Lista de unidades federativas do Brasil por mortalidade infantil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Mapa das unidades federativas do Brasil por índice de mortalidade infantil em 2015.
  20‰ ou mais
  17,5-19,9‰
  15-17,4‰
  12,5-14,9‰
  10-12,4‰
  9,9‰ ou menos
Mapa das regiões brasileiras por índice de mortalidade infantil em 2015.
  20‰ ou mais
  17,5-19,9‰
  15-17,4‰
  12,5-14,9‰
  10-12,4‰
  9,9‰ ou menos

Esta é a lista de unidades federativas do Brasil por mortalidade infantil, índice que representa a quantidade de mortes de crianças no primeiro ano de vida observada durante um determinado ano a cada mil nascidos vivos neste mesmo período.[1][2]

O Brasil é uma república federativa formada pela união de 26 estados federados e do Distrito Federal. Segundo o The World Factbook, em 2022 a taxa de mortalidade infantil no país era de 13,31 mortes de crianças menores de um ano de idade a cada mil nascidos vivos, sendo a 109ª maior do mundo.[3] A unidade federativa com o maior índice é o Amapá, cujo valor da mortalidade infantil é de 22,9. Já a menor taxa é a do Distrito Federal (8,5).[4]

Por um longo período grande parte das mortes era causada por doenças infectocontagiosas e problemas durante a gravidez, parto e nascimento, porém com o passar do tempo ocorreram consideráveis melhorias na infraestrutura do sistema de saúde e das habitações brasileiras e nas condições ambientais e nutricionais da população.[5]

Unidades federativas do Brasil por mortalidade infantil[editar | editar código-fonte]

Posição Unidade federativa TMI

2019[4]

País comparável[3]
1  Amapá Aumento 22,9  Paraguai
2  Roraima Prejuízo 18,8  Uzbequistão
3  Amazonas Aumento 17,9 Samoa
4  Sergipe Aumento 17,7  Egito
5  Piauí Prejuízo 17,5
6 Bahia Bahia Prejuízo 16,6  Panamá
7  Maranhão Aumento 16,3
8 Pará Pará Aumento 16,3
9  Acre Prejuízo 16,0 Ilhas Cook
10  Mato Grosso Aumento 15,4  Palestina
11  Paraíba Aumento 15,1 Honduras
12  Goiás Aumento 14,5 Omã Omã
13  Rio Grande do Norte Aumento 14,5
14  Alagoas Aumento 14,4
15  Tocantins Prejuízo 14,0 Jordânia
16  Ceará Aumento 13,5  Vanuatu
17  Rio de Janeiro Aumento 13,2  México
18  Pernambuco Prejuízo 13,0  Omã
19  Minas Gerais Aumento 12,9 São Vicente e Granadinas
20  Rondônia Prejuízo 12,5 Marianas Setentrionais
21  Mato Grosso do Sul Prejuízo 11,1  Belize
22  São Paulo Aumento 11,0
23  Espírito Santo Aumento 10,7  Peru
24  Rio Grande do Sul Aumento 10,6 Seicheles
25  Paraná Estável 10,3 Monserrate
26  Santa Catarina Aumento 9,6 Granada
27  Distrito Federal Prejuízo 8,5 Costa Rica
 Brasil Aumento 13,3

Classificação por região[editar | editar código-fonte]

Posição Região TMI
2019[4]
País comparável[3]
1 Região Norte Prejuízo 16,6  Panamá
2 Região Nordeste Prejuízo 15,2  Faixa de Gaza
3 Região Centro-Oeste Prejuízo 13,0 São Vicente e Granadinas
4 Região Sudeste Prejuízo 11,9  Tunísia
5 Região Sul Aumento 10,2  Bahrein

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Tábua completa de mortalidade para o Brasil – 2015» (PDF). IBGE. Consultado em 2 de dezembro de 2016 
  2. «Unidades da Federação - Probabilidade de um recém-nascido não completar o primeiro ano de vida - Total - 2017». IBGE. p. 12. Consultado em 29 de novembro de 2018 
  3. a b c «Country Comparison - Infant mortality rate». CIA World Factbook (em inglês). Central Intelligence Agency. Consultado em 3 de julho de 2022 
  4. a b c «Boletim Epidemiológico» (PDF). Governo Federal. Volume 52 | Nº 37. 20 de outubro de 2021. pp. 6, 7. Consultado em 3 de julho de 2022 
  5. Portal da Saúde. «Evolução da Mortalidade Infantil no Brasil». Sistema Único de Saúde (SUS). Consultado em 4 de março de 2013. Cópia arquivada em 4 de março de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]