Lista de unidades federativas do Brasil por porcentagem de óbitos infantis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mapa das unidades federativas do Brasil por porcentagem de óbitos infantis.
  até 2%
  2-3,9%
  4-5,9%
  6-7,9%
  8-9,9%

Este anexo contém uma lista de unidades federativas do Brasil por porcentagem de óbitos infantis, índice que representa a quantidade de mortes de crianças no primeiro ano de vida observada durante um determinado ano a cada mil nascidos vivos no mesmo ano.[1]

O Brasil é uma república federativa formada pela união de 26 estados federados e do Distrito Federal. Segundo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2010 3,4% das crianças do país faleceram no primeiro ano de vida. A unidade federativa com o maior percentual é o Amazonas, onde naquele ano morreram 8,5% das crianças com menos de 1 ano de idade, seguido pelo Amapá (7,9%) e Maranhão (7,1%). Já as menores porcentagens são as dos estados do Rio Grande do Sul (2,1%), Rio de Janeiro (2,3%) e Minas Gerais (2,7%).[2]

Por muito tempo grande parte das mortes era causada por doenças infectocontagiosas e problemas durante a gravidez, parto e nascimento, porém com o passar do tempo ocorreram consideráveis melhorias na infraestrutura do sistema de saúde e das habitações brasileiras e nas condições ambientais e nutricionais da população.[3] Atualmente a maior parte dos óbitos são resultados do rendimento familiar, afetando a quantidade e a qualidade da alimentação, as condições médico-sanitárias e as condições das moradias.[4]

Unidades federativas do Brasil por porcentagem de óbitos infantis[editar | editar código-fonte]

Área invadida em Manaus, Amazonas, estado que tem a maior porcentagem de óbitos infantis no Brasil. A falta de planejamento e infraestrutura afeta diretamente as condições médico-sanitárias e das moradias, favorecendo o alto percentual de mortes de crianças.
Hospital Israelita Albert Einstein, na capital do estado de São Paulo, cujo percentual de óbitos infantis é o quarto menor do Brasil.
Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. O estado possui o menor percentual de óbitos infantis do país.
Posição Unidade federativa Óbitos infantis
(%)[2]
1  Rio Grande do Sul 2,1
2  Rio de Janeiro 2,3
3  Minas Gerais 2,7
4  São Paulo 2,7
5  Santa Catarina 2,8
6  Paraná 2,9
7  Espírito Santo 3,2
8  Paraíba 3,2
9  Pernambuco 3,3
10  Rio Grande do Norte 3,3
11  Goiás 3,4
12  Ceará 3,5
13  Distrito Federal 3,6
14  Sergipe 3,8
15 Bahia Bahia 4,1
16  Mato Grosso do Sul 4,2
17  Alagoas 4,4
18  Piauí 4,4
19  Tocantins 4,9
20  Mato Grosso 5,1
21  Rondônia 6,4
22  Roraima 6,5
23 Pará Pará 6,9
24  Acre 7,0
25  Maranhão 7,1
26  Amapá 7,9
27  Amazonas 8,5

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Folha de S. Paulo (16 de novembro de 2011). «Mortalidade infantil cai 85% em 30 anos, segundo IBGE». Consultado em 17 de novembro de 2011.. Cópia arquivada em 16 de março de 2013 
  2. a b Diário do Nordeste (17 de novembro de 2011). «Mortalidade infantil cai 85% em três décadas». Consultado em 17 de novembro de 2011.. Cópia arquivada em 16 de março de 2013 
  3. Portal da Saúde. «Evolução da Mortalidade Infantil no Brasil». Sistema Único de Saúde (SUS). Consultado em 16 de março de 2013.. Cópia arquivada em 16 de março de 2013 
  4. Eduardo de Freita. «IDH brasileiro: Mortalidade infantil no Brasil». Brasil Escola. Consultado em 16 de março de 2013.. Cópia arquivada em 16 de março de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]