João Severiano Maciel da Costa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
João Severiano Maciel da Costa
Nascimento 27 de dezembro de 1769
Mariana
Morte 19 de novembro de 1833 (63 anos)
Rio de Janeiro
Nacionalidade  Brasileiro
Ocupação Magistrado e político

João Severiano Maciel da Costa, primeiro visconde com Grandeza e marquês de Queluz (Mariana, 27 de dezembro de 1769Rio de Janeiro, 19 de novembro de 1833[1]), foi um magistrado e político brasileiro.

Governador da Guiana Francesa, quando da sua ocupação por tropa portuguesa, de 1809 a 1817.[2]

Foi deputado à Assembléia Constituinte pela província de Minas Gerais. Dissolvida a Assembléia, foi nomeado Ministro do Império e ocupou o cargo de 10 de novembro de 1823 a 14 de outubro de 1824. Integrou o conselho de dez membros nomeado pelo imperador para redigir o novo projeto de Constituição, que ficou sendo chamado Conselho de Estado, comentado em 12 de fevereiro de 1824 por frei Caneca, por exemplo: «Não se fala mais em Constituição, e o maior dos crimes de Estado é não se falar e louvar o projeto redigido pelos decênviros. Os homens probos, constitucionais, ricos proprietários, tudo que é gente de bem está aterrada e abatida; ninguém ousa dizer palavras fora daquelas que saem do círculo do chumbismo. As prisões estão cheias de vítimas; insultam-se do modo mais indigno os brasileiros; e diz uma carta de pessoa fidedigna que se trata com aceleramento toda sorte de traições contra as briosas e liberais províncias do norte." [3]

Foi ministro da Fazenda, conselheiro de Estado, presidente da província da Bahia e senador do Império do Brasil de 1826 a 1833. Feito dignitário da Imperial Ordem do Cruzeiro em 1824.

Neto do coronel Maximiano de Oliveira Leite, potentado da zona do Carmo, descendia portanto do grande bandeirante Fernão Dias. Casou-se com Bárbara Benedita de Tavares da Costa Lobo Ferreira. Seus pais foram o coronel Domingos Alves de Oliveira Maciel, advogado, deputado à Assembléia Constituinte, casado com Juliana de Oliveira, e seus filhos assinavam Maciel da Costa, entre eles João Tavares Maciel da Costa, primeiro barão e segundo visconde com Grandeza de Queluz.

Sua irmã Joana Teodora Inácia Xavier casou com o Conselheiro José Joaquim da Rocha, deputado por Minas Gerais à Assembléia Constituinte.

Referências

  1. Biografia no sítio do Ministério da Fazenda do Brasil
  2. Dom João VI - Casa Real do Brasil
  3. «Frei Joaquim do Amor Divino Caneca», Coleção Formadores do Brasil 1994, página 350.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Pedro de Araújo Lima
Ministro dos Negócios do Império do Brasil
e
Administrador do Rio de Janeiro

1823 — 1824
Sucedido por
Estêvão Ribeiro de Resende
Precedido por
Francisco Vicente Viana
Presidente da província da Bahia
1825 — 1826
Sucedido por
José Egídio Gordilho de Barbuda
Precedido por
Antônio Luís Pereira da Cunha
Ministro das Relações Exteriores do Brasil
1827
Sucedido por
João Carlos Augusto von Oyenhausen-Gravenburg
Precedido por
Manuel Jacinto Nogueira da Gama
Ministro da Fazenda do Brasil
1827
Sucedido por
Miguel Calmon du Pin e Almeida


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.