Nova Bandeirantes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade. Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Município de Nova Bandeirantes
Bandeira de Nova Bandeirantes
Brasão indisponível
Bandeira Brasão indisponível
Hino
Aniversário 11 de agosto
Fundação 11 de agosto de 1982
Gentílico nova bandeirantense[1]
Prefeito(a) Valdir Pereira dos Santos (PSB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Nova Bandeirantes
Localização de Nova Bandeirantes em Mato Grosso
Nova Bandeirantes está localizado em: Brasil
Nova Bandeirantes
Localização de Nova Bandeirantes no Brasil
09° 48' 50" S 57° 51' 43" O09° 48' 50" S 57° 51' 43" O
Unidade federativa  Mato Grosso
Mesorregião Norte Mato-grossense IBGE/2008 [2]
Microrregião Alta Floresta IBGE/2008 [2]
Municípios limítrofes Apiacás, Juara, Nova Monte Verde, Cotriguaçu e Juruena
Distância até a capital 1 020 km
Características geográficas
Área 9 531,206 km² [3]
População 14,473 hab. estimativa IBGE/2017[4]
Densidade 0 hab./km²
Altitude 210 m
Clima tropical
Fuso horário UTC−4
Indicadores
IDH-M 0,802 muito elevado PNUD/2000 [5]
PIB R$ 345 608,501 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 27 868,60 IBGE/2008[6]

Nova Bandeirantes é um município brasileiro do estado de Mato Grosso.

História[editar | editar código-fonte]

A origem do nome é em virtude do colonizador ser oriundo de Bandeirantes (Paraná).[7]

Emancipação[editar | editar código-fonte]

O passo inicial para a criação do Distrito de Nova Bandeirantes foi dado no dia 13 de maio de 1985, quando a Câmara Municipal de Alta Floresta - MT (município mãe), reunida extraordinariamente em Nova Bandeirantes, aprovou o projeto de Lei que deu origem a criação dos Distritos de Nova Bandeirantes e Apiacás, durante a gestão do Prefeito Municipal de Alta Floresta, o Sr. Edson Santos.

O Distrito de Nova Bandeirantes foi elevado a categoria de município através da Lei Estadual n. 5.903 de 20 de dezembro de 1991; projeto este de autoria dos Deputados Estaduais João Teixeira e Osvaldo Paiva, durante a gestão do então governador Jaime Veríssimo Campos. Nova Bandeirantes em sua primeira eleição, realizada no dia 3 de outubro de 1992, contou com 2.778 eleitores, onde foi eleito então o primeiro Prefeito Municipal de Nova Bandeirantes - MT, Sebastião Moreira dos Santo, vulgo, Tião Matrinchã.

Considerada a Capital do Café.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 09º50'59" sul e a uma longitude 57º48'38" oeste, estando a uma altitude de 200 metros.[8] Sua população estimada em 2017 foi estimada em 14.473 habitantes.

Distrito[editar | editar código-fonte]

Como a maioria das cidades mato-grossenses, Nova Bandeirantes foi fruto do projeto de colonização. Colonizadora Bandeirantes Ltda - COBAN, iniciou a abertura da Rodovia MT-208, trecho compreendido entre Alto Paraíso à Nova Bandeirantes. No dia 11 de agosto de 1982, nascia Nova Bandeirantes, quando foi dado início a construção do escritório da COBAN. Neste mes- mo ano foram assentados os primeiros colonos e os primeiros comerciantes abriram suas portas.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município está localizado na mesorregião do Norte Mato-Grossense na microrregião da Alta Floresta, extremo norte do estado de Mato Grosso e entre os meridianos oeste 57,3° - 58,4° e entre os paralelos sul 9,0° - 10,3°. Tem uma altitude media de 210m do nível do mar. Estabelece divisa ao Norte com o município de Apiacás, ao Sul com o Município de Juara, ao Leste com o município de Nova Monte Verde e a Oeste com os município de Cotriguaçu e Juruena.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima predominante é o tropical, caracterizado por temperaturas elevadas e de grande umidade (tropical quente e sub-úmido). As precipitações variam entre 2000 a 2750 mm3/ano, sendo bem distribuídas durante todo ano. As temperaturas elevadas ocorrem, sobretudo, na primavera e no verão, ficando a média anual de 26° centigrados. O período chuvoso compreende os meses de Novembro a Março e o período de estiagem de abril a outubro. A temperatura mínima registrada no município foi de 5,8C° em Julho de 1993

Vegetação[editar | editar código-fonte]

Predominante a Floresta Hidrófila Perinifólia Hilhama Amazônica, prolongamento daquela que ocorre nas áreas mais úmidas da Região Norte do País. Caracteriza-se pela heterogeneidade de espécies vegetais pelo elevado porte de suas árvores (T de 30m) e pelo seu aspecto denso.

Relevo[editar | editar código-fonte]

A depressão da Amazônia Meridional é a umidade geomorfológica predominante do município. Estende-se desde a borda sul da bacia sedimentar do Amazonas até o Planalto dos Parecis, ao sul e coalescendo a leste com as Depressões do Araguaia - Tocantins. É uma formação de superfície rebaixada e dissecada em forma predominante convexas seccionadas pelos principais rios da área. Destaca-se ainda no município a presença de planaltos residuais do Norte de Mato Grosso, no qual se destaca a Serra dos Caiabis e a Serra dos Apiacás.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Região de influência da Bacia Amazônica, portanto de uma rica formação hidrográfica, o município tem um número razoável de pequenos cursos d'água em sua área, porém destacam-se dos demais rios de maior importância o rio Apiacás (afluente direto do Teles Pires) e o rio Matrinchã ou São João da Barra (afluente direto do rio Juruena).

Solo[editar | editar código-fonte]

Ocorrência de um tipo de solo mal drenado e pedogeneticamente pouco desenvolvido, o Glei pouco úmido. Estes solos tem grande variabilidade devido à heterogeneidade de materias geológicos transportados e depositados pela diferença ação flú-vio morfológico na rede de frenagem da região. Possui ainda formação de Areias Quartzosas e de solos Podzólico Vermelho Amarelo Álico.

Topografia[editar | editar código-fonte]

70% plana, 10% levemente ondulada, 10% ondulada e 10% montanhoso.

Referências

  1. IBGE
  2. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008  line feed character character in |acessodata= at position 7 (ajuda); Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  3. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  4. «Estimativas da população 2017». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 30 de agosto de 2017. Consultado em 30 de agosto de 2017 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 
  7. «IBGE | Cidades | Mato Grosso | Nova Bandeirantes | Histórico». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 26 de fevereiro de 2018 
  8. «Município de Nova Bandeirantes, Mato Grosso». www.cidade-brasil.com.br. Consultado em 26 de fevereiro de 2018 
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Mato Grosso é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.