BR-235

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
BR-235.svg
BR-235
Trecho da BR-235.svg BR-235
BR 235.JPG
Extensão 1772 km
Tipo Rodovia transversal
Limite Leste Aracaju, SE
Limite Oeste Campo de Provas Brigadeiro Velloso (em Novo Progresso), PA
Concessão pública
< BR-235.svg
BR-235
>

A BR-235 é uma rodovia transversal brasileira que liga Aracaju, em Sergipe, ao Campo de Provas Brigadeiro Velloso em Novo Progresso, no Pará. Ao longo do seu percurso, atravessa os estados de Sergipe, Bahia, Pernambuco, Piauí, Maranhão, Tocantins, além do Pará.

É uma das rodovias mais complicadas do Brasil, pois não há asfalto na maior parte da rodovia, e ainda há muitos trechos inexistentes. Basicamente só há asfalto no Estado do Sergipe, entre as cidades de Petrolina(PE) e Remanso(BA), e no trecho entre Guaraí(TO) e Santa Maria do Tocantins(TO). No Maranhão ainda não há nenhum trecho construído da rodovia, enquanto que no Pará o único trecho existente é o pequeno trecho de 21 km entre a travessia do rio Araguaia (via balsa) e a cidade de Santa Maria das Barreiras.

Recuperação[editar | editar código-fonte]

De acordo com o DNIT, órgão responsável pela rodovia, está prevista a recuperação e complementação total da BR-235[1] [2] [3] o que facilitará o acesso e a integração entre o litoral sergipano e, mais notadamente a capital Aracaju, com regiões densamente povoadas do interior do norte-nordeste brasileiro, tais como o pólo de Juazeiro-Petrolina das divisas entre os estados da Bahia e Pernambuco a 422km da capital sergipana[4] , de São Raimundo Nonato, cidade às margens do Parque Nacional Serra da Capivara, mais importante patrimônio pré-histórico do Brasil, que se localiza no estado do Piauí[5] e a 778km do litoral e Palmas, capital do Tocantins a 1637 km do início da rodovia na capital sergipana. Por fim, a BR-235 tem seu fim no estado do Pará, ao passar por regiões que lutam por suas respectivas autonomias federativas: Carajás e Tapajós.[6]

Favorecimento da integração inter-regional[editar | editar código-fonte]

Com a recuperação e implementação efetiva da rodovia, ocorrerá a modernização e estímulo à interiorização do crescimento populacional e econômico das localidades contempladas no norte-nordeste ocasionando, dessa forma, um novo ciclo de desenvolvimento em todo um grande rincão do Brasil.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. "BR-235 na Bahia será recuperada.DNIT vai contratar serviços para quase 400 quilômetros da rodovia." (em português). DNIT. 23 de março de 2011. Consult. 7 de dezembro de 2011. 
  2. "DNIT começa a restauração da BR-235 em Sergipe.Os investimentos garantem obras de conservação e recuperação na rodovia por dois anos." (em português). DNIT. 30 de novembro de 2009. Consult. 7 de dezembro de 2011. 
  3. "DNIT investe mais de R$ 190 milhões em rodovias federais do Piauí.Com a presença do presidente Lula, assinatura da Ordem de Serviço contempla as BRs-235 e 020." (em português). DNIT. 14 de outubro de 2010. Consult. 7 de dezembro de 2011. 
  4. "BR-235/BA: obra beneficiará diretamente cerca de 600 mil habitantes." (em português). Portogente. 22 Janeiro 2015. Consult. 30 Março 2015. 
  5. "BR-235/PI: Construtora só retomará obra se receber os R$ 15 milhões em atraso." (em português). PortalOdia. 12/01/2015. Consult. 30 Março 2015. 
  6. "Trecho de 49 quilômetros da BR-235 conta com pavimentação." (em português). PortalBrasil. 06 de Março 2015. Consult. 30 Março 2015. 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma rodovia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.