Epidemia de chicungunha na América de 2013-2014

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Epidemia de chicungunha na América de 2013-2014
Doença Chicungunha
Vírus Chicungunha (CHIKV)
Origem São Martinho Flag of Saint-Martin (fictional).svg
Local América
Período Dezembro de 2013 - 2015
Estatísticas globais
Casos confirmados 355,000 - 1,000,000+
Mortes 183[1]

A epidemia de chicungunha na América de 2013-2014[2] foi um surto de chicungunha, que se iniciou em dezembro de 2013 e durou até 2015, quando a França confirmou dois casos na ilha caribenha de São Martinho, primeiro caso documentado na América.[3] Esse foi o primeiro surto registrado da doença fora da África tropical e da Ásia

Em 21 de novembro de 2014, a OPS (Organização Pan-Americana da Saúde) havia informado 914 960 casos suspeitos, 15 906 confirmados e 150 vítimas fatais. A chicungunha é uma doença transmitida pela picada dos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus, os quais já chegaram a toda América do Sul. Estes mosquitos africanos também são vetores de outras doenças como a febre amarela e a dengue.[4] Logo após o primeiro caso, a doença começou a se espalhar rapidamente por toda a região do Caribe.

No final do ano, havia se espalhado para a Martinica e Guadalupe, com suspeita de casos em São Bartolomeu. Até o final de janeiro de 2014, os casos haviam sido confirmados em São Bartolomeu, assim como nas Ilhas Virgens BritânicasDominica e Guiana Francesa. Com base em 4.000 casos confirmados e em mais de 30.000 casos suspeitos, a Caribbean Public Health Agency (CARPHA) declarou uma epidemia do vírus em todo o Caribe no início de maio. Até o final de maio, quatro casos de chicungunha haviam sido confirmados na Flórida. Em julho de 2014, havia um número estimado de 355.000 casos no Caribe.[5] Em agosto de 2014, 25 países do Caribe confirmaram pelo menos um caso. [6] A epidemia terminou em 2015.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Número de casos informados de artritis epidémica chikunguña en las Américas - SE 47 (21 de noviembre del 2014)». Organización Panamericana de la Salud. Consultado em 21 de setembro de 2014 
  2. «Fundéu BBVA: "chikunguña", con minúscula y con eñe». N.C.D.N. Agencia EFE. 9 de julho de 2014. Consultado em 20 de novembro de 2014 
  3. «Chikunguña: conoce sobre el virus emergente». elnuevodia.com. 14 de setembro de 2014. Consultado em 17 de setembro de 2014 
  4. «Nueva guía de preparación y respuesta ante eventual introducción del virus chikungunya». www.paho.org . (28 de febrero de 2012). Organización Panamericana de la Salud. Consultado el 5 de diciembre de 2014.
  5. «Chikungunya outbreak exceeds 355,000 cases» (em inglês). Center for Infectious Disease Research and Policy (Universidade de Minnesota). 14 de julho de 2014. Consultado em 19 de março de 2020 
  6. «Chikungunya in the Caribbean» (em inglês). Center for Infectious Disease Research and Policy. 8 de outubro de 2014. Consultado em 19 de março de 2020 
Ícone de esboço Este artigo sobre epidemias ou pandemias é um esboço relacionado ao Projeto Saúde. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.