Ministério da Transparência, Fiscalização e Controle

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Coat of arms of Brazil.svg
Ministério da Transparência, Fiscalização e Controle
www.cgu.gov.br
Criação 12 de maio de 2016
Atual ministro Torquato Jardim[1]
Servidores da extinta CGU fazem ato para pedir a exoneração do ministro da Transparência, Fiscalização e Controle, Fabiano Silveira (Antonio Cruz/Agência Brasil)

Ministério da Transparência, Fiscalização e Controle foi criado em 12 de maio de 2016 pela medida provisória 726/2016.[2] As competências da extinta Controladoria-Geral da União (CGU) foram transferidas pelo mesmo diploma para este ministério.

O primeiro titular da pasta, Fabiano Silveira, pediu sua exoneração do cargo em 30 de maio de 2016, depois que foi revelada a gravação de uma conversa em que ele criticava a Operação Lava Jato. O conteúdo provocou a revolta dos servidores da extinta CGU, que protestaram exigindo a saída do ministro e a recriação do órgão.[3] Com a saída, Carlos Higino assumiu interinamente ao cargo[4] e dois dias depois o presidente em exercício Michel Temer indica o ex-ministro do TSE, Torquato Jardim.[5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Filipe Matoso (1 de junho de 2016). «Planalto anuncia Torquato Jardim para o Ministério da Transparência». G1. Globo. Consultado em 1 de junho de 2016. 
  2. «Medida provisória Nº 726». Presidência da República. 12 de maio de 2016. Consultado em 30 de maio de 2016. 
  3. Miranda, Eduardo (30 de maio de 2016). «Após pressão, Fabiano Silveira renuncia ao Ministério da Transparência». Jornal do Brasil. Consultado em 30 de maio de 2016. 
  4. «Carlos Higino assume Ministério da Transparência interinamente». Metrópoles. Consultado em 31 de maio de 2016. 
  5. «Planalto anuncia Torquato Jardim para o Ministério da Transparência». G1. 30 de maio de 2016. Consultado em 30 de maio de 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]