Luiz Alberto Figueiredo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Luiz Alberto Figueiredo
Luiz Alberto Figueiredo em setembro de 2013
Ministro das Relações Exteriores do  Brasil
Período 26 de agosto de 2013
31 de dezembro de 2014
Presidente Dilma Rousseff
Antecessor(a) Antonio Patriota
Sucessor(a) Mauro Vieira
Vida
Nascimento 17 de julho de 1955 (61 anos)
Rio de Janeiro, RJ

Luiz Alberto Figueiredo Machado (Rio de Janeiro, 17 de julho de 1955[1]) é um diplomata e advogado brasileiro, nomeado, em agosto de 2016, Embaixador do Brasil em Portugal[2].

Ocupou brevemente o cargo de ministro das Relações Exteriores no final do primeiro governo de Dilma Rousseff[3], substituindo Antonio Patriota, cuja presença no governo se tornara insustentável após a chamada "Operação Roger Pinto", que culminou com a vinda do senador boliviano Roger Pinto Molina ao Brasil.[4][5][6][7]

Após servir brevemente como embaixador do Brasil em Washington (2015-2016)[8], foi nomeado Embaixador brasileiro em Lisboa[9].

Vida profissional[editar | editar código-fonte]

Formou-se em direito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) em 1977,[10] graduando-se pelo Instituto Rio Branco (IRBr) dois anos depois.[11] Dono de uma história de forte superação pessoal, deixou para trás quase toda[12] a gagueira da infância.[13]

Desde 1981, integrou e chefiou delegações brasileiras em diversas reuniões multilaterais sobre temas como meio ambiente, desenvolvimento sustentável, desarmamento e segurança internacional, direito do mar, Antártica, espaço exterior, saúde e trabalho. Apelidado pelos colegas de "Fig"[14], atuou, por muitos anos, como negociador-chefe brasileiro em conferências internacionais sobre temas ambientais, especialmente as dedicadas à mudança do clima e à biodiversidade.[15]

"Fig" serviu na missão do Brasil junto às Nações Unidas, de 1986 a 1989, na embaixada em Santiago, de 1989 a 1992, na embaixada em Washington, de 1996 a 1999, na embaixada em Ottawa, de 1999 a 2002, e na missão do Brasil junto à UNESCO, de 2003 a 2005.[15]

Entre 2011 e 2013 exerceu o cargo de subsecretário-geral de meio ambiente, energia, ciência e tecnologia. Entre 2005 e 2011, atuou como diretor do Departamento de Meio Ambiente e Temas Especiais, bem como chefiou a Divisão de Política Ambiental e Desenvolvimento Sustentável, de 2002 a 2004 e a Divisão do Mar, Antártica e Espaço, de 1995 a 1996.[15]

Indicado por Dilma Rousseff, atuou como representante "permanente" do Brasil junto à Organização das Nações Unidas (ONU) durante pouco mais de dois meses, de junho a agosto de 2013.[3] Chamado às pressas para ocupar o lugar que ficara vago após a chamada "Operação Roger Pinto", que culminou com a vinda do senador asilado boliviano Roger Pinto Molina ao Brasil,[3][4][5][6][7] Fernando ocupou a cadeira por pouco mais de um ano - teve o mais breve mandato como chanceler brasileiro em décadas. Considerado inábil e mal avaliado como chanceler,[16][17][18] foi demitido em dezembro de 2014, sendo o diplomata Mauro Vieira anunciado para substituí-lo.[18][16]

Referências

  1. «Ambassador Luiz Alberto Figueiredo Machado» (em inglês). ONU. Consultado em 26 de agosto de 2013. 
  2. «Plenário aprova indicação de Luiz Machado para embaixada em Portugal». Senado Federal - Portal de Notícias. 17 de agosto de 2016. Consultado em 20 de agosto de 2016. 
  3. a b c «Dilma demite ministro Patriota após episódio com senador boliviano». G1. 26 de agosto de 2013. Consultado em 26 de agosto de 2013. 
  4. a b Correia, Karla (26 de agosto de 2013). «Antonio Patriota é demitido após fuga de senador boliviano para o Brasil». Correio Braziliense. Consultado em 27 de agosto de 2013. 
  5. a b Oliveira, Clarissa; Lima, Wilson (26 de agosto de 2013). «Para Dilma, saída de Patriota foi maneira de amenizar constrangimento». Último Segundo. Consultado em 27 de agosto de 2013. 
  6. a b Fadul, Sergio (26 de agosto de 2013). «Dilma se irrita com operação e situação de Patriota é considerada insustentável». O Globo. Consultado em 27 de agosto de 2013. 
  7. a b Gois, Chico de; Fadul, Sergio (26 de agosto de 2013). «Patriota pede demissão e será substituído por Luiz Alberto Figueiredo». O Globo. Consultado em 27 de agosto de 2013. 
  8. «Embaixada do Brasil em Washington». 
  9. «Governo formaliza nomeação de embaixadores de quatro países». Valor Econômico. 19 de agosto de 2016. Consultado em 20 de agosto de 2016. 
  10. Gois, Chico de (26 de agosto de 2013). «Luiz Alberto Figueiredo, o novo chanceler brasileiro». O Globo. Consultado em 26 de agosto de 2013. 
  11. «Ambassador Luiz Alberto Figueiredo Machado» (em inglês). Financial Times. Consultado em 26 de agosto de 2013. 
  12. Ambassador Luiz Fernando Figueiredo talks about COP-16 [1]
  13. «Luiz Alberto Figueiredo, um diplomata sem firula que busca consensos». O Globo. Consultado em 2015-12-22. 
  14. «Luiz Roberto Figueiredo, um diplomata sem firula que busca consensos, do jornal O Globo». 
  15. a b c «Ministro de Estado das Relações Exteriores». Consultado em 5 de setembro de 2013. 
  16. a b «Com Mauro Vieira, Dilma tenta apaziguar o Itamaraty». CartaCapital. Consultado em 2016-05-26. 
  17. «Serra começa troca de embaixadores e vai nomear Sérgio Amaral para Washington - Manchetes - Reuters». br.reuters.com. Consultado em 2016-05-26. 
  18. a b «Para Amorim, novo chanceler terá que restabelecer moral de diplomatas - 31/12/2014 - Mundo - Folha de S.Paulo». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 2016-05-26. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Antonio Patriota
Ministro das Relações Exteriores do Brasil
2013 — 2014
Sucedido por
Mauro Vieira
Precedido por
Mauro Vieira
Embaixador do Brasil nos Estados Unidos
2015 — atualmente
Sucedido por