Careca (futebolista)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura por outro(s) futebolista(s), veja Careca.
Careca
Careca
Careca em 2008
Informações pessoais
Nome completo Antônio de Oliveira Filho
Data de nasc. 5 de outubro de 1960 (57 anos)
Local de nasc. Araraquara (SP), Brasil
Nacionalidade brasileiro
Altura 1,82 m
Apelido Careca, Carecone[1]
Informações profissionais
Posição Atacante
Clubes de juventude
1976–1978 Guarani
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1978–1982
1983–1987
1987–1993
1994–1996
1997
1998
1999
2004
Guarani
São Paulo
Napoli
Kashiwa Reysol
Santos
Campinas
São José
Campinas
0063 000(38)
0191 00(115)
0164 000(73)
0060 000(31)
0009 0000(2)

0000 0000(0)
0001 0000(2)
Seleção nacional
1982–1993 Brasil 0063 000(29)

Antônio de Oliveira Filho, mais conhecido como Careca (Araraquara, 5 de outubro de 1960), é um ex-futebolista brasileiro que atuava como atacante.

A razão do seu apelido é que ele, quando criança, costumava cantar músicas do palhaço Carequinha.[2]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Careca começou sua história em Araraquara, no interior de São Paulo, sua cidade natal. Foi ganhando respeito por sua qualidade acima da média em fazer gols.

Logo chamou atenção dos grandes de São Paulo, e foi aí que iniciou sua carreira. O Guarani, de Campinas, promoveu-o ao elenco profissional em 1978. Foi campeão brasileiro no mesmo ano, tendo marcado o gol do título.[3] Com sua velocidade e sua habilidade de finalização, rapidamente firmou-se como um dos melhores jovens artilheiros do país. Foi contratado pelo São Paulo em 1983 para substituir Serginho Chulapa, após ter se recuperado de uma contusão que o fez perder a Copa do Mundo de 1982, na Espanha.

Foi durante a Copa do Mundo de 1986, no México, que Careca realmente se estabeleceu no futebol mundial. Ele terminou o torneio, durante o qual o Brasil foi eliminado pela França nas quartas-de-final, com cinco gols, colocando-o em segundo no ranking da Chuteira de Ouro, atrás de Gary Lineker, da Inglaterra, com seis. Também durante 1986, Careca liderou o São Paulo na conquista do Brasileiro, batendo seu antigo clube, o Guarani, na final — e marcando o gol que levou a decisão para a disputa de penalidades. Com vinte e cinco gols, foi artilheiro e eleito o melhor jogador do campeonato.

Em 1987, depois de cento e noventa e um jogos e cento e quinze gols pelo São Paulo, foi contratado pelo então campeão italiano Napoli, onde foi companheiro de Maradona. O time já o cobiçava desde 1979, quando seu então treinador, o brasileiro Luís Vinícius de Menezes, disse estar entusiasmado pelo atacante, que ainda defendia o Guarani.[4] Na primeira temporada no Napoli não teve sucesso, apesar de seus treze gols: o time foi batido na primeira fase da Copa dos Campeões pelo Real Madrid e perdeu o título italiano nos últimos jogos da temporada. Contudo, o ano seguinte foi muito melhor. O time ganhou a Copa da UEFA, com Careca fazendo um gol na final, e terminou em segundo na Série A do italiano. Em 1990, finalmente Careca ganhou o scudetto com o Napoli, no que acabou por ser efetivamente a última temporada de Maradona com o clube (ele foi suspenso por quinze meses por ter sido pego em um exame antidoping). Careca ficaria ainda mais três anos com o Napoli, estabelecendo parceria com Gianfranco Zola, mas o Napoli não conseguiria ganhar mais nenhum troféu.

Em 1993 Careca deixou a Itália para jogar pelo Kashiwa Reysol, novo time japonês da J. League. Ficou quatro anos com o time e ajudou-o a subir à primeira divisão do campeonato em 1994. Depois se transferiu para o Santos, seu clube do coração, onde defendeu o clube em apenas nove jogos (com dois gols), no Campeonato Paulista de 1997.[5] Em 1999, o jogador transferiu-se para o São José de Porto Alegre, onde disputou algumas partidas no Campeonato Gaúcho.

Dirigente[editar | editar código-fonte]

Em 1998 funda, junto com o também ex-jogador Edmar Bernardes dos Santos, o Campinas Futebol Clube, que disputa o Campeonato Paulista de Futebol - Série A3.

Televisão[editar | editar código-fonte]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Guarani
São Paulo
Napoli

Individuais[editar | editar código-fonte]

Artilharia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Caio Ribeiro canta música da torcida do Napoli para o ídolo Careca no "Bem, Amigos" - Yahoo Esportes». esportes.yahoo.com/. Consultado em 12 de abril de 2015 
  2. «A modéstia de sempre no campeão Careca». S.A. O Estado de São Paulo. Jornal da Tarde (3 887). 19 páginas. 15 de agosto de 1978. ISSN 1516‐294X Verifique |issn= (ajuda) 
  3. Alexandre da Costa, Almanaque do São Paulo Placar, 2005, Editora Abril, pág. 376
  4. "A invasão continua!", Fábio Sormani e Maria Helena Araújo, Placar número 488, 31/8/1979, Editora Abril, pág. 31
  5. "Amor à camisa", Placar — Tabelão 97, 16/5/1997 a 18/6/1997, Editora Abril, pág. 140
  6. «folha.uol.com.br/»  Reality show "Joga Bonito" estréia hoje na Band

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Careca (futebolista)