Bruno Fernandes de Souza

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2015). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Bruno
Bruno
Informações pessoais
Nome completo Bruno Fernandes das Dores de Souza
Data de nasc. 23 de dezembro de 1984 (31 anos)
Local de nasc. Belo Horizonte (MG)[1] , Brasil
Nacionalidade  brasileira
Altura 1,90 m[2]
Destro
Informações profissionais
Posição Goleiro
Clubes de juventude
2001
2002
Brasil Tombense
Brasil Atlético Mineiro
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
2002–2006
2006–2007
2006–2007
2008–2010
Brasil Atlético Mineiro
Brasil Corinthians
Brasil Flamengo (emp.)
Brasil Flamengo
0024 0000(0)
0000 0000(0)
0061 0000(0)
0137 0000(4)


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 5 de junho de 2010.

Bruno Fernandes das Dores de Souza (Ribeirão das Neves, 23 de dezembro de 1984) mais conhecido como Goleiro Bruno é um ex- futebolista brasileiro que atuava como goleiro pelo Flamengo. Foi preso em 2010 por participação no sequestro e assassinato de Eliza Samudio, modelo com quem havia se envolvido, e em 2013 foi condenado a 22 anos e três meses de prisão.[3] [4]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Atlético Mineiro[editar | editar código-fonte]

Revelado pelo Atlético Mineiro, Bruno somente fez sua estreia, durante o Campeonato Brasileiro de 2005, graças a uma interessante associação de fatos: a suspensão de Danrlei, o goleiro titular, somada à ausência de Diego, o goleiro reserva imediato, que havia sido convocado para a Seleção Brasileira de Futebol Sub-20.[5] [6] [7] [8]

Corinthians[editar | editar código-fonte]

A partir daí, foi eleito o segundo melhor goleiro da Revista Placar. O destaque logo atraiu a atenção de outros clubes e, em 2006, deixou o Atlético para ir jogar no Corinthians. Todavia, acabou não se entendendo com a diretoria do novo clube e sequer chegou a vestir a camisa do time.[9] [10]

Flamengo[editar | editar código-fonte]

Bruno em treinamento no CT do Flamengo em 2008.

Então, após alguns meses de inatividade, seu passe, que pertencia a Media Sports Investment (MSI), foi oferecido ao Flamengo. À época, a sorte voltou a ajudar a sua carreira, uma vez que sua chegada havia coincidido com a contusão do goleiro Diego. Daí, em virtude de suas boas atuações, Bruno não mais deixou a vaga de titular pelo restante de 2006.[11]

Manteve a condição de goleiro titular do Flamengo no início ano seguinte, porém, mesmo com todo seu enaltecimento pela mídia, passou a oscilar entre bons e maus momentos. Todavia, na decisão do Campeonato Carioca de 2007, ao defender dois pênaltis (na disputa por pênaltis) que garantiram o título ao Flamengo, em cima do Botafogo, passou à condição de ídolo da torcida.[12]

Valorizado, a MSI tentou, a todo custo, negociá-lo com o mercado europeu, o que acabou gerando certa insatisfação, entre os dirigentes rubro-negros. Barrado do time titular, Bruno somente voltou a vestir a camisa 1 após ser acertada sua permanência no Flamengo. Em 2008, a fim de evitar os mesmos problemas ocorridos no ano anterior, o Flamengo decidiu investir em Bruno, comprando mais de 90% de seus direitos econômicos.[13]

No Campeonato Carioca de 2009, a história de dois anos antes se repetiu, e Bruno foi o grande responsável pela conquista do tri-campeonato pelo Flamengo, defendendo um pênalti no tempo normal e dois na disputa de pênaltis, na final contra o mesmo Botafogo.

Goleiro-artilheiro[editar | editar código-fonte]

Bruno começou a treinar cobranças de faltas e de pênaltis na Gávea, revelando-se também como um goleiro-artilheiro. Seu primeiro gol marcado aconteceu em uma partida da Libertadores da América de 2008, quando o Flamengo enfrentou, no Maracanã, o Coronel Bolognesi. A partida estava difícil para o Flamengo até que Bruno marcou um gol.[14]

Posteriormente, Bruno marcou mais três gols, tornando-se o goleiro que mais marcou gols na história do Flamengo, superando Ubirajara e Zé Carlos.

Caso Eliza Samudio[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Caso Eliza Samudio

Em junho de 2010, a Polícia Civil de Minas Gerais declarou o goleiro Bruno suspeito do desaparecimento da modelo paranaense Eliza Samudio. O jogador inclusive chegou a ter a prisão preventiva decretada.[15] [16] [17] [18] Devido a repercussão do caso, a presidente do Flamengo Patrícia Amorim, chegou a anunciar que o jogador seria demitido do clube, mas após reunião em cúpula, a decisão não foi mantida.[19] [20] O inquérito do caso foi entregue em 30 de julho de 2010 e o julgamento foi realizado em 19 de novembro de 2012 no Tribunal do Júri de Contagem, em Belo Horizonte.[21] [22] [23] Em 23 de novembro de 2012, os assistentes de acusação da Promotoria, José Arteiro e Cidney Mendes, acreditavam na hipótese de que Luiz Henrique Romão, o Macarrão, assumiria a morte de Eliza Samudio.[24] Seu caso foi adiado para março de 2013.[25] [26] [27] Em 6 de março de 2013, Bruno admitiu a morte de Eliza Samudio e culpou Macarrão pelo crime. O depoimento foi feito no fórum de Contagem, em Minas Gerais.[28] [29] Em 8 de março de 2013, Bruno foi condenado a 22 anos e três meses de prisão, dos quais 17 anos e 6 meses são em regime fechado, por homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, meio cruel e uso de meio que dificultou a defesa da vítima), cárcere privado e sequestro de Eliza e do filho deles Bruninho, e ocultação de cadáver. Por sua confissão, sua pena foi reduzida em três anos, mas aumentada em seis meses por ter sido "mandante".[3] [30]

Em 5 de maio de 2012, o vice-presidente jurídico do Flamengo, Rafael de Piro, externou que o clube estaria aberto ao retorno do goleiro, caso obtivesse um habeas corpus.[31] O pedido foi negado em 20 de outubro do mesmo ano pelo Superior Tribunal de Justiça.[32]

Seus advogados recorreram contra a sentença condenatória, mas o pleito foi negado pela segunda turma do Supremo Tribunal Federal em 11 de junho de 2013.[33]

Tentativa de retorno[editar | editar código-fonte]

Em 28 de fevereiro de 2014, mesmo sob detenção em regime fechado na Penitenciária Nelson Hungria, Bruno assinou contrato com o Montes Claros Futebol Clube, clube que disputa a segunda divisão do campeonato mineiro.[34] Para tanto, seria necessário sua transferência ao presídio da cidade de Montes Claros. Porém, o juiz da Vara de Execuções Penais da cidade negou o pedido.[35] Em entrevista concedida a revista Placar, ele revelou que tentou se matar nos primeiros meses de detenção na penitenciária Nelson Hungria, em Contagem: "Meu coração estava cheio de ódio e revolta. Aí resolvi dar fim à minha vida. Não queria ser um peso para minha mãe nem para ninguém. Tentei o suicídio. Amarrei o lençol na ventana, que é alta, coloquei no pescoço e saltei. Mas a corda arrebentou e eu caí no chão. Olhei para o lado e tinha uma Bíblia, que um policial tinha me dado ainda no Rio de Janeiro. Foi Deus que não permitiu que eu me matasse. De um suicídio, não haveria a salvação".[36]

Atualmente[editar | editar código-fonte]

Durante entrevista ao GloboEsportes.com foi noticiado que Bruno cumpre pena na  Apac de Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte. No regime fechado, o lugar de Bruno é a cama dois da cela 18 do bloco 3. Bruno cumpre pena de 22 anos e três meses pela morte de Eliza Samúdio em 2010. Mas, com a progressão por dias trabalhados, poderá entre em regime semiaberto em 2018, segundo seus cálculos. Bruno está sem advogado no momento, mas juristas consultados pela reportagem atestaram ser possível que o goleiro consiga o regime semiaberto em 2018, como o próprio almeja.

O goleiro recebeu a reportagem do GLOBOESPORTE.COM entre as suas funções na limpeza da capela e a prova de soldador. A rotina começa às 6h, tem três paradas para oração, refeições e horário de lazer a partir das 18h. De lá, acompanha jogos pela televisão, com misto de saudade do Flamengo e paixão pelo Atlético-MG, este estampado na meia que usou durante a entrevista e na calça que sujou de terra com as defesas no treinamento também registrado pela reportagem. Do sistema de presídio comum, onde passou cinco anos entre as penitenciárias Nelson Hungria e Francisco Sá, sobraram traumas e lembranças ruins. Tentativa de suicídio, uma facada que deixou marca e depressão tratada com remédios. Agora, foco no trabalho, nos cursos e nos treinamentos na Apac (Associação de Proteção e Assistência ao Condenado), uma ONG que administra prisões e trabalha em conjunto com diversos estados e os respectivos tribunais de justiça buscando "a humanização no cumprimento das penas privativas de liberdade". O método tem inúmeros elementos, mas principalmente a confiança no detento, que passa a ser tratado pelo nome, usa crachá, não enverga uniformes da secretaria penitenciária e não passa pelas privações e lotações do sistema comum. 

Nesta conversa com o GLOBOESPORTE.COM, Bruno não quis transitar pelos detalhes do crime pelo qual foi condenando, garantindo que está escrevendo um livro com a "verdadeira história". A amizade com Macarrão é coisa do passado, e o presente aponta conformismo com a pena. O jogador ainda relata que perdeu cerca de 16kg após sua prisão.[37]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Gols pelo Flamengo[editar | editar código-fonte]

Data Competição Estádio/Local Clube Placar Adversário Tipo
1 23 de abril de 2008 Copa Libertadores de 2008 Maracanã, Rio de Janeiro, RJ Flamengo 2–0 Coronel Bolognesi Falta (1º)
2 23 de outubro de 2008 Campeonato Brasileiro de 2008 Maracanã, Rio de Janeiro, RJ Flamengo 5–0 Coritiba Pênalti (1º)
3 4 de fevereiro de 2009 Campeonato Carioca de 2009 Maracanã, Rio de Janeiro, RJ Flamengo 4–1 Mesquita Falta (2º)
4 26 de maio de 2010 Campeonato Brasileiro de 2010 Maracanã, Rio de Janeiro, RJ Flamengo 1–2 Fluminense Falta (3º)

Dados atualizados até 26 de maio de 2010

Pênaltis Defendidos pelo Flamengo[editar | editar código-fonte]

  • Fonte:GloboEsporte.com[38]
Número Jogos Data Competição Defendidos
01-02 Flamengo 1x1 Vasco(3x1) 25/02/2007 Taça Guanabara/Carioca 2
03-04 Flamengo 2x2 Botafogo(4x2) 06/05/2007 Campeonato Carioca 2
05 Flamengo 1x0 Paraná 13/10/2007 Campeonato Brasileiro 1
06 Flamengo 2x1 Vasco 17/02/2008 Taça Guanabara/Carioca 1
07-08-09 Flamengo 2x2 Botafogo(4x2) 03/05/2009 Campeonato Carioca 3
10 Flamengo 1x0 Botafogo 25/10/2009 Campeonato Brasileiro 1
11-12 Flamengo 1x0 Santos 31/10/2009 Campeonato Brasileiro 2
13 Flamengo 3x3 Olaria 03/02/2010 Taça Guanabara/Carioca 1
14-15 Flamengo 1x0 Vasco 14/03/2010 Taça Rio/Carioca 2

Títulos[editar | editar código-fonte]

Flamengo

Prêmios Individuais[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Conheça a trajetória polêmica de Bruno». R7. 9 de julho de 2010. 
  2. «Perfil de Bruno Fernandes das Dores de Souza». Consultado em 24 de novembro de 2012. 
  3. a b G1, Caso Eliza Samudio, página visitada em 03 de março de 2013.
  4. Folha.com. «Após reunião, Flamengo decide manter Bruno afastado». Consultado em 18 de julho de 2010. 
  5. «Atlético-MG confirma venda de Bruno ao Corinthians». Consultado em 7 de agosto de 2006. 
  6. «Corinthians empresta Bruno ao Flamengo». Consultado em 9 de agosto de 2006. 
  7. «Fla confirma acerto com Bruno». Consultado em 14 de agosto de 2008. 
  8. «Copa Libertadores: Flamengo beats Coronel Bolognesi 2-0 to win Group 4». Consultado em 17 de agosto de 2007. 
  9. «Bruno e Zé Roberto marcam e Flamengo vence Mesquita». Consultado em 4 de Fevereiro de 2007. 
  10. «Flamengo Site Oficial». Consultado em 26 de maio de 2010. 
  11. «MOGLOBO.com». Consultado em 18 de julho de 2010. 
  12. «The former Flamengo goalkeeper Bruno Fernandes de Souza and his friend Luiz Henrique Romao (Macarrão)». Consultado em 19 de julho de 2009. 
  13. «Soccer star charged in brutal murder». Consultado em 24 de agosto de 2010. 
  14. «Bruno Fernandes faz e é goleiro artilheiro». Consultado em 14 de outubro de 2011. 
  15. Folha.com. «Justiça do Rio decreta prisão do goleiro Bruno; mulher do jogador é presa». Consultado em 18 de julho de 2010. 
  16. «Brazil soccer star arrested over missing girlfriend». Consultado em 14 de setembro de 2009. 
  17. «Polícia quer ouvir goleiro Bruno por desaparecimento de ex-namorada». Consultado em 5 de agosto de 2010. 
  18. «Goleiro Bruno é investigado por desaparecimento de ex-namorada». Consultado em 10 de agosto de 2010. 
  19. Presidente do Flamengo quer demitir Bruno por justa causa
  20. Flamengo não vai mais demitir goleiro Bruno
  21. iG. «Bruno e mais quatro réus do caso Eliza Samudio vão a júri em 19 de novembro». Consultado em 11 de novembro de 2012. 
  22. iG. «Macarrão: 73 ligações para Eliza no dia do sequestro». Consultado em 16 de novembro de 2012. 
  23. «Bruno's wife claims to have seen Eliza alive on June 10th». Consultado em 2 de setembro de 2010. 
  24. «Assistentes de acusação do caso Bruno acreditam que Macarrão vai confessar crime». Consultado em 23 de Novembro de 2012. 
  25. Julgamento do goleiro Bruno é adiado para março de 2013
  26. Brazilian goalkeeper charged with murdering ex-girlfriend
  27. Brazil footballer surrenders in missing woman case
  28. «Brazilian goalkeeper tipped to play in World Cup admits he knew ex-girlfriend was murdered, dismembered and fed to his pet rottweilers». Consultado em 6 de Março de 2013. 
  29. «Bruno admite pela primeira vez a morte de Eliza Samudio e culpa Macarrão pelo crime». Consultado em 7 de Março de 2013. 
  30. «Ex-goleiro Bruno é condenado a mais de 22 anos de prisão por morte de Eliza». Consultado em 9 de Março de 2013. 
  31. «Flamengo ‘abre as portas’ para possível retorno de Bruno». R7. 8 de maio de 2012. 
  32. «STJ nega pedido de habeas corpus do goleiro Bruno». Diário de Pernambuco. 20 de outubro de 2012. 
  33. «Supremo nega liberdade a goleiro Bruno». G1. 11 de junho de 2013. 
  34. «Goleiro Bruno assina com Montes Claros FC e pode voltar aos campos». Consultado em 28 de fevereiro de 2014. 
  35. «Justiça nega transferência de goleiro Bruno». Band. 15 de março de 2014. 
  36. Breiller Pires. "Bruno pede para sair". Revista Placar. Visitado em 08/11/2014.
  37. «Bruno na cadeia: tentativa de suicídio, facada, faxina e reencontro com a bola». globoesporte.com. Consultado em 2016-05-18. 
  38. globoesporte.globo.com/ Felipe x Bruno: bom desempenho nos pênaltis, mas estilos diferentes

Ligações externas[editar | editar código-fonte]