Lucas do Rio Verde

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Rio Verde, veja Rio Verde (desambiguação).
Município de Lucas do Rio Verde
"LRV"
"Lucas"
"Cidade Modelo"
Avenida Goiás, uma das mais importantes do município.

Avenida Goiás, uma das mais importantes do município.
Bandeira de Lucas do Rio Verde
Brasão de Lucas do Rio Verde
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 5 de agosto
Fundação 5 de agosto de 1982 (34 anos)
Emancipação 4 de julho de 1988 (28 anos)
Gentílico luverdense
Lema "Fazendo o melhor pela vida"
Padroeiro(a) Nossa Senhora de Fátima
CEP 78455-000
Prefeito(a) Otaviano Pivetta (PSB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Lucas do Rio Verde
Localização de Lucas do Rio Verde no Mato Grosso
Lucas do Rio Verde está localizado em: Brasil
Lucas do Rio Verde
Localização de Lucas do Rio Verde no Brasil
13° 01' 59" S 55° 56' 38" O13° 01' 59" S 55° 56' 38" O
Unidade federativa  Mato Grosso
Mesorregião Norte Mato-grossense IBGE/2008[1]
Microrregião Alto Teles Pires IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes
Distância até a capital
Características geográficas
Área 3 645 km² (BR: 414º)[2]
Distritos Groslândia
População 59 436 hab. (MT: 8º) – estimativa populacional - IBGE/2016[3]
Densidade 16,31 hab./km²
Altitude 398[4] m
Clima Tropical Aw
Fuso horário UTC−4
Indicadores
IDH-M 0,768 (MT: 2º) – alto PNUD/2010[5]
Gini 0,46 PNUD/2010[6]
PIB R$ 2 416 420,179 mil (MT: 7º BR: 311º) – IBGE/2010[7]
PIB per capita R$ 51 771,45 IBGE/2008[7]
Página oficial
Prefeitura www.lucasdorioverde.mt.gov.br

Lucas do Rio Verde é um município brasileiro no interior do estado de Mato Grosso, Região Centro-Oeste do país. Pertence a microrregião de Alto Teles Pires e mesorregião do Norte Mato-grossense, distante 334 km a norte de Cuiabá, capital estadual. Localiza-se a uma latitude 13° 01' 59" sul e a uma longitude 55° 56' 38'' oeste, estando a uma altitude de 398 metros. Sua população foi estimada em 2016 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística em 59.436 habitantes [8], sendo assim o oitavo município mais populoso do estado de Mato Grosso e o 34º mais populoso da região Centro-Oeste do país. Ficou em segundo lugar entre as 50 cidades pequenas mais desenvolvidas do país, apontado pela Revista Exame no ano de 2016[9], a mesma revista indica que o município se encaixa na quinta colocação entre as melhores cidades do Brasil para se fazer negócios, feita pela consultoria Urban systems que pontuou o município em 14,01 pontos, em uma escala que ia até 30.[10]

Fruto da política de integração nacional do governo militar, a obra de abertura da rodovia BR-163 feita pelo 9º Batalhão de Engenharia de Construção (BEC), na segunda metade da década de 70, mobilizaram os primeiros colonizadores para esta região,[11] mas somente após os anos de 1981, quando o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCA) começou a implantação do projeto de assentamento de 203 famílias de agricultores sem-terra oriundas de Encruzilhada Natalino, interior do município de Ronda Alta, no Rio Grande do Sul, que se formou a comunidade que deu origem ao município.[12]

A sede municipal tem uma temperatura média anual de 27,7 °C e a vegetação varia entre Cerrado e Floresta Amazônica, localizando-se, neste modo, numa área de transição. Com 93,19% da população vivendo na zona urbana, o município contava com 28 estabelecimentos de saúde em 2009,[13] e o seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M) é de 0,768, considerando-se como alto, acima da média estadual, e ocupando a segunda colocação no ranking estadual.[14]

História[editar | editar código-fonte]

A colonização foi incentivada pelo regime militar que pretendia ocupar os "vazios demográficos do país". A cidade se originou através de um Projeto de Assentamento do INCRA. Vários colonos do sul do país foram assentados em lotes de 200 ha. Na segunda metade da década de 70, nós do INCRA de Diamantino, trabalhamos nesta área. Informações oficiais e seguras, consultem o INCRA de Cuiabá. Fortaleza-CE.

Lucas do Rio Verde é uma cidade que se desenvolveu muito rápido, pois até o final dos anos 90 não era servida a rede de energia elétrica, possuía apenas motores geradores a óleo para o abastecimento da cidade.

Até o início dos anos 2000, a cidade era predominantemente sulista, mas com a divulgação do prodígio dos monocultores pessoas de várias regiões do país migraram para a cidade, principalmente depois da chegada de empresas multinacionais.

O dia 5 de agosto de 1982 passou a ser comemorado a data de fundação da agrovila, ainda então pertencente ao município de Diamantino. Em 17 de março de 1986, o núcleo urbano foi elevado à condição de Distrito e no dia 4 de julho de 1988, quando a sua emancipação política-administrativa, já contava com 5.500 habitantes.

Pressionadas pelas inúmeras dificuldade daquele período, muitas deles desistiram de seus senhos e outras perderam terreno para a agricultura extensiva que começava a ocupar a vastidão do cerrado.

Três décadas depois da instalação acompanhamento do 9º BEC, às margens do Rio Verde, esta moderna e dinâmica cidade cujo nome rende uma homenagem a Francisco Lucas, antigo seringalista e desbravador da região, em nada lembra aquele vilarejo onde tudo era difícil e precário.

Origem do nome[editar | editar código-fonte]

Francisco Lucas de Barros

A denominação é relacionada ao rio Verde, curso d’água que corta o território municipal, assim chamado pela cor esverdeada devido a sua profundeza, apresenta em homenagem a Francisco Lucas de Barros, um dos pioneiros e um dos únicos desbravadores do médio norte mato-grossense e norte mato-grossense.

Francisco Lucas de Barros era um seringalista, que desbravava as regiões pouco habitadas do centro-oeste brasileiro, tendo a sua origem desconhecida.

Este homem, afeito à rudeza da selva, via na extração do látex sua motivação de vida. Profundo conhecedor da região, teve seu nome perpetuado pela história ao emprestá-lo ao município de Lucas do Rio Verde, que hoje é umas das principais cidades de Mato Grosso e uma das únicas que levam em seu nome a de seu pioneiro.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município de Lucas do Rio Verde está localizado na mesorregião do Norte Mato-Grossense e microrregião de Alto Teles Pires, no estado de Mato Grosso,[15] distante 334 km de Cuiabá, capital estadual,[16] e 1 401 km de Brasília, capital federal.[17] Ocupa uma área de 366,994 km²,[2] e se limita com os municípios de Nova Mutum a sul, Sorriso a leste, norte e Tapurah a oeste.[18]

O relevo do município varia de trezentos e oitenta a quatrocentos metros de altitude acima do nível do mar,[19] contendo uma depressão de aproximadamente dez metros ao leste do centro da cidade, onde se encontra uma área de preservação permanente, o Parque dos Buritis e o Lago Ernani José Machado, dividindo a cidade ao meio. A partir de alguns bairros é possível visualizar o panorama da cidade.

Encontro das águas do rio Verde e Teles Pires, em Sinop.

O principal rio que corta o município é o rio Verde, que origina o nome da cidade por possuir uma tonalidade esverdeada devido a sua profundidade, [20] tendo a sua nascente a mais de 300 km, no município de Nobres, próximo ao Parque Estadual Águas do Cuiabá, em Rosário Oeste, desemboca no Teles Pires, afluente do Rio Tapajós e por fim no Rio Amazonas. O rio Verde tem diversos fozes dentro do município, o principal é o Córrego Lucas que se estende por três bairros, entre eles o Centro.

O tipo de solo predominante é o latossolos vermelho-amarelo distrófico, que corresponde a aproximadamente oitenta por cento do território, contendo baixo teor de fósforo e pouca quantidade de água disponível às plantas.[21] Possui também a areia quartzosa e solo hidromórfico, esses são os outros dois tipos de solos que podem ser encontrados na região, geralmente próximos a rios e córregos.[22]

A vegetação nativa do município varia entre o Cerrado e a Floresta Amazônica, tipico do médio norte mato-grossense, por conter o bioma amazônico, pertence a amazônia legal, uma área criado pelo governo brasileiro como forma de planejar e promover o desenvolvimento social e econômico dos estados da região amazônica, que historicamente compartilham os mesmos desafios econômicos, políticos e sociais.[23]

Clima[editar | editar código-fonte]

Maiores acumulados de precipitação em 24 horas registrados em
Lucas do Rio Verde por meses (ANA, 1974-presente)[24]
Mês Acumulado Data Ref Mês Acumulado Data Ref
Janeiro 146,2 mm 23/01/1998 [25] Julho 10 mm 07/06/1975 [26]
Fevereiro 109,5 mm 20/02/2011 [27] Agosto 10,5 mm 30/08/2002 [28]
Março 92,2 mm 21/03/1974 [29] Setembro 92,2 mm 22/09/2009 [30]
Abril 70 mm 17/04/1982 [31] Outubro 105 mm 25/10/2006 [32]
Maio 53,4 mm 01/05/1979 [33] Novembro 103,7 mm 10/11/2008 [34]
Junho 38,6 mm 24/06/1980 [35] Dezembro 130,1 mm 24/12/2011 [36]

O clima de Lucas do Rio Verde é caracterizado como tropical de savana (do tipo Aw na classificação climática de Köppen-Geiger),[37] com temperatura média anual de 27,7 °C e precipitação média de 2 071 milímetros (mm) anuais, concentrados entre os meses de outubro e março, sendo janeiro o mês de maior precipitação (349 mm) e agosto com o menor acumulo (3 mm).O tempo médio de insolação é de aproximadamente 1 500 horas anuais, com umidade relativa do ar de 81%. Na época da estação seca há registros de fumaça de queimadas em plantaçoes de milho e em áreas de preservação permanente na região urbana do município,[38] enquanto no período chuvoso podem ocorrer alagamentos localizados, principalmente nas áreas de depressão geográfica.[39].

Os verões são os meses que mais possuem as mais baixas temperaturas máximas medias, isso ocorre devido a grande nebulosidade que predomina, podendo a ver chuvas torrenciais durante dias, as tempestades com descargas elétricas e rajadas de vento também são comuns, a umidade são bastante elevadas, podendo chegar a cem por cento no período noturno, nas manhas podem ocorrer nevoeiro e neblina, a quantidade de infestação de insetos nesse período aumente devido ao fim do período de seca.[40] De forma geral, o estado de Mato Grosso possui temperaturas elevadas durante todas as estações do ano, especialmente no inverno com a falta de chuvas durantes meses, as tardes de julho, agosto e setembro podem registrar temperaturas muito altas, que variam de 35 °C a 40 °C principalmente no período da tarde, junto a baixa umidade do ar. As noites e manhãs podem registrar temperaturas baixas entre 10 °C e 15 °C, essa amplitude térmica é muito comum na região, por falta de nebulosidade devido a diversos bloqueios atmosféricos que atuam na região nesse período.[41]

Segundo dados da Agência Nacional de Águas (ANA), desde 1974 o maior acumulado de precipitação (chuva) em 24 horas registrado em Lucas do Rio Verde foi de 146,2 mm em 23 de janeiro de 1998.[42] Outros grandes acumulados foram 130,1 mm em 24 de dezembro de 2011;[43] 128,9 mm em 29 de dezembro de 2005;[44] 121,5 mm em 31 de dezembro de 2009;[45] 120 mm em 26 de janeiro de 2000;[46] 109,5 mm em 20 de fevereiro de 2011;[47] 105,4 mm em 04 de fevereiro de 1976;[48]105 mm em 04 de dezembro de 2007;[49] 104 mm em 12 de março de 1983[50] e 08 de fevereiro de 1980;[51] 103,7 mm em 10 de novembro de 2008;[52] 101,2 mm em 02 de dezembro de 1974;[53] 100,5 mm em 06 de fevereiro de 2011[54]. Em fevereiro de 1980 foi registrado o maior volume de precipitação em um mês, de 661 mm.[55]


Dados climatológicos para Lucas do Rio Verde
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima absoluta (°C) 38,1 41,6 35,9 39,0 39,2 38,0 39,5 41,5 43,6 41,0 40,3 39,2 43,6
Temperatura máxima média (°C) 30,6 30,7 31,7 31,4 31,5 31,7 32,9 32,9 33,7 32,7 31,1 31,6 31,0
Temperatura média (°C) 28,5 28,5 28,5 28,0 26,5 25,5 25,0 27,0 28,5 29,5 29,0 28,5 27,7
Temperatura mínima média (°C) 24,0 24,3 24,1 23,6 21,1 19,6 18,0 20,5 22,6 24,6 24,9 24,0 22,5
Temperatura mínima absoluta (°C) 15,9 18,0 13,2 14,2 10,8 7,9 6,0 8,0 12,0 17,0 15,0 17,9 6,0
Precipitação (mm) 349,0 340,7 378,4 139,5 37,0 16,0 4,3 3,1 67,4 176,8 246,5 312,8 2 079,6
Umidade relativa (%) 81,3 87 86,6 83,2 81,8 78,6 73,5 72,6 75,1 81,6 85,4 84,6 81,2
Horas de sol 131 128 125 122 119 118 119 121 124 127 131 132 1 497
Fonte: Foreca/MSN[56]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Crescimento populacional
Censo Pop.
1991 6 693
2000 19 316 188,6%
2010 45 556 135,8%
Est. 2016 59 436 [57] 207,7%
Censos demográficos do
IBGE (1991-2010).[58]

A população de Lucas do Rio Verde no censo demográfico de 2010 era de 45 556 habitantes, sendo o oitavo município mais populoso de Mato Grosso, apresentando uma densidade populacional de 16,31 hab./km².[59] Desse total, 42 455 habitantes viviam na zona urbana (93,19%) e 3 101 na zona rural (6,81%). Ao mesmo tempo, 24 016 eram do sexo masculino (52,72%) e 21 540 do sexo feminino (47,28%), tendo uma razão de sexo de 111,49.[60][61] Quanto à faixa etária, 11 539 habitantes tinham menos de 15 anos (25,33%), 33 010 entre 15 e 64 anos (72,46%) e 1 007 possuíam 65 anos ou mais (2,21%).[62] Ainda segundo o mesmo censo, a população era formada por 24 618 brancos (54,04%), 18 221 pardos (40,00%), 2 305 pretos (5,06%) e 401 amarelos (0,88%).[63]

Levando-se em conta a nacionalidade da população, 45 467 habitantes eram brasileiros natos (99,81%) e quarenta e sete eram estrangeiros (0,10%).[64] Em relação à região de nascimento, 19 671 no Centro-Oeste (43,18%), 15 438 no Sul (33,89%), 6 982 eram nascidos na Região Nordeste (15,33%), 2 224 no Sudeste (4,88%) e 744 no Norte (1,63%) e além de 408 sem especificação (0,90%). 17 137 habitantes eram naturais de Mato Grosso (37,62%) e, desse total, 7 458 nascidos em Lucas do Rio Verde (16,37%). Entre os naturais de outras unidades da federação, havia 8 037 paranaenses (17,64%), 4 632 gaúchos (10,17%), 3 385 maranhenses (7,43%), 2 768 catarinenses (6,08%), 2 050 sul-matogrossenses (4,50%), 1 478 pernanbucanos (3,25%), 1 385 paulistanos (3,04%), 718 piauienses (1,58%), 586 mineiros (1,29%), 542 paraibanos (1,19%), 447 goianos (0,98%), 433 bahianos (0,95%), 389 paraenses (0,85%), 161 capixabas (0,35%) e 108 rondoniense (0,24%).[65][66] Para 2016, a estimativa populacional é de 59 436 habitantes.[67]

O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M) do município é considerado alto, de acordo com dados do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Segundo dados do relatório de 2010, divulgados em 2013, seu valor era de 0,768, sendo o segundo maior de Mato Grosso (PNUD) e o 249 º do Brasil.[68] Considerando-se apenas o índice de longevidade, seu valor é de 0,833, o valor do índice de renda é de 0,766 e o de educação é de 0,710.[69] No período de 2000 a 2010, o índice de Gini reduziu de 0,53 para 0,46 e a proporção de pessoas com renda domiciliar per capita de até R$ 140 passou de 4,47% para 2,64%, apresentando uma queda de 56,33%. Em 2010, 95,3% da população vivia acima da linha de pobreza, 3,6% entre as linhas de indigência e de pobreza e 1,1% abaixo da linha de indigência. No mesmo ano, os 20% mais ricos eram responsáveis por 51,4% no rendimento total municipal, dez vezes superior à dos 20% mais pobres, que era de apenas 4,9%.[62][70]

Religião[editar | editar código-fonte]

Arte sacra feito pela artista Mari Bueno na Igreja Rosa Mística, inaugurada em 2014.

Conforme divisão oficial da Igreja Católica, Lucas do Rio Verde está inserido na Diocese de Diamantino. A paróquia de Lucas do Rio Verde, cuja padroeira é Nossa Senhora do Rosário de Fátima, foi criada em 1982 e abrange geograficamente a cidade de Lucas do Rio Verde, o distrito de Groslândia e outras doze agrovilas, dividindo-se em 20 comunidades, 6 delas localizadas em zona urbana e quatorze em áreas rurais.[71] No censo de 2010 o catolicismo romano era a religião da maioria da população, com 29 157 adeptos, ou 70,7% dos habitantes.[72]

Lucas do Rio Verde também possui alguns credos protestantes ou reformados. Em 2010, 11 760 habitantes se declararam evangélicos (14,67%), sendo que 6 683 pertenciam às evangélicas de origem pentecostal (3,23%), 3 482 às evangélicas de missão (7,64%) e 1 595 a igrejas evangélicas não determinadas (3,50%). Das igrejas evangélicas pentecostais, 3 346 pertenciam à Assembleia de Deus (7,35%), 613 à Igreja do Evangelho Quadrangular (1,35%), 521 à Congregação Cristã no Brasil (1,14%), 250 à Igreja Deus é Amor e 1 470 a outras igrejas pentecostais. Em relação às evangélicas de missão, 1 563 eram batistas (3,43%), 762 luteranos (1,67%), 698 adventistas (1,53%), 357 presbiterianos (0,78%) e 52 congregacionais (0,11%).[73]

Além do catolicismo romano e do protestantismo, também existiam 329 espíritas (0,72%), 79 testemunhas de Jeová (0,17%), 23 esotéricos (0,05%) e seis budistas (0,01%). Outros 3 237 não tinham religião (7,10%) e 51 se declaravam ateus (0,11%); 259 pertenciam a outras religiosidades cristãs (0,57%) e 67 não souberam (0,15%).[73]

Política[editar | editar código-fonte]

Paço Municipal de Lucas do Rio Verde, sede do poder executivo luverdense.

O poder executivo do município de Lucas do Rio Verde é representado pelo prefeito, auxiliado pelo seu gabinete de secretários, em conformidade ao modelo proposto pela Constituição Federal. Ele é eleito pelo voto direto para um mandato de quatro anos, podendo ser reeleito para um segundo mandato consecutivo.[74][75] O primeiro chefe do executivo municipal foi Werner Haroldo Kothrade, em 1988, e o atual é Otaviano Pivetta (PSB),[76] eleito nas eleições municipais de 2012 com 54,57% dos votos válidos,[77] tendo como vice-prefeito Miguel Vaz (PPS).[78]

Palácio do Cidadão, sede do poder legislativo no município.

O poder legislativo é constituído pela câmara municipal, formada por nove vereadores eleitos para mandatos de quatro anos. Na atual legislatura, iniciada em 2013, é composta por duas cadeiras do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), duas do Partido dos Trabalhadores (PT), uma do Partido Socialista Brasileiro (PSB), uma do Partido Popular Socialista (PPS), uma do Partido Social Democrático (PSD), uma do Partido Verde (PV) e uma do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB).[79] Cabe à casa elaborar e votar leis fundamentais à administração e ao executivo, especialmente o orçamento municipal (conhecido como Lei de Diretrizes Orçamentárias).[80]

Em complementação ao processo legislativo e ao trabalho das secretarias, existem também alguns conselhos municipais em atividade: Direito da Criança e do Adolescente, Direitos do Idoso, Segurança e Antidrogas, Cultura, Habitação, Educação, Saúde, das Mulheres, Cidade e Tutelar.[81] Lucas do Rio Verde se rege pela sua lei orgânica, promulgada em 17 de outubro de 2005,[80] e abriga uma comarca do poder judiciário estadual, de primeira entrância.[82] De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, Lucas do Rio Verde possuía, em junho de 2016, 38 384 eleitores, o que representa 1,692% do eleitorado de Mato Grosso.[83]

Economia[editar | editar código-fonte]

BR-163, principal rota do escoamento da produção de Mato Grosso, em 2013.

Em 2013, o Produto Interno Bruto do município era de R$ 2 483 215 mil reais, dos quais R$ 460 532 mil do setor terciário; R$ 224 613 mil da administração, saúde e educação e seguridade social; R$ 308 998 mil de impostos sobre produtos líquidos de subsídios a preços correntes; R$ 460 532 mil da indústria e R$ 476 315 mil do setor primário. O PIB per capita é de R$ 45 728,29.[84]

Havan, maior loja de departamento da região.

Segundo o IBGE, em 2014 o município possuía um rebanho de 4 431 446 galináceos (frangos, galinhas, galos e pintinhos), 124 948 suínos, 17 583 bovinos, 1 614 ovinos, 326 equinos e cinquenta e sete caprinos .[85] Na lavoura temporária de 2014 foram produzidos milho (765 600 t), soja (718 903 t), algodão (78 986 t), feijão (18 930 t), sorgo (6 600 t), arroz (3 540 t), tomate (2 100 t), mandioca (1 400 t), melancia (750 t), girassol (225 t) e melão (8 t)[86] e na lavoura permanente coco-da-baía (sessenta mil frutos), borracha (200 t), limão (96 t), banana (75 t) e tangerina (40 t).[87] Ainda no mesmo ano o município também produziu 1 550 mil leite de litros de 926 vacas ordenhadas; 6 624 dúzias de ovos de galinha e 4 100 quilos de mel de abelha.[85]

Em 2010, considerando-se a população municipal com idade igual ou superior a dezoito anos, 78,9% eram economicamente ativas ocupadas, 16,2% inativas e 4,9% ativas desocupadas. Ainda no mesmo ano, levando-se em conta a população ativa ocupada na mesma faixa etária, 37,19% trabalhavam no setor de serviços, 17,80% em indústrias de transformação, 16,77% no comércio, 12,82% na agropecuária, 8,80% na construção civil e 0,41% na utilidade pública.[88] Conforme a Estatística do Cadastral de Empresas de 2014, o município possuía, no ano de 2014, 2 387 unidades locais, 2 305 delas atuantes. Salários juntamente com outras remunerações somavam 498 623 mil reais e o salário médio mensal de todo o município era de 2,8 salários mínimos.[89]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Lei 15/89 que autoriza o chefe executivo municipal a assinar contrato para a execução da rede telefônica no município, datada em 20 de Março de 1989.

O município possuía, em 2010, 13 769 domicílios, sendo 12 921 na zona urbana (93,84%) e 848 na zona rural (6,16%). Desse total, 6 246 eram próprios (45,36%), dos quais 5 033 já quitados (36,55%) e 1 213 em processo de aquisição (8,81%); 6 220 alugados (45,17%) e 1 270 cedidos (9,22%), sendo 737 por empregador (5,35%) e 533 de outra maneira (3,87%). Outros trinta e três eram ocupados sob outras condições (0,24%).[90]

O serviço de abastecimento de água é feito pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Lucas do Rio Verde (SAAE).[91] Em 2010, 12 567 domicílios eram abastecidos pela rede geral (91,27%); 1 148 através de poços ou nascentes (8,34%); 12 por meio de rio(s), açude(s), lago(s) e/ou igarapé(s) (0,09%); um a partir da água da chuva (0,01%), um de carro-pipa (0,019%) e três de outras maneiras (0,02%).[92] A empresa responsável pelo fornecimento de energia elétrica é o Grupo Energisa.[93] A voltagem nominal da rede é de 127 volts.[94] Do total de domicílios, 13 756 tinham eletricidade (99,91%), dos quais 13 633 da companhia distribuidora (99,01%) e 123 de outra(s) fonte(s) (0,89%) e treze não possuíam (0,09%).[95] O lixo era coletado em 12 912 domicílios (93,78%), 12 765 por meio de serviço de limpeza (92,71%) e cento e quarenta e sete por meio de caçambas (1,07%).[96] Todo o lixo produzido no município é destinado ao Ecoponto Municipal, para a separação e destinação correta; Lucas do Rio Verde é a primeira de Mato Grosso e a terceira do Brasil a possuir coleta cem por cento mecanizada, modelo adotado pelo município começou a ser instituído em 2013, com o Plano Municipal de Resíduos Sólidos, conforme determina a Política Nacional de Resíduos Sólidos.[97]

O código de área (DDD) de Lucas do Rio Verde é 065[98] e o Código de Endereçamento Postal (CEP) é 78455-000.[99] Em 2016, Lucas do Rio Verde possuía três jornais, três revistas em circulação e três emissoras de rádio, uma em modulação em amplitude (AM) e duas em frequência (FM). São elas Rádio Atitude AM 670; a Alternativa FM 104,9 e Regional FM 102,3. No dia 8 de janeiro de 2009 o município passou a ser servido pela portabilidade, juntamente com outras cidades de DDDs 065 e estados de São Paulo (DDD 18), Rio Grande do Sul (51 e 55), Tocantins (63) e Amazonas (92 e 97).[100] Conforme dados do censo de 2010, 10 471 domicílios tinham somente telefone celular (76,16%), 2 808 possuíam celular e fixo (20,43%) e 101 apenas telefone fixo (0,74%).[101] Desde 2016, Lucas do Rio Verde passou a contar com o sinal digital da TV Centro América Norte afiliada da Rede Globo, sediada em Sinop, que passa a ser geradora de conteúdo, além, existem três com sede própria no município. São elas TV Conquista, afiliada da Rede Record; TV Rio Verde, afiliada do SBT e TV Lucas, afiliada da RedeTV!.[102]


Saúde[editar | editar código-fonte]

PSF I e II no bairro Rio Verde.

A rede de saúde Lucas do Rio Verde possuía, em 2009, 28 estabelecimentos (15 públicos e treze privados ), sendo que 3 deles prestavam atendimento ao Sistema Único de Saúde (SUS), com um total de 38 leitos para internação (19 publico e dezenove particulares).[103] Em dezembro de 2009 , a rede profissional de saúde do município era constituída por 89 médicos, 35 técnicos de enfermagem, 20 cirurgiões-dentistas, 16 enfermeiros e farmacêuticos, 12 auxiliares de enfermagem, dez fisioterapeutas, quatro fonoaudiólogos e psicólogos, três assistentes sociais e nutricionistas, totalizando 212 profissionais.[104]

No mesmo ano, a expectativa de vida ao nascer era de 74,9 anos, a taxa de mortalidade infantil de 20,4 por mil nascimentos e a taxa de fecundidade de 2,0 filhos por mulher.[105] Segundo dados do Ministério da Saúde, 71 casos de AIDS foram registrados no município entre 1990 e 2012 e, de 2001 a 2011, foram notificados 2 252 casos de dengue, 547 de leishmaniose e um de malária.[106] Em 2014, 99,6% das crianças menores de um ano de idade estavam com a carteira de vacinação em dia[107] e, dentre as crianças menores de dois anos foram pesadas pelo Programa Saúde da Família (PSF), 0,87% estavam desnutridas.[108]

Hospital São Lucas, em ampliação, julho de 2016.

O município conta hoje com apenas um hospital, sendo ele filantrópico, administrado pela Fundação Luverdense de Saúde, inaugurado em 2003 com uma área de 2 508,16 m².[109] Atualmente ele está em fase de ampliação, a previsão de inauguração é para o segundo semestre de 2016. Quando inaugurado ira contar com novos 22 leitos para maternidade, 9 UTIs pediátricas, doze UTIs adultas e seis salas cirúrgicas. O novo bloco tem 1.815,86 m² no piso térreo e 1.486,23 m² no piso superior, totalizando uma área de 5.810,19 m² entre o novo e o velho bloco, após ser concluída a nova área, o antigo bloco passara por uma reforma estrutural.[110]. O projeto tem como objetivo transformar o Hospital São Lucas em uma unidade referente na região médio norte mato-grossense[111]. Ainda no município, está sendo construído uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24h, próximo ao hospital, que contara com serviços prestados por um clínico geral e pediatra, sala de acolhimento com uso do protocolo de Manchester, salas de observações, sala de emergência, raio X e sala de apoio policial.[112]

Educação[editar | editar código-fonte]

IDEB de Lucas do Rio Verde[113]
Ano Anos
iniciais
Anos
finais
2005 4,4 4
2007 4,9 4,4
2009 5,8 4,5
2011 6,1 5
2013 6,3 5,1
2015 6,4 5,2

O fator "educação" do IDH no município atingiu em 2010 a marca de 0,710,[114] ao passo que a taxa de alfabetização da população acima dos dez anos indicada pelo último censo demográfico do mesmo ano foi de 96,9% (97% para os homens e 96,8% para as mulheres).[115] As taxas de conclusão dos ensinos fundamental (15 a 17 anos) e médio (18 a 24 anos) era de 54,4% e 40,4%, respectivamente, e o percentual de alfabetização da população entre 15 e 24 anos de 95,7%.[113]

Campus Avançado do IFMT, inaugurado em 2015.

Ainda em 2010, o município possuía uma expectativa de anos de estudos de 10,21 anos, valor superior à média estadual (9,29 anos). O percentual de crianças de cinco a seis anos na escola e de onze a treze anos cursando o fundamental era de 75,9%. Entre os jovens, a proporção na faixa de quinze a dezessete anos com fundamental completo era de 69,2% e de 18 a 24 anos com ensino médio completo de 48,6%. Considerando-se apenas a população com idade maior ou igual a 25 anos, 62,36% tinham ensino fundamental completo, 43% o médio completo, 4,3% eram analfabetos e 10,7% possuíam superior completo.[116] Em 2014, a distorção idade-série entre alunos do ensino fundamental, ou seja, com idade superior à recomendada, era de 5% para os anos iniciais e 12,8% nos anos finais, sendo essa defasagem no ensino médio de 21,5%.[113]

Em 2015 Lucas do Rio Verde possuía uma rede de 17 escolas de ensino fundamental (com 386 docentes), 12 do pré-escolar (106 docentes) e seis de ensino médio (148 docentes).[117] Entre as instituições de ensino superior que possuem campus no município estão a Faculdade La Salle[118] e o Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT).[119]

No ano de 2015 o não governamental Instituto Alfa e Beto, destacou que Lucas do Rio Verde tem a melhor educação municipal da região Centro-Oste e está entre as quatro melhores de todo o país. O instituto utiliza como base os resultados obtidos na Prova Brasil, exame do governo federal que avalia estudantes ao final dos anos iniciais e anos finais do ensino fundamental e que influenciam na formação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB).[120]

Criminalidade e segurança pública[editar | editar código-fonte]

A provisão de segurança pública de Lucas do Rio Verde é dada por diversos organismos. A Prefeitura mantém uma Guarda Municipal, que foi criada em 1999 tem por finalidade a organização e fiscalização do Trânsito Municipal, bem como, proteção dos bens, serviços e instalações municipais, e, mediante convênio, a colaboração com as Polícias Civil e Militar Estaduais.[121] O Conselho Municipal de Segurança Publica (CONSEG) se responsabiliza por ações preventivas, assistenciais, recuperativas e de socorro em situações de risco público e foi criado em 1997.[122] A Polícia Militar, uma força estadual, é a responsável pelo policiamento ostensivo, o patrulhamento bancário, ambiental, prisional, escolar e de eventos especiais, além de realizar ações de integração social. O município faz parte da 13ª Batalhão da Polícia Militar e sedia o 14º Comando Regional,[123] que responde pela segurança pública de 13 municípios do médio norte mato-grossense, com um efetivo de 63 homens dentro do município.[124] Já a Polícia Civil tem o objetivo de combater e apurar as ocorrências de crimes e infrações.[125]

Segundo o Mapa da Violência de 2014, com dados relativos a 2012, divulgados pelo Instituto Sangari, dos municípios com mais de vinte mil habitantes, a taxa de homicídios no município foi de 20,2 para cada 100 mil habitantes, ficando na 1151ª posição a nível nacional.[126] O índice de suicídios naquele ano para cada 100 mil habitantes era de 0,0, sendo o 1322° a nível nacional.[127] Já em relação à taxa de óbitos por acidentes de trânsito, o índice foi de 32,3 para cada grupo de 100 mil habitantes, 421° a nível nacional.[128]

Transporte[editar | editar código-fonte]

Rodovia estadual em Lucas do Rio Verde
MT-449 sentido região central do município.
MT-449 na saída para Tapurah.

A frota municipal no ano de 2015 era de 12 406 automóveis, 9 587 motocicletas, 5 250 motonetas, 4 575 caminhonetes, 1 745 caminhões, 1 196 caminhões-trator, 720 camionetas, 303 utilitários, 158 ônibus, 63 micro-ônibus, além de 2 826 em outras categorias, totalizando 38 833 veículos.[129] Há ainda transporte público. Em 2016 uma empresas faziam o Serviço de Transporte Coletivo Urbano, que possuía 17 veículos em operação. Não havia linhas que atendem a zona rural.,[130]

No transporte rodoviário, Lucas do Rio Verde possui um terminal rodoviário[131] e é cortado por uma rodovia federal: a BR-163, rodovia longitudinal que faz a ligação entre Cuiabá, capital estadual, e Santarém, no Pará[132], além da MT-449, rodovia estadual que interliga Lucas do Rio Verde a outros municípios do norte mato-grossense.[133]

No transporte aéreo, Lucas do Rio Verde conta com o Aeroporto Bom Futuro (IATA: LVR - ICAO: SILC) é localizado a cerca de 3,75 km do Centro, conta com voos diários para a capital, Cuiabá e o município de Juara feitos pela Asta Linhas Aéreas. Conta com uma pista de aproximadamente 1 300 metros, tendo a capacidade de receber aeronaves de pequeno e médio porte.[134]

No ciclismo, a cidade é um exemplo para muitas no Brasil, possui ciclovias e ciclofaixas em suas principais ruas e avenidas, são 59 km dentro do perímetro urbano e outros 9 km em áreas rurais, totalizando 68 km em todo o município, sendo assim a maior ciclovia de todo o Mato Grosso.[135]

Cultura e Lazer[editar | editar código-fonte]

A Secretaria Municipal de Cultura e Turismo é o órgão da prefeitura responsável pela educação e pela área cultural e turística do município de Lucas do Rio Verde, cabendo a ela organização de atividades e projetos culturais.[136]

Esportes[editar | editar código-fonte]

Assim como em grande parte do país, em Lucas do Rio Verde o esporte mais popular é o futebol. O principal clube da cidade é o Luverdense Esporte Clube, que foi fundado em 24 de janeiro de 2004.[137] Manda seus jogos no Estádio Municipal Passo das Emas, fundado em 20 de março de 2004 e que hoje conta com capacidade de até 10.000 pessoas. Entretanto o recorde de público foi na partida entre Luverdense 1 x 0 Corinthians, sendo esse o primeiro jogo realizado com transmissão nacional em cadeia aberta, pela Rede Globo, com público aproximado de 10.200 pessoas, nas oitavas de final da Copa do Brasil de 2013.[138]

Feriados[editar | editar código-fonte]

Além dos feriados nacionais 1º de janeiro (Confraternização Universal), 21 de abril (Tiradentes), 1º de maio (Dia do Trabalho), 7 de setembro (Independência do Brasil), 12 de outubro (Nossa Senhora Aparecida), 2 de novembro (Finados), 15 de novembro (Proclamação da República) e 25 de dezembro (Natal)[139] e estadual 20 de novembro (Consciência Negra),[140] Lucas do Rio Verde celebra feriados municipais nos dias 13 de maio (Nossa Senhora do Rosário de Fátima, padroeira) e 5 de agosto (fundação da cidade).[141]Ao contrário do que muitos pensam, o dia do aniversário da emancipação política, 4 de julho, não é considerado como feriado, sendo apenas uma data comemorativa.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. a b IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010. 
  3. «Censo Populacional 2016» (PDF). IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 30 de agosto de 2016. Consultado em 30 de agosto de 2016. 
  4. «Altitude estipulada do minicipío de Lucas do Rio Verde». Cidade Mapa. 2010. Consultado em 06 de junho de 2016. 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 22 de agosto de 2013. 
  6. «Perfil Municipal: Lucas do Rio Verde (MT)». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 18 de junho de 2014. 
  7. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2011». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 04 julho 2016. 
  8. «Estimativa populacional IBGE 2016» (PDF). IBGE. Consultado em 30 de agosto de 2016. 
  9. «As 50 cidades pequenas mais desenvolvidas do Brasil». Revista Exame. Consultado em 04 de julho de 2016. 
  10. «Lucas do Rio Verde é a 5 melhor cidade do país para negócios». MT Agora. Consultado em 04 de julho de 2016. 
  11. «Saiba mais sobre o surgimento da cidade de Lucas do Rio Verde». João Carlos Vicente Ferreira. Consultado em 18 de julho de 2016. 
  12. «Historia». Prefeitura Municipial de Lucas do Rio Verde. Consultado em 18 de julho de 2016. 
  13. IBGE. «Serviços de Saúde - 2009». Arquivado desde o original em 16 de julho de 2016. Consultado em 16 de julho de 2016. 
  14. PNUD. «Ranking IDHM Municípios 2010». Consultado em 16 de julho de 2016. 
  15. «Divisão territorial». IBGE. Consultado em 05 de julho de 2016. 
  16. «Distância entre Cuiabá e Lucas do Rio Verde». Consultado em 05 de julho de 2016. 
  17. «Distância entre Brasilía e Lucas do Rio Verde». Consultado em 05 de julho de 2016. 
  18. «Lucas do Rio Verde». IBGE. Consultado em 05 de julho de 2016. 
  19. «Altitude de Lucas do Rio Verde». Consultado em 05 de julho de 2016. 
  20. «Características de Lucas do Rio Verde». Consultado em 05 de julho de 2016. 
  21. «Latossolos vermelho-amarelo distrófico». Consultado em 05 de julho de 2016. 
  22. «Solos de Lucas do Rio Verde». Consultado em 05 de julho de 2016. 
  23. Agência Nacional de Águas (ANA). «Monitoramento Hidrometeorológico - Municípios - Lucas do Rio Verde». Agência Nacional de Águas (ANA). Consultado em 08 de julho de 2016. 
  24. ANA (1998). «Precipitação acumulada em Janeiro de 1998». BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Consultado em 07 de julho de 2016. 
  25. ANA (1975). «Precipitação acumulada em Julho de 1975». BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Consultado em 07 de julho de 2016. 
  26. ANA (2011). «Precipitação acumulada em Fevereiro de 2011». BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Consultado em 07 de julho de 2016. 
  27. ANA (2002). «Precipitação acumulada em Agosto de 2002». BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Consultado em 07 de julho de 2016. 
  28. ANA (1974). «Precipitação acumulada em Março de 1974». BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Consultado em 07 de julho de 2016. 
  29. ANA (2009). «Precipitação acumulada em Setembro de 2009». BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Consultado em 07 de julho de 2016. 
  30. ANA (1982). «Precipitação acumulada em Abril de 1982». BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Consultado em 07 de julho de 2016. 
  31. ANA (2005). «Precipitação acumulada em Outubro de 2005». BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Consultado em 07 de julho de 2016. 
  32. ANA (1979). «Precipitação acumulada em Maio de 1979». BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Consultado em 07 de julho de 2016. 
  33. ANA (2008). «Precipitação acumulada em Novembro de 2008». BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Consultado em 07 de julho de 2016. 
  34. ANA (1980). «Precipitação acumulada em Junho de 1980». BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Consultado em 07 de julho de 2016. 
  35. ANA (2011). «Precipitação acumulada em Dezembro de 2011». BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Consultado em 07 de julho de 2016. 
  36. «Climas do Brasil». Banco do Brasil. Consultado em 05 de junho de 2016. 
  37. «Queimada na área urbana de Lucas do Rio Verde». Cenário MT. 21 de setembro de 2015. Consultado em 05 de junho de 2016. 
  38. «Alagamento em Lucas do Rio Verde no ano de 2015». MT noticias. Consultado em 05 de junho de 2016. 
  39. «Invasão de besouros em Lucas do Rio Verde preocupa população; biólogo diz que inseto é nocivo». Primeira Hora. 25 de setembro de 2014. Consultado em 08 de julho de 2016. 
  40. «Bloqueio atmosférico no Mato Grosso». Clima tempo. 27 de julho de 2016. Consultado em 05 de junho de 2016. 
  41. ANA (1998). «Precipitação acumulada em Janeiro de 1998». BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Arquivado desde o original em 06 de julho de 2016. Consultado em 07 de julho de 2016. 
  42. ANA (2011). «Precipitação acumulada em Dezembro de 2011». BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Arquivado desde o original em 06 de julho de 2016. Consultado em 07 de julho de 2016. 
  43. ANA (2005). «Precipitação acumulada em Dezembro de 2005». BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Arquivado desde o original em 06 de julho de 2016. Consultado em 07 de julho de 2016. 
  44. ANA (2009). «Precipitação acumulada em Dezembro de 2009». BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Arquivado desde o original em 06 de julho de 2016. Consultado em 07 de julho de 2016. 
  45. ANA (1998). «Precipitação acumulada em Janeiro de 2000». BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Arquivado desde o original em 06 de julho de 2016. Consultado em 07 de julho de 2016. 
  46. ANA (2001). «Precipitação acumulada em Fevereiro de 2001». BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Arquivado desde o original em 06 de julho de 2016. Consultado em 07 de julho de 2016. 
  47. ANA (1976). «Precipitação acumulada em Fevereiro de 1976». BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Arquivado desde o original em 06 de julho de 2016. Consultado em 07 de julho de 2016. 
  48. ANA (2007). «Precipitação acumulada em Dezembro de 2007». BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Arquivado desde o original em 06 de julho de 2016. Consultado em 07 de julho de 2016. 
  49. ANA (1983). «Precipitação acumulada em Março de 1983». BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Arquivado desde o original em 06 de julho de 2016. Consultado em 07 de julho de 2016. 
  50. ANA (1980). «Precipitação acumulada em Fevereiro e 1980». BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Arquivado desde o original em 06 de julho de 2016. Consultado em 07 de julho de 2016. 
  51. ANA (2008). «Precipitação acumulada em Novembro de 2008». BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Arquivado desde o original em 06 de julho de 2016. Consultado em 07 de julho de 2016. 
  52. ANA (1974). «Precipitação acumulada em Dezembro de 1974». BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Arquivado desde o original em 06 de julho de 2016. Consultado em 07 de julho de 2016. 
  53. ANA (2011). «Precipitação acumulada em Fevereiro de 2011». BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Arquivado desde o original em 06 de julho de 2016. Consultado em 07 de julho de 2016. 
  54. ANA (1980). «Precipitação acumulada em Fevereiro de 1980». BDC (Bancos de Dados Climatológicos). Arquivado desde o original em 06 de julho de 2016. Consultado em 07 de julho de 2016. 
  55. «Dados climatológicos de Lucas do Rio Verde». Consultado em 10 de Agosto de 2015. 
  56. «Estimativa populacional dos municípios 2015» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 06 de junho de 2016. 
  57. «Evolução da população, segundo os municípios - 1872/2010» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 06 de junho de 2016. 
  58. «Tabela 2.1 - População residente, total, urbana total e urbana na sede municipal, em números absolutos e relativos, com indicação da área total e densidade demográfica, segundo as Unidades da Federação e os municípios – 2010». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Consultado em 06 de junho de 2016. 
  59. «Tabela 631 - População residente, por situação do domicílio e sexo - Sinopse». 2010. Consultado em 06 de junho de 2016. 
  60. «Razão de sexo, população de homens e mulheres, segundo os municípios – 2010». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Consultado em 06 de junho de 2016. 
  61. a b «Lucas do Rio Verde, MT». Atlas Brasil. 2010. Consultado em 06 de junho de 2016. 
  62. «Tabela 2093 - População residente por cor ou raça, sexo, situação do domicílio e grupos de idade - Amostra - Características Gerais da População». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Consultado em 06 de junho de 2016. 
  63. «Tabela 3180 - População residente, por nacionalidade - Resultados Gerais da Amostra». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Consultado em 06 de junho de 2016. 
  64. «Tabela 1505 - População residente, por naturalidade em relação ao município e à unidade da federação - Resultados Gerais da Amostra». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Consultado em 06 de junho de 2016. 
  65. «Tabela 631 - População residente, por sexo e lugar de nascimento». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Consultado em 06 de junho de 2016. 
  66. «Estimativa populacional dos municípios 2016» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 30 de agosto de 2016. 
  67. «Lucas do Rio Verde tem segundo IDH de Mato Grosso e 249º do país». Expresso MT. Consultado em 06 de junho de 2016. 
  68. «Índice de Desenvolvimento de Lucas do Rio Verde». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 06 de junho de 2016. 
  69. «Como acabar com a fome e a miséria de Lucas do Rio Verde». Portal ODM. 2010. Consultado em 06 de junho de 2016. 
  70. «Portal da Diocese de Diamantino». Consultado em 06 de junho de 2016. 
  71. «Distribuição ds religiões em Lucas do Rio Verde». Consultado em 06 de junho de 2016. 
  72. a b «Tabela 2094 - População residente por cor ou raça e religião». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Consultado em 06 de junho de 2016. 
  73. «EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 16, DE 04 DE JUNHO DE 1997». Planalto. 4 de junho de 1997. Arquivado desde o original em 13 de março de 2014. Consultado em 06 de junho de 2016. 
  74. «Como funcionam os poderes». Arquivado desde o original em 21 de fevereiro de 2015. Consultado em 5 de março de 2015. 
  75. «Prefeito». Prefeitura Municipal de Lucas do Rio Verde. Consultado em 06 de junho de 2016. 
  76. «UOL Eleições 2012 - Apuração 1º Turno - Lucas do Rio Verde». Consultado em 06 de junho de 2016. 
  77. «Vice-prefeito». OUL. Consultado em 06 de junho de 2016. 
  78. «Vereadores». Câmara Municipal de Lucas do Rio Verde. Consultado em 22 de maio de 2013. 
  79. a b «LEI ORGÂNICA DO MUNICÍPIO DE LUCAS DO RIO VERDE» (PDF). Prefeitura Municipal de Lucas do Rio Verde. 2 de novembro de 2013. Consultado em 06 de junho de 2016. 
  80. «Lucas do Rio Verde inaugura Casa dos Conselhos». Prefeitura Municipal de Lucas do Rio Verde. 03 de janeiro de 2015. Consultado em 28 de setembro de 2016. 
  81. Poder Judiciário de Mato Grosso (TJMT). «Comarca de Lucas do Rio Verde». Consultado em 06 de junho de 2016. 
  82. «Quantidade de eleitores por município». Tribunal Superior Eleitoral. Consultado em 06 de junho de 2016. 
  83. «Mato Grosso » Lucas do Rio Verde » produto interno bruto dos municípios - 2013». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2013. Consultado em 06 de junho de 2016. 
  84. a b «Mato Grosso » Lucas do Rio Verde » produção agrícola municipal - pecuária - 2014». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2014. Arquivado desde o original em 08 de julho de 2016. Consultado em 08 de julho de 2016. 
  85. «Mato Grosso » Lucas do Rio Verde » produção agrícola municipal - lavoura temporária - 2014». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2014. Arquivado desde o original em 08 de julho de 2016. Consultado em 08 de julho de 2016. 
  86. «Mato Grosso » Lucas do Rio Verde » produção agrícola municipal - lavoura permanente - 2014». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2014. Arquivado desde o original em 08 de julho de 2016. Consultado em 08 de julho de 2016. 
  87. «Atlas do desenvolvimento humano no Brasil, Lucas do Rio Verde/MT». Atlas do desenvolvimento humano no Brasil. 2013. Arquivado desde o original em 08 de julho de 2016. Consultado em 08 de julho de 2016. 
  88. «Mato Grosso » Lucas do Rio Verde » estatísticas do cadastro central de empresas - 2014». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2014. Arquivado desde o original em 08 de julho de 2016. Consultado em 08 de julho de 2016. 
  89. «Tabela 3219 - Domicílios particulares permanentes, por número de moradores, segundo a situação do domicílio, o tipo de domicílio, a condição de ocupação e a existência de banheiro ou sanitário e esgotamento sanitário». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Consultado em 06 de juho de 2016. 
  90. «Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Lucas do Rio Verde, Características». Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Lucas do Rio Verde. Arquivado desde o original em 08 de julho de 2016. Consultado em 08 de julho de 2016. 
  91. «Tabela 3217 - Domicílios particulares permanentes e Moradores em domicílios particulares permanentes, por situação do domicílio, segundo a forma de abastecimento de água, o destino do lixo e a existência de energia elétrica». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Consultado em 08 de julho de 2016. 
  92. «Quem somos». Arquivado desde o original em 08 de julho de 2016. Consultado em 08 de julho de 2016. 
  93. «Tensões Nominais». Agência Nacional de Energia Elétrica. Consultado em 08 de Julho de 2016. 
  94. «Tabela 1398 - Domicílios particulares permanentes e Moradores em domicílios particulares permanentes, cuja condição no domicílio não era pensionista, nem empregado(a) doméstico(a) ou seu parente, por classes de rendimento nominal mensal domiciliar, a situação do domicílio, a existência e número de banheiros de uso exclusivo do domicílio, a principal forma de abastecimento de água, o destino do lixo e a existência de energia elétrica». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Consultado em 08 de julho de 2016. 
  95. «Tabela 3218 - Domicílios particulares permanentes, por forma de abastecimento de água, segundo a existência de banheiro ou sanitário e esgotamento sanitário, o destino do lixo e a existência de energia elétrica». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Consultado em 08 de julho de 2016. 
  96. «Lucas do Rio Verde é o primeiro município a ter coleta 100% mecanizada». Governo de Mato Grosso. 10 de março de 2016. Consultado em 8 de Julho 2016. 
  97. «Estado: Mato Grosso (MT)». Web Busca. Arquivado desde o original em 08 de julho de 2016. Consultado em 08 de julho de 2016. 
  98. «Sobre Lucas do Rio Verde». Arquivado desde o original em 08 de julho de 2016. Consultado em 08 de julho de 2016. 
  99. Lorenna Rodrigues (8 de janeiro de 2009). «Portabilidade chega hoje ao oeste paulista, Porto Alegre e Manaus». Folha Online. Consultado em 10 de julho de 2016. 
  100. «Tabela 3516 - Domicílios particulares permanentes, por existência de telefone, segundo a situação do domicílio e as classes de rendimento nominal mensal domiciliar per capita». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Consultado em 08 de julho de 2016. 
  101. «Lista de canais abertos em Lucas do Rio Verde». Portal BSD. 08 de julho de 2016. Arquivado desde o original em 08 de julho de 2016. Consultado em 08 de julho de 2016. 
  102. «Serviços de saúde 2009». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2009. Arquivado desde o original em 09 de julho de 2016. Consultado em 09 de julho de 2016. 
  103. «Cadernos de Informações de Saúde - Lucas do Rio Verde/MT». DATASUS. Consultado em 10 de julho de 2016. 
  104. «4 - reduzir a mortalidade infantil». Portal ODM. Consultado em 08 de julho de 2016. 
  105. «6 - combater a AIDS, a malária e outras doenças». Portal ODM. Consultado em 08 de julho de 2016. 
  106. «4 - reduzir a mortalidade infantil». Portal ODM. Consultado em 31 de janeiro de 2014. 
  107. «Percentual de crianças desnutridas». Portal ODM. Consultado em 08 de julho de 2016. 
  108. «Ano de fundação da Fundação Luverdense de Saúde». Prefeitura de Lucas do Rio Verde. Consultado em 08 de julho de 2016. 
  109. «Câmara aprova convênio para compra de equipamentos ao Hospital São Lucas». Cenário MT. Consultado em 08 de julho de 2016. 
  110. «BDR empreendimentos irá executar o projeto de ampliação do Hospital São Lucas». Cenário MT. Consultado em 08 de julho de 2016. 
  111. «UPA 24h começa a ser construída em Lucas do Rio Verde». Só Noticias. Consultado em 08 de julho de 2016. 
  112. a b c «OFERECER EDUCAÇÃO BÁSICA DE QUALIDADE PARA TODOS». Portal ODM. 2010. Consultado em 09 de julho de 2016. 
  113. «Veja o IDH Municipal do seu município». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Consultado em 08 de julho de 2016. 
  114. «Tabela 1383 - Taxa de alfabetização das pessoas de 10 anos ou mais de idade por sexo». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Consultado em 08 de julho de 2016. 
  115. «Atlas do Índice de Desenvolvimento Humano em Lucas do RIo Verde» (PDF). PNUD. 2010. Consultado em 09 de julho de 2016. 
  116. «Mato Grosso » Lucas do Rio Verde » ensino - matrículas, docentes e rede escolar - 2015». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2015. Arquivado desde o original em 10 de julho de 2016. Consultado em 10 de julho de 2016. 
  117. «Faculdade La Salle». La Salle Educação. Arquivado desde o original em 10 de julho de 2016. Consultado em 10 de julho de 2016. 
  118. «Campus Avançado da IFMT Lucas do Rio Verde». Arquivado desde o original em 10 de julho de 2016. Consultado em 10 de julho de 2016. 
  119. «Educação em alta: Lucas do Rio Verde tem a melhor educação do Centro-Oeste, aponta Instituto Alfa e Beto». Cenário MT. 2015. Arquivado desde o original em 20 de Abril de 2015. Consultado em 10 de julho de 2016. 
  120. «Cria a Guarda Municipal de Trânsito de Lucas do Rio Verde, e da outras providências.» (pdf). Câmera Municipal de Lucas do Rio Verde. 1999. Consultado em 10 de julho de 2016. 
  121. Câmera de Lucas do Rio Verde (21 de março de 1997). «CRIA NO MUNICÍPIO DE LUCAS DO RIO VERDE O CONSELHO COMUNITÁRIO DE SEGURANÇA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.». Câmera. Consultado em 10 de luho de 2016. 
  122. Gazeta Digital (2 de outubro de 2011). «Lucas do Rio Verde será sede de um novo Comando Regional da Polícia Militar.». Consultado em 06 de junho de 2016. 
  123. «Após ondas de assaltos, polícia de Lucas do Rio Verde ganha reforço.». Consultado em 10 de julho de 2016. 
  124. «Objetivos da policia Civil de Mato Grosso.». Consultado em 10 de julho de 2016. 
  125. «Tabela HT. Número e taxas (por 100 mil) de homicídio em municípios com mais de 20.000 mil habitantes. População Total. Brasil. 2008/2012.» (xls). Instituto Sangari. 2016. Consultado em 10 de julho de 2016. 
  126. «Tabela ST. Número e taxas (por 100 mil) de suicídio em municípios com mais de 20.000 mil habitantes. População Total. Brasil. 2008/2012.» (xls). Instituto Sangari. 2016. Consultado em 10 de julho de 2016. 
  127. «Tabela TT. Número e taxas (por 100 mil) de óbitos em acidentes de transporte em municípios com mais de 20.000 mil habitantes. População Total. Brasil. 2008/2012.» (xls). Instituto Sangari. 2016. Consultado em 10 de julho de 2016. 
  128. «Mato Grosso » Lucas do Rio Verde » frota - 2015». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2015. Arquivado desde o original em 10 de julho de 2016. Consultado em 10 de julho de 2016. 
  129. Viação Lucas. «Informações». Viação Lucas. Consultado em 10 de julho de 2016. 
  130. Prefeitura. «Localização». Consultado em 11 de julho de 2016. 
  131. «BR-163». Ministério dos Transportes. Consultado em 11 de julho de 2016. 
  132. «Duplicação da MT-449 sera inaugurada semana que vem». Midia News. Consultado em 11 de julho de 2016. 
  133. «Aeroporto de Lucas do Rio Verde». Consultado em 11 de julho de 2016. 
  134. «Cidade-modelo de MT, Lucas do Rio Verde vai ter a maior ciclovia do país com 68 km». Consultado em 10 de julho de 2016. 
  135. «Secretaria Municipal de Cultura e Turismo». Consultado em 14 de julho de 2016. 
  136. Futebol Interior. «Mato-Grossense:Luverdense comemora 12 anos de fundação como o 'melhor do Estado'». Consultado em 15 de julho de 2016. 
  137. «UMA NOITE PARA GUARDAR: LUVERDENSE». Globo Esporte. 21 de agosto de 2013. Consultado em 15 de julho de 2016. 
  138. Lista de feriados no Brasil. Consulado-Geral do Brasil em Washington D.C., acesso 15 jul 2016
  139. «Governo decreta feriados e pontos facultativos de 2016». Governo de Mato Grosso. 23 de dezembro de 2015. Consultado em 15 de julho de 2016. 
  140. «Feriados municipais - Lucas do Rio Verde-MT com datas comemorativas e pontos facultativos». Feriados Municipais. Consultado em 15 de julho de 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikcionário Definições no Wikcionário
Wikisource Textos originais no Wikisource
Commons Imagens e media no Commons
Prefeitura
Câmara
Outros