Fluminense de Feira Futebol Clube

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fluminense de Feira
Fluminense de Feira FC.png
Nome Fluminense de Feira Futebol Clube
Alcunhas Fluzão
Flu de Feira
Touro do Sertão
Torcedor/Adepto Tricolor
Mascote Touro
Fundação 1 de janeiro de 1941 (75 anos)
Capacidade 16.274 pessoas
Localização Feira de Santana, BA,  Brasil
Mando de jogo em Joia da Princesa
Presidente Brasil Gerinaldo Costa
Treinador Brasil Betinho
Patrocinador Brasil Prefeitura de Feira de Santana
Brasil Indaia
Brasil Sicoob
Brasil Dular
Brasil Guará Mix
Brasil Café 2 de Julho
Brasil Santana LTDA
Brasil Vitalab
Brasil Produtos Tabajara
Brasil Casa Esportiva
Material esportivo Brasil Mariana
Competição Brasil Campeonato Brasileiro de Futebol de 2016 - Série D
Divisão Bahia Campeonato Baiano de Futebol de 2016
Bahia BA 2015 Em 2014
Bahia BA 2013
Bahia CBA 2013
11º Lugar
A Disputar
Brasil D 2016 Em disputa
Website Site Oficial
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

Fluminense de Feira Futebol Clube é uma agremiação esportiva da cidade de Feira de Santana, estado da Bahia, fundada em 1º de janeiro de 1941.

História[editar | editar código-fonte]

O Fluminense foi fundado no dia 1º de janeiro de 1941, por um grupo de jovens feirenses que eram torcedores do Fluminense do Rio de Janeiro mantendo as cores do homônimo carioca.[1]

Foi campeão amador em 1947, 1949, 1950 e 1953, profissionalizando-se em 1954 quando aconteceu o primeiro grande passo na história do clube. Convidado pela Federação Bahiana de Futebol, o Fluminense de Feira se tornou profissional e em 6 de junho do mesmo ano empatou com o Vitória no estádio da Fonte Nova por 1 a 1 em sua estreia. O gol da equipe foi marcado por Alfredo. Este clube foi o primeiro do interior a disputar o Campeonato Baiano de Futebol e com apenas dois anos no futebol profissional, em 1956, conquistou o seu primeiro vice-campeonato baiano.

No ano de 1963, se tornaria pela primeira vez Campeão Baiano de futebol, conquistando o título em cima do Bahia. Essa história seria novamente escrita em 1969, contra o mesmo Bahia. 1969 séria o último título do Touro do Sertão, e de um time do interior da Bahia no torneio. Somente em 2006 com o Colo-Colo, quebraria o tabu de quase 40 anos sem que um clube do interior do estado vencesse o certame. Em 1998 e 2009, conquistou o campeonato da Taça Estado da Bahia (Copa Governador do Estado), que vale vaga na Série D do Campeonato Brasileiro. Ganhou também o Nordestinho em 2006, disputado apenas entre clubes dos estados da Bahia (Sem Bahia e Vitória) e Sergipe.

O Touro chegou a ser vice-campeão baiano em seis oportunidades, nos anos de 1956, 1968, 1971, 1990, 1991 e 2002. No ano de 1991 e 2002, ganhou vaga na Copa do Brasil de Futebol com o vice-campeonato.

Nos tempos atuais, participou em 2010 do Campeonato Brasileiro de Futebol - Série D, pela segunda vez consecutiva, representando a Bahia.

No dia 28 de novembro de 2015, o Touro do Sertão sagrou-se campeão da Copa Governador do Estado, vencendo a Juazeirense pelo placar de 1 x 0, na Arena Fonte Nova, mesmo resultado do primeiro jogo da finalíssima, quando derrotou a equipe do norte do estado em Riachão do Jacuípe.

Campeonato Brasileiro: 1° e 2° divisão / Copa do Brasil / Taça Brasil[editar | editar código-fonte]

Com o título do Campeonato Baiano de Futebol de 1963, ganhou o direito de disputar Taça Brasil de 1964, sua primeira e única participação no Campeonato extinto da época. O Touro foi eliminado pelo Ceará, nas Quartas-de-final do torneio.

O Touro do Sertão participou em três ocasiões do Campeonato Brasileiro de Futebol da 1ª Divisão: 1976, 1977 e 1979.

Campeonato Brasileiro de Futebol - Série B disputou por 6 vezes, nos anos de: 1972, 1983, 1986, 1988, 1989 e 1991.

Pela Copa do Brasil de Futebol disputou por 2 vezes o torneio, nos anos de 1991 e 2003. Em 1991 na sua estreia, chegou às Oitavas-de-finais, sendo eliminado pelo Grêmio.

Vice-campeonato Brasileiro da 3° Divisão - 1992[editar | editar código-fonte]

O ano de 1992 ficou marcado na história do Touro, que ficou perto de conquista o primeiro título nacional. Depois de eliminar times como ASA, Sergipe, Catuense, Matsubara e Rio Pardo , o Touro chegou à final contra o Tuna Luso. Venceu o primeiro jogo por 2 a 0 no Joia da Princesa, e perdeu o segundo por 3 a 1, em Belém. A Tuna Luso jogava por dois resultados iguais, por ter feito melhor campanha durante o campeonato.

Campanha:

1° Fase:[editar | editar código-fonte]

Fluminense 1x1 Catuense / Catuense 0x2 Fluminense

Fluminense 1x1 ASA / Fluminense 5x0 Sergipe

Sergipe 2x2 Fluminense / ASA 1x2 Fluminense

2° Fase:[editar | editar código-fonte]

Fluminense 1x0 Rio Pardo

Rio Pardo 1x0 Fluminense

Decisão da 2° Fase[editar | editar código-fonte]

Fluminense 1x0 Matsubara

Matsubara 2x2 Fluminense

Final:[editar | editar código-fonte]

Fluminense 2x0 Tuna Luso

Tuna Luso 3x1 Fluminense

Touro do Nordeste![editar | editar código-fonte]

O Touro do Sertão mostrou sua força ao nordeste, na volta da Copa do Nordeste de Futebol. Chegou às Quartas-de-finais em 1997, sendo eliminado pelo Bahia. Nos anos de 1998 e 2001, fez uma campanha razoável, sendo na eliminado na primeira fase do torneio.

No ano de 2002, a Copa do Nordeste de Futebol foi patrocinada pela Coca-Cola e pela Tv SKY, dando premiação de 1 Milhão de reais para o time Campeão, além de 3 vagas para disputar à Copa do Campeões que fornecia ao campeão passaporte para Taça Libertadores da América. O torneio teve uma grande média de público e audiência com a transmissão dos jogos para o Nordeste, e outras Regiões. No torneio, o Touro ficou faltando um ponto para classificar-se para jogar a semifinal, com isso, terminou na 5° colocação.

Em 2003 conseguiu chegar pela primeira vez à final da competição, decidindo o título contra nada menos que o maior ganhador do torneio, o Vitória, que jogava por dois resultados iguais. Após empatar por 1 a 1 no Joia da Princesa e 0 a 0 no Barradão, acabou com o vice-campeonato. Um ano antes, perderia o Campeonato Baiano para o mesmo Vitória.

Campanha:

Quartas-de-Final: Fluminense 2x0 Ceará

Semifinal: ABC 2x1 Fluminense / Fluminense 1x0 ABC

Final: Fluminense 1x1 Vitória / Vitória 0x0 Fluminense

Fatos:[editar | editar código-fonte]

Primeira Diretoria[editar | editar código-fonte]

Presidente: Dr. Wilson da Costa Falcão
Vice-presidente: Osvaldo Coelho Torres
Secretários: Laudelino Lacerda Pedreira e Otto Emanuel de Carvalho
Diretor-técnico: Ariston Carvalho
Assistente: Simonidas Carneiro
Diretor de Sede: Fernando Garcia
Orador: Dr. Colbert Martins da Silva
Depto. Médico: Dr. Adroaldo Dórea, Dr. Alberto Oliveira e Dr. Válter Mendonça
Depto. Jurídico: Dr. Humberto Luiz Portela e Dr. João da Costa Falcão

Títulos[editar | editar código-fonte]

Um estabelecimento do time, em Feira de Santana.

Regionais[editar | editar código-fonte]

(2006[2])

Estaduais[editar | editar código-fonte]

(1963 e 1969)
(1998)

Campeonato baiano 2° Divisão: 1 (2015)

(2009 e 2015)

Outros títulos[editar | editar código-fonte]

Campanhas de destaques[editar | editar código-fonte]

(1992)

Jogadores famosos e Ídolos[editar | editar código-fonte]