Denise (Mato Grosso)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Denise
  Município do Brasil  
Vista aérea da cidade de Denise
Vista aérea da cidade de Denise
Símbolos
Bandeira de Denise
Bandeira
Brasão de armas de Denise
Brasão de armas
Hino
Lema Amor por essa gente
Gentílico denisense
Localização
Localização de Denise em Mato Grosso
Localização de Denise em Mato Grosso
Mapa de Denise
Coordenadas 14° 44' 24" S 57° 03' 14" O
País Brasil
Unidade federativa Mato Grosso
Municípios limítrofes Norte: Arenápolis;
Noroeste: Tangará da Serra e Santo Afonso;
Nordeste Nortelândia;
Leste: Alto Paraguai;
Sul: Barra do Bugres;
Oeste: Nova Olímpia
Distância até a capital estadual: 209 km
federal
: 1 286 km
História
Fundação 29 de julho de 1976 (44 anos)
Emancipação 6 de maio de 1982 (38 anos)
Aniversário 6 de maio
Administração
Prefeito(a) Eliane Lins da Silva (PV, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 1 300,924 km²
População total (IBGE/2014[2]) 8 897 hab.
Densidade 6,8 hab./km²
Clima Tropical
Altitude 211 m
Fuso horário Hora do Amazonas (UTC−4)
CEP 78.380-000
Indicadores
IDH (PNUD/2010 [3]) 0,683 médio
PIB (IBGE/2010[4]) R$ Aumento342 192 mil
PIB per capita (IBGE/2010[4]) R$ 38,46
Outras informações
Padroeiro(a) Sagrado Coração de Jesus
Sítio http://www.denise.mt.gov.br/index.php (Prefeitura)
http://www.denise.mt.leg.br/index.php (Câmara)

Denise é um município brasileiro do estado de Mato Grosso. Localiza-se a uma latitude 14º44'24" sul e a uma longitude 57º03'14" oeste, estando a uma altitude de 211 metros. Sua população estimada em 2014 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) era de 8 897 habitantes.[2] Denise limita-se com os municípios de Arenápolis, Barra do Bugres, Nova Olímpia e Alto Paraguai.

História[editar | editar código-fonte]

As primeiras pessoas que se tem registros que andaram por essas terras foram os seringueiros e o Senhor Adolpho Joseti, isso em 1924, explorando o látex das seringueiras aqui existentes. O produto extrativista recolhido era armazenado, e depois transportado até Barra do Bugres e embarcado em uma lancha, que levava o produto até Corumbá-MS, sendo depois exportado.[5]

José Gratidiano Dorileo foi o pioneiro na região na década de 1940. Dedicou-se à exploração de Ipecacuanha e Borracha, depois investiu em atividades garimpeiras. Após a constatação da queda de cotação comercial, tanto da ipecacuanha, como da borracha, abandonou o lugar, indo morar em Cuiabá.[5]

Júlio Costa Marques Filho, sobrinho do ex-presidente da província do Estado de Mato Grosso Doutor Joaquim Augusto da Costa Marques, e genro de José Gratidiano Dorileo contratou dois experientes corretores de imóveis e loteou o terreno onde seria a futura cidade. No projeto, Júlio da Costa Marques deu o nome de sua filha, ao futuro centro da Gleba, mais tarde a cidade de Denise.[5]

O primeiro morador a chegar ao loteamento foi o Senhor José Fernandes, trazendo uma serra que pôs a funcionar e serrar as primeiras tábuas, vigas, caibros, para a construção das primeiras casas.[5]

No ano de 1968, surgiu um grande empreendimento através da SUDAM que foi a construção de duas serrarias na Fazenda Rio dos Bugres, sendo seu proprietário o doutor Antônio Gonzáles de Ruiz, que residia em São Paulo - SP.[5]

Em 20 de setembro de 1968, chegaram as famílias de Vicente Jacinto Franco. Em 27 do mesmo mês e ano, o padre Edgar Muller, então pároco de Tangará da Serra, celebrou a primeira missa solene em Denise. E no ano de 1969 chegaram as famílias dos Dias Mendes.

Em 1976 foi criado o Distrito de Denise, pela Lei N.º 3.757 de 29 de Junho, com território jurisdicionado ao município de Barra do Bugres.[5]

No ano de 1981, o núcleo vivia em torno da agricultura de subsistência e pecuária extensiva. Nesse mesmo ano deu-se a instalação da Usina de álcool Usinas Itamarati S/A, embora situado em áreas não abrangidas pelo distrito de Denise, teve influência decisiva para a prosperidade e, sobretudo com o apoio decisivo do Senhor Raimundo Nonato de Abreu Sobrinho, Prefeito Municipal de Barra do Bugres. E assim Denise passou por várias obras de infraestrutura, como: posto de saúde, correio, centro comunitário, posto telefônico, energia com gerador a diesel e logo após energia elétrica , construção da praça central, hoje denominada Praça Brasília.[5]

O prefeito de Barra do Bugres, Raimundo Nonato Sobrinho, foi até a capital do Estado de São Paulo ter uma audiência com o empresário Olacyr Francisco de Moraes para auxiliar Denise na complementação de arrecadação de ICMS, para que fosse aprovado a Lei na Assembleia Legislativa para a sua emancipação político-administrativa. E, em 6 de Maio de 1982, Denise foi elevada a categoria de Município através da Lei n º 4453.

A pavimentação da Rodovia MT-343, em 1982, possibilitou um melhor acesso do município de Denise a capital do Estado e as cidades vizinhas.[5]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Formação geológica[editar | editar código-fonte]

Esta estrutura integra a depressão correspondente a um amplo sinclinário, erodido e preenchido por sedimentos quartenários da formação do Pantanal. Estes sedimentos são constituídos de áreas de limo e argilas muito friáveis, parcialmente laterizados e em fase de retrabalhamento.[6]

Os solos são constituídos de áreas divididas, ocorrendo secundariamente latossolos vermelhos – amarelos. Coberturas dobradas do proterozóico com granito associados.[6]

 Relevo[editar | editar código-fonte]

Com altitude média de 211 metros acima do nível do mar, o município assenta-se sobre a depressão do Alto Paraguai, sendo, portanto, parte de uma extensão de área drenada pelo alto curso do Rio Paraguai e seus afluentes. Nesta unidade geomorfológica, a superfície de relevo é pouca dissecada com caimento topográfico de norte para sul.[6]

Clima[editar | editar código-fonte]

Tropical quente e sub-úmido, com 5 meses de seca, de maio a setembro. Com precipitação anual de 1.750 mm, com intensidade máxima em dezembro, janeiro e fevereiro. Temperatura média anual de 24 ºC. Maior – 40 ºC. Menor – 0 ºC.[6][6]

Economia[editar | editar código-fonte]

Cana-de-açúcar[editar | editar código-fonte]

O município de Denise possui dois elementos fundamentais adequados para o cultivo da cana-de-açúcar: terras planas e arenosas. Esses dois fatores contribuíram para a invasão dessa cultura que invadiu pastagens e matas com plantações dessa cultura agrícola para abastecer a usina de álcool e açúcar Itamarati, localizada no Município de Nova Olímpia.[7]

Muitas fazendas e até mesmo pequenas propriedades rurais, que utilizavam suas terras na pecuária, passaram a arrendá-las para a produção de cana, diminuindo drasticamente a produção do rebanho bovino na região.

O Município perde muito em termos de arrecadação, pois para fins de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), a arrecadação se dá no Município onde a usina está implantada Nova Olímpia.[7]

A melhoria que teve para o município se encontra na geração de empregos, onde a maioria da população ativa do Município encontra-se empregada na usina ou nos grupos de produtores independentes da cultura da cana-de-açúcar, diminuindo muito a taxa de desemprego que era muito alta antes da implantação da Usina.[7]

Projeto da plantação de seringa[editar | editar código-fonte]

Existem no Município várias propriedades rurais que possuem seringais plantados e/ou produzindo, mas todos com pequenas áreas de cultivo e, consequentemente, baixa produção em virtude da quantidade plantada.[7]

A Prefeitura Municipal, através da Secretaria Municipal de Agricultura, está desenvolvendo um projeto de estímulo à plantação dessa cultura, doando mudas (a preços simbólicos) aos produtores rurais.[7]

Este projeto visa aumentar a renda nas pequenas propriedades, aumentar a arrecadação de impostos no Município e propiciar o aumento de emprego, que hoje se encontra centrado na usina Itamarati.[7]

A manutenção dos seringais gera diversas atividades: preparação do solo, plantação das mudas, tratos culturais, extração e armazenamento do látex, gerando, além do emprego, uma renda permanente aos proprietários rurais.[7]

A diversificação de cultura no município (hoje centrada na cana-de-açúcar), por uma cultura perene trará vários benefícios a todos os Munícipes.[7]

Referências

  1. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  2. a b «Estimativa populacional 2014 IBGE». Estimativa populacional 2014. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2014. Consultado em 29 de agosto de 2014 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 2013  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2010-2013». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  5. a b c d e f g h «Prefeitura de Denise». www.denise.mt.gov.br. Consultado em 28 de abril de 2016 
  6. a b c d e «Prefeitura de Denise». www.denise.mt.gov.br. Consultado em 28 de abril de 2016 
  7. a b c d e f g h «Prefeitura de Denise». www.denise.mt.gov.br. Consultado em 28 de abril de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Mato Grosso é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.