Flávia Arruda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Flávia Arruda
Flávia Arruda em 2019.
7.° Ministra-chefe da Secretaria de Governo do Brasil
Período 30 de março de 2021
até 31 de março de 2022
Presidente Jair Bolsonaro
Antecessor(a) Luiz Eduardo Ramos
Sucessor(a) Célio Faria Júnior
Deputada Federal pelo Distrito Federal
Período 1º de fevereiro de 2019
até a atualidade[nota 1]
Dados pessoais
Nome completo Flávia Carolina Péres
Nascimento 21 de janeiro de 1980 (42 anos)
Taguatinga, DF
Nacionalidade brasileira
Progenitores Mãe: Wilma Vitoriana de Mello Peres
Pai: Paulo Wilson Peres
Alma mater Centro Universitário Euroamericano
Cônjuge José Roberto Arruda
Partido DEM (2009-2013)
PL (2013-presente)
Profissão empresária, advogada

Flávia Carolina Péres, mais conhecida como Flávia Arruda (Taguatinga, 21 de janeiro de 1980),[2] é uma empresária e política brasileira, filiada ao Partido Liberal (PL) e presidente da sigla do Distrito Federal. Foi ministra-chefe da Secretaria de Governo do Brasil de 2021 a 2022.[3][4]

Iniciou o curso de Educação Física na Universidade Católica de Brasília, porém não o concluiu. Flávia trabalhou em Taguatinga por um período, até decidir montar uma escola, no Recanto das Emas. Casada com o político José Roberto Arruda, é mãe de duas filhas.[2]

A convite da TV Bandeirantes, foi apresentadora do programa Nossa Gente, que abordava projetos de sucesso na área social.[5] Alguns anos depois, foi para São Paulo, onde foi apresentadora da previsão do tempo em um jornal de rede nacional.[qual?][2]

Em 2019, concluiu o curso de Direito pelo Centro Universitário Euroamericano.[2]

Em 2021, foi eleita presidente da Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização (CMO) do Congresso Nacional. [1] No mesmo ano, foi nomeada Ministra-chefe da Secretaria de Governo do Brasil.[2]

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Eleições 2014[editar | editar código-fonte]

Em sua primeira incursão na política, Flávia tornou-se vice-governadora na chapa de Jofran Frejat.[6] Isso ocorreu devido a Justiça Eleitoral indeferir a candidatura a governador de seu companheiro, José Roberto Arruda, após ter sido de preso de maneira preventiva pelo seu envolvimento no Mensalão do DEM.[7][8]

Com 428.522 votos, a chapa ficou em segundo lugar, sendo derrotada para Rodrigo Rollemberg do Partido Socialista Brasileiro (PSB).[9]

Eleições 2018[editar | editar código-fonte]

Nas eleições distritais de 2018 foi eleita deputada federal pelo Distrito Federal e obteve 121.340 votos totalizados (8,43% dos votos válidos), sendo a deputada mais votada para o cargo.[10]

Como deputada, em 2019, votou de maneira favorável a Reforma da Previdência proposta pelo governo de Jair Bolsonaro.[11]

Desempenho eleitoral[editar | editar código-fonte]

Ano Eleição Cargo Votos Resultado Partido Notas Ref.
2014 Eleições distritais no Distrito Federal em 2014 Vice-governadora 428.522 Não Eleita PR Vice de Jofran Frejat (PR) [12]
2018 Eleições distritais no Distrito Federal em 2018 Deputada federal 121.340 Eleita PR [13]

Notas

  1. Licenciada a partir de 31 de março de 2021.[1]

Referências

  1. {Citar web |ultimo= |primeiro= |url=https://www.camara.leg.br/deputados/204354/biografia |titulo=Deputada Flávia Arruda|data=|acessodata=5 de agosto de 2021 |publicado= Câmara dos Deputados|lingua=pt-BR}}
  2. a b c d «Biografia de Flávia Arruda». Biografia de Flávia Arruda. Flávia Arruda. Consultado em 1 de janeiro de 2015. Arquivado do original em 17 de janeiro de 2021 
  3. https://www.metropoles.com/colunas/janela-indiscreta/flavia-arruda-e-confirmada-como-secretaria-de-governo-de-bolsonaro
  4. «Decretos de 30 de março de 2022». Diário Oficial da União. 31 de março de 2022. Consultado em 31 de março de 2022 
  5. «Primeira dama do DF com programa na Band». Edgar Lisboa. 15 de novembro de 2009. Consultado em 27 de julho de 2020 
  6. «Jofran Frejat e Flávia Arruda registram candidaturas no TRE». Correio Braziliense. 14 de setembro de 2014. Consultado em 27 de julho de 2020 
  7. «Jofran Frejat e Flávia Arruda registram candidaturas no TRE». Correio Braziliense. 14 de setembro de 2014 
  8. Motta, Severino (12 de agosto de 2014). «TRE barra candidatura de José Roberto Arruda, 1º governador preso do país - 12/08/2014 - Poder - Folha de S.Paulo». Folha de S. Paulo. Consultado em 27 de julho de 2020 
  9. «Com 55,7% dos votos válidos, Rodrigo Rollemberg é eleito governador do DF». Agência Brasil. 26 de outubro de 2014. Consultado em 27 de julho de 2020 
  10. «- Eleições 2018». Gazeta do povo. Consultado em 27 de julho de 2020 
  11. «Previdência: o voto de cada deputado». Congresso em Foco. 10 de julho de 2019. Consultado em 27 de julho de 2020 
  12. «Rollemberg vence e PSB governará Distrito Federal pela primeira vez». UOL Eleições 2014. Consultado em 27 de julho de 2020 
  13. «Senadores e deputados federais/distritais eleitos: Apuração e resultado das Eleições 2018 DF». UOL Eleições 2018. Consultado em 27 de julho de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]