Helder Barbalho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Helder Barbalho
Durante audiência pública na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado.
Foto:Pedro França/Agência Senado
Ministro da Integração Nacional do Brasil Brasil
Período 12 de maio de 2016
até a atualidade
Presidente Michel Temer
Antecessor(a) Josélio de Andrade Moura (interino)
Ministro-chefe da Secretaria Nacional dos Portos do Brasil Brasil
Período 2 de outubro de 2015
até 20 de abril de 2016
Presidente Dilma Rousseff
Antecessor(a) Edson Coelho Araújo
Sucessor(a) Maurício Muniz Barreto de Carvalho
Ministro da Pesca e Aquicultura do Brasil Brasil
Período 1 de janeiro de 2015
até 2 de outubro de 2015
Presidente Dilma Rousseff
Antecessor(a) Eduardo Lopes
Prefeito de Ananindeua Bandeira Ananindeua.png
Período 1 de janeiro de 2005
até 1 de janeiro de 2013
Antecessor(a) Manoel Carlos Antunes
Sucessor(a) Manoel Carlos Antunes
Vida
Nascimento 18 de maio de 1979 (37 anos)
Belém, Pará, Brasil
Nacionalidade  brasileiro
Dados pessoais
Partido PMDB
Profissão Administrador

Helder Zahluth Barbalho (Belém, 18 de maio de 1979) é um político brasileiro, ex ministro-chefe da Secretaria Nacional dos Portos.

O primeiro cargo eletivo de Helder foi como vereador de Ananindeua, em 2000. Ele recebeu 4.296 votos, sendo o mais votado do município. Em 2002, elegeu-se deputado estadual, com 68.474 votos, tornando-se o mais votado para o cargo no estado do Pará, em 2002.[1]

É filho do ex-governador do Pará, Jader Barbalho, e da deputada federal Elcione Barbalho, exerceu o cargo de prefeito de Ananindeua (2005–2008), tendo assumido com 25 anos, tornando-se o prefeito mais jovem da história do Pará. Em 2008, foi reeleito com 93.493 votos.[2] Em 2014 foi candidato a Governador do Estado do Pará, sendo derrotado pelo tucano Simão Jatene, candidato à reeleição. [3]

Ministério da Pesca e Aquicultura[editar | editar código-fonte]

Em dezembro de 2014 foi anunciado oficialmente ministro da Pesca e Aquicultura para o segundo mandato do Governo Dilma Rousseff.[4].Helder ficou até a reforma ministerial ocorrida em 2 de outubro quando a pasta foi extinta[5]

Secretaria dos Portos[editar | editar código-fonte]

Em 2 de outubro de 2015 assumiu a Secretaria Nacional dos Portos.[6] Pediu demissão do cargo em 20 de abril de 2016.[7]

Premiações[editar | editar código-fonte]

Em 2008 e 2010, recebeu o Prêmio de Prefeito Empreendedor, do SEBRAE Pará, pelo incentivo que tem dado à geração de emprego e renda para a população de Ananindeua.

Por duas vezes, em 2007 e 2010, recebeu do Governo Federal e da Organização Ação Fome Zero o Prêmio Gestor Eficiente da Merenda Escolar de Qualidade. Recebeu, ainda, o Prêmio Objetivos de Desenvolvimento do Milênio do Brasil, o ODM, com o Projeto Escola Ananin.

Incluído em lista de "ficha suja"[editar | editar código-fonte]

Por ocasião da candidatura, a Associação dos Magistrados Brasileiros divulgou, em 2008, uma lista com vários candidatos a prefeito que respondem a ação penal por improbidade administrativa. Na lista, figurava o nome de Helder Barbalho e seu vice, Divino dos Santos. Helder respondia, na ocasião, a ação civil pública por improbidade administrativa nº 2008.1.002730-7, que tramitava na 4ª Vara Cível de Ananindeua.[8]

Referências

  1. «Resultado da Eleição de 2002». Tse.jus.br. 
  2. «Helder Barbalho (PMDB) é reeleito em Ananindeua, no Pará». Globo.com. 6 de outubro de 2008. 
  3. Simão Jatene derrota Helder Barbalho e fica no governo Veja Brasil, 26 de outubro de 2014
  4. «Dilma anuncia 13 novos nomes da reforma ministerial». Correio do Povo. 23 de dezembro de 2014. 
  5. «Dilma anuncia reforma com redução de 39 para 31 ministérios». Consultado em 2015-10-02. 
  6. Nathalia Passarinho (2 de outubro de 2015). «Novos ministros de Dilma Rousseff: veja quem entra e quem sai». G1. Consultado em 2 de outubro de 2015. 
  7. «Ministros Eduardo Braga e Helder Barbalho, do PMDB, pedem demissão. Dos sete integrantes da legenda nomeados ministros, apenas dois permanecem nos cargos: Marcelo Castro, na Saúde, e Kátia Abreu, na Agricultura». Veja. 20 de abril de 2016. Consultado em 20 de abril de 2016. 
  8. «Ananindeua: Helder na "lista suja"». Amigos da Terra. Amazonia.org.br. 5 de setembro de 2008. Consultado em 18 de dezembro de 2010. 


Precedido por
Eduardo Lopes
Ministro da Pesca e Aquicultura do Brasil
2015
Sucedido por
Cargo extinto
Precedido por
Edson Coelho Araújo
Ministro-chefe da Secretaria Nacional de Portos do Brasil
2015–2016
Sucedido por
Maurício Muniz Barreto de Carvalho


Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.