Francisco Turra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Francisco Turra
Deputado federal pelo Rio Grande do Sul
Período 1º de fevereiro de 2003
a 1º de fevereiro de 2007
110.º Ministro da Agricultura e Abastecimento do Brasil
Período 7 de abril de 1998
a 19 de julho de 1999
Presidente Fernando Henrique Cardoso
Antecessor(a) Arlindo Porto
(interinos Ailton Barcelos Fernandes, Washington Thadeu de Mello e Enio Antônio Marques Pereira)
Sucessor(a) Marcus Vinícius Pratini de Moraes
Presidente da Companhia Nacional de Abastecimento
Período 1996 a 1998
Diretor de Desenvolvimento e Investimentos do Banrisul
Período 1995 a 1996
Deputado estadual do Rio Grande do Sul
Período 1º de fevereiro de 1987
a 1º de fevereiro de 1995
(2 mandatos consecutivos)
Prefeito de Marau
Período 1º de janeiro de 1983
a 1986
Vice-Prefeito de Marau
Período 1976
a 1º de janeiro de 1983
Dados pessoais
Nascimento 16 de setembro de 1942 (79 anos)
Marau, RS
Nacionalidade brasileiro
Alma mater Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS)
Prêmio(s) Ordem do Mérito Militar[1]
Profissão advogado, político

Francisco Sérgio Turra GOMM (Marau, 16 de setembro de 1942) é um advogado e político brasileiro filiado ao Progressistas (PP). Ministro da Agricultura e Abastecimento durante o governo Fernando Henrique Cardoso, pelo Rio Grande do Sul foi deputado federal e estadual por dois mandatos, além de prefeito de Marau.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Formou-se em direito na Universidade de Passo Fundo em 1968 e em Comunicação na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) em 1978. Em 1976 torna-se vice-prefeito de Marau, pela ARENA, sendo eleito prefeito da mesma em 1982, na mesma legenda, mas então chamada de PDS. Em 1986 elege-se deputado estadual, tendo feito 30.770 votos, sendo 10.800 em Marau, que tinha à época 13 mil eleitores. Foi líder do partido na Assembleia Legislativa e seria reeleito em 1990. Na eleição de 1994 ficou como suplente de deputado Federal.

No biênio 1995-1996, foi presidente do Banrisul, banco estatal gaúcho, por indicação do então governador Antônio Britto. Deixou o cargo para fazer parte da administração federal de Fernando Henrique Cardoso como presidente da CONAB, entre 1996 e 1998.

Depois, assumiu o Ministério da Agricultura e do Abastecimento, ainda em 1998, nos últimos meses do primeiro mandato de FHC. Foi ministro durante 15 meses, época em que a safra de grãos bateu o recorde nacional e o investimento em agricultura familiar duplicou.

Em março de 1999, como ministro, Turra foi admitido pelo presidente Fernando Henrique Cardoso à Ordem do Mérito Militar no grau de Grande-Oficial especial.[1] Deixou o cargo quando da reforma ministerial da posse do segundo mandato de FHC, no início de 1999.

Em 2002 elegeu-se deputado federal, e em 2006 foi o candidato do seu partido, agora chamado Partido Progressista, ao governo do estado do Rio Grande do Sul. Acabou em quarto lugar, com 412.767 votos, ou 6,66% dos votos válidos.

Assumiu em 2007 a vice-presidência do BRDE, cargo que lhe foi confiado pela governadora Yeda Crusius, e que exerceu até abril de 2008, quando foi convidado a presidir a ABEF - Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Frangos.

Referências

Precedido por
Arlindo Porto
Ministro da Agricultura do Brasil
1998 — 1999
Sucedido por
Marcus Vinícius Pratini de Moraes