Luiz Felipe Lampreia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Luiz Felipe Lampreia
Nascimento 19 de outubro de 1941
Rio de Janeiro
Morte 2 de fevereiro de 2016 (74 anos)
Rio de Janeiro
Ocupação Sociologia, diplomacia

Luiz Felipe Palmeira Lampreia GCCGCSEComIHGCIHGCM (Rio de Janeiro, 19 de outubro de 1941 – Rio de Janeiro, 2 de fevereiro de 2016) foi um sociólogo e diplomata brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de João Gracie Lampreia e Maria Carolina Palmeira Lampreia, graduado em sociologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, em 1962. Ingressou no Instituto Rio Branco no mesmo ano. Foi nomeado terceiro-secretário em novembro de 1963,[1] foi embaixador em Paramaribo (Suriname), em Lisboa (Portugal), e em Genebra (OMC e outros organismos internacionais).

A 22 de Dezembro de 1977 foi feito Comendador da Ordem do Infante D. Henrique e a 2 de Julho de 1991 foi elevado a Grã-Cruz da mesma Ordem de Portugal.[2]

Foi Secretário Geral do Itamaraty (1992-1993) e Ministro das Relações Exteriores no governo Fernando Henrique Cardoso entre 1995 e 2001.

A 4 de Outubro de 1995 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo, a 18 de Agosto de 1997 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada e a 14 de Março de 2000 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem do Mérito de Portugal.[2]

Era também professor associado de Relações Internacionais da ESPM-Rio.

Foi ligado institucionalmente ao Centro Brasileiro de Relações Internacionais (Cebri), um think tank de relações internacionais, do qual foi vice-presidente emérito.[3] Foi também presidente do Conselho de Relações Internacionais da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (FIRJAN). Além disso, foi membro dos conselhos de várias empresas internacionais de consultoria em planejamento estratégico, como McLarty Associates[4] e Oxford Analytica,[5] empresas industriais, como Partex Oil and Gas, Souza Cruz e Coca-Cola, e do banco português Caixa Geral de Depósitos.[6]

Lampreia mantinha um blog sobre Política Internacional na página de O Globo.[7]

Morreu no dia 2 de fevereiro de 2016, depois de sofrer uma parada cardíaca.[8] Deixou 3 filhas Helena, Inês e Teresa Lampreia e uma neta Maria Carolina Lampreia Matarazzo

Referências

Precedido por
Celso Amorim
Ministro das Relações Exteriores do Brasil
1995 — 2001
Sucedido por
Celso Lafer
Ícone de esboço Este artigo sobre relações internacionais, diplomacia ou sobre um diplomata é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.