Seca na Região Nordeste do Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Aspecto da Caatinga durante o período seco no Nordeste
Crianças vítimas da seca no Ceará em 1878

A seca na Região Nordeste do Brasil é um fenômeno natural decorrente por falta de chuva na região Nordeste, que apresenta temperaturas elevadas com baixa precipitação pluviométrica durante o ano.[1][2]

O clima semiárido, que predomina em boa parte da região, caracteriza-se por um longo período seco e um curto período de chuvas em poucos meses, que costuma ocorrer notadamente em parte do verão e do outono, sendo que em algumas área quase toda a chuva do ano todo cai nessa época. Em alguns anos, alguns fatores climáticos, como a temperatura da superfície do mar do Atlântico Sul e o El Niño, não favorecem a ocorrência de chuva durante o período que ela costuma ocorrer, fazendo com que as chuvas do restante do ano não supram as necessidades hídricas, ocorrendo então as secas.[3]

Eventos[editar | editar código-fonte]

Desde os tempos da colonização portuguesa, já foram contabilizados 84 períodos de estiagem prolongada.[4] A Grande Seca de 1877–78, a mais grave já registrada,[5] causou cerca de meio milhão de mortes e imigração em massa para outras regiões.[6] Outra em 1915 foi devastadora também.[7]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Seca do Nordeste, Página visitada em 26 de agosto de 2014.
  2. Seca no Nordeste, Página visitada em 26 de agosto de 2014.
  3. FREITAS, Eduardo de. «A Seca no Nordeste». Consultado em 31 de dezembro de 2016. 
  4. «Nordeste brasileiro enfrenta a maior seca de sua história». Veja. 3 de dezembro de 2016. Consultado em 28 de dezembro de 2016. 
  5. Drought, Smallpox, and Emergence of Leishmania braziliensis in Northeastern Brazil (em inglês), Estados Unidos: Centers for Disease Control and Prevention (CDC) 
  6. Ó Gráda, C. Princeton University Press, ed. «Famine: A Short History» (em inglês). Consultado em 21 de setembro de 2013. 
  7. Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) (ed.). «Inland fishery enhancements». Consultado em 21 de setembro de 2009. 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • (PT) Edith Oliveira de Menezes, José Micaelson Lacerda Morais (2002). A seca no Nordeste-desafios e soluções. Editora Atual, 96 pp., ISBN 9788535701180.
Ícone de esboço Este artigo sobre Meteorologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.