santos para sua igreja - Futebol - iG». Esporte. Consultado em 2015-11-12. 
  27. «De volta ao Brasil, Ricardo Oliveira vira um pastor artilheiro - Esportes - Estadão». Estadão. Consultado em 2015-11-12. 
  28. «Ricardo Oliveira ataca de pastor e conselheiro de volante para renovar - Futebol - UOL Esporte». esporte.uol.com.br. Consultado em 2015-11-12. 
  29. «Perfil de Ricardo Oliveira». Soocerway. Consultado em 5 de outubro de 2016. 
  30. Finalistas, Santos e Palmeiras dominam a seleção do Paulistão
  31. Finalistas, Santos e Palmeiras dominam a seleção do Paulistão
  32. «Vencedores do Prêmio Craque Brasileirão 2015». CBF. 30 de novembro de 2015. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]