José Israel Vargas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
José Israel Vargas
Nascimento 9 de janeiro de 1928 (89 anos)
Paracatu
Nacionalidade  Brasileiro
Alma mater Universidade de Cambridge
Instituições Universidade Federal de Minas Gerais
Campo(s) Química

José Israel Vargas (Paracatu, 9 de janeiro de 1928) é um químico brasileiro com carreira dedicada ao estudo das consequências físico-químicas das transformações nucleares em sólidos, interações hiperfinas e planejamento e modelagem de sistemas energéticos.

Carreira acadêmica[editar | editar código-fonte]

Doutorou-se em 1959 pela Universidade de Cambridge, no Reino Unido. Foi professor catedrático de físico-química e química superior da Universidade Federal de Minas Gerais, instituição que em 1989 conferiu-lhe o título de professor emérito. Dirigiu grupo de pesquisas no centro de Estudos Nucleares de Grenoble, na França. Foi pesquisador titular do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas, vice-presidente da Academia Brasileira de Ciências e presidente da Academia de Ciências dos Países em Desenvolvimento.[1]

Carreira no setor público[editar | editar código-fonte]

Foi secretário de Ciência e Tecnologia do estado de Minas Gerais no governo Aureliano Chaves e secretário de Tecnologia Industrial, do Ministério de Indústria e Comércio durante a gestão do ministro João Camilo Penna. Foi ainda ministro de Ciência e Tecnologia, entre 1992 e 1999, nas gestões dos presidentes Itamar Franco e Fernando Henrique Cardoso. Foi ainda o embaixador do Brasil junto à UNESCO de abril de 2000 a julho de 2003.[1]

Condecorações[editar | editar código-fonte]

Foi condecorado com a Grã Cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico, é Grand Officier de la Légion d'Honneur e também Knight Commander da Ordem do Império Britânico.[1] No dia 6 de dezembro de 2000 recebeu a Medalha de Honra da UFMG[2]. No dia 12 de maio de 2015 recebeu o prêmio Bom Exemplo. O referido prêmio valoriza ações e trajetórias em cidadania, cultura, educação, esporte, inovação e meio ambiente e destaca a personalidade do ano. A iniciativa é uma parceria entre TV Globo Minas, Fundação Dom Cabral, Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) e jornal O Tempo[3][4][5].

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Hélio Jaguaribe
Ministro da Ciência e Tecnologia do Brasil
1992 — 1999
Sucedido por
Bresser Pereira
Precedido por
Oscar Sala
Presidente da
Academia Brasileira de Ciências

1991 — 1993
Sucedido por
Eduardo Moacyr Krieger


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) químico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.