Marcelândia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Marcelândia
Bandeira indisponível
Brasão indisponível
Bandeira indisponível Brasão indisponível
Hino
Fundação 7 de dezembro de 1980 (37 anos)
Gentílico marcelandense
Prefeito(a) Arnóbio Vieira de Andrade (PSD)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Marcelândia
Localização de Marcelândia em Mato Grosso
Marcelândia está localizado em: Brasil
Marcelândia
Localização de Marcelândia no Brasil
11° 07' 58" S 54° 35' 49" O11° 07' 58" S 54° 35' 49" O
Unidade federativa Mato Grosso
Mesorregião Norte Mato-grossense IBGE/2008 [1]
Microrregião Sinop IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Peixoto de Azevedo, Nova Santa Helena, União do Sul, Feliz Natal, São Félix do Araguaia e São José do Xingu
Distância até a capital 712 km
Características geográficas
Área 12 294,144 km² [2]
População 10 422 hab. estimativa IBGE/2017[3]
Densidade 0,85 hab./km²
Altitude 290 m
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−4
Indicadores
IDH-M 0,771 elevado PNUD/2000 [4]
PIB R$ 162 591,912 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 11 227,17 IBGE/2008[5]

Marcelândia é um município brasileiro do estado de Mato Grosso. Localiza-se à latitude 11º05'22" sul e à longitude 54º27'02" oeste, estando à altitude de 290 metros. Sua população estimada em 2017 era de 10.422[3] habitantes segundo dados do IBGE. Possui área de 13127,1 km².

Em 2007, Marcelândia havia sido considerado o município líder em desmatamento na Amazônia[6][7][8].

História[editar | editar código-fonte]

A colonização da cidade deu-se através de ações desenvolvidas pela colonizadora Maiká, de José Bianchini, a partir de 1977.

Origem do nome[editar | editar código-fonte]

O nome é em homenagem ao filho do colonizador José Bianchini, Marcelo.

Administração[editar | editar código-fonte]

Prefeitos[editar | editar código-fonte]

Distritos e outras localidades do município[editar | editar código-fonte]

  • Vila Analândia a 50 km
  • Comunidade Santa Rita do Norte a 35 km
  • Comunidade Bonjaguar a 35 km da sede.
  • Na comunidade Bonjaguar há uma área verde destinada a Escola Curumim, a qual pode ser aproveitada para visitas e pesquisas.

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia do município se baseia na pecuária, agricultura e no estratismo vegetal. Na pecuária, a parte mais expressiva é do gado bovino de corte (190.000 cabeças), criação de aves (80.000) peixes (53 toneladas) e suínos (3.000).

Na agricultura há a soja (50.000 hectares e em expansão podendo chegar a 500.000 hectares), milho (15.000 hectares) e o arroz (8.000 hectares) e na agricultura de subsistência feijão (500 hectares), mandioca (100 hectares) e hortifrutigranjeiros.

O estratismo vegetal é a principal fonte da economia do município atualmente havendo 79 indústrias entre serrarias, madeireiras e laminadoras.[9]

No comércio a maior concentração está em mercados, bares, farmácias, lojas de roupas e móveis. Tendo também um número expressivo de lojas de materiais para construção e de produtos agrícolas.

Educação[editar | editar código-fonte]

  • EE Pedro Bianchini, localizada no centro.
  • EE Etelvina, localizada na vila Isabel.
  • EE Paulo Freire, localizada no centro.
  • Escola Municipal Santa Terezinha na Área Industrial.
  • Escola Municipal Castro Alves na Vila Esperança.
  • Escola Pública Municipal Rural Curumim (Bom Jaguar)
  • Escola Pública Municipal prof° José Olavo (Analândia)

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

  • Rio Manitsauá – Missu (Rio Manito)
  • Rio Macaco
  • Rio Dois Irmãos
  • Rio dos Patos
  • Rio Matrinchã
  • Rio Pateiro
  • Rio Iporã
  • Rio Zambé

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010. 
  3. a b «Estimativa populacional 2017 IBGE». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 30 de agosto de 2017. Consultado em 10 de outubro de 2017. 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010. 
  6. Agência Brasil
  7. Jornal Folha de S.Paulo
  8. Jornal O Estado de S. Paulo
  9. Informações sobre a economia do município

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Mato Grosso é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.