Sergipe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Coordenadas: 11° S, 37° W
Estado de Sergipe
Bandeira de Sergipe
Brasão de Sergipe
(Bandeira) (Brasão)
Hino: Hino do estado de Sergipe
Gentílico: sergipano

Localização de Sergipe no Brasil

Localização
 - Região Nordeste
 - Estados limítrofes Bahia e Alagoas
 - Mesorregiões 3
 - Microrregiões 13
 - Municípios 75
Capital Brasão de Aracaju.svg Aracaju
Governo
 - Governador(a) Jackson Barreto (PMDB)
 - Vice-governador(a) vago ()
 - Deputados federais 8
 - Deputados estaduais 24
 - Senadores Antônio Carlos Valadares (PSB)
Eduardo Amorim (PSC)
Maria do Carmo Alves (DEM)
Área  
 - Total 21 915,116 km² (26º) [1]
População 2013
 - Estimativa 2 228 489 hab. (22º)[2]
 - Densidade 101,69 hab./km² ()
Economia 2010[3]
 - PIB R$23.932.000 (22º)
 - PIB per capita R$12 536 (17º)
Indicadores 2010[4]
 - Esper. de vida 71,6 anos (18º)
 - Mort. infantil 18,2‰ nasc. (16º)
 - Analfabetismo 16,3% (19º)
 - IDH (2010) 0,665 (20º) – médio [5]
Fuso horário UTC−03:00
Clima Tropical As
Cód. ISO 3166-2 BR-SE
Site governamental http://www.se.gov.br/

Mapa de Sergipe

Sergipe é uma das 27 unidades federativas da República Federativa do Brasil. Está situado na Região Nordeste e tem por limites o oceano Atlântico à leste e os estados da Bahia, à oeste e ao sul, e de Alagoas, ao norte, do qual está separado pelo Rio São Francisco. É o menor dos estados brasileiros, ocupando uma área total de 21 915,116 km², pouco maior que Israel. Em 2010, sua população foi recenseada em 2.068.017 habitantes, o sexto estado menos populoso do país.[2]

A capital e maior cidade é Aracaju, sede da Região Metropolitana de Aracaju, que inclui ainda os municípios de Barra dos Coqueiros, Nossa Senhora do Socorro e São Cristóvão, a quarta cidade mais antiga do Brasil e a primeira capital de Sergipe. Outras cidades importantes são Itabaiana, Lagarto e Estância, todas com mais de 50 mil habitantes. Ao todo, o estado possui 75 municípios divididos nas mesorregiões do Leste, Agreste e Sertão sergipanos.

Sergipe emancipou-se politicamente da Bahia em 8 de julho de 1820. A então capitania de Sergipe del-Rei viria a ser elevada à categoria de província quatro anos depois, e, finalmente, a estado após a proclamação da República em 1889.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O nome do estado vem da antiga língua tupi e significa "no rio dos siris" (referindo-se ao Rio Sergipe), através da junção das palavras siri (siri), 'y (rio) e pe (em).[6]

História[editar | editar código-fonte]

Igreja do Santo Antônio, em um dos pontos mais altos de Aracaju.

Os primeiros indícios da ocupação humana do território que hoje corresponde ao estado de Sergipe são datados de 9.000 a.C.[7] A análise dos achados arqueológicos desses povos, como arte rupestre, ossos, cerâmicas e outros artefatos,[8] permitiu aos historiadores classificá-los em três culturas ou tradições: canindé, aratu e tupi-guarani.[7]

Na segunda metade do século XVI teve início a colonização do estado com a chegada de navios franceses onde os seus tripulantes trocavam objetos diversos por produtos da terra (pau-brasil, algodão, pimenta-da-terra).

Entre o final do século XVI e as primeiras décadas do século XVII, a atuação dos missionários e de algumas expedições militares afasta os franceses e vence a resistência indígena. Ocorre grande miscigenação entre portugueses e índios.

Garcia d’Ávila, proprietário de terras na região, iniciou a conquista do território. Contava com a ajuda dos jesuítas para catequizar os nativos. A conquista deste território e sua colonização facilitariam as comunicações entre Bahia e Pernambuco e impediriam também as invasões francesas.

Surgem os primeiros povoados, como o arraial de São Cristóvão. Originário do povoado de São Cristóvão, a capitania de Sergipe D’El-Rey foi colonizada em 1590 após a destruição de indígenas hostis e Sergipe começa a explorar o açúcar. A existência de áreas inadequadas à plantação de açúcar no litoral favorece o surgimento das primeiras criações de gado. Sergipe torna-se, então, um fornecedor de animais de tração para as fazendas da Bahia e de Pernambuco. Houve também uma significativa produção de couro.

Quando das invasões holandesas, na primeira metade do século XVII a economia ficou prejudicada, vindo a se recuperar em 1645 quando os portugueses retomaram a região. O território, que na época fazia parte da Bahia, foi responsável em 1723 por um terço da produção de açúcar da Bahia.

[9] As circunstâncias da Independência do Brasil serviram para que a decisão da Carta Régia de 8 de julho de 1820 fosse confirmada e referendada por Pedro I, que chegou a elevar, novamente, São Cristóvão à condição de cidade, para ser a capital de Sergipe. A Constituição do Império, que é de 1824, colocou Sergipe entre as Províncias do Brasil, consolidando a Emancipação de 8 de julho de 1820. 8 de julho de 1820 tem sido convertido no símbolo da liberdade, da independência, da autonomia econômica, da construção da sociedade sergipana.

Com a Proclamação da República, passou a ser Estado da Federação tendo sua primeira Constituição promulgada em 1892.

O quadro permanece assim em todo o primeiro período republicano, com setores das camadas médias urbanas sendo as únicas forças a enfrentar a oligarquia local, como nas revoltas tenentistas em 1924.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Cerca de 85% do território está a menos de 300 m de altitude, com predominância de terras planas ou levemente onduladas. São Francisco, Vaza-Barris, Sergipe, Japaratuba, Piauí e Real são os rios principais (veja a lista de rios de Sergipe).

O estado encontra-se com 47,26% de seu território dentro do polígono das secas, segundo dados da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).[10]

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima é tropical, mais úmido próximo ao litoral (pluviosidade média anual de 1600 mm na capital, com maior intensidade de chuvas entre janeiro e março) e semiárido no sertão. Em algumas ocasiões, a seca no Oeste do estado pode se prolongar por quase um ano.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Segundo estimativas de 2013 da ONU, Sergipe possui a cidade (Aracaju) com o melhor IDH da Região Nordeste, registrando na pesquisa um IDH de 0,770, apesar disso, o estado que está em 20ª lugar (IDH 0,665 - médio) fica atrás dos Estados de Pernambuco, Ceará e Rio Grande do Norte. [11] Espera-se que dentro de alguns anos seja o primeiro do nordeste com uma cidade a entrar no grupo com alto desenvolvimento humano, categoria onde só estão inseridos até agora cidades das regiões SU, SE e CO.[12]

Etnias[editar | editar código-fonte]

Cor/Raça Porcentagem
Brancos 30%
Negros 5%
Pardos 63%

Fonte: PNAD (dados obtidos por meio de pesquisa de autodeclaração).


Política[editar | editar código-fonte]

O poder executivo é exercido pelo governador de Sergipe. O atual governador é Jackson Barreto, do PMDB. Barreto foi eleito vice-governador em 2006 na chapa de Marcelo Déda (Partido dos Trabalhadores) para o período de quatro anos (2007 - 2010) e reeleito para um novo mandato (2011 - 2014). Com a morte de Deda, em 02 de dezembro de 2013, Jackson Barreto assumiu o Governo do Estado.

O poder legislativo é exercido pela Assembleia Legislativa do Estado de Sergipe, que é composta por 24 deputados. A TV Alese é um órgão de comunicação da Assembleia Legislativa que divulga as ações desta instituição.

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

O município com a maior área é Poço Redondo, localizado na mesorregião do Sertão Sergipano, com 1 220 km² de extensão. O menor é General Maynard, com apenas 18,1 km², localizado na microrregião do Baixo Cotinguiba.

Economia[editar | editar código-fonte]

Exportações do Sergipe - (2012)[13]

Os dados de 2008 do governo apontam que a economia do estado de Sergipe tem participação de 0,6 por cento no produto interno bruto nacional. A composição do produto interno bruto está dividida em: agropecuária, que corresponde a 5,2 por cento; indústria, 33 por cento e serviços, que corresponde a 61,8 por cento do total. O produto interno bruto per capita está em 9 779 reais.

Na pauta de exportação, o estado exportou o equivalente a 60 700 000 dólares estadunidenses. Os principais produtos exportados são: suco de laranja (33 por cento), cimento (dezessete por cento), açúcar (catorze por cento), outros sucos de fruta (treze por cento), calçados (treze por cento) e outros (dez por cento).

O volume total de exportações do estado aumentou consideravelmente desde 2009 ,atingindo a marca de U$D 149.000.000,00 (cento e quarenta e nove milhões de dólares) no último em 2012. Este montante é representado, principalmente por suco de frutas (63,79%), açúcar in natura (10,00%), calçados de borracha (9,86%), secantes preparados para pintura (5,52%) e calçados de couro (2,14%)[14] .

Já na pauta de importação, o estado importou o equivalente a 153 300 000 dólares estadunidenses. Os principais produtos importados são: máquinas e equipamentos (34 %), trigo (14%), adubos e fertilizantes (12 %), fios e tecidos (9 %), coque de petróleo (8 %), produtos das indústrias químicas (4 %), plástico e seus produtos (3 %), obras de ferro e aço (3 %) e outros (13 %), segundo dados de 2009.


[15]

Setor primário[editar | editar código-fonte]

A principal atividade agrícola de Sergipe é o cultivo de cana-de-açúcar, da qual são produzidas mais de 1 400 000 toneladas por ano, ou 50 000 toneladas de açúcar e 60 000 metros cúbicos de álcool. Além da cana, são cultivados a mandioca (617 400 toneladas por ano), a laranja (14 400 000 frutos) e o coco.

Ao contrário de muitos estados brasileiros, a criação de gado não é muito importante. Uma pequena indústria de couro também existe.

Exploração de recursos minerais é uma atividade muito importante para o estado, sendo explorado o petróleo, gás natural, calcário e potássio. A Petrobras explora campos de petróleo e gás natural no estado, tanto em terra como no mar, sendo o sexto estado brasileiro em produção de petróleo, com uma produção de 41 647 barris por dia, ficando atrás do Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Amazonas, Bahia e Espírito Santo. Recentemente foi descoberto no litoral da Barra dos Coqueiros um campo de petróleo, que, segundo estimativas da Petrobras, pode corresponder a um terço do volume de petróleo produzido na bacia de Campos(que é a maior do país em produção).[16] Em 2011, problemas ambientais e trabalhistas fizeram a Petrobras cogitar o fechamento de 25 das 26 plataformas que se encontram na costa sergipana [17] , o que não chegou a ocorrer de fato. A Vale S.A. explora a maior mina de potássio do Hemisfério Sul, localizado no município de Rosário do Catete.

Setor secundário[editar | editar código-fonte]

A Federação das Indústrias do Estado de Sergipe é a entidade sindical dos donos das empresas. A entidade congrega a maioria dos donos e dirigentes industriais.

Setor terciário[editar | editar código-fonte]

Em Aracaju existem dois shopping centers: RioMar e Jardins. O Shopping Prêmio é o primeiro fora da capital, localizado em Nossa Senhora do Socorro e explora também o potencial consumidor de sua Região Metropolitana.[18] Em Aracaju, existe ainda a Rua do Turista, fechada em 2003 e reaberta em dezembro de 2010 , o local interliga a Praça Olímpio Campos e a rua de Laranjeiras, no centro comercial da cidade.[19]

Há projetos para construção de novos shoppings centers na capital e no interior, nas cidades de Lagarto e Itabaiana.

Foi no estado de Sergipe, o local de fundação da quarta maior rede de supermercado do Brasil, o G.Barbosa.[20] A rede que tem sua sede localizada em Sergipe opera também na Bahia em Alagoas e, mais recentemente, no Ceará.[21] Além da citada anteriormente, operam no estado as seguintes redes de supermercados: Bompreço (fundada pelo Sergipano João Carlos Paes Mendonça em Casa Amarela, Recife , posteriormente vendido ao Wal-Mart), Extra, Makro e Atacadão.

Dentre as mais importantes lojas nacionais que operam no estado estão Lojas Americanas, Casas Bahia, C&A, Lojas Riachuelo, Lojas Renner e Lojas Insinuante.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Ciência e tecnologia[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

Entre as instituições do ensino superior tem-se: a Universidade Federal de Sergipe, pública, a Universidade Tiradentes - universidade privada - e várias faculdades privadas.

Há, ainda, o Instituto Federal de Sergipe, com campi em Aracaju, São Cristovão, Lagarto e outras cidades do estado.

Nos bairros e conjuntos, há as escolas públicas, administradas pela prefeitura ou pelo estado. Uma das mais antigas, em que estudaram importantes políticos do estado, é o Colégio Atheneu, localizado no Centro de Aracaju.

Das escolas particulares, as que mais se destacam, são: Colégio do Salvador, Colégio Arquidiocesano, Colégio Amadeus, Colégio de Ciências Pura e Aplicada,[22] Colégio Master, Colégio Ideal e Colégio Salesiano, as quais fazem parte das que tiveram melhores desempenhos no Exame Nacional do Ensino Médio no estado de Sergipe.

Resultados no Exame Nacional do Ensino Médio
Ano Português Redação
2006[23]
Média
32,52 (16º)
36,90
48,98 (21º)
52,08
2007[24]
Média
46,06 (18º)
51,52
52,90 (22º)
55,99
2008[25]
Média
36,81 (18º)
41,69
57,70 (18º)
59,35

Energia[editar | editar código-fonte]

A Usina Hidrelétrica de Xingó está instalada no Rio São Francisco, na divisa com Alagoas. Agora em janeiro de 2013 fora inaugurada a Usina de Energia Eólica no município da Barra dos Coqueiros, com produção para contemplar mais de 120 mil habitantes, e cerca de 35 MW. [26]

Mídia[editar | editar código-fonte]

A primeira emissora de televisão do estado foi a TV Sergipe, inaugurada em novembro de 1971 como afiliada da extinta Rede Tupi. Em 1974, passou a integrar a Rede Globo de Televisão.[27] Em 2009, a TV Atalaia fez a primeira transmissão do sinal de televisão digital no estado.[28] A TV Sergipe dá início à transmissão de Tv Digital em março de 2010.[29]

Em Sergipe, há seis emissoras de televisão, sendo quatro por televisão aberta e duas por televisão por assinatura. As abertas são a TV Aperipê, TV Sergipe, TV Atalaia e a TV Canção Nova Aracaju, e as por assinatura +TVC e TV Alese.

Em relação a afiliadas das cinco principais redes de televisão aberta, o estado conta com afiliadas a Rede Globo (TV Sergipe) e a Rede Record (TV Atalaia).

Existe também, uma emissora pública, a TV Aperipê, afiliada a TV Brasil, e a legislativa, a TV Alese.

Há uma emissora geradora de programação católica, a TV Canção Nova Aracaju.

Há ainda, uma outorga para geradora de televisão educativa, na Barra dos Coqueiros, a qual ainda não está sendo utilizada. E uma concorrência para geradora comercial na capital Aracaju, em curso desde dezembro de 2009.

Saúde[editar | editar código-fonte]

O Hospital de Urgência de Sergipe é o maior hospital público do estado.

Dos hospitais particulares, os maiores são o Hospital São Lucas, localizado no bairro São José e o Hospital Primavera, localizado no Bairro Jardins.

Existem nos bairros e conjuntos, tanto da capital, quanto do interior, 45 unidades de saude, as quais realizam atendimentos considerados de baixa densidade tecnológica, como por exemplo, consultas de enfermagem, médicas, imunização, curativos, reuniões, rodas de conversa, entre outros serviços que compõem a atenção primária à saúde.

Segurança pública[editar | editar código-fonte]

A Polícia Militar do Estado de Sergipe foi criada em 1835 com a denominação de Corpo Policial da Província.[30] Historicamente a Corporação seguiu o mesmo percurso das demais Polícias Militares. Em 1917 passou a Força Auxiliar do Exército.[31] E em 1920[32] foi reestruturada como um Batalhão Policial, com uma Seção de Bombeiros. A partir de 1946 passou a desenvolver a configuração atual, constituindo progressivamente as atuais modalidades de policiamento.

A Polícia Militar do Estado de Sergipe conta, atualmente, com: Comando-Geral, Estado-Maior e oito batalhões em todo o estado: três na Grande Aracaju (1º, 5º e 8º) e os demais no interior (2º, 3º, 4º, 6º e 7º). Além do Batalhão Especial de Segurança Patrimonial, de Operações Especiais e de Policiamento de Guardas. Fazem parte, ainda, as companhias de Polícia Rodoviária, de Trânsito, de Choque, Fazendária, Escolar, Radiopatrulha, Ambiental e dez companhias de Polícia Comunitária.[33]

A Polícia Civil do Estado de Sergipe, também subordinada ao Governador por meio da Secretaria de Segurança Pública, tem a missão, dentro do território sergipano, de exercer, com exclusividade, as funções de Polícia Judiciária, procedendo a investigação pré-processual e a formalização de atos investigatórios relacionados com a apuração de infrações penais, especialmente inquéritos policiais, termos circunstanciados de ocorrência e outros procedimentos correlatos, bem como praticar atos necessários a assegurar a apuração de infrações penais, inclusive o cumprimento de mandado de prisão, a realização de diligências requisitadas, fundamentadamente, pelo Poder Judiciário ou Ministério Público, e o fornecimento de informações para a instrução processual.

Possui, como estrutura operacional, a Coordenadoria de Polícia Civil da Capital (COPCAL), responsável pelas delegacias na cidade de Aracaju e sua região metropolitana, e a Coordenadoria de Polícia Civil do Interior (COPCIN), responsável pelas delegacias de polícia do interior do estado. Possui, ainda, o Centro de Operações Policiais Especiais, ao qual estão subordinados a Divisão de Telecomunicações (DITEL) e a Divisão de Inteligência e Planejamento Policial (DIPOL).

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Sergipe foi criado em outubro de 1920, com a denominação de Seção de Sapadores Bombeiros, subordinado à Força Pública do Estado, atual Polícia Militar. Em 1936, passou a designar-se como Companhia de Bombeiros, e foi transferido para a administração do Município de Aracaju. Em 1955, foi transformado no Corpo de Bombeiros Municipal de Aracaju. Em 1984 a Corporação foi transferida do Município para o Estado, e incorporada à Polícia Militar com a estrutura operacional de batalhão. Em 1999, desvinculou-se da PMSE, passando a dispor de autonomia administrativa e financeira própria.

Possui, ao todo, cinco Grupamentos no estado, distribuídos dessa forma: 1º GBM - Aracaju; 2º GBM - Estância; 3º GBM - Itabaiana; 4º GBM - Grupamento de Salvamento Marítimo (com viaturas de salvamento e combate à incêndio) - Aracaju; e 5º GBM - Nossa Senhora do Socorro.

Lazer Público[editar | editar código-fonte]

Em várias cidades do estado, as praças, localizadas principalmente no Centro, são os principais lugares onde as pessoas costumam se reunir para descansar e conversar.

Na cidade de Japaratuba, há o Banho do Prata, nascente de águas cristalinas, onde nos finais de semanas, há a reunião de várias pessoas. Em Aquidabã encontramos a Lagoa do Vigário centro de entretenimento regional. Sua nova orla atrai os jovens da cidade e pode-se presenciar no final da tarde um dos mais belos pôr do Sol do estado.

Já na capital, além de praças localizadas em diversos bairros e conjuntos, há também os parques públicos, que são vastas áreas verdes, com muitas plantas e árvores e em um deles, o maior da capital, há ainda um zoológico, com várias espécies de animais.

Os principais parques são o Parque da Sementeira (Bairro Jardins), Parque da Cidade (Bairro Industrial) e o Parque dos Cajueiros (Coroa do Meio).

Transporte Urbano[editar | editar código-fonte]

Em Aracaju, há o Sistema Integrado de Transporte, que compreende terminais de ônibus para integração e linhas alimentadoras, que levam os passageiros dos bairros para os terminais, onde embarcam em outros ônibus, que os levam para seus destinos. Há linhas que passam por dois ou três terminais, levando os passageiros ao centro da capital ou até a Região Metropolitana.

As empresas que fazem parte do sistema de transporte público integrado da capital e da Região Metropolitana são: Viação Progresso/Transporte Tropical (Grupo Progresso), Viação Modelo/Capital Transportes (Grupo FretCar) e Viação Atalaia (Grupo Itamaracá).

Há também o transporte alternativo, realizado por ônibus e micro-ônibus, alguns dos quais contam com ar condicionado, poltronas reclináveis e acesso a internet sem fio. São duas linhas: uma que passa pela Avenida Hermes Fontes e a outra pelo Shopping Jardins, ambas encerrando o percurso no centro de Aracaju.

As empresas que fazem o transporte alternativo são: Viação São Pedro e Viação Cidade Histórica (Grupo Bomfim).

Os táxis de Aracaju pertencem tanto a cooperativas quanto a particulares e são caracterizados por sua cor branca, uma placa acima do veículo e adesivos nas latarias.

Em Aracaju, a atividade dos mototaxistas ainda não foi regulamentada e não há previsão para que ocorra.

Transporte[editar | editar código-fonte]

Duas rodovias federais cortam o estado, a BR-101, no sentido sul-norte, em fase de duplicação em toda sua extensão desde o ano de 2010, com previsão de entrega no final do ano de 2014 havendo alguns trechos já entregues em especial no sentido sul até o município de Estância, e ao norte até a entrada do município de Riachuelo e a BR-235, no sentido oeste-leste.[34]

O Aeroporto Internacional de Aracaju (Aeroporto Santa Maria) é o único do estado administrado pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária. Nele, circulam, diariamente, 6 000 pessoas e há operações de helicópteros que transportam passageiros para plataformas de petróleo no litoral do estado.[35]

Cultura[editar | editar código-fonte]

Literatura[editar | editar código-fonte]

Dentre os principais escritores sergipanos se destaca Tobias Barreto, fundador do condoreirismo brasileiro e patrono da cadeira 38 da Academia Brasileira de Letras.[36] A localidade onde nasceu, a Vila de Campos do Rio Real, foi posteriormente rebatizada com o seu nome e hoje é o município de Tobias Barreto.

Música[editar | editar código-fonte]

Praticamente inexistiu, até a década de 1970, a chamada "música popular sergipana", que surgiu trazendo temática local para as letras. Cantores como Chiko Queiroga e Antônio Rogério trazem em suas canções elementos do folclore sergipano.[37]

A música contemporânea traz uma mistura de ritmos folclóricos nordestinos com o reggae, romantismo, rock e a música eletrônica. Nessa vertente estão as bandas e cantores José Augusto Sergipano, Sulanca, Lacertae, NaurÊa e Maria Scombona.[37] Outros nomes importantes da música no estado são a banda de rock The Baggios, a cantora Amorosa e a banda de forró Calcinha Preta.

A Orquestra Sinfônica de Sergipe foi fundada em 1985, mas somente a partir de 2006 passou a ter uma temporada regular de concertos. Seu diretor artístico é o maestro Guilherme Mannis.

Cinema[editar | editar código-fonte]

Em Sergipe, atualmente existe apenas dois complexos de cinemas, ambos pertencentes a rede Cinemark e localizados na capital do estado.

Atualmente, Aracaju é a cidade com maior número de salas da rede Cinemark no Nordeste.

No dia 25 de janeiro de 2013, foi inaugurado o primeiro complexo de cinemas fora da capital, localizado no shopping de Nossa Senhora do Socorro.

Atualmente

Teatro[editar | editar código-fonte]

Eventualmente, são encenadas peças teatrais em Sergipe, são apresentações de grupos locais e também de sucessos de público nacionais. Os teatros mais importantes do estado são o Teatro Tobias Barreto, O Teatro Lourival Batista e o Teatro Atheneu, este último foi aberto depois das reformas.

Folclore[editar | editar código-fonte]

O folclore sergipano é rico e diversificado, reunindo elementos da cultura indígena, africana e europeia.[38] [39] Dentre as muitas manifestações folclóricas destacam-se o Reisado, Parafusos, Guerreiros, Lambe-Sujos e Caboclinhos, Cacumbi, Taieira, Samba de Parelha, São Gonçalo.

Anualmente é realizado o Encontro Cultural de Laranjeiras, um evento que reúne musicais, apresentações de grupos folclóricos, grupos de discussão e exposições sobre o folclore no estado.[40]

Esportes[editar | editar código-fonte]

O futebol é o esporte mais popular. Inaugurado em 1969 o Estádio Estadual Lourival Baptista, também conhecido como Batistão em homenagem a renomado locutor desportivo local, é a maior arena de futebol de Sergipe e abriga as principais partidas de clubes sergipanos em competições nacionais e regionais. Além disso em conjunto com o estádio apresenta-se o principal ginásio em Sergipe, Ginásio Constâncio Vieira. Trata-se do principal complexo desportivo do Estado que se encontra na área nobre da capital Aracaju.

Atualmente o estado desponta como um dos maiores promissores na gestação de atletas que se projetam não só nacionalmente como mundialmente. Nascido na cidade de Lagarto, o fenômeno Diego Costa tem ganhado cada vez mais a atenção da modalidade futebolística a nível mundial.[41] [42]

Historicamente, o estado sempre apresentou tradição na modalidade esportiva do handebol servindo muitas vezes como base para a seleção nacional. Ademais, nas artes marciais, a karateca Mariana Dantas conquistou o campeonato mundial júnior da modalidade.[43] e o ex-pugilista Adilson José Rodrigues, conhecido como Maguila, foi o primeiro brasileiro campeão mundial peso pesado.[44]

Festas e eventos[editar | editar código-fonte]

O Forró caju é um dos maiores eventos juninos do nordeste do Brasil,[carece de fontes?] com cerca de 140 atrações locais e nacionais reunidas durante 14 noites na praça de eventos entre os mercados Albano Franco e Thales Ferraz. O evento é gratuito e faz parte do calendário junino brasileiro. Organizada pela Prefeitura de Aracaju, a festa atrai um público de 1 milhão de pessoas em cada edição.[carece de fontes?]

Criado em 1992, o Pré-Caju é uma prévia carnavalesca que reúne bandas de axé, pagode e outros ritmos, e que acontece anualmente na capital Aracaju. É considerado um dos maiores eventos desse tipo no Brasil[carece de fontes?] e faz parte, oficialmente, do calendário turístico e cultural da cidade desde 1993.[45] Outras micaretas famosas são: o Micabã e a Festa de Senhora Sant´ana ambos realizados no município de Aquidabã e a Micarana, no município de Itabaiana. Há também a Festa de "Zé Pereira" comemorada no Carnaval, na cidade ribeirinha de Neópolis, que faz divisa com Penedo, Alagoas, que ocorre em todos os dias de carnaval; acompanhada de músicas carnavalescas toda a população brinca, um melando os outros com diversas coisas.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Fonte luminosa na Orla de Atalaia.

Apesar de ter menor divulgação do que estados como Bahia, Alagoas e Pernambuco, ainda assim há diversos atrativos turísticos no estado, começando pela capital, Aracaju, com destaque para suas praias, como as de Atalaia, Aruana, Refúgio, Náufragos, Robalo e Mosqueiro, todas no litoral sul de Aracaju. Caueira no município de Itaporanga d'Ajuda ao Sul e para Pirambu a trinta quilômetros ao norte de Aracaju, cujo acesso ficou facilitado pela construção no ano de 2006 da Ponte Construtor João Alves, que liga a capital Aracaju ao município de Barra dos Coqueiros, que conta com uma base do Projeto Tamar e para a vizinha cidade histórica de São Cristóvão, antiga capital fundada em 1590. Outra cidade histórica de destaque é Laranjeiras, a 23 quilômetros de Aracaju.

O município de Itabaiana é bastante conhecido pelo seu grande e intenso comércio de ouro em joias. Já Estância tem muita tradição nos festejos juninos, com seus famosos barcos de fogo; e no carnaval de beira de praia (Abaís). Neópolis, situada às margens do Rio São Francisco também tem tradição de bom carnaval, sempre no ritmo do frevo pernambucano, com suas bandinhas que levam os foliões ao delírio.

No já mencionado município de Barra dos Coqueiros tem destaque o povoado chamado Atalaia Nova, que é banhado pelo rio Sergipe e pelo oceano Atlântico, proporcionando excelente lazer e diversão, num local de tranquilidade e bastante contato com a natureza.

Há, ainda, passeios de catamarã pelo Rio Sergipe, na capital, Aracaju. Além de outro passeio que permite conhecer o Rio São Francisco, no município de Brejo Grande, que faz divisa com o estado de Alagoas no município de Piaçabuçu e que leva os turistas até a foz do rio.

São nacionalmente conhecidos os festejos juninos realizados no estado de Sergipe, especialmente nos municípios de Areia Branca , Estância e Capela.

A cidade de Canindé de São Francisco, distante 186 quilômetros da capital, é um dos pontos turísticos mais atrativos do estado de Sergipe. Aqui, o Rio São Francisco foi represado para a construção da Usina Hidrelétrica de Xingó, formando um lago de raríssima beleza. Além disso, o turista pode entrar em contato direto com a história da civilização local através dos achados que estão expostos à visitação pública no Museu de Arqueologia de Xingó, que é administrado pela Universidade Federal de Sergipe. A visita ao "Paraíso do Talhado" no lago da hidrelétrica é obrigatória a todos aqueles que vão conhecer o Cânion de Xingó, que se situa na divisa dos estados de Sergipe , Bahia e Alagoas.

Outro ponto turístico do estado, é a cidade de São Cristóvão, quarta cidade mais antiga do país, foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional desde janeiro de 1967, preserva prédios históricos e conta com vários museus onde há importantes partes da história sergipana. Recentemente a Praça São Francisco, tornou-se Patrimônio Cultural da Humanidade.

Outra cidade histórica de Sergipe, é o município de Laranjeiras, conhecido por também possuir construções antigas que aos poucos estão sendo recuperadas, alguns desses prédios são igrejas datadas dos séculos XVII e XVIII, como por exemplo a Igreja Matriz Sagrado Coração de Jesus. O municipío também é conhecido por seus eventos culturais, como por exemplo o Encontro Cultural de Laranjeiras, o qual conta com teatro de rua, grupos folclóricos, cordel, palestras, seminários e bandas culturais e populares.

A cerca de seis quilômetros da sede do município de Japaratuba, encontra-se o Banho do Prata, uma nascente de águas cristalinas onde as pessoas podem banhar-se nas águas do Rio do Prata, recomenda-se logo após, saborear a moqueca de peixe em um dos quiosques ou acampar com amigos. Outro ponto turístico importante da cidade é a Gruta do Capim Branco, localizada próximo ao povoado São José. A gruta serviu de refúgio para os índios das redondezas no período da colonização dessas terras. O local também é conhecido como Gruta da Mulata. Um fato interessante são as raízes que caem dentro da caverna, em um formato que mais parece com um provador de roupas. A luz que vem da superfície provoca um imagem ainda mais surpreendente.

Ainda no município de Japaratuba, há a Festa das Cabacinhas, a mais tradicional das festividades da cidade, sempre realizada na primeira semana de Janeiro. Nessa festa, o intuito é acertar os participantes com a cabacinha onde coloca-se água.

Árvore de Natal[editar | editar código-fonte]

Todos os anos, é montada, às margens do Rio Sergipe, a maior árvore de natal feita de luzes do mundo. Com cerca de 122 metros, todos os anos sua inauguração leva milhares de moradores e turistas para o Calçadão da 13 de Julho, localizada na Avenida Beira-Mar. Durante o acendimento da árvore, há uma queima de fogos. É possível visualizá-la de alguns pontos da cidade devido a sua altura, como, por exemplo, do Viaduto Jornalista Carvalho Déda, mas sua imagem não pode ser bem apreciada, devido aos prédios do Jardins e da 13 de Julho. Mas há uma bela imagem dela da Ponte da Coroa do Meio e do estacionamento do Shopping Riomar.

Em 2007, a árvore entrou no Livro Guinness dos Recordes como a maior árvore de natal feita de luzes do mundo. Em 2008, uma tragédia impossibilitou a montagem desse cartão-postal de Sergipe.[46]

Em sua 22ª edição (2010) e medindo 127,99 metros, a árvore atraiu centenas de pessoas para a Avenida 13 de julho no dia 4 de dezembro. O som da Orquestra Sanfônica animou os presentes com canções natalinas e forró.

Em 2012, a árvore deixou de ser montada.

Forró Caju[editar | editar código-fonte]

Um dos maiores eventos juninos do nordeste do Brasil, com cerca de 140 atrações locais e nacionais reunidas durante catorze noites na praça de eventos entre os mercados Albano Franco e Thales Ferraz. O evento é gratuito e faz parte do calendário junino brasileiro. Organizada pela Prefeitura de Aracaju, a festa atrai um público de 1 000 000 de pessoas em cada edição.

A partir de 2001, o Forró Caju se consolidou como uma das maiores festas de Sergipe e do Brasil. A partir daí, a riqueza das tradições culturais de Aracaju foram apresentadas aos brasileiros e chegou-se ao formato atual de megaevento, com estrutura de ponta, praça de alimentação, camarotes, mini-hospital, programação extensa, diversificada e de alcance nacional. Como uma programação alternativa que incluiu apresentações folclóricas, trios pé-de-serra, quadrilhas e até professores de dança para ensinar o autêntico forró aos turistas e demais interessados em aprender o ritmo mais popular do Nordeste. Tal festa reúne todos os segmentos da população além de um grande número de turistas. Por dia, passam cerca de 150 000 pessoas na festa. Como tenta atender aos vários gostos e culturas, mescla, em suas atrações, desde trios pé-de-serra e um forró raiz, como Dominguinhos, Elba Ramalho e Alceu Valença, passando pela nova geração do forró, caracterizado por um som mais eletrônico (daí ser conhecido como "forró eletrônico"), tendo, como expoente de tal segmento, as bandas Aviões do Forró, Calcinha Preta, Cavaleiros do Forró, entre outros.

Pré-caju[editar | editar código-fonte]

Todos os anos, no mês de janeiro, ocorre uma das maiores prévias carnavalescas do Brasil, o Pré-Caju, reunindo milhares de pessoas ao longo da extensão da Avenida Beira Mar, ao som de músicos e bandas nacionais. O Pré-caju se tornou um evento muito conhecido em todo o país.

Referências

  1. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Área Territorial Oficial - Consulta por Unidade da Federação. Arquivado do original em 9 de abril de 2014. Página visitada em 9 de setembro de 2013.
  2. a b c Sergipe. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
  3. Tabela 1 - Produto Interno Bruto a preços correntes e Produto Interno Bruto per capita segundo as Grandes Regiões, as Unidades da Federação e os municípios - 2005-2009. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 20 de janeiro de 2012.
  4. Síntese dos Inidicadores Sociais 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Página visitada em 20 de setembro de 2010.
  5. PNUD Brasil. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal, 2010 - Todos os Estados do Brasil. Página visitada em 29 de julho de 2013.
  6. NAVARRO, E. A. Método Moderno de Tupi Antigo. Terceira edição. São Paulo: Global, 2005. p. 232
  7. a b Carvalho (2003), p. 55.
  8. Carvalho (2003), p. 21.
  9. [1]
  10. Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação - FAO
  11. http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/os-melhores-estados-para-se-viver-segundo-a-onu#21
  12. http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/os-estados-que-subiram-e-cairam-no-ranking-da-onu
  13. Exportações do Sergipe (2012). Plataforma DataViva. Página visitada em 13 de janeiro de 2014.
  14. Exportações do Sergipe (2012). Plataforma DataViva. Página visitada em 13 de janeiro de 2014.
  15. Almanaque Abril 2011
  16. O governador comemora descoberta de petróleo na Barra dos Coqueiros. te/noticiario (02 de novembro de 2010). Página visitada em 02 de novembro de 2010.
  17. http://www.infonet.com.br/economia/ler.asp?id=116373&titulo=noticias
  18. Socorro é destaque na VEJA como um dos municípios que mais crescem no país (em português) (6 de setembro de 2010). Página visitada em 19 de outubro de 2010.
  19. Rua 24 Horas em Sergipe voltará a funcionar após reforma. Globo.com (21 de maio de 2009). Página visitada em 19 de outubro de 2010.
  20. Pão de Açúcar é o maior supermercado varejista do Brasil. Exame.com (Grupo Abril) (15 de abril de 2010). Página visitada em 8 de maio de 2011.
  21. Rede Gbarbosa chega a Fortaleza. Coisas de Maceió (9 de março de 2010). Página visitada em 8 de maio de 2011.
  22. [2]
  23. [3]
  24. [4]
  25. [5]
  26. http://g1.globo.com/se/sergipe/noticia/2013/01/parque-eolico-consolida-se-como-marco-da-energia-limpa-em-sergipe.html
  27. História da TV Sergipe (em português). emsergipe.com. Página visitada em 15/11/2010.
  28. Thaís Bezerra (25/01/2009). TV Atlaaia Digital (em português). Jornal da Cidade. Página visitada em 10/08/2010.
  29. Transmissão de TV Digital da TV Sergipe (em português). emsergipe.com. Página visitada em 01/03/2010.
  30. Lei de 28 de fevereiro de 1835.
  31. Decreto n° 658, de 26 de dezembro de 1917.
  32. Lei nº 791, de 1 de outubro de 1920.
  33. Dilson Ferraz de Souza. A PMSE na atualidade (em português). Polícia Militar do Estado de Sergipe. Página visitada em 14 de setembro de 2010.
  34. Sergipe - Infraestrutura (em português). CODISE. Página visitada em 10/08/2010.
  35. Aeroporto de Aracaju — Santa Maria (em português). Infraero. Página visitada em 06/09/2010.
  36. Tobias Barreto - Biografia (em português). Academia Brasileira de Letras. Página visitada em 10/08/2010.
  37. a b Breve história da música em Sergipe (em português). Portal de Sergipe. Página visitada em 10/08/2010.
  38. Janaina Cruz (Agosto de 2005). Especial Folclore: A riqueza dos grupos de Sergipe (em português). Portal Infonet. Página visitada em 09/08/2010.
  39. COnheça Sergipe - Folclore (em português). conhecasergipe.com.br. Página visitada em 09/08/2010.
  40. Começa o 35º Encontro Cultural de Laranjeiras (em português). Portal Infonet (07/01/2010). Página visitada em 09/08/2010.
  41. Cidade de Lagarto para ao assistir estreia de Diego Costa na Seleção.Atacante entra no segundo tempo do amistoso contra a Itália e moradores do município do interior do Sergipe comemoram, entre eles o primeiro treinador (em português). Globo.com (21/03/2013). Página visitada em 04/04/2013.
  42. [http://globoesporte.globo.com/programas/esporte-espetacular/noticia/2013/10/diego-costa-supera-messi-e-cr7-e-acirra-disputa-entre-brasil-e-espanha.html iego Costa supera Messi e CR7, e acirra disputa entre Brasil e Espanha Técnicos de ambas as seleções já admitiram que contam com o futebol do atacante. Jogador do Atlético de Madrid ainda não revelou por onde vai atuar.] (em português). GE Sergipe (20/10/2013). Página visitada em 13/01/2014.
  43. Mariana Dantas ganha dois ouros (em português). Jornal da cidade (06/05/2009). Página visitada em 09/08/2010.
  44. João Gabriel Rodrigues (05/06/09). Inspirado em Zeca Pagodinho e Almir Guineto, Maguila revela lado sambista (em português). Globo.com. Página visitada em 09/08/2010.
  45. infonet.com.br. Pré-caju - História (em português). Página visitada em 14 de setembro de 2010.
  46. http://www.aracaju.se.gov.br/index.php?act=leitura&codigo=40032

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]