Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Tereza Cristina
Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil
Período 1° de janeiro de 2019
até a atualidade
Presidente Jair Bolsonaro
Antecessor Blairo Maggi
Deputada Federal pelo Mato Grosso do Sul
Período 1º de fevereiro de 2015
até a atualidade[a]
Secretária de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo do Mato Grosso do Sul
Período 1º de janeiro de 2007
até 7 de abril de 2014
Governador André Puccinelli
Antecessor João Crisóstomo Mauad Cavallero
Sucessor Paulo Engel
Dados pessoais
Nascimento 6 de julho de 1954 (66 anos)
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Alma mater Universidade Federal de Viçosa
Prêmio(s) Medalha do Pacificador[1]
Partido PSDB (2003-2013)
PSB (2013-2017)
DEM (2017-presente)
Profissão Engenheira Agrônoma e empresária
linkWP:PPO#Brasil

Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias ou simplesmente Tereza Cristina (Campo Grande, 6 de julho de 1954) é uma engenheira agrônoma, empresária[2] e política brasileira filiada ao Democratas. É deputada federal,[3] e atual Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Foi secretária de Desenvolvimento Agrário da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo de Mato Grosso do Sul durante o governo de André Puccinelli (MDB).Ela foi uma das lideranças que defenderam a aprovação do Projeto de Lei 6.299, que flexibiliza as regras para fiscalização e aplicação de agrotóxicos no país.[4]

Nas Eleições estaduais de Mato Grosso do Sul em 2014 foi eleita deputada federal com 75.149 votos.[2]

Em janeiro de 2017 foi eleita para liderar a bancada do PSB na Câmara dos Deputados, derrotando o deputado Tadeu Alencar (PE) por 22 a 14 votos. Com isso passou a liderar um grupo de 36 deputados.[5]

Deixou em outubro de 2017 o Partido Socialista Brasileiro, por discordar da posição contrária que o partido passou a adotar frente ao Governo Temer. Foi acompanhada por outros membros do PSB que também apoiavam o governo de Michel Temer: os deputados Fabio Garcia (MT), Adilton Sachetti (MT) e Danilo Forte (CE), além do ministro Fernando Coelho Filho.[6] Em dezembro ingressou no Democratas (DEM).[carece de fontes?]

Em 2018, como líder da Bancada Ruralista, foi uma das principais responsáveis pela aprovação do projeto de lei nº 6.299/2002, que regulamenta o processo de registro de agrotóxicos no Brasil.[3]

Desde janeiro de 2019, integra o Governo Jair Bolsonaro, onde assumiu o cargo de ministra da Agricultura, Pecurária e Abastecimento.[7][8] Ela foi indicada por um grupo de 20 integrantes da Frente Parlamentar Agropecuária (FPA).[9]

Ministra da agricultura[editar | editar código-fonte]

Apoio a agricultores sulistas[editar | editar código-fonte]

Em novembro de 2020, recebeu a visita do deputado federal Celso Maldaner que fez a ministra conhecer as principais necessidades dos produtores rurais catarinenses depois que estes foram atingidos pela estiagem que assolou o sul do país nos meses de outubro e novembro de 2020, dentre essas necessidades encontrava-se agilidade na emissão do relatório de comprovação de perdas que permitiria rapidez aos trâmites do seguro agrícola. Em atendimento a algumas destas solicitações, a ministra ainda conseguiu a abertura de novos limites de crédito, flexibilizou a vistoria e a análise de comprovação de perdas acima de 60%, com indenização do Proagro e ainda flexibilizou a liberação imediata da área para novo plantio.[10]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Licenciada desde 1 de janeiro de 2019 para assumir o Ministério da Agricultura

Referências

  1. «Boletim do Exército do Brasil de julho de 2020». Secretaria Geral do Exército do Brasil (pdf). Consultado em 10 de setembro de 2020 
  2. a b «Tereza Cristina 4040». Eleições 2014. Consultado em 9 de janeiro de 2017 
  3. a b Camargos, Daniel (26 de setembro de 2018). «Campanha de defensora de lei pró-agrotóxicos já recebeu 350 mil reais de executivos ligados ao setor». EL PAÍS 
  4. «Deputada do Mato Grosso do Sul deve ser ministra no governo Bolsonaro – Só Notícias». Só notícias. Consultado em 10 de novembro de 2018 
  5. «Deputada Tereza Cristina é a nova líder da bancada do PSB na Câmara». Liderança do PSB. Consultado em 31 de janeiro de 2017 
  6. Fernanda Calgaro. «Quatro deputados do PSB aliados do Planalto pedem desfiliação do partido». G1. Consultado em 24 de outubro de 2017 
  7. «Ruralistas indicam, e Bolsonaro anuncia Tereza Cristina como ministra da Agricultura». G1 
  8. «Deputada Tereza Cristina é indicada ao Ministério da Agricultura». Correio do Povo. Consultado em 7 de novembro de 2018 
  9. «Tereza Cristina é a ministra da Agricultura do governo Bolsonaro». Canal Rural. 7 de novembro de 2018 
  10. Mortari, Cristiano (29 de dezembro de 2020). «Maldaner confirma medidas de apoio aos agricultores atingidos pela estiagem». Rádio Aliança 750khz. Consultado em 3 de janeiro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikinotícias Notícias no Wikinotícias