BR-163

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde abril de 2015). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
BR-163.svg
BR-163
Trecho da BR-163.svg BR-163
Extensão 3370 km
Tipo Rodovia Longitudinal
Limite Norte Pelotão Especial de Fronteira de Tiriós, Pará
Interseções
Limite Sul São Miguel do Oeste, Santa Catarina
Concessão Rota do Oeste (trecho mato-grossense)

CCR MSVia (trecho sul mato-grossense)

Rodovias do Brasil
Norte
< Pelotão Especial de Fronteira de Tiriós, PA
BR-163.svg
BR-163
Sul
São Miguel do Oeste, SC >

A BR-163 é uma rodovia longitudinal do Brasil. Tem 3467 km de extensão, sendo quase 1000 km não asfaltados. Liga atualmente São Miguel do Oeste, em Santa Catarina, a Santarém, no Pará.

É uma rodovia que integra o Sul ao Centro-Oeste e Norte do Brasil. É asfaltada até Mato Grosso, na cidade de Guarantã do Norte, a 728 km da capital Cuiabá, no extremo norte do estado. Daí, sentido Santarém, PA, são cerca de 500 km de estradas de chão, e o restante do trecho vem sendo asfaltado até a margem direita do Rio Amazonas, onde fica a cidade paraense. Possui fundamental importância para o escoamento da produção da parte paraense da Região Norte e norte da Região Centro-Oeste do Brasil.

Desde 2009 a BR-163 conta com o policiamento de mais 340 agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF), a qual já conta com bases espalhadas pela rodovia, além das que estão em fase de construção para receber os novos policiais. Estima-se que até 80% da estrada está re-pavimentada.[1]

Trajeto[editar | editar código-fonte]

BR-163
Trecho de nome Cuiabá-Santarém
BR-163 entre Cuiabá e Santa Catarina (trecho São Miguel do Oeste SC - Tenente Portela RS está sob concessão estadual)
Cidade de Dourados, importante entroncamento da BR-163
Cidade de Cascavel (Paraná), outro importante entroncamento da BR-163
Trecho da BR-163 que coincide com os das BR-070 e BR-364, perto de Cuiabá, no Mato Grosso.

Liga os estados do Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Pará. De Tenente Portela-RS até Cascavel-PR possui pista simples, com largura de 6,6m e acostamento reduzido. Esse trecho está em fase de alargamento. A partir de Cascavel em direção norte, a rodovia dá acesso também para Ponta Porã, Porto Murtinho (acessos para o Paraguai) e Corumbá (acesso para a Bolívia). A Cuiabá-Santarém (com 1780 km total) liga a capital do Mato Grosso, Cuiabá, a Santarém, no Pará. Essa rodovia compreende as seguintes localidades:

Pará[editar | editar código-fonte]

Aqui a estrada atravessa uma das regiões mais ricas do País em recursos naturais e potencial econômico, sendo marcada pela presença de importantes biomas brasileiros, como a Floresta Amazônica e o Cerrado e áreas de transição entre eles, além de bacias hidrográficas importantes, como a do Amazonas, do Xingu e Teles Pires-Tapajós. No lado norte do Rio Amazonas, também existem os trechos entre Alenquer e a localidade de Onças, em Oriximiná, além do trecho entre a Cachoeira Porteira no Rio Trombetas e o final da rodovia, logo após o entroncamento com a BR-210, também em Oriximiná. Este último trecho possui um total de 233 km e está entre os trechos rodoviários mais isolados do Brasil, e o local com uma das maiores possibilidades de chuva.

Mato Grosso[editar | editar código-fonte]

Desflorestamento em 2014

A Cuiabá-Santarém (com 1780 km total) liga a capital do Mato Grosso, Cuiabá, a Santarém, no Pará.

Mato Grosso do Sul[editar | editar código-fonte]

Em 2014 a rodovia foi privatizada no trecho Mato Grosso do Sul, sendo que a CCR venceu o leilão de concessão e irá operar todo trecho através da MSVia[2], e assim iniciou a obra de duplicação nesse trecho. A rodovia é o principal corredor de exportação do estado do Mato Grosso do Sul para atingir os portos dos estados do Paraná e Santa Catarina. Aqui a rodovia dá acesso também para Ponta Porã, Porto Murtinho (acessos para o Paraguai) e Corumbá (acesso para a Bolívia).

Paraná[editar | editar código-fonte]

Aqui a rodovia passa por importantes cidades como Cascavel e Toledo. Trecho que está em fase de duplicação.

Santa Catarina[editar | editar código-fonte]

É aqui que a rodovia ganha o status de centro rodoviário escoador do Brasil, mais notadamente a partir de São Miguel do Oeste.

Referências

  1. [1]
  2. «www.msvia.com.br/». Consultado em 15/12/2014. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma rodovia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.