Secretaria de Governo do Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Coat of arms of Brazil.svg
Secretaria de Governo do Brasil
Esplanada dos Ministérios, Brasília
http://www.secretariadegoverno.gov.br/
Criação 2 de outubro de 2015 (4 anos)
Atual ministro-chefe Luiz Eduardo Ramos

Secretaria de Governo do Brasil (Segov) é uma secretaria com status de ministério ligada à presidência da República. Foi criada em 2 de outubro de 2015, pela presidente Dilma Rousseff, resultado da fusão da Secretaria-Geral da Presidência, Secretaria de Relações Institucionais, Secretaria da Micro e Pequena Empresa e do Gabinete de Segurança Institucional.[1]. Durante o Governo Temer, a Secretaria-Geral da Presidência e o Gabinete de Segurança Institucional foram recriados[2][3]. Com isto, a Secretaria de Governo ficou apenas com as atribuições de Relações Institucionais, ligadas à articulação política.

O atual ministro-chefe da pasta é o general Luiz Eduardo Ramos.[4][5]

Ministros-chefe[editar | editar código-fonte]

Nome Início Fim Presidente
1 Ricardo Berzoini 2 de outubro de 2015 12 de maio de 2016 Dilma Rousseff
2 Geddel Vieira Lima[6] 12 de maio de 2016 25 de novembro de 2016 Michel Temer
3 Antônio Imbassahy 3 de fevereiro de 2017 8 de dezembro de 2017
4 Carlos Marun 15 de dezembro de 2017 31 de dezembro de 2018
5 Carlos Alberto dos Santos Cruz 1 de janeiro de 2019 13 de junho de 2019 Jair Bolsonaro
6 Luiz Eduardo Ramos 13 de junho de 2019

Estrutura[editar | editar código-fonte]

Terá como provável estrutura básica: [7]

  • Órgãos de assistência direta ao ministro de Estado
    • Gabinete
    • Assessoria Especial
    • Secretaria-Executiva
  • Órgãos específicos singulares
    • Secretaria Especial de Articulação Social
    • Secretaria Especial de Comunicação Social
    • Secretaria Especial de Parcerias e Investimentos
    • Secretaria Especial de Relações Institucionais
    • Secretaria Especial de Assuntos Federativos

A Agência Brasileira de Inteligência e a Casa Militar foram parte do órgão entre 2015 e 2016. [8]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]