Fome no Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Arte criada em forma de protesto contra a Copa do Mundo de 2014, que ocorreu no Brasil.

A fome no Brasil é um problema que ainda persiste no país. Apesar da grande extensão territorial do Brasil e de seu enorme potencial agrícola, problemas como a desigualdade social e a concentração fundiária fazem com que pessoas ainda não tenham o suficiente para sua nutrição, apesar de o país produzir alimentos em quantidade suficiente para toda a sua população.[1][2] Apesar do avanço no combate à fome nos últimos anos, uma pesquisa do IBGE mostrou que, em 2014, 7 milhões de brasileiros ainda passavam fome, e muitos outros tinham alimentação insuficiente.[3]

A luta contra a fome no Brasil teve uma atenção especial durante o governo Lula, quando foram criados programas sociais como o Fome Zero e o Bolsa Família, buscando fazer distribuição direta de renda. Em 2014, pela primeira vez, o Brasil saiu do mapa da fome da ONU.[4][5][6][7]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Produção de alimentos é suficiente para resolver a fome no Brasil». Estadão. ECOando. 17 de fevereiro de 2017. Consultado em 27 de abril de 2021 
  2. «Produção de alimentos é suficiente, mas ainda há fome no país,diz pesquisador». Agência Brasil - Últimas notícias do Brasil e do mundo 
  3. «Mais de 7 milhões de pessoas ainda passam fome no Brasil, mostra IBGE - ISTOÉ Independente». ISTOÉ Independente. 18 de dezembro de 2014 
  4. «Sair do mapa de fome da ONU é histórico, diz governo». Consultado em 2 de Junho de 2017 
  5. «Fome no Brasil». Toda Matéria 
  6. Brasil, Portal. «Fome cai 82% no Brasil, destaca relatório da ONU». Portal Brasil. Consultado em 1 de junho de 2017 
  7. Bizzotto, Marcia (11 de outubro de 2016). «Índice global vê Brasil como exemplo na redução da fome, mas adverte que crise pode reverter sucesso». BBC Brasil (em inglês)